Ailton de Freitas

Por Lauro Jardim/O Globo

Apesar de ter sido preso apenas anteontem, Alexandre Baldy, secretário de Transportes de João Doria já era investigado desde quando era ministro do governo de Michel Temer.

Baldy foi preso anteontem (e já solto ontem por decisão de Gilmar Mendes), acusado de ter recebido propina de R$ 1,4 milhão por intermediar a contratação da Organização Social Pró-Saúde pelos governos do Rio de Janeiro e de Goiás.

Segundo consta na decisão do juiz Marcelo Bretas, que determinou a prisão, “as medidas cautelares foram requeridas perante o STF, tendo em vista que Alexandre Baldy figurava como ministro de Estado. Contudo, com a sua saída do cargo e consequente perda de foto, os autos foram encaminhadas a esta 7ª Vara Federal Criminal, em razão de conexão”.