Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

http://2.bp.blogspot.com/-8w_97Dngmzg/VQdhSEhg03I/AAAAAAAArs0/ccJ7HCzbPsc/s1600/projovem-belford-roxo.jpg

A Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco divulgou o edital de uma seleção simplificada com 395 vagas para contratar profissionais com escolaridade de nível médio e superior para atuar no Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem Urbano), com salários de até R$ 4500. 

Há vagas para os cargos de assistente administrativo, assistente pedagógico, assistente jurídico, intérprete de LIBRAS Projovem, assistente administrativo prisional, assistente pedagógico prisional, técnico de nível médio I, professor ProJovem e Professor Projovem ou Educador para Atendimento Educacional Especializado.

Os candidatos serão selecionados através da realização de análise da experiência profissional e de títulos. As inscrições são gratuitas, já estão abertas e devem ser feitas através do site da Secretaria de Educação até o dia 26 de junho. O resultado final será divulgado no dia cinco de julho.

http://www.ricardoantunes.com.br/wp-content/uploads/2018/06/35077484_1743410512394608_5370404107368529920_n-k7wC-ID000002-1024x576@GP-Web.jpg

O Vaticano esclareceu hoje (12) que o papa Francisco não tem relação com o advogado argentino Juan Grabois, o qual tentou visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão.

Grabois, fundador do Movimento dos Trabalhadores Excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, tentou visitar ontem (11) Lula na prisão em Curitiba, mas não foi autorizado pela Polícia Federal (PF).

Vários veículos de imprensa e redes sociais do PT haviam dito que Grabois era um representante do Papa que entregaria um terço a Lula em nome do Pontífice.

Mas, de acordo com uma nota publicada pelo site Vatican News, Grabois fez a visita a “título pessoal”, e o terço não foi enviado pelo papa Francisco, apenas “abençoado”.

Eis anota na íntegra:

“Em mérito às notícias circuladas sobre o suposto envio de um Terço pelo Papa Francisco ao ex-presidente Lula, esclarecemos que o advogado argentino Juan Grabois, fundador do Movimento dos trabalhadores excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, tentou fazer uma visita – a título PESSOAL – ao ex-presidente, tendo após a tentativa infrutífera, concedido uma entrevista diante do prédio da Polícia Federal em Curitiba. Na entrevista – e nos ativemos a ela – EM NENHUM MOMENTO Grabois afirmou que o Terço foi enviado pelo Santo Padre, mas apenas “ABENÇOADO” pelo Papa”, diz a nota.

Em sua página oficial, o Instituto Lula descreveu Grabois como “emissário do papa Francisco para assuntos de Justiça e Paz”, e disse que ele pretendia levar ao ex-presidente um terço mandado pelo próprio Pontífice. Segundo a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Vatican News representa a comunicação da Santa Sé. A CNBB, por sua vez, também disse desconhecer o envio do terço pelo Papa ao ex-presidente.

Durante a crise financeira vivida pelas cidades, um projeto da Câmara pode abrir caminho para a criação de 400 novos municípios. O texto tramita com regime de urgência e está pautado para esta terça-feira (11). A proposta discutida pelos deputados regulamenta trecho da Constituição para “criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios”.

Pelo texto (íntegra), caberá aos entes interessados o envio de um requerimento às assembleias legislativas dos Estados. O pedido precisará ser acompanhado de estudos que comprovem viabilidade político-administrativa, econômica e socioambiental.

Também precisará cumprir alguns parâmetros, como número mínimo de habitantes: 6 mil para cidades do Centro-Oeste e Norte, 12 mil para a região Nordeste e 20 mil para Sul e Sudeste.

Os relatórios terão de ser disponibilizados para consulta pública e precisarão ser chancelados pelo Legislativo estadual. No caso de aprovação, terão ainda de ser submetidos a plebiscito envolvendo os habitantes das cidades envolvidas.

A criação, incorporação, fusão ou desmembramento de municípios serão proibidas em anos de eleições municipais.

Para ser aprovado, o texto precisa do apoio de 257 deputados. Como já passou pelo no Senado, se for aprovado sem modificações, seguirá direto para sanção presidencial.

Situação dos municípios

Atualmente, há 5.569 municípios no Brasil. A situação financeiras das cidades é crítica. Estudo da CNM (Confederação Nacional de Municípios) mostra que apenas metade das prefeituras conseguiu fechar 2017 com as finanças equilibradas. A instituição considera que esses municípios não deixaram dívidas do ano passado para 2018. Foram ouvidos 5.483 municípios.

De acordo com os dados, a área mais prejudicada com a suspensão do compromisso de repasse foi o pagamento de fornecedores, seguida do pagamento de salários do funcionalismo público e do 13º salário.

“Os aspectos destacados reforçam a existência de uma crise financeira no ente federado menos favorecido no atual modelo de pacto federativo. O aumento das responsabilidades dos municípios, agregada à alta dependência financeira que esses têm das transferências de outros entes colocaram as prefeituras em dificuldade financeira no último ano”, aponta o relatório.

Para o secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castello Branco, o projeto é descabido e inoportuno no momento em que o país projeta fechar o ano com déficit de R$ 159 bilhões. Ele destaca que os municípios, assim como a União e os Estados, estão em dificuldade financeira.

“Como via de regra, os municípios acabam reproduzindo a estrutura paquidérmica e ineficiente da União. Com a criação dos municípios, surgem novos prefeitos, novos vereadores, isto é, novos cabos eleitorais. É sem cabimento“, afirma o economista.

Castello Branco ressalta que o ano eleitoral é uma das explicações para o tema voltar a ser discutido no Congresso. Em 2014, a então presidente Dilma Rousseff vetou integralmente, duas vezes, projetos que previam a criação, emancipação e fusão de municípios.

“Os políticos fazem de tudo para obter mais espaço diante do eleitorado. Só o fato de esse projeto poder ser discutido em meio à paralisação do Congresso mostra a força eleitoreira que tem. É uma razão esdrúxula“, afirma Castello Branco.

http://www.opopularjm.com.br/wp-content/uploads/2017/03/titulo-eleitoral.jpg

A pesquisa Datafolha divulgada no último domingo mostra que o total de eleitores sem candidato chega a 43% no Nordeste, em cenários em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não aparece como opção. Historicamente, é nessa região que o petista tem o seu melhor desempenho eleitoral. O número deve fazer com que os demais presidenciáveis intensifiquem a campanha no Nordeste.

Lula foi condenado em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá e, por isso, preenche os requisitos para ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, sendo impedido de concorrer nas próximas eleições. O Datafolha testou um cenário com o ex-presidente e três sem ele.

Nas três simulações em que o petista não aparece, o percentual de eleitores que declara pretender votar em branco ou nulo varia no Nordeste entre 36% e 38%. Os que não sabem em quem votar oscilam entre 5% e 6%. Quando Lula aparece como opção, os que pretendem votar em branco ou anular são 15%, e os que não sabem somam 3%.

A avaliação dos cenários sem Lula também indica que o percentual de eleitores sem candidato é maior entre as mulheres, com variação de 41% a 42% a depender do cenário em todo o Brasil. Entre os homens, o percentual dos que não têm em quem votar quando o petista é tirado da disputa oscila entre 25% e 26%.

Os sem candidato também ocupam um espaço maior entre os que tem mais de 35 anos (chegando a 39% no grupo com mais de 60 anos), entre os que têm baixa escolaridade (atinge até 39% nessa faixa) e os de menor renda (alcança até 40% no grupo).

Bombas não refletem corte no preço do diesel em 10 estados e no DF

O preço do combustível continua mais alto do que antes da greve dos caminhoneiros em pelo menos quatro estados brasileiros e no Distrito Federal. Embora tenha havido concessão de subsídios ao óleo diesel, à redução nos preços não chegou às bombas.

Segundo destaca a Folha de S. Paulo, o governo Michel Temer fez acordo com os caminhoneiros e concedeu subsídio de R$ 0,30 ao preço do diesel nas refinarias e importações e reduziu impostos, com a promessa de cortar o preço na bomba em R$ 0,46 por litro. Em seis, o preço caiu menos de R$ 0,10.

A média nacional registrou queda de apenas R$ 0,11 na comparação com a semana anterior à greve dos caminhoneiros, de acordo com a pesquisa semanal de preços da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

Em outros seis estados (Bahia, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Roraima e Tocantins) a redução com relação ao valor vigente antes da greve dos caminhoneiros é menor do que R$ 0,10 por litro. Na Paraíba, foi de apenas R$ 0,01.

As maiores quedas registradas pela ANP foram no Amapá (R$ 0,25 por litro) e em Sergipe (R$ 0,25 por litro). Em São Paulo, a redução média no preço do diesel foi de R$ 0,12 por litro.

A pesquisa da ANP indica que, em Pernambuco, Acre, Alagoas e Maranhão, o diesel ainda está mais caro do que antes da paralisação.

A greve provocou crise de desabastecimento e os preços dispararam depois do início da paralisação.

A Folha destaca ainda que o governo federal reconheceu que os repasses não chegariam a R$ 0,46 em um primeiro momento, limitando-se ao máximo de R$ 0,41 por litro. O restante dependeria de renovação de estoques dos postos e corte de impostos estaduais.

Givaldo Barbosa

Edson Fachin devolveu para a Justiça do Estado do Maranhão um processo contra o deputado Júnior Marreca (foto) por irregularidades cometidas há 10 anos. Amarrado na burocracia do Judiciário, só chegou ao STF no mês passado.

Marreca é acusado de não ter prestado contas a respeito de R$ 333 mil que recebeu para o réveillon de Itapecuru Mirim (MA) quando era prefeito da cidade, entre 2008 e 2009. Por causa disso, o município está inadimplente com o governo federal e não consegue receber novos recursos.

Acontece que, apesar de ele ter assumido uma cadeira na Câmara em 2015, o procurador no estado só pediu a remessa do processo para o STF em julho de 2017.

E, embora o pedido tenha sido deferido em setembro do ano passado, os autos permaneceram nos escaninhos da 2ª Vara da Justiça Estadual até 14 de maio. Só chegaram a Edson Fachin no dia 25.

Antes disso, no entanto, no dia 3, o STF decidiu que parlamentares só podem ser julgados na Corte por atos cometidos durante o mandato. E o inquérito foi devolvido.

Enquanto isso, Itapecuru Mirim segue sem recursos.

http://www.moxotodagente.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Reuniao_Feira.jpg

O Governo Municipal de Sertânia realizou reunião com vereadores da base e feirantes, na manhã desta terça-feira (12), na Câmara Municipal, para comunicar que o decreto da Prefeitura sobre a retirada das bancas da feira está suspenso até o próximo dia 15 de julho. A medida tem como objetivo intensificar o diálogo entre as partes para melhor execução da reorganização da Feira Livre.

O objetivo do decreto é ajustar o funcionamento da feira e trazer melhorias nas condições de trabalho para os feirantes e proporcionar o bem estar dos consumidores e moradores daquela região. Além disso, o Plano de Governo da atual gestão contempla a criação de um espaço adequado, dedicado à Feira, que já está em discussão.

Tema levantado pela vereadora Zirleide Monteiro (PTB) no início de maio sobre a questão dos precatórios do Fundef tomaram de conta da sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arcoverde na noite desta segunda-feira (11), quando a maioria dos vereadores defenderam que 60% dos precatórios do antigo Fundef sejam destinados aos professores do município que lotavam a Casa James Pacheco. A presidente da Casa, vereadora Célia Galindo (PSB), disse que a Casa Legislativa agora iria levar a bandeira dos professores.

A decisão dos vereadores, 90% da bancada do governo, contraria a medida tomada pela prefeita Madalena Britto (PSB), que derrubou no Tribunal de Justiça uma liminar conquistada pelos professores de Arcoverde que bloqueava 60% de R$ 13 milhões da primeira parcela desses precatórios destinados a Arcoverde. Os recursos dos precatórios ainda encontram-se à disposição da Justiça Federal. Com a derrubada da liminar, quando os recursos forem depositados na conta da Prefeitura, a prefeita fica livre para gastar como quiser desde que seja na Educação, mas os professores ficariam de fora.  

Na sessão desta segunda-feira, o governo da prefeita Madalena Britto não escapou nem das críticas dos vereadores da sua bancada que lamentaram nunca terem sido chamados para tratar do assunto, seja na Prefeitura, seja na Secretaria de Educação. O presidente do Sindicato dos Servidores, Damião Lucena, disse, segundo o blog Folha das Cidades, que há um ano tenta negociar a questão dos precatórios, mas o governo municipal não atende. Por mensagem de celular a prefeita disse que nunca se negou a atender o sindicato, mas o professor Damião comprovou por meio de ofício recebido solicitando audiência que nunca foram (sindicato) recebidos pela chefe do poder executivo para tratar do tema.

Em meio aos debates, a vereadora Célia Galindo (PSB), presidente da Casa e aliada da prefeita, defendeu o direito dos professores de receber os 60% e questionou a forma de agir da Secretaria de Educação dizendo que recebia gestos obscenos de “alguns bajuladores” do órgão, quando estava funcionando lá e recomendou que a prefeita Madalena “tome rédeas da Secretaria de Educação”. Célia também afirmou que estavam tentando criar um fato para tirar proveito político da questão dos precatórios do Fundef. Disse que ia cobrar da prefeita que recebesse o sindicato e os vereadores para tratar dos precatórios do Fundef.

“Não vamos ter medo dos que tem cargos de confiança, porque esses que tem cargos de confiança hoje se faltar a seis meses para as eleições e souber que o governo não vai fazer o sucessor, pula pro outro lado para permanecer até o fim da vida”, disse a vereadora governista.

Maioria dos brasileiros não tem interesse pela Copa

Às vésperas da Copa do Mundo na Rússia, o desinteresse dos brasileiros pela competição bateu recorde ao atingir 53%, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (12) pelo DataFolha.

O levantamento foi realizado na semana passada e, em comparação com a última pesquisa, feita no final de janeiro, o número de brasileiros que afirmaram não ter nenhum interesse pelo Mundial aumentou 11%.

Ainda segundo dados do DataFolha, a marca é a pior desde as vésperas da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, quando o instituto realizou pela primeira vez o levantamento de desinteresse pelo Mundial.

O desinteresse pela Copa do Mundo é maior entre as mulheres (61%), pessoas de 35 a 44 anos (57%), moradores da região sul (59%) e com renda familiar de até dois salários mínimos (54%).

A pesquisa apontou que somente 18% dos entrevistados estão muito interessados no torneio, mesma marca dos que afirmaram ter médio interesse. Os que declararam ter pouco interesse somam 9%.

De 1994 até hoje, o interesse pela Copa despencou de 56% dos brasileiros para apenas 18%. A Copa do Mundo começa nesta próxima quinta-feira (14) com a partida entre Rússia e Arábia Saudita, em Moscou. O Brasil, por sua vez, estreia na competição no domingo (17), diante da Suíça, em Rostov.

https://cdn.tribunademinas.com.br/wp-content/uploads/2014/11/agua-jorra-web.jpg

Entre as dez cidades que mais desperdiçaram água tratada em 2016, três são de Pernambuco. Paulista, Olinda e Recife ficaram na segunda, quinta e oitava posição no ranking, com índices de perda de 67,92%, 62,70% e 61,16%, respectivamente, segundo estudo do Movimento Menos Perda, Mais Água, do Pacto Global – iniciativa da ONU para mobilizar o empresariado, feito com o Instituto Trata Brasil e com a Go Associados, divulgados nesta segunda-feira. O volume de perda no País equivale a sete mil piscinas olímpicas por dia.

Foram avaliadas as cem maiores cidades metropolitanas brasileiras e Pernambuco foi o único estado com três na lista de maiores índices de perda. A primeira colocada, contudo, foi Porto Velho, capital de Rondônia, com perda de 70,88%, enquanto a média brasileira é de 38,01%. O desperdício ocorre em razão de vazamentos nas tubulações, erros ou falta de leitura de hidrômetros, fraudes e clandestinidade.

“O estudo foi feito com base nos últimos dados disponíveis no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snif), que congrega todos os municípios do Brasil”, explica o coordenador da pesquisa, o economista Pedro Scazufca, da Go Associados. Como os dados são secundários (não é feita medição nos locais), não houve indicadores de nenhum motivo que levasse Pernambuco a ter três cidades com os piores resultados. Mas Caruaru também estava na pesquisa e ficou com índice de 34%.

“Nossa principal conclusão é que as perdas representaram um valor de 10,5 bilhões em 2016. No mesmo período o setor investiu R$ 11 bilhões, ou seja, perdeu mais de 90% do que investiu, então, se conseguir reduzir perda vai poder investir mais”, salienta o economista.

O secretário-executivo do Pacto Global, Carlo Pereira, declara que a ideia do movimento é dar visibilidade aos números, para que a sociedade possa cobrar melhorias. “Não podemos tolerar esses índices. O Nordeste enfrentou sete anos de seca, o Sudeste, uma crise hídrica que veio e se estabeleceu. Temos que nos envolver com essa agenda”, defende.

METODOLOGIA

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), por meio de nota, diz que o estudo é feito com base nas perdas de distribuição, “que tecnicamente não é a forma ideal de comparar os sistemas”. E cita o caso de Caruaru, que está abaixo da média nacional “por restrição da oferta de água”. A melhor forma, diz, seria avaliar o desempenho operacional de cada sistema. O órgão informa que o índice de perda em todo o Estado é de 37,24% e já chegou a 58,36% em 2007, tendo caído pelos investimentos realizados, que somam hoje R$ 400 milhões, sendo o maior motivo das perdas as ligações clandestinas.  

http://www.tjpe.jus.br/documents/10180/1787838/2017_10_27_OnibusConciliacao.jpg/d319e2f5-15c7-547c-3412-582f36a908f1?t=1509149634458

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) promove a partir desta terça-feira (12) um mutirão para solucionar 551 processos impetrados por consumidores pernambucanos contra a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). A iniciativa, promovida pelo Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da capital, vai agilizar as audiências e oferecer orientação jurídica sobre conflitos com a empresa. O evento segue até a quinta-feira (14), sempre das 7h30 às 18h30, na Central de Audiências, no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, em Recife.

Na quarta-feira (13), a ação terá o apoio de um ônibus do Programa Justiça Itinerante, que vai funcionar no estacionamento do Fórum. O atendimento no ônibus será realizado por uma equipe formada por profissionais do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec) do TJPE e da Celpe. Além dos dois juízes responsáveis pelas atividades, também participam do mutirão 40 pessoas, entre servidores, conciliadores e apoio administrativo.

Os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs) funcionam nos fóruns de cada uma das comarcas de Pernambuco e funcionam como unidades auxiliares do Poder Judiciário. A finalidade deles é facilitar a solução dos conflitos, como ocorre nas Câmaras de Conciliação e Mediação. Para atendimento no local, não é obrigatório o acompanhamento de advogado.

Serviço:

Evento: I Pauta Concentrada do Recife
Local: Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano
Período: De 12 a 14 de junho
Horário: Das 7h30 às 18h30

Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados

Da Agência Brasil

A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (12) busca e apreensão no gabinete da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), investigada por suposta participação em fraudes na concessão de registros sindicais no Ministério do Trabalho.

Os agentes chegaram à Câmara dos Deputados antes das 7h. A ação da PF faz parte faz parte da segunda fase da Operação Registro Espúrio, que investiga a atuação da organização criminosa responsável pelo esquema. A primeira fase da operação ocorreu em maio.

A PF cumpre também mandados expedidos pelo Supremo Tribunal Federal em outros endereços ligados à deputada no Rio de Janeiro. Segundo a PF, ainda serão expedidas medidas cautelares para impedir que os investigados na Operação tenham contato com servidores do ministério.

A Agência Brasil tentou contato com a deputada e sua assessoria, mas ainda não obteve retorno.

Em nota, a assessoria de Cristiane Brasil disse que a deputada foi surpreendida pela operação e que espera que os fatos sejam esclarecidos em breve. Segundo o texto, a deputada não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho. “Espero que as questões referentes sejam esclarecidas com brevidade e meu nome limpo”, diz Cristiane Brasil.

Casa Rosada

A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) encaminhou ao Ministério Público informações de supostas irregularidades sobre o reaproveitamento de produtos de origem animal. Segundo o MPPE, mercados de pequeno porte estariam aproveitando as carnes que foram rejeitadas por redes de supermercados de grande porte por estarem inadequadas devido a questões como temperatura irregular de armazenamento e aspectos sensoriais. 

O MPPE instaurou o Procedimento Administrativo, que é o instrumento destinado a acompanhar o cumprimento das cláusulas de termo de ajustamento de conduta celebrado; acompanhar e fiscalizar, de forma continuada, políticas públicas ou instituições, bem como embasar outras atividades não sujeitas a inquérito civil.  O órgão também pretende realizar audiência com os fabricantes de produtos de origem animal, Adagro, Vigilância Sanitária e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 

O texto assinado pelo promotor Maviael de Souza Silva, da promotoria de Defesa do Consumidor, solicita ainda que as empresas Friboi, Masterboi, Marfrig, Wessel, Mondelli e Frisa informem quais os procedimentos adotados em caso de constatação de inadequação das carnes pela rede de supermercados no momento da entrega dos produtos. As empresas têm dez dias úteis para se manifestarem.

Marina silva e Júlio Lóssio

A ex-senadora Marina Silva, pré-candidata à Presidência da República pela Rede Sustentabilidade, desembarca no Recife, nesta quarta-feira (13), para agenda de dois dias no estado. De acordo com Clécio Araújo, porta-voz da REDE em Pernambuco, a presidenciável irá participar, a partir das 19 horas, de uma plenária com os filiados do partido e com simpatizantes de sua candidatura, no auditório da torre 1 do Shopping RioMar.

Na quinta-feira (14), pela manhã, a ex-senadora participará de programas locais de rádio e, às 18h, concederá entrevista coletiva à imprensa, no Hotel Jangadeiro, em Boa Viagem. Marina fecha a programação, participando do lançamento da pré-candidatura do pastor Jairinho Silva ao Senado, às 19 horas, também no Hotel Jangadeiro.

Os pré-candidatos da REDE ao Governo Estadual, Júlio Lóssio, e ao Senado, Jairinho Silva e Antonio Souza, acompanharão Marina Silva em sua agenda no estado. “Vivenciamos um momento de grande descrédito na política. Entretanto, Marina Silva, pelo seu perfil, pela sua história e pela sua experiência, tem toda credibilidade para resgatar a boa política e pactuar com a sociedade a construção de um projeto de desenvolvimento sustentável, que possa viabilizar saídas para a grave crise que o Brasil está passando. A vinda dela à Pernambuco vai fortalecer esse projeto, também em âmbito local”, afirmou Clécio Araújo.

https://i0.wp.com/roberiosa.com.br/wp-content/uploads/2018/05/paulo-marilia-e-armando-roberiosa.jpg?resize=560%2C320

A pesquisa estimulada de primeiro turno para governador de Pernambuco apresenta um empate técnico entre os três primeiros pré-candidatos, Paulo Câmara, Marília Arraes e Armando Monteiro. O governador, do PSB, vem em primeiro lugar, com 20%, seguido da candidata do PT, com 17%, e do candidato do PTB, com 14%. Os demais pré-candidatos simulados na pesquisa, Júlio Lóssio, Danielle Portela e Coronel Meira, apareceram cada um com 2%, 2% e 1%, respectivamente. É o que mostra a pesquisa Datamétrica sobre as eleições deste ano, realizada entre 8 e 9 de junho.

Em um segundo exercício, especulou-se o cenário em que Marília Arraes não seria candidata. Mantém-se um empate técnico, mais uma vez com Paulo Câmara em primeiro lugar e, neste quadro, com 23%. O candidato do PTB aparece em segundo com 19%. Os demais três incluídos permanecem nas posições do outro cenário.

Sobre a migração de votos de Marília: ao suprimir o nome dela na simulação de primeiro turno, metade dos seus eleitores não migra para ninguém, enquanto a outra metade se divide entre Armando Monteiro e Paulo Câmara, com preferência pelo senador. Dos que disseram que votariam nela, 49% responderam que anulariam seu voto, votariam em branco ou não votariam em ninguém. Armando Monteiro beneficia-se com a migração de 20% dos votos dela e Paulo Câmara com 13%.

Na simulação espontânea, em que o respondente não tem acesso aos nomes dos pré-candidatos, todos os três candidatos aparecem com muito menos menção: Paulo Câmara com 12%, Marília Arraes com 8% e Armando Monteiro com 4%. Na sequência, Júlio Lóssio foi lembrado por 2%, Coronel Meira por 1%, Danielle Portela por 1%.

Em cenários de segundo turno, exercitando as possibilidades entre os três principais pré-candidatos, Marília venceria Armando por 29% a 20%, portanto fora da margem de erro – que é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. Marília venceria Paulo com 28% contra 27%, o que constitui um empate técnico. Paulo venceria Armando com 28% contra 24%, novamente configurando empate técnico.

SEGUNDO TURNO

Em eventual segundo turno entre o governador e Armando, a migração do voto de primeiro turno de Marília é maior para o pré-candidato do PTB do que para o pré-candidato do PSB. Em cenário entre Marília e Paulo, o eleitor de Armando beneficia mais Marília do que Paulo: 44% preferem Marília, enquanto 24% preferem Paulo. Na hipótese de sair Paulo, seus votos se distribuem mais em favor de Marília: 31% migrariam para a candidata do PT e 19% para Armando. A frequência de eleitores de Marília que, diante de um cenário de segundo turno sem ela, disseram que não votariam em ninguém, chama a atenção. São 53% de eleitores que de alguma forma não votariam em nenhum dos dois candidatos.

“Estes não são resultados óbvios. Eles mostram que o eleitorado está mergulhado em motivações ideológicas e de insatisfação com a gestão que precisarão ser desvendadas por qualquer um que pretenda fazer prognósticos eleitorais este ano”, diz a sócia-diretora da Datamétrica, Analice Amazonas.

Apesar dos cenários de empate técnico que se repetem ao longo da pesquisa, o pernambucano tem a expectativa de que Paulo será reeleito governador. 26% assim afirmaram, enquanto 12% apostam em Marília e outros 11% em Armando. Chama a atenção o fato de que 47% dos entrevistados preferem não fazer prognósticos.  

Dentre os três nomes mais fortes na disputa, o governador hoje é o mais conhecido: 49% consideram conhecê-lo bem, e outros 44% o conhecem de ouvir falar. Natural para um governador em seu quarto ano de mandato.

Armando Monteiro e Marília Arraes têm graus de conhecimento semelhantes, mas com o senador ligeiramente mais conhecido: 23% consideram conhecê-lo bem e 54% de ouvir falar. No caso de Marília, 20% dizem conhecê-la bem e outros 51% de ouvir falar. Marília, dos três, é a única novata em disputas majoritárias e recente na política. Portanto, a que tem mais potencial de crescimento derivado do aumento de conhecimento que ocorrerá na campanha.