Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Plataforma vai monitorar R$ 380 bilhões em transferências da União

A atuação do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Fernando Ramos, ganhou um ingrediente adicional: seu assessor Abel Leite, que está nas funções desde o governo Michel Temer, tem um poder maior do que indica o cargo de secretário parlamentar. Ele é o encarregado de uma certa “análise abstrata” de indicados para cargos no governo Bolsonaro. É da caneta dele que sai o veto a muitas nomeações.

Abel Leite tem a missão de vasculhar a vida pregressa de indicados a cargos públicos para que o presidente não cometa “erros”.

É Leite quem evita a nomeação de petistas notórios para cargos de confiança, como já aconteceu, ou de enrolados em investigações.

Foi Carlos Marun (MDB), ex-ministro de Governo de Michel Temer, quem levou Abel Leite para o Planalto. O chefe foi embora, ele ficou. A informação é do Diário do Poder.

Pasta de Moro diz que medida foi discutida em audiências públicas

Os brasileiros podem participar, a partir desta quinta-feira (02), de uma consulta pública sobre um Projeto de Norma Técnica que estabelece requisitos mínimos para garantir a segurança, a qualidade e a confiabilidade de pistolas de calibre 9x19mm e .40SW fornecidas aos profissionais de segurança pública do país.

A iniciativa está sendo conduzida pela Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e visa colher críticas, sugestões e questionamentos que serão incorporados à norma e então utilizados como critérios nos processos de aquisição dos equipamentos.

“A presente norma regulará os requisitos técnicos mínimos, ensaios e esquema de certificação das armas curtas dos calibres majoritariamente utilizados na atividade de segurança pública no país, buscando garantir sua qualidade e segurança quanto ao uso e performance operacional, resultando em economia ao erário público”, registra o prefácio do texto da Senasp.

Os comentários sobre a norma técnica poderão ser enviados até o dia 2 de fevereiro de 2020, tanto pela internet como presencialmente, na sede do Ministério da Justiça, em Brasília.

Segundo a pasta comandada por Sergio Moro, a medida foi discutida em audiências públicas realizadas ao longo de 2019 e faz parte do projeto Pró-Segurança, que visa estabelecer padrões mínimos de qualidade e desempenho de equipamentos utilizados pelos profissionais de segurança pública.

O primeiro dia de 2020 trouxe boas notícias para os concurseiros de plantão. Isso porque o ministro da Economia substituto, Marcelo Pacheco Guaranys (foto), autorizou a realização de um novo concurso público nacional! De acordo com a portaria número 675, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (1º), o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) está autorizado a abrir novo concurso público.

Serão oferecidas 309 vagas, sendo 294 para agente federal de execução penal, cargo que exige nível médio; e 15 para especialista federal em assistência à execução penal, posto de nível superior.

O prazo máximo para publicação do edital de abertura é de até seis meses, ou seja, até junho.

A autorização foi comemorada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, com um post em seu Twitter oficial. Confira:

Ver imagem no Twitter

Último concurso

O último concurso público do Depen ofereceu 258 oportunidades e foi realizado em 2015. De acordo com a banca organizadora, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), inscreveram-se 52.595 candidatos, o que registrou uma concorrência geral média de 253 pessoas por chance. O posto com maior procura foi o cargo 9, área 3, para agente penitenciário federal, com 31.629 inscrições. Continue lendo

'Não perturbe': Consumidor já pode bloquear ofertas de empréstimo consignado por telefone Foto: Pixabay

O “Não perturbe” dos bancos começa a funcionar nesta quinta-feira. A partir de hoje, o consumidor que não quiser receber oferta de empréstimo consignado pode cadastrar  todos os telefones fixos e móveis, vinculados ao seu CPF, para bloquear as chamadas indesejadas. O bloqueio passa a valer, 30 dias após o cadastro.

O link vai estar disponível no site das 23 instituições que aderiram à autorregulamentação bancária que cria novas regras para a oferta deste tipo de crédito. Juntos os signatários respondem por 98% do volume de consignados do país.

São eles: Agibank, Alfa, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banrisul, Barigui, Bradesco, BMG, BRB, Caixa, Cetelem, CCB, Daycoval, Estrela Mineira, Inter, Itaú, Mercantil, Pan, Paraná Banco, Safra, Santander, Sicredi e Votorantim.

O cadastro para bloqueio de ligações faz parte da autorregulamentação bancária par oferta de crédito consignado. A norma é a primeira firmada em conjunto pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e a Associação Brasileira de Bancos (ABBC).

Confira as novidades da autorregulamentação

Não perturbe

O cadastro para bloqueio de ligações de bancos e correspondentes bancários de ofertas de crédito consignado, o “Não perturbe”, começa a funcionar nesta terça-feira, dia 2. O consumidor pode cadastrar todos os telefones vinculados ao seu CPF. Passados 30 dias do cadastro, bancos e correspondentes não poderão fazer oferta de consignado. Os telefones cadastrados pelo sistema de bloqueio do Procon-SP serão migrados para o “Não perturbe” dos bancos.

Informação

Até cinco dias após a liberação do crédito, a instituição é obrigada a enviar informações básicas sobre o empréstimo ao consumidor como a instituição com a qual contratou o crédito, o montante e a quantidade e o valor das parcelas. Esse procedimento evita fraude, pois há casos de contratação indevida em nome de consumidores . Além disso, o envio doa dados promove a reflexão. Continue lendo

Ministros de Bolsonaro foram 'heavy users' do Twitter em primeiro ano de mandato Foto: Editoria de arte

O Globo

Principal palanque do presidente Jair Bolsonaro desde a campanha eleitoral, o Twitter se tornou central para o primeiro escalão do governo federal no ano passado— parte dos ministros, inclusive, só aderiu à rede social após ingressar no posto — e deve continuar assim em 2020. Foi por meio da plataforma que Bolsonaro e seus principais auxiliares mobilizaram os apoiadores mais fiéis ao governo, divulgaram agendas e pautas específicas das pastas e também responderam a crises e críticas que os atingiram, como no caso das mensagens vazadas atribuídas ao ministro da Justiça, Sergio Moro, e dos protestos contra cortes na educação que respingaram no ministro Abraham Weintraub.

Ao longo de 2019, 12 perfis pessoais de ministros com contas na rede social postaram, em média, a cada 40 minutos e foram capazes de gerar 37,3 mil retuítes por dia. Os dados foram levantados a pedido do jornal O Globo pela Diretoria de Análise e Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV/DAPP).

Foi no Twitter também que ministros que já deixaram seus postos foram fritados, às vésperas de serem demitidos. Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência, e primeira baixa da gestão Bolsonaro, foi contestado na rede social pelo filho do presidente, o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PSC). O general Santos Cruz, que ocupou a Secretaria de Governo, também foi alvo de ataques de aliados do governo no Twitter.

O levantamento da FGV/DAPP aponta ainda que as páginas pessoais dos ministros costumam ser mais populares que perfis institucionais dos ministérios na rede social. O total de retuítes dos perfis dos ministros analisados foi quatro vezes maior que de outros 12 perfis institucionais das pastas. As páginas oficiais, comandadas por assessores, geraram apenas 8,3 mil compartilhamentos diários, apesar de somarem o dobro de publicações, contra 37,3 mil das contas pessoais dos ministros. Continue lendo

Fusões. Rede Sutentabilidade, de Marina Silva, não atingiu mínimo legal e estuda fusão com outro partido Foto: Marcelo Chello / Agência O Globo

Apesar dos esforços para tentar frear a multiplicação dos partidos políticos no Brasil, uma brecha na legislação dá sobrevida às siglas nanicas. Os partidos que não alcançaram o desempenho mínimo determinado pela cláusula de barreira nas eleições de 2018, instituída pela reforma eleitoral de 2017, perderam acesso ao fundo partidário e à propaganda gratuita em rádio e TV, mas continuam recebendo as verbas do fundo eleitoral. Este fundo foi criado no mesmo ano da reforma para financiar campanhas com dinheiro público e servir de alternativa ao fim do financiamento empresarial. O orçamento federal para 2020 prevê R$ 2 bilhões para o fundo eleitoral.

Desde que a cláusula de barreira passou a valer, seis siglas já se fundiram. O PRP foi incorporado ao Patriota, o PPL se fundiu com o PCdoB, e o PHS, ao Podemos. Além deles, PV e Rede, enquadrada na cláusula após desempenho ruim em 2018, estudam uma fusão.

— Embora só possa ser acessado em período eleitoral, a cada dois anos, os recursos são grandes. É uma contradição e uma dificuldade para o propósito da cláusula de barreira de incentivar os partidos a se fundirem, a fim de se chegar num limite de 10, 15 partidos na Câmara, afirma Bruno Carazza, doutor em Direito pela UFMG e especialista em partidos políticos e eleições, referindo-se as 24 legendas que hoje têm assentos na Congresso.

Carazza se refere aos R$ 2 bilhões que serão distribuídos aos 33 partidos em funcionamento no país. O valor aprovado pelo Congresso para as eleições de 2020 representa um aumento de 18% em relação a 2018, ano em que foi usado pela primeira vez, quando o fundo era de R$ 1,7 bilhão. Os líderes parlamentares chegaram a propor elevar a quantia para R$ 3,8 bilhões, mas recuaram. Continue lendo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi à Comissão Especial do Fundeb para discutir a proposta em tramitação na Câmara dos Deputados. Foto: Daniel Marenco / 25/06/2019

A queda de braço em torno da discussão sobre a reformulação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) evidenciou dissonâncias internas no governo federal e empurrou para este ano a principal decisão na área.

O texto inicial da relatora da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) na Câmara, deputada Dorinha Rezende (DEM-TO), previa complementação de até 40% ao fundo por parte da União. Segundo fontes com acesso às discussões, no entanto, o índice deve cair e ficar entre 25% e 30% para facilitar sua tramitação na Casa e reduzir a distância em relação ao que foi proposto pelo governo federal, que sugeriu 15%.

O fundo é composto pelos impostos de estados e municípios e, atualmente, a União arca com 10% do montante para complementar o valor destinado a estados que não alcançam um valor mínimo por aluno.

Principal fonte de financiamento da educação básica pública no Brasil, o Fundeb corresponde a 63% de todo o recurso da etapa, e sua vigência termina em 2020.

A expectativa de estados e municípios era de que a PEC fosse votada ainda em 2019 para que houvesse tempo hábil para reorganização das unidades de ensino no novo modelo. Mas o impasse sobre o tamanho da fatia do bolo de recursos que caberá ao governo federal adiou a decisão.

— Há uma preocupação nítida com relação a isso e uma frustração com a impossibilidade de fechar o ano com o Fundeb definido. Ter o Fundeb aprovado significa dar condições de segurança na política de financiamento e viabilizar o planejamento, critica Luiz Miguel Martins Garcia, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). — Este é um ano eleitoral, e 2021 terá a chegada de novos governos municipais, a definição permitiria planejamentos que valorizem programas de Estado, e não de governo.

‘Não dá pra brincar’ Continue lendo

industria alimenticia bauducco

A indústria da transformação, setor que tradicionalmente emprega mais mão de obra formal e com salários acima da média do mercado, começou a reagir no segundo semestre do ano passado e somou um total de 10,7 milhões de empregados, o melhor resultado desde 2015 — quando havia 11,5 milhões de funcionários. Os segmentos que mais contribuíram com a alta de 1,3% em relação aos números de 2018 foram os de alimentos, têxteis e manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos. Juntos, abriram 189 mil vagas com carteira assinada até o terceiro trimestre. 

Em razão de cortes ocorridos em outros segmentos, como o de produção de coque, derivados de petróleo e de biocombustíveis e de produtos de minerais não metálicos, o saldo do período foi de 136,5 mil postos a mais. “Para um setor que sofreu tanto na crise, o crescimento de 1,3% no número de vagas é positivo”, afirma Bruno Ottoni, pesquisador da consultoria IDados, que fez o cruzamento do saldo de empregos do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) no terceiro trimestre de 2019 com o de igual período do ano anterior.

Parte da melhora do emprego na indústria está relacionada ao retorno, ainda lento, dos investimentos, afirma Daniel Duque, pesquisador da área de Economia Aplicada da FGV/Ibre. Ele também ressalta a nova modalidade de contratação estabelecida na reforma trabalhista, a de trabalhadores intermitentes (prestação não contínua de serviços). “É uma contratação mais barata e mais flexível”, avalia. Continue lendo

Vários municípios encerraram o ano de 2019 com uma grande notícia. O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e o deputado Fernando Filho (DEM) garantiram a liberação de recursos do governo federal que somam quase R$ 86 milhões.

A verba já foi liberada para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) executar diversos serviços e compra de máquinas agrícolas. Os recursos serão destinados a obras de pavimentação, quadras esportivas, barragens e implantação de poços. A expectativa é que as obras nesses municípios comecem já em março ou abril de 2020.

O anúncio foi feito na sede da 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf. Na ocasião o senador agradeceu o apoio dado pelo Governo Bolsonaro ao Estado, além de enaltecer o empenho do titular da 3ª SR Codevasf, Aurivalter Cordeiro, e sua equipe.

Sergio Lima/Julian Lemos

Por Lauro Jardim/O Globo

Dias depois de chamar Carlos Bolsonaro de “Carluxa”, o deputado federal Julian Lemos (PSL/PB) subiu o tom ao responder ao que considerou um ataque do filho do presidente.

Num vídeo publicado agora nas redes sociais, Lemos, um bolsonarista de primeira linha na campanha do ano passado, que comandou a campanha do então candidato no Nordeste, diz entre outras coisas: 

— O filho Rivotril do presidente ataca mais uma vez. A poodle nervosa que morde a fronha, deve ter tesão no rabo por mim, só pode, não me esquece, acha mesmo que tenho medo de você?

Fernando Oliveira/PRF

Antes mesmo das publicações oficiais de editais, salas de preparatórios são tomadas por concurseiros que miram colheitas prósperas. Na corrida contra o tempo, é no presente que candidatos de todo o Brasil tentam construir o futuro, ao investirem nos estudos como recurso que os levarão à aprovação. Para o ano de 2020, concursos em diversas áreas estão previstos e, mesmo sem a confirmação dos órgãos competentes, há quem acredite na realização dos certames e inicie a preparação sob incertezas.

O Ministério da Economia, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão revelou que existem quase 15 mil vagas solicitadas por órgãos federais que aguardam a realização de concursos públicos. Nos âmbitos estadual e regional também há previsões de processos seletivos que devem permear candidatos de níveis médio e superior. Nossa reportagem apurou, junto a docentes da área de preparatórios para concurseiros, quais processos seletivos devem ser realizados em 2020. Confira:

Pernambuco

A Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores – AMPASS – (Reciprev/Saúde Recife), da Prefeitura do Recife (PCR), deve realizar concurso público em 2020. A afirmação é do professor integrante do Nuce Preparatórios Abner Mansur, das áreas jurídicas, administrativa e pedagógica. O docente não crava, até então, o número de vagas previsto para o certame, mas acredita em um quantitativo expressivo.

“O mais quente de todos é o concurso do Reciprev. Muito esperado, salários altíssimos, girando em torno de R$ 7 mil, tanto para ensino médio e quanto superior. Há uma necessidade brutal de concurso público, porque quase todo mundo que está lá é contrato ou terceirizado. Certamente, no primeiro semestre, é o concurso que vai movimentar a galera de carreiras administrativas e o pessoal de ensino médio”, disse Mansur.

Em nota, a PCR, por meio da assessoria de comunicação do Reciprev, confirmou o indicativo de realização do processo seletivo. Portaria publicada pelo prefeito Geraldo Julio, no Diário Oficial do Município, traz detalhes da comissão da seleção. A banca organizadora do certame deverá ser definida até a primeira quinzena de janeiro.

A Secretaria de Educação do Recife também pode contar com uma seleção pública no novo ano. “Estima-se 2 mil vagas para serem preenchidas no período de quatro anos a partir desse concurso”, comentou o professor Abner.

De acordo com o docente, a Polícia Civil de Pernambuco é um dos concursos mais esperados pelos candidatos. O educador espera que a comissão seja formada após o Carnaval, em fevereiro.

“Para 2020, outro concurso muito esperado é o da Prefeitura de Olinda”, acrescentou o docente do Nuce. A previsão é que esse certame, se confirmado, tenha cargos para várias profissões.

Regional

O Nordeste deve contar com processos seletivos atraentes em 2020. Segundo o professor Abner, a Secretaria de Educação da Paraíba é um deles. Mil vagas estão previstas e a banca organizadora poderá sair antes do Carnaval. “As provas deverão ser realizadas, no máximo, em maio”, projetou.

“Outro concurso regional muito importante é o da Polícia Militar de Alagoas, um dos estados mais surpreendentes em termos de concurso. PM deve ter mais 500 vagas. Nós não temos mais motivos para duvidar. Nossa galera jovem, que sonha com carreira policial de ensino médio, certamente vai fazer. Vai lotar os cursinhos aqui em Recife”, declarou o educador.

Federal

Apesar do decreto publicado pelo presidente Jair Bolsonaro, em que são extintos cargos federais de diversos concursos públicos, professores de cursos preparatórios afirmam que a decisão não afeta os principais cargos e professores seletivos. “Temos boas notícias em 2020. Os decretos de extinção de cargos do governo federal não influenciam nas carreiras. Tem concurso confirmado para 2020. Pode contar com um concurso na Receita Federal, por exemplo. A previsão é de 2 mil vagas”, disse Abner Mansur.

O coordenador e professor de pós-graduação em direito penal do Instituto dos Magistrados do Nordeste, Cláudio Firmino, também explanou que a maioria dos concursos federais não deve ser prejudicada. “Sobre a vedação de novos concursos prevista no decreto, esclareço que ela foi dirigida para alguns cargos específicos, tais como auxiliar de higiene dental, técnico de laboratório, auxiliar técnico, auxiliar institucional I, fotógrafo e administrador, no Ministério da Saúde, AGU e outros órgãos federais. Logo, ao contrário do que foi divulgado por alguns críticos, não houve uma vedação geral para realização de novos concursos federais, mas sim – e apenas – uma vedação para alguns cargos específicos listados no anexo III do decreto citado”, esclareceu Firmino, que também é coordenador e professor de “Carreiras Policiais” do Espaço Jurídico, preparatório situado no Recife, além de analista jurídico do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Camilo Santana, governador do Ceará Foto: José Cruz / Agencia Brasil

A guerra entre os irmão Gomes e o PT deve colocar o governador do Ceará, Camilo Santana, em uma saia-justa nas eleições municipais deste ano em Fortaleza.

Com apoio do clã, o petista Camilo conseguiu o seu primeiro mandato em 2014 depois de ocupar duas secretarias estaduais na gestão de Cid Gomes.

Desde então, tem tentado se equilibrar entre as posições dos irmãos e de seu partido. Quando os dois grupos tinham posições políticas próximas, sua vida era razoavelmente tranquila. Mas desde o segundo turno da eleição presidencial do ano passado, Ciro e Cid passaram a pegar pesado nos ataques a Lula e ao PT. 

Camilo tem defendido publicamente uma união entre PDT e PT na capital cearense, o que hoje é considerado praticamente impossível pelas lideranças das duas legendas. 

Fortaleza é governada atualmente pelo pedetista Roberto Cláudio, que está em seu segundo mandato. A legenda dos irmãos Gomes já anunciou que manter o comando da capital do Ceará é uma das prioridades na disputa de 2020. O presidente da Assembleia Legislativa, José Sarto, o secretário de Governo de Fortaleza, Samuel Dias, e o deputado estadual Salmito Filho são cotados para assumir a candidatura.

O PT, por sua vez, deve lançar novamente a deputada federal Luizianne Lins, ex-prefeita de Fortaleza e adversária interna de Camilo. Na cúpula nacional do PT, ninguém acredita que o governador cearense se empenhará para eleger a sua colega de partido.

https://www.carlosbritto.com/wp-content/uploads/2017/06/clebel-cordeiro.jpg

Clebel Cordeiro foi eleito prometendo fazer uma administração inovadora, inclusive com construções de 50 creches e tudo isso ainda está na memória dos salgueirenses. Já no exercício do mandato o prefeito do município de Salgueiro, no Sertão Central de Pernambuco, levou o ‘gabinete itinerante’ ao Bairro Cohab. Na oportunidade, Clebel, o vice-prefeito, Dr. Chico, secretários e assessores, com a ideia de transformar um equipamento público em estado de total abandono, na menina dos olhos de seu governo.

O prefeito disse que iria recuperar o CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), que estava completamente abandonado. O equipamento foi inaugurado em dezembro de 2014, com o objetivo de servir as famílias do próprio Bairro, mas estava em situação de depredação total. Inclusive sendo utilizado por usuários de drogas e para esconderijo de descumpridores da lei, situação que incomodava os moradores e ao mesmo deixava em pânico por conta das crianças que passavam pelo local.

Isso foi em julho de 2018 e o prefeito não cumpriu com o que prometeu, o equipamento público continua abandonado e servindo de abrigo para usuários de drogas. Moradores da Cohab dizem que era melhor o prefeito não ter feito nada, pois agora o espaço está sendo utilizado até como alojamento temporário e isso deixa as famílias que moram por perto, assustadas. Também em 2018 foi deflagrada a ‘Operação Solaris’ para investigação de suposto esquema de corrupção envolvendo ex-servidores e uma empresa contratada para fornecer hospedagem e alimentação de pacientes enviados pela Prefeitura da cidade, dentro do Programa Tratamento Fora do Domicílio (TFD). Continue lendo

O STF e “o samba do crioulo doido”

Por Danizete Siqueira de Lima

Apesar de já estarmos no novo ano, à crônica de hoje foi escrita em 2019 para fecharmos o calendário com chave e ouro. Por isso achamos por bem abordar um assunto que ocupou a maior parte dos noticiários durante todo o ano de 2019 e promete render muitas matérias também no ano que se inicia. Falamos da operação Lava Jato que desvendou um enorme emaranhado de corrupção em que meteram a nossa nação e conseguiu, com muito trabalho, recuperar alguns milhões de reais desviados dos cofres públicos e de algumas estatais brasileiras, sendo a nossa querida Petrobras uma das mais afetadas.

Vamos ao que interessa: Ficamos mais que perplexos quando, praticamente no apagar das luzes do ano, vimos uma matéria onde o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, cometeu a heresia de atacar a operação Lava Jato e culpá-la pela quebra de empresas corruptas. Um imensurável e inacreditável absurdo; uma demonstração de total insanidade ou, simplesmente, má fé. Não há outra explicação plausível.

A nossa outra grande surpresa foi que, quem saiu em defesa da maior operação contra a corrupção da história, foi justamente o ministro Marco Aurélio Mello rebatendo Dias Toffoli sob o argumento de que “a investigação de um esquema bilionário, envolvendo a Petrobras, não destruiu empresas, e sim, gerou confiança e representa um grande avanço para o país”.

Não deixa de ser uma atitude louvável da parte do ministro Marco Aurélio, mas que nos causa absoluta estranheza dada à tortuosa trajetória daquele magistrado. Na nossa humilde visão, as atitudes do ministro são incompatíveis com as suas declarações.

Justamente ele que foi um dos que mais pressionou pela rediscussão da prisão em segunda instância, que culminou com a soltura de milhares de criminosos, entre eles o “chefe mor” de todo esquema, o ex-presidente Luís Inácio lula da Silva.

E a nossa crítica não vai somente pela discussão da prisão em segunda instância, pois outras atitudes insanas desse ministro também não se coadunam com a sua posição atual. Outro ministro que marcou 2019 com as suas lambanças e proteção à bandidagem, notadamente, membros da classe política, foi o Gilmar Mendes, todavia, esse é um assunto que fica para uma nova crônica.

Diante dos tristes fatos que mancharam as togas de alguns ministros do STF, aqui fica o nosso questionamento: Essa atitude do ministro Marco Aurélio, de sair em defesa da lava jato surgiu por uma questão de conversão ou uma mera hipocrisia do ministro. Não temos a resposta na ponta da língua, mas, como o tempo é o senhor de tudo, um dia saberemos qual a verdadeira resposta.

26/04/2008.Credito: Peu Ricardo/DP – Dia – Local – Pauta: O Detran-PE divulga hoje a implantacao, de forma pioneira, dos servicos de vistoria de identificacao veicular, com o objetivo de combater roubo e furto dos veiculos.

O site do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) está passando por um processo de manutenção, atualização das taxas e calendário do Licenciamento. Em função disso, o sistema ficará fora do ar até às 8h desta quinta-feira, dia 2 de janeiro de 2020.

Neste fim de ano, o órgão está com a Operação Prevenção “Segundos que salvam vidas”, com objetivo de conscientizar sobre segurança no trânsito. Para quem vai pegar a estrada no feriado, agentes de trânsito do Órgão estarão ressaltando a forma correta do uso das cadeirinhas e como acondicionar as bagagens.

As ações vão até esta quarta-feira (1), quando agentes estarão em pontos estratégicos do Recife e Região Metropolitana do Recife, além das principais praias do litoral norte e sul, e demais regiões do Estado.

Na Operação de Final de Ano, o Detran estará com um efetivo de 180 agentes de trânsito trabalhando durante todas as festividades, 38 viaturas, 20 reboques, 38 motocicletas e 4 PK’s (doblòs móveis para fiscalização eletrônica).