Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Fabrício Queiroz durante entrevista ao SBT, em 2018

Por Bela Megale/O Globo

Gilmar Mendes não tem mostrado pressa para decidir sobre o habeas corpus apresentado pela defesa de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Seus advogados querem Queiroz em liberdade total. 

O ministro do Supremo Tribunal Federal é relator do pedido para revogar a prisão domiciliar do ex-assessor parlamentar, que hoje não pode sair de seu apartamento no Rio. Quando toca no tema, Gilmar diz a pessoas próximas que isso não é prioridade no momento e compara a urgência do pedido a de alguém que chega em um hospital para fazer exame e não para se operar de uma fratura, já que Queiroz está detido em casa.

Enquanto isso, o tempo corre e o ministro Felix Fischer, relator do mesmo caso no Superior Tribunal de Justiça (STJ), avalia se suspende ou não a prisão domiciliar e manda o ex-assessor novamente para atrás das grades.

Correio Braziliense

Primo de Michelle Bolsonaro, o youtuber brasiliense Eduardo D’Castro gravou uma série de vídeos no Stories de seu Instagram, afirmando que tem muito a revelar sobre a primeira-dama. “Tenho muitas coisas para falar, muitas coisas que a gente guardou por anos, anos, pra defender o nome dela e a posição dela”, disse, nesta quarta-feira (12).

Em postagens anteriores, Eduardo cobrou Michelle por não ter ajudado a avó Maria Firmo, que morreu por causa da covid-19. Ele também postou print do que seria a resposta de Michelle a ele. Na suposta conversa pela rede social, a primeira-dama teria dito que o processaria. Em nota, Michelle disse lamentar que “alguns parentes tratem certos momentos tão pessoais com oportunismo em desrespeito ao sofrimento de todos”.

“Ela disse que vai me processar. (…) Acompanhem essa tour porque eu não tenho medo dela”, afirmou o youtuber, que se referiu a Michelle como “a pessoa mais ingrata que conheci na vida”. “Vocês vão conhecer mais da minha priminha!”, acrescentou (leia a íntegra do que ele disse abaixo).

Leia o que primo de Michelle Bolsonaro disse sobre ela:

“Sim, sou primo da criatura, a pessoa mais ingrata que conheci na vida. E, depois da minha publicação como uma forma de desabafo, pela primeira vez ela me respondeu aqui no Instagram. Consegui chamar a atenção da criatura. Mas ela me disse que vai me processar, me xingou, desceu o nível que nem parece uma primeira-dama, mas a gente releva essa parte. Continue lendo

A nova crise que se instaurou no Ministério da Economia em meio à contagem regressiva para o envio da proposta do Orçamento de 2021 reacendeu o debate sobre o teto de gastos e as pressões para mudanças devem aumentar, apesar do discurso do ministro Paulo Guedes de que não haverá mudanças na regra, segundo analistas. 

A emenda constitucional que limita o aumento das despesas à inflação do ano anterior, EC95, de 2016, passou a ser defendida de forma mais veemente por Guedes ontem quando ele confirmou uma “debandada” na equipe. Interlocutores do ministro vinham achando que ele estava abandonando esse discurso nos últimos dias, devido à  tentativa frustrada de burlar o teto incluindo o novo programa que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar para substituir o Bolsa Família, o Renda Brasil, na proposta de ampliação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica).  

Após reunião realizada com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e com o líder do blocão do Centrão, Arthur Lira (PP-AL), Guedes afinou o discurso com o democrata e ambos criticaram os que tentam furar o teto. O ministro disse ainda que os conselheiros que aconselham a “furar o teto” estão levando o presidente para uma zona de caos, de incertezas, de irresponsabilidade fiscal, e para a “zona sombria do impeachment”. Maia ainda foi enfático ao afirmar que não pautará ampliação do estado de calamidade, como forma de “burlar” as regras de responsabilidade fiscal por mais um ano. 

Enquanto apostas de que Guedes pode deixar o governo aumentam, o diretor para as Américas do Eurasia Group, Christopher Garman, acha difícil que o ministro renuncie. Contudo, ele admite que o debate sobre a questão fiscal ficará cada vez mais difícil no governo. “Foi um revés. Mas o apoio do presidente ao Guedes permanece, e vai ser importante que o orçamento mandado pelo governo aí Congresso no dia 31 respeite o teto”, afirmou.   Continue lendo

Michel Filho

Ricardo Barros, novo líder de Jair Bolsonaro na Câmara, é um figura notória. Clássico parlamentar do centrão, ele tem problemas com a Justiça.

No início do ano passado, o Ministério Público Federal, em Brasília, o denunciou por improbidade administrativa ao identificar ilegalidades em oito processos de compra por dispensa de licitação na época em que ele era ministro da Saúde de Michel Temer, em 2017.

Na mais grave das suspeitas, de acordo com o MPF, Barros autorizou o pagamento de R$ 19 milhões a uma empresa contratada para fornecer medicamentos que não o fez.

Barros liberou o repasse, segundo os procuradores, mesmo depois de ser informado de que ela não possuía os lotes informados e tampouco era cadastrada pela fabricante das mercadorias para fornecê-las.

“As investigações apontaram que o favorecimento das empresas partiu do ex-ministro Ricardo Barros, que determinou que todos os processos de compra por ordem judicial passassem por seu crivo direto”, informou o MPF na ocasião.

https://www.camara.leg.br/tema/assets/images/imagens-compartilhamento/imagem-padrao.jpg

A Câmara dos Deputados colocou na pauta desta quinta-feira (13), a votação de um projeto de lei que cria um Tribunal Regional Federal, com sede em Minas Gerais, o TRF-6. A proposta foi retirada de pauta em maio, por causa da pandemia. 

O relator Fábio Ramalho (MDB-MG), que chorou quando a votação foi adiada, disse que conseguiu marcar a votação agora porque aceitou mudanças no texto, como deixar a implementação do tribunal para janeiro do ano que vem, quando está previsto o fim do estado de calamidade pública. 

Além de abrir brechas para novos gastos, em plena crise, a ideia estremece o clima entre parlamentares brasilienses e mineiros. Também promove um ajuste de forças no Judiciário. 

A proposta é de autoria do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha, que está entre os cotados para a próxima vaga na Suprema Corte. Nos bastidores, o nome do advogado Otávio Noronha, filho do ministro, aparece para a vaga de desembargador. No entanto, o relator do texto nega essa indicação. 

“A ideia é levar justiça aos mais necessitados dando a eles mais celeridade em suas causas”, afirma o parlamentar. “O tribunal terá seu orçamento próprio, eletrônico, mais moderno. Só vai ter carro quem for presidente e corregedor”, disse. Continue lendo

Adélio Bispo de Oliveira é escoltado por policiais federais em aeroporto de Juiz

Em julgamento concluído nesta quarta-feira (12), a terceira seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, por unanimidade, que Adélio Bispo, autor da facada em Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018, deve permanecer em custódia no presídio federal de Campo Grande (MS).

Segundo a decisão, Adélio deve seguir cumprindo sua pena no local “tendo em vista sua alta periculosidade bem como que, na falta de hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, a medida de segurança a ele imposta tem sido cumprida em estabelecimento adequado”.

O caso foi parar no STJ após a Justiça Federal do Mato Grosso do Sul e a de Juiz de Fora (MG), onde o atentado a Jair Bolsonaro ocorreu, divergirem sobre onde Adélio deve ficar preso. 

Em março, o juiz Dalton Conrado, da Justiça Federal em Campo Grande,  decidiu que Adélio não poderia seguir recolhido no presídio federal. Para o magistrado, ele deve ficar em “local adequado” para tratamento psiquiátrico.

Diante da decisão, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora, enviou o caso para ser decidido pelo STJ. Segundo o magistrado, o hospital psiquiátrico de Barbacena (MG) informou que não tem vagas disponíveis e que não há como garantir a segurança do local.  Continue lendo

Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre

Em reunião no Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro e a cúpula do Congresso fecharam o entendimento de que a saída para abrir espaço no Orçamento sem furar o teto de gastos é a retomada do debate sobre o pacto federativo e da agenda das privatizações.  

De acordo com relatos, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se comprometeu a pautar a proposta que, em suma, vai determinar nova divisão de recursos entre União, estados e municípios, e também avançar na discussão sobre a privatização dos Correios.

Segundo participantes do encontro, Alcolumbre disse que, hoje, o Senado ainda não tem condições de se debruçar sobre a desestatização da Eletrobrás, uma vez que ao menos 40 senadores são contra a proposta. 

A avaliação de quem participou da reunião no Alvorada foi a de que o encontro serviu para que Bolsonaro fizesse um gesto ao ministro da Economia, Paulo Guedes, no dia seguinte à debandada de integrantes da equipe econômica. Como fez de público, o presidente usou o encontro para afirmar que respeita o teto de gastos. 

“Agora, são todos pelo teto”, disse um dos presentes, pouco depois do pronunciamento de Bolsonaro na frente do Alvorada. 

Ainda de acordo com relatos, Bolsonaro teria descartado a possibilidade de prorrogação do decreto de calamidade pública, que se encerra em 31 de dezembro deste ano.

Ascom/PMAI

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira entregou nesta quarta-feira (12), mais um Laboratório de Robótica, dessa vez na Escola Municipal Maria Gizelda Simões. Os kits contem softwares para computadores, cadernos de atividades, equipamentos de conexão USB, cabos de conexão eletrônica, placas de sistema, placas para display e peças em Lego para a criação de projetos em robótica. Também foram entregues livros de atividades para as aulas teóricas.  

A entrega foi feita pelo vice-prefeito Alessandro Palmeira e pela secretária Municipal de Educação, Veratânia Moraes, aos gestores e professores da Escola. Segundo Alessandro Palmeira, não é a toa que Afogados tem sido relacionada nos últimos entre as dez melhores de Pernambuco. “Ações como essa são muito gratificantes e apontam o caminho que estamos trilhando de qualificar ainda mais o ensino que oferecemos às nossas crianças e jovens. O conhecimento, a educação, é um legado que permanece para além do tempo,” destacou Palmeira.  

Além da Escola Maria Giselda, o município já entregou equipamentos para Laboratório de Robótica nas Escolas Dom Mota e Padre Carlos Cottart. Mais escolas receberão kits nos próximos dias. A perspectiva, só nas três primeiras escolas, é que as atividades de robótica beneficiem quase mil e seiscentos alunos. No final de Agosto, 67 professores da rede municipal passarão por capacitação específica para atuar nos laboratórios e em sala de aula. 

A Petrobras informou que a partir da quinta-feira (13) a gasolina vai subir 4% nas suas refinarias. Já o diesel terá um aumento de 2%, refletindo a ligeira melhora do preço do petróleo no mercado internacional.

Antes, a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) havia informado que a estatal havia avisado às distribuidoras que a partir desta quinta-feira o diesel iria aumentar R$ 0,0366 o litro nas refinarias e a gasolina subiria R$ 0,0662 por litro.

A tendência é de que, já nesta quinta-feira, os preços sejam ajustados nas bombas, pois os postos aproveitam os anúncios da Petrobras para rever os valores cobrados dos consumidores. Esse movimento tão rápido vale, sobretudo, quando a estatal anuncia reajustes. 

Carro recuperado pela PRF estava com registro de roubo — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

 Um motorista de 57 anos foi detido na terça-feira (11) com um carro roubado na BR-232, em Sertânia, no Sertão de Pernambuco. O homem foi detido e o veículo recuperado durante uma fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O carro havia sido roubado em 2017 na cidade de Paulista, no Grande Recife. O flagrante foi realizado na unidade operacional de Cruzeiro do Nordeste, localizada no km 278 da rodovia.

Além do registro de roubo, a equipe identificou que o carro portava placas idênticas a de um veículo regularizado. O motorista informou que havia pego o automóvel emprestado com o proprietário de uma revendedora de veículos. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil Arcoverde.

Sexta-feira será o último dia para garantir a inscrição no Prêmio Gestão Escolar 2020 (PGE). O processo será finalizado no próximo sábado (15) e, até o momento, já conta com 173 instituições de ensino da Rede Estadual inscritas. Além de gestores, professores também podem participar do PGE, que contempla experiências inovadoras de gestão durante o período de pandemia. Em função do atual momento, a coordenação do prêmio decidiu reconhecer práticas exitosas das escolas que, durante o afastamento social, conseguiram encontrar soluções para o enfrentamento das dificuldades impostas pela pandemia.

Para conhecer os detalhes descritos no edital acesse aqui.

Para participar, a equipe deve preencher o cadastro da escola no site www.premiogestaoescolar.com.br e escrever o relato da experiência. 

Realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o PGE quer identificar e disseminar práticas inovadoras na gestão escolar; reconhecer e valorizar escolas públicas que se destacam pela gestão competente, participativa e colaborativa; além de valorizar a escola que trabalha como equipe,  com corresponsabilidades na gestão, no ensino, na aprendizagem e na solução de problemas.

Entre as escolas que já garantiram sua participação, está a Escola Técnica Estadual (ETE) Professor Francisco Jonas Feitosa Costa, de Arcoverde. Esta é a terceira vez que a instituição garante sua inscrição e entra na briga pelo prêmio, desta vez com o projeto de título: “Estratégias aplicadas nas atividades remotas no ensino técnico integrado ao médio em meio à pandemia de Covid-19.” Gestora da ETE, Lúvia Bezerra destacou o emprego da plataforma Moodle no ensino remoto durante o período de suspensão das aulas. “O nosso projeto teve como principal base lembrar aos alunos que a escola segue existindo, ainda que virtualmente, e conseguimos manter esse vínculo com eles. Todos os professores estão trabalhando juntos na iniciativa e, assim, as salas possuem todos os componentes curriculares, inclusive as eletivas, proporcionando conhecimento aos nossos estudantes enquanto passamos por essa situação difícil”.

A iniciativa vale para escolas públicas estaduais e municipais de qualquer etapa da Educação Básica: educação infantil, ensinos fundamental e médio. Nesta edição, também serão contemplados os esforços de toda equipe escolar, que estará representada na inscrição por seis integrantes: o gestor, um coordenador e quatro professores, de preferência, um por área do conhecimento.
Continue lendo

Retransmissão é obrigatória

Decreto publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (12) determina as regras sobre o horário de retransmissão obrigatória de ‘A Voz do Brasil’, programa oficial de informações dos Poderes da República pelas emissoras de radiodifusão. 

Pelo decreto, ‘A Voz do Brasil’ deverá ter o início obrigatoriamente às 19h nas emissoras de radiodifusão educativas e pelas emissoras vinculadas aos Poderes Legislativos federal, estaduais, distrital e municipais.

Já as demais emissoras, inclusive as comerciais, terão horários flexibilizados e deverão iniciar a retransmissão do programa entre as 19h e 21h de segunda a sexta-feira, com exceção de feriados. 

As emissoras de radiodifusão sonora ficam obrigadas a veicular, diariamente, às 19h, exceto aos sábados, domingos e feriados, inserção informando sobre o horário de retransmissão do programa ‘A Voz do Brasil’.

De acordo com o texto, o Ministério das Comunicações poderá, em casos excepcionais e observado o interesse público, flexibilizar ou dispensar, por tempo determinado, a retransmissão do programa. A flexibilização permite a transmissão do programa no mesmo dia, mas em horário diversos, já a dispensa, desobriga a retransmissão do programa em qualquer horário em determinado dia.

O programa oficial do governo passa informações sobre os Poderes da República. O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. 

DIVULGAÇÃO

JC

A pandemia da Covid-19 foi mais um fator a adiar a liberação para voos comerciais dos aeródromos estaduais Oscar Laranjeiras, em Caruaru (Agreste), e Santa Magalhães, em Serra Talhada (Sertão). Este último, aliás, deveria estar operando desde o mês passado, segundo cronograma atualizado em novembro de 2019.

O atraso nas obras, que já se arrastavam há mais de um ano antes mesmo da emergência sanitária, impede a operação de companhias que já demonstraram interesse em estabelecer ligações para esses municípios a partir do Recife. É o caso da Azul, que mantém um hub na capital pernambucana e ontem lançou oficialmente uma nova empresa de aviação sub-regional, a Azul Conecta, com o objetivo justamente de voar para cidades menores com aviões Cessna Gran Caravan para cargas e até nove passageiros.  

De acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra), os projetos dos dois terminais do interior, assim como as melhorias do Aeroporto Governador Carlos Wilson, na ilha de Fernando de Noronha, “sofreram alterações e estão sendo acompanhados de perto”.

No aeródromo de Serra Talhada, diz a secretaria via nota, está em andamento o projeto de engenharia necessário para a contratação das obras de reestruturação, divididas em duas etapas. A primeira contempla a adequação da faixa lateral da pista, o sistema de drenagem e a cerca, com previsão de finalização ainda para este mês. Só então, o projeto será enviado para validação da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC). “Com a aprovação do órgão federal, a Seinfra poderá lançar o edital para viabilizar a contratação das obras, que são fundamentais para que o terminal possa receber os voos comerciais”, afirma a nota.

Há, ainda, ações de ampliação da estrutura para criação de um novo terminal de passageiros, seção contraincêndio e pátio de estacionamento de aeronaves. Neste caso, a estimativa de conclusão é para o fim deste ano, também com a posterior submissão à SAC. Segundo a Seinfra, os recursos, no valor de R$ 20 milhões, estão garantidos.

Já em Caruaru, ainda não há previsão para o término das adequações necessárias à operação comercial, embora também haja avanços nos projetos, conforme a Seinfra. “Foi concluído e encaminhado para certificação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindact) o Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromos (PBZPA). O plano é estratégico para garantir a segurança das operações aeroportuárias, porque identifica previamente possíveis obstáculos com potencial de interferir na segurança de voo das aeronaves”, detalha a nota.

A Seinfra ainda diz atuar na aquisição da estação meteorológica (EMS-A), que envia, em tempo real, as informações climáticas para que o piloto possa decolar e pousar em segurança. Essa etapa, no entanto, não contou com nenhum avanço desde novembro de 2019, quando a covid-19 ainda não pairava entre nós. 

PRIVATIZAÇÃO 

Em paralelo, a Seinfra revela que avalia dois estudos técnicos entregues no último dia 28 de abril que deverão subsidiar a modelagem de concessão para expansão, exploração e manutenção dos três aeródromos, em parceria com a iniciativa privada. “No momento, a Comissão Especial de Avaliação e Seleção, formada por representantes da Seinfra, Seduh, Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE), está examinando os trabalhos para avaliar o atendimento aos requisitos exigidos no edital do Chamamento Público nº 04/2019 e definir qual o melhor modelo a ser implantado em cada um dos aeródromos citados no edital”, ressalta a secretaria.

O resultado será divulgado na página do Programa de Parcerias Estratégicas de Pernambuco. A conclusão do processo, que ainda envolve outras fases, como audiência pública, por exemplo, só deve ocorrer em pelo menos dois anos. Até lá, espera-se que a operação comercial já tenha sido iniciada.

AVIAÇÃO REGIONAL

Com a malha rodoviária deficitária e a ferroviária quase inexistente, os aeroportos regionais são apontados como uma importante alternativa para viabilizar negócios e turismo nas regiões mais distantes dos grandes centros.

Hoje, dos sete aeródromos de Pernambuco sob administração estadual (Araripina, Arcoverde, Caruaru, Fernando de Noronha, Garanhuns, Salgueiro e Serra Talhada), apenas o de Noronha opera voos comerciais. Os outros recebem pequenas aeronaves privadas e de cargas. 

Não há planos no curto e médio prazo para operação comercial e concessão dos demais aeroportos sob administração do Estado. 

Por Carlos Britto

Em Arcoverde, o Partido Socialista Brasileiro vive dias tensos depois que a presidente da Câmara de Vereadores, Célia Galindo decidiu investigar várias denúncias de desvios de recursos públicos no âmbito da Secretaria de Assistência Social e Cidadania do município na gestão da prefeita, Madalena Britto, ambas do mesmo partido. 

Ao planejar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, houve quem duvidasse que Célia fosse mesmo dar segmento a investigação, que recebeu dia e hora marcada para acontecer. Marcada para a última sexta-feira (07), a reunião que daria início a CPI ganhou capítulos inusitados.

Célia não compareceu na reunião e em justificativa, disse que não teve a compreensão de alguns vereadores para que pudesse seguir “o preceito saudável da proporcionalidade”. Mesmo assim, o vice-presidente da Casa, o vereador Everaldo Lira (PDT), assumiu o lugar de Célia e fez a indicação dos membros para compor a CPI, ficando a presidência para a vereadora Cybele Roa (Avante), Zirleide Monteiro (PTB) na relatoria e Heriberto do Sacolão (PTB) como secretário. Todos os vereadores do PSB faltaram à sessão.

Após a criação da Comissão nessas circunstâncias, Célia Galindo baixou o decreto n° 001/2020 nessa terça-feira (11), em que anula todas as decisões tomadas no plenário da Casa James Pacheco. Foi o suficiente para a guerra ganhar novos contornos. O que vai acontecer daqui para frente é a dúvida que não quer calar.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante evento no Palácio do Planalto Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo/29-07-2020

Com a eleição de 2022 no horizonte, o governo federal deve lançar nas próximas semanas o programa Pró-Brasil, que vai agrupar projetos já existentes em diversos ministérios num total somado de R$ 35 bilhões em investimentos. Gestado ao longo dos últimos quatro meses, o pacote motivou desavenças entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e seus colegas Rogério Marinho, titular do Desenvolvimento Regional, e Braga Netto, chefe da Casa Civil, na reunião ministerial de 22 de abril.

De lá para cá, o governo do presidente Jair Bolsonaro tem vivido uma disputa entre a ala capitaneada por Marinho, que defende a ampliação de obras públicas para ajudar a recuperação econômica pós-pandemia, e a de Guedes, que resiste a sinalizações de que o governo possa “furar o teto” dos gastos públicos. Em mais um capítulo da queda de braços, ontem, os secretários especiais de Desestatização, Salim Mattar, e o de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, pediram demissão. O próprio ministro da Economia reconheceu a “debandada” na equipe, que vem se sentindo escanteada.

Apesar de Guedes insistir que Bolsonaro o apoia, na semana passada, em entrevista ao jornal O Globo, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) indicou para que lado pende o presidente, ao defender que o ministro da Economia dê um jeito de “arrumar um dinheirinho” para o governo tocar obras de infraestrutura. A formatação do programa está a cargo de Braga Netto, que se recupera da Covid-19, e tem se dedicado a aparar os atritos. Na reunião de abril, o chefe da Casa Civil levou um pito de Guedes ao se referir ao Pró-Brasil como um “Plano Marshall brasileiro”, em referência à ajuda americana para reerguer países europeus após a Segunda Guerra Mundial. Continue lendo