No último dia 5 a Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira aprovou a Lei Orçamentária Anual e a Revisão do PPA com uma novidade para 2020: as emendas impositivas. Cada vereador vai poder destinar valores para determinadas áreas e a Prefeitura será obrigada a executar.

Em Carnaíba a bancada de oposição pretendia seguir o mesmo caminho, mas os votos dos vereadores ligados ao prefeito da cidade enterraram a ideia. “Ficou muito evidente o comprometimento de muitos colegas com suas bandeiras partidárias”.

“Eles [vereadores governistas] não pensaram em como as emendas impositivas fortaleceria a câmara, da qual eles fazem parte. Não sei se tentando poupar o governo, só sei que votaram contra eles mesmos. As alianças mudam, o Poder Legislativo, não”, disse o presidente da Câmara, Gleybson Martins.

Para especialistas ouvidos, com um percentual estabelecido na previsão orçamentária, assim como ocorre com deputados federais e estaduais, as emendas trariam mais isonomia, uma vez que a modalidade “requerimento” uma mera indicação, normalmente atendida pelos prefeitos apenas dos vereadores da base.  

“Foi um gesto infeliz dos vereadores que votaram contrário. Emitiram um sinal ruim de que obedecem a ordens do Poder Executivo, mesmo quando estas diminuem o poder para o qual foram eleitos. Perde a câmara e sociedade que seria melhor atendida com uma distribuição de recursos mais justa”, completou Gleybson.