Economia

Funcionário de posto de gasolina abastece carro em São Paulo (22/08/2013)

A Petrobras aumentará o preço da gasolina em suas refinarias em 4% em média a partir desta quinta-feira (26), enquanto o diesel terá elevação de 5%, informou a companhia, em movimento que leva as cotações dos combustíveis ao maior nível em três meses.

O aumento é o segundo aplicado pela estatal em novembro para os dois combustíveis, após reajuste realizado no dia 12, quando subiu o valor da gasolina em 6% e o do diesel em 5%.

Com o novo reajuste, o preço médio da gasolina nas refinarias da petroleira passa a ser de R$ 1,73 por litro, segundo dados da Petrobras compilados pela Reuters, enquanto o litro do diesel passa a custar em média R$ 1,87.

Ambos alcançam o maior nível desde o final de agosto. No acumulado de 2020, a cotação da gasolina ainda apura queda de cerca de 9,6%, e a do diesel registra baixa de 19,8%.

Durante o ano, porém, o litro da gasolina nas refinarias chegou a custar menos de R$ 1 e o do diesel caiu a cerca de R$ 1,30. As mínimas foram vistas entre abril e maio, quando as medidas de restrição por causa da pandemia do novo coronavírus atingiram seu ápice no Brasil.

O novo reajuste para cima ocorre em meio à firme alta nos preços do petróleo no mercado internacional, que têm sido impulsionados pelas expectativas de uma vacina contra a Covid-19 e por perspectivas de uma transição de governo mais tranquila nos Estados Unidos. Continue lendo

JAILTON JR./JC IMAGEM

JC Online

Em entrevista concedida a Rádio Jornal nesta quarta-feira (25), o chefe de informação de Mercado Agrícola do Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa), Marcos Barros, pontuou que a alta dos alimentos ocorrida nos últimos meses deve persistir no curto prazo. Segundo ele, a normalização só deve ocorrer a partir da segunda quinzena de janeiro. Ele ainda explicou que houve aumento de até 81,78% nos preços dos alimentos devido à pandemia do coronavírus e a fatores ambientais, como fortes chuvas, além de problemas na exportação.

Barros relatou que houve aumento significativo em todos os segmentos: cereais, hortifrútis, laticínios. “No curto prazo, o cenário vai continuar com esses preços elevados, porque houve atraso no plantio de soja, do feijão, que no caso do feijão, só vai ser normalizado pela segunda quinzena de janeiro, começo de fevereiro. E a soja teve problema com exportadores com relação a entrega desses produtos”, contou.

Ainda de acordo com Marcos Barros, houve aumento em todos os intervalos que forem levados em consideração. “Tanto em relação a novembro do ano passado ou janeiro, até novembro. Mesmo com relação ao mês passado, por conta de fatores que já conhecemos. Sobretudo nos cereais, tivemos aumento das exportações, e das carnes também. Por conta das commodities, a soja e o açúcar”.

A prévia da inflação teve um aumento de 0,81% neste mês, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), maior resultado para o mês de novembro desde 2015, movimentando aumento dos preços não só dos alimentos, mas de outros itens que fazem parte do dia a dia do consumidor brasileiro. Continue lendo

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Nota técnica da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, órgão vinculado ao Ministério da Economia, estabelece que trabalhadores que tiveram corte em seus salários ou na jornada de trabalho terão direito a 13º salário e férias integrais.

O documento contempla empregados de empresas que aderiram ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (Bem), iniciativa do Governo Federal que prevê a redução da jornada de trabalho e a suspensão de contratos por conta da pandemia do novo coronavírus. 

Segundo a nota, o cálculo do pagamento do 13º será feito proporcionalmente de acordo com os meses trabalhados, desde que tenha havido ao menos 15 dias de trabalho. O valor integral do benefício terá o mesmo valor do salário do mês de dezembro. Se o trabalhador, por exemplo, ficou suspenso por um mês, ele receberá 11/12 do total da folha de pagamento. 

Andrea Ferreira, gestora administrativa de uma empresa que fornece produtos auditivos em Brasília, explica que os efeitos econômicos da pandemia fizeram com que a companhia reduzisse parte da carga horária da equipe. Mesmo assim, o 13º da equipe está garantido. “Apesar da diminuição na jornada de trabalho, o 13º será pago de forma integral e isso será de grande valia por conta da recessão que estamos passando”, diz. 

Férias

De acordo com a nota, também não será considerado no cálculo das férias o período em que o trabalhador teve o contrato suspenso. Só terá direito a férias trabalhadores que completaram 12 meses de trabalho. Contudo, segundo a advogada trabalhista Amanda Caroline, o benefício poderá ser concedido aos trabalhadores que tiveram a carga horária reduzida.  Continue lendo

gov

O governador Paulo Câmara anunciou, nesta segunda-feira (23), que o pagamento do 13º salário do funcionalismo estadual será pago em 18 de dezembro. Juntamente com os pagamentos das folhas de novembro e dezembro, isso representa uma injeção de R$ 3,2 bilhões na economia do Estado em um período de 30 dias. Os recursos são um forte propulsor diante da adversidade econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

O Estado possui, atualmente, 122.063 servidores ativos, 74.988 inativos e 25.589 pensionistas, totalizando 222.640 funcionários.

“Este ano tem sido um desafio para todos nós, nos mais diversos setores da administração pública. A expectativa de que teríamos um ano de recuperação fiscal foi mais uma vez frustrada, agora com a crise sem precedentes provocada pela pandemia da Covid-19. Fizemos nosso dever de casa, conseguimos reduzir despesas, além de provocar uma reação da economia a partir da retomada proporcionada pelo nosso plano de convivência. Diante de tudo isso, temos a condição de anunciar que o 13° do funcionalismo estadual será pago no próximo dia 18 de dezembro. Serão mais de R$ 3,2 bilhões injetados na nossa economia em 30 dias, quando consideramos as folhas de novembro e dezembro. Gostaria de agradecer o empenho de todos os servidores nesse ano tão desafiador, em especial aos que contribuíram diretamente para a construção desse resultado”, ressaltou Paulo Câmara.

As folhas de novembro e dezembro totalizam R$ 1,1 bilhão, já o 13º salário representa R$ 1 bilhão. “Pernambuco vem fazendo seu dever de casa. Mesmo diante de uma grave situação econômica, conseguimos realizar mais de R$ 627 milhões em gastos extraordinários que não estavam previstos no orçamento com o combate ao coronavírus, recursos exclusivamente do tesouro estadual”, comentou o secretário da Fazenda, Décio Padilha. Continue lendo

Foto: Divulgação/ RR Energia

A empresa SunFarm vai lançar no mercado, em janeiro do próximo ano, a opção de investir numa usina de geração solar, bastando que para isso seja feito um aporte a partir de R$ 10 mil. Será a quinta pequena usina solar que a empresa RR Energia vai implantar na área rural de Gravatá, no Agreste do Estado, e o empreendimento deve demandar um investimento de R$ 2 milhões. A empresa também faz a geração solar de energia remota para clientes que “compensam” isso na sua tarifa de energia e conseguem, dessa maneira, uma redução de até 15% do valor a ser pago na conta de luz.

“Os nossos clientes têm como se fossem um contrato de aluguel de uma geradora solar para aqueles atendidos pela Celpe. A energia produzida é transformada em créditos que, posteriormente, são abatidos na conta de energia”, explica o presidente da RR Energia e da SunFarm, Ruben Ribeiro Bisneto. Segundo informações da empresa, essa “compensação” da energia gerada pelos créditos na conta de luz é interessante economicamente para quem paga uma conta que ultrapassa os R$ 1 mil por mês. Essa geração remota também é uma solução para quem não tem espaço para colocar as placas que produzem a energia solar. A redução na conta de luz ocorre porque o custo da energia gerada pela pequena usina solar sai mais barato do que o preço da (energia) fornecida pela distribuidora.

É a primeira vez que a empresa vai implantar uma usina com o sistema de cotas a serem bancadas por investidores. “A taxa de retorno financeiro deve ficar entre 13% e 15% ao ano. Os investidores vão comprar as cotas e ter um percentual no resultado da empresa”, comenta o executivo. Continue lendo

Por Ademar Rafael Ferreira (Papa)

Ade maleu lapa-el – Hoje quero informações sobre o tema Liderança. Tem um estilo mais adequado para geração de resultados e melhoria do ambiente de trabalho?

Papa – Vou iniciar este diálogo com um depoimento. Antes de assumir cargos de gestão no Banco do Brasil eu tinha dificuldades para validar uma constatação defendida por muitos. Eis o pensamento corrente: “A agência ‘x’ é a cara do seu gerente.” Com o tempo comecei a perceber que na frase havia muita verdade, de fato, muitos líderes conseguem fazer com que seu estilo seja absorvido e aplicado pela equipe.

Em sua forma clássica a liderança é estudada a partir de quatro tipos. Do site de “hsmuniversity”, faço adaptações de cada um deles: a) Líder Autoritário – Autocrático, verdadeiro decisor e sua equipe apenas segue seu comando. Quem aplica esse modelo de liderança tende a concentrar muito poder e dar pouca relevância as opiniões dos liderados; b) Líder democrático – Defensor da participação da sua equipe. Gosta de receber ideias e sugestões, estimula que os liderados participem e são atentos à satisfação e o bem-estar do time; c) Líder liberal – Aplica o tipo de liderança voltado para a delegação de tarefas, entende que a equipe é madura suficiente para agir sem orientações permanentes e confia na capacidade de autogestão de cada liderado; e d) Líder “coach”, eu particularmente prefiro e definição de Líder Formador – Tem foco no desenvolvimento do potencial da equipe. Identifica competências, talentos e habilidades, além de estimular os liderados quanto à capacitação.

Entre as publicações impressas sobre o tema julgo conveniente citar a trilogia do consultor James C. Hunter: “O monge e o executivo”, “Como se tornar um líder servidor” e “De volta ao mosteiro”. Para quem pretende se aprofundar no assunto a leitura do primeiro livro fornecerá elementos para início da formação de massa crítica.

Hoje tenho muitos argumentos para defender a tese de que os estilos acima podem ser dosados e aplicados de acordo com cada momento da equipe. Não defendo a aplicação isolada. Quem lidera ou liderou sabe que existem situação que determinado tipo de liderança precisa sem aplicado. Não há receita pronta nesta questão. Procurei seguir esta metodologia e sempre fiz questão de dar exemplo, nunca fui omisso. Simplificando: Fui pai e padrasto, fui mãe e madrasta. Liderança adequada gera resultados.

Sobre o papel do líder, adaptei de lista disponível em “sbcoaching”, para reflexão e debates: a) Garantir a harmonia e boa comunicação no grupo; b) Delegar tarefas de maneira eficiente e otimizada; c) Oferecer motivação e inspiração para os liderados; d) Organizar metas e prazos; e) determinar melhores rotas para chegar aos objetivos. Liderar é missão do administrador, cuide do assunto e escute os liderados.

Conjunto habitacional. Foto: Agência Brasil.

O programa habitacional do Governo Federal, Casa Verde e Amarela, contará com mais recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) até o final deste ano. O Conselho Curador do FGTS aprovou um aporte de R$ 5,5 bilhões para ações no setor, desempenhadas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Ao todo, o montante disponibilizado para as políticas públicas de habitação chegará a R$ 62 bilhões em 2020, de um total de R$ 68,9 bilhões.

O novo programa de habitação vai substituir o Minha Casa Minha Vida, herança do governo Lula (PT), com juros mínimos de 4,25% ao ano e condições diferenciadas para o Norte e Nordeste, além da possibilidade de renegociação de dívidas com os programas para os beneficiários de mais baixa renda.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, os recursos do FGTS são essenciais para que o governo dê continuidade às políticas públicas de habitação, impulsionando e dando mais fôlego ao programa. 

A promessa de execução é construir mais unidades habitacionais com menos dinheiro. “Nós demos um impacto maior na diminuição da prestação no Nordeste para que o maior número de famílias tenham acesso naquela região, onde a demanda reprimida é muito maior em função da dificuldade financeira das famílias”, explicou o ministro.  

O Conselho Curador do FGTS aprovou também a proposta orçamentária para a utilização do Fundo em políticas públicas federais para 2021 e o Plano Plurianual de 2022 a 2024. No ano que vem esse valor também será de R$ 68,9 bilhões. A previsão é que o setor habitacional tenha acesso a R$ 56,5 bilhões; o de saneamento, R$ 4 bilhões; o de infraestrutura urbana, R$ 5 bilhões; e outros R$ 3,447 bilhões para o FGTS-Saúde. Continue lendo

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou, nesta segunda-feira (16), que os serviços de pagamentos e transferências do WhatsApp devem começar a funcionar “em breve”.

“O WhatsApp vai entrar, vai começar fazendo P2P já em breve. Eu tenho conversado bastante com o CEO do WhatsApp, inclusive ele tem me dito que o processo no BC foi mais rápido do que em outro países”, disse.

O “P2P” é uma transferência entre pessoas, e o termo refere-se à peer-to-peer, em inglês. Campos Neto informou ainda que o processo está andando rápido e citou a possibilidade do “P2M”, que significam transferências entre uma pessoa e um comerciante.

“Estamos avançando bastante no processo. Vai começar com P2P, depois vai fazer P2M. Nossa única preocupação é passar por todos os critérios de aprovação e que a gente tenha um sistema que fomente a competição”, alegou.

Suspensão do serviço

O WhatsApp havia anunciado o serviço de transações no dia 15 de junho. Entretanto, uma semana depois, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Banco Central decidiram suspender a funcionalidade por conta de preocupações com a segurança e a competitividade do setor.

Pagamento por QR Code, pix

No primeiro dia de funcionamento, o Pix, novo sistema de pagamentos, registrou 1.005.028 de transações que movimentaram, no total, R$ 777,3 milhões. Na média, cada transação movimentou R$ 773,43. 

Os dados fazem parte de balanço feito pelo Banco Central (BC) com todas as operações realizadas pelo novo sistema até às 18h desta segunda-feira (16). O Pix funciona 24 horas por dia, todos os dias. 

Ele é um sistema de pagamentos e transferências instantâneas que serve de alternativa aos outros já existentes, como boletos, cartões, DOCs e TEDs. Os valores transferidos são creditados na conta do beneficiário em poucos segundos e o serviço é gratuito para pessoas físicas e microempresários individuais (MEI).

De acordo com o BC, houve ocorrências esparsas de falhas nos pagamentos, como demora além do esperado para que o saldo pago fosse creditado na conta de destino. 

“Os incidentes identificados com as instituições financeiras e de pagamentos ocorreram principalmente nas primeiras horas de operação e foram acompanhados de perto pelo Banco Central, tendo sido solucionados rapidamente”, informou a entidade em nota.  Continue lendo

A Caixa começou a pagar em setembro a extensão do Auxílio Emergencial, um processo que se estenderá até dezembro. Serão pagas mais 4 parcelas de R$ 300 –ou de R$ 600, no caso das mulheres chefes de famílias– para 43,2 milhões de brasileiros.

Desde o início dos desembolsos, em abril, até a metade de outubro, a Caixa já liberou R$ 224,8 bilhões para 67,7 milhões de pessoas.

Com essa ação, o governo federal, por meio da Caixa, ajuda as famílias brasileiras a enfrentar os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus e mexe com a economia das cidades brasileiras. Quanto menor o município, maior o impacto.

Os bilhões liberados até agora equivalem a pouco mais de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, de acordo com um estudo recente dos economistas Ecio Costa e Marcelo Freire, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

O efeito deve ser maior ainda no Norte e no Nordeste, onde vive proporcionalmente o maior número de beneficiários. “Nas duas regiões o valor total pago é maior do que o PIB gerado e o tamanho das populações, amplificando o impacto desses recursos na economia local”, afirma o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

A avaliação do presidente da Caixa é reafirmada pelo estudo da UFPE. No Nordeste, esse impacto vai chegar a 6,5% de todas as riquezas produzidas na região em 2019. No Maranhão, essa relação é de 8,6%, a maior do país. Continue lendo

Depois da fase de operação restrita, o Pix, sistema de pagamento instantâneo entra em funcionamento pleno nesta segunda-feira (16). Todas as pessoas e empresas com conta corrente, poupança ou conta de pagamento pré-paga em uma das 762 instituições aprovadas pelo Banco Central já podem fazer transferências pelo novo sistema que vai funcionar por 24h todos os dias.

Desde o dia 5 de outubro, pessoas e empresas estão fazendo o cadastro das chaves Pix, para identificar a conta para receber pagamentos e transferências. E a fase restrita de operação ocorreu de 3 a 15 deste mês, com horários específicos para fazer as transações, disponível apenas para alguns clientes selecionados pelas instituições financeiras.

Segundo o Banco Central, não há limite mínimo para pagamentos ou transferências via Pix. As instituições que ofertam o Pix podem estabelecer limites máximos de valor para reduzir de riscos de fraude, lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

Para fazer transferência ou pagamento, bastar ter a chave de quem vai receber o dinheiro, em vez de informações sobre agência, conta e dados pessoais do recebedor.

A chave Pix previamente cadastrada pode ser CPF, CNPJ, e-mail, número de celular ou chave aleatória (uma sequência alfanumérica gerada aleatoriamente que poderá ser utilizada por usuários que não queiram vincular seus dados pessoais às informações de sua conta). O recebedor também pode gerar QR Codes.

O Pix deve ser gratuito para pessoas físicas nas operações de transferência e de compra. As exceções serão o recebimento de vendas de produtos e de serviços, que poderão ser tarifadas pelas instituições financeiras.

Também pode haver cobrança se os clientes (pessoas físicas e jurídicas) que, podendo fazer a transação por meio eletrônico (site ou aplicativo), preferir fazê-la presencialmente ou por telefone. Nesse caso, as instituições poderão cobrar tarifas.

Em relação às pessoas jurídicas, as instituições financeiras poderão cobrar tarifa tanto no envio como no recebimento de dinheiro por meio do Pix. Serviços acessórios ligados ao pagamento e ao recebimento de recursos também poderão ser tarifados.

No site do Banco Central, há perguntas e respostas sobre o novo sistema de pagamentos.

As águas do São Francisco e a energia dos ventos estão fazendo o Nordeste ‘exportar’ uma média de 4 mil megawatts (MW) médios de energia para o Sul e Sudeste. Historicamente, a região é “importadora” de energia. “Do total que está sendo ‘exportado’, 40% vem das usinas da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) que tem como matéria-prima as águas do Velho Chico. Outros 40% são gerados por eólicas e os 20% restantes vem de usinas térmicas, solares e outras usinas hidráulicas instaladas na região”, explica o diretor de Operações da Chesf, João Henrique Franklin.

Para o leitor ter uma ideia, o Nordeste consome 11,5 mil MW médios; enquanto no Brasil o consumo é de cerca de 65 mil MW médios.

O Nordeste começou a ‘exportar’ energia há cerca de quatro anos devido à expansão da geração eólica. Neste mês, ocorreram três fatores que fizeram o envio da energia para outras regiões atingir esse volume maior: a barragem de Sobradinho que está liberando 2900 metros cúbicos de água por segundo – sendo a maior vazão dos últimos sete anos -, as eólicas – geralmente – produzem mais energia no segundo semestre e houve um aumento das interligações que podem transportar a energia do Nordeste para o Sudeste e Norte do País.

Em 2001, o Nordeste passou por um grande racionamento de energia, porque houve uma redução no volume das águas do São Francisco, não existiam interligações para ‘importar’ mais energia e também não tinham térmicas instaladas.

Este ano, o Reservatório de Sobradinho alcançou o patamar de 94% do seu volume útil depois de sete anos de crise hídrica na bacia do São Francisco. Nesta semana, este percentual estava em 60%. Há cerca de um ano, o maior reservatório do Nordeste tinha 30% de seu armazenamento.  Continue lendo

Consumidores afetados podem pedir ressarcimento.  Foto: EBC

Parte das despesas para socorrer o fornecimento de energia no Amapá será bancada por todos consumidores do País. O montante será usado para contratação emergencial de usinas térmicas para restabelecimento do serviço no Estado, que está sem energia desde a semana passada, após um incêndio na subestação Macapá. O incidente causou o desligamento da linha de transmissão e das usinas que abastecem a região.

Os custos serão embutidos na conta de luz por meio do Encargo de Serviços do Sistema (ESS), que serve para manter a estabilidade do sistema elétrico. Essa conta será rateada entre os consumidores atendidos pelas distribuidoras, como os residenciais, e pelos que operam no chamado mercado livre, como indústrias. O saldo dependerá da quantidade de energia, do tempo que esse acionamento será necessário e do custo do combustível que será usado pelas usinas.

A medida está prevista na portaria publicada pelo Ministério de Minas e Energia na última sexta-feira. Diante da situação de calamidade pública no Amapá, o governo federal deu aval para a Eletronorte, subsidiária da Eletrobrás, atuar no restabelecimento do serviço. O ministério autorizou a empresa a contratar “de forma célere, excepcional e temporária” até 150 MW por até seis meses ou quando houver reconhecimento de condição satisfatória de atendimento ao Estado.

Segundo o coordenador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Nivalde de Castro, o encargo é usado como um “curinga” para quando há necessidade de atendimento emergencial. “É uma medida, do ponto de vista legal e energético, correta. O custo é muito alto, mas é rateado entre todos os consumidores. O Estado está há muito tempo sem energia elétrica, então, faz sentido essa decisão”, afirmou. Continue lendo

Quem já está assustado com os preços dos combustíveis deve preparar o bolso: a Petrobras anunciou reajuste de 6% no valor da gasolina nas refinarias e de 5% no litro do óleo diesel. Os novos preços entrarão em vigor nesta quinta-feira (12).

Os donos de postos já avisaram que não se intimidarão em repassar, integralmente, os aumentos para as bombas. Afinal, o consumo de combustíveis voltou a crescer, quase retornando aos níveis pré-pandemia.

“Com o consumo se recuperando, fica mais fácil repassar os aumentos para os consumidores”, diz um gerente de posto. “Essa é a lei do mercado. As margens dos postos andam muito baixas. Portanto, temos que manter a rentabilidade mínima dos empreendimentos”, acrescenta.

A Petrobras apresenta como justificativas para os mais recentes aumentos de preços de combustíveis no país a disparada dos preços do dólar e a recuperação da cotação do petróleo no mercado internacional.

Fotos: Guga Matos/JC Imagem

O pagamento do 13° salário vai movimentar R$ 6,1 bilhões na economia pernambucana entre novembro e dezembro, enquanto no Brasil o valor está estimado em R$ 215 bilhões. O dinheiro injetado no Estado será equivalente a 2,8% do total do País e de 18,3% da região Nordeste. O valor, que promete dinamizar a atividade econômica no final de ano, representa 2,8% do PIB estadual. 

Os valores serão pagos aos trabalhadores do mercado formal, inclusive aos empregados domésticos; aos beneficiários da Previdência Social e aposentados e beneficiários de pensão da União e dos estados e municípios. Cerca de 80 milhões de brasileiros serão favorecidos com rendimento adicional, em média, de R$ 2.458. As estimativas são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). 

O número de pessoas que receberão o 13° em Pernambuco foi estimado em 2,8 milhões, equivalente a 3,5% do total que terá acesso ao benefício no País. Em relação à região Nordeste, corresponde a 17%. No Estado, os empregados do mercado formal, celetistas ou estatutários representam 56,8%, enquanto pensionistas e aposentados do INSS equivalem a 43,2%. O emprego doméstico com
carteira assinada responde por 1,4%.

Distribuição

Em relação aos valores que cada segmento receberá os empregados formalizados ficam com 64,5% (R$ 3,9 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 35,5% (R$ 2,2 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 8,2% (R$ 498 milhões) e aos do Regime Próprio dos municípios, 2,9%, com cerca de 175,7 milhões. Continue lendo