Internacional

A Itália inicia nesta terça-feira (14), uma fase intermediária do processo de reabertura, liberando parcialmente o funcionamento de algumas atividades paralisadas pela pandemia de coronavírus. Entretanto, o confinamento da população segue em vigor.

O plano de reabertura do país foi anunciado pelo primeiro-ministro, Giuseppe Conte. Livrarias, papelarias, lavanderias e lojas de roupas para bebês e crianças poderão reabrir, segundo o decreto.

Atividades relacionadas à produção industrial, como fábricas de eletrônicos, obras hidráulicas e vendas por atacado de papel e papelão, também estão liberadas, porém desde que se respeitem rigorosas regras de higiene e distanciamento entre os funcionários. A Itália também passará a permitir que estrangeiros possam ingressar no país – exclusivamente a trabalho – por um período de até três dias, que pode ser prorrogado por mais dois

A liberação das atividades valem para todo o país, com exceção das regiões mais atingidas pela Covid-19: Lombardia e Vêneto, onde papelarias e livrarias não poderão funcionar. Na região do Lazio, onde está localizada a capital Roma, as livrarias só poderão reabrir a partir de 20 de abril.

O decreto assinado por Conte prevê a reabertura do país em fases. A “Fase 2” do plano prevê uma reabertura mais ampla, mas só deve acontecer a partir de maio, se as condições permitirem. O governo ainda não definiu uma data para o fim do confinamento da população, mas planeja acabar com o isolamento antes da segunda etapa.

O número de mortes na Itália está caindo, mas o país ainda é o segundo com mais óbitos no mundo, atrás dos Estados Unidos. Atualmente, a nação registra 159.500 casos e 20.465 mortes pela Covid-19.