Policial

Três homens são presos em flagrante com R$100 mil reais sem comprovação em Belém do São Francisco — Foto: PRF

G1

Neste sábado (23), três homens foram presos em flagrante com R$110 mil sem comprovação em Belém do São Francisco, no Sertão de Pernambuco.

De acordo com Polícia Rodoviária Federal (PRF), os suspeitos foram abordados durante uma fiscalização. Quando as cédulas foram encontradas em dois sacos plásticos, o motorista apontou que o dinheiro era da venda de cebolas, mas não apresentou nenhum comprovante da transação.

Os três homens foram conduzidos à delegacia de Polícia Federal de Salgueiro que irá investigar o caso.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Um integrante da organização criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco, por suspeita de tentar extorquir e ameaçar de morte o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho. No celular do suspeito de 22 anos, a Polícia ainda encontrou indícios de ameaças praticadas contra o atual governador de São Paulo, João Doria  (foto), e contra o candidato a Presidência da República pelo partido Novo nas eleições de 2018, João Amoêdo. A ação foi executada pelas polícias civis de Pernambuco (PCPE) e da Paraíba (PCPB) e pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. A prisão foi divulgada nesta sexta-feira (22).

Segundo a PCPB, o caso começou a ser apurado no dia 11 de maio deste ano, quando o delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, Isaías Gualberto, tomou conhecimento que Ricardo Coutinho estava sendo extorquido e ameaçado de morte. Segundo as investigações, o político recebeu por meio de uma rede social ameaças dizendo que uma organização criminosa, com atuação nacional, havia sido contratada por R$ 2 milhões para matá-lo. O suposto homicídio ocorreria no dia 16 de maio deste ano, mas a ordem seria cancelada se a vítima pagasse R$ 3 milhões ao comando da organização.

O suspeito revelava dados pessoais da vítima, para demonstrar que conhecia a rotina do ex-governador. Ele chegou, ainda, a enviar a imagem de um temporizador, indicando que o tempo para o pagamento exigido estava acabando.

O Grupo de Operações Especiais da PCPB (GOE) foi acionado para investigar o caso. Com apoio da Unidade de Inteligência da PCPB e Laboratório de Operações Cibernéticas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a equipe conseguiu identificar e localizar o suspeito na cidade de Santa Cruz de Capibaribe.

Prisão

Após ter a prisão decretada pela Justiça, o homem foi conduzido para o Presídio de Santa Cruz de Capibaribe pelo GOE, com o apoio de equipes da 17ª Delegacia Seccional de Polícia Civil de Pernambuco. Apesar da prisão, as investigações irão continuar porque a Polícia acredita que outras pessoas possam ter sido vitimas dos mesmos crimes.

A Polícia Federal alerta para um novo golpe de clonagem do cartão do Bolsa Família. A fraude ocorre nos terminais eletrônicos com o objetivo de sacar os valores correspondentes ao auxílio emergencial que varia entre R$ 600 e R$ 1.200 reais. Na terça-feira (19) a Polícia Federal em Vila Velha, no Estado do Espírito Santo, prendeu duas pessoas com 238 cartões clonados do Bolsa Família e conseguiu recuperar cerca de R$ 26 mil do auxilio emergencial roubado. Devido a esta descoberta, a PF orienta para que todos os beneficiários tomem alguns cuidados para evitar cair no golpe. 

 Os suspeitos instalam dispositivos maliciosos e câmeras nas máquinas de autoatendimento das agências da Caixa Econômica Federal e conseguem captar os dados dos cartões. Segundo a PF, os suspeitos sobrepõem através de fita adesiva dupla face, um falso mecanismo de entrada do cartão magnético para copiar a trilha do cartão, aliado a uma microcâmara que fica perto do teclado para filmar a digitação da senha. Os dispositivos possuem um mecanismo eletrônico que é capaz de gravar as trilhas do cartão e filmar a senha que está sendo digitada. 

Após um tempo, os criminosos voltam ao banco e retiram os equipamentos que foram colocados e depois confeccionam cartões falsos do Bolsa Família com as trilhas capturadas e de posse das senhas realizam saques em dinheiro do auxílio emergencial, causando prejuízo financeiro aos beneficiários que tanto necessitam desse dinheiro durante a pandemia do coronavírus. Esses estelionatários geralmente usam as chamadas “frentes falsas”, onde toda a parte frontal do terminal eletrônico é sobreposto ao original para simular a frente de um caixa verdadeiro.  Continue lendo

Uma operação conjunta entre as polícias Federal, Militar e Civil erradicou 15.400 pés de maconha no município de Cabrobó, no Sertão pernambucano. A ação aconteceu no dia 15 de maio e faz parte das estratégias adotadas pela Coordenação-Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (CGPRE), Órgão Central da Polícia Federal em Brasília. O Objetivo é reduzir a produção e oferta de maconha na região. A Operação Muçambê II contou com a participação direta de 15 policiais entre federais, civis e militares com o apoio do corpo de bombeiros.

A plantação foi encontrada na Zona Rural de Cabrobó, na localidade do sítio Cachoeirinha. Os policiais localizaram duas roças e uma sementeira. Toda a maconha pronta encontrada nos plantios foi incinerada no local. Caso os 15,4 pés de maconha fossem colhidos, produziriam cinco toneladas de maconha para o mercado do tráfico. 

“O ciclo produtivo da cannabis é acompanhado de perto por policiais federais e quando vai se aproximando o período da colheita novas ações são realizadas coibindo assim a secagem e a consequente introdução no mercado consumidor. As constantes operações policiais de erradicação de maconha no sertão de Pernambuco, não tem dado tempo ao traficante daquela região em produzir a droga em seu pleno desenvolvimento, o que tem levado a importação da droga do Paraguai. Assim com essas operações consecutivas a Polícia Federal contribuem significativamente para o desabastecimento dos pontos de venda de droga em nosso estado como também em outros estados da região nordeste, evitando assim a escalada da violência”, detalhou a PF, através de nota.

Pés de maconha destruídos durante operação policial — Foto: Polícia Federal/Divulgação

G1

A Polícia Federal, em conjunto com a Polícia Militar, deflagrou, durante esta semana, um desdobramento da Operação Muçambê II no Sertão de Pernambuco. A ação realizou a identificação e erradicação de plantios de maconha em três cidades, sendo uma delas em Carnaubeira da Penha.

Nos dois dias de operação foram erradicados cerca de 38.400 pés de maconha. O ciclo produtivo da maconha é acompanhado de perto por policiais e quando vai se aproximando o período da colheita novas ações são realizadas, coibindo assim a secagem e a consequente introdução no mercado consumidor (pontos de vendas de drogas).

Participaram da ação 20 policiais da PF e PM. Os policiais realizaram incursões terrestres e localizaram sete roças e três sementeiras, ambiente onde ficam mudas de maconha. Toda a maconha encontrada foi incinerada no local.

Uma caminhonete com registro de roubo que transportava 102,5 Kg de maconha foi apreendida na noite desta quinta-feira (14), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. O veículo havia sido roubado em Carpina, na Zona da Mata, no mês de abril deste ano.

Uma equipe do Grupo de Patrulhamento Tático da PRF realizava uma fiscalização no quilômetro 252 da rodovia, quando deu ordem de parada a uma caminhonete. O motorista desobedeceu e fugiu em alta velocidade, até entrar na cidade.

Os policiais realizaram o acompanhamento da caminhonete até localizá-la abandonada próximo a um córrego. No compartimento de carga do veículo foi encontrada a droga empacotada em sacos plásticos.

O documento da caminhonete também apresentava indícios de adulteração. O veículo e a droga foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil de Arcoverde.

Dois homens foram presos em Ipojuca, no Grande Recife, com armas e munições — Foto: Polícia Civil/Reprodução

G1

Dois homem foram presos em Ipojuca, no Grande Recife, por planejar o assassinato de uma funcionária terceirizada da delegacia do município. Segundo a Polícia Civil, um deles confessou, em depoimento, que o crime seria praticado para roubar o benefício assistencial que a mulher administrava por cuidar de um parente que teria problemas psicológicos.

As prisões aconteceram no sábado (09) e foram divulgadas nesta segunda-feira (11). À polícia, um dos presos informou que a ordem veio do vizinho, que queria matar a esposa do enteado e o genro, “alegando que [o genro] seria preguiçoso e gigolô”. Nenhum dos assassinatos foi realizado.

A polícia não divulgou informações sobre o depoimento do segundo preso, que foi encontrado em casa, e não informou os nomes e as idades da dupla.

Com os dois homens, foram apreendidos uma pistola calibre .40, munições, cartuchos, esferas de chumbo, pólvora e um instrumento artesanal para recarga de cartuchos.

“Os itens foram apresentados na 40ª Circunscrição Policial, onde foi arbitrada pela Autoridade Policial fiança no valor de R$ 10 mil, tendo em vista a gravidade dos fatos”, afirmou a Polícia Civil, em nota. Continue lendo

Foto: Divulgação

Na noite deste sábado (09), três mulheres tiveram suas prisões em flagrante convertidas em prisão preventiva e foram encaminhadas para a Colônia Penal Feminina de Buíque.

De acordo com a Justiça Federal, as irmãs Eliene Lima Santos, Claudiene Lima Santos, e a mãe, Maria Vilma da Conceição Santos, foram presas em flagrante, na noite da sexta (08), após abordagem da Polícia Rodoviária Federal no KM 155 da BR-423, no município de Águas Belas, interior de Pernambuco.

Conforme o relato da Justiça, verificando contradições nas respostas às perguntas dos policiais, as custodiadas tiveram suas bolsas revistadas, onde foram apreendidos um valor total de R$ 21.605,70, além de dois aparelhos celulares, 37 cartões bancários de benefícios previdenciários e documentos com numerações repetidas com fortes indícios de falsificação/adulteração.

“Pela grande quantia de dinheiro em espécie que mãe e filhas traziam consigo, após apenas um dia de saque na cidade de Garanhuns, foi verificada a possível participação em um sofisticado e complexo sistema de elaboração de documentos falsos, obtenção indevida de benefícios e saques empreendidos, de forma organizada e bem sucedida”, diz em nota a Justiça.

Os crimes foram tipificados nos artigos 171 (estelionato), 288 (associação criminosa), 297 (falsificação de documento público) e 304 (uso de documento falso), do Código Penal. Continue lendo

Foto: Priscila Buhr/Acervo JC Imagem

A Polícia Federal (PF) realizou, na manhã desta sexta-feira (8), buscas e apreensões em residências do deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE) no Recife e em Brasília, segundo apurou o blog, no âmbito da operação Outline, que apura supostos desvios de recursos destinados à obra de requalificação da BR-101 no Grande Recife.

O deputado federal Sebastião Oliveira (PL-PE) foi secretário de Transportes do governo de Pernambuco entre 2015 e abril de 2018, quando teve de deixar o cargo para disputar a eleição para deputado federal.

A operação da PF ocorre em Recife, Paulista, Serra Talhada, reduto político do deputado Sebastião Oliveira, e em Brasília (DF). Cerca de 40 policiais federais cumpriram 9 mandados de busca e apreensão e outros 2 de prisão temporária, expedidos pela Justiça Federal do Recife.

Segundo a Polícia Federal, as suspeitas são de que os investigados tenham praticado organização criminosa, corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, no âmbito do Departamento de Estradas e Rodagens e da antiga Secretaria de Transportes de Pernambuco. A investigação aponta que a obra estaria sendo executada com materiais de baixa qualidade, inclusive o asfalto. Continue lendo

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (08), a segunda fase da Operação Outline, referente a supostos desvios de recursos destinados à obra de Requalificação da BR-101, no trecho do Contorno Viário da Região Metropolitana de Recife. A operação ocorre nos municípios de Recife, Paulista, Serra Talhada e Brasília.

Segundo a Polícia Federal, as suspeitas são de práticas de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro, no âmbito do Departamento de Estradas e Rodagens e da antiga Secretaria de Transportes do Estado de Pernambuco.

Cerca de 40 policiais federais cumprem 9 mandados de busca e apreensão e 2 de prisão temporária, expedidos pela Justiça Federal do Recife.

Além disso, segundo a PF, foi decretado o sequestro de imóveis situados em Recife e Gravatá, pertencentes aos investigados, de nomes ainda não revelados.

“O valor total do contrato firmado para execução da obra citada supera a cifra de R$ 190 milhões, e a maior parte dos recursos é oriunda de repasse do Governo Federal para o Estado de Pernambuco, sob a gestão do Departamento de Estradas e Rodagens de Pernambuco”, afirma a Polícia Federal, em nota.

Investigação

De acordo com relatórios de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) recebidos pela PF, a obra estaria sendo executada com material de baixa qualidade e pouca durabilidade, sobretudo o asfalto, o que poderia afetar trechos de rodovias já entregues à população.

Na primeira fase da operação, em novembro de 2019, foram apreendidos documentos e mídias digitais. Segundo investigadores, a análise revelou evidências de outros supostos desvios, como transações entre a empresa contratada para execução da obra e firmas fantasmas, que chegam a aproximadamente R$ 4,2 milhões.

“Além disso, foi constatado que ex-servidores do DER/PE, que foram responsáveis pela fiscalização e liberação de recursos da obra, tiveram acréscimo patrimonial incompatível com os seus rendimentos nos últimos anos. Um deles, inclusive, adquiriu bens de luxo, como embarcações, veículos, apartamentos e ainda realizou diversas viagens ao exterior, inclusive em classe executiva. Todos os bens adquiridos por ele eram registrados em nome de terceiros”, afirma a Polícia Federal, em comunicado.

A Polícia Federal também afirma que “foram coletadas evidências de que provavelmente a Secretaria de Transporte de Pernambuco (atualmente extinta), teria sido condescendente com as práticas criminosas apuradas, podendo ter havido recebimento de vantagens ilícitas por pessoa ligada à pasta”.

“Todo o conjunto probatório converge para a prática de crimes como peculato, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas máximas, somadas, chegam a 42 anos de reclusão”, diz a Polícia Federal.

Diligências

Os policiais federais estão efetuando as prisões e arrecadando material (documentos e arquivos digitais), que serão analisados posteriormente pela equipe de investigação da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da PF em Pernambuco.

Os presos serão encaminhados ao Cotel, em Abreu e Lima.

O nome da ‘Operação Outline’ é a tradução literal para a língua inglesa de “contorno” e significa ainda rascunho ou esboço, simbolizando algo provisório, inacabado. Com informações da Assessoria de Comunicação da Polícia Federal em Pernambuco.

Mais de três meses após o anúncio de um conjunto de medidas para tentar enfrentar o represamento de pedidos de benefícios, 1,17 milhão de segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aguardam a análise dos seus pedidos por mais de 45 dias, limite do prazo legal.

Em janeiro, quando a crise na fila do INSS estourou e o então presidente, Renato Vieira, foi exonerado, e Leonardo Rolim assumiu no lugar dele, esse número era de 1,38 milhão.

A maior queda ocorreu justamente no primeiro mês, durante o estopim da crise. De fevereiro para março, início da pandemia do novo coronavírus, a fila diminuiu só em 20 mil requerimentos. O mesmo aconteceu em abril.

No total, incluindo quem fez o pedido há menos de 45 dias, a fila do INSS tem hoje mais de 1,54 milhão de pessoas. No início do ano, esse número era de 2,02 milhões.

Considerando, portanto, o ritmo de análise estabelecido nesse período, serão necessários quase que 10 meses para zerar essa fila de segurados. No meio da crise gerada pela pandemia do coronavírus, a demora impede que muitos brasileiros encontrem uma forma de atravessar o período com um pouco mais de tranquilidade.

“Seis meses”

O então secretário de Previdência e Trabalho Rogério Marinho, hoje titular do Ministério do Desenvolvimento Social, disse, contudo, que a expectativa era zerar a fila após seis meses da “efetiva implementação das medidas” recém anunciadas.

As medidas estão hoje no processo final, conforme o estipulado previamente por Marinho. Assim, a meta do governo é analisar os requerimentos pendentes até outubro deste ano. A estimativa, segundo o INSS, se mantém. Uma das propostas apresentadas pelo governo federal foi a contratação de militares da reserva para ajudar na análise de benefícios. Continue lendo

Um homem suspeito de vender um remédio falso que prometia curar doenças, incluindo a Covid-19, foi preso pela Polícia Civil, em Santa Rita, Sertão da Paraíba. A ação, que teve o apoio do Ministério Público e Agência Estadual de Vigilância Sanitária, ocorreu no bairro de Marcos Moura.

Segundo a polícia, o homem de 49 anos já era investigado pelas equipes da Delegacia Seccional  de Santa Rita por anunciar em redes sociais um medicamento feito com ervas. O litro do produto era vendido a R$ 100, com a promessa de curar diversas doenças. 

Após obter ordem judicial, os policiais civis realizaram buscas em um imóvel comercial usado pelo suspeito para a fabricação do medicamento. No local, foram encontrados vários insumos e utensílios usados na produção. O imóvel não possuía alvará de funcionamento e nem autorizações sanitárias para ser utilizado como local de fabricação de remédios.

O comércio foi interditado. O homem foi preso em flagrante e autuado por crime contra a saúde pública. O delito é considerado hediondo e a pena máxima é de 15 anos. Ele foi conduzido para a carceragem da Central de Polícia, em João Pessoa. 

Neste domingo (03), equipes do BEPI, em continuidade às buscas pelos criminosos que explodiram as agências bancárias da cidade de Sertânia, prenderam dois suspeitos. Os homens foram abordados em uma estrada carroçável, quando tentavam resgatar parte da quadrilha que estaria escondida na caatinga.

Após serem questionados sobre a presença deles no local, os suspeitos confessaram que haviam sido recrutados para efetuar o resgate dos demais. Diante dos fatos, os dois envolvidos foram conduzidos, juntamente com o veículo utilizado e os objetos apreendidos durante as incursões, para a Delegacia de Plantão de Arcoverde, para adoção das medidas cabíveis.

Entre os materiais apreendidos estão quatro celulares, quatro cartões bancários, duas carteiras porta cédulas, um documento de uma motocicleta, um documento de um carro, um veículo de modelo Jetta, um documento de identidade e uma quantia de R$ 1.051,30 em espécie.

Delegacia de Boa Viagem vai investigar denúncias da população. Foto: JC Imagem/Arquivo

Sob sigilo, a Polícia Civil de Pernambuco instaurou um inquérito para investigar a denúncia de que quatro policiais do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri) teriam roubado mais de R$ 830 mil em dinheiro que estavam dentro de um apartamento de luxo localizado na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.

De acordo com a Polícia Civil, dois delegados foram designados para as investigações, que estão sob a responsabilidade da Delegacia de Boa Viagem. Imagens do circuito de segurança do edifício já foram analisadas pela polícia. O apartamento pertence a um empresário. Algumas testemunhas já prestaram depoimento para esclarecer o caso.

Por determinação da Chefia da Polícia Civil, os delegados responsáveis pela investigação estão proibidos de se pronunciar sobre o inquérito. Não há informação se os policiais envolvidos no roubo foram afastados das funções. As informações são do JC Online.

O homem morto na tarde na Zona Rural de Sertânia após tentativa de assalto a agências da Caixa e do Banco do Brasil teve a identidade revelada.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi identificado com Remi da Silva Filho e residia no Bairro Seriema, em Paulo Afonso (BA). Ele foi atingido durante intensa troca de tiros com policias militares e deu entrada no Hospital Municipal já sem vida.

Remi tinha 22 anos e era conhecido das autoridades de segurança de Sertânia. Ele foi preso em junho de 2017 acusado de participar do assalto a agência do Bradesco da cidade. O assaltante estava em liberdade condicional.

As buscas pelos demais integrantes da quadrilha continuaram neste sábado (02). Não há informação de prisões.