Hemope fica localizado no bairro das Graças, na Zona Norte do Recife — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope) teve uma redução no número de doações na pandemia do novo coronavírus. Por isso, segundo o próprio hemocentro, o estoque de bolsas de sangue atualmente é crítico nos tipos sanguíneos A-, A+, B+, O- e O+. Os outros, de acordo com o Hemope, tem estoques em “estado de alerta”.

A coleta de sangue caiu para a metade durante a pandemia, segundo o Hemope. Durante os meses de abril e maio foram coletadas cerca de 4.500 bolsas. Normalmente, coleta mensal arrecadava 8 mil bolsas de sangue.

A suspensão das cirurgias eletivas nos hospitais, aquelas que não são de urgência, diminuiu parte da demanda, mas o sangue ainda era necessário. No entanto, com a autorização para retorno das mesmas, aumenta novamente a demanda por bolsas de sangue.

Com isso, o Hemope está pedindo que, quem pode doar sangue, compareça à unidade. A fim de evitar aglomerações, o doador precisa agendar um horário. No Recife o agendamento é através do 0800-081-1535. Para ligações interestaduais, o número é o (81) 3182-4630. Na sede de Caruaru, o agendamento é feito através do número (81) 3719-9569.

Para doar sangue, a pessoa deve ter entre 16 anos e 69 anos e 11 meses (59 anos e 11 meses para a primeira doação). Os menores de 18 anos precisam da presença do responsável legal (pai ou mãe), bem como levar xerox da identidade.

É necessário ter mais de 50 kg, estar alimentado e em boas condições de saúde, além de apresentar um documento original, com foto. São exemplos: identidade, carteira de habilitação ou carteira de trabalho. Crachás não são aceitos.

Também é necessário respeitar os intervalos entre as doações de sangue, que são de três meses para homens e quatro meses para mulheres.