Foto: Felipe Rau/Estadão

A decisão do presidente Michel Temer de bancar politicamente o fim da obrigatoriedade do imposto sindical foi uma exigência dos deputados. Cansados de serem pressionados e hostilizados por sindicalistas em aeroportos, por defenderem as reformas, os parlamentares avisaram ao presidente que não abriam mão de derrubar o imposto como forma de cortar o oxigênio financeiro do movimento. E avisaram que se Temer ficasse contra a ideia seria derrotado. O presidente entendeu a posição dos deputados e decidiu se alinhar a essa mobilização.

Um líder governista afirma que o dinheiro da contribuição ajuda a pagar a ida de avião dos sindicalistas para Brasília, aonde fazem os protestos. “Vamos parar de financiar essa turma. Se quiserem que mobilizem seus sindicalizados para que banquem esses protestos”, diz.