http://www.ipa.br/novo/arquivos/noticia/1157-dsc_0143.jpg

Cerca de 5,4 mil agricultores de base familiar em Pernambuco serão beneficiados nos próximos três anos. O Instituto Agronômico do estado (IPA) definiu o plano de trabalho para a execução de ações voltadas para a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). Com recursos da ordem de R$ 18 milhões, oriundos da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), os trabalhos serão desenvolvidos junto a trabalhadores de 58 municípios do semiárido pernambucano.

“Nesse novo momento, a proposta é de integração de políticas públicas, principalmente no Semiárido, que sofre com a estiagem prolongada, a fim de transformar alcançar mais famílias de agricultores”, ressaltou o presidente do IPA, Gabriel Maciel (foto). Além dos R$ 18 milhões, a Anater vai destinar mais R$ 12 milhões para que ONGs atendam 3,6 mil famílias em 52 municípios.

Durante o processo, serão executadas ações individuais e coletivas com o intuito de dinamizar a produção das unidades produtivas familiares, promover o acesso aos mercados e melhorias de renda e qualidade de vida. Os técnicos do IPA farão reuniões com os agricultores, bem como um diagnóstico das unidades produtivas, além da elaboração dos projetos produtivos. Haverá, ainda, cursos, oficinas, dias de campo, intercâmbio etc.

No Nordeste, além de Pernambuco, o projeto vai beneficiar os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte. Minas Gerais e Espírito Santo, no Sudeste, completam a lista. Ao todo, serão 63,2 mil famílias de agricultores, de 907 municípios, que serão contempladas. O objetivo é contribuir para a redução da pobreza no meio rural e das desigualdades de gênero, geração e etnia, no Semiárido e na área de atuação da Sudene.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *