Monthly Archives: dezembro 2017

O presidente Michel Temer assinou nesta sexta-feira (29) a Medida Provisória que libera R$ 2 bilhões da União para atender municípios que recebem Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e estão com “dificuldades financeiras emergenciais”. Os valores devem ser preferencialmente para as áreas de saúde e educação.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que a liberação de R$ 2 bilhões a municípios feita ontem (29) pelo presidente Michel Temer por medida provisória não está condicionada a apoio ao governo. “Não está associado a apoio nenhum. Tanto é que a distribuição dos recursos será feita em conformidade com o estabelecido na proporção da divisão do FPM (Fundo de Participação dos Municípios)”.

O repasse será feito com base nas regras do fundo, que considera o número de habitantes para a distribuição dos recursos. “Serão beneficiados municípios com prefeitos de todos os partidos. Aqueles que tiverem responsabilidade, nos auxiliem. Aqueles que não, obviamente lamentamos, mas isso não interfere na distribuição”, disse o ministro em entrevista no Palácio do Planalto.

Salário mínimo

Temer também assinou o reajuste do salário mínimo de R$ 937 para R$ 954 a partir de 1° de janeiro. O novo valor, confirmado ontem (29) em medida provisória, é menor que o que constava no Orçamento de 2018 aprovado pelo Congresso, de R$ 965. Carlos Marun negou que o governo tenha reduzido o reajuste e disse que o aumento, de apenas 1,8%,  foi definido em conformidade com a situação econômica do país.

“Qualquer tipo de reajuste no valor do salário mínimo é estabelecido com base na variação do PIB [Produto Interno Bruto] e da inflação. Então está sendo feito um cálculo baseado no crescimento do PIB e na inflação. Não existe redução do salário-mínimo. O que existe é um aumento do salário mínimo em conformidade com o crescimento da economia brasileira e com a inflação”, disse.

Leia acima a íntegra da MP de ajuda financeira aos municípios.

https://ogimg.infoglobo.com.br/in/22026375-011-126/FT1500A/550/xtorquato.jpg.pagespeed.ic._oZxizOYE7.jpg

Após encontro do ministro da Justiça, Torquato Jardim, com o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu, o titular da pasta afirmou, por meio de nota publicada no final da tarde desta sexta-feira (29), que o governo não vai editar um novo decreto de indulto de Natal. 

O primeiro foi suspenso parcialmente pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, na quinta-feira (28), após solicitação da Procuradoria-geral da República sob o argumento de que o benefício favoreceria a impunidade. 

"O governo aguarda, em face do exposto, que o Supremo Tribunal Federal possa decidir o mais breve possível sobre o tema", diz o texto. O titular da Justiça disse na quinta, 28, antes da decisão de Cármen Lúcia, que não havia chance de recuo, “salvo por ordem judicial” do Supremo.

Ao todo, 3 dos 15 artigos e 2 incisos do decreto foram suspensos por meio de liminar concedida pela ministra em Ação Direita de Inconstitucionalidade (ADI) proposta pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. São eles: o indulto para quem cumprisse só um quinto de qualquer tipo de pena ou crime, a concessão do benefício para quem havia recebido pena restritiva de direito (prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, por exemplo), para quem está em livramento condicional ou no regime aberto, para quem não tinha sentença definitiva em seu processo e o perdão de multas pela reparação de danos, como as definidas para réus em casos da Lava Jato. 

A suspensão dos trechos deve valer até o exame do ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso no STF, ou pelo plenário do Supremo. O STF volta às atividades no dia 1.° de fevereiro de 2018. 

Segundo auxiliares do presidente, uma das possibilidades diante da suspensão do decreto estabelecida por Cármen Lúcia seria adequar o texto aos termos da decisão proferida pela ministra. 

Na nota desta sexta, o Ministério da Justiça diz que o governo "jamais praticou ato qualquer de restrição ou inibição à Operação Lava Jato. Ao contrário, apoia todas as investigações em curso" e que o indulto é "tradição humanitária praticada todos os anos e favorece condenados por crimes não-violentos". "Entendeu, todavia, a senhora presidente do Supremo Tribunal Federal que três das 27 hipóteses do indulto são incompatíveis com a independência e harmonia dos poderes", completa o texto. 

Apesar de acatar a decisão do STF, o Ministério da Justiça pondera que a  decisão da magistrada "impede, neste momento, que milhares de condenados por crimes sem grave ameaça ou violência à pessoa possam beneficiar se do indulto, contrariando a nossa tradição".

Cármen Lucia considerou inconstitucionais pontos da medida e justificou sua decisão afirmando que o indulto não pode ser "instrumento de impunidade". "Indulto não é prêmio ao criminoso nem tolerância ao crime. Nem pode ser ato de benemerência ou complacência com o delito", alegou.

Duelo entre membros de facções rivais - Primeiro Comando da Capital (PCC) e Sindicato do Crime - deixou um complexo prisional destruído e saldo oficial de 26 detentos mortos Foto: REUTERS/Josemar Goncalves

A morte de 119 pessoas em um intervalo de duas semanas, em massacres em cadeias de três Estados, não foi suficiente para que o sistema penitenciário passasse por um choque de gestão. Um ano depois dos assassinatos marcados pela crueldade, com decapitações e esquartejamentos, a superlotação e as condições precárias ainda são uma realidade quase intocada nos presídios, em meio ao fortalecimento das facções e uma violência que avança nas ruas de Manaus, Boa Vista e Natal.

Das investigações referentes aos três massacres, somente em um dos casos houve apresentação de denúncia criminal. Em Manaus, 213 pessoas responderão na Justiça pelo homicídio triplamente qualificado de 56 presos. Em Boa Vista, o inquérito corre sob segredo e ainda não foi finalizado, assim como em Natal, onde a Penitenciária de Alcaçuz, palco do massacre, tem hoje o dobro de presos que tinha em janeiro passado.

Maria Laura Canineu, diretora do escritório brasileiro da Human Rights Watch, observatório de direitos humanos, ponderou que um ano não é tempo suficiente para realizar as medidas necessárias contra um problema histórico. Por outro lado, disse que o senso de urgência que mobilizou órgãos governamentais nos primeiros meses parece ter se arrefecido. “A urgência que o problema demanda não permaneceu após os primeiros meses e parece que o tema já saiu um pouco do cenário. Questões centrais foram deixadas de lado e as promessas acabaram não sendo completamente implementadas”, diz.

Para ela, a infraestrutura das penitenciárias está ligada à força das facções. “Onde não há Estado, estão às facções. Onde há negligência e maior descontrole, há mais força das facções. A superlotação está ligada ao massacre. O problema é crônico e existe em diferentes Estados, geridos por diferentes partidos, em que prevalece uma situação semelhante de absoluta precariedade”, acrescenta.

Relatório elaborado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e divulgado em dezembro constatou que ao longo do ano unidades prisionais de 11 Estados registraram rebeliões entre outubro de 2016 e maio de 2017. Em 78% dos casos, a rebelião aconteceu em uma cadeia com superlotação. Mesmo com esse cenário, mais de R$ 1 bilhão liberado pelo Fundo Penitenciário (Funpen) aos Estados só tiveram 3% gastos em mais de 12 meses.

http://imagens3.ne10.uol.com.br/ne10/imagem/noticia/2017/02/14/normal/7e8a1ca5a07dabeca1b77ca498ceae76.jpg

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que as contas de luz terão bandeira verde no mês de janeiro. Com isso, os consumidores não terão de pagar taxa adicional no próximo mês. Em dezembro, vigorou a bandeira vermelha em seu primeiro patamar, cuja taxa é de R$ 3,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

A mudança da bandeira foi possível em razão do aumento das chuvas nas últimas semanas, que ajudaram a recuperar o nível dos reservatórios das hidrelétricas.

"O acionamento dessa cor indica condições favoráveis de geração hidrelétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN). Mesmo com a bandeira verde, é importante manter as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício de energia elétrica", informou a Aneel.

O sistema de bandeiras tarifárias leva em consideração o nível dos reservatórios das hidrelétricas e o preço da energia no mercado à vista (PLD). Essa metodologia está em audiência pública e pode ser alterada no início de 2018.

No novo sistema, a bandeira verde continua sem taxa extra. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,00 a cada 100 kWh. No primeiro patamar da bandeira vermelha, o adicional é de R$ 3,00 a cada 100 kWh. E no segundo patamar da bandeira vermelha, a cobrança é de R$ 5,00 a cada 100 kWh.

O sistema de bandeiras tarifárias é uma forma diferente de cobrança na conta de luz. O modelo reflete os custos variáveis da geração de energia.

Antes, esse custo era repassado às tarifas uma vez por ano, no reajuste anual de cada empresa, e tinha a incidência da taxa básica de juros, a Selic. Agora, esse custo é cobrado mensalmente e permite ao consumidor adaptar seu consumo e evitar sustos na conta de luz.

Ascom

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira comemora o resultado obtido pelos alunos da rede pública municipal no concorridíssimo Vestibular do IFPE.

No total, 46 alunos que estudam em nossa rede passaram no Vestibular, demonstrando a qualidade do ensino ofertado na rede pública municipal, que pelo segundo ano consecutivo integra a seleta lista das dez melhores redes públicas municipais de Pernambuco.

O quadro de aprovados mostra que a qualidade do ensino não restringe-se apenas às Escolas Dom e Padre Carlos Cottart, uma vez que houveram aprovados de diversas outras escolas.

Confira o quadro por escola: 

Ana Melo (Centro): 08 aprovados – a Escola já teve em 2016 o aluno Bruno Vinícius como medalhista de ouro da olimpíada brasileira de matemática

Domingos Teotônio (São Braz): 05 aprovados;

Maria Gizelda Simões (Costa/São Sebastião): 02 aprovados;

Geraldo Cipriano (São Francisco): 03 aprovados; 

Dom Mota (Centro): 24 aprovados;

Levino Cândido (Carapuça): 01 aprovado;

Francisca Lira (Padre Pedro Pereira): 01 aprovado;

Padre Carlos Cottart: 02 aprovados.

"Tenho muito orgulho do trabalho que estamos realizando na educação municipal. Parabéns a todos os gestores, professores e demais servidores da educação por garantirem às nossas crianças a oportunidade de disputar, em pé de igualdade, com alunos da rede privada, obtendo excelentes resultados nas mais diversas instância de avaliação da qualidade de nosso ensino," destacou o prefeito José Patriota.

http://static1.leiaja.com/sites/default/files/field/image/noticias/2017/12/_LJA8419.JPG

Do Portal LeiaJá

Nas mesas de bar, os apelidos são muitos. Água que passarinho não bebe, aguardente, “marvada”, caninha, birita, pinga, lapada. As diversas denominações são sinônimos da bebida destilada mais consumida no Brasil, a famosa cachaça. O amor dos brasileiros pelo produto já foi tema de músicas, propagandas, livros e pesquisas acadêmicas. No ramo financeiro, o mercado da cachaça movimenta cerca de R$ 7 bilhões em faturamento no país. Parte desse lucro vem do município de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, onde fica localizada a fábrica Engarrafamento Pitú, que comercializa em média 95 milhões de litros da bebida por ano.

Na contramão da crise financeira, a empresa aumentou as vendas e se consagrou ainda mais como líder de vendas nos mercados Norte e Nordeste e maior exportadora de cachaça do Brasil. Um estudo feito pela PeopleScope, maior base de dados comportamentais dos brasileiros, mostra que à medida que a expectativa da população piora em relação ao cenário político-econômico, mais garrafas de cachaça são vendidas no Brasil. O sucesso da Pitú é tão grande que a cachaça integra o grupo das 20 marcas de bebidas destiladas mais produzidas no mundo.

A bebida que hoje é “mania de brasileiro” teve o pontapé inicial dado em 1938. A empresa 100% pernambucana foi fundada pelos senhores Joel Cândido Carneiro, Severino Ferrer de Morais e José Ferrer de Morais. No começo, eles trabalhavam com a fabricação de vinagre e bebidas à base de maracujá e jenipapo, além do engarrafamento de aguardente. Em 1948, com o ritmo de crescimento acelerado, a empresa ganhou o nome de Engarrafamento Pitú LTDA.

O nome da empresa faz referência ao Engenho Pitú, propriedade da família em Vitória de Santo Antão, onde existiam muitos pitus, os camarões de água doce, que eram usados como tira-gosto das reuniões para beber aguardente no engenho.

No início da história da empresa, tudo era feito de forma artesanal e experimental. Com o crescimento da marca, o tato sensorial dos fundadores ficaram um pouco de lado e a Pitú ganhou corpo de um negócio gigante. Atualmente, são 400 mil litros da bebida produzidos todos os dias. Para tudo funcionar, são 550 funcionários trabalhando diariamente na produção da cachaça queridinha de Pernambuco.

De acordo com a diretora de Negócios Internacionais da Pitú, Maria das Vitórias, um dos pontos que faz a marca crescer no mercado interno e externo é a empresa familiar, além da qualidade do produto. “As decisões são mais rápidas porque todo mundo é parente e se junta na hora de decidir as coisas. A hierarquia não é tão grande. Na crise, a gente se juntou para fazer tudo junto. O aspecto comercial é muito forte também, temos uma relação com países estrangeiros muito boa”, revelou.

Ainda de acordo com Maria das Vitórias, para a bebida ter o mesmo sabor o ano inteiro, mesmo com a safra da cana de açúcar sazonal por seis meses, a empresa faz o “blending”, a mistura, de um ano inteiro. “As grandes bebidas internacionais já seguem esse processo. Fazemos isso para que a Pitú tenha o mesmo sabor de janeiro à dezembro”.

Hoje, a Pitú é uma aguardente de cana pura, transparente, de sabor marcante e teor alcoólico de 40%. O produto é acondicionado em garrafas retornáveis de 600 ml, garrafas de 965 ml, latas de alumínio com 350 ml, 473 ml, 710 ml. Tem também as envelhecidas Premium – Pitú Gold e Extra Premium – e a Vitoriosa. A Pitú tem, ainda, em seu portfólio, a bebida mista de cachaça com limão – Pitú Limão, a bebida alcoólica mista à base de noz de cola – Pitú Cola, a vodka Bolvana e a bebida mista à base de vinho – Do Frei.

Destilado genuinamente pernambucano, a Pitú também alcança o mercado externo

De acordo com o Instituto Brasileiro de Cachaça (Ibrac), as exportações de destilado cresceram 4,62% em valor e 7,87% em volume, em 2016, com relação a 2015. No ano passado, o Brasil exportou 8,38 milhões de litros para cerca de 54 países, gerando receita de US$ 13,94 milhões.

Apesar do número alto impressionar à primeira vista, as exportações de cachaça estão bem abaixo do potencial de mercado. Apenas cerca de 1% do volume produzido é exportado, segundo o Ibrac. O maior desafio é atingir a consolidação do produto no mercado internacional como uma bebida brasileira.

http://i1.wp.com/vozdoplanalto.com.br/wp-content/uploads/2015/06/DER-PE-anuncia-desligamento-das-lombadas-eletr%C3%B4nicas-na-BR-23.jpg?fit=810%2C9999

Para facilitar o fluxo de veículos nas rodovias que tradicionalmente registram aumento no fluxo de veículos por conta das festas de Réveillon, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) desliga algumas lombadas eletrônicas localizadas nos pontos de maior movimento. As ações começaram às 5 h desta sexta-feira, e seguem até às 5 h da  próxima terça-feira.

O órgão, vinculado à Secretaria Estadual de Transportes, também montou um esquema de mobilidade nas rodovias que terão atenção redobrada, como a BR-232, que deverá ter um aumento de 30% no fluxo de veículos; PE-060, que leva ao Litoral Sul; PE-035, em direção ao Litoral Norte do Estado. O objetivo é garantir mais segurança e mobilidade nas rodovias estaduais nos períodos como os feriadões.

O órgão recomenda atenção redobrada e uso do cinto de segurança para o condutor que vai viajar. Para evitar problemas quando pegar a estrada, verificar todos os equipamentos de  segurança do veículo, condições dos faróis e níveis de óleo e combustível.

Confira a relação das lombadas eletrônicas desligadas:

BR-232, Recife, nos km 6,2; 6,3; 7,4; 7,8 – Jaboatão dos Guararapes, no Km 9,2.

PE-035, Itapissuma, nos km 7,3 e 7,9

PE-060, Ipojuca, nos  km 16,63

Silvio Filho, Ricardo Teobaldo, Antônio Campos e Armando Monteiro (Foto: reprodução do Facebook)

O advogado Antônio Campos, candidato ao Senado pelo Podemos, diz, em nota oficial distribuída neste final de ano, que o Governo Paulo Câmara destruiu o Pacto Pela Vida e não é um governo de continuidade. Ele diz que Paulo Câmara destrói o legado de Eduardo Campos. Ex-PSB, o irmão de Eduardo Campos esteve no evento em que a oposição realizou um encontro no Recife Antigo, no começo do mês.

Crise de segurança de Pernambuco

Pernambuco vive uma grave crise de segurança, que precisa ser melhor enfrentada com ações policiais, políticas de prevenção, ações sociais, mais oportunidades para a juventude e um combate mais eficaz ao tráfico. Parte dessa política de prevenção está sendo feita pelas Igrejas de diversas matizes e pela sociedade civil. Faltou liderança ao governador na coordenação desse programa de enfrentamento à violência. Os índices de violência são de uma região em guerra. Essa é uma prioridade. Entreguei um documento à Ordem dos Advogados do Brasil – PE, que fez um relatório contribuindo com diagnósticos e sugestões sobre o tema ao executivo e a sociedade. O governo Paulo Câmara destruiu o Pacto Pela Vida e não é um governo de continuidade e destrói o legado de Eduardo Campos. Precisamos recriar o cenário político do pós-Eduardo Campos, esse grande líder que soube unir os pernambucanos, que respeitamos e nos inspira a fazer a verdadeira política.

Prioridades no Estado

A educação é uma prioridade, que deve ser a plataforma de desenvolvimento social e a força matriz transformadora. Na saúde, constatamos situação precária de atendimento em emergências como a do Hospital Regional do Agreste (Caruaru), Dom Malan (Petrolina), entre outros; falta de medicamentos nas farmácias do Lafepe, entre outros problemas. Pernambuco precisa de ações urgentes na área hídrica, de energia e de mobilidade. Pernambuco, que vive um outro momento econômico, precisa refazer o seu plano estratégico de desenvolvimento, devendo ser a economia criativa, com tecnologia, turismo, cultura, entre outros itens dessa economia da era do conhecimento, um dos eixos desse novo plano para Pernambuco voltar a ter o protagonismo do Nordeste, que perdeu ante a falta de um líder.

Equilíbrio fiscal

Pernambuco vive um quadro preocupante de equilíbrio fiscal, que fez com que sua nota fosse rebaixada para nível “C”, perdendo o direito de aval da União para novos empréstimos. O Estado está paralisado, estagnado. Estamos na 10ª posição no PIB nacional e com taxa de desemprego recorde de 17,9%, segundo dados do IBGE. Mais de 1547 obras inacabadas, segundo dados do TCE. Dentre elas, importantes obras hídricas e de infraestrutura. Há informações que Pernambuco tem quase 1 bilhão de débitos com fornecedores, entre outros débitos correntes. O governador virou um chefe de departamento de pessoal que comemora pagar quase em dia o funcionalismo do Estado, mas que não dialoga de forma democrática com as categorias funcionais e a sociedade civil. Quando o faz é através de terceiros.

Ex-presidente Lula

O ex-presidente Lula tem realizações em Pernambuco e fez avanços sociais, mas também cometeu graves erros. O povo brasileiro deveria julgá-lo nas eleições, sendo oportunizado o direito dele concorrer, virando a página da nossa história. A alta rejeição de Lula demonstra que ele é um candidato passível de ser derrotado eleitoralmente. Ele agora está preso a uma candidatura, por força das circunstâncias, mas sua candidatura divide e não une o Brasil. Deixa o povo resolver nas urnas.

Campanha nacional polarizada

Essa polarização inicial vai se diluir ao longo do tempo e o povo brasileiro vai fazer uma reflexão e encontrar uma candidatura do centro democrático que possa servir ao Brasil. Álvaro Dias é o candidato que tem demonstrado ter a melhor proposta e posicionamento para esse novo tempo, entre as muitas pré-candidaturas já postas, atacando as reais causas da crise que está em um sistema viciado, mais do que em questões pontuais. Se fala muito na Reforma da Previdência, mas se esconde o problema central da dívida pública que precisa ser enfrentada com inteligência e determinação, que o TCU está auditando, tendo como origem um pedido do Senador Álvaro Dias. Precisamos refundar a República Brasileira, o formato do Estado brasileiro, fortalecendo a democracia representativa, que vive uma crise no mundo e também aqui, que está ameaçada pelos extremos.

Tese da situação que rotula a oposição como palanque de Temer

Acho que a oposição terá mais de uma candidatura em 2018. O Governador Paulo Câmara, que apoiou o impeachment de Dilma, tornando Temer Presidente, teve uma posição dúbia, até recentemente, em relação ao seu governo, o que também será explorado pela oposição em um ano que se espera uma melhoria na economia, o que dificultará esse discurso. Armando Monteiro Neto, Mendonça Filho e Fernando Bezerra Coelho são nomes competitivos e experientes para liderar uma ou duas chapas majoritárias. Marília pode vir a ser candidata pelo PT e a Rede, o PSol e Bolsonaro poderão lançar candidaturas ao governo, o que levará a termos um cenário fragmentado com um provável segundo turno em Pernambuco.

Futuro

Sou um realista esperançoso. Quero dar uma contribuição nesse momento desafiador da vida nacional e de Pernambuco, através de ações e no debate das ideias. Como disse Dante, em sua genial A Divina Comédia, o inferno está cheio daqueles que se mantiveram neutros e inertes em tempos de crise moral. Por isso, assim como lutei em 2014, com Eduardo e Marina, mais uma vez estou na luta apoiando uma candidatura à Presidente e contribuindo com a oposição, em Pernambuco, para que se viabilize uma força que volte a levar Pernambuco há dias melhores e ao protagonismo que merece.

Projeto do Podemos em Pernambuco

O Podemos tem pré-candidato a Presidente, Álvaro Dias, e vai fazer uma chapa proporcional competitiva. Álvaro Dias precisa de um palanque em Pernambuco e se fortalecer no Nordeste. Coloquei o meu nome à disposição do partido para ser candidato a Senador. Lançarei, no início do ano, um documento sobre uma nova agenda para o Brasil e Pernambuco para discutir com os pernambucanos, através das redes sociais e em visitas programadas a segmentos sociais. O vento é de mudança, mas precisamos vencer o grande descrédito do povo na política. Esse é o grande desafio, reacender a esperança, vencer o ódio e o medo.

https://conteudo.imguol.com.br/blogs/53/files/2015/06/ceth_manaus_1000.jpg

Durante uma semana, a partir de 8 de janeiro, o Centro de Educação da Honda realizará em Tabira um Curso de Pilotagem para os profissionais de Mototáxi no município. O Curso que será ministrado pela Honda foi uma conquista do secretário de administração Flávio Marques.

Para participar do treinamento o profissional precisará estar com sua documentação e da moto devidamente em dias, disse Flávio Marques falando a Rádio Cidade FM. As inscrições serão feitas nos dias 2 e 3 de janeiro na Secretaria de Administração.

O mototaxista precisará apresentar no ato da inscrição, CNH e demais documentos pessoais, além da documentação da moto. As informações foram repassadas ao PE Noticias pelo comunicador Anchieta Santos, das rádios Pajeú AM e Cidade FM.

http://blogdofinfa.com.br/wp-content/uploads/2017/03/CAMA1-800x600.jpg

Ascom

O presidente da Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira, Igor Mariano (foto), fecha o ano de 2017 com alguns motivos para comemorar. Além de ter investido aproximadamente R$ 200 mil em equipamentos eletroeletrônicos e mobília para o legislativo, o gestor conseguiu enxugar as contas da Casa e deverá quitar o débito que o legislativo possui com a previdência do município.

“Restam 154 parcelas, referentes a um parcelamento que foi feito em 2011, acredito que até o fim do dia de hoje (29), estaremos quitando na integra este débito e a Câmara não ficará mais com saldo devedor com nossa previdência. Todos sabem que as previdências em todos os municípios do Brasil estão numa situação extremamente difícil, economizamos um pouco e estamos dando a nossa contribuição para amenizar esta situação aqui em Afogados da Ingazeira”, destacou Mariano.

O presidente da Câmara de Vereadores de Sertânia, Antônio Henrique Ferreira (PSB), realizou nesta quinta-feira (28), o repasse de um montante no valor de R$400 mil para o Governo Municipal.

Após pagamento dos salários dos servidores, compra de um veículo novo e climatização da Câmara, ainda foi possível repassar este valor para o município, dado a equalização dos gastos e obrigações constitucionais pelo presidente do Poder Legislativo.

Antônio Henrique (Fiapo) fecha seu primeiro ano na presidência da Câmara dando um bom exemplo,  onde sobras do duodécimo podem reforçar o orçamento do Poder Executivo e consequentemente impactar positivamente na vida dos munícipes.

O recurso será aplicado no desenvolvimento do município e na melhoria da qualidade de vida da população sertaniense. Nesta sexta-feira (29), Antônio Henrique também participará do programa Sertânia em Ação, do prefeito Ângelo Ferreira, quando falará sobre este tema e a importância de economizar e aplicar bem os recursos públicos em favor do povo.

Além do prefeito Ângelo Ferreira, participaram da entrega do cheque,  o secretário de Finanças da Câmara, Diomedes Cordeiro e o vice-prefeito Toinho Almeida.

Ascom 

O mês de dezembro é um mês de fé e festa em Afogados da Ingazeira, em decorrência da festa do padroeiro Senhor Bom Jesus dos Remédios e da programação cultural montada pela Prefeitura do município. 

Ontem (28) teve início o pastoril organizado pela Igreja. Sempre após a missa, até o próximo sábado, os cordões azul e encarnado encenarão passagens da natividade. Logo após o pastoril, aconteceu à belíssima apresentação do cantor lírico triunfense, Igor Alves. Com sua voz potente de tenor, e acompanhado pelo tecladista Josimar, Igor desfilou canções imortalizadas nas vozes dos Beatles, Elvis Presley e, para assegurar o ecletismo, Moacyr Franco.  

A programação montada pela Prefeitura segue até o dia 1º de Janeiro.

Confira as datas, horários e atrações: 

Sábado, 30 de dezembro – 21h

Shows na Praça de Alimentação com:

QUARTETO DO SAMBA

GUSTAVO PINHEIRO 

Domingo, 31 de dezembro – 21h

Shows na Praça de Alimentação com:

DJ WROCHA

FORRÓ BLACKOUT 

Segunda, 01 de janeiro de 2018 -21h

Shows na Praça de Alimentação com:

LINDOMAR SOUSA

JÚNIOR E EMANUEL

O presente de Alessandra foi entregue nesta quinta-feira (28) / Foto: Divulgação/PM

Uma menina de 9 anos emocionou os policiais do 15º Batalhão da Polícia Militar (BPM), em Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, ao pedir uma farda da PM em uma cartinha endereçada a Papai Noel. A pequena Alessandra recebeu o tão esperado presente nesta quinta-feira (28) e classificou o dia como o mais feliz da vida dela.

A cartinha estava disponível para adoção na Campanha Papai Noel dos Correios e chegou ao 15º BPM por meio da amiga de uma soldado do batalhão, que trabalha na agência da cidade. “Quando ela me entregou aquele papel eu me vi naquela menina”, explica a soldado Paula Santos. Segundo a policial, há muitas semelhanças entre a história de Alessandra, moradora de uma área carente de Belo Jardim, e a sua. “Também queria ser militar desde criança”, diz.

Mobilização

Com a carta em mãos, a policial começou a mobilizar os colegas de trabalho e voluntários de fora para tornar o presente de Alessandra possível. A entrega da farda estava prevista para o dia 24 de dezembro, véspera de Natal, mas como há três ruas com o mesmo nome no loteamento em que a menina mora, a encomenda só chegou nesta quinta-feira (28).

“Quando ouvi ela dizer para a mãe que aquele era o dia mais feliz da vida dela não me aguentei”, disse a PM Paula após ver a criança fardada.

Quando concluída, Adutora do Agreste vai atender 68 municípios pernambucanos / Foto: divulgação

O governador Paulo Câmara inaugura nesta sexta-feira (29) o primeiro trecho da Adutora do Agreste, com 11,4 quilômetros, que levará água do sistema Prata/Pirangi para a cidade de Toritama. O investimento de R$ 30 milhões deve beneficiar 45 mil habitantes. O governador também ativará a inversão no Sistema Adutor de Jucazinho, para restabelecer o abastecimento de água em Riacho das Almas, Cumaru e Passira. Serão atendidas 35 mil pessoas, com um investimento de R$ 500 mil.

Os R$ 58 milhões destinados ao convênio da Adutora do Agreste que foram anunciados essa semana pelo Ministério da Integração Nacional serão usados para concluir a Adutora do Moxotó, uma alternativa para levar água do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco para oito cidades uma vez que o Ramal do Agreste, que deveria alimentar a adutora, ainda não teve suas obras iniciadas. A expectativa da Compesa é concluir as obras no primeiro trimestre.

“Quando a gente vê paralisações da Adutora do Agreste como ocorreu em 2015 e a quase paralisação agora em 2017 por falta de recursos, a gente fica apreensivo pela falta de compromisso com o abastecimento de água. Felizmente, uma emenda de bancada, garantiu não parar a obra. Agora, a gente só tem dinheiro até março. Falta ainda pelo menos R$ 500 milhões para a primeira etapa. Fora à segunda, que leva água para o Agreste Meridional e o Setentrional”, afirmou o governador na Rádio Jornal.

Paulo lembrou que o Estado só permitiu a passagem dos ramais da Transposição em um pacto com o governo federal para construção das obras complementares que prometem levar água até Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe. Ele adiantou que o Estado só aceitará gerir a transposição quando os recursos para essas obras estiverem liberados para que a água “tenha serventia para Pernambuco”.

Barragens da Mata Sul

O governador também disse que concluirá em janeiro os projetos das barragens da Mata Sul prometidas em 2010 para evitar enchentes. A ideia é concluir Igarapeba e Panelas, que pararam em estágio mais avançado, mas retomar Gatos e Barra de Guabiraba ainda em 2018. “Tem uma emenda de bancada de R$ 113 milhões impositiva para 2018. E temos no orçamento R$ 117 milhões também que nós vamos utilizar para terminar essas barragens”, prometeu Paulo Câmara.

Clientes poderão pagar as contas em caixas eletrônicos usando o código de barras (Foto: Michelle Farias/G1)

Ontem (28) foi o último dia que as agências bancárias abriram para atendimento ao público, com expediente normal para a realização de todas as operações bancárias. Nesta sexta-feira (29), último dia útil do ano, as instituições realizam apenas despachos internos.

Os bancos só voltam a atender o público no próximo dia 2 de janeiro, na terça-feira, no horário normal de expediente, segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

As contas de consumo, como água, luz, telefone e TV a cabo, bem como os carnês que estiverem com vencimento nas datas em que as agências estiverem fechadas, poderão ser pagos no dia 2 de janeiro sem a incidência de multa por atraso.

Entre as alternativas, os clientes podem utilizar caixas eletrônicos, internet banking, mobile banking, banco por telefone e correspondentes (casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados) para realizar as operações bancárias.

Além disso, as contas que possuem código de barra poderão ser pagas nos próprios caixas automáticos.

De acordo com a Febraban, as lotéricas que trabalharem nesta sexta-feira (29) receberão os pagamentos de contas, entre outros serviços bancários. Entretanto, a operação somente será contabilizada no dia 2 de janeiro.

Já em relação aos boletos bancários, os clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão fazer o agendamento pelos canais eletrônicos ou pagá-los por meio do Débito Direto Autorizado – DDA.

No caso dos tributos, a data de vencimento já vem ajustada em relação ao calendário de feriados (federais estaduais e municipais). Portanto, os impostos como IPTU que vencem nesta sexta-feira (29) teriam que ser pagos nesta quinta-feira (28).

No último dia útil do ano, não há atendimento ao público nas agências bancárias porque os bancos fecham para balanço. Segundo a Febraban, o procedimento segue resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) de 2002, que estabelece que “não haverá atendimento ao público no último dia útil do ano por parte das instituições financeiras, sendo permitidas nesse dia somente operações entre as mencionadas instituições”.