O deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB) denunciou na última segunda-feira, durante audiência pública aonde se debateu os desafios dos trabalhadores rurais na Assembleia Legislativa, o sucateamento do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e o uso político na abertura de poços artesianos.

O parlamentar trabalhista comentou sobre a dificuldade de liberação de emendas parlamentares: “Há dois anos, elaboramos emendas para construção de poços artesianos e até hoje elas não foram executadas. Mas os apadrinhados do Governo Estadual estão perfurando poços”, disse Júlio Cavalcanti.

O encontro reuniu parlamentares, representantes de sindicatos, federações, associações, assim como produtores rurais aonde todos criticaram a situação do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e cobraram um olhar mais atento da Secretaria de Agricultura para os problemas vivenciados no campo. A ausência de representantes do Poder Executivo foi criticada.

Para Júlio Cavalcanti, é “lamentável o que vem acontecendo no atual governo com o IPA sendo literalmente desmontado deixando o homem e a mulher do campo sem assistência que só prejudica o nosso estado e o desenvolvimento dos municípios. É preciso remontar o IPA e dar-lhe condições, tanto estrutural como de valorização de seu pessoal, para que possamos cuidar com a devida atenção os nossos produtores rurais”.

Entre os problemas apresentados em relação ao IPA estão à ausência de reajuste salarial nos últimos cinco anos, falta de concurso público, de atualização do plano de cargos e carreiras e da frota de veículos, redução anual nos investimentos da ordem de 30%, além do fechamento de escritórios do órgão em vários municípios.

Não bastasse isso, a maioria das instalações do IPA está com contas de água, luz e aluguéis atrasados; as compras de água para beber, papel higiênico e material de limpeza nos escritórios são feitas pelos próprios servidores e por falta de sinal de internet, os funcionários têm que levar o trabalho para casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *