O presidente do Sindicato dos Rodoviários afirmou que a paralisação é uma forma de conturbar a negociação / Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

A oposição ao Sindicato dos Rodoviários de Recife e RMR (Sttrepe) prometeu para esta quinta-feira (12) uma paralisação. Em nota, o grupo O Guará afirmou que está insatisfeita com “reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação”, proposto pela classe patronal em mesa de negociação.

O texto, publicado no Facebook, também diz que o “sindicato não pode aceitar essa proposta e deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar”. De acordo com O Guará, se a reivindicação não for atendida até esta quarta-feira (11), “haverá um grande protesto pela manhã”.

Resposta do Sindicato dos Rodoviários

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Genildo Pereira, afirmou que a paralisação é uma forma de conturbar a negociação que será realizada na próxima quinta-feira (12), na Secretaria das Cidades, com a Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) e os empresários. “O sindicato não assina essa nota, não participa e não se responsabiliza por esse ato”, afirmou.

Nas redes sociais, o Sttrepe divulgou o resultado da última rodada de negociações com a Urbana-PE. Segundo o grupo, os patrões propuseram um reajuste linear de 2,82%, mas o sindicato rebateu as propostas, estipulando 4,5% de aumento no salário e aumento de 11% no ticket de alimentação. Houve ainda uma contra proposta do Sindicato dos Rodoviários com os seguintes pontos: proibição da terceirização, garantia dos postos de trabalho de cobradores e homologação, sem custos, na sede do sindicato.

Leia a íntegra da nota da oposição:

Novamente a patronal provoca os rodoviários oferecendo na mesa de negociação um reajuste de 2,82%, valor abaixo da inflação. Não quer nem debater o dissídio de 2017 e os demais pontos da pauta.

O sindicato não pode aceitar essa proposta! Deve convocar imediatamente os rodoviários para lutar. Se não fizer, é mais uma prova de que é um sindicato pelego, que só serve aos patrões.

Já avisamos: a patronal tem até o dia 11/07 para atender nossa pauta. Caso contrário, no dia 12/07 vamos fazer um grande protesto pela manhã, em todas as avenidas e terminais dessa cidade.

Queremos construir esse dia de luta junto com o sindicato, junto com Grilo e junto com as oposições. Só a luta muda à vida! Só demonstrando força conquistaremos nossas reivindicações.