http://www.terramagazine.com.br/wp-content/uploads/2018/11/Carlos-Vasconcelos-2_Foto-Ivelise-Buarque_082012-700x445.jpg?x98162

A beleza da arte rupestre é a marca de “Simbologia da Gruta da Memória” do multiartista Carlos Vasconcelos (foto), a ser lançada nesta quarta-feira (07) em seu Centro Cultural de Criação, localizado na Boa Vista. A investida, que encerra a agenda de exposições do este ano, traz interpretações únicas das artes rupestres da pedra do Ingá, no estado da Paraíba. Com esses registros da arte rupestre promete mais uma experiência histórica cultural com um olhar único sobre as diversas formas e possibilidades de expressão artísticas na humanidade. “Recentemente encontrei em meus arquivos imagens de um estudo cuidadoso, que realizei da Pedra do Ingá, no estado da Paraíba, que está entre as artes rupestres mais estudadas e celebradas, que chegaram a nosso tempo. E isso foi decisivo para interpretar; copiar nunca! E trazer a tona toda simbologia na gruta da minha memória”, destaca Vasconcelos.

“Simbologia da Gruta da Memória” congrega assim uma série de 14 esculturas inspiradas nas inscrições na Pedra do Ingá, um monumento arqueológico, que fica em uma área tombada como Monumento Nacional pelo IPHAN, desde 1944. Esse pequeno distrito de Pedra Lavrada, no agreste paraibano, à margem do riacho Bacamarte, conta com misteriosas imagens rupestres em uma formação rochosa de aproximadamente 250 m² de área. Considerado um dos mais famosos do Brasil, o sítio arqueológico está localizado a 46 km de Campina Grande e a 109 km de João Pessoa e atrai um grande número de visitantes todos os anos. Com 24m de comprimento e 3,8m de altura, a área traz símbolos, sulcados e esculpidos com apurada técnica na enorme pedra, que lembram figuras humanas e animais, linhas onduladas que remetem o movimento das águas, e ainda contornos curvilíneos, círculos pendulares e formatos cônicos. E, pela sua beleza e importância, a Pedra do Ingá é a motivação para esse novo projeto do multiartista pernambucano que reforça mais uma vez a versatilidade da arte esculturas em madeira no tom bege luminoso, o marrom e preto, criadas para uma construção de semelhança e harmonia com o real.

Esse novo trabalho focado nas inscrições das paredes e rocha da Pedra do Ingá resgatam também uma paixão antiga do experiente desenhista, fotógrafo, diretor de arte e de criação, que atua há décadas em diversos campos da arte. “Inscrições ou arte rupestre sempre me fascinaram, desde minha infância quando me foi dado meu primeiro patrimônio cultural: a enciclopédia Larousse, afinal, na minha infância não tinha buscador do Google. E dentre aqueles doze livros, grandes, grossos e pesados; O de artes, arquitetura, biologia, pré-história, história e geografia eram meus bons companheiros”, lembra Carlos. Decidiu assim transformar seu acervo pessoal sobre o sítio histórico em um novo projeto artístico, pelo fato dessas artes rupestres serem algumas das mais estudadas e celebradas que chegaram a nosso tempo, de acordo com ele.

A mostra “Simbologia da Gruta da Memória” fica em cartaz no Centro Cultural de Criação até o dia 30 de Novembro, com visitas agendadas por e-mail (carlosvasconcelosfoto@gmail.com) ou pelo WhatsApp (81) 9.9925-1314. O espaço fica na Rua dos Médicis, 30 AP-406, na Boa Vista, Recife e os interessados também podem conhecer mais do trabalho do multiartista, que atua há mais de três décadas em várias frente, pelo site   https://carlosvasconceloscriacoes.com.

“Como realizamos diversas atividades distintas no Centro, que também abriga workshops e oficinas, receberemos o público em visitas agendadas, para manter a dinâmica do espaço, que é voltado a eventos culturais disponibilizados aos amantes da arte”, completa Carlos Vasconcelos.