Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Salgueiro desta quinta-feira (29), durante a discussão sobre o Projeto de Lei n° 052/2018, vereadores da oposição colocaram em dúvida a real intenção do atual presidente da casa legislativa de realizar concurso público nesse momento, em fim de mandato. De forma velada, os oposicionistas acusam Auremar de querer efetivar os funcionários indicados por ele.

Erivaldo Pereira citou uma expressão polêmica do atual presidente durante uma reunião. “Eu até fiquei preocupado, presidente, com uma fala que o senhor disse aqui na tribuna, que até depois pedir para o senhor corrigir, porque na tribuna talvez não tenha notado. O senhor disse que o concurso era para efetivar as pessoas que trabalham na Câmara. Não estou dizendo que vai ser feito dessa forma, mas para as pessoas que escutam por duas rádios e pela TV Câmara é muito preocupante”, lembrou.

Auremar se explicou em seguida. “Eu vou concordar quando o senhor falou que era para efetivar o pessoal da casa, pode ter saído errado. Efetivar é para as pessoas que venham trabalhar na casa”, justificou. Em seguida, refutou a alegação de que não houve prazo para discussão do projeto, exposta por alguns vereadores. “Sobre essa questão de se dizer de que não houve prazo, teve prazo suficiente. Vocês pediram vista para que o pessoal esquecesse que vocês estavam contra o concurso”, rebateu.

O atual presidente ainda destacou que o concurso público não geraria despesas inesperadas para a nova Mesa Diretora e ressaltou que não seria obrigatório o novo chefe da casa legislativa chamar os concursados logo no primeiro mês de mandato. Depois de dizer que pode ter havido negociata de cargos para a eleição da nova diretoria, Auremar reforçou que o concurso deverá ser feito mais cedo ou mais tarde por necessidade da Casa Epitácio Alencar, que possui atualmente 50 funcionários e apenas sete concursados. Com informações do Blog de Alvinho Patriota.