http://robertajungmann.com.br/wp-content/uploads/2019/02/Bonecos_Belem_Tratado04.jpg

Um time de gigantes se reuniu na tarde desta quarta-feira (27), no Cais do Sertão, Recife Antigo, para recepcionar o primeiro boneco carnavalesco do Brasil, no seu centésimo aniversário. Zé Pereira chegou acompanhado da esposa Vitalina, de catamarã, no ancoradouro do museu. Os dois viajaram cerca de 500 quilômetros de Belém do São Francisco, no Sertão do Estado, até o Recife, para conhecer o Carnaval da capital pernambucana e a tradição dos bonecos da cidade irmã, Olinda. 

“Existe uma expressão muito forte do Carnaval em Pernambuco que é a figura do boneco gigante. O primeiro deles surgiu em um município pequeno. No ano do seu centenário, entendemos como importante exaltar a nossa cultura trazendo-o para cá. Assim, Zé Pereira vai brincar o Carnaval do Recife e ser homenageado por seus descendentes, os bonecos de Olinda. Estamos fazendo a ligação entre as tradições do Carnaval do nosso Sertão e a beleza da festa na Região Metropolitana”, destacou o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes.

Natural de Belém do São Francisco, a aposentada Ivana Caribé, 54 anos, estava no Recife e não perdeu a oportunidade de ver novamente os bonecos da sua terra. “Todos os anos acompanhamos a saída de Zé Pereira. Na nossa cidade, ele é presença confirmada com sua banda em todos os eventos do município. É uma emoção e um reconhecimento muito grande ter o nosso boneco, o primeiro do Brasil, aqui no Carnaval do Recife. Então, viemos prestigiar”, comemorou. A funcionária pública Andreia Campos, 39, levou a filha Luisa, 6, para ver os bonecos. “É nossa cultura que está sendo mostrada aqui. Ela gosta muito”.

Além dos 25 gigantes, o casal foi recebido por caiporas, caretas, papangus, caboclos de lança e passistas de frevo. Após o encontro, Zé Pereira e Vitelina se juntaram aos demais bonecos em um cortejo pelas ruas do Bairro do Recife, que terminou na Praça do Arsenal.