https://scontent.frec1-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/58694262_2183121748436997_1097111256453611520_n.jpg?_nc_cat=111&_nc_eui2=AeGOKBvv5waELjZkeT1QEe_2c6yFYl9qfoJWgJSJ4BjfHPmbEcLWi7Mv-5ii8FzZn6_foeu8Vr5W4qGj7Vd2Z4zP7NSdKPLi-WyIzWp1HpmsOw&_nc_ht=scontent.frec1-2.fna&oh=9ef750dc1003dac00e568609ffbbca3d&oe=5D3074D6

Na noite desta segunda-feira (29), o campus do IFPE em Afogados da Ingazeira, foi palco da primeira sessão do cineclube “Construindo a inclusão e o respeito à diversidade”.

O encontro, mediado pela professora Cláudia Lira e pela psicóloga Denise Duarte, trouxe a exibição do curta “Carreto”, que foi apresentado com a técnica da audiodescrição.

A experiência, que permite trazer a tradução das imagens em palavras por meio de uma descrição objetiva, é um recurso de acessibilidade que colabora com a inclusão das pessoas com deficiência física.

Na sessão, todos os participantes tiveram seus olhos vendados, para melhor sentir a experiência.

De acordo com a estudante Isabella Lumara, do curso de Eletroeletrônica, isso foi transformador: “Coloquei uma venda e tirei tantas outras”.