https://s2.glbimg.com/l47hK0lk9zb2-KE038IBiOdYOG0=/0x107:1700x1065/540x304/smart/http://s2.glbimg.com/6hdHgTPk7zCmuRIlWxwZGv76KcI=/0x0:1700x1065/1700x1065/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2019/05/07/mec.jpg

De forma reservada, auxiliares próximos do presidente Jair Bolsonaro avaliam que o discurso mais incisivo do ministro da Educação, Abraham Weintraub, acabou dando gás às manifestações desta quarta-feira (15) de professores e alunos contra o contingenciamento de verbas no setor.

O monitoramento inicial indicava uma mobilização pequena da categoria contra a reforma da Previdência. Mas, depois do movimento errático de Weintraub, que sinalizou com cortes em universidades onde houvesse “balbúrdia”, o ministro incendiou uma mobilização mais ampla em todo o país.

“É preciso tomar cuidado com as palavras. Faltou habilidade do ministro Weintraub. Com isso, ele deu um pretexto para as mobilizações e para a convocação pela Câmara”, ressaltou um auxiliar próximo do presidente, em referência também ao fato de que o ministro foi chamado para dar esclarecimentos em audiência no Congresso na tarde desta quarta. As informações são do Blog de Camarotti.