Após o vazamento de diálogos entre o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol, integrantes do alto escalão do Executivo começarão a usar celulares criptografados da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

a Abin afirmou que cada aparelho, conhecido como TCS (Terminal de Comunicação Segura), só pode se comunicar de forma segura com outro TCS. Caso sejam realizadas ligações para outros celulares, elas não serão criptografadas.

Os aparelhos permitem que a comunicação entre 2 terminais telefônicos seja segura por meio de criptografia com algoritmos de Estado.

Antes da medida o presidente e a alta cúpula do governo utilizavam aparelhos sem proteção de criptografia.

Segundo a agência, os celulares possuem todas as funcionalidades necessárias para a comunicação com outros terminais.

As regras de utilização dos terminais são determinadas por uma portaria do GSI (Gabinete de Segurança Institucional). De acordo com ela, os TCS devem ser usados exclusivamente em assuntos de interesse público.

Além disso, os usuários não podem instalar aplicativos sem autorização prévia da Abin e não podem ceder os aparelhos para outras pessoas.