Monthly Archives: junho 2019

A Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira, juntamente com a Prefeitura Municipal, em Sessão Solene alusiva as comemorações de emancipação política do município, irá conceder o titulo de cidadão afogadense a professora Maria José Acioly e a advogada Marcia Moura, como também moções de aplauso ao comunicador Nill Junior, diretor da Rádio Pajeú FM, que recentemente assumiu a presidência da Asserpe, o Tenente-Coronel Alex Bezerra, por ter assumido o comando do 23º BPM e a equipe do Afogados Futebol Clube pelo acesso a Série D e o acesso Copa do Brasil em 2020.

A Sessão Solene será no Cineteatro São José, às 9h desta sexta-feira (28).

Programa já levou mais de 7,5 mil estudantes para intercâmbios no exterior / Foto: Hélia Scheppa/SEI

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (27), o Governo de Pernambuco afirmou que a empresa 2G Turismo e Eventos, que desde 2012, embarca estudantes pernambucanos através do Programa Ganhe o Mundo, não poderá participar de mais nenhum processo licitatório da pasta. Na última edição do programa, a empresa de intercâmbio, situada no Recife, venceu três lotes de intercâmbio para o Canadá e outro para enviar estudantes para o Chile. Em ambos os casos, foram relatados problemas de repasse de recursos.

Secretário de Educação e Esportes do Estado, Frederico Amâncio enfatizou que os pagamentos são realizados à empresa vencedora do processo licitatório antes do embarque dos estudantes para qualquer País. “Não existe nenhuma dívida do Governo do Estado. Os pagamentos e a contratação são com agências aqui no Brasil e essas agências é que fazem contratos com instituições no exterior”, explicou.

A última edição foi realizada em nove países. Ao longo de seis anos, mais de 7,5 mil estudantes da rede pública foram beneficiados pelo programa do governo estadual. “Infelizmente, essa foi a primeira vez que verificamos um problema como esse. Soubemos dele através de correspondência que recebemos, pedido ajuda para pressionar a empresa a quitar o débito. Não temos contrato com as empresas no exterior”, reforça Amâncio. Segundo ele, um acordo chegou a ser feito no mês de abril, mas a empresa não teria honrado o compromisso com as instituições estrangeiras. A dívida seria de cerca de $2 milhões de dólares canadenses.

Em nota, a empresa afirma que “sempre se empenhou no cumprimento das obrigações, atendendo a todas as determinações, prazos e demandas estabelecidas nos processos de contratação”. Quanto ao problema nos últimos lotes, a 2G afirmou que “os preços praticados na execução das últimas remessas de estudantes ao exterior se revelaram insuficientes para fazer frente às inúmeras obrigações decorrentes dos contratos firmados com o Estado de Pernambuco. Essa situação se agravou pela persistência da crise econômico-financeira que assola o país e da alta do dólar, moeda pela qual estão atrelados a maior parte dos custos contratuais. Ainda assim, a 2G decidiu dar seguimento à execução do contrato, enviando todos os alunos para os destinos contratualmente previstos.”

CHILE

Alunos da rede pública do Estado enviados para o Chile pela mesma agência também denunciaram atrasos no recebimento de bolsas, cujo valor é de R$719. Assim como os custeios com estadia, alimentação e estudos, elas também são repassadas via empresa contratada. “Os estudantes recebem seis bolsas mensais no período em que estão do exterior, que funcionam como um extra, uma espécie de mesada para que eles possam realizar passeios, por exemplo. É um valor que não impacta a sobrevivência deles. No último mês, a agência também atrasou o repasse da última bolsa, mas isso já foi regularizado, após pressão do Estado”, informou o secretário. A maior parte dos mais de 600 estudantes beneficiados na última edição do programa já retornou ao Brasil. No Canadá, ainda estão 247 alunos, enquanto o Chile tem 75 estudantes do Ensino Médio, que devem retornar nos próximos meses.

Diante desse cenário, a gestão estadual optou por não realizar novos contratos com a 2G Turismo e Eventos. “Por entendermos que a agência não cumpriu integralmente com as suas obrigações e por o Ganhe o Mundo ser uma política exitosa, que já beneficiou milhares de estudantes, a gente não pode trabalhar com uma empresa que não honre seus compromissos no exterior. O governo do Estado tomou a decisão e estamos declarando o impedimento da empresa para novas contratações com a Secretaria de Educação”, finalizou Frederico Amâncio.

O governo de Jair Bolsonaro abriu o sistema digital para que ministérios liberem lotes extras de emendas a deputados que votarem a favor do projeto de reforma da Previdência.

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo desta quinta-feira (27), o combinado com diferentes deputados é que recebam valores a mais pelo apoio à reforma na comissão especial e no plenário da Câmara. Seriam R$ 10 milhões a mais em cada instância.

A abertura do sistema possibilita que congressistas e prefeitos tenham acesso remoto às rubricas específicas em que podem direcionar verbas do Orçamento. Com isso, deputados podem destinar recursos para obras e investimentos em seus Estados e têm mais confiança sobre o recebimento do acordado com o governo.

O valor oferecido vai além do que os congressistas já solicitam em emendas ao Orçamento por ano e pode ser maior que as emendas às quais os deputados têm direito. Em 2019, cada deputado pôde apresentar R$ 15,4 milhões em emendas a LOA (Lei Orçamentária Anual).

Pela nova negociação do governo, a promessa é pagar R$ 10 milhões imediatamente e restante após aprovação em plenário. A ideia tem resistência entre os congressistas por não saberem se será efetivamente cumprida. E vai contra ao defendido no governo de Bolsonaro.

Divulgação

A diretoria-geral da Câmara enviou ofício à deputada Sâmia Bomfim (Psol/SP) pedindo que ela retire da porta de seu gabinete uma placa em homenagem a Marielle Franco.

Segundo o comunicado enviado pelo diretor-geral, Sérgio de Almeida, é preciso ter autorização para que sejam afixados cartazes e afins nas áreas internas e externas da Câmara. Almeida também informou que “a fixação de placas que se projetam nos corredores podem colocar em risco a população circulantes nos edifícios da Casa”.

O ofício foi enviado após a placa ter sido retirada da porta e ter sido colocada no chão.

A deputada e outras parlamentares do Psol que também possuem placas semelhantes penduradas em seus gabinetes não irão atender ao pedido e vão procurar Rodrigo Maia para falar sobre a situação.

http://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/old/13212/66283.jpg

Em Pernambuco, foi identificada este mês a circulação do sorotipo 2 da dengue (DEN-2), um subtipo que não foi encontrado ano passado no Estado e que tem colocado em alerta autoridades de saúde por circular de maneira mais consistente em diversos municípios brasileiros. Em território pernambucano, o tipo 2 da dengue foi detectado em amostra de paciente da cidade de Custódia, no Sertão do Moxotó. 

“Essa constatação requer vigilância mais reforçada porque, além do sorotipo 2, Pernambuco tem em circulação o subtipo 1 (DEN-1). Quando mais um se dispersa ao mesmo tempo, muda o cenário de gravidade (da doença), pois sabemos que o sistema imunológico é mais suscetível a complicações quando ocorre uma segunda infecção”, explica o epidemiologista George Dimech, diretor-geral de Controle de Doenças Transmissíveis da Secretaria Estadual de Saúde.

O depoimento dele faz lembrar que existem quatro sorotipos de dengue (ou seja, é possível ter a doença quatro vezes ao longo da vida) e que geralmente, de acordo com registros médicos, a segunda infecção é mais grave do que a primeira. 

O tipo 2 da dengue exige maior cuidado porque, segundo especialistas, há possibilidade de se repetir a situação que se enfrentou anos atrás (na década de 1990, o DEN-2 trouxe os casos de dengue com hemorragia). “Um detalhe importante é que atualmente são poucas as pessoas imunes ao sorotipo 2 em Pernambuco, pois já se passou bastante tempo do período em que ele circulou com intensidade no Estado. Certamente, há um número grande de pessoas com menos de 20 anos que nunca foram expostas a esse subtipo, revelando maior chance de adoecimento”, explica o médico Ernesto Marques Júnior, pesquisador da Fiocruz Pernambuco.

Ele acrescenta que o DEN-2 tem algumas cepas mais virulentas do que outras e que, por isso, há risco maior de desenvolvimento da forma grave de dengue a partir da infecção com esse sorotipo do que com o tipo 4 da dengue. “Mas é difícil de quantificar essa diferença.”

Além de detectar o DEN-2 em circulação, após um ano sem identificar a presença desse subtipo, Pernambuco verificou o DEN-1 em 22 municípios e em Fernando de Noronha. Isso não significa que, em outras cidades, sorotipos não circulam; apenas podem não ter sido identificados. Também não se pode excluir a possibilidade de outros sorotipos de dengue (3 e 4) não estarem circulando no Estado.

Este ano, até o último dia 15, Pernambuco notificou quase 30 mil casos suspeitos de dengue – um aumento de 110,5% em relação ao mesmo período de 2018. Desse total, 5.481 casos foram confirmados, e outros 17.638 permanecem em investigação. “Além disso, 56 cidades apresentam alta incidência de dengue, o que representa uma intensa infestação de mosquitos e a presença dos vírus em circulação”, alerta George Dimech.

Operação da PF mira ilegalidade em distribuição de remédios no Agreste

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (27), a segunda fase da Operação Insanidade, que tem o objetivo de apurar ilegalidades na aquisição e distribuição de medicamentos, principalmente os de uso controlado, pela Secretaria Municipal de Saúde de Agrestina, município do Agreste de Pernambuco, do ano passado para cá.

De acordo com a PF, a segunda etapa da operação tem as empresas fornecedoras de medicamentos sediadas no município de Garanhuns como foco. Elas teriam sido vencedoras de pregão eletrônico. A operação vai cumprir quatro mandados judiciais de busca e apreensão, a fim de arrecadar documentos e informações, nas sedes das empresa, que comprovem a legalidade ou ilegalidade no processo de fornecimento de medicamentos controlados, entre outros, e a regularidade no trânsito desse tipo de produto entre os fornecedores e a Prefeitura de Agrestina.

Relembre a primeira fase da operação

A primeira parte da Operação Insanidade aconteceu no fim de abril, quando a secretária de Saúde de Agrestina  e uma farmacêutica foram presas por tráfico de drogas. De acordo com a PF, Célia Barbosa, de 59 anos, e Mônica Soares, de 50 anos, estariam realizando entrega de medicamentos controlados sem receita na cidade. O tráfico de drogas configura-se por guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal e descumprimento de norma de medicamento de controle especial. 

Carga foi apreendida durante fiscalização da PRF

Uma carga de 1,6 toneladas de carnes, linguiças e queijos sem refrigeração foi apreendida nesta quinta-feira (27), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-232, em Sertânia, no Sertão pernambucano. Segundo a PRF, a mercadoria era transportada em um caminhão que estava com o sistema de refrigeração quebrado.

A mercadoria havia saído de Serra Talhada, também no Sertão, e seria entregue nas cidades de Buíque, Tupanatinga e Águas Belas – todas no Agreste. A carga irregular foi encontrada durante abordagem de rotina no quilômetro 279 da rodovia. Policiais vistoriaram um caminhão e localizaram dezenas de caixas de carnes e queijos sendo transportadas irregularmente.

O licenciamento do veículo também estava atrasado. Por isso, uma multa de R$ 293,47 foi emitida e o motorista receberá sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). De acordo com a PRF, nesse tipo de ocorrência não cabe prisão e a mercadoria será descartada em um aterro sanitário da região pela Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), para onde a ocorrência foi encaminhada.

José Patriota (PSB), presidente da Amupe

Blog da Folha

O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), avaliou positivamente a atualização na Nova Lei de Licitações (PL 1.292/1995) que foi aprovada na última terça-feira, na Câmara Federal, e tem como principais desafios combater obras paralisadas, além de modernizar a gestão pública e trazer mais transparência para as contratações com a iniciativa privada. “Independente de atualizar o valor, a lei vai modernizar e adequar essa nova realidade na aquisição de serviços e produtos para o serviço público, de forma que possa ter mais uniformidade nos preços, um custo que seja mais justo e a competição sejam estabelecidos efetivamente. O mercado se movimenta. O poder público nunca acompanha o ritmo do mercado”, afirmou.

O texto final foi editado pelo deputado Augusto Coutinho (SD) que presidiu a comissão responsável pela análise da matéria e construção do parecer, no ano passado. O projeto vai aumentar o limite para contratações com dispensa de licitação de R$ 33 mil para R$ 100 mil em obras de engenharia. Já na modalidade de serviços, o valor subirá de R$ 17,5 mil para R$ 50 mil. “A Nova Lei de Licitações é algo muito importante para o Brasil. Ela chega para minimizar custos das obras e garantir que projetos saiam do papel e sejam efetivamente entregues à população”, explicou Augusto Coutinho. Ele destacou, ainda, o fortalecimento no combate à corrupção. “Essa lei também vai aumentar o rigor no combate à corrupção, seja através de penas mais duras para quem comete delitos em processos licitatórios, seja aprimorando as ferramentas de transparência e controle social”, acrescentou.

Entre os avanços propostos pela Nova Lei de Licitações está a criação de um Portal Nacional de Contrações que vai tornar todo o processo eletrônico, ao mesmo tempo em que irá funcionar enquanto um portal de transparência. Nele serão divulgado em tempo real e de forma centralizada informações como editais em sua íntegra, lances propostos por concorrentes, projetos apresentados, pagamento de contratos e andamento das ações contratadas.

Nesta quarta-feira (26), durante a Operação de Combate ao CVLI e CVP, a Central de Operações, após denuncia anônima, de que uma jovem trajando top preto e calça jeans, havia embarcado na rodoviária de Arcoverde no ônibus da Empresa Progresso que fazia a linha Petrolina/Recife, conduzindo uma bolsa de viagem, na cor preta, com drogas, provavelmente maconha, a Polícia Militar encaminhou o graduado de operações e GT 3112 para averiguar a veracidade da denuncia.

Os policiais se deslocaram para o local em tela, porém o ônibus já havia se deslocado para o ponto de apoio da referida empresa.

O ônibus foi localizado e durante a abordagem no compartimento de carga inferior, a droga foi localizada, sendo 25 tabletes de maconha pronta para o consumo, totalizando 21,450 (vinte e um quilo e quatrocentos e cinquenta) gramas, em seguida fora encontrada no interior do ônibus a jovem com as características supracitadas.

Com ela foi encontrado o bilhete de passagem, no qual constava o nome da passageira, assim como o ticket de referencia da bagagem.

Com A.M.S.L., 16 anos, solteira, residente na cidade de Vitória de Santo Antão, ainda foi encontrada a quantia de 93,50 (noventa e três reais e cinquenta centavos) em espécie e um celular Gran Prime da marca Samsung.

Diante do exposto, o policiamento encaminhou a infratora e todo ao material apreendido a Delegacia de Polícia de Arcoverde, onde a menor foi autuada em flagrante delito e será apresentada na Audiência de Custódia.

http://jardimdoagreste.com.br/wp-content/uploads/2018/03/Fenearte.jpg

Quando as férias de julho se aproximam, começa um burburinho em Pernambuco: “quando vai ser a Fenearte?”. Nesta edição comemorativa de 20 anos, a Feira Nacional de Negócios do Artesanato será realizada de 3 a 14 de julho, no pavilhão do Centro de Convenções, em Olinda. Faltando sete dias para a abertura dos portões, o momento é de contagem regressiva para organizadores, artesãos, empresas contratadas e participantes em geral. Com investimento de R$ 5,5 milhões, a expectativa é gerar mais de R$ 43 milhões em negócios este ano, superando o resultado de 2018. O tema do evento é Ciranda de todas as artes, em homenagem aos cirandeiros Dona Duda, Lia de Itamaracá e Mestre Baracho. Quem passa pelo Cabanga, no Recife, já se depara com uma intervenção urbana alusiva à Fenearte: uma escultura em formato de mãos dadas faz referência à ciranda.

O artesanato é um dos setores da economia criativa de Pernambuco e a Fenearte é o principal momento de exposição e comercialização para esses artistas que devotam a vida à arte popular. Serão 5 mil expositores distribuídos em 800 estandes, com a expectativa de receber 300 mil visitantes nos 12 dias do evento. “A feira conta com presença de expositores de 27 Estados e 21 países, mas a produção pernambucana se destaca, com a presença de 64 artesãos na Alameda dos Mestres, além de 300 expositores individuais do Estado. Isso significa que o Estado tem participação de 70% na feira”, destaca Márcia Souto, que coordena a Fenearte e é diretora de Promoção do Artesanato e Economia Criativa da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), responsável pela realização do evento. 

Ontem durante coletiva de imprensa no Centro de Artesanato de Pernambuco para lançar a Fenearte, o presidente da AD Diper, Roberto Abreu, adiantou que este ano foi contratada uma empresa de pesquisa para levantar a movimentação de negócios por dia, por artesão, por tipologia e outros indicadores. “O estudo vai nos permitir ter essas informações detalhadas para avaliar e aprimorar as oportunidades de negócios”, avalia. 

SEBRAE

Parceiro histórico da Fenearte, o Sebrae está com várias novidades este ano. Uma delas é ampliação da Jornada Criativa, que este ano ofereceu mentoria para 27 participantes nas áreas de artesanato e de moda, com participação de Rosana Cohen e do estilista mineiro Ronaldo Fraga. Outra iniciativa inédita foi a criação da loja colaborativa do Sebrae, que recebeu o nome de Ciranda de Negócios Criativos, com a exposição e comercialização de produtos de 60 artesãos e empreendedores de moda autoral. 

“Este ano o Sebrae também espera superar o resultado das Rodadas de Negócios, que em 2018 movimentaram R$ 4,1 milhões. Mesmo com a crise, acreditamos que esse valor será superado em algo entre 10% e 15%. Já temos 40 compradores e lojistas de vários Estados do Brasil (São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Amazonas, Santa Catarina e Distrito Federal) entre os inscritos para participar”, contabiliza o gerente da Unidade RMR e Zona da Mata do Sebrae Pernambuco”, Alexandre Alves. Na edição passada aconteceram 503 encontros entre 54 lojistas e 233 artesãos. Os produtos mais procurados são artesanatos em cerâmica, madeira e xilogravuras. 

“A Fenearte é a culminância de uma política pública bem-sucedida que dá atenção às cadeias produtivas e aos arranjos produtivos locais (APLs). Em Pernambuco trabalhamos com mais de mil artesãos para que desenvolvam sua arte e vendam seus produtos”, defende o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach. 

A interação com estudantes pernambucanos também se repete este ano. Pela terceira vez consecutiva, alunos da rede estadual de ensino participam do Desafio APP Fenearte, com a missão de desenvolver o aplicativo da feira. Entre 11 projetos inscritos, o vencedor foi o da Escola Técnica Estadual Ariano Villar Suassuna, em Garanhuns. Compatível com os sistemas Android e iOS, o app traz 16 ícones em que é possível obter informações sobre a feira, mestres, expositores, ingressos e como chegar aos estandes. 

“A Fenearte não é apenas a maior feira de artesanato da América Latina, mas também é uma programação cultural, uma festa da cultura pernambucana”, defende Márcia Souto, destacando a extensa programação cultural para o público adulto e infantil. Os shows vão acontecer durante todos os dias da feira, com muita ciranda, coco, maracatu, cavalo marinho, caboclinho, blocos de frevo, afoxé e outros ritmos da cultura pernambucana. A homenageada Lia de Itamaracá vai fazer show no dia 13/7, às 20h. “Essa homenagem é maravilhosa, porque estão fazendo isso comigo viva. Isso é muito importante porque eu posso ver e participar. É uma alegria muito grande”, diz Lia. 

https://fotospublicas.com/wp-content/uploads/2015/09/DM_Transnordestina_Piaui_11092015_002.jpg

O presidente de Suape, Leonardo Cerquinho, comemorou a retomada das obras da Ferrovia Transnordestina, anunciada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, na última terça-feira (25), durante uma audiência pública na Comissão de Infraestrutura do Senado. As obras da Transnordestina foram iniciadas em 2006 e paralisadas 10 anos depois. Foram executados 600 quilômetros, do total de 1.753 quilômetros de trilhos ligando a cidade de Eliseu Martins, no Piauí, em direção aos portos do Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco. Já foram consumidos cerca de R$ 6,3 bilhões na construção da ferrovia.

“A ideia é que, neste segundo semestre, a gente caminhe com as aprovações dos projetos ainda pendentes, o que liberaria no TCU (Tribunal de Contas da União) a utilização dos recursos disponíveis nos fundos para esta obra”, disse o ministro da Infraestrutura em entrevista à Rádio Senado. A retomada da Transnordestina contará com um aporte inicial de R$ 257 milhões da concessionária Transnordestina Logística SA (TLSA), pertencente à CSN (Companhia Siderúrgica Nacional). A reportagem entrou em contato com a TLSA, mas a empresa respondeu, através de sua assessoria de imprensa, que não irá se pronunciar por enquanto.

“É o momento de retomarmos com mais força as negociações para viabilizar o Terminal de Minérios de Suape”, diz o presidente de Suape, Leonardo Cerquinho. A viabilização do trecho pernambucano depende do transporte de minério de ferro, que poderá ser feito via porto de Suape ou por Pecém (Ceará). Por ser privado, o porto cearense tem a vantagem de favorecer o operador da ferrovia, para que também opere o terminal de minério, proporcionando maior rentabilidade ao negócio. 

Cerquinho afirmou, no entanto, que Suape é mais competitivo como porto de destino do minério. “Estamos cerca de 80 km mais próximos da mina. O que sabemos é que a obra será retomada nas três frentes: Piauí, Pecém e Suape. Da nossa parte, todos os projetos foram refeitos e já foram encaminhados para apreciação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)”, afirma. Além disso, a administração de Suape já solicitou ao governo federal o desmembramento da área conhecida como Ilha de Cocaia para transformá-la em uma área privada. É lá que deve ser construído o Terminal de Minérios. “É importante a parceria privada para viabilizar essa obra. Também temos negociações neste sentido”, concluiu.

O presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Ricardo Essinger, vê com ressalvas a retomada da Transnordestina. “Na hora que tiver pronto o trecho de Pecém, acho que dificilmente irão fazer o trecho de Suape”, afirma. Essinger diz ainda que desde o início, o projeto não tinha muita lógica. “Na época havia um interesse político, por isso, o projeto ficou assim, uma perna para Suape e outra para Pecém.” No último cronograma da obra, o trecho cearense da ferrovia estava previsto para ser concluído em 2021, enquanto o ramal pernambucano ficaria pronto só em 2027.

257 milhões de reais é quanto será aportado inicialmente para retomar construção da ferrovia. Até hoje foram gastos R$ 6,3 bi

Por Naldinho Rodrigues*

Você já ouviu falar em Jair Alves de Souza? – Não? Pois esse era o nome de batismo de uma das vozes mais belas da música brasileira. E do multiartista Jerry Adriani? Com certeza os amantes das boas músicas, dos palcos e das TVs já ouviram falar, e muito.

Nascido em 29 de janeiro de 1947 no bairro do Brás, em São Paulo, começou a sua vida profissional em 1964, com a gravação do seu primeiro LP, Italianíssimo, e no mesmo ano gravou seu segundo LP, Credi a Me. Seu nome artístico foi inspirado em dois artistas estrangeiros: o ator americano Jerry Lewis e o cantor italiano Adriano Celentano.

Em 1965 lançou Um Grande Amor, seu primeiro disco gravado em português. Tornou-se apresentador do programa Excelsior a Go Go, na antiga TV Excelsior de São Paulo, ao lado do comunicador Luís Aguiar; apresentava músicas dos Vips, Os Incríveis, Trini Lopez, Cidinha Campos, entre outros.

Entre 1967 e 1968, já na TV Tupi de São Paulo, passou a apresentar A Grande Parada, ao lado de artistas, como Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marília Pera. Era um musical ao vivo que apresentava grandes nomes da música popular brasileira.

No cinema participou de três filmes como ator/cantor: Essa Gatinha é Minha (com Peri Ribeiro e Anik Malvil), Jerry, A Grande Parada, Jerry em busca do tesouro (com Neyde Aparecida e os Pequenos Cantores da Guanabara).

Em 1969 recebeu o Título de Cidadão Carioca.

Foi responsável pela ida de Raul Seixas para o Rio de Janeiro. Eles eram amigos desde a época em que Raul tinha uma banda em Salvador, chamada Raulzito e os Panteras, que posteriormente foi à banda de apoio de Jerry durante três anos. Entre as músicas que a banda tocava, ambas compostas por Raulzito, estão “Tudo Que É Bom Dura Pouco”, “Tarde Demais” e “Doce, Doce Amor”.

Entre os anos de 1969 a 1971, Raul Seixas foi seu produtor, até iniciar a carreira solo. Na década de 1970, fez shows na Venezuela, Peru, Estados Unidos, México, Canadá e outros países.

Em 1975, participou de um musical no Hotel Nacional, denominado Brazilian Follies, dirigido por Caribe Rocha, ficando um ano e meio em cartaz. Nesse período, incursionou pela soul music, gravando canções de Hyldon, Paulo César Barros e Robson Jorge.

No começo da década de 1990, gravou um disco que trazia de volta as origens do rock and roll, intitulado Elvis Vive, um tributo a Elvis Presley, sendo este o 24º disco da sua carreira.

Em 1994, a convite de Cecil Thiré, participou da novela Uma Onda no Ar, produzida pela TV PLUS e exibida pela Rede Manchete, exibida também em Portugal, com grande sucesso. Em 1999 lançou o álbum Forza Sempre, gravado apenas com músicas da banda Legião Urbana, em italiano. O álbum foi um de seus maiores sucessos na carreira pós Jovem Guarda, atingindo a marca de 200 mil cópias vendidas. A canção “Santa Luccia Luntana” foi incluída na trilha sonora da novela Terra Nostra.

Morte

Jerry Adriani morreu aos setenta anos, em 23 de abril de 2017, vítima de um câncer de pâncreas. A doença evoluiu rapidamente, depois de duas semanas de internação no Hospital Vitória da Barra da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro. Desde 2 de março, o cantor já vinha fazendo tratamento de uma trombose venosa na perna, mas continuou a fazer shows até o final do mês. Seu corpo foi sepultado no Cemitério de São Francisco Xavier, no Caju. Jerry tinha três filhos: Thiago, Tadeu e Joseph.

E para recordar desse artista que para muitos ainda não morreu, vamos ouvir a musica que traduz a sua marca, a sua voz: DOCE, DOCE AMOR.

*Naldinho Rodrigues é locutor de rádio. Apresenta o programa Tocando o Passado na Rádio Afogados FM, sempre aos domingos, das 5 às 7hs.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio Foto: Jorge William / Agência O Globo

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira, um assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em desdobramento da apuração sobre supostas candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais. Mateus Von Rondon foi detido em Brasília. Um dos coordenadores da campanha de Álvaro Antônio em 2018, Roberto Silva Soares, conhecido como Robertinho, foi preso na mesma ação, em Ipatinga.

As informações são do G1. Batizada de Sufrágio Ostentação, a operação cumpre mandados de busca e apreensão e de prisão temporária. Há agentes nas ruas de Aimorés e Ipatinga, na Região do Vale do Rio Doce, e em Brasília. Em 29 de abril, em primeira fase da ação, a PF fez buscas em sete endereços de cinco cidades de Minas Gerais, incluindo a sede do PSL em Belo Horizonte.

Segundo o G1, os suspeitos são investigados pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, emprego ilícito do fundo eleitoral e associação criminosa.

Von Rondon foi levado à Superintendência da PF em Brasília, por volta de 7h40 desta quinta-feira. A empresa dele consta na prestação de contas de quatro candidatas à Assembleia estadual e à Câmara dos Deputados que teriam sido usadas pelo PSL de Minas como laranjas.

Ainda de acordo com o G1, Lilian Bernardino, Naftali Tamar, Débora Gomes e Camila Fernandes disseram ter pagado R$ 32 mil à companhia do hoje assessor do ministro. A PF acredita que a empresa tenha sido criada apenas para este fim, já que foi fechada após o fim das eleições. As quatro candidatas tiveram poucos votos no pleito, apesar do recebimento dos recursos do partido, o que levantou suspeitas sobre a regularidade dos repasses e motivou a abertura de investigação em fevereiro.

Robertinho, que era figura central do suposto esquema de candidaturas laranjas, deixou em abril a executiva do PSL de Minas Gerais. Ele ocupava o lugar de primeiro secretário do diretório em Minas. A saída ocorreu depois de seu antigo chefe, o ministro Álvaro Antônio, se tornar alvo de suspeitas de participação no desvio de recursos públicos do fundo partidário nas eleições do ano passado. Robertinho é irmão do dono de uma das gráficas utilizadas no suposto esquema. Segundo a PF, empresa não funcionava há dois anos e emitiu notas fiscais para candidaturas do PSL no estado.

Robertinho foi acusado pela então candidata do PSL de Minas Gerais, Adriana Moreira Borges, de condicionar um repasse de R$ 100 mil do fundo partidário do PSL para sua campanha à devolução de R$ 90 mil ao partido. Em entrevista ao GLOBO, Moreira negou ter aceitado a proposta por considerá-la imoral.

Em abril, a deputada federal Alê Silva (PSL-MG), acusou Marcelo Álvaro Antonio de  ameaçá-la de morte em duas ocasiões, com transmissão do recado sobre a ameaça por parte de políticos do PSL. A deputada reuniu informações sobre o caso e entregou a uma associação regional para que fossem repassadas ao Ministério Público. O ministro nega a acusação.

O cortejo seguirá pelas ruas do Recife a partir das 19h / Foto: Wesley D'Almeida/ Divulgação

A tradicional Caminhada do Forró irá homenagear a figura do sanfoneiro nesta quinta-feira (27). Em sua 15ª edição, a caminhada precisou ser adiada devido às chuvas que atingiram o Grande Recife no último dia 13 de junho.

A concentração será às 17h, na Rua da Moeda, no Bairro do Recife, e o cortejo seguirá pelas ruas do Centro do Recife a partir das 19h. Os forrozeiros seguirão pelas ruas Mariz de Barros, Rio Branco, Bom Jesus até chegar à Praça do Arsenal, onde acontecerão várias apresentações. Sobem ao palco Petrúcio Amorim, Josildo Sá, André Macambira, Rogério Rangel, Nádia Maia, Andreza Formiga, Irah Caldeira, Pecinho Amorim e Edi Carlos. Além de um sexteto sanfônico formado por Cezzinha, Terezinha do Acordeon, Luizinho de Serra, Neném Oliveira, Zé Bicudo e Derico Alves.

Festa do Fogo

Também nesta quinta-feira, acontece a Festa do Fogo em homenagem ao Orixá Xangô. A festa será realizada no Pátio de São Pedro a partir das 18h. Como parte da cerimônia, os devotos dançam ao redor de uma grande fogueira, exaltando seu o rei com cânticos.
Participarão da cerimônia os afoxés Alafin Oyó e Omó Obá Dê.

http://www.alepe.pe.gov.br/wp-content/uploads/2019/05/05.08-REUNIAO-PLENARIA-PRISCILA-KRAUSE-RS-2-300x200.jpg

A situação do programa Ganhe o Mundo, do Governo do Estado, preocupa a deputada Priscila Krause (DEM). Nesta quarta-feira (26), ela revelou ter tido acesso a carta da Associação Canadense de Escolas Públicas – Internacional (CAPS I) direcionada ao governador Paulo Câmara informando débito de 2 milhões de dólares canadenses da empresa responsável pela relação com o país norte-americano, a 2G Turismo.

“Nas redes, alunos que estão fazendo intercâmbio no Canadá e no Chile dizem que não têm recebido a bolsa de R$ 719, essencial para a manutenção deles no exterior”, contou. “Também houve queixas de estudantes na Nova Zelândia.” A parlamentar elogiou a iniciativa estadual, criada em 2012, mas questionou a execução orçamentária da ação neste ano.

“Até junho de 2019, foram liquidados R$ 3,9 milhões, valor muito diferente dos anos anteriores: foram R$ 30,9 milhões em 2015, R$ 33 milhões em 2016, R$ 26 milhões em 2017 e R$ 22 milhões em  2018. Mesmo levando em conta estarmos no meio do ano, é menos de um quarto dos valores que foram executados em anos anteriores”, observou. “Eu gostaria que o Governo do Estado se pronunciasse de maneira oficial sobre a questão e se os atrasos serão sanados”, cobrou a parlamentar.