Por Naldinho Rodrigues*

O nosso homenageado de hoje é José Maurício da Costa, ou simplesmente Maurício Reis, que nasceu em 1942, no município de Santa Rita, na Paraíba  e faleceu no dia 22 de julho de 2000, no município de Bonito, no Agreste pernambucano.

Mauricio Reis foi um cantor representante do estilo conhecido como brega. Seu LP ‘Fim de Noivado’ lançado em 1973, curiosamente, contém a música “Verônica”, o seu maior e mais conhecido sucesso, foi produzido por Luiz Paulo e Hyldon de Souza, autor da música ‘Na Rua, na Chuva, na Fazenda’, sucesso dos anos 70 e regravado nos anos 2000 pela Banda Kid Abelha,  e ‘As Dores do Mundo’. Em 29 anos de carreira, Mauricio Reis gravou 27 álbuns, entre LPs e CDs.

Mauricio Reis morreu de um acidente automobilístico, causado pelas fortes chuvas que caíram na região, inundando a pista da PE-109 e provocando a derrapagem que jogou seu carro na Barragem do Prata.  

Uma curiosidade é que a canção “Lenço Manchado de Sangue” que consta no LP ‘Fim de Noivado’, conta a tragédia de um acidente de carro. O cantor viajava no banco de passageiros e sofreu um grande impacto quando o Fiat Tempra afundou na rodovia e muito nervoso, teve dificuldade para sair do veículo. Ainda respirando foi carregado pelos demais ocupantes do automóvel. Eles conseguiram ajuda de  moradores da região, que jogaram uma corda para facilitar o resgate. Minutos depois, uma ambulância chegou para transportar o músico para um hospital de Bonito. Por conta dos buracos, o carro de socorro teve o pneu furado. Mauricio Reis mudou de condução, sendo levado na caçamba de uma Toyota. Houve demora em socorrer o cantor que não resistiu e faleceu de edema pulmonar agudo.

A família do cantor processou o Departamento de Estradas e Rodagens (DER-PE), pela falta de sinalização na estrada, o que teria sido a causa do desastre.

Mauricio Reis, um cantor de família humilde e durante a sua trajetória, o que não lhe faltou foi justamente humildade. Realizava shows nos mais diversos locais de maior simplicidade e valorizava a classe mais humilde, também fazia questão de ser atencioso com o seu público.

Mauricio Reis deixou uma marca de simplicidade por onde esteve, chegando até a realizar apresentações de circos, comícios e lugares frequentados pela grande massa. Você que admirou o grande Mauricio Reis, o poeta do cravo branco, O poeta das rosas. Curta o seu maior sucesso que ainda hoje é tocado por esse Brasil bom de brega…V E R Ô N I C A!

*Naldinho Rodrigues é locutor de rádio. Apresenta o Programa Tocando o Passado pela Rádio Afogados FM, sempre aos domingos das 5 às 7 horas da manhã.