https://blogpontodevista.com/wp-content/uploads/2017/05/sileno.jpg

O primeiro edital de compras compartilhadas de medicamentos do Consórcio Nordeste será lançado nesta quarta-feira (11). As secretarias estaduais de Saúde dos nove Estados que integram a associação fizeram um levantamento indicando as principais necessidades de medicamentos de cada região. O edital, que será via Registro de Preços, será publicado pela Secretaria de Saúde da Bahia, sendo a primeira ação do Plano de Trabalho do Consórcio. Na próxima segunda-feira (16), os governadores estarão reunidos em Natal, no Rio Grande do Norte, para mais uma agenda deliberativa. O encontro será realizado às 14h, no Hotel Senac Barreira Roxa. 

A pauta deste, que é o terceiro encontro dos gestores estaduais após a formalização do Consórcio Nordeste, ainda está sendo definida. No entanto, é provável que temas como a Transnordestina, cujas obras estão paralisadas desde 2016, esteja em discussão. O Tribunal-Regional Federal da 1º Região (TRF-1) autorizou a retomada das obras – que contará com R$ 200 milhões. O ramal ferroviário liga a cidade de Eliseu Martins, no Piauí, aos portos de Pecém, no Ceará, e de Suape. “Destravar a retomada da Transnordestina é um passo importante não só para o Piauí, Ceará e Pernambuco, mas também para o Nordeste e para o Brasil. São R$ 11,2 bilhões de investimentos. Vitória importante”, comentou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). 

Outro tema que deverá entrar na pauta é a privatização da Eletrobras, cujo projeto de lei deverá ser encaminhado pelo governo federal ao Congresso Nacional até o fim deste mês. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a intenção é de que a matéria seja aprovada ainda em 2019. 

Ontem, durante o 1º Encontro dos Secretários Estaduais de Assistência Social da Região Nordeste, os nove gestores das pastas informaram que vão pedir aos governadores que inclua na pauta do consórcio debates sobre a temática. 

“Pernambuco, com os demais Estados do Nordeste, tem sentido uma indignação em relação ao caminho que a política da Assistência Social tem tomado no Brasil. Nossa responsabilidade não é pequena, pois trabalhamos com a massa mais desassistida do País e é para essa parcela da população que as políticas públicas atuais estão sendo mais perversas. A nossa troca de ideias e de experiências pode fazer uma diferença fundamental”, disse o secretário de Pernambuco, Sileno Guedes (PSB).