Por Naldinho Rodrigues*

O nosso Toque de Saudade de hoje, vai para Elis Regina Carvalho Costa. Que nasceu em 17 de março de 1945, na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Vindo a falecer no dia 19 de janeiro de 1982, em São Paulo.

Elis Regina casou duas vezes. A primeira com Ronaldo Bôscoli, numa união que foi de 1967 a 1972, e pela segunda vez com Cesar Camargo Mariano, este indo de 1973 a 1981, deixando três filhos, Maria Rita, João Marcelo Bôscoli e Pedro Mariano.

Elis foi uma cantora brasileira que por sua performance versátil, foi considerada a maior cantora do Brasil. Foi também reconhecida pela sua forma de expressão altamente emotiva , tanto na interpretação musical quanto em seus gestos.

Começou a cantar com 11 anos de idade, no programa  “No Clube do Guri”, na Rádio Farroupilha. Em 1960 foi contratada pela rádio gaúcha e em 1961, com 16 anos de idade lançou seus primeiro disco “Viva a Brotolândia”.  Em 1964, já se apresentava no eixo Rio-São Paulo. Assinou contrato com a Tv Rio, para se apresentar no programa “Noite de Galã”, sob a direção de Luiz Carlos Miéle e Ronaldo Bôscoli.

Elis Regina se apresentou no programa “Beco das Garrafas”, reduto da bossa nova, e nesse mesmo ano mudou-se para São Paulo. Em 1965, fez a sua estreia no festival da Record com a música “Arrastão”, de Edu Lobo e Vinicius de Morais. Recebeu o prêmio Berimbau de Ouro e o Troféu Roquete Pinto e foi eleita a melhor cantora o ano.

Entre 1965 e 1967, ao lado de Jair Rodrigues, apresentou o programa “O Fino da Bossa”, na Tv Record em São Paulo. Programa gerou três discos. O primeiro “Dois na Bossa” vendeu um milhão de cópias. Em 1968, se apresentou duas vezes no Olympia de Paris.

Elis Regina tinha um gênio forte, recebeu o apelido de Pimentinha. Era uma artista  eclética, interpretava canções de vários estilos, como MPB, Jazz, Rock, Bossa Nova e Samba, tendo ai levado à fama. Cantou ao lado de cantores importantes como Milton Nascimento, João Bosco e Ivan Lins, fez dueto com Tom Jobim, Jair Rodrigues, entre outros.

Entre os seus álbuns estão “Em Pleno Verão” (1970), “Elis e Tom” (1974) e “Saudade do Brasil” (1980). Entre suas músicas mais interpretadas estão, “O Bêbado e a Equilibrista; Como Nossos Pais; Madalena e Casa no Campo”. Curiosamente a sua voz foi colocada no patamar de instrumento musical na Ordem dos Músicos do Brasil, tamanha era a sua capacidade vocal.

Elias Regina faleceu com apenas 36 anos. Sua morte foi decorrente do consumo de cocaína e o uso exagerado da bebida alcoólica. Elis Regina deixou uma vasta  obra na Música Popular Brasileira.

EM 2013, foi eleita a melhor voz feminina da música brasileira pela revista “Rolling Stone”. Elis foi citada também na lista dos maiores artistas da música brasileira, ficando na décima quarta posição, sendo a mulher mais bem colocada.

Vamos relembrar a famosa “Pimentinha” com um dos grandes sucessos de ELIS REGINA…

O Bêbado e a Equilibrista (uma coisa que ela gostava tanto de fazer). 

*Naldinho Rodrigues é locutor de rádio. Apresenta o programa Tocando o Passado pela Rádio Afogados FM, sempre aos domingos, das 5 às 7 da manhã.