Candidato a presidente do Partido Nacional do Uruguai, Luis Lacalle Pou Foto: Matilde Campodonico / AP

O candidato da direita à presidência no Uruguai, Luis  Lacalle Pou, questionou o apoio expressado por Jair Bolsonaro ao dizer que ele é seu preferido no 2° turno, que acontece em novembro. Para  Lacalle Pou, governos de outros países não devem interferir na eleição. A eleição será definida entre Daniel Martínez, da governista Frente Ampla, de esquerda, e Lacalle Pou, do Partido Nacional.

Em entrevista na noite de quarta-feira, o candidato disse que “não é bom comentar sobre eleições em outros países”.

—  Por sorte, no Uruguai não são os brasileiros que decidem.

Na semana anterior, Lacalle Pou já havia se declarado “preocupado” com as declarações  de Bolsonaro  sobre uma possível saída do Brasil do  Mercosul , em caso de vitória do kirchnerista  Alberto Fernandéz  na eleição presidencial na vizinha Argentina. Ele baseou a campanha em um “choque de austeridade”.

O candidato, de 46 anos, que é advogado, mas durante toda a vida adulta atuou como parlamentar, praticamente nasceu na política, sendo bisneto de Luis Alberto de Herrera, principal referência do partido por décadas. Seu pai é Luis Alberto Lacalle Herrera, presidente de 1990 a 1995, que, em 2009, perdeu as presidenciais para José Mujica.

Na eleição seguinte, o próprio Lacalle Pou foi candidato e perdeu para o atual presidente, Tabaré Vázquez, que foi o primeiro chefe de Estado do ciclo frente-amplista e termina seu segundo mandato não consecutivo.

Desta vez, no entanto, analistas veem uma maior chance já  que todas as forças de direita e centro-direita tendem a apoiá-lo.