O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em publicação no Twitter nesta sexta-feira (13), que reconduzirá o jornalista Sérgio Camargo a presidência da Fundação Cultural Palmares caso a Justiça permita.

O governo suspendeu a nomeação do jornalista para presidir a fundação –órgão de promoção da cultura afro-brasileira– e tornou sem efeito a nomeação da arquiteta Luciana Rocha Feres para o comando do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

As mudanças foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União de quarta-feira (11) A portaria foi assinada pelo ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil).

A nomeação de Camargo foi suspensa após a Justiça ter vetado o nome do jornalista, que havia sido indicado em 27 de novembro. O juiz Emanuel Matias Guerra, da 18ª Vara Federal do Ceará, vetou, em 4 de dezembro, a indicação e apontou “excessos” em publicações de Camargo contra pautas antirracismo.

De acordo com o magistrado, o jornalista tem potencial de ofender justamente o público que deve ser protegido pela entidade que ele presidia. A AGU (Advocacia Geral da União) entrou com recurso contra a decisão no TRF-5 (Tribunal Regional Federal da 5ª Região).