O líder do governo federal no Senado Federal, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), fez críticas ao fato do governo de Pernambuco não estar em condições de contrair empréstimos com a União por ter classificação de risco “C” em relação à capacidade de pagamento (Capag), de acordo com o Tesouro Nacional. Ele também atribuiu à gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a maior parte dos investimentos feitos no Estado neste ano. Em Pernambuco, FBC é uma das lideranças do grupo de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB).

“Essa semana foi aprovado um empréstimo para o Ceará de R$ 1 bilhão e Pernambuco não tem condições de tomar empréstimo. Você vai comparar os investimentos de Pernambuco com o Ceará e com o da Bahia, desses últimos cinco anos, é ridículo, e o que salvou Pernambuco esse ano foram os investimentos do governo federal. O governo federal vai investir mais do que o governo do Estado”, afirmou o senador, em café da manhã com a imprensa pernambucana na manhã desta sexta-feira (13), em um hotel no bairro da Ilha do Leite.

O senador citou como exemplo dos investimentos federais o Ramal do Agreste, obra responsável por levar as águas da Transposição do Rio São Francisco para o Sertão e o Agreste do Estado. A obra vai ligar o município de Sertânia a Arcoverde, ambos Sertão do Moxotó. A ordem de serviço foi assinada em 2017. O governo prevê a entrega em fevereiro de 2021.

Orçada em R$ 1,2 bilhão, a maior parte dos recursos da obra foram repassados neste ano. Devido à demora para a conclusão, o governo de Pernambuco, em parceria com o governo federal, construiu a Adutora do Moxotó como alternativa para garantir o abastecimento de água para a Adutora do Agreste.

“É uma obra de R$ 1,2 bilhão e vocês não disseram que Bolsonaro só esse ano desembolsou R$ 500 milhões e a obra vai ser concluída em fevereiro de 2021, que vai atender a necessidade de água de 70 cidades do Agreste e essa obra é feita diretamente pelo governo federal. É a maior obra hídrica hoje tocada pelo governo federal”, disse Fernando.

PLANO MANSUETO

Para tomar empréstimos com o governo federal, o governo de Pernambuco enviou dois projetos de lei para a Assembleia Legislativa que foram aprovados no início de dezembro. As mudanças acatadas pelo Legislativo atendem a quatro critérios estabelecidos pelo Plano de Recuperação Fiscal, conhecido como Plano Mansueto, para que a União ajude os Estados e municípios sem capacidade de pagamento a reequilibrarem as suas contas.

Temporariamente, eles terão acesso a empréstimos com garantias da União – apenas concedidas para Estados com nota A e B –, desde que façam um ajuste fiscal até 2022. Neste ano, caso os Estados e municípios cumpram as metas estabelecidas, eles estarão em condições de receber os empréstimos.

ELEIÇÕES 2020

Um dos principais opositores do governador Paulo Câmara (PSB) no Estado, FBC projeta ao menos 100 candidaturas oposicionistas nas eleições municipais de 2020, somando-se os candidatos a prefeito do MDB e do DEM. Sobre uma possível candidatura do presidente do MDB em Pernambuco, o deputado federal Raul Henry, à Prefeitura do Recife, o senador disse que está tentando estimulá-lo a concorrer à sucessão de Geraldo Julio (PSB).

“Só no MDB, na aliança que fizemos com Jarbas, com Raul, nós já temos hoje 70 candidaturas a prefeitos em todas as regiões do Estado. Estamos procurando estimular, animar Raul para também se apresentar como candidato a prefeito do Recife. Fernando (Filho, deputado federal) junto com Mendonça no DEM já tem umas 15 candidaturas, então nós vamos disputar seguramente em pelo menos 100 prefeituras em todo o Estado”, afirmou Fernando Bezerra Coelho, durante café da manhã com jornalistas nesta sexta, no Recife. 

“Você vai comparar os investimentos de Pernambuco com o Ceará e com o da Bahia, desses últimos cinco anos, é ridículo, e o que salvou Pernambuco esse ano foram os investimentos do governo federal. O governo federal vai investir mais do que o governo do Estado”, disse o líder do governo federal no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE)