Por Ademar Rafael Ferreira (Papa)*

Ade maleu lapa-el – Com a evolução natural a abordagem da Administração mudou a ênfase da tarefa e da estrutura para focar nas pessoas, Elton Mayo é considerado o pai da “Escola das Relações Humanas”, fale-nos sobre ele e seus experimentos.

Papa – De fato Elton Mayo psicólogo australiano, professor da Harvard Business School é tratado nos livros sobre administração como pioneiro das experiências no campo das relações humanas.

Sua experiência mais famosa é a “Experiência de Hawthorne”, realizadas entre os anos de 1924 e 1932 na fabrica da Western Eletric Company, com sede próxima de Chicago, na cidade de Hawthorne. A pretensão de Mayo era tentar descobrir os fatores externo que exerciam influência sobre o trabalho dos operários.

As equipes foram divididas em dois grupos, um deles passou a receber uma iluminação mais intensa e outro ficou com a iluminação convencional. A expectativa era que o grupo que havia recebido maior carga de iluminação teria uma produtividade maior. Não foi o aconteceu, os dois grupos tiveram aumento na produção.

Posteriormente foram manipuladas outras variáveis como intervalo de descanso e fornecimento de lanches. Novamente o aumento da produção ocorreu nos dois grupos.

Para responder por que o trabalho fora mais eficiente durante as pesquisas o grupo de pesquisadores chefiados por Mayo chegaram à conclusão de que os operários haviam aumentado a produtividade somente por se sentirem observados pelos pesquisadores, não havia qualquer relação entre os fatores manipulados e a produtividade.

Em resumo as determinantes da produtividade, a partir de Hawthorne, passaram ser: A produtividade é determinada por padrões de comportamento informais; os padrões de comportamento são influenciados por elementos da cultura e por hábitos dos trabalhadores; o operário não reage como individuo isolado e sim como integrante do grupo; o individuo é mais legal ao grupo do que à administração e a pessoa é motiva pela necessidade de estar junto com os colegas.

É importante destacar que na “Escola das relações humanas” não foram abolidas a estrutura da organização proposta pelos autores da “Administração Clássica” ou “Escola Clássica de Administração”, como preferem alguns autores, ocorreram sim adaptações necessárias e a inserção de modelo com foco nas pessoas.