O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), pediu, nesta quarta-feira (26), a prorrogação da ajuda das Forças Armadas no estado. Inicialmente, o prazo final para a ajuda do Exército seria a sexta-feira (28) – o decreto da operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi assinado na última quinta-feira (20) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e garantiu a ida de 2,5 mil soldados do Exército, além dos 150 agentes da Força Nacional.

A prorrogação da GLO depende de Bolsonaro. Depois, cabe ao ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, definir a operacionalidade do envio das Forças Armadas.

Por insatisfação salarial, policiais militares promovem motim no Ceará a nove dias. Como resultado, já foram registrados 170 homicídios durante esse período.

Em um dos momentos mais dramáticos do motim, na última quarta-feira (19), o senador Cid Gomes (PDT-CE) foi atingido por dois tiros depois de tentar furar o bloqueio dos policiais com uma retroescavadeira.

 
bove=""