Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Por Naldinho Rodrigues*

O homenageado de hoje é Noel de Medeiros Rosa. O famoso Noel Rosa, que nasceu no Rio de Janeiro no dia 11 de dezembro de 1910 e faleceu em 4 de maio de 1937, também no Rio de Janeiro.

Noel Rosa foi um sambista, cantor, compositor, bandolinista, violinista brasileiro e um dos maiores e mais importantes artistas da música no Brasil. Vítima de tuberculose, Noel Rosa morreu com apenas 26 anos de idade. Isso não o impediu, contudo, de contribuir para a história da música brasileira. Foi ele quem tornou popular, por exemplo, o samba do morro. Além disso, deixou uma série de músicas que foram  lançadas postumamente e , hoje, fazem parte da MPB.

Noel Rosa nasceu marcado pelo Fórceps (instrumento obstétrico utilizado para extrair o bebê num parto vaginal), que lhe fraturou e afundou o maxilar inferior, provocando também paralisia parcial no lado direito do rosto. Com a primeira Guerra Mundial, o comercio de roupas masculinas de seu pai faliu e Seu Manoel partiu para o interior de São Paulo para trabalhar nas fazendas de café. Para ajudar no sustento dos filhos, Noel e Heleno, Dona Marta abriu uma escolinha, o externato Santa Rita de Cássia.

O defeito do queixo de Noel  se acentuava à medida que ele crescia. aos seis anos, foi operado, mas não mostrou melhora. Seis anos depois fez outra cirurgia, mas estava marcado para toda a vida. Com 13 anos ingressou no tradicional Colégio São Bento. recebeu o apelido de “queixinho” e amargava a tristeza que o defeito lhe causava. Muito cedo aprendeu a tocar bandolim e na hora do recreio tocava para os colegas que se reuniam ao seu redor, momento em que se sentia importante.

Do bandolim passou para o violão que seu pai tocava quando vinha visitar a família. Aos 15 anos já dominava o instrumento. Seu irmão também tocava e ganharam a fama de “Músicos da Vila Isabel”. Em 1929, junto com os músicos Almirante, Braguinha, Alvinho, Henrique Brito e Henrique Domingos, formou o conjunto Bando de Tangarás. Ainda em 1929, gravaram o primeiro disco, inicialmente influenciado pela música sertaneja. o conjunto fez grande sucesso apresentando-se em rádios, cinemas e teatros.

Em 1930, ingressou na Faculdade Nacional de Medicina, mas depois de dois anos abandonou o curso. Já estava envolvido com a música e a boemia. Ainda estudante gravou mais de vinte músicas. A partir de “Com que Roupa” Noel já não pertencia mais ao grupo. A música foi o primeiro sucesso de Noel escrito em 1930 e gravado no mesmo ano, o samba estourou no carnaval de 1931. Era o primeiro samba, mas já estavam presentes as características de toda a obra: O humor, a ironia, as rimas surpreendentes, a música brejeira. em 1932, Noel Rosa trabalhou como contra regra no programa de Ademir Casé, na Rádio Phillips.

Noel também cantava, apesar de sua voz fraca, nos tempos de vozeirões de Francisco Alves e Vicente Celestino. Em 1935 passou a trabalhar na Rádio Clube do Brasil, fazendo o programa humorístico “Conversa de Esquina”. Fez também revistas radiofônicas, sempre parodiando composições, inclusive de sua autoria. Conhecido e admirado por todos que faziam música popular, Noel Rosa era requisitado para parcerias e convidado para participar dos mais diversos conjuntos. o samba “O Orvalho vem Caindo” feito em parceria com Kid Pepe, foi gravado por Almirante em 1933 e tornou-se  grande sucesso do carnaval de 1934.

Acometido de tuberculose, em 1935, Noel Rosa foi para Belo Horizonte para tratamento de saúde. Na volta para o Rio de Janeiro, havia muito trabalho para fazer. Achando-se curado, retornou a boemia. Em busca de ares de serra (clima frio), Noel viajou para Nova Friburgo, mas sua saúde piorava sensivelmente.

Morreu em sua casa na Rua Teodorico Da Silva, em Vila Isabel. O interesse pela obra de Noel Rosa continua até hoje, com destaque para intérpretes como Fafá de Belém, Elza Soares, Ivan Lins, Jair Rodrigues, Martinho da Vila, Gal Costa, Jamelão, Chico Buarque e Alcione.

Vamos matar as saudades do gênio da música, Noel Rosa, com a melodia Feitiço da Vila.

*Naldinho Rodrigues é locutor de rádio. Apresenta o programa Tocando o Passado pela Rádio Afogados FM, sempre aos domingos das 5 às 8 da manhã.

Na uma semana a Rádio Pajeú noticiou um caso suspeito de Covid-19 na cidade. A paciente de 56 anos apresentou sintomatologia compatível para síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

Foi realizado um exame de imagem sugestivo para Covid-19 na Tomografia Computadorizada (TC). Ela foi transferida à Unidade de Referência, o Osvaldo Cruz, em Recife.

De lá pra cá, a cada boletim divulgado pela Prefeitura, aumenta a ansiedade para a confirmação ou descarte para Covid-19. Mas até agora nada. O boletim desta quarta-feira (08) mais uma vez o trata como “Em investigação”. As informações foram repassadas ao Blog PE Notícias pelo comunicador Anchieta Santos, das rádios Pajeú FM, e Cidade FM de Tabira.

Nos últimos dias tem sido intensa a procura por parte da população a respeito dos critérios – quem terá direito ao benefício – e por orientação para o preenchimento do cadastro. 

Na secretaria de administração foram 55 pessoas atendidas presencialmente. Por telefone, WhatsApp ou redes sociais, o número ultrapassou a casa das 150 pessoas, totalizando mais de 200 atendimentos realizados pela equipe da secretaria e sala do empreendedor.  

Nos órgãos e contatos disponibilizados pela Secretaria de Assistência Social – que coordena o cadastro único em Afogados – a procura também foi intensa. O atendimento será temporariamente suspenso em decorrência do ponto facultativo e feriado da semana santa, mas será retomado na próxima segunda-feira (13).  

Vários telefones estão sendo disponibilizados para o auxílio da população. O ideal é que as dúvidas e orientações possam ser feitas via telefone. Mas os servidores também estarão disponíveis para o atendimento presencial, nos casos em que seja necessário. Confira os telefones e endereços: 

Secretaria Municipal de Assistência Social

Rua Senador Paulo Guerra, nº 325

Telefones: 3838 3837 / 99978 1661

Cadastro Único: 99997 0107 (em frente a FASP)

CRAS: 99997 0124 (ao lado da Igreja Católica – Bairro Padre Pedro Pereira)

Segunda à Sexta, das 7h às 13hs.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o governo de Pernambuco anunciou, nesta quarta-feira (08), que o estado ultrapassou a meta de imunizar contra a gripe 90% dos idosos pernambucanos. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), em 15 dias, 91,79% das pessoas com 60 anos ou mais foram vacinadas.

Dos 951 mil idosos que precisavam ser vacinados nesta etapa da campanha, 873.093 já receberam a dose. Por outro lado, o estado ainda precisa aumentar a taxa de vacinação entre os profissionais de saúde, que atualmente está em 77,54%. Foram aplicadas 152.712 doses nesse público. A primeira fase da campanha segue até o dia 15 deste mês.

Ainda não existe uma vacina para o novo coronavírus, mas a imunização serve para evitar outras formas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Desde o último dia 23, idosos e profissionais de saúde começaram a receber a vacina contra gripe. Eles são o público-alvo da primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe.

Nesta primeira fase, Pernambuco tem uma população a vacinar de 1.148.115. O objetivo da antecipação é proteger os pernambucanos contra três vírus da influenza – A (H1N1), A(H3N2) e B -, evitando adoecimentos e, consequentemente, o impacto nos serviços de saúde neste momento da ocorrência de casos do novo coronavírus.

Atualmente, o estado contabiliza 168 mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave, sendo 46 pela Covid-19; 16 por Influenza A e seis por Influenza B. Segundo o secretário estadual de Saúde, André Longo, 197 pessoas que morreram em decorrência de Srag foram testadas no estado. Desses exames, 31 ainda aguardam resultado.

A manhã desta quinta-feira (09) deve ser marcada por chuva rápida de forma isolada, com intensidade fraca, em quatro regiões do Estado – Grande Recife, Agreste e zonas da Mata Norte e Sul, de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). A Região Metropolitana do Recife (RMR) pode receber temperatura máxima de 32° C e mínima de 22° C.

Ainda segundo a Apac, não deve chover no Sertão do Estado. A previsão é de céu nublado a claro ao longo do dia, com a temperatura máxima atingindo os 35° C.

Confira a previsão completa abaixo:

Região Metropolitana

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 32° Mínima: 22°

Mata Norte

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 33° Mínima: 23°

Mata Sul

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 32° Mínima: 23°

Agreste

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 32° Mínima: 19°

Sertão de Pernambuco

Parcialmente nublado a claro sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 35° Mínima: 21°

Sertão de São Francisco

Parcialmente nublado a claro sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 35° Mínima: 23°

Hamilton Mourão

Os generais influentes do Palácio do Planalto se irritaram com especulações de que pretendem formar uma Junta Militar para limitar o presidente Jair Bolsonaro ao papel de “Rainha da Inglaterra” – no dicionário da política, uma figura sem poder de fato. As insinuações foram feitas, no final da semana passada, pela ala ideológica do governo, liderada pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), o filho 02 do presidente, nas redes sociais. 

A reação militar só veio na tarde desta quarta-feira. Em mensagens no Twitter, o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, elevaram o tom. “Aos aventureiros de muitos costados que nesta hora de dificuldades pretendem inviabilizar o @govbr lembro que sou o Vice do Presidente @jairbolsonaro e que os paraquedistas andam sempre no mesmo passo”, publicou Mourão. “O #Brasilvencerá o #COVID-19 como venceu todas as guerras de sua História”, ressaltou o general. Na verdade, o Império Brasileiro não conseguiu vencer a Guerra da Cisplatina, em 1828, e teve que aceitar uma negociação internacional que garantiu a independência do Uruguai. A derrota ou empate, historiadores divergem, arruinou a popularidade de D. Pedro I e a economia brasileira.

Horas depois do Twitter de Mourão, foi a vez do general Ramos sair para o contra-ataque. “Só lembrando também que existem mais paraquedistas ao lado do nosso Pres. Bolsonaro”, escreveu no Twitter. Ele citou os ministros Augusto Heleno Ribeiro (Gabinete de Segurança Institucional) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e o presidente dos Correios, Floriano Peixoto. “Paraquedistas são como águias, aves da mesma plumagem que voam juntas e enfrentam qualquer desafio! Vamos vencer o Covid-19.” No Palácio, o que mais se ouviu foi o desbotado mantra de que “a tropa está unida” e “trabalhando pelo governo”. “O presidente é Jair Bolsonaro e estamos aqui com ele e por causa do governo dele”, disse à reportagem um interlocutor militar. Continue reading

A decisão do governo federal em liberar uma nova rodada de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vai injetar 36 bilhões de reais na economia brasileira. De acordo com a medida provisória publicada, os trabalhadores poderão sacar até 1.045 reais (o valor do salário mínimo) de contas ativas ou inativas de 15 de junho até 31 de dezembro. Ou seja, mesmo quem tem mais de uma conta no FGTS terá um limite total de 1.045 reais para sacar. O objetivo da ação é irrigar a economia durante a pandemia do coronavírus.

Segundo o governo, o saque no valor do salário mínimo terá amplo alcance, uma vez que vai zerar cerca de 80% das contas do fundo, atingindo tanto os trabalhadores empregados como os desempregados – já que permite os saques de contas ativas e inativas. Ao todo, a previsão é atender 60,8 milhões de trabalhadores que possuem contas no FGTS. Segundo cálculos do Ministério da Economia, dos 36 bilhões de reais que devem ser injetados na economia, 14,6 bilhões de reais serão recursos remanescentes da liberação do FGTS do ano passado do saque imediato e 21,5 bilhões de reais referentes ao Fundo PIS/Pasep. A MP também acabou com esse fundo – que não tem relação com o abono salarial.

De acordo com a medida, o patrimônio acumulado nas contas individuais dos participantes do Fundo PIS/Pasep fica preservado. Esse fundo não recebe mais recursos desde a Constituição de 1988. A extinção, porém, não acaba com a arrecadação do PIS e do Pasep, recursos que hoje são destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), para o pagamento do abono salarial e do seguro-desemprego.

Impacto das medidas fiscais

O esforço fiscal primário do governo com as medidas para enfrentamento ao coronavírus já soma 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o Ministério da Economia. Segundo o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, as iniciativas do governo brasileiro estão acima da média dos emergentes, de 1,6% do PIB. A nova medida de saque do FGTS não tem impacto fiscal, uma vez que os recursos envolvidos para resgate não são do governo, mas dos próprios trabalhadores.

O governo federal publicou na noite desta quarta-feira, uma medida provisória na qual vai isentar a população de baixa renda do pagamento da conta de luz entre 1º de abril e 30 de junho.

A medida já havia sido anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro durante o pronunciamento em rede nacional na noite desta quarta-feira.

A isenção vale para locais que consumam até 220 quilowatts-hora por mês e que estejam incluídos na Tarifa Social. Segundo a União, serão destinados R$ 900 milhões para o pagamento dessas contas.

A medida provisória ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional em até 120 dias para se tornar uma lei em definitivo. Por se tratar de uma MP, a operação tem aplicação imediata.

Tereza Cristina

Nesta quarta-feira a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciou que a pasta, ao lado dos ministérios da Economia e Cidadania, adotará medidas de apoio aos pequenos produtores durante a pandemia do novo coronavírus. R$ 500 milhões serão direcionados em compras de produtos da agricultura familiar, principalmente leite, flores e hortifrúti. O anúncio aconteceu em evento na Câmara de Comércio Árabe, transmitido pelo Instagram.

Tereza esclareceu que o dinheiro vai para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), em que o governo federal realiza a compra diretamente dos agricultores. Depois, os produtos são distribuídos, juntamente dos estados e municípios, para serem vendidos ou doados em todo país. O dinheiro será aplicado pelo ministério da Cidadania e administrado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

No entanto não se soube dizer que este apoio acontecerá por Medida Provisória (MP) ou pelo executivo. Esses critérios devem ser aprovados pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Segundo a ministra, os setores de flores e hortifrútis são os mais vulneráveis no momento, muito por conta do fechamento de bares e restaurantes durante a pandemia. “O hábito de consumo tem mudado neste momento de pandemia. Precisamos dessas cadeias produtivas trabalhando, para que não tenhamos um problema de abastecimento após a crise”, explica.

Na transmissão, a ministra afirmou que estão sendo avaliadas propostas para prorrogação de financiamento de custo e investimento até 30 de julho. “Entre hoje e amanhã, novas medidas devem ser anunciadas”, completou. Segundo o ex-secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, Ivan Wedekin, é uma medida importante para que a cadeia de produção de alimentos siga em funcionamento.

Plenário da Câmara em sessão conjunta do Congresso Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

O desembargador Carlos Moreira Alves, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, suspendeu na noite desta quarta-feira (08), decisão do juiz Itagiba Catta Preta, da Justiça Federal em Brasília, que determinara o bloqueio dos fundos eleitoral e partidário — um total de R$ 3 bilhões — para destinar o montante ao combate ao coronavírus.

O desembargador concordou com os pedidos do Senado Federal e da União, de que a decisão interferia em atos de gestão e de execução do orçamento público e em competências do Executivo e do Legislativo, “impondo, efetivamente, grave lesão à ordem pública, sob viés da ordem administrativa”.

 “Se medidas para o combate à pandemia necessitam de ser adotadas, devem ser levadas a efeito, repita-se, mediante ações coordenadas de todos os órgãos do poder público federal, estadual, municipal e distrital, dentro de suas respectivas esferas de atribuições constitucionais, com intervenção apenas excepcional do Poder Judiciário”, escreveu o desembargador.

Lava Jato

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes acolheu um pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que o presidente  Jair Bolsonaro seja impedido de acabar com o isolamento social nos estados e municípios.

A decisão é liminar, o que significa que tem caráter provisório. Esse tipo de decisão indica que o processo não está finalizado, sendo apenas uma maneira de garantir que o pedido de urgência seja atendido.

Moraes reconheceu a divergência de posicionamentos entre as autoridades de diferentes níveis e colocou que essa incompatibilidade acarreta “insegurança, intranquilidade e justificado receio em toda a sociedade”.

O presidente Bolsonaro tem dito que pode decretar o fim das medidas de isolamento, revogando o que foi estipulado por governadores e prefeitos. Eventual norma editada pelo presidente nesse sentido, no entanto, poderá ser invalidada por invadir a competência dos governos locais.

“Não compete ao Poder Executivo federal afastar, unilateralmente, as decisões dos governos estaduais, distrital e municipais que, no exercício de suas competências constitucionais, adotaram ou venham a adotar, no âmbito de seus respectivos territórios, importantes medidas restritivas”, diz Moraes na decisão.

Entre as medidas adotadas, estão o distanciamento/isolamento social, a quarentena, a suspensão de atividades de ensino, as restrições de comércio, atividades culturais e a circulação de pessoas. Tratam-se de mecanismos, recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e por pesquisadores, que visam controlar a transmissão de covid-19.

A Secretaria de Assistência Social de Afogados da Ingazeira vem distribuindo donativos às famílias desabrigadas com as chuvas que  castigaram o bairro Borges, danificando e destruindo casas, no último dia 25 de março.

Além de alimentos e roupas, as famílias, sobretudo as mais prejudicadas com a perda de móveis e utensílios, também estão recebendo eletrodomésticos doados pela população, como fogões e botijões de gás.

“Tem sido muito gratificante ver toda a generosidade do nosso povo, a solidariedade, sendo revertida em benefício de famílias que, em grande parte, perderam tudo. Mas graças a Deus, todas as vidas foram salvas,” destacou a secretária Municipal de Assistência Social, Joana Darc. 

O governo de Pernambuco anunciou, nesta quarta-feira (08), o lançamento do cartão alimentação para estudantes da rede pública estadual. Com investimentos na ordem de R$ 12 milhões, o repasse de R$ 50 irá beneficiar cerca de 240 mil estudantes em todas as regiões do estado.

Serão beneficiados com a medida os estudantes em maior situação de vulnerabilidade e que dependem da merenda fornecida pelas escolas. Com as aulas suspensas devido ao isolamento como forma de prevenção a propagação do novo coronavírus, a medida do governo do estado busca suprir a interrupção das atividades nas escolas, inclusive, do fornecimento da merenda para os estudantes.

O valor repassado será equivalente aos alimentos necessários para um mês de refeição por estudante e só poderá ser utilizado em compras de produtos alimentícios. A iniciativa tem como base os dados das famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal.

A distribuição do cartão alimentação, que será gerenciado pela Alelo, empresa de serviços financeiros especializada em benefícios, incentivos e gestão de despesas corporativas, será realizada a partir do dia 20. A Secretaria de Educação do Estado explica que a partir da segunda-feira (13), as famílias dos estudantes da rede pública estadual poderão acessar o site da Secretaria de Educação e realizar a consulta para saber se terão direito ao benefício.

Também será disponibilizada a consulta da rede Alelo, que contempla mais de 9,3 mil estabelecimentos credenciados em todas as regiões do estado. A estratégia de uso do cartão alimentação vai também beneficiar a economia dói estado, pois os alimentos serão adquiridos em supermercados, mercadinhos, padarias e outros estabelecimentos locais.

Além do cartão merenda, a família receberá uma carta de apresentação com todas as orientações sobre o uso do cartão, informações nutricionais, sugestões dos  produtos a serem adquiridos e de produtos não permitidos, como bebidas alcoólicas e refrigerantes, por exemplo.

O presidente Jair Bolsonaro decidiu gravar um novo pronunciamento nesta quarta-feira. O conteúdo é mantido sob absoluto sigilo.

Walter Braga Netto, o interventor do Planalto, claro, acompanha tudo e seu pessoal diz que a fala do presidente será “equilibrada”.

É provável que o pronunciamento seja levado ao ar às 20h30, antes do JN.

Logo cedo, Bolsonaro se reuniu com o ministro da Saúde, no Planalto, para alinhar discurso e tomar pé do trabalho em curso contra o coronavírus.

Depois dos choques de segunda-feira, Mandetta e Bolsonaro fizeram gestos de reaproximação. O ministro recuou em algumas posições, já o presidente parou de bater no auxiliar.

Nas redes sociais, porém, o gabinete do ódio continua atacando Mandetta.

As famílias inscritas no Cadastro Único para programas sociais do governo federal, com renda mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo nacional, podem fazer a solicitação de inclusão na tarifa social da Celpe pelo WhatsApp (81) 3217-6990.

Para fazer o credenciamento, basta informar o número da conta contrato da Celpe (localizável no canto superior direito) e o Número de Identificação Social (NIS). A distribuidora de energia fará a confirmação no banco de dados do Ministério de Desenvolvimento Social. Após a checagem dos dados, o prazo para inclusão na Tarifa Social de Energia é de cinco dias úteis e o cliente passa a ter o benefício na próxima fatura.

Para o beneficiário que não é o titular da conta contrato da Celpe, será necessário a inclusão do CPF e do RG do portador do NIS. Nesse caso, é necessário fotografar a documentação e enviar pelo WhatsApp, juntamente com o número do NIS. O cadastramento também pode ser realizado pelo site da concessionária.

O que é Tarifa Social de Energia Elétrica?

Benefício criado pelo Governo Federal para as residências de famílias com baixa renda. Consiste na redução da tarifa de consumo de energia elétrica em até 65% e para indígenas e quilombolas em até 100%. O benefício é regulamentado pela Lei 12.212, de20 de janeiro de 2010.

Quem tem o direito à Tarifa Social de Energia?

Toda Unidade Consumidora Residencial com família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. É necessário possuir o Número de Identificação Social – NIS, e ter renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo nacional, independentemente de possuir ou não o benefício do Bolsa Família.

Qual a documentação necessária para o cadastro da Tarifa Social?

As informações sobre documentação para Cadastro de Tarifa Social estão disponíveis no site da Celpe.