Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Foto: Reprodução

Na tarde de ontem (22), atos de violência entre militantes dos candidatos ao governo de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) e Paulo Câmara (PSB), foram registrados em frente ao comitê do petebista no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

Segundo o coordenador geral da campanha da frente ‘Pernambuco vai Mudar’, o prefeito Mário Ricardo, os militantes do PSB, “de forma deliberada, com o intuito de provocar, se instalaram diante do comitê, com batucadas e bandeiras, ao mesmo tempo em que lançavam insultos e provocações” à militância de Armando. “Não vamos cair em provocações, mas também não vamos admitir esse tipo de agressão, orquestrada com o intuito de tumultuar o processo eleitoral”, afirma Mário Ricardo.

Em nota, a coordenação da Frente Popular de Pernambuco repudiou qualquer ato de violência. “A coordenação da Frente Popular de Pernambuco repudia os atos de violência ocorridos nesta quarta-feira (22) entre os militantes do grupo socialista e da chapa adversária em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Reiteramos que a Frente Popular não compactua com esse tipo de postura e reforça seu compromisso em fazer uma campanha propositiva, onde os debates das ideias e de avanços para Pernambuco seguir na frente serão nossa prioridade”, diz a nota dos socialistas.

“Vamos fazer uma campanha limpa, alegre, propositiva e com alto nível. E agora estamos tomando todas as providências legais nesse caso. Três militantes da nossa juventude foram agredidos e já prestaram queixa na delegacia de Boa Viagem. Agora é com a polícia”, acrescentou Mário Ricardo.

Foto: TV Jornal

No mesmo dia em que inaugura o seu comitê, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, o ex-prefeito do Recife João Paulo (PCdoB) poderá ser notificado sobre o pedido de impugnação de sua candidatura pelo TRE-PE (Tribunal Regional Eleitoral).

O Ministério Público Eleitoral propõe a ação de impugnação de pedido de registro de candidatura de João Paulo de Lima e Silva. Segundo a ação, “o impugnado encontra-se inelegível, pois foi condenado por órgão judicial colegiado (Tribunal de Justiça do Estado de Pernambuco) em 17 de abril de 2018, pela prática do crime previsto no art. 89 da Lei 8.666/19931 (por dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses previstas em lei, ou deixar de observar as formalidades pertinentes à dispensa ou à inexigibilidade)”.

Nesta quinta-feira (23) está prevista a inauguração do comitê de João Paulo (PCdoB) que é candidato a deputado estadual nas eleições deste ano. A inauguração do comitê está na agenda oficial do governador Paulo Câmara (PSB) e de Manuela D’Ávila (PCdoB), possível vice na chapa do PT caso o ex-presidente Lula (PT) tenha sua candidatura impugnada. 

João Paulo (PCdoB) ainda não foi notificado e poderá apresentar defesa. O pedido de impugnação da candidatura do ex-prefeito do Recife foi enviado pelo procurador regional eleitoral Francisco Machado Teixeira. Com informações do Blog de Jamildo.

Foto: Roberto Soares/Alepe

O presidente do PTB de Pernambuco, deputado estadual José Humberto Cavalcanti, fez uma leitura crítica do estudo publicado por uma consultoria política paulista favorável à reeleição de Paulo Câmara.

“Paulo já venceu em São Paulo, na terra de Temer. Ganhou as eleições em jornais e em consultorias. Mas em Pernambuco tem que combinar com o povo. E o povo aqui quer mudar e rejeita Paulo e seu governo”, afirma Cavalcanti.

O presidente do PTB, mesmo partido de Armando Monteiro (PTB), que é candidato ao governo pela frente ‘Pernambuco Vai Mudar’, ainda afirma que Paulo possui um dos maiores índices de rejeição da região. “Lembrando que o candidato do PSB tem hoje 43% de rejeição do eleitorado Pernambuco e seu governo acumula uma desaprovação superior a 60%, o que o coloca entre os nomes mais rejeitados entre os governadores do Nordeste”, finalizou discordando do relatório feito pelo Projecta.

https://i1.wp.com/www.radiopajeu.com.br/portal/wp-content/uploads/2016/11/IFPE-AFOGADOS.jpg?fit=547%2C330

Foi divulgado, nesta quarta-feira (22), o resultado final do processo seletivo simplificado para preenchimento de vagas remanescentes do Vestibular 2018.2 do IFPE – Afogados da Ingazeira.

Os classificados após o resultado final terão os dias 23 e 24/08 para comparecerem ao Campus Afogados da Ingazeira e apresentarem a documentação necessária à efetivação da matrícula.

Confira o resultado AQUI.

Mais informações sobre essas etapas do processo e a documentação, acesse o edital:

Edital Vagas Remanescentes 2018.2 

O projeto ‘Sertânia em Ação’ continua levando serviços gratuitos às comunidades do município, e depois de passar por Cruzeiro do Nordeste e Moderna, dessa vez, chega, no próximo sábado (25), ao distrito de Algodões. A iniciativa idealizada pelo Governo de Sertânia levará ações, das 7h às 13h, nas áreas de Saúde, Ação Social, Serviços Públicos e Infraestrutura, em um verdadeiro mutirão de serviços para a comunidade.

Sobre o Sertânia em Ação

Durante o Sertânia em Ação, são ofertados serviços de saúde, como atendimento médico, testes rápidos de HIV e encaminhamentos para mamografia e exame citológico, além de aferição de pressão e teste de glicemia, realizados pelos alunos do curso técnico de Enfermagem da Escola Técnica Estadual Arlindo Ferreira dos Santos. As equipes do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e da Academia da Saúde marcam presença com orientações e ação de panfletagem. A população também tem acesso à vacinação e atendimento odontológico.

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania leva para a comunidade serviços de cabeleireiro, manicure e sobrancelha. Durante o mutirão, os moradores podem tirar dúvidas sobre os programas Bolsa Família e Cadastro Único e os serviços do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS). Podem também emitir a Carteira do Idoso e receber formulários para acesso ao Passe Livre. Além disso, contam com orientação jurídica sobre os direitos do consumidor com a equipe do PROCON e a participação do Conselho Tutelar.

http://imagens2.ne10.uol.com.br/ne10/imagem/noticia/2015/07/28/normal/77a5bcb49f6976c890c44a4bad94559d.jpg

Após período educativo, os cinco novos equipamentos de fiscalização eletrônica, implantados pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano (Semoc) e da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), começam a funcionar em caráter definitivo a partir de hoje (23). Os equipamentos estarão aptos a registrar infrações de excesso de velocidade em quatro vias da cidade: Avenida Dom João VI, em Boa Viagem; nos dois sentidos da Avenida Beberibe, no bairro do Fundão; na Avenida Engenheiro Abdias de Carvalho, no Prado; e na Avenida Cônego Barata, no bairro da Tamarineira. Com os novos equipamentos, Recife passa a contar com 118 dispositivos de fiscalização eletrônica. 

Desde 2014, a atual gestão de trânsito investe na aquisição de novos e mais modernos equipamentos de fiscalização eletrônica. A política de priorizar a segurança viária teve influência direta na redução de mais de 30% no número de ocorrências com vítimas registradas no município, no comparativo desde 2012 até o primeiro trimestre de 2018. Desde o início da gestão, foram instalados 100 equipamentos de fiscalização eletrônica, de um total de 118 existentes.

Para identificar os locais beneficiados, equipes técnicas da CTTU realizam estudos que levam em consideração as solicitações da população, o volume de veículos e de pedestres e da proximidade de polos de interesse público. Os equipamentos de fiscalização eletrônica instalados no Recife que notificam excesso de velocidade funcionam todos os dias, das 6h às 22h.

Os locais receberam toda a sinalização viária, conforme exigência do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) As infrações variam de acordo com a velocidade com que o condutor ultrapassa o equipamento. Os locais receberam toda a sinalização viária, conforme exigência do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). 

Os equipamentos de fiscalização eletrônica implantados no Recife que notificam excesso de velocidade funcionam todos os dias, das 6h às 22h. As infrações variam de acordo com a velocidade com que o condutor ultrapassa o radar. A notificação pode ser média, R$ 130,16, ou gravíssima vezes três, R$ 880,41, além dos pontos registrados na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

ONDA VERDE

Em Olinda, a Secretaria de Transportes e Trânsito de Olinda inicia hoje às 6h30, a operação Onda Verde. Agentes de trânsito vão ficar nos semáforos da Praça do Carmo, Colégio Sigismundo Gonçalves, Colégio São Bento, Varadouro e no bairro de Santa Tereza. O serviço será desenvolvido nos dias úteis até as 8h40.

https://images1.minhavida.com.br/imagensconteudo/16776/%C3%B3leo%20de%20coco%20foto%20destaque.jpg

A epidemiologista Karin Michel, da Universidade Harvard, fez um vídeo em alemão alcançar mais de 970 mil visualizações no YouTube após comparar óleo de coco, um dos queridinhos dos nutricionistas nos últimos anos, a “puro veneno”. 

Em palestra intitulada “Óleo de Coco e outros Erros Nutricionais”, na Universidade de Freiburg, onde ela dirige o Instituto para Prevenção e Epidemiologia de Tumores, Karin diz que o produto “é uma das piores coisas que alguém pode comer”. 

Segundo ela, o óleo de coco é mais perigoso que banha por conter quase exclusivamente ácidos graxos saturados, que aumentam os níveis de colesterol (o ruim e o bom) e poderiam entupir as artérias coronárias. 

Ela ecoa as diretrizes da Associação Americana do Coração (AHA, na sigla em inglês), atualizadas no ano passado, que também recomendam que as pessoas evitem gordura saturada, como a encontrada no óleo de coco. 

A apresentação em alemão foi traduzida para o inglês pelo site Business Insider e foi citada pelo The New York Times. O jornal americano lembrou, porém, que, apesar de muitos especialistas serem céticos a respeito da alta popularidade do óleo de coco, propagandeado como comida saudável ou superalimento, eles não chegam a ser tão dramáticos quanto à pesquisadora. 

Diante do sucesso do vídeo da pesquisadora alemã, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) também divulgaram um posicionamento sobre o assunto:

“Considerando que não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que o óleo de coco leve à perda de peso. Considerando que o uso do óleo de coco pode ser deletério para os pacientes devido à sua elevada concentração de ácidos graxos saturados, a Sbem e a Abeso posicionam-se frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo de coco com a finalidade de emagrecimento, considerando tal conduta não ter evidências científicas de eficácia e apresentar potenciais riscos para a saúde.” As entidades dizem que também não recomendam o uso regular de óleo de coco como óleo de cozinha, devido ao seu alto teor de gorduras saturadas e próinflamatórias. “O uso de óleos vegetais com maior teor de gorduras insaturadas (como soja, oliva, canola e linhaça) com moderação, é preferível para redução de risco cardiovascular”.

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou o entendimento na sessão plenária da última terça-feira (21) de que o pedido de voto em evento religioso pode configurar abuso de poder econômico. A tese foi fixada no julgamento que culminou com a cassação do deputado estadual Márcio José Oliveira (PR-MG) e do candidato a deputado federal Franklin Roberto Souza (PP-MG) por abuso de poder econômico na campanha de 2014. Com a decisão do TSE, os dois também se tornaram inelegíveis por oito anos.

O caso gira em torno da participação dos dois políticos de um evento religioso promovido pela Igreja Mundial do Poder de Deus. Na ocasião, na véspera das eleições, o líder da igreja teria pedido explicitamente aos fiéis votos para os dois candidatos, em evento que contou com a presença de cinco mil pessoas. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) já havia condenado Oliveira e Souza.

A maioria dos ministros decidiu acompanhar o voto da relatora do processo, ministra Rosa Weber, considerada a “mais linha-dura” da Corte Eleitoral. Para a ministra, o caso é de “enorme gravidade”.

Rosa destacou que, no evento, foram distribuídos panfletos a favor dos então candidatos e que o líder da igreja pediu “mais dez votos” para os candidatos.

O ministro Admar Gonzaga, por sua vez, acompanhou o entendimento da relatora e ressaltou que igrejas possuem privilégios fiscais, concluindo que o ato praticado na Igreja Mundial do Poder de Deus “desbordou” em abuso de poder econômico.

Os ministros determinaram a execução imediata da decisão, a partir de sua publicação. O suplente do deputado estadual deverá assumir o seu cargo. Informações do Estado de S.Paulo.

Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, prorrogou por um ano, a partir de 9 de setembro, a Operação Lava Jato

A  Operação Lava Jato foi prorrogada por mais um ano, a partir de 9 de setembro, pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. A prorrogação, divulgada nesta quarta-feira (22) no Diário Oficial da União, ainda precisa ser referendada pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF).

Com a medida, a atual estrutura de 14 procuradores da Operação Lava Jato será mantida pelo menos por mais um ano no braço da procuradoria em Curitiba. A força-tarefa foi criada em 2014 pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Na época, seis procuradores passaram a investigar os fatos iniciais apurados pela Lava Jato.

No início deste mês, o CSMPF decidiu ampliar a proposta inicial de orçamento do ano que vem para a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, de R$ 522,6 mil para R$ 1,65 milhão. Os recursos são destinados sobretudo ao custeio de gastos com diárias e passagens de procuradores e servidores.

Para chegar a esse valor, foram retirados recursos de outras áreas do Ministério Público Federal (MPF), sendo reduzidos o orçamento para concursos e o reajuste dos valores de diárias.  

Até o início de agosto deste ano, segundo o Ministério Público Federal, foram abertos 2.476 mil procedimentos de investigação e realizadas 962 buscas e apreensões, 227 conduções coercitivas e 121 prisões temporárias.  

Até o momento, são 204 condenações contra 134 pessoas, contabilizando 1.983 anos, 4 meses e 20 dias de pena. Os crimes já denunciados envolvem pagamento de propina de cerca de R$ 6,4 bilhões. R$ 12,3 bilhões são alvo de recuperação por acordos de colaboração premiada.

A operação começou no dia 17 de março de 2014. Munidos de 81 mandados de busca e apreensão, 28 de prisão e 19 de condução coercitiva, os agentes da Polícia Federal chegaram à empresa Costa Global, ligada ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Outros alvos eram quatro doleiros: Nelma Kodama, Raul Srour, Alberto Youssef e Carlos Habib Chater.

A operação ficou com a 13ª Vara Federal Criminal do Paraná por causa dos crimes, lavagem de dinheiro, cometidos por Youssef em favor da empresa sediada em Londrina (PR), e pertencia ao ex-deputado federal José Janene (PP-SP), morto em 2010. Antes de ser preso pela Lava Jato em 2013, o doleiro esteve envolvido no esquema de corrupção que acontecera há dez anos, o chamado Caso Banestado, banco estatal do Paraná.

O reaparecimento de Youssef na mira dos investigadores ocorreu em função das descobertas dos investigadores ao iniciarem o monitoramento de conversas telefônicas do doleiro Carlos Habib Chater, dono de vários negócios em Brasília, entre eles um posto de gasolina localizado no centro da cidade, onde funcionava uma casa de câmbio, uma lavanderia e loja de conveniência.

Com as fases de investigação, a polícia descobriu a ligação do doleiro com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o esquema montado na Petrobras. Foi revelado que diretores recebiam propina para fraudar licitações e superfaturar obras em benefício de cartel de empreiteiras, além encaminhar recursos ilícitos a agentes políticos e partidos.

As investigações da Operação Lava Jato mostraram que os desvios estavam ocorrendo em outras estatais, como Eletronuclear, Ministério do Planejamento e Caixa Econômica Federal, e em obras como a Ferrovia Norte-Sul, em Goiás, e a construção da Usina de Belo Monte, no Pará.

eleições 2018 alckmin

Por Rodolfo Borges/El País

“É natural que o vice venha do Nordeste”, comentava o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) em junho, durante passagem por Campina Grande (PB). Era consenso à época que o tucano se beneficiaria de um nome forte numa região historicamente cativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) — e onde o ex-governador tem 5% dos votos no melhor dos cenários segundo as pesquisas de intenção de voto. Mas Alckmin acabou com uma vice do Rio Grande do Sul e, mesmo com nove partidos em sua coligação, conseguiu apenas um palanque relevante na região que concentra um quarto (26%) do eleitorado nacional. “O Nordeste é o maior desafio da nossa campanha”, reconhece o secretário-geral do PSDB, deputado Marcus Pestana (MG). Não por acaso, o tucano menciona apenas as regiões Nordeste e Norte diretamente nas diretrizes de seu plano de Governo.

O PSDB lançou 12 candidatos a governos estaduais. A região mais prestigiada é o Centro-Oeste, com nomes em três estados disputando a reeleição — Pedro Taques, no Mato Grosso, Reinaldo Azambuja, no Mato Grosso do Sul, e, em Goiás, José Éliton, que assumiu o Governo local em abril após Marconi Perillo deixar o cargo para disputar vaga no Senado. Os tucanos também estão bem colocados no Sudeste, com o ex-prefeito João Doria em São Paulo e o senador Antônio Anastasia em Minas Gerais. O ex-prefeito de Pelotas Eduardo Leite é outro bem posicionado na disputa pelo Governo do Rio Grande do Sul — onde a campanha de Alckmin recebeu o reforço da senadora Ana Amélia (PP) como vice. Essas são situações bem diferentes das candidaturas tucanas no Norte e no Nordeste.

Sem o reforço do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que preferiu adiar a disputa pelo Governo da Bahia, e do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que decidiu não se candidatar no Ceará, restou para Alckmin apenas Pernambuco como plataforma expressiva entre os três maiores colégios eleitorais da região, e sem muita convicção do ex-senador Armando Monteiro (PTB). Ex-ministro do Governo Dilma Rousseff (PT), o candidato do PTB ao Governo pernambucano chegou a publicar uma nota no fim de julho para afirmar seu apoio formal a Alckmin, já que o PSDB ameaçou se retirar da chapa “Pernambuco vai mudar” depois de Monteiro declarar voto em Lula.

“O nosso palanque, tendo em vista o apoio majoritário que recebe dos partidos dessa frente, estará sempre aberto para que o candidato Geraldo Alckmin possa trazer aos pernambucanos as suas propostas, neste momento tão importante e desafiador para o nosso País”, dizia Monteiro na nota. No último dia 9, contudo, o candidato do PTB voltou a declarar voto no petista, em entrevista à Rádio Jornal reproduzida em seu perfil no Twitter: “Se Lula for candidato, eu voto nele. Caso não, vou analisar os nomes colocados”.

A concorrência de palanque com o PT no Nordeste deve ser generalizada para Alckmin. Na última sexta-feira, o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), fez campanha ao lado do ex-prefeito Fernando Haddad em Teresina (PI) e pediu voto para Lula apesar de seu partido compor a chapa de Alckmin com a vice Ana Amélia. Alckmin inicia sua campanha oficial pelo Nordeste por Pernambuco nesta quinta-feira.

Questionado nesta segunda-feira em evento da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) sobre a pulverização de seus apoios, em especial no Nordeste, o candidato tucano à presidência minimizou e disse que “tem partidos que têm candidato, e também me apoiam”, sem mencionar nomes. Os tucanos negam que pretendam priorizar a campanha no sul do país, mas, nos primeiros dias de atividades oficiais, a senadora Ana Amélia passou por Castro, no Paraná, e por Porto Alegre (RS), enquanto Alckmin visitou o Pará e, além da passagem por Pernambuco e dos compromissos em São Paulo, completa a agenda da semana com viagens ao Rio de Janeiro, Tocantins e a Minas Gerais.

Bolsonaro

“Hoje, a campanha é resolvida muito diretamente com o eleitor, através da tevê, do rádio e das mídias sociais”, diz o deputado Marcus Pestana. “Independentemente de palanque, não vejo empecilho”. Mas será possível ganhar a eleição sem votação expressiva no Nordeste? O cientista político Alberto Carlos Almeida diz que sim, desde que se consiga vitórias expressivas nas outras regiões. A região Sudeste concentra quase metade do eleitorado (43,4%) e a região Sul tem 14,5% — Centro-Oeste (7,3%) e Norte (7,8%) são têm os menores eleitorados. “O melhor resultado do PSDB no Nordeste nas últimas quatro eleições foi 28%”, lembra Almeida. Hoje, segundo a última pesquisa Ibope, Alckmin tem 4% das intenções de voto no Nordeste no melhor cenário, sem Lula — no Datafolha, o índice é de 5%.

Os números na região têm andado bem distantes daqueles das últimas vitórias tucanas na disputa pelo Palácio do Planalto. Fernando Henrique Cardoso teve 57,6% dos votos nordestinos em 1994 e 47,7% em 1998. Apesar disso, mesmo com um patamar baixo de votos no Nordeste em 2014, bastaria ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) ter vencido em forma expressiva em sua terra natal, Minas Gerais, para superar a ex-presidenta Dilma no segundo turno. Ou seja, a falta dos votos nordestinos poderia ser compensada com a vitória em outras regiões do país. Dilma teve 12,2 milhões de votos a mais no Nordeste naquele ano, enquanto Aécio conseguiu vantagem de apenas 5,6 milhões de votos na região Sudeste, com 56% do eleitorado e uma derrota por 500.000 votos em Minas — a diferença no final geral ficou em 3,5 milhões de votos a mais para a petista.

O problema para Alckmin no primeiro turno desta eleição, segundo Alberto Carlos Almeida, é o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), já que os votos nordestinos já estariam reservados em maioria para Lula, e o PT teria no máximo de tentar revertê-los para outro candidato caso se confirme o impedimento de sua candidatura. O ex-governador e o deputado partilham o eleitorado com maior escolaridade. “O Alckmin percebeu que só tem uma maneira de tirar eleitores de Bolsonaro: ocupando o tempo de televisão bem maior. Investiu nisso”, analisa Almeida, destacando que nas últimas quatro eleições os dois candidatos com maior tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na tevê foram para o segundo turno. É, de fato, onde o tucano deposita todas suas expectativas. “A campanha só vai começar efetivamente a partir do dia 31, quando começa o horário do rádio e da televisão. As pesquisas vão mudar totalmente. A decisão de voto da eleição nem começou ainda”, repetiu Alckmin nesta semana ao ser questionado sobre seus limitados índices de intenção de voto.

Os advogados eleitorais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregaram um parecer (íntegra) sobre registros de candidatura a ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O documento é assinado pelos ex-ministros da Corte Henrique e Fernando Neves. A defesa foi pessoalmente nos gabinetes fazer a entrega. A romaria começou na semana passada.

A manifestação já foi entregue à presidente da Corte, Rosa Weber, a Roberto Barroso (relator do registro de Lula), a Napoleão Nunes e a Jorge Mussi. A peça esclarece 8 perguntas feitas pelos advogados do petista sobre as regras e trâmites do pedido de registro de candidatura e a declaração de inelegibilidade.

Logo no início do parecer, os ex-ministros afirmam que fazem uma análise genérica e não tratarão do mérito da candidatura do petista.

a defesa do petista disse que a iniciativa tenta acordar com os ministros o seguimento de todos os trâmites legais na análise da candidatura de Lula. Sem decisões “heterodoxas” de nenhum dos lados. Nesta semana, tanto advogados de Lula como o relator Roberto Barroso usaram a expressão “by the book” para descrever como deve se dar a tramitação.

Segundo o parecer dos ex-ministros do TSE:

  • A inelegibilidade pode ser declarada de ofício (sem a Corte ser provocada), desde que garantido o direito à defesa e após o prazo para impugnação;
  • O pedido de registro da candidatura, as impugnações e as notícias de inelegibilidades devem tramitar em 1 único processo;
  • No caso de pedido de registro de candidatura de chapa presidencial ao TSE, os recursos cabíveis são: embargos de declaração, recurso extraordinário ou ainda recurso ordinário ao STF.

Leia aqui a íntegra da manifestação.

Segurança eleitoral

Já na conclusão do parecer, os ex-ministros defendem a atualização das leis eleitorais de forma a decidir impasses relacionados aos candidatos com antecedência.

Passarinho, Cuiú Cuiú, Lagartixa do Plástico. Poderiam ser nomes de espécies da fauna brasileira, mas são alguns dos candidatos reais para as 1.626 cadeiras em disputa nas eleições de 2018. Tradicionalmente, o período eleitoral é conhecido pelas candidaturas, no mínimo, curiosas. Coisas do Brasil.

Os nomes buscam destaque em meio ao extenso número de concorrentes: são 28.055 pessoas registradas para concorrer por uma vaga aos cargos do Executivo e Legislativo neste ano. Os dados são do TSE.

Além de chamar atenção, os candidatos também usam os nomes curiosos como forma de protesto contra a política tradicional. A lista conta com expressões populares, apelidos, trocadilhos e até heróis da Marvel.

Eis galeria com nomes curiosos encontrados:

https://static.poder360.com.br/2018/08/Captura-de-Tela-2018-08-22-a%CC%80s-18.14.35.png

Lula no nome da urna

Outra curiosidade é o fato de 5 candidatos a deputado federal terem registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) “Lula” como parte do nome. Com informações do Poder360.

O candidato a governador de Pernambuco, Júlio Lóssio (Rede), estará em Serra Talhada na sexta feira (24). O Ex-prefeito de Petrolina fará uma agenda com diversos grupos no município.

O almoço acontecerá em um restaurante da cidade, onde Júlio será recebido pelos empresários Marcos, Marconio e Wilson, os irmãos Godoy. Elyzandro Nogueira, da Mega-Fácil, Estefferson Nogueira, Presidente da OAB, Advogado Alexandre Rodrigues, os bancários Glewbber Mourato, Wendel, Josenildo e Dr. Barbosa Neto, ex-vereador de Serra Talhada.

De acordo com Glewbber Mourato e Elyzandro Nogueira, foi feito o convite para o grupo de amigos ouvirem o candidato ao governo de Pernambuco. Destacando que o mesmo pode fazer com os demais candidatos. “Estamos para ouvir qualquer um dos candidatos, Lóssio é um quadro importante de se ouvir, pelo trabalho enquanto prefeito de Petrolina”. Disse Mourato.

https://www.folhape.com.br/obj/41/289920,930,80,0,0,930,520,0,0,0,0.jpg

Duas figuras marcantes dos anos 90 na política brasileira estão de volta ao cenário eleitoral, desta vez, como candidatas. Trata-se de Thereza Collor de Mello, ex-cunhada do ex-presidente do Brasil, Fernando Collor, e Rosane Malta, ou Rosane Collor, como ela usa agora, ex-primeira dama do Brasil.

Thereza, que foi casada com Pedro Collor, irmão de Fernando, é candidata à deputada federal por São Paulo, pelo PSDB. Na época ela foi considerada a musa do impeachment Collor. Recifense, radicada em Maceió, e há 15 anos mora em São Paulo. Aos 55 anos, ela tem como lema combater a corrupção. Nas redes sociais, conhecida por sua elegância, ela tem arregaçado as mangas e visitando diversos municípios de São Paulo. Ela é casada com o empresário Gustavo Halbreich.

Já Rosane, ex-esposa de Fernando, e que já protagonizou cenas como a famosa entrevista ao ‘Fantástico’ que revelava os problemas no recebimento com a pensão paga pelo ex-marido, é candidata à deputada estadual por Alagoas, pelo PHS. Ela faz questão de colocar em seu slogan: “Ficha Limpa”, desde a separação usando Malta no sobrenome, resolveu inserir o Collor para a disputa. Já publicou, inclusive, live no instagram fazendo o porta a porta ao lado do candidato a reeleição ao Governo de Alagoas, Renan Filho. Rosane foi considerada a primeira-dama mais jovem do País. É clássica a imagem dela descendo a rampa no Palácio do Planalto após a decisão do impeachment.

Em tempo, Rosane e Thereza trocam farpas até hoje. Já Collor, pivô de toda a briga, deve ser candidato ao Governo de Alagoas, pelo PTC.

A quantidade de energia roubada daria para fornecer eletricidade para cerca de 8 mil casas / Foto: Reprodução/PCPE

Uma operação da Polícia Civil flagrou estabelecimentos roubando energia da Celpe, após uma denúncia da companhia sobre a prática criminosa. Na manhã desta quarta-feira (22), agentes da polícia e técnicos da Celpe estiveram em seis pontos, sendo três frigoríficos, que ficam nos bairros de Parnamirim, Boa Vista e Água Fria, dois supermercados e uma academia de ginástica, no Ibura, bairros do Recife e da Região Metropolitana. O desvio de energia chega a R$ 1 milhão, em apenas um mês.

De acordo com o delegado Joselito Kehrle, chefe da Polícia Civil sobre a Operação Clandestinus, a iniciativa tem o objetivo de combater o furto de energia elétrica. “Inspeções realizadas pela Celpe deram um norte de onde deveríamos ir, foi quando visitamos os estabelecimentos e comprovamos o crime”, conta o delegado.

O Gerente de Transmissão da Celpe, Fábio Barros, disse em coletiva que há seis meses a companhia fiscalizava estes endereços. “Eles já tinham sido flagrados antes, após a equipe de inteligência identificar irregularidades nos registros. Eles foram notificados com uma conta a ser paga no valor do que consumiram ilegalmente, mas depois voltaram a roubar energia de novo”, destaca Fábio.

“A quantidade de energia roubada pelos seis estabelecimentos daria para fornecer eletricidade para todo o bairro da Torre, durante um mês, o que equivale a aproximadamente 8 mil residências”, completou o gerente da companhia. De R$ 1 milhão equivalente à energia obtida ilegalmente, R$ 300 mil de impostos deixaram de ser pagos ao Governo.

Os donos dos comércios autuados foram levados à delegacia para prestar depoimento. Eles podem ser presos por furto ou estelionato. Por este último não há fiança. “Precisamos coibir essa prática criminosa, pois no final, quem paga o preço mais alto na conta é o consumidor regularizado”, relata Joselito Kehrle.

Dados

Segundo Fábio Barros, a Celpe faz anualmente cerca de 125 mil inspeções direcionadas a este crime. Desta quantidade, 30% dos casos são confirmados como roubo de energia, o que equivale a uma média de 3.750 pessoas notificadas por fazer os conhecidos “macacos” nos postes.