Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Por Ademar Rafael Ferreira (Papa)*

Ade maleu lapa-el – É esse tal de RISCO OPERACIONAL? Traduza-o em linhas gerais.

Papa – O RISCO OPERACIONAL deriva de processos internos, pessoas e sistemas inadequados ou falhos, ou de eventos externos e pode fazer surgir outros riscos. Uma falha no processo de produção de uma indústria pode causar um dano ao meio ambiente e provocar um prejuízo para organização por meio do RISCO DE IMAGEM. A condução inadequada de um processo pode gerar perdas via RISCO LEGAL.

O Conselho Monetário Nacional, por meio da Resolução 3.380, de 29.06.2006, considera-se risco operacional “a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos“. Esta definição corrobora com o que está enunciado acima. Tal normativo traz em seu texto alertas sobre o surgimento de outros riscos uma vez a inadequação ou deficiência em contratos, as sanções em razão do descumprimento de dispositivos legais e a indenizações por danos a terceiros decorrentes das atividades desenvolvidas podem gerar perdas irreparáveis.

Encontramos na literatura sobre o tema muitos textos que dão clareza sobre os fatores de risco, reproduzimos aqui conteúdo publicado pelo Banco do Brasil, em documento direcionado ao mercado: “Processos – Fluxos e etapas do desenvolvimento de produtos e serviços e condução de atividades da organização, definição dos normativos internos e aderência à legislação; Pessoas – Relacionam-se à competência, conduta ética e desempenho das suas atribuições; Sistemas – Infraestrutura e arquitetura de TI, disponibilidade de armazenamento, processamento e rede e Eventos Externos – Relacionados com as ocorrências do meio ambiente, do ambiente social e do ambiente regulatório do país”.

Entre os estudiosos sobre o assunto existe consenso sobre a necessidade de serem criados mecanismos de controles internos para redução e anulação total de RISCO OPERACIONAL. Sugerem os profissionais da área que a principal ferramenta para impedir o surgimento de referidos risco é a implantação de programas que envolvam revisão sistemática dos processos; treinamentos continuado para as pessoas envolvidas; utilização de sistemas confiáveis, com controles de acesso e interlocução permanente com o ambiente externo.

Para fugir de perdas geradas com RISCO OPERACIONAL os investidores carecem de informações não manipuláveis e disponíveis nas plataformas dos órgãos fiscalizadores. Conhecer os parceiros é um caminho para evitar surpresas e prejuízos. Sempre alerta.

(*) – Adaptações livres de textos de sites da PWC, BB, BCB E AMBIMA.

Que tal aprender inglês de uma maneira diferente? É assim que funciona o projeto “Aventuras em Inglês”, do Centro de Libras e Línguas Estrangeiras (CELLE) do campus do IFPE em Afogados da Ingazeira. O curso acontece uma vez por semana.

Nele, os estudantes jogam RPG (Role Playing Game) e aprendem a língua inglesa de uma maneira divertida. No RPG, os jogadores interpretam personagens de uma história contada pelo narrador. Além da prática da língua, no cenário do jogo são discutidos temas desde as questões de refugiados até a importância de relacionamentos saudáveis.

De acordo com o professor Ivo Marinho, idealizador do projeto, a iniciativa visa trazer ludicidade ao ensino do inglês, fazendo com que os estudantes se divirtam, aprendam mais e se sintam mais motivados e engajados.

No jogo, que se dá em um cenário de fantasia medieval típico dos jogos de RPG, passa-se em um período de grandes transformações políticas, sociais e econômicas em nível mundial.

“Dessa forma, o palco é propício para a discussão de muitíssimos assuntos da contemporaneidade de uma maneira mais lúdica e adequada ao momento de vida de nossos estudantes. É importante que se considere que o processo de aprendizado de um novo idioma se dá quando se consegue vincular as expressões a situações comunicativas. Encarar essas situações durante o jogo ajuda a fixar de maneira mais eficiente o idioma”, explica o professor Ivo.

A cidade de Triunfo, no Sertão pernambucano, vai receber o curso gratuito Exposições Acessíveis para Pessoas com Deficiência. Oferecido com o incentivo do Funcultura, o curso é destinado a pessoas que trabalham na área de artes visuais, como curadores, gestores de instituições culturais, museólogos, produtores culturais, arte-educadores e técnicos das áreas de expografia. Serão disponibilizadas 20 vagas. A intenção é capacitar os profissionais da cultura no planejamento e na execução de exposições acessíveis a todos os públicos. As inscrições vão até o dia 31 de agosto pelo site www.arkhecultural.com.br. As aulas serão de 16 a 20 de setembro, na Fábrica de Criação Popular. O curso também será oferecido no Recife, em Caruaru e em Nazaré da Mata.

O conteúdo das aulas abrange desde a legislação de referência na área, os processos de inclusão social nos museus e instituições culturais, os diversos tipos de acessibilidade, os dispositivos utilizados, como aplicativos, legendas, maquetes táteis, até a mediação sociocultural das pessoas com deficiência. As aulas serão ministradas por três formadores: Fernanda Araújo, psicóloga, Doutora em Educação pela UFPE, com pesquisas na área de Educação Inclusiva; Artur Mendonça, professor do Instituto de Cegos do Recife, especialista em acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência; e Everson Melquíades, pedagogo, Doutor em Educação e professor da UFPE.

De acordo com a legislação, a acessibilidade precisa ser irrestrita. Isso quer dizer que a visita acessível a uma exposição não pode ser limitada a dias ou horários específicos, restritos. “Se você vai a uma peça de teatro, por exemplo, o ideal é que todas as sessões sejam acessíveis”, explica Artur Mendonça. Para o professor, na área de artes visuais, um dos exemplos positivos recentes é a Fenearte, realizada no último mês de julho. Além de conscientizar os profissionais da cultura sobre a acessibilidade plena, o professor explica que é preciso desmistificar as supostas dificuldades para possibilitar a acessibilidade, relacionadas, principalmente, aos custos financeiros. “O preço da exclusão é muito maior. A tecnologia facilitou bastante a vida das pessoas com deficiência, hoje temos muitos recursos disponíveis, mas é preciso que o produtor cultural esteja disposto a pensar nisso desde a concepção do projeto da exposição”, defende. Outras informações sobre o curso estão disponíveis no site.

Serviço:

Curso – Exposições Acessíveis para Pessoas com Deficiência

Inscrições: de 1º a 31 de agosto, pelo site www.arkhecultural.com.br

Quanto: gratuito

Programação de aulas:

Triunfo – de 16 a 20 de setembro, na Fábrica de Criação Popular, no Sesc Triunfo

Carga-horária: 40 horas

https://www.serratalhada.pe.leg.br/institucional/noticias/saminina-assume-assessoria-da-camara-municipal-de-vereadores-de-serra-talhada/@@images/879375eb-fe07-489b-93bd-74bd19c8767e.jpeg

Do MPPE

A Câmara de Vereadores de Serra Talhada precisa, de acordo com recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), devolver os servidores cedidos de outros órgãos, cujos cargos ou funções sejam os mesmos em que há candidatos aptos no último concurso público realizado no município, assim como preencher as vagas com os aprovados.

É também necessário que a Câmara se abstenha de realizar novas solicitações de cedência de servidores, exceto quando a necessidade do órgão não for suprida pelo seu quadro de pessoal permanente e não houver candidatos aptos no concurso público vigente a ocuparem a vaga, bem como se dê para fins determinados e por prazo certo.

No ano passado, a Câmara Municipal de Serra Talhada realizou concurso público para preenchimento de vagas em diversos cargos de nível superior, médio e fundamental. O concurso foi homologado em 18 de janeiro de 2019 e seu prazo de validade é de dois anos, prorrogável por igual período.

“Parte das vagas ofertadas no edital ainda não foram ocupadas pelos candidatos aprovados no certame”, constatou o promotor de Justiça Vandeci Sousa Leite. Também foi apurada a existência de servidores cedidos da administração pública municipal de Serra Talhada e de Triunfo em funções inerentes aos cargos oferecidos no concurso da Câmara de Serra Talhada.

“A Lei Orgânica do Município de Serra Talhada não prevê o instituto da cessão de servidores e que o Município adota o Estatuto dos Servidores do Estado de Pernambuco como regime administrativo dos seus funcionários, recai portanto sobre o quadro de pessoal da Prefeitura Municipal de Serra Talhada”, esclareceu o promotor de Justiça.

Vandeci Sousa Leite ainda citou o Decreto Nº 44.105, de 16 de fevereiro de 2017, que em seu artigo 4º prescreve: “Art. 4º As cessões interna e externa devem ocorrer para fins determinados e prazo certo mediante solicitação da autoridade máxima do órgão ou entidade interessada, instruída com aquiescência do titular do órgão ou entidade de origem do servidor, que deve permanecer exercendo suas funções no órgão de origem até a publicação da autorização necessária.”

Assim, os aprovados devem ser nomeados até o término do prazo de validade do concurso dentro do número de vagas oferecidas no edital do certame. “O que apenas poderá ser afastado diante de excepcional justificativa, devidamente motivada de acordo com o interesse público, passível de controle pelo Poder Judiciário”, especificou o promotor de Justiça.

Fernando de Noronha

A Justiça Federal suspendeu nesta quinta-feira (22) a transferência do oceanógrafo José Martins da Silva Júnior, especialista em golfinhos que atua em Fernando de Noronha há mais de 30 anos, para a Floresta Nacional de Negreiros, outra unidade de conservação no Sertão pernambucano.

A mudança havia sido assinada em 4 de agosto pelo presidente do instituto, o coronel Homero de Giorge Cerqueira, escolhido em maio pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para chefiar o órgão ambiental federal. O prazo para que o oceanógrafo se apresentasse em Negreiros terminava em 2 de setembro.

Em uma decisão liminar (provisória), porém, a juíza Edna Márcia Ramos, da 13ª Vara Federal Cível do Distrito Federal, entendeu que havia um risco de a medida –ou seja, a remoção do servidor– ser irreversível. Por isso, suspendeu a transferência até que o mérito da questão seja julgado.

Para ela, ainda são necessárias mais provas para a decisão final. O oceanógrafo havia entrado com um pedido na Justiça para que pudesse permanecer em Noronha.

A defesa argumenta que o processo não seguiu regras internas do ICMBio: um formulário não foi preenchido, o servidor e seus chefes não foram ouvidos e ele só soube da remoção após a decisão estar tomada.

Também alega que José Martins possui a condição de residente permanente da ilha, garantida a poucas pessoas, e que ganhou no último dia 30 de julho o direito de receber um lote para construir uma casa, que seria perdido com a sua remoção.

Cita ainda que o destino fica a mais de 500 km do oceano e que Martins sempre trabalhou com conservação de mamíferos aquáticos e “sequer possui curso de fiscalização ou formação em gestão socioambiental”, sendo que haveria 344 pessoas com essa certificação para trabalhar em Negreiros.

“Além de impedir uma perversa injustiça contra um servidor exemplar, a decisão também assegura a efetividade do seu importante trabalho de defesa do meio ambiente no arquipélago”, disse em nota Mauro Menezes, advogado do oceanógrafo. Continue reading

A previsão do tempo divulgada pela Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) é de céu parcialmente nublado, com chuva rápida de intensidade fraca, na madrugada e no início da manhã desta sexta-feira (23), no Grande Recife.

As regiões da Zona da Mata Norte e Sul recebem essa mesma previsão, com tendência de temperatura máxima de 30°C e mínima de 17°C.

Segundo a Apac, o Sertão de Pernambuco tem o tempo nublado sem chuva e registra a temperatura mais elevada e mais baixa do Estado com 34°C e, apenas, 15°C.

Confira a previsão completa:

Região Metropolitana

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 31º Mínima: 19º

Mata Norte

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 30º Mínima: 17º

Mata Sul

Parcialmente nublado com chuva rápida de forma isolada no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 30º Mínima: 17º

Agreste

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 31º Mínima: 16º

Sertão de Pernambuco

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 34º Mínima: 15º

Sertão de São Francisco

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 34º Mínima: 18º

ctv-mac-mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quinta-feira (22), após participar da abertura de um congresso sobre saúde suplementar, que o governo está preparando para o mês de outubro uma campanha de multivacinação para que as pessoas possam colocar a carteira de vacinação em ordem. Os registros já serão feitos em uma carteira digital.

“Porque é muito difícil ter em memória qual vacina e quando tomou, se vai viajar para algum lugar que exige a vacina. O aplicativo de vacinas no meio eletrônico vem para facilitar muito o controle das famílias”, explicou Mandetta.

O ministro ressaltou estar alerta ao controle do sarampo em São Paulo, e que já foram aplicadas quase 8 milhões de doses no estado. “Aqui em São Paulo estamos medindo dia a dia, semana a semana, e já há uma tendência de estabilização e queda. Estamos monitorando para saber como isso vai se comportar”.

De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, até o dia 19 de agosto foram registrados 11.206 casos suspeitos de sarampo, sendo 1.797 confirmados, 989 descartados e 8.420 em investigação. Até o momento, não houve registro de mortes causadas pela doença.

Os casos suspeitos e confirmados estão distribuídos em 74 cidades, sendo que a maioria está na região metropolitana de São Paulo. O maior percentual de casos confirmados é na faixa etária de 15 a 29 anos (46,4%).

Segundo Mandetta, é muito importante que a vacina não seja dada aleatoriamente, e sim com atenção aos alvos específicos, como os bebês com menos de 12 meses de idade. “Estamos recomendando a vacina para crianças com menos de um ano, porque há muitas mães que não passaram anticorpos para os seus filhos porque não eram vacinadas ou não porque não amamentaram. Essas crianças quando ‘fazem’ sarampo podem ‘fazer’ de forma muito grave. O sarampo causa cegueira, pneumonia severa e pode matar”, disse o ministro.

Mandetta lembrou que a geração de pessoas na faixa de 15 anos a 30 anos de idade, que tomava apenas uma dose da vacina, e que quando perceberam que esse grupo precisava da segunda dose, essa população passou a ser prioritária. “Não adianta vacinar uma pessoa de 70, 80 anos, porque ela provavelmente teve ou entrou em contato com o sarampo na época que não se vacinava, nos anos 50, 60, 70, quando tínhamos epidemias”.

Planos de Saúde

O ministro disse que o governo vem revisando portarias e normas estabelecidas nos últimos 30 anos para desburocratizar os planos de saúde, e talvez baratear os custos da operadora, que acabam sendo repassados para o consumidor. “Nas regras do infralegal, o que pudermos fazer para dar leveza, sim, vamos fazer. No texto em lei, o Congresso está discutindo, tem projetos em andamento, nós colaboramos dando nossas sugestões, mas é de autonomia do Congresso Nacional”.

Deputado federal Eduardo Bolsonaro Foto: ADRIANO MACHADO / REUTERS

O Globo

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) compartilhou em sua conta do Twitter nesta quinta-feira um vídeo que chama o presidente da França, Emannuel Macron, de “idiota”. O tuíte foi feito horas após o líder francês convocar o bloco econômico G7 a discutir as queimadas na Amazônia. A Cúpula do G7 começa neste fim de semana em Biarritz, na França.

O presidente Jair Bolsonaro deve apresentar ao Senado em setembro a indicação oficial do deputado Eduardo Bolsonaro para assumir a Embaixada do Brasil em Washington. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o líder do governo no Senado Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) e o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, comandam a articulação na Casa para a aprovação da eventual indicação do filho do presidente.

Informalmente, integrantes da Comissão de Relações Exteriores, que sabatinarão o deputado, dizem que há oito integrantes contrários à indicação; sete, a favor; e quatro indecisos. Na tentativa de ganhar votos, Eduardo tem feito visitas a senadores. 

O relator da reforma da Previdência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), disse que não conseguirá protocolar seu parecer sobre o projeto nesta sexta-feira (23), como era planejado.

Ele justificou o atraso dizendo que as audiências públicas sobre a reforma no sistema previdenciário se estenderam.

O senador disse que usará o fim de semana e o início da próxima semana para trabalhar no texto, mas não estabeleceu uma nova data para entrega. Afirmou apenas que será na próxima semana.

Com o adiamento, o cronograma de tramitação da Previdência deve sofrer um atraso de 4 ou 5 dias. Marcada para a próxima quarta-feira (28), a leitura do relatório está em suspenso. O fim da tramitação era esperado para 10 de outubro.

Eduardo pode atrapalhar

Ainda conforme o relator, a possível indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, ao cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos pode atrasar ainda mais o cronograma. “Pode radicalizar as discussões aqui, nascerem ressentimentos. Que não é um clima ideal para aprovar uma reforma complexa como essa”, disse Jereissati.

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal votou nesta quinta-feira (22) contra a redução de salários e a jornada de trabalho de servidores públicos quando os gastos com pessoal ultrapassarem o teto de 60%, percentual estabelecido pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

O placar estava em 6 a 4 quando o presidente do STF, Dias Toffoli, suspendeu o julgamento por conta da ausência do ministro Celso de Mello, internado na quarta-feira por risco de pneumonia. A nova data do julgamento não foi definida.

Votaram contra a possibilidade de diminuição de salários os ministros Edson Fachin, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Luiz Fux e Marco Aurélio. Foram a favor: Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes e Dias Toffoli. A medida é vista pelos governadores e prefeitos como uma forma de resolver, temporariamente, a crise fiscal dos Estados e municípios.

De acordo com a LRF, as unidades da Federação e as cidades não podem ter mais de 60% das receitas com despesa de pessoal. Se o percentual for ultrapassado, fato que está ocorrendo em alguns estados, medidas de redução devem ser tomadas, como redução ou extinção de cargos e funções comissionadas. O Artigo 23 também estabeleceu que é facultativa a redução temporária da jornada de trabalho com adequação dos vencimentos à nova carga horária. Continue reading

Lula concede entrevista na prisão (15/05/2019) Foto: Reprodução

ÉPOCA

Acostumado a sofrer derrotas no Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva espera novos julgamentos de pedidos de liberdade pela Corte com as esperanças renovadas, diante do intenso desgaste sofrido pela Operação Lava Jato nos últimos meses, desde que foram reveladas conversas comprometedoras atribuídas a procuradores federais e ao ex-juiz Sergio Moro (hoje ministro da Justiça) pelo site The Intercept Brasil.

Em um sinal positivo, Lula obteve neste mês uma importante vitória no STF, quando o plenário barrou, por 10 votos a 1, a transferência do ex-presidente da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para um presídio comum em São Paulo.

No entanto, apesar dessa recente conquista e dos questionamentos sobre a legalidade da operação, as chances de o petista ser solto continuam incertas.

As maiores expectativas estão na análise de dois recursos — um que questiona a imparcialidade de Moro e outro que pede a suspeição da força-tarefa da Java Jato.

No entanto, esses dois habeas corpus , que têm potencial de anular processos e condenações contra Lula na 13ª vara de Curitiba, ainda não têm data marcada para julgamento. Há ainda outros dois recursos, mas de menor importância, que serão julgados nesta e na próxima semana.

A grande questão que deve definir a soltura ou não de Lula é se os ministros que compõem a 2ª Turma do Supremo (Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Celso de Mello, Edson Fachin e Ricardo Lewandowski), responsável por analisar os recursos do ex-presidente, vão considerar autênticas e válidas como prova a favor de Lula as conversas reveladas pelo The Intercept Brasil — aparentemente extraídas da conta de procurador Deltan Dallagnol no aplicativo Telegram.

Moro e procuradores da Lava Jato têm dito que não reconhecem a autenticidade das mensagens e que elas podem ter sido adulteradas por hackers. Já o The Intercept Brasil afirma que recebeu o material de uma fonte anônima. Entenda a seguir os recursos de Lula que serão analisados pelo STF — entre eles, os dois pedidos que decidem sobre sua libertação.

1) Suspeição de Moro

O habeas corpus (HC) 164493, que questiona a imparcialidade de Moro quando era juiz e tem potencial de colocar Lula em liberdade, foi apresentado em novembro de 2018, meses antes do início da revelação dos diálogos pelo site The Intercept Brasil, em 9 de junho. Seu julgamento está interrompido por pedido de vista de Gilmar Mendes e ainda não há data para sua retomada.

Caso o recurso seja aceito pelo STF, pode levar a anulação de todos os atos processuais de Moro quando era juiz em processos e inquéritos contra Lula. Isso cancelaria a condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mesmo que a sentença já tenha sido confirma pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Continue reading

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Na avaliação dos líderes influentes em meios de comunicação do continente, o presidente Jair Bolsonaro ocupa uma das últimas posições no ranking de aprovação entre os chefes de Estado da América Latina. O número é fruto de uma pesquisa da consultoria Ipsos, com base em entrevistas com formadores de opinião. O levantamento, realizado com influenciadores de 14 países, mostra que o desempenho do ultradireitista Bolsonaro como presidente foi aprovado por 29% dos entrevistados à frente apenas de seu antípodas ideológicos, o cubano Miguel Díaz-Canel (18% de aprovação), à frente do regime comunista da ilha, e do venezuelano Nicolás Maduro (3% de aprovação), em profunda crise e tendo Juan Guaidó como mandatário reconhecido por dezenas de países.

A Ipsos destaca que a pesquisa realizada com uma amostra de 403 entrevistados não é representativa do total das sociedades latino-americanas. Porém, refletem a relação destes líderes com jornalistas e outros formadores de opinião. Quando consideradas apenas as respostas dadas por brasileiros, a imagem de Bolsonaro, que já fez ataques diretos aos jornais e TVs no Brasil, piora. Sua aprovação cai para 21%, conforme os dados divulgados em agosto deste ano, contra 45% na pesquisa realizada em novembro de 2018, logo após as eleições presidenciais.

O presidente latino-americano com melhor imagem entre os formadores de opinião da região é conservador liberal Sebastian Piñera, do Chile, que ocupa o primeiro lugar com 68% de aprovação. Em segundo lugar está o esquerdista moderado Tabaré Vásquez, presidente do Uruguai, com 65%.

A diferença mais notável entre a medição de novembro de 2018 e a mais recente é a queda na aprovação de Andrés Manuel López Obrador, presidente do México eleito no ano passado, cuja aprovação entre os formadores de opinião do país caiu de 64% para 20%. Considerando a opinião de todos os entrevistados na região, sua imagem também piorou: de 60% para 44% de aprovação. O esquerdista subiu ao poder com uma agenda anticorrupção e promessas de mudar o modelo neoliberal. Na prática, porém, suas medidas econômicas ainda estão longe de cumprir sua promessa de crescimento sustentável de 4% do PIB durante seu Governo. No segundo trimestre deste ano, o PIB mexicano avançou só 0,2%. Continue reading

Três peritos e um agente da Polícia Federal estiveram nesta quinta-feira (22), na sede do Ministério da Educação (MEC). Uma investigação foi aberta após o MEC identificar indícios de sabotagem nos sistemas da pasta.

Os investigadores foram recebidos pelo diretor de Tecnologia da Informação do MEC, Daniel Rogério. “A DTI [Diretoria de Tecnologia e Informação] apoia os trabalhos da Polícia Federal, de forma imparcial. E espera que o inquérito esclareça o que aconteceu”, disse.

Após colherem informações, os policiais seguiram para a sala cofre, onde ficam armazenados os servidores da pasta e os equipamentos de segurança. Os peritos levaram materiais que podem ajudar na apuração dos fatos, como um HD com dados.

As suspeitas de sabotagem foram comunicadas à Polícia Federal pelo próprio MEC. No dia 8 de agosto, a pasta anunciou o envio de informações para a PF. Quatro dias depois, o inquérito foi aberto.

Na época, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, garantiu que a população não seria prejudicada e determinou que os prazos dos serviços que apresentaram instabilidade fossem prorrogados. Os sistemas já foram restabelecidos e funcionam normalmente. Ainda não há prazo para a conclusão das investigações.

Andando pelas ruas, avenidas, estradas e demais vias de Afogados da Ingazeira, não é difícil se deparar com inúmeros animais soltos, muitos deles com doenças sérias, que precisam de atenção. Mas na realidade são cenas que se mostram comuns no cotidiano dos afogadenses, independente do bairro: cachorros de todo porte, circulando livremente, se pudessem, até zombando da cara das autoridades competentes, que estão no faz de contas e se fazem não enxergar nada.

https://1.bp.blogspot.com/-P2SZIjTWJ8s/XV5x8t_tWyI/AAAAAAADZY8/5C4wwEuBjl8W9mQFaOmUbyDaausTBR6mwCLcBGAs/s400/animais%2Bnas%2Bruas%2Bde%2Bafogados.jpg

“Cachorro solto nas ruas pode ocasionar bastante dor de cabeça ao seu dono”, bonita a frase, mas, só se houvesse o dono. Cachorros soltos nas ruas de Afogados da Ingazeira sempre foi motivo de discussão e de inúmeras reclamações, quer seja através dos blogs ou mesmo pelas rádios da cidade.

Animais perambulando pelos bairros e principalmente pelo centro como mostra a foto acima registrada nesta quinta-feira na Avenida Rio Branco, e consequentemente investindo contra pessoas, como diz o blog de Cauê Rodrigues, podem gerar problemas na justiça, mas se esses animais não têm donos, como fica? Então a responsabilidade passa a ser do poder público municipal? Que vem protelando o quanto pode para não arrumar um lugar adequado e destinar esses animais.

Em pensar que o cartão postal de Afogados da Ingazeira seria ou já foram suas praças, igrejas, e porque não o seu comércio? Mas não, hoje o sinônimo de beleza, boniteza da cidade, são os cachorros soltos, muitos até com doenças infectocontagiosas, mas os governantes competentes estão a administrar a cidade de olhos para o umbigo, ou para as próximas eleições? Se a opção for a segunda, então terão que agir um pouco mais rápido. O tempo urge, e em se tratando de cabeças já cansadas de tantos discursos do além-mundo, ai é que os ponteiros rodam ligeiro.

Por diversas vezes vimos adesivos colados em para-brisas de veículos com os dizeres “Orgulho de ser nordestino”, mas em Afogados da Ingazeira, em se tratando desses amontoados de cachorros perambulando pelas suas ruas e diante da omissão dos governantes, será que um dia poderíamos colar adesivos nos automóveis nos sentindo orgulhosos de ser afogadense? Não custa pensar nisso.

Daniel Marenco

Jair Bolsonaro subiu um degrau na provocação em relação à sucessão do superintendente da PF no Rio de Janeiro, Ricardo Saadi e declarou:

— Se eu não posso trocar o superintendente, eu vou trocar o diretor-geral. Se eu trocar hoje, qual o problema? Está na lei. Eu que indico, e não o Sergio Moro. E ponto final, disse Bolsonaro. 

A sugestão de sacar Maurício Valeixo do cargo pegou o diretor-geral em eventos da PF em Salvador. Valeixo não se manifestará.

No entorno de Valeixo, no entanto, a declaração de Bolsonaro foi vista como uma tentativa de diminuir o poder de Sergio Moro que, afinal, escolheu Valeixo para o cargo que ocupa desde janeiro.

Diz um integrante da cúpula da PF:

 — Quem nomeia o diretor-geral é o ministro da Justiça. Então, o que aconteceu é mais uma das estocadas do presidente no Sérgio Moro.