Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Um dos dois homens que deram entrada Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife, após serem queimados, morreu, na madrugada desta quarta-feira (15). Iago Estevão da Silva, de 19 anos, e José Carlos da Silva Santos, de 44 anos, foram encaminhados do município de Tabira, no Sertão de Pernambuco, para a unidade.

A informação inicial, segundo a polícia, era de que, na noite dessa segunda-feira (13), Iago teria recebido a ligação de um conhecido, marcando um encontro, e ido ao local junto com José Carlos. Ao chegar ao lugar, eles teriam sido surpreendidos por dois homens em uma moto, que jogaram gasolina e atearam fogo nos dois.

Denúncia

No entanto, antes de morrer, José Carlos da Silva Santos contou para a família que Iago Estevão o levou ao local, dizendo que era para o encontro, e ao chegar lá, o jovem teria ateado fogo nele. Em chamas, José Carlos teria abraçado o suspeito, que acabou ficando com 40% do corpo queimado.

Segundo a nora de José Carlos, a mãe dele informou que em Tabira já foi identificado o posto onde foi comprada a gasolina supostamente usada no crime, e que vídeos mostram essa aquisição, por parte de Iago.

Iago Estevão da Silva segue internado no Hospital da Restauração, e o caso está sendo investigado pela Delegacia de Tabira. José Carlos da Silva Santos será enterrado na tarde desta quarta-feira (15), no município. Com informações do NE10.

Oposição estranha pesquisa da FolhaPE que coloca Paulo Câmara á frente de Armando Monteiro

O desgaste do governador Paulo Câmara (PSB) foi minimizado pela pesquisa da Folha-Ipespe que, surpreendentemente, colocou o governador Paulo Câmara, candidato á reeleição na frente com cerca de 30%. 

Armando Monteiro Neto urge em segundo lugar, com 24%, no limite da margem de erro, que é 3,5 pontos percentuais. Em pesquisas da oposição o  governador sofre uma rejeição de quase 70%.

O resultado foi definido como “estranho e equivocado” pela oposição, entre os quais pessoas ligadas à própria Marília Arraes (PT) rifada da disputa.

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 13 de agosto, por telefone, ouvindo 800 pessoas, definindo cotas de sexo, idade, localidade, instrução e renda.

A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,45%. Como manda a lei, o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números de protocolo BR-06973/2018 e PE-07336/2018 e fez a seguinte pergunta: “Se a eleição para Governador de Pernambuco fosse hoje e os candidatos fossem esses que vou ler, em quem o(a) Sr(a) votaria para Governador?”.

O ex-deputado federal Maurício Rands (PROS), que apresentou sua candidatura no final do prazo das convenções partidárias, apareceu na pesquisa estimulada com 4% das intenções de voto.

Já a advogada Danielle Portela (PSOL) e o ex-prefeito de Petrolina Júlio Lóssio(Rede) pontuaram 3% cada. Simone Fontana, do PSTU, teve 2% das menções. Brancos, nulos ou “nenhum” representam 27% dos entrevistados. Já os indecisos ou os que não responderam aparecem com 8%.

Na última segunda-feira (13), a Secretaria Municipal de Saúde de Serra Talhada realizou a entrega dos novos fardamentos e equipamentos de trabalho para os Agentes Comunitários de Saúde (ACS). A entrega aconteceu na Câmara de Vereadores, contemplando Cerca de 250 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Endemias (AE). Os profissionais receberam camisas de manga curta, camisas de manga longa, bonés, bolsas e balanças.

Presente no evento ao lado da secretária de Saúde Márcia Conrado, o prefeito Luciano Duque comentou a importância da iniciativa. “Os nossos agentes de saúde e agentes de endemias podem trabalhar com mais segurança e eficiência com os novos kits ofertados pelo Governo Municipal. São elementos necessários para que a ação deles aconteça de forma eficiente. É desse jeito que Serra avança! Reconhecendo o trabalho de quem se doa para preservar nossa saúde”.

Dando sequência ao calendário de atividades do mês de agosto, a Secretaria de Saúde iniciou as Caravanas da Saúde, com mutirão de exames laboratoriais no bairro Borborema, onde foram realizados mais de 500 exames na Unidade de Saúde da Família – USF. A Caravana da Saúde segue para a USF Malhada, na sexta-feira (17), a partir das 13h, e USF Bom Jesus I, na sexta-feira (24), a partir das 07h.

O cronograma de atividades da saúde conta ainda com apresentação sobre a estrutura da saúde pública do município na Unidade Acadêmica de Serra Talhada – UAST, nesta quarta-feira (15), às 14h; carrossel de diálogo com a população quilombola, na sexta-feira (17), às 08h; Dia D de vacinação contra o sarampo e a pólio, no sábado (18), das 07h às 17h, no Centro de Saúde e em todas as Unidades de Saúde da Família; inauguração do Altino Ventura, na segunda-feira (20), às 08h; capacitação na CDL sobre o público LGBT, na quinta-feira (23), às 08h; e campanha do CTA nos polos da Festa de Setembro.

NOVO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE

A nova composição do Conselho Municipal de Saúde foi aclamada na última terça-feira (14). O conselho é formado por representantes da sociedade civil e governo. Os novos integrantes são Vânia Melo (presidente), Rafaela Terto (vice-presidente), Leonardo Monteiro (1º secretário) e Marília Inês (2ª secretária). As informações são da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Serra Talhada.

A menina está internada em Petrolina / Foto: Reprodução / TV Jornal

Uma adolescente de 14 anos teve uma faca cravada  após tentar separar uma briga de irmãos, no domingo (12), em Araripina, no Sertão de Pernambuco. O incidente aconteceu na casa da família, na Rua São Francisco. De acordo com a Polícia Militar, um adolescente de 13 anos, irmão da vítima, afirmou que jogou a faca durante uma briga com o irmão e acabou atingindo a garota no lado esquerdo da cabeça. 

Gravidade

A adolescente foi levada para um hospital da cidade e foi transferida em seguida para o Hospital Regional Fernando Bezerra (HRFB), em Ouricuri, no Sertão. Por causa da gravidade do ferimento, a adolescente foi encaminhada para o Hospital Universitário (HU) de Petrolina.

A Polícia Militar foi acionada pelos profissionais do Hospital Regional Fernando Bezerra e o caso foi registrado pela Polícia Civil. Até o fechamento da matéria não havia mais informações sobre o quadro de saúde da adolescente.

Reunião Plenária

A deputada Socorro Pimentel (PTB) cobrou ao Governo do Estado, em discurso na Reunião Plenária desta terça (14), que pague os valores devidos aos pipeiros contratados para abastecer a população que sofre com a seca no Sertão. Segundo a parlamentar, alguns profissionais aguardam o pagamento há 22 meses, e a dívida do Poder Executivo com a categoria chega à cifra de R$ 4 milhões.

“Existem trabalhadores que estão vendendo seus caminhões para pagar aos postos de combustíveis e oficinas mecânicas. Isso compromete a subsistência de inúmeras famílias”, lamentou a deputada. De acordo com a petebista, o abastecimento da região também vem sendo comprometido pela ausência de manutenção de reservatórios e outros equipamentos hídricos.

“Estive no município de Santa Filomena e testemunhei a preocupação das pessoas com a Compesa, que vem orientando a população a consumir uma água de qualidade duvidosa”, relatou Socorro Pimentel, informando que colheu amostras e as encaminhou para análise laboratorial. “Proponho que medidas permanentes sejam adotadas para que o sertanejo se liberte da indústria da seca”, concluiu.

https://i0.wp.com/nilljunior.com.br/wp-content/uploads/2016/11/ifpe.jpg?fit=630%2C380

O Instituto Federal de Pernambuco -IFPE – lançou nesta sexta-feira (10), o edital do Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de vagas remanescentes do Vestibular 2018.2 para o campus Afogados da Ingazeira. O período de inscrição vai de 13 a 17 de agosto, e estão sendo ofertadas 79 vagas para o IFPE – Afogados, que dispõe dos cursos técnicos de Saneamento, Informática, Eletroeletrônica e Agroindústria, os quais estão distribuídos nas modalidades Subsequente, voltada para quem já concluiu o Ensino Médio; e Integrado, para quem deseja aliar a formação profissional ao Ensino Médio regular.

As vagas serão preenchidas considerando-se exclusivamente o coeficiente de rendimento do(a) candidato(a) nos componentes curriculares constantes na Ficha Modelo 18 (Histórico Escolar de Conclusão do Ensino Fundamental) para os cursos Técnicos de nível Médio Integrado e na Ficha Modelo 19 (Histórico Escolar de Conclusão do Ensino Médio) para os cursos Técnicos Subsequentes, obtida em estabelecimento de ensino reconhecido por Secretaria Estadual de Educação ou pelo MEC. Para efetuar a inscrição, os candidatos devem entregar a documentação adequada no próprio campus dentro prazo estabelecido. Não haverá cobrança de taxa de inscrição. Em conformidade com a lei, partes das vagas serão reservadas ao Sistema de Cotas.

O resultado preliminar da seleção está previsto para o dia 20 de agosto, e as aulas para os novos alunos devem iniciar no dia 27. Mais informações sobre o processo seletivo, como documentação exigida e anexos, podem ser acessadas por meio do edital.

Acesse AQUI o edital.

Após assembleias realizadas na noite desta terça-feira (14), os trabalhadores dos Correios decidiram não deflagrar greve. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco, o Comando Nacional de Negociação não achou a proposta favorável à categoria. “Não é das melhores, mas, na atual conjuntura, os funcionários decidiram aceitar a manutenção de todos os direitos conquistados em anos anteriores”, explicou o secretário-geral do Sintect-PE, Rinaldo Nascimento.

As assembleias aconteceram, simultaneamente, na sede da entidade, que fica no Recife, e nas subsedes do Agreste, em Caruaru, e do Sertão, em Petrolina. Agora, os trabalhadores seguem em negociação com mediação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

A proposta do TST foi repor as perdas inflacionárias nos salários e demais benefícios, com percentual 3,68%, calculado pelo INPC, e manter integralmente as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2017/2018. Uma das principais reivindicações dos trabalhadores era a respeito do pagamento do plano de saúde. “As federações pediram esclarecimentos sobre a cláusula 28 (que trata do Postal Saúde, plano de assistência médica da categoria), e o tribunal explicou que vai permanecer o custeio e será aguardado o processo, que ainda não teve trânsito em julgado”, complementou o assessor jurídico do sindicato, Benjamin Veloso. As federações vão entrar com procedimento de mediação pré-processual referente à abusividade no custeio do plano de saúde e a permanência de pais e mães na cobertura, medida também aprovada pela assembleia.

http://s2.glbimg.com/hGrFRW1fCrTu5clhZshSuZwaNJs=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2012/07/20/tre_pe_sede.jpg

Pela primeira vez, hoje (15), pela manhã, o TRE-PE se reúne com líderes de diferentes denominações religiosas. Entre as causas da convocação, o histórico uso das religiões para se pedir votos, o que neste ano já levou o Ministério Público Eleitoral em Pernambuco a ingressar com duas ações na Justiça. Em uma, um pastor fez campanha para candidatos a deputados federal e estadual durante um culto. Na outra, um radialista é acusado de antecipar a campanha, utilizando-se de publicidade em ônibus e outdoors e evento religioso.

Para o encontro, o tribunal convocou líderes de denominações religiosas cristãs e não-cristãs, como as de matrizes africanas e do budismo. “As igrejas representam um contingente enorme de pessoas e eleitores. É natural que elas participem do jogo democrático”, disse o presidente do TRE, desembargador Luiz Carlos de Barros Figueiredo. A reunião, acrescentou, será não apenas para os representantes do tribunal falarem, mas para se ouvir os líderes religiosos, e integra o projeto Campanha responsável.

Além do uso das igrejas para se pedir votos, o tribunal vai tratar de outros três temas. A questão das notícias falsas, as fake news, ou de fonte incerta figuram na lista. Nesta semana, o TRE determinou que o Facebook retirasse do ar uma dessas notícias. A fake news estava relacionada aos candidatos a senador, Mendonça Filho, e ao deputado federal, Vinícius Mendonça, ambos do DEM. Também serão dadas orientações às lideranças religiosas para que colaborem nas campanhas de esclarecimento sobre a segurança das urnas eletrônicas e de não se sujar as ruas com panfletos e material de campanha.

PROCESSOS

Das duas ações impetradas pelo Ministério Público Eleitoral envolvendo religião e votos, a primeira, do final de julho, pede que o Judiciário aplique multa de R$ 25 mil ao deputado estadual Osséssio Silva (PRB), a William Brígido (PRB) e a Sérgio Corrêa. Os três são bispos da Igreja Universal do Reino de Deus e, segundo o processo, devem ser condenados por propaganda eleitoral antecipada. A propaganda teria sido feita, conforme vídeo anexado ao processo, durante culto religioso realizado em junho deste ano. Osséssio e William são candidatos a deputados federal e estadual, respectivamente, enquanto o bispo Sérgio indicava no culto que os dois eram pré-candidatos.

A segunda ação, do início deste mês, também pede que se aplique multa ao radialista André Carvalho (PPS). Pré-candidato a deputado federal, ele é acusado de divulgar o seu nome e imagem em 20 outdoors e 30 outbus, orçados em R$ 45 mil, propagar a campanha em evento religioso e nas redes sociais. O valor da multa não foi especificado pelo Ministério Público Eleitoral.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que tenta a reeleição

Por João Valadares

Em todos os discursos e entrevistas, o governador tem repetido que o seu adversário representa “a turma de Temer” em Pernambuco. A estratégia é simples. Além da impopularidade recorde do emedebista, Pernambuco é um dos estados em que o “lulismo” ainda é muito forte.

Em 2014, no segundo turno das eleições presidenciais contra o tucano Aécio Neves (PSDB), a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), por exemplo, teve 70,2% dos votos no estado, o terceiro maior percentual do país.

Paulo e Armando já declararam que vão votar em Lula, caso o petista consiga viabilizar sua candidatura.

Paulo Câmara apoiou Aécio no segundo turno das eleições presidenciais de 2014. O governador conta hoje formalmente com o PT em seu palanque após acordo nacional para retirada do nome da vereadora Marília Arraes (PT) da disputa em Pernambuco em troca da neutralidade do PSB.

A chapa de Armando Monteiro tem dois ex-ministros de Temer, os deputados federais Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB). A dupla disputa o Senado e participou ativamente das articulações pró-impeachment da ex-presidente.

Em eventos políticos, sobretudo no interior, os dois evitam ataques a Lula e elogios ao presidente Temer.

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), vice-líder do governo no Senado, é um dos principais aliados de Armando e articulador da oposição a Paulo Câmara.

O seu filho, Fernando Bezerra Coelho Filho (DEM), era cotado para ocupar uma vaga na chapa majoritária de Armando. Ele deixou o Ministério de Minas e Energia em abril para concorrer à Câmara Federal.

“A gente tem que vencer em Pernambuco, mas também vencer no Brasil para tirar essa turma de Temer do governo. Não podemos deixar essa turma de Temer chegar em Pernambuco. Vocês sabem que nossa oposição aqui representa Temer”, discursou Paulo Câmara, no sábado (11), em Arcoverde, no Sertão.

O senador Armando Monteiro (PTB-PE), que vai disputar do governo de Pernambuco

“Eles querem criar uma cortina de fumaça para desviar do verdadeiro debate, que são os graves problemas de Pernambuco. Mantenho minha posição. Se Lula for candidato, eu voto em Lula”, disse Armando Monteiro, que já foi ministro de Dilma e teve o apoio do PT na disputa pelo Governo de Pernambuco nas eleições de 2014.

Na segunda-feira (13), a coligação Pernambuco Vai Mudar, que reúne 13 partidos em apoio ao senador do PTB, divulgou um vídeo por meio do WhatsApp mostrando que, ao contrário de Armando Monteiro, Paulo Câmara apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Em determinado trecho, o locutor afirma que “tem gente que apostou no impeachment.” Logo em seguida, aparece Paulo Câmara falando “Lula livre”.

Na peça publicitária, há ainda imagem de deputados federais do PSB pernambucano votando na Câmara pela admissibilidade do processo de impeachment e falas de Lula, Eduardo Campos e Marília Arraes elogiando o senador.

No início de abril de 2016, poucos dias antes de a Câmara Federal se posicionar em relação ao processo que culminou com a saída da petista da Presidência da República, Paulo Câmara exonerou quatro secretários para que eles reassumissem seus postos de deputado e pudessem reforçar os votos contra Dilma. As informações são da Folha de S.Paulo.

https://www.folhape.com.br/obj/1/288726,930,80,0,0,930,522,0,0,0,0.jpg

Na primeira pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada em parceria com a Folha de Pernambuco nesta quarta-feira (15), o governador Paulo Câmara (PSB), candidato à reeleição, está na frente com 30%, liderando nominalmente a disputa. O senador Armando Monteiro Neto (PTB) surge em segundo lugar, com 24%, no limite da margem de erro, que é 3,5 pontos percentuais. Os demais nomes aparecem com percentuais distantes.

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 13 de agosto, por telefone, ouvindo 800 pessoas, definindo cotas de sexo, idade, localidade, instrução e renda. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,45%. Como manda a lei, o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números de protocolo BR-06973/2018 e PE-07336/2018 e fez a seguinte pergunta: “Se a eleição para Governador de Pernambuco fosse hoje e os candidatos fossem esses que vou ler, em quem o(a) Sr(a) votaria para Governador?”.

O ex-deputado federal Maurício Rands (PROS), que apresentou sua candidatura no final do prazo das convenções partidárias, apareceu na pesquisa estimulada com 4% das intenções de voto. Já a advogada Danielle Portela (PSOL) e o ex-prefeito de Petrolina Júlio Lóssio (Rede) pontuaram 3% cada. Simone Fontana, do PSTU, teve 2% das menções. Brancos, nulos ou “nenhum” representam 27% dos entrevistados. Já os indecisos ou os que não responderam aparecem com 8%.

Pesquisa para o Senado - Ipespe/FolhaPE 15/08/2018

Da Folha de Pernambuco

Na pesquisa eleitoral divulgada nesta quinta-feira (15), realizada pelo Ipespe em parceria com a Folha de Pernambuco, em um cenário apertado na disputa por vagas no Senado, o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB) está na frente com 23% das intenções de votos, seguido pelo também deputado federal Mendonça Filho (DEM), que aparece com 17%. Na sequência, o senador Humberto Costa registra 15% das menções, enquanto o deputado federal Sílvio Costa (Avante) aparece com 6% e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB) com 5%.

Os entrevistados que declararam que votariam em branco ou nulo somam 22%, o que configura um empate técnico com o primeiro colocado, Jarbas Vasconcelos, considerando a margem de erro de 3,5 pontos percentuais. Os que não sabem ou não responderam correspondem a 6% das intenções de voto. Já os postulantes Adriana Rocha (Rede), Lídia Brunes (PROS), Jairinho Silva (Rede), Hélio Cabral (PSTU), Albanise Pires (PSOL) e Eugênia Lima (PSOL), registraram 1% das intenções de voto, cada.

Nas opiniões manifestadas na pesquisa na Capital pernambucana e na periferia, Jarbas Vasconcelos tem o melhor desempenho, com 24% e 26% das menções, respectivamente. Um dado curioso é observado nas intenções registradas no Interior do Estado, em que o maior percentual é de votos brancos e nulos, 26%.

Idade e sexo

No recorte de idade, Mendonça Filho possui o maior percentual entre os eleitores com 16 e 24 anos, com 24% das menções. Já entre os participantes com idade entre 25 e 44 anos, Jarbas fica à frente, com 24%, seguido por 22% de brancos e nulos. O emedebista, inclusive, mantém o mesmo desempenho em quase todos os quesitos.

Entre 45 e 59 anos, os votos nulos e brancos são maioria, 27%. Por fim, entre os entrevistados com mais de 60 anos, Jarbas Vasconcelos com 24% e Mendonça Filho com 20% lideram as intenções. Nos votos do recorte por sexo, as menções estão muito próximas dos índices totais de cada candidato. Porém, o eleitorado feminino registra mais votos nulos ou brancos, 25%.

Renda

Enquanto entre os eleitores que recebem mais de cinco salários mínimos, Jarbas Vasconcelos apresenta o seu melhor desempenho, com 27% das menções, Mendonça Filho se destaca entre os que recebem até dois salários mínimos, 19%. O melhor percentual entre os que recebem dois e cinco salários mínimos é também o de Jarbas Vasconcelos. Nesse mesmo quesito, Humberto Costa, 17%, pontua melhor do que o candidato democrata, que teve 15%.

A nova presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, afirmou na noite desta terça-feira que o ministro relator pode, sozinho, negar um pedido de registro de candidatura. E, para isso, é preciso que nenhum adversário nem o Ministério Público Eleitoral (MPE) tenham questionado a candidatura. Rosa afirmou ter falado em tese, e não mencionou nenhum nome, embora esse possa vir a ser o caso da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

– Pode haver ou não impugnação (contestação da candidatura). Se não houver, há resolução no TSE de que pode haver o exame de ofício (sem o tribunal ser provocado). Não será impugnação, será um indeferimento de ofício a compreensão de que não estão presentes ou as condições de elegibilidade ou alguma causa de inelegibilidade. Eu estou falando em tese e observados os termos legais. Agora cada caso é um caso, disse Rosa.

Para que o MPE ou algum candidato, partido ou coligação conteste uma candidatura, há prazos na lei a serem cumpridos, como a necessidade, por exemplo, de ouvir a defesa do próprio candidato. Portanto a eventual decisão do relator de indeferir um registro de candidatura não poderá ser imediata. Se não houve esse recurso, o caminho fica livre para o relator decidir sozinho.

– No casos de qualquer dos candidatos a presidente da República que encaminhem seu pedido de registro, vamos observar estritamente os temos da lei. A lei prevê prazos e esse vai ser nosso caminho, observar a lei – disse Rosa.

O prazo para registro de candidaturas termina às 19h desta quarta-feira (15). Até o final da tarde de ontem (14), oito candidatos a presidente já tinham feito isso: Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Alvaro Dias (Podemos), Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriotas) e Vera Lúcia (PSTU). O PT deve registrar a candidatura de Lula na quarta. Pela lei, a análise dos pedidos de registro de candidatura tem que ser feita até 17 de setembro.

– Este tribunal é um tribunal da celeridade. Nós cumprimos os prazos com todo o empenho. Vezes há em que isso se inviabiliza, em função do volume, mas a ideia é pautar e decidir com a maior celeridade possível,  afirmou a presidente do TSE.

Tofolli deve bater o martelo em relação aos feriados

Os feriados e férias duplas para os magistrados podem está com os dias contados. O ministro Dias Toffoli, que assume a presidência do STF, no dia 13 de setembro, enviará ao congresso propostas para acabar com os feriados que só existem no Judiciário.

Segundo a coluna de Mônica Bérgamo, são eles: o feriado do dia 11 de agosto, em comemoração ao Dia da Criação dos Cursos Jurídicos no Brasil, o de 1º de novembro, Dia de Todos os Santos, e a Quarta-Feira Santa — para juízes federais, a Páscoa começa neste dia da semana e vai até domingo.

Já sobre as férias, a medida será para o fim das férias duplas para magistrados.

O ministro Tarcísio Vieira, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendeu nesta terça-feira (14), uma resposta célere da Corte Eleitoral sobre o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado e preso na Lava Jato, ao Palácio do Planalto.

Indagado pelo Estadão/Broadcast se seria importante uma definição rápida sobre a situação do petista, Vieira respondeu: “Sem dúvida, sempre. Em nome da própria celeridade que a eleição exige. O calendário é muito apertado”.

Sem citar Lula, a nova presidente do TSE, ministra Rosa Weber, afirmou nesta terça que um candidato pode ter o registro indeferido “de ofício”, sem provocação do Ministério Público, candidatos ou partidos, se não possuir condição de elegibilidade.

Nesta quarta-feira, 15, último dia do prazo fixado no calendário eleitoral, o PT deve formalizar no TSE a candidatura de Lula à Presidência.

“Em princípio, é um processo relevante, que segue a lógica de outros processos. A voz do plenário que é a voz definitiva, sem dúvida nenhuma”, disse Tarcísio.

Estratégia

Conforme mostrou nesta quarta-feira o Estadão, o PT joga com o tempo e avalia uma ofensiva jurídica simultânea no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar afastar a inelegibilidade de Lula durante a tramitação do pedido formal de candidatura no TSE.

O objetivo é garantir a presença de Lula no horário eleitoral gratuito, previsto para começar dia 31 de agosto, em rede nacional de rádio e televisão.

Integrantes do MST, com máscaras de Lula, marcham em apoio da candidatura do ex-presidente.

Tom C. Avendaño/El País

O Tribunal Superior Eleitoral encerra nesta quarta-feira (15) o prazo para a inscrição de candidatos às eleições gerais de outubro. Normalmente seria uma formalidade mais na enorme maquinaria eleitoral brasileira; o último passo antes de decretar, na quinta-feira, o início oficial da campanha à presidência do Brasil, todas as cadeiras da Câmara, dois terços do Senado e todos os governadores e deputados estaduais. Mas não há nada habitual nestas eleições, as mais imprevisíveis desde a redemocratização. E por isso até uma tarefa burocrática tão cinza vem carregada de intrigas e carregando o simbolismo do fim de uma era. 

A jornada encerra a contagem regressiva para esta campanha, ansiada por muitos como encerramento do período mais turbulento da história recente do Brasil. O marco da turbulência depende de quem estejamos falando. No caso do ex-presidente e aspirante a candidato Luiz Inácio Lula da Silva, esta quarta poderia ser o dia mais esperado desde que terminou seu último mandato em 2010, considerado quase mais deus do que homem, com quase 90% de aprovação popular. Só tinha de aguardar dois mandatos, os de sua protegida Dilma Rousseff, para se candidatar de novo e aproveitar sua popularidade. Ocorre que além de seu PT ter sido ejetado do poder pelo impeachment em 2016, agora ele é um homem preso por corrupção, e a inscrição da candidatura, que promete ser feita em um grande ato em Brasília, pode ser seu último cartucho que lhe resta na cadeia.

O ex-presidente, à frente nas pesquisas há mais de dois anos e na prisão há quatro meses sem que isso tenha abalado significativamente as suas intenções de voto, deverá decidir se ousa apresentar seu nome como candidato, como garante o PT que fará. Tecnicamente a Lei da Ficha Limpa o impede –um candidato não pode ter sido condenado por corrupção em segunda instância como ele. O roteiro, então, deve ser que, uma vez candidato, o TSE o vete e, assim, tome seu lugar o número dois na chapa, Fernando Haddad.

Para além de Lula, o panorama não fica menos confuso. Até o fim do dia, 13 pessoas estarão inscritas, incluindo alguém do PT, para tentar ser presidente, mas não há nenhum outro candidato que desperte as mesmas paixões que o ex-mandatário e as pesquisas mostram que, sem ele, cresce o número de quem declara votos brancos e nulos. Quem mais se aproxima disso é Jair Bolsonaro (PSL), ex-militar de ultradireita, que defende a ditadura brasileira, a tortura e a ampliação do porte de armas. Isto lhe valeu, além de inúmeras comparações com o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, 17% das intenções de voto, número formidável nesse cenário. No entanto, Bolsonaro não conseguiu alianças entre os partidos tradicionais e circula principalmente nas redes sociais, às quais muitos brasileiros empobrecidos não têm acesso. Muitos cientistas políticos vaticinam que a campanha só pode enfraquecê-lo. Tem pouquíssimo tempo na televisão e tampouco aliados em Brasília para se fortalecer.

Algo semelhante acontece com Marina Silva, a líder ambientalista evangélica que se candidata pela terceira vez à presidência e que não está mal nas pesquisas (10% na última realizada pelo Datafolha), mas que pertence a um partido muito pequeno.

Alckmin, a aposta do establishment

O centro-direitista Geraldo Alckmin, não decolou nas pesquisas, mas é o preferido dos mercados e o que conseguiu atrair mais aliados – e, com isso, o valioso tempo na TV. Sua fraqueza: é a encarnação do establishment, que, como os problemas, os brasileiros procuram deixar para trás após quatro anos de sucessivos escândalos expostos pela Lava Jato envolvendo a classe política e que ajudaram a fazer de Michel Temer o presidente mais impopular da história.

Alckmin é a maior esperança dos investidores, sempre dispostos a pressionar as Bolsas quando um resultado eleitoral ou mesmo a pesquisa não lhes agradam, para realizar as reformas econômicas liberais que há anos são prometidas para tentar engatar a recuperação econômica, ainda lenta.

Quem quer que saia da campanha como vencedor estará à frente da maior economia da América Latina (2,2 trilhões de dólares, cerca de 8,51 trilhões de reais), mas também terá nas mãos um gigante que acaba de passar os piores quatro anos de sua história recente. Nessa espera pelas eleições, o Brasil se tornou uma potência sem liderança, na qual os salários caíram e cresceram os índices de violência –mais de 63.000 homicídios por ano, favelas em guerra constante– e o número de presos nas cadeias –725.000 pessoas, cifra superada apenas por dois outros países.

Numa situação tão esdrúxula, não falta quem avalie que nem a legitimação das urnas será capaz de devolver plenamente a normalidade ao país. Se a sombra de Lula se projetará com efeitos ainda difíceis de prever, não importa quão longe Bolsonaro chegar, ele provavelmente já terá deixado sua marca. Ele repete perigosamente não confiar no sistema de votação, por exemplo. Além desse manto de suspeita, a porcentagem de cidadãos que perderam o medo de expressar nostalgia da ditadura militar (1964-1984) já é considerado problemático. De fato, nas eleições que começam agora há uma centena de candidatos com passado e ideias militares. Um recorde até à data num país em que, no Latinobarômetro no ano passado, apenas 13% dos cidadãos disseram estarem à vontade com a democracia existente.