Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Polícia prende cinco pessoas acusadas de envolvimento em crimes de corrupção em PE

Um ex-presidente da Câmara de Vereadores de Paulista, no Grande Recife, é apontado pela Polícia Civil como líder de uma quadrilha responsável por fraudes em licitações, lavagem de dinheiro, corrupção, uso de documentos falsos e peculato. Iranildo Domício de Lima foi um dos alvos da Operação Chaminé, que cumpriu quatro mandados de prisão e 10 de busca e apreensão.

Segundo a corporação, a quantia desviada pelo grupo, entre 2013 e 2105, chega a R$ 700 mil. Os detalhes foram apresentados em entrevista coletiva, na sede da Polícia Civil, no Recife, nesta segunda-feira (13).

De acordo com a Polícia Civil, Iranildo é investigado por receber dinheiro de empresários da construção civil para favorecê-los em licitações. Segundo a polícia, também teria se apropriado de verbas destinadas a obras na Câmara de Vereadores.

Também forram presos, na sexta-feira (10), a advogada Lúcia Maria do Nascimento, o empresário da construção civil Elias Ulisses da Silva, além de Mauro Monteiro de Melo e José Roberto Santos Silva.

Lúcia atuava como integrante do conselho de licitações da Câmara de Vereadores de Paulista, segundo a polícia. A investigação aponta que a conta bancária dela foi usada para lavar o dinheiro desviado nas licitações fraudulentas.

Elias, segundo as investigações, entregou dinheiro ao ex-presidente da Câmara para ganhar licitação e usou documentos falsos durante a concorrência, enquanto Mauro seria sócio oculto de Elias e utilizaria documentos falsos para praticar as fraudes. José Roberto, conhecido como Bebeto, seria um “laranja” do ex-presidente da Câmara de Vereadores e é dono de uma empresa de fachada usada pelo político.

Durante a entrevista, o delegado Diego Pinheiro apontou que o grupo participou de quatro licitações, três envolvendo obras e uma para fornecimento e material de expediente. Os suspeitos, segundo o delegado, negam envolvimento nas fraudes, que teriam sido convocadas por Iranildo.

“Eles colocavam três empresas na concorrência para dar a impressão de que era tudo legítimo, mas foi tudo montado”, disse o delegado.

A empresa pertence a Elias e foi representada por Monteiro em uma das licitações, com obras orçadas em R$ 130 mil. “Era uma empresa de fachada e funcionava em um depósito de água mineral. Além disso, Elias e Monteiro usavam carimbo e documentos falsos de um engenheiro para entrar nas concorrências. Apreendemos material que comprova que o grupo pretendia participar de novas licitações em Camaragibe e São Lourenço da Mata”, explicou Pinheiro.

A polícia informou que a apenas uma das empresas ganhou, ao todo, 12 licitações realizadas por órgãos públicos no estado. Os empenhos somaram R$ 5 milhões. “Pelo menos R$ 400 mil circularam pelas contas de Lúcia em menos de três meses. E os envolvidos não conseguiram explicar essa movimentação financeira”, afirmou.

A operação Chaminé foi desencadeada a partir de denúncias feitas ao Ministério Público (MPPE) sobre a precariedade do prédio da Câmara de Paulista. Os promotores foram informados que , mesmo com obras licitadas, o imóvel ainda apresentava problemas estruturais.

Iniciada em abril de 2018, a Operação foi batizada de Chaminé em referência a cidade do Paulista, conhecida como cidade das chaminés. Os policiais cumpriram mandados em Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Araçoiaba e Jaboatão dos Guararapes.

Anna se mudou da Romênia para Londres para estudar, mas acabou sequestrada e levada para a Irlanda, onde passou nove meses em cativeiro.

Cargueiro estava a 15 quilômetros da entrada do Porto de Santos. Policiais federais, militares da Marinha e equipes da Receita Federal encontraram 1,3 tonelada de cocaína a bordo.

Silas Barreira Borges, de 23 anos, é amigo do principal suspeito do assassinato, Iury Mendanha. Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em um matagal de Palmas.

Homens e mulheres podem concorrer a 16 vagas para cadete. Edital diz que candidato ‘não pode emocionar-se facilmente’; especialistas afirmam que critério é discriminatório e subjetivo, e PM diz que houve interpretação equivocada. Com foto e informações do G1.

Acesso à obra da UFRPE é complicado até mesmo para veículos grandes (Foto: Reprodução/TV Globo)

O atraso na obra da rodovia estadual PE-33, no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, tem tirado o sossego de várias famílias que vivem em áreas próximas. Duas instituições federais de ensino, em construção na área, também estão sentindo as consequências na demora para a entrega do trecho, ocupando lugares provisórios para atender aos alunos.  

“Na última ‘chuvada’ [sic] que deu, foi esse barro todo que desceu. Afeta a casa, o pé e pode até ceder. É muito perigoso”, conta a dona de casa Ana Lúcia dos Santos, cuja família não dorme com tranquilidade há meses.

A previsão é de que a rodovia seja o acesso à nova unidade da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que está em fase de construção. O que existe nesta fase de obras, porém, é uma passagem pelo terreno ao lado, com uma subida difícil até mesmo para caminhonetes. Por isso, os trabalhos no campus da UFRPE seguem em ritmo lento, com 20 funcionários ao invés de 400.

“Não teria frente de serviço suficiente para isso devido à dificuldade de trazer material e mão de obra aqui para dentro”, conta o chefe de engenharia da instituição, Bergson Nascimento.

A previsão inicial de entrega, em outubro, foi adiada para o segundo semestre de 2019. Até lá, a universidade vai continuar funcionando em um espaço alugado que custa R$ 300 mil mensais. “Esse dinheiro será utilizado para manutenção do campus definitivo e é urgente que nós estejamos lá”, conta o diretor geral e acadêmico da UFRPE no Cabo, Gabriel Rivas de Melo.

O caminho alternativo para chegar à obra da UFRPE foi aberto dentro do terreno que pertence ao Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), que também está em reforma. A previsão é de que o serviço seja concluído ainda em 2018, mas não há como funcionar nessas condições.

“A estrada que nós acessamos é provisória, de zona rural e que não tem a estrutura adequada para trânsito de pedestre ou para transporte coletivo”, conta o diretor geral do IFPE no Cabo, Daniel Assunção.

Até a situação se resolver, os 500 alunos do IFPE devem continuar estudante em um prédio emprestado pela prefeitura do município. Os laboratórios, improvisados, são pequenos e ficam no estacionamento. “Essa estrutura não dá para ter aula com todos os alunos”, diz a estudante Aline da Silva.

Num ônibus, funciona o laboratório do curso de gastronomia. “Isso acaba atrapalhando o cronograma do curso, porque as aulas não são concluídas no mesmo dia. Quem sofre nessa história toda somos nós, estudantes”, conta o aluno Luciano Nascimento.

Em nota, a Secretaria Estadual de Transportes afirmou que o governo do estado investiu R$ 10 milhões na primeira etapa da obra da rodovia. A prioridade do governo é retomar os serviços assim que os recursos sejam viabilizados.

Por sua vez, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PE) informou que a obra foi paralisada em março, mas deve ser retomada neste mês de agosto.  As informações são do G1PE

O prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT) anunciou durante participação num programa de rádio nesta segunda feira (13), que fará um evento político no município para lançar oficialmente a candidatura de Marília Arraes (PT) à deputada federal.

O evento acontecerá dia 25 de agosto, o local ainda não foi divulgado e o prefeito revelou que coordenará a campanha da candidata petista na região.

“A Campanha que eu vou coordenar aqui é a de Marília Arraes a deputada federal. Vamos fazer um evento para lançar sua candidatura oficial em Serra Talhada dia 25”.

A caminhada de Marília Arraes, que lutou para ser candidata à governadora pelo Partido dos Trabalhadores, começou em Serra Talhada e com o prefeito Luciano Duque (PTB), que lançará agora Marília como sua candidata a federal.

A BR-232 em Pernambuco apresenta trechos críticos que põe em risco a vida dos motoristas / Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Embora o sistema rodoviário seja o principal modal de transporte do país, a malha pavimentada cresceu apenas 0,5% entre 2009 e 2017, de acordo com o Anuário divulgado nesta segunda-feira (13) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). E, enquanto as estradas brasileiras registraram 6.243 mortes somente no ano passado, 61,8% das principais rodovias apresentam problemas em seu estado geral. O levantamento da CNT mostra que o Brasil possuía um total de 1,720 milhão de quilômetros de estrada no ano passado, dos quais apenas 12,4% são pavimentados, ou seja, somente 213.453 km. O restante da malha se divide em estradas não pavimentadas (78,5%) ou planejadas (9,1%).

O documento mostra que a malha ficou estagnada nos últimos nove anos, já que a extensão de rodovias pavimentadas cresceu apenas 0,5% nesse período, ou apenas 962 km em relação aos 212.491 km de 2009. A proporção de estradas asfaltadas no total da malha inclusive permaneceu em 12,4%.

Problemas

A CNT também avaliou o estado das rodovias federais pavimentadas e dos principais trechos de rodovias estaduais, encontrando problemas no estado geral de conservação das pistas em 61,8% da extensão percorrida.

O principal problema encontrado está na geometria das vias em 77,9% dos casos. Em 31,1% das estradas avaliadas, os ângulos das pistas são péssimos, em 8,4% delas a geometria é ruim e em 28,4% apenas regular.

Deficiências de sinalização foram encontradas em 59,2% das rodovias analisadas, sendo que em 13,2% a sinalização é péssima e em 14,1% é ruim. Os problemas no asfalto atingem 50% dos trechos, com pavimentação péssima em 2,8% dos casos e ruim em 13,2%.

Frota

Enquanto a malha permanece estagnada e sem a devida manutenção, a frota de veículos registrados no País cresceu 63,6% entre 2009 e 2017, passando de 59,361 milhões para 98,201 milhões.

De acordo com a CNT, o sistema nacional de transporte de cargas contava com uma frota de 2,195 milhões de caminhões de empresas, 1,349 milhão de veículos de caminhoneiros autônomos e 46.294 caminhões de cooperativas. Já a frota habilitada para o transporte internacional de cargas era formada por 139.129 veículos.

Ferrovias e portos

Diante dos problemas do setor rodoviário, outros modais de transporte têm apresentado expansão nos últimos anos. O sistema ferroviário, por exemplo, movimentou 538,8 milhões de toneladas úteis em 2017, volume 6,9% maior que o de 2016.

Já a movimentação total nas instalações portuárias cresceu 8,5% em 2017, chegando a 1,1 bilhão de toneladas. Da mesma forma, a carga transportada pelo setor aéreo cresceu 8,9% no ano passado, chegando 1,24 milhão de toneladas. Com informações do JC Online.

A partir de quarta (15) as secretarias do tribunal abrem aos sábados, domingos e feriados

De 15 de agosto a 19 de dezembro permanecerão abertas aos sábados, domingos e feriados as secretarias do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE). Com isso, os prazos processuais relativos às ações eleitorais são contínuos (contados em dias corridos) e peremptórios (definitivos), como prevê a Lei Complementar n° 64/1990, art.16. A medida visa garantir que os setores do tribunal estejam em pleno funcionamento durante o período eleitoral.

Setores que estarão em atividade:

Assessoria de Comunicação; Secretaria Judiciária; Comissão: de Apoio aos Desembargadores Auxiliares; de Apoio ao Juízo da Propaganda Eleitoral; de Apoio à Central de Denúncias; de Planejamento da Propaganda Eleitoral; Gabinete dos desembargadores entre outros.

As secretarias funcionarão em sistema de plantão das 10h às 19h, período proporcional ao seu expediente nos dias úteis, com o mínimo necessário de servidores.

Ao fim do período de plantão, no dia 19 de dezembro, os prazos processuais deixam de ser contínuos e as secretarias voltam a funcionar apenas em dias úteis.

INAUGURAÇÃO - Nova unidade da instituição filantrópica que oferece atendimento oftalmológico a pacientes do SUS será aberta na segunda (20). Foto: Roberto Soares

Em discurso na Reunião Plenária desta segunda-feira (13), o deputado Augusto César(PTB) anunciou a inauguração de um filial da Fundação Altino Ventura no município de Serra Talhada, no Sertão. A nova unidade da instituição filantrópica, que oferece atendimento oftalmológico a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), será aberta ao público na próxima segunda-feira (20).

O parlamentar comemorou a notícia e parabenizou a Prefeitura de Serra Talhada, parceira na construção. “Convido os deputados e a população pernambucana para conhecerem o espaço, o qual beneficiará os sertanejos que necessitam dos relevantes serviços prestados pela entidade”, disse.

Exclusivo: José Nivaldo Júnior assume comunicação da campanha de Rands para governador

Cotado, junto com Edson Barbosa (Link Propaganda), para comandar a eventual campanha de Marília Arraes (PT) para o Governo do Estado, o publicitário e escritor, José Nivaldo Júnior vai comandar a campanha da coligação liderada pelo ex-deputado Maurício Rands (PROS). Rands é candidato a governador pela chapa ‘Pernambuco Que Você Quer’, que tem como vice Isabella de Roldão, e os candidatos ao Senado Sílvio Costa (AVANTE), e Lídia Brunes (PROS).

Faltam poucos ajustes, mas o blog de Ricardo Antunes apurou que o martelo foi batido nesse final de semana. José Nivaldo é considerado um dos maiores especialistas em marketing político do país. Trabalhou nas campanhas vitoriosas de Carlos Wilson para o Senado, João Paulo para prefeito, Cristovam Buarque no DF, e Marta Suplicy para a Prefeitura de São Paulo.

Chamada de “terceira via”, a chapa deve contar com o apoio informal da vereadora e candidata a deputada federal, Marília Arraes, rifada do processo pela ala majoritária do PT, mas que já declarou que não sobe no palanque de Paulo Câmara (PSB). O governador, que tenta a reeleição, terá pela frente dois palanques de oposição.

Armando ganha reforço de peso

Por sua vez, a chapa liderada pelo candidato Armando Monteiro (PTB) – com Mendonça Filho (DEM), e Bruno Araújo (PSDB), para o senado – ganhou o reforço de César Rocha, que já foi jornalista do Diário de Pernambuco e ex-assessor do próprio senador, que vai coordenar a parte de imprensa, juntamente com José Aciolly.

Os dois tem um excelente relacionamento com a imprensa e bastante experiência em assessoria de comunicação.

Rompimento do canal do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco / Foto: reprodução de vídeo

A Polícia Federal em Pernambuco começou nesta segunda-feira (13) as investigações relacionadas ao rompimento do canal do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco, registrado no último sábado (11) entre os municípios de Terra Nova e Salgueiro, no Sertão do Estado.

A obra da terceira estação de bombeamento (EBI-3) foi entregue no dia 3 de agosto pelo presidente Michel Temer e estava funcionando normalmente. A PF informou que irá formalizar nesta segunda as declarações do engenheiro técnico e dos responsáveis pela obra do Ministério da Integração Nacional sobre o caso.

Os policiais irão até o local analisar e verificar as informações recebidas. Ainda de acordo com a PF, ainda é cedo para afirmar se o rompimento foi criminoso ou não. Após as análises, uma perícia deverá ser feita para subsidiar as investigações.

A Polícia Federal informou ainda que o rompimento foi pontual e técnicos do Ministério da Integração Nacional já contiveram o vazamento. Os profissionais avaliam o perímetro para constatar se houve danos para a comunidade do entorno. A PF lamenta ainda que fake news estejam sendo divulgadas sobre o incidente.

Em uma nota divulgada em sua rede social, o deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB) confirmou que não irá disputar as eleições deste ano quando iria em busca de um terceiro mandato.

Na nota, o parlamentar trabalhista agradece o apoio do irmão e deputado federal Zeca Cavalcanti (PTB) e de sua esposa e presidente do PTB, Nerianny Cavalcanti, além de lideranças, familiares e ao senador Armando Monteiro, reafirmando a determinação de trabalhar para sua eleição a governador.

Eleito pela primeira vez em 2010 com o apoio do irmão, então prefeito de Arcoverde, Júlio Cavalcanti se reelegeu em 2014 com mais de 47 mil votos. Na nota ele diz que não será candidato por questões de foro pessoal e familiar, mas reafirma que continuará presente em Arcoverde e região. Veja abaixo a nota na íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO E AGRADECIMENTOS

Meus amigos e minhas amigas,

Desde 2011, quando assumi o meu primeiro mandato como deputado estadual, desenvolvi um trabalho constante na Assembleia Legislativa de Pernambuco em defesa dos municípios do nosso Estado. Chegando ao último ano do meu 2º mandato, tenho a consciência tranquila de que dediquei cada dia, do meu trabalho e da minha luta, em defesa do desenvolvimento das cidades e de cada pessoa que sempre me confiou o seu voto e o seu apoio.

Vim de Arcoverde, minha terra natal, a qual tenho a enorme gratidão de ter me confiado, ainda em 2010, a honra de representar esta cidade e toda a região na Assembleia Legislativa. Municípios como Buíque, Pedra, Itaíba, Tupanatinga, Sanharó, Sertânia, Custódia, Ibimirim e Venturosa, além de cidades no Pajeú, como Afogados da Ingazeira e Carnaíba, entre tantas outras, uniram vozes e apoios nesta caminhada vitoriosa.

Consegui, ao longo destes sete anos e meio de mandato, conquistas que vão ficar na história da nossa querida Arcoverde: a escola técnica Professor Jonas Feitosa, a UPA de Especialidades, o Campus da UPE, a volta do Corpo de Bombeiros, a estrada do CEDEC, além de mais de R$ 2,7 milhões de emendas parlamentares destinadas para ações na saúde, como o ônibus do TFD, infraestrutura e na melhoria da qualidade de vida do povo de Arcoverde.

Nunca, em tão pouco tempo, um deputado estadual fez tanto por sua terra e por sua gente como fiz ao longo destes dois mandatos. Trabalho este que se estendeu pelos diversos municípios onde sempre estive atuando, levando ações, obras e conquistas.

Cumpri a minha jornada como parlamentar, como deputado estadual, filho de Arcoverde, e neste dia 31 de dezembro, quando se encerra o período legislativo para o qual fui eleito em 2014, estarei deixando a Assembleia Legislativa em definitivo.

Não sou candidato à reeleição no pleito que se aproxima. É uma decisão que tomei de forma tranquila, serena, ouvindo os amigos, familiares, e que tem como razão o desejo de cuidar de questões da minha vida pessoal e familiar. Tenho hoje consolidada a minha posição e o meu trabalho em mais de 45 cidades pernambucanas – as quais agradeço a enorme confiança – as quais já teriam me dado garantias de marchar mais uma vez juntos neste pleito de 2018. Seria uma honra, mas o destino me reserva outro caminho. Meus agradecimentos!

Aos arcoverdenses, quero deixar uma palavra amiga, um agradecimento especial ao povo que me confiou, por duas vezes, o seu voto, a sua força, as suas esperanças.

Quero agradecer ao deputado federal e meu irmão, Zeca Cavalcanti, e a sua esposa e presidente do PTB, Nerianny Cavalcanti, que acreditaram no meu potencial e para o qual vou dedicar agora os esforços, para que esteja mais uma vez representando a nossa terra na Câmara Federal.

Agradeço também ao senador Armando Monteiro Neto, com o qual estarei junto nesta caminhada para mudar Pernambuco, pela sua atenção. Aos amigos prefeitos, às amigas prefeitas, vereadores, lideranças – que não vou citar para não cometer injustiças – um grande abraço de agradecimento pela confiança em mim e no meu trabalho ao longo dessa caminhada. Agradeço, ainda, aos colegas de parlamento, com quem aprendi muito, seja no plenário, seja na Mesa Diretora. Meu muito obrigado!

Estou deixando um espaço de lutas, mas cumprirei até o último dia o meu mandato confiado pelos pernambucanos. Não vou me ausentar, estarei sempre junto ao povo de Arcoverde e de toda região para que possamos ver um novo Pernambuco nascer, para que possamos verdadeiramente mudar Pernambuco e ver a nossa terra caminhar rumo ao desenvolvimento e também a um novo tempo. Estarei contribuindo para essa transformação, em outros campos de lutas.

Encerro, agradecendo o apoio da minha mãe e das minhas irmãs, os meus familiares, que sempre estiveram ao meu lado nesta jornada; a eles os meus agradecimentos sinceros. A minha esposa e filhos, aos quais quero dedicar ainda mais minha atenção, os agradecimentos do fundo do meu coração. Que Deus nos ilumine, sempre, guiando os nossos caminhos e renovando as nossas esperanças.

Arcoverde, 13 de agosto de 2018.
Júlio Cavalcanti
Deputado Estadual – PTB

Montagem/LeiaJáImagens/Arquivo

A declaração de bens feita pelos candidatos a governador de Pernambuco à Justiça Eleitoral chama a atenção, até o momento, pela discrepância do patrimônio entre os postulantes. Com os dados de quatro dos seis candidatos já disponibilizados pelo DivulgaCand, plataforma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) onde constam as informações de todos os políticos que desejam concorrer ao pleito deste ano, a soma dos bens do senador Armando Monteiro (PTB) é a maior: R$ 16,7 milhões. 

O patrimônio do petebista é pouco mais de R$ 1,8 milhão a mais do que o declarado em 2014, quando ele concorreu pela primeira vez ao Governo do Estado. O valor mais alto no que foi contabilizado pelo senador está no item ‘outros bens e direitos’ com R$ 11,9 milhões já o menor é de R$ 69,9 mil em ‘aplicação de renda fixa’.

Na última eleição, Armando disse possuir R$ 14,9 milhões em bens. O crescimento do capital financeiro do petebista é ainda maior se comparado ao ano de 2006, quando ele participou da sua primeira eleição. Na disputa pelo cargo de deputado federal, Armando disse ter naquele ano R$ 1 milhão em bens. O vice da chapa dele, vereador do Recife Fred Ferreira (PSC), declarou ter R$ 590,1 mil.

Já na lista do governador Paulo Câmara (PSB) foi possível perceber uma redução no valor do patrimônio declarado. O pessebista que em 2014 afirmou ter R$ 364,2 mil em bens, desta vez apresentou à Justiça Eleitoral um somatório de R$ 272,8 mil. O montante é R$ 91 mil a menos do que no último pleito, quando concorreu pela primeira vez a um cargo público. O bem de valor mais alto declarado é um apartamento R$ 140 mil enquanto o menor foi um ‘depósito em conta corrente no país’ de R$ 1,00. As cifras apresentadas por Paulo são menores, inclusive, do que as da candidata a vice dele, a deputada federal Luciana Santos (PCdoB), que afirmou ter R$ 335,5 mil.

Neófita na política, a candidata do PSOL Dani Portela não teve nenhum bem cadastrado, segundo o site do DivulgaCand. Já a postulante pelo PSTU, Simone Fontana declarou ter R$ 5 mil em bens. O valor é correspondente a um automóvel. Das cinco eleições que já concorreu, apenas em 2012, quando disputou para vereadora do Recife ela teve patrimônio declarado. Naquele ano, Simone apresentou um montante de R$ 24,8 mil. 

Até a manhã desta segunda-feira (13), a plataforma da Justiça Eleitoral ainda não tinha divulgado os dados para o pedido de registro de candidatura dos candidatos a governador Maurício Rands (Pros) e Julio Lossio (Rede). 

A corrida eleitoral ganha contornos ainda mais delineados nesta semana. O grid de largada da disputa pelo Planalto terá seus 13 candidatos registrados até quarta-feira (15). Essa também é data em que todos terão de ter apresentado seus planos de governo.

Caciques do PT vão pessoalmente entregar a documentação de Lula ao TSE. Convocaram militantes para estar em Brasília.

A situação é inédita. Lula é o líder nas pesquisas e o pedido de registro de sua candidatura não deve ser aceito pela Justiça Eleitoral. O caso só será resolvido possivelmente em 17 de setembro, prazo máximo para os nomes dos candidatos serem colocados nas urnas eletrônicas.

Pelos próximos cerca de 30 dias o Brasil conviverá com a candidatura postiça de Lula, que não admite em público que seu substituto na disputa será o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

A anomalia não para por aí. Empresas de pesquisas estão em dúvida sobre se podem testar algum cenário da corrida presidencial com o nome de Haddad (e sem Lula). É possível que até 17 de setembro o Brasil seja privado de saber o que os eleitores acham da combinação real de nomes que concorrem ao Planalto.

O registro da candidatura de Lula será com a ministra Rosa Weber à frente do TSE. Ela toma posse nesta terça-feira (14). Substitui Luiz Fux, que deixa de integrar a Corte. O vice-presidente será o ministro Luís Roberto Barroso.

A 3ª cadeira no Tribunal Eleitoral reservada ao Supremo passa a ser ocupada por Edson Fachin, hoje ministro substituto. O trio Weber-Barroso-Fachin tende a julgar com mais rigidez processos eleitorais de políticos acusados de corrupção.

No dia seguinte à posse de Rosa Weber, na quinta-feira (16), começa a propaganda eleitoral paga na mídia impressa e está liberado o uso de carros de som nas ruas.

A campanha de 2018 é mais curta e com menos dinheiro do que as de anos anteriores. Empresas estão proibidas de doar aos partidos e aos candidatos.

Na sexta-feira (17), os candidatos se enfrentam no 2º debate televisionado, promovido pela RedeTV!. Não está claro se Fernando Haddad poderá substituir Lula no encontro.

Lula e Haddad na campanha de 2016

Quando puder se registrar como candidato do PT, o ex-prefeito de São Paulo planeja se inscrever com o nome Fernando Lula Haddad.  

Fernando Haddad torce para o TSE impugnar o quanto antes a candidatura de Lula.

A guerra é aberta no PT.

Só assim ele poderá resistir à sabotagem de Gleisi Hoffmann.

http://1.bp.blogspot.com/_Mpe8fAz7U_0/TIQ__rsEVLI/AAAAAAAA-XM/kpLRq5gFBuo/s1600/kombeiros_php.jpg

Mais de 15 anos após o crime, o Caso Serrambi segue sem desfecho na justiça. No dia último dia 10, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca, negou o recurso especial que pedia a anulação do júri popular, realizado em 2010, que terminou com absolvição dos irmãos Marcelo e Valfrido Lira. A dupla, considerada suspeita do assassinato das adolescentes Maria Eduarda Dourado e Tarsila Gusmão, em 2003, foi considerada inocente, e absolvidas por quatro votos a três da acusação de tentativa de estupro e homicídio duplamente qualificado. A acusação pretende recorrer à decisão do ministro, tão logo seja publicada.

A publicação da decisão está prevista para a próxima quarta-feira (15). O advogado Bruno Lacerda, da acusação, classificou a decisão como “monocrática” e aponta dois fundamentos para a anulação do júri anterior. Um deles é o fato de um dos advogados dos irmãos Marcelo e Valfrido ter trabalhando anteriormente, na acusação, na assistência do Ministério Público. “Não há a possibilidade de um advogado atuar, em uma mesma causa, em polos distintos. Trouxe prejuízo para a acusação”, avalia Lacerda. E ele acrescenta que o advogado em questão teria proporcionado vantagem para a defesa dos acusados, pois, “em tese, ele teve acesso à estratégia da acusação, causando prejuízo inclusive para o júri”.

O outro ponto seria em relação ao fato de uma das juradas, supostamente, ter vínculo com os acusados. De acordo com Lacerda, no encerramento do júri, uma das juradas teria cumprimentado os acusados e sinalizado uma “manifestação efusiva”. “Foi registrado pela mídia”, diz o advogado sobre as evidências do ocorrido. O responsável pela acusação afirma que a maioria mínima dos votos foi alcançada graças ao voto dessa jurada, que poderia, também, ter “contaminado” outros jurados.

Bruno Lacerda também declara que a acusação não trabalha com a hipótese de os crimes terem sido cometidos por outras pessoas. “Não há a menor dúvida, para a acusação, que eles (Marcelo e Valfrido) são responsáveis”, diz. “Há uma convicção clara, desde o primeiro inquérito, que investigou todas as linhas possíveis, de todas as versões que se criaram. Todas as averiguações culminaram sempre neles”, ressalta. “Eles somente obtiveram esse êxito por não haver um júri neutro”, avalia.

Encarregado da defesa dos irmãos Marcelo e Valfrido Lira, o advogado Jorge Wellington afirma que “recorrer é um direito, faz parte do princípio democrático”, mas ressalta: “de modo que nós entendemos, não há mais o que se discutir. Era uma decisão já esperada, encaro com muita naturalidade, não há nenhuma surpresa, essa decisão já foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) em segunda instância”, acrescenta Wellington. “Infelizmente, o verdadeiro ou os verdadeiros culpados estão livres. Não foram os irmãos, isso a justiça confirmou, em três instâncias”, finaliza.  

O CASO

As adolescentes Maria Eduarda Gusmão e Tarsila Gusmão, ambas com 16 anos, foram vistas com vida pela última vez no dia 3 de maio de 2003. Dez dias após o desaparecimento, o corpo das duas foi encontrado em um canavial em Camela, distrito de Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco. Conhecido como Caso Serrambi, em referência à praia Sul onde as duas estavam hospedadas, o crime teve uma investigação longa e conturbada, que envolveu as polícias Civil e Federal. 

http://jornalgospelnews.com.br/wp-content/uploads/2013/04/bancada-evangelica.jpg

Eduardo Cunha, fiel da Assembleia de Deus e então presidente da Câmara dos Deputados, retardava o início dos trabalhos no plenário da Casa naquele 24 de setembro de 2015. Comprava tempo para que uma comissão especial concluísse a votação do Estatuto da Família. Apresentado por um deputado evangélico, o projeto que define a família como entidade formada pela união de um homem com uma mulher passou por 17 votos. Doze deles vieram de parlamentares evangélicos.

A aprovação mostrava, logo no início da nova legislatura, que o grupo estava unido na defesa de seus interesses. Mostrava também o esforço dos deputados evangélicos de manter – e quiçá aumentar – o poder político alcançado nos quatro anos anteriores, quando ocuparam a Comissão de Direitos Humanos com o pastor Marco Feliciano (Podemos-SP). Para esses deputados, Deus tem poder. A bancada evangélica precisa ter também.

O grupo é uma força em ascensão no Congresso Nacional. A cada legislatura, cresce em tamanho, capacidade de organização e influência. Levantamento do jornal O Estado de S. Paulo indicou que a bancada é composta por pelo menos 84 parlamentares: 82 deputados e dois senadores. É mais que o dobro do número de congressistas evangélicos que se elegeram em 2006, segundo o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, o Diap.

Esses parlamentares estão organizados na Frente Parlamentar Evangélica (FPE). Oficialmente, há 182 integrantes em exercício em sua lista. No entanto, 105 deputados seguem outras religiões. Lá entraram com suas assinaturas somente para viabilizar a criação da frente, anabolizando a representação parlamentar evangélica.

Para chegar à formação da bancada atual – com a entrada de suplentes, por exemplo -, a reportagem procurou cada congressista da lista original na FPE, além de parlamentares indicados pela Frente e que têm atuação próxima ao grupo.

Os 84 parlamentares representam 23 Estados, 21 legendas e 19 denominações evangélicas. Uma vez no Congresso, porém, para boa parte deles as diferenças regionais e partidárias são esquecidas em prol da união em torno de pautas morais.

Costumes

Votações que marcaram a legislatura, como o impeachment de Dilma Rousseff ou a PEC do teto de gastos, não entraram nas conversas da bancada. Não se trata de um grupo homogêneo. O que os une é a defesa dos valores cristãos e da família. Organizam-se para aprovar projetos favoráveis a essa plataforma e, especialmente, para barrar projetos desfavoráveis a ela. Ali não persevera o debate econômico. Em torno dos temas morais, há prioridades claras: impedir a realização de abortos, o debate sobre identidade de gênero nas escolas, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a liberação dos jogos de azar, a legalização das drogas.

Dentro desse roteiro, a aprovação da PEC 181 é celebrada como uma das principais vitórias dos evangélicos na atual legislatura Originalmente, ela propunha ampliar o tempo de licença-maternidade em caso de parto prematuro. No meio do caminho legislativo, foi desfigurada por um deputado evangélico e passou a incluir a ideia da “inviolabilidade do direito à vida desde a concepção”, abrindo caminho para tornar ilegal todo tipo de aborto – hoje permitido em casos como de estupro e de risco para a mãe. Com informações da Agência Estado.

https://4.bp.blogspot.com/-M3cxaQYsdG0/W24I5_k_UDI/AAAAAAAAqeg/7FztuoROm5YFEKoDsibXIVi8uG0Z-idAgCLcBGAs/s640/38808282_697071947327050_5220252982708273152_n.jpg

A Cooperativa de Credito Rural e Interação Solidária Triunfo/Flores (Cresol), realizou a entrega de ordenhadeiras mecânicas, ensiladeiras e maquinas debulhadoras de milho e feijão aos agricultores de diversas comunidades rurais que possuem vinculo com a Cooperativa.

A entrega desses equipamentos de trabalho para o pequeno produtor rural faz parte de um projeto da Cresol Triunfo/Flores com a Cresol Central (SC), visando o fortalecimento da agricultura familiar no Nordeste é uma parceria entre a cooperativa e o BNDES.

No ato da entrega, estiveram presentes o diretor e um técnico, ambos da Cresol Central, e diversas autoridades locais juntamente com os agricultores. Este projeto, de acordo com o Blog Notícias em Destaque, é uma conquista dos associados por meio da Cresol em parceria com o BNDES.

Cresol é um sistema cooperativo de crédito rural com interação solidária que tem como objetivo dar mais oportunidade aos produtores rurais, com juros abaixo do mercado para seus associados, com diversos produtos e serviços para a população. “A sede da Cresol fica em Chapecó – Santa Catarina, e possui mais de 30 cooperativas afiliadas”, afirmou Cida Maia, diretora da Cresol Triunfo/Flores.