Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Ministro disse que não há data para a mudança, mas que vai avaliar redução em impostos como PIS, Cofins e ICMS / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O governo está preocupado com a alta da gasolina e vem conversando com a Petrobras para tentar encontrar uma maneira de aliviar o bolso do consumidor

Ministro disse que não há data para a mudança, mas que vai avaliar redução em impostos como PIS, Cofins e ICMS

O governo está preocupado com a alta da gasolina e vem conversando com a Petrobras para tentar encontrar uma maneira de aliviar o bolso do consumidor, disse nesta sexta-feira, (18) o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, após palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

“Está subindo demais, eu já tinha conversado anteriormente com o presidente Pedro Parente (da Petrobras) e cheguei até em determinado momento a conversar com o presidente do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que havia uma distorção que ninguém entendia”, afirmou a jornalistas.

“A Petrobras adota uma política de preços que me parece correta, mas ela tem que entender que a composição desse preço tem outros fatores então que ela tem que entrar… Juntos vamos entrar na discussão desses outros fatores, porque a gasolina, o combustível de modo geral, e sobretudo o gás de cozinha é fundamental”, avaliou Franco.

Ele disse que não há data para a mudança, mas que vai avaliar redução em impostos como PIS, Cofins e ICMS. “A única maneira de encontrar a solução é mudança… eu acho que o imposto está muito alto, temos que repensar”, afirmou.

Cessão onerosa

O ministro ainda confirmou que a Petrobras é credora nas negociações com o governo em relação ao encontro de contas da cessão onerosa, mas não antecipou detalhes de como o pagamento será feito à estatal. O entendimento sobre a dívida da União com a Petrobras já havia sido declarado pelo ministro de Minas e Energia anterior, Fernando Coelho Filho, mas é contestado por outros setores do governo.

“É credora”, disse o ministro ao ser perguntado se já havia tido a concordância de todos os ministérios envolvidos (Minas e Energia, Fazenda e Desenvolvimento), após evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), um dia após a data estabelecida como limite para as negociações, mas que foi prorrogada por falta de acordo.

Franco não quis dar detalhes sobre as propostas que estariam na mesa da empresa e do governo. “Existe um acordo de confidencialidade. O que eu posso dizer, e que disse ontem (quinta-feira), é que é uma questão complexa, todos os problemas já foram equacionados, há um entendimento entre as partes, e agora existe uma questão que é uma cláusula do contrato que tem leituras diferentes e como manda a regra da administração pública é a AGU que arbitra e dirime as eventuais divergência”, explicou.

Este é o terceiro mutirão do ano promovido pela Seres.

A partir da próxima segunda-feira (21), a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) promove um mutirão jurídico no Presídio Advogado Brito Alves, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. A ação pretende atender 100% da população carcerária e dar maior agilidade no andamento dos processos. Oito advogados do órgão, além de supervisores, assistentes de ressocialização e agentes penitenciários, realizarão os atendimentos com apoio da Defensoria Pública do Estado até sexta-feira. A unidade abriga, aproximadamente, mil reeducandos.

Serão analisados os benefícios disponíveis aos detentos, como habeas corpus, livramento condicional, progressão de regime, extinção e remição de pena. “Esses mutirões têm importância para as pessoas privadas de liberdade porque conseguimos agilizar os processos, esclarecer dúvidas e desafogar o sistema”, pontua o secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues.

Mutirão também beneficiou detentos de Pesqueira

Em abril deste ano, a Seres realizou um mutirão carcerário no Presídio Desembargador Augusto Duque, em Pesqueira. A ação foi encerrada no dia 5 de maio com 921 pastas analisadas e 921 presos atendidos, sendo 652 procedimentos realizados pelos advogados da Seres e 269 por defensores e técnicos da União e da Defensoria do Estado. Entre os resultados, estão 14 progressões de regime, quatro livramentos condicionais, dois habeas corpus, 12 unificações de pena e 16 agilizações de revogação de prisão. Em janeiro de 2018, o mutirão ocorreu na Colônia Penal Feminina do Recife, onde todas as pastas foram avaliadas.

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

A vereadora Marília Arraes, pré-candidata a governadora pelo PT no momento em que o partido negocia apoiar a disputa de Paulo Câmara (PSB) à reeleição, criticou o socialista em entrevista ao cientista político Antonio Lavareda que vai ao ar neste sábado (19), no 20 Minutos. O programa será exibido às 19h20, na TV Jornal.

“Paulo Câmara não é forte o suficiente, muito pelo contrário, é muito fraco politicamente para direcionar nacionalmente o PSB para uma aliança tão importante como essa”, afirmou.

Marília Arraes também falou sobre as articulações para uma aliança nacional entre PT e PSB e sobre a candidatura de Lula à presidência da República. Preso e condenado em segunda instância na Operação Lava Jato, ele pode ser impedido pela Lei da Ficha Limpa de disputar. Marília entrou no PT em 2013, após deixar o PSB, e teve a ficha de filiação abonada por Lula. 

Além de ser exibido hoje, o programa também vai ao ar no site e no Facebook da TV Jornal. Aos domingos, a Rádio Jornal retransmite o 20 Minutos às 11h40.

Resultado de imagem para fotos da prefeitura de petrolina pe

Na próxima sexta-feira (25), às 9h, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) irá assinar Termo de Cooperação Técnica com as prefeituras de Petrolina, Lagoa Grande, Orocó, Santa Maria da Boa Vista e Cabrobó, com o objetivo de que as cidades façam adesão ao projeto Cidade Pacífica. O evento irá ocorrer no auditório do Sest/Senat, na Rua Zito de Souza Leão, nº 10, em Petrolina, e contará com a presença da vice-prefeita de Petrolina, Luska Portela; dos prefeitos de Orocó, Gueber Cavalcanti,; de Lagoa Grande, Vilmar Cappellaro; de Santa Maria da Boa Vista, Humberto Mendes; e de Cabrobó, Marcílio Rodrigues. Participam, ainda, os promotores de Justiça de Petrolina, Érico Santos; de Cabrobó e Orocó, Thiago Sales; de Lagoa Grande, Cintia Granja; e de Santa Maria da Boa Vista, Tanúsia Santana.

Com o Cidade Pacífica, os governos municipais podem apresentar medidas distribuídas em nove eixos temáticos, são eles: Guarda municipal pacificadora; Segurança nos estabelecimentos comerciais/bancários; Esporte pacificador/Cultura/Lazer; Mesa municipal de segurança; Proteção integrada pacificando escolas; Empresas solidárias; Transporte pacificador; Iluminação pacificadora; e Pacificando Bares e similares (operação Bar Seguro). O município poderá aderir ao projeto através de convênio firmado com o MPPE, por intermédio da promotoria local, devendo obrigatoriamente implementar os cinco primeiros eixos e selecionar outros dois, de acordo com a sua realidade.

“O projeto está sendo levado até diversas cidades do interior e nosso objetivo é criar um grande debate, envolvendo a sociedade civil e demais atores públicos sobre segurança pública. Os prefeitos estão recebendo diversas metas em vários eixos, para aplicarem soluções simples que irão impactar significativamente a segurança de diversos locais”, disse o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros. Ainda segundo ele, um índice de cidades pacificadas irá ranquear os municípios mais seguros do Estado. “Vamos divulgar o índice a cada dois meses com o objetivo de incentivar ainda mais a prevenção e temos certeza que vamos reduzir a violência em nosso Estado”, afirmou.

O MPPE irá realizar um acompanhamento constante das ações de segurança a partir de ciclos de monitoramento. “Vamos ter acesso ao banco de dados do Pacto Pela Vida para podermos mapear áreas com maior violência em todo o Estado. Após esse mapeamento vamos firmar um pacto e as cidades passam a ser constantemente avaliadas, compondo, assim, um índice de pacificação em nosso Estado”, disse o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça Criminal (Caop Criminal), Luiz Sávio Loureiro da Silveira. Entre os dados que serão consultados estão os números de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI) e o de Crimes Patrimoniais (CVP).

Ao fim do ciclo de monitoramento, os municípios que atingirem as metas recebem do MPPE uma certificação que gera, além das conquistas no combate à criminalidade, a possibilidade de obter recursos públicos e privados para investimentos na qualidade de vida dos cidadãos. “A certificação funciona para que o MP possa atestar a realização de medidas efetivas de combate à criminalidade. Vamos realizar, ainda, articulação junto aos órgãos federais e estaduais a fim de viabilizar linhas de crédito para projetos de segurança”, completou Sávio.

Segurança

O Cidade Pacífica é fruto do Pacto dos Municípios pela Segurança Pública, projeto lançado pelo MPPE em 2013, que teve adesão de 73 municípios pernambucanos e foi vencedor do Prêmio Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em 2015, na categoria Diminuição da Criminalidade. “Com o Pacto, a adesão do município era voluntária. Agora, nós vamos monitorar todo o Estado, mantendo um contato estreito com os governos locais, incentivando ações de promoção da segurança e projetos de melhoria da qualidade de vida do cidadão”, finalizou Sávio.

Gleisi e Haddad

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, convocou uma reunião com os cinco governadores petistas para a semana que vem, em Brasília, com o objetivo de estancar o movimento a favor de um plano “B” na eleição presidencial.

Na quinta-feira, pouco depois de visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, Gleisi telefonou para quatro dos cinco governadores petistas que estavam no Recife para uma reunião e mandou um recado direto do ex-presidente: Lula continua candidato.

Segundo fontes do PT, Fernando Pimentel (Minas Gerais), Tião Vianna (Acre), Rui Costa (Bahia) e Wellington Dias (Piauí) receberam o recado de Lula enviado por Gleisi. Camilo Santana (Ceará) também já foi comunicado sobre o posicionamento do ex-presidente.

A movimentação de Gleisi é uma reação à entrevista de Camilo Santana na qual ele diz que o PT não pode “apostar no isolamento suicida” e deveria apoiar Ciro Gomes (PDT).

Nas últimas semanas, governadores petistas têm se movimentado no sentido contrário ao da direção partidária defendendo que o PT coloque em prática o quanto antes um plano “B” na eleição presidencial, sob o risco de ficar isolado no processo eleitoral e ver minguar tanto as bancadas no Congresso quanto o número de Estados governados pela legenda.

O movimento dos governadores conta com apoio de outras lideranças petistas que acusam, em conversas privadas, a direção de interditar o debate interno sobre cenários eleitorais sem Lula. A entrevista Santana explicitou este movimento. 

Na reunião dos governadores petistas, nesta sexta-feira, 18, no Recife, um dos cotados para ser o substituto de Lula na disputa presidencial, o ex-ministro Jaques Wagner, descartou de maneira cabal a pessoas próximas a possibilidade de ser o plano “B”. Segundo fontes, ele disse que não aceitaria a candidatura presidencial nem se recebesse um pedido direto de Lula. 

Wagner, que não gostou de ser advertido por Gleisi quando defendeu publicamente que, sem Lula, o partido deveria apoiar Ciro, tem dito que a cúpula petista já se decidiu pelo nome de Fernando Haddad como opção eleitoral caso o ex-presidente, condenado e preso pela Lava Jato, seja barrado ela Justiça com base na Lei da Ficha Limpa.

Wagner afirmou a interlocutores que, para a direção do PT, o plano agora é “H”, de Fernando Haddad. O ex-governador da Bahia embasa sua tese no fato de Gleisi ter levado o ex-prefeito, coordenador do programa de governo do PT, para visitar o ex-presidente em Curitiba por ordem do próprio Lula.

ctv-aza-lacerda

Pré-candidato ao governo de Minas Gerais pelo PSB, o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (foto) pode deixar a disputa para ser candidato a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT). Essa possibilidade passou a ser discutida nos últimos dias por líderes dos dois partidos. 

“Não descarto a possibilidade de ser vice do Ciro, mas não deixei a pré-campanha em Minas Gerais. Fiquei honrado com a lembrança. Se houver uma composição PDT-PSB, ela será em torno de princípios”, afirmou Lacerda.

O ex-prefeito relatou que estão ocorrendo conversas entre as duas siglas, mas ressaltou que uma eventual aliança só será feita após uma consulta ampla ao seu partido. “Há uma simpatia no PSB pela aproximação com o PDT”, disse Lacerda. 

Em entrevista recente, Ciro afirmou que gostaria de um nome da “produção” e do Sudeste para ser vice em sua chapa. Na ocasião, citou o empresário mineiro Josué Gomes (PR), presidente da Coteminas. A conversa, porém, não avançou. Na semana passada, Benjamin Steinbruch, da CSN e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), filiou-se ao PP e passou a ser cotado para a vaga. 

Uma aliança com PSB, porém, é vista como prioritária no entorno de Ciro. Esse cenário ganhou força após a desistência do ex-ministro Joaquim Barbosa (PSB) de disputar à Presidência da República. 

Convite

A relação entre Ciro e Marcio Lacerda precede a eleição. Em 2003, quando assumiu o Ministério da Integração Nacional de Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro convidou Lacerda para ocupar seu primeiro cargo público: o de secretário executivo na pasta. 

Cinco anos depois, em 2008, Lacerda foi o candidato do PSB à prefeitura de Belo Horizonte após uma articulação que envolveu o então governador, Aécio Neves (PSDB), e Lula, mas que passou também por Ciro. O ex-ministro foi até a capital mineira ajudar na primeira campanha do amigo. 

Segundo lideranças do PSB, o partido trabalha com três cenários na eleição deste ano. A ideia de apoiar Ciro ganha força, mas há um setor que defende a neutralidade na campanha presidencial. Uma terceira corrente prega uma aliança nacional com o PT na disputa presidencial, o que implica apoiar a pré-campanha de Lula, que está preso. 

Local

Em outra frente, o PT de Minas Gerais tenta convencer Lacerda a ser candidato a vice na chapa do governador Fernando Pimentel, que disputa a reeleição. O petista admitiu nesta sexta-feira (18), em Recife que o PSB pode compor a chapa majoritária com o PT na eleição estadual em Minas. 

“O PSB é um partido importante e no caso de Minas tem uma liderança popular muito reconhecida que é o ex-prefeito Marcio Lacerda”, disse Pimentel na capital pernambucana após participar de um encontro com governadores do Nordeste.

Depuração

Nesta sexta-feira, Ciro desconversou, em Fortaleza, quando foi questionado sobre as articulações para definir o nome de seu vice. “Isso vai acontecer a partir de junho, quando começamos a preparar as convenções de julho e agosto.”

Sobre o cenário eleitoral, o pedetista prevê uma redução no número de candidatos à Presidência no primeiro turno. Ciro acredita que cerca de 15 pré-candidatos ao Palácio do Planalto chegarão na reta final em outubro deste ano. “Acho que, assim como Joaquim Barbosa, outros pré-candidatos sairão. Não haverá 23 candidatos, como hoje se menciona. No mínimo, uns 15”, disse. 

Ciro Gomes

Estadão

Os cenários eleitorais em São Paulo, Minas e Pernambuco dificultam as negociações de três presidenciáveis com o PSB – o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o nome do PT, que mantém a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado pela Lava Jato. O partido passou a ser cobiçado por diversos presidenciáveis após o ex-ministro Joaquim Barbosa decidir que não disputaria a eleição.

Dirigentes do PSB foram procurados por interlocutores de pelo menos três presidenciáveis. O presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, teve encontros com os dirigentes do PDT, Carlos Lupi; do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR); e do Podemos, a deputada federal Renata Abreu (SP). Nas conversas, o partido avisou que vai levar em conta o alinhamento político e programático e a convergência nas alianças nos Estados. “São conversas iniciais para podermos tomar uma decisão com pé no chão mais para frente. O que está sendo avaliado é uma identidade política e como esse partido pode colaborar com os projetos regionais do PSB”, disse ao Estadão o ex-governador do Espírito Santo e secretário-geral do PSB, Renato Casagrande, que esteve nas negociações.

Em Pernambuco, sétimo maior colégio eleitoral do País, a reeleição do governador Paulo Câmara é prioridade para o PSB. Para isso, a legenda quer o apoio do PT, que condiciona a negociação ao apoio do PSB a Lula no plano federal. A contrapartida é considerada uma “fatura muito alta” dentro da legenda. Em Minas, o PT exige apoio à reeleição de Fernando Pimentel, mas o PSB também é cobiçado pelo PSDB. 

PSB e PSDB também negociam aliança em São Paulo. O governador Márcio França (PSB) sonha em ter apoio de Alckmin. As negociações do PSB com o PSDB e o PT preocupam Ciro, que tenta trazer a legenda para a vice de sua chapa.

Em carta aberta divulgada nesta sexta-feira (18), governadores dos estados nordestinos, como Paulo Câmara (Pernambuco), e de Minas Gerais fizeram 11 pedidos ao governo federal. Entre eles um que solicita a exclusão da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) do grupo Eletrobras.

Seria uma solução para que a Chesf ficasse à margem do processo de privatização do grupo. Pedem também a retomada das obras das ferrovias Transnordestina, Norte-Sul e Fiol.

No documento, eles aproveitam para reclamar de não terem tido acesso a recursos federais destinados à Segurança Pública.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin anulou decisão que determinava a revisão e o cancelamento de pensões por morte para filhas de servidores civis. A medida vale para servidores maiores de 21 anos que tenham outras fontes de renda.

O TCU (Tribunal de Contas da União) determinou o corte e identificou 19.520 benefícios com irregularidades.

Fachin tomou a decisão em julgamento de um mandado de segurança e se estende a 215 processos sobre a mesma questão. Para o ministro, o regime para a concessão do benefício deve ser aquele vigente no momento da morte do servidor.

Os pagamentos são realizados com base em lei de 1958. O texto estipula que “a filha solteira, maior de 21 anos, só perderá a pensão temporária quando ocupante de cargo público permanente”. A norma foi revogada em 1990 e não incluiu filhas maiores de 21 anos no rol de dependentes habilitados a receber pensão.

Segundo o Tribunal de Contas, a revisão de pensões irregulares poderia proporcionar economia de até R$ 2,2 bilhões aos cofres públicos em 4 anos.

O ministro criticou a “interpretação evolutiva” que seguia orientação já firmada pelo Supremo de observar a lei vigente no momento da morte do servidor, mas mudou de interpretação em 2012, após consulta do Ministério do Planejamento.

Eleições 2018

Por Marina Rossi/El País

Do alto da arquibancada do Palácio dos Esportes Djalma Maranhão, em Natal, um grupo de estudantes ainda uniformizados esperava para ver o pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) chegar. Sob um esquema de segurança que incluía detectores de metais na entrada, o ginásio fora todo decorado com balões verdes e amarelos e bandeiras do Brasil para receber o deputado em mais um giro pelo Nordeste.

Os olhares atentos dos adolescentes eram muito mais por curiosidade do que por veneração. Naquele pequeno grupo de seis jovens, nenhum era eleitor do militar. Alguns sequer tinham a idade mínima, 16 anos, para votar. Perguntados sobre as intenções de voto, as respostas, sem muita certeza, variaram entre Lula (PT), Flávio Rocha (PRB) e nulo. Renan Antonio de Azevedo, 17, era o único do grupo seguro sobre seu candidato: Álvaro Dias (Podemos). “Porque ele é ficha limpa, ético e tem alta aprovação”. Já na quadra do ginásio, na beira do palco, o apoio a Bolsonaro era total. Mesmo que sem uma razão clara. “Vou votar nele com certeza”, disse a recepcionista Sandra Cristina, 40, no escanteio. Questionada sobre a razão do voto, não soube dizer. “Não tenho muita informação, mas meu filho está acompanhando tudo. Ele até briga por este homem”, disse ela. O filho de Cristina, um estudante de 20 anos, é a voz predominante que engrossa o coro de “mito”, ecoado pelos correligionários do deputado.

Em cima do palco, Bolsonaro, que ao entrar no ginásio rodeado de apoiadores acabou derrubando o esquema dos detectores de metal, fez um discurso de pouco mais de 20 minutos. Agradeceu a Deus pela “oportunidade” e se disse um outsider. “Somos diferentes do quadro político que ocupou o Planalto nos últimos 30 anos”. Alvo permanente de críticas pelas polêmicas contra minorias, o pré-candidato expôs a tentativa de aparar seu discurso para asfaltar seu caminho à presidência. A última pesquisa CNT/MDA, mostra que ele precisa dobrar a rejeição de 52% dos entrevistados, que afirmam não votar de jeito nenhum nele.

De olho na região mais disputada do país, que pode ficar órfã sem Lula na disputa, Bolsonaro tratou de agradar a plateia. Afirmou ser nordestino “tanto quanto vocês”, justificando que o sogro é cearense. “Sou casado com uma filha de cearense”, disse o deputado paulista. “Meu sangue é cabra da peste também”, afirmou, usando um termo típico da região. Ainda falando sobre a própria família, aproveitou para condenar as cotas raciais. “Sou contra as cotas. Somos iguais”, disse. “Meu sogro é conhecido como Paulo Negão. Não é justo minha filha ser cotista”, usando o argumento que tem repetido para sustentar que não é racista. A insistência tem uma razão de ser. Bolsonaro foi denunciado no Supremo Tribunal Federal por racismo, por ter afirmado em abril do ano passado em um clube judeu em São Paulo, que havia ido a um quilombo e que “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Acho que nem para procriar ele serve mais”. A Procuradoria Geral da República viu nessa fala uma violação da Constituição pelo menosprezo aos integrantes quilombolas, comparados a animais, quando se usou o termo “arroba”.

O candidato tem se esmerado em reduzir o estigma que o persegue também com outra minoria. Em seu discurso, tratou de “igualdade” para falar de homossexuais. “Não há diferença minha para um afrodescendente. Somos iguais, filhos e pais, héteros e homos”, afirmou. “Quem não tem um parente ou um amigo homo? Duvido que não tenha”.

Ovacionado por um ginásio metade cheio, homenageou Enéas Carneiro, político já falecido, que disputou sem sucesso a presidências por três vezes pelo extinto PRONA, sempre com um discurso nacionalista, conservador e contra o comunismo. E sempre, com espaço para um tom religioso. Citou trechos da Bíblia. Afirmou que comparecerá a todos os debates com os demais candidatos “assim que for chamado”, e defendeu, novamente, que a população tenha o direito de se armar. “A arma de fogo, com algum critério, deve ser direito de posse de vocês” disse. “Sem segurança não há economia”. Para isso, afirmou, “copiará a legislação norte-americana”.

Encerrado o discurso, subiu o som. Em ritmo de forró, a música dizia “o Nordeste acordou / o Nordeste decidiu tirar o pé da lama / Eu sou Bolsonariano, é bom já ir se acostumando…” Bolsonaro deve permanecer em Natal até sábado. No último mês, viajou para cidades do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além de ter feito uma visita ao Ceará, onde esteve nos municípios de Maracanaú e Pacatuba. Apesar das viagens, disse que não está pedindo voto, “porque seria ilegal”, já que o prazo para a campanha ainda não começou.

“A Amazônia não é nossa”

 Com cerca de 20% das intenções de voto e liderando as pesquisas nos cenários sem o ex-presidente Lula, Bolsonaro está até mais carismático. Chegou bem humorado para uma coletiva de imprensa, fazendo piadas com os jornalistas. Não deixou de responder a nenhuma pergunta, embora tenha se esquivado de dar respostas claras e objetivas a quase todas elas. Colocou em pauta também outro assunto tabu. Afirmou que a “Amazônia não é nossa”, e defendeu a abertura da região para exploração. “Aquilo é vital para o mundo”, disse. “A Amazônia não é nossa e é com muita tristeza que eu digo isso, mas é uma realidade e temos como explorar em parcerias essa região”.

Questionado se tinha conhecimento da legislação norte-americana e o que mais pretendia copiar dela, além da política de incentivo às armas, disse que não toma as decisões sozinho, e que “algo quase que radical deve ser feito”, mencionando a redução de impostos feita por Donald Trump. Elogiando a política armamentista norte-americana, disse que policiais não podem ser julgados caso executem alguém durante o trabalho. “Combate-se a violência com mais violência, se for preciso”.

O teleférico, investimento do governo do estado, que conta com R$ 1 milhão de emenda parlamentar do deputado Gonzaga Patriota; foi inaugurado na quinta-feira (17) e transportará até 92 pessoas por hora, ligando o Pátio de Eventos da cidade ao alto da Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, em um trajeto de cerca de 1,2 mil metros. O equipamento comporta duas cabines subindo e duas descendo e tem capacidade para transportar até quatro pessoas sentadas por cabine.

“Temos que, como Poder Público, continuar trabalhando pelos investimentos de infraestrutura dos municípios do nosso estado, acreditando que o turismo é uma grande fonte de geração de emprego e renda, e é por isso que com muita alegria, acompanho a inauguração do Teleférico Governador Eduardo Campos, que ampliará a oferta de atrações turísticas oferecidas em Bonito, e gerará forte aquecimento da economia local e regional”, declarou Gonzaga Patriota, que acompanhou o evento junto ao governador Paulo Câmara, ao prefeito de Bonito, Gustavo Adolfo, Dr. Rui Barbosa, ex-prefeito da cidade, entre outras autoridades.

O Globo

Um avião da companhia aérea Cubana de Aviación, com 113 passageiros e nove tripulantes a bordo, caiu nesta sexta-feira pouco depois de decolar do aeroporto internacional de Havana, entre a capital cubana e a cidade vizinha de Santiago de las Vegas, disseram várias fontes. De acordo com a estatal Agência Cubana de Notícias, o Boeing 737 ia para a cidade de Holguin, no leste do país, e caiu logo após a decolagem. Segundo o jornal estatal cubano Granma, ao menos três pessoas sobreviveram e estão em estado grave, apesar de ser provável que dezenas tenham morrido.

O avião caiu numa zona rural e parecia estar bastante queimado e danificado, com bombeiros jogando água nos restos fumegantes. Fontes oficiais do governo, incluindo o presidente Miguel Diaz Canes foram até o local, junto com um grande número de equipes de emergência médica e ambulâncias. Moradores da área rural disseram ter visto alguns sobreviventes sendo levados em ambulâncias. O avião foi alugado pela companhia, que desativou muitos aviões antigos nos últimos meses devido a problemas mecânicos.

Holguin recebeu a Feira Internacional de Turismo de Cuba no ano passado. A cidade se destaca

— Vi uma coluna de fumaça negra no céu por volta das 11h30 da manhã,  disse Ana González, que estava perto de Boyeros quando o acidente aconteceu.

Segundo declarações para a Prensa Latina do diretor do Transporte Aéreo de Cuba, Mercedes Vázquez, trata-se de um voo da companhia Damojh arrendado à Cubana de Aviación.

Segundo um representante da Damojh, da empresa mexicana Global Air, “ainda não há informações, estamos reunindo tudo para dar a informação correta”.

A embaixada mexicana em Cuba postou no Twitter que ativou os protocolos de emergência após o acidente.

https://i2.wp.com/nilljunior.com.br/wp-content/uploads/2018/05/blitz-educativa.jpg?resize=300%2C225

Ascom 

Com o objetivo de dar visibilidade ao dia 18 de Maio – Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira, em parceria com diversas instituições, promoveu uma blitz educativa na manhã desta sexta-feira (18), em frente ao supermercado Pajeú autosserviço.

“A blitz educativa tem por objetivo divulgar para a população a importância deste dia, e orientar sobre a importância de denunciarmos qualquer prática de violência e abuso contra nossas crianças e adolescentes, incluindo os canais gratuitos e anônimos de denúncia, como o disque 100,” destacou a secretária Municipal de Assistência Social, Joana Darc.

A ação contou com o apoio da Guarda Municipal e PM, e a participação de importantes instituições como o Conselho Tutelar, Conselho Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, CREAS, CRAS, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, dentre outros.

Crianças e adolescentes que integram os programas de acolhimento e assistência da Prefeitura de Afogados também participaram da atividade, que teve início às 8h, abordando e conscientizando motoristas, motociclistas e pedestres.

http://www.ifpe.edu.br/noticias/inscricoes-para-o-vestibular-2018-2-do-ifpe-comecam-nesta-segunda-feira-21/vestibular/@@images/7508e5fa-a285-423e-958e-b476675610cb.png

As inscrições para o Vestibular 2018.2 do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) começam nesta segunda-feira (21). Nesta edição, são ofertadas 2.585 vagas para 42 cursos técnicos e superiores distribuídos nos 16 campi (Abreu e Lima, Afogados da Ingazeira, Barreiros, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Garanhuns, Igarassu, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Palmares, Paulista, Pesqueira, Recife e Vitória de Santo Antão). Os candidatos devem acessar o site da Comissão de Vestibulares e Concursos (cvest.ifpe.edu.br) para fazerem a inscrição online até 10 de junho. 

Consulte aqui o Manual  do Candidato 

O processo inclui o preenchimento da ficha de inscrição e a emissão do boleto (GRU) para o pagamento da taxa, que é de R$ 30 para cursos técnicos e R$ 55 para cursos superiores. O pagamento deverá ser feito somente nas agências do Banco do Brasil até o dia 11 de junho. Candidatos aos cursos da modalidade Proeja estão automaticamente isentos.

No caso das outras modalidades, candidatos com renda inferior ou igual a 1,5 salário mínimo que sejam oriundos de escolas públicas ou bolsistas de escolas privadas  podem solicitar a isenção da taxa de inscrição no período de 21 a 24 de maio, assim como egressos dos programas Mulheres Mil e PROIFPE. 

A entrega da documentação deve ser feita no campus onde o candidato pretende concorrer à vaga, até o dia 25 de maio, no horário das 9h às 12h e das 14h às 17h. A lista dos contemplados com a gratuidade será divulgada no dia 29 de maio. Aqueles que obtiverem a isenção da taxa deverão verificar a confirmação da inscrição no site da CVEST. Já os que tiverem o pedido indeferido deverão realizar o pagamento no período estabelecido no edital.

A novidade deste Vestibular é a oferta do curso de Tecnologia em Gestão da Qualidade, no Campus Igarassu. O curso, de nível superior tecnológico, tem carga horária total de 2.220 horas/aula, podendo ser concluído em dois anos e meio. São oferecidas 36 vagas para o turno da tarde. Entre os cursos técnicos, 31 são na modalidade Subsequente, voltada para quem já concluiu o Ensino Médio, e outros oito, na modalidade Integrado, para quem deseja aliar a formação profissional ao Ensino Médio regular.

Também é ofertado um curso de nível Médio Integrado através do Programa de Educação de Jovens e Adultos (Proeja), destinado a candidatos com mais de 18 anos que não concluíram o Ensino Médio. No nível superior, além do novo curso do Campus Igarassu, há o curso de Licenciatura em Química, do Campus Barreiros. 

As provas serão realizadas no dia 1º de julho. Candidatos aos cursos técnicos serão submetidos a 30 questões de múltipla escolha. Quem vai concorrer a uma das vagas dos cursos superiores fará uma prova com 50 questões de múltipla escolha, além de redação. Os exames terão início às 9h e terão duração de três horas, para os cursos técnicos, e de quatro horas para os cursos superiores. A avaliação específica de Música acontecerá também no dia 1º, das 14h às 17h. A data prevista para divulgação do listão dos aprovados é 11 de julho.

COTAS – Metade das vagas do Vestibular 2018.2 é oferecida pelo Sistema de Cotas e reservada para candidatos oriundos da rede pública de ensino. Essas vagas são subdivididas entre os que têm renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo e os que têm renda superior a essa faixa. Os candidatos também podem concorrer dentro das subcotas voltadas aos que se autodeclarem pretos, pardos ou indígenas e também as destinadas a pessoas com algum tipo de deficiência. Nos cursos de vocação agrícola, 25% das vagas de ampla concorrência são reservadas para moradores da zona rural ou filho de agricultores.

Assista aqui ao vídeo sobre a política de cotas

ACESSIBILIDADE – Candidatos com deficiência física, intelectual ou sensorial dispõem de uma hora a mais para realização da prova e têm direito a solicitar condições especiais. A CVEST pode disponibilizar, por exemplo, um fiscal para marcação do gabarito, uma versão da prova com fonte ampliada, um ledor para prova ou mesmo um intérprete de Libras. Para requerer a realização de prova em condição especial, basta apresentar requerimento, disponível no Manual do Candidato, e entregá-lo devidamente documentado com atestado médico contendo diagnóstico e CID (Código Internacional de Doenças), no período de 21 de maio a 11 de junho.

INFORMAÇÕES – Em caso de dúvidas, os candidatos podem entrar em contanto com a CVEST pelo telefone (81) 2125-1724 ou pelo e-mail cvest2018@reitoria.ifpe.edu.br, ou ainda com os campi onde pretende concorrer à vaga, através dos telefones listados no Manual do Candidato. 

CRONOGRAMA
Inscrições: 21/05 a 10/06  
Somente pelo site cvest.ifpe.edu.br
Taxa de inscrição: R$ 30 (cursos técnicos) e R$ 55 (cursos superiores)

Solicitação de isenção: 21 a 24/05 
Resultado da isenção: 29/05

CARTÃO DE INSCRIÇÃO
Liberação: A partir de 18/06
Retificação: 19 e 20/06
Provas: 01/07
Listão: 11/07

QUANTITATIVO DE VAGAS
Técnicos Subsequentes – 2.074 vagas
Técnicos Integrados – 400 vagas
Técnico Integrado Proeja – 40 vagas
Cursos Superiores – 71 vagas

O ex-ministro José Dirceu se entregou à Operação Lava Jato, na tarde desta sexta-feira (18). Por volta das 14h, o petista fez exames de praxe no Instituto Médico-Legal (IML), em Brasília. Zé Dirceu chegou ao local escoltado por agentes Polícia Federa. De lá, o ex-ministro deve ser levado para o penitenciária da Papuda.

O petista vai começar a cumprir a pena de 30 anos, nove meses e dez dias por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás.

A denúncia acusou Dirceu de receber parte das propinas da empreiteira Engevix à Diretoria de Serviços da Petrobrás entre 2005 e 2014. O ex-ministro teria levado R$ 10,2 milhões.

Dirceu tinha até as 17h para se apresentar à Polícia Federal. A ordem foi tomada pela juíza Gabriela Hardt, substituta do juiz Sérgio Moro, na 13.ª Vara Federal, em Curitiba.

No início da tarde da quinta-feira (17), o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) negou um recurso decisivo do petista e abriu caminho para Dirceu ser preso. Após a decisão da Corte de apelação da Lava Jato, a juíza mandou prender o ex-ministro.

Gabriela Hardt ordenou também a transferência de José Dirceu para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, onde estão outros presos da Lava Jato. No Paraná, estão presos outros petistas: o ex-presidente Lula, o ex-ministro Antonio Palocci, ambos na Polícia Federal, e o ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto e o ex-deputado federal André Vargas, no presídio estadual em Pinhais.

Zé Dirceu, fundador do PT, foi o ministro mais poderoso do primeiro governo Lula, mas acabou condenado no processo do Mensalão – 7 anos e onze meses de reclusão por lavagem de dinheiro.