Pedro Araújo

As informações que informam as verdades dos fatos, sem ferir ou denegrir pessoas ou imagens. Como também, nunca procurando agradar aos maus feitores.

Jair Bolsonaro

O senador Magno Malta (PR-ES) avisou ao deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), pré-candidato do PSL à Presidência da República, que não topa ser candidato a vice na sua chapa. O aviso inviabiliza de vez a estratégia de Bolsonaro de fechar uma aliança com o PR para aumentar seu tempo na propaganda de TV.

“Sou candidato a senador”, afirmou Malta. O parlamentar capixaba era visto como o vice ideal pelo grupo político de Bolsonaro por ter o perfil ligado à direita e a grupos conservadores que são a sustentação do deputado do PSL. 

Um dos motivos que levaram Malta a não aceitar compor a chapa com o parlamentar fluminense foi o fato de sua mulher não querer disputar o Senado em seu lugar nas eleições deste ano. A cantora gospel Lauriete Rodrigues Malta (PR-ES) lançou sua pré-candidatura para deputado federal, cargo que já ocupou entre 2011 e 2014.

Se entrasse na chapa, o PR poderia agregar cerca de 45 segundos ao tempo de Bolsonaro. Sozinho pelo PSL, ele teria menos de 10 segundos. Com a desistência de Malta, a aproximação entre Bolsonaro e o PR, que já estava ameaçada após o empresário mineiro Josué Gomes, dono da Coteminas, se filiar à legenda, ficou inviabilizada.

Filho do ex-vice-presidente José Alencar, Josué é um dos nomes cotados para ser candidato ao Palácio do Planalto apoiado por uma aliança de centro. As negociações para essa coligação estão sendo comandadas pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e envolvem PP, PRB e Solidariedade. Ele também é cotado para ser vice na chapa do PT encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato.

Sem uma aliança com o PR, Bolsonaro passou a procurar um vice no PSL e em outros partidos de menor expressão. Uma das alternativas para a vaga é o general do Exército Augusto Heleno (PRP-DF), que comandou as tropas brasileiras no Haiti. 

O deputado também já avaliou o nome da advogada paulista Janaina Paschoal (PSL), uma das autoras do pedido do pedido de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT). Contudo, a advogada declinou da proposta.

Palanques

Correligionários de Bolsonaro também têm procurado outros partidos para garantir palanques nos Estados para o deputado. As possibilidades de alianças incluem legendas como MDB, PP, DEM, PSD e PRP. Uma das alternativas seria o apoio ao presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que é pré-candidato ao governo paulista pelo MDB. 

O PSL não sabe ainda ao certo quantos candidatos a governador terá pelo País. Por enquanto, dá como certas apenas candidaturas próprias em pequenos colégios eleitorais. Bolsonaro não indicou quem pode apoiar no Rio, seu reduto eleitoral. O partido aposta na candidatura de um dos filhos do presidenciável ao Senado, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, como ponto de apoio no Estado para campanha presidencial. A possibilidade de indicar um militar à disputa também é avaliada.

O Conselho Nacional do Ministério Público investiga a conduta do promotor de Justiça Goiano Fernando Krebs após afirmar, em entrevista, que o ministro Gilmar Mendes ‘é o maior laxante do Brasil’. Em conversa com a rádio Brasil Central, de Goiânia, o promotor acusou o ministro de ‘soltar todo mundo, sobretudo os criminosos de colarinho branco’.

“Ele [Gilmar Mendes] cria sua própria lei. Aliás, eu não sei como o Gilmar é ministro do Supremo. Será que não tem ninguém com peito no Brasil para investigar um ministro do Supremo?”, afirmou Krebs.

O ministro entrou com representação contra Krebs junto ao Conselhão do MP ’em razão da realização de afirmação ofensiva’.

Para o corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel Moreira, levou em consideração o ‘possível enquadramento de infração disciplinar da conduta praticada pelo Promotor de Justiça’  ao instaurar a reclamação disciplinar.

Moreira deu a Krebs o prazo de 10 dias informações relevantes e pertinentes para o processo. Também determinou que a Rádio fosse oficiada para entregar o áudio da entrevista em até cinco dias.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara

Sem passar de 1% nas pesquisas de intenção de voto ao Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite, em conversas com aliados, desistir da disputa. Maia prepara o argumento para a desistência e passou a articular apoio para se reeleger ao comando da Casa na próxima legislatura. “Vou trabalhar pela minha candidatura até o limite, mas, de forma nenhuma, vou para esse processo sozinho”, afirmou Maia.

A saída de Maia da disputa presidencial vai explicitar as articulações do DEM no processo eleitoral. O presidente da Câmara tem defendido um novo polo de poder, distante do PSDB – parceiro histórico – e do MDB.

Há cerca de um mês, o deputado intensificou negociação com partidos de centro, entre eles, PP, PRB e SD, para que marchem juntos na campanha. Com a entrada do PR no bloco, ele passou a ser um dos principais entusiastas da aliança dessas legendas em torno da candidatura do empresário mineiro Josué Gomes (PR), dono da Coteminas e filho do ex-vice-presidente José Alencar.

Maia e aliados não descartam uma composição com o ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), mas têm feito acenos a outros presidenciáveis, entre eles, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). A avaliação dos dirigentes dessas legendas de centro é de que não se pode descartar o potencial eleitoral do pedetista.

Na negociação, o DEM pede compromisso de apoio à reeleição de Maia para o comando do Legislativo. Sua candidatura ao Planalto, desde o início, era vista como uma tentativa de o deputado se cacifar politicamente e eleitoralmente, uma vez que tem piorado seu desempenho nas urnas ao longo dos anos – em 2014 foi eleito com 53,1 mil votos, ante quase 200 mil de 2006.

A pouco mais de um mês do início das convenções partidárias, a saída de Maia da disputa também é mais um sinal da depuração dos 17 nomes que se apresentaram até agora como pré-candidatos. Nesta semana, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB) admitiu abrir mão de sua pré-candidatura à Presidência nas eleições 2018 em torno de um nome que unifique a esquerda.

Ciro

O aceno de Maia a Ciro coincide com a desconfiança que ronda a pré-candidatura de Alckmin nas pesquisas de intenção de voto. Embora DEM e PSDB sejam aliados históricos, Maia já disse que aliança entre os dois partidos na disputa deste ano não seria “automática”. 

Maia disse nesta quinta-feira, 7, que votaria no pedetista em um eventual segundo turno entre ele e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ). As conversas de Maia com Ciro estão sendo feitas ainda por meio de interlocutores, entre eles, o deputado Weverton Rocha (PDT-MA), que é próximo do presidente da Câmara. Nas tratativas, DEM e PDT avaliam possíveis alianças nos Estados, como no Rio e no Rio Grande do Norte.

Maia também tem se movimentado na Câmara em busca de apoio para se reeleger pela terceira vez para o comando da Casa. Desde abril, passou a fazer reuniões individuais com as principais bancadas para ouvir as demandas dos parlamentares. Já encontrou com deputados do PR, do PSDB e do PPS. Também deve se reunir com o MDB, a segunda maior bancada.

Maia também vem fazendo gestos para os principais partidos da oposição, entre eles PT, PCdoB e PDT, cuja maioria de seus integrantes o apoiou em suas duas eleições para o comando da Casa em 2016 e 2017. 

aedes_dengue.jpg

Dados do Ministério da Saúde revelam que 1.153 municípios brasileiros, o que corresponde a 22% do total, têm alto índice de infestação e risco de surto para dengue, zika e chikungunya, o que indica a necessidade de intensificar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças, mesmo durante o outono e o inverno. Nessas estações, a tendência seria de cair a incidência de doenças associadas ao mosquito.

O mapeamento foi feito com base no Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), que compila informações enviadas por gestores municipais. Neste caso, os dados foram coletados entre janeiro e meados de março. O LIRAa mostra que, além dos municípios que estão em situação mais vulnerável, 2.069 estão em alerta e 1.711 apresentam índices satisfatórios. A lista com a situação de cada cidade está disponível no portal do Ministério da Saúde

“O resultado do levantamento indica que é necessário dar mais atenção às ações de combate ao mosquito. A prevenção não pode ser interrompida, mesmo no período mais frio do ano”, alertou o secretário de Vigilância em Saúde, Osnei Okumoto. De acordo com o secretário, as ações devem reverter em maior proteção durante o verão, época de maior proliferação do Aedes aegypti. “Assim será possível manter a redução do número de casos”, adiantou.

Entre as capitais, apenas São Paulo, João Pessoa e Aracaju apresentam índices satisfatórios e não devem enfrentar problemas desse tipo.

De acordo com o ministério, Rio de Janeiro, Fortaleza, Porto Velho, Palmas, Maceió, Salvador Teresina, Recife, Brasília, Vitória, São Luís, Belém, Macapá, Manaus e Goiânia estão no estágio de alerta. Natal e Porto Alegre realizaram levantamento por armadilha, utilizada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente. Boa Vista, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis e Campo Grande não enviaram informações.

O vice-presidente da Sociedade Brasileira de Virologia e professor da Universidade Feevale, localizada no município de Novo Hamburgo (RS), Fernando Rosado Spilki, considerou “impressionante” o índice de infestação no Brasil. Spilki disse que os riscos de ocorrência de novos surtos são elevados, pois, no caso da chikungunya, por exemplo, a população imune, inclusive por já ter contraído a doença, é relativamente baixa.

Para Spilki, a manutenção desse patamar de incidência, poucos anos após surtos de doenças terem chamado a atenção do país, reflete a falta de políticas que integram ações preventivas eficazes e de conscientização da população. O professor acrescentou que a situação deriva também de outros problemas, como a urbanização precária das cidades brasileiras e a descontinuidade no fornecimento de água, o que faz com que parte da população tenha de  armazená-la, o que pode gerar criadouros de mosquitos.

As características do Aedes aegypti também dificultam o combate, o que amplia o desafio de superar o problema. “Hoje, a praga número 1 a ser combatido é exatamente o Aedes aegypti, que tem entrado em muitos municípios, inclusive expulsando outras espécies, como o Aedes albopictus. E o aegypti tem a característica de não só ficar ao redor da casa, mas de entrar na casa, o que dificulta o combate”, detalhou Spilki.

O professor ressaltou que o Brasil não é o único país que sofre com o problema. “Há uma recrudescência dessa situação em toda a América do Sul. Há relatos de aumento de casos de doenças transmitidas no Peru e no Equador, acompanhando a situação brasileira. Não é, portanto, uma coisa exclusiva nossa, mas, como país, precisamos tomar uma ação de prevenção e vigilância, porque nossa população é muito grande.”

O Ministério da Saúde informa que as ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti são permanentes e tratadas como prioridade. Entre as medidas tomadas para combater o mosquito está a criação da Sala Nacional de Coordenação e Controle, que orienta e articula ações contínuas ao longo do ano com governos estaduais e municipais para combate ao vetor e monitora a situação epidemiológica e as atividades para enfrentamento do mosquito. Além disso, os recursos para as ações de vigilância em saúde cresceram nos últimos anos, passando de R$ 924,1 milhões, em 2010, para R$ 1,94 bilhão em 2017.

Para este ano, a previsão é que o orçamento de vigilância em saúde para os estados chegue a R$ 1,9 bilhão.

'Não me conformo com a minha situação', diz Lula em carta a petistas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou aos petistas um manifesto, em que se diz injustiçado e inconformado com a crise enfrentada pelo país. A mensagem foi endereçada aos cerca de dois mil militantes que participaram de ato de lançamento de sua pré-candidatura nesta sexta-feira (08) em Contagem (MG). No texto, Lula afirma ainda que levará sua campanha às últimas consequências e que não governará para o mercado.

“Não posso me conformar com o sofrimento dos mais pobres e o castigo que está se abatendo sobre a nossa classe trabalhadora, assim como não me conformo com minha situação”, escreveu o ex-presidente.

No texto, Lula diz acompanhar da cela os desafios enfrentados pelo brasileiro. E se apresenta como o candidato da esperança.

“Tive muitas candidaturas em minha trajetória, mas esta é diferente: é o compromisso da minha vida. Quem teve o privilégio de ver o Brasil avançar em benefício dos mais pobres, depois de séculos de exclusão e abandono, não pode se omitir na hora mais difícil para a nossa gente”, afirmou o petista.

Ele acrescentou: “Sei que minha candidatura representa a esperança, e vamos levá-la até as últimas consequências, porque temos ao nosso lado a força do povo”.

Na carta, Lula também enviou um recado aos demais partidos de esquerda. Nela, o ex-presidente afirma que é necessário unir forças, mas respeitando a autonomia dos partidos e movimentos sociais. “Tenho certeza de que estaremos juntos ao final da caminhada”, afirmou.

O ex-presidente escreveu também que mantém a pré-candidatura por acreditar na Justiça Eleitoral.

“Sou candidato porque acredito, sinceramente, que a Justiça Eleitoral manterá a coerência com seus precedentes de jurisprudência, desde 2002, não se curvando à chantagem da exceção só para ferir meu direito e o direito dos eleitores de votar em quem melhor os representa”.

Na carta, Lula disse que lutará contra privatizações e que a Petrobras tem que voltar ser brasileira: “Governamos para o povo e não para o mercado. É o contrário do que faz o governo dos nossos adversários, a serviço dos financistas e das multinacionais, que suprimiu direitos históricos dos trabalhadores, reduziu o salário real, cortou os investimentos em saúde e educação”.

Segundo ele, a Petrobras não foi criada para gerar ganhos para os especuladores de Wall Street, em Nova Iorque, mas para garantir a autossuficiência de petróleo no Brasil, a preços compatíveis com a economia popular.

“Podem estar certos que nós vamos acabar com essa história de vender seus ativos. Ela não será mais refém das multinacionais do petróleo”.

O petista também afirmou que se opõe à privatização de outras estatais, como Eletrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica.

Morre aos 78 anos Maria Esther Bueno, maior tenista brasileira

Maria Esther Bueno, maior tenista brasileira da história, morreu nesta sexta-feira (8), aos 78 anos, em São Paulo. Ela estava internada no Hospital 9 de Julho desde maio (o dia exato não foi informado pela instituição), devido a um câncer na boca. A informação foi confirmada pelo sobrinho de Bueno, Pedro, ao SporTV, canal no qual ela era comentarista. Maria Esther nasceu em São Paulo em 11 de outubro de 1939 e começou a jogar no Clube de Regatas Tietê.

Somente em torneios do Grand Slam, ela conquistou 19 taças, entre simples, duplas e duplas mistas. Foi considerada a melhor do mundo em 1959, 1960, 1964 e 1966, numa época em que não existia o ranking. Por esses motivos, em 1978 ela entrou no Hall da Fama do tênis, feito que apenas outra sul-americana (a argentina Gabriela Sabatini) alcançou. Guga também recebeu a honraria em 2012.

“Em 1960, eu ganhei o Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e o Aberto dos EUA com parcerias diferentes”, disse ela em entrevista à WTA (Associação de Tênis Feminino). “Foi algo grandioso”.

Foi a primeira a fechar o “calendar Grand Slam”, conquistar os quatro maiores torneios na mesma temporada, de duplas. O feito só foi repetido por Martina Navratilova (1984), Pam Shriver (1984) e Martina Hingis (1998). Maria Esther Bueno não considera esse o maior feito de sua carreira, mas sim o título de simples na grama de Wimbledon, em 1959.

“Eu vinha do Brasil, onde havia apenas quadras de saibro, e a gente não tinha oportunidade de jogar na grama, então ganhar pela primeira vez foi uma grande surpresa”, afirmou ela, que tinha apenas 19 anos na ocasião do título. Quando começou o profissionalismo no tênis, em 1968, a brasileira já sofria com uma lesão no braço.

Maria Esther Bueno jogou numa época em que não havia tie-break (sistema de desempate) e as partidas eram mais longas -ela contava que chegou a disputar 120 games consecutivos. A premiação também é bem diferente da atual. O prêmio para a campeã de Wimbledon em 2018 é de US$ 3,08 milhões (cerca de R$ 11,5 milhões). Em 1959, a conquista valeu à brasileira 15 libras (cerca de R$ 56).

Maria Esther Bueno anunciou o encerramento da carreira pela primeira vez em 1969, mas voltou às quadras nos anos 1970 e chegou à quarta rodada de Wimbledon em 1976.

Em 2015, a quadra central do centro de tênis no Parque Olímpico do Rio foi batizada com o nome dela. Nos últimos anos, Maria Esther atuou como comentarista dos canais SporTV e era presença constante no Aberto do Rio, principal torneio de tênis do país. Com informações da Folhapress.

http://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/2015/12/28/normal/a650fc6f3a0314750febeeb251f50089.jpg

A partir da meia noite desta sexta-feira (08), O Convênio Táxi Metropolitano firmado entre  municípios de Recife e Olinda permite a circulação e operação dos veículos normalmente entre as duas cidades. O acordo é válido a partir da meia-noite desta sexta-feira (8) até às 6h do dia 31 de julho. 

O objetivo é o aumento na quantidade de táxis disponíveis durante eventos do período, como as festividades juninas e a Fenearte, que atraem um grande público. 

https://abrilexame.files.wordpress.com/2016/09/size_960_16_9_candidata-do-psb-marina-silva3.jpg

Em entrevista a jornalistas estrangeiros, concedida no Rio de Janeiro na tarde desta sexta-feira (08), a pré-candidata da Rede à presidência da República, Marina Silva, criticou a estratégia de centrar críticas ao pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL), que lidera as pesquisas de intenção de voto quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não é incluído: “É um erro os partidos orientarem sua estratégia para combater o Bolsonaro. Temos um projeto para o Brasil e vamos debater com todos, sem polarizar. Queremos saber os projetos de todos sobre saúde, educação, segurança”, afirmou.

Marina criticou, no entanto, a liberação do comércio de armas como solução para o problema da segurança pública, como defende Bolsonaro. “Não é assim que se resolve, não adianta dar uma arma para cada cidadão. Isso só vai aumentar o problema. Não queremos uma arma como símbolo do Brasil”, afirmou.

Sobre o aborto e a liberação de drogas, outros temas recorrentes na eleição, a pré-candidata defendeu que essas questões sejam decididas via plebiscito. “Precisamos fazer um debate sem usar rótulos”, pontuou. Ninguém defende o aborto como método regular contraceptivo, mas numa situação excepcional. Isso tem que ser debatido com fundamentos médicos e sem preconceito”, ponderou.

A pré-candidata da Rede mencionou que está em negociação com partidos como PSB e PMN para a campanha eleitoral, e que só busca alianças baseadas em programa de governo. “Mas não acho que todo mundo do PT e do PSDB é corrupto. Quero fazer um governo de união”, afirmou. “Os partidos que estão aí fizeram a reforma política que interessava a eles, mas tem uma grande reforma política que o povo vai fazer em 7 de outubro”, previu Marina.

 

O concurso “Arraial do Meu Bairro” tem sido um sucesso. A população tem se mobilizado, em cada bairro, para fazer a festa mais animada da cidade. A Prefeitura de Afogados da Ingazeira tem por objetivo incentivar os tradicionais arraiais de São João, com tudo o que isso traz de magia e encantamento, valorizando a nossa tradição cultural junina.

Ontem (07), foi à vez do Bairro Padre Pedro Pereira cair na festa, organizada no pátio da Igreja do bairro. A decoração, feita pelos próprios moradores, com a ajuda dos profissionais da Secretaria de Assistência Social, trouxe os elementos característicos dessa que é a maior festa popular do Nordeste.

Grupos da boa idade que participam de atividades no CRAS municipal organizaram diversas apresentações. A poetisa Laiza, de apenas 12 anos, Além de algumas apresentações artísticas dos grupos da Boa Idade e do CRAS, a poetisa Laiza, de apenas 12 anos, roubou a cena declamando alguns dos seus versos e ressaltou a importância do projeto Mais Cultura, organizado pela Secretaria Municipal de Educação, que foi primordial para despertar o seu interesse pela poesia. 

Quem também animou os festejos foi um grupo de bacamarteiros (tradição cultural da nossa região), além da banda Encantos Dourados. No Sobreira, a festa aconteceu na última quarta, e foi uma das mais animadas. Com quadrilha junina, grupos culturais, comidas típicas de milho e a empolgação dos moradores.

“Esse concurso tem sido um sucesso. Vai além de qualquer competição. O importante é festejar e resgatar as nossas tradições juninas. Quero convidar a todos, para nesta sexta, dia oito de junho, a partir das sete da noite, para participar do arraial do meu bairro ao lado dos moradores do bairro São Sebastião,” afirmou o secretário de Cultura e Esportes, Edygar Santos. 

O Globo

A Polícia Federal solicitou ao setor de perícias a realização de uma análise sobre os supostos pagamentos de propina registrados nos bancos de dados da Odebrecht, o Drousys e o Mywebday, aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), para permitir o avanço do inquérito que apura ofertas de vantagens indevidas a eles em troca de benefícios em medidas provisórias no Congresso Nacional.

O ofício comunicando a realização da perícia foi enviado ao Supremo Tribunal Federal na última quarta-feira pela delegada Graziella Balestra, que conduz as apurações do caso. As análises abrangerão também outros supostos repasses ao senador Romero Jucá (MDB-RR) e ao deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), que são investigados no mesmo inquérito. Com isso, a PF busca comprovar se os pagamentos aos quatro políticos foram efetivamente realizados, como relatado na delação dos executivos da Odebrecht.

A delegada frisa em seu pedido que deverão ser analisados pagamentos de R$ 2,1 milhões ao codinome Índio, “provavelmente relacionado à pessoa do senador Eunício Oliveira”, e de R$ 100 mil ao “possível codinome Botafogo, provavelmente relacionado à pessoa do deputado federal Rodrigo Maia”.

O objetivo do trabalho é identificar as comunicações internas da Odebrecht com os responsáveis por fazer a entrega dos recursos. A delegada solicita a identificação de quatro itens relacionados aos pagamentos de propina: “a) negociações para realização do pagamento de valores em sistema de contabilidade paralela; b) previsões ou cronogramas; c) tratativas para a realização dos pagamentos dos valores, locais e senhas; d) comprovação efetiva dos pagamentos realizados”.

Esse inquérito investiga se Maia, Eunício, Jucá e Lúcio Vieira Lima receberam pagamentos da Odebrecht em troca de atuar em favor dos interesses da empresa na votação de uma medida provisória no Congresso Nacional que reduzia tributos para o setor petroquímico –de interesse direto da Braskem, controlada pela Odebrecht. Todos eles já negaram terem atuado a favor da Odebrecht e dizem só ter recebido doações legais.

Maia já prestou depoimento à PF e afirmou que não reconhece o codinome Botafogo, atribuído a ele, e que os registros de pagamento no sistema não lhe dizem respeito. Eunício disse à PF que “nunca deu tratamento diferenciado no encaminhamento dos pleitos de grandes doadores de suas campanhas” e que a acusação dos delatores da Odebrecht é “inverdade”. Procuradas, as assessorias de Maia e Eunício ainda não responderam. Lúcio Vieira Lima e Jucá também negaram irregularidades.

Em nota, Eunício Oliveira afirmou que “acredita que as investigações são o melhor caminho para esclarecer todos os fatos”.

Copa do Mundo Rússia 2018

Por Diogo Magri/El País

Até maio deste ano, mais de 72.500 ingressos para a Copa do Mundo Rússia 2018 foram adquiridos por brasileiros – o número coloca o país atrás apenas de russos (871.797 entradas) e americanos (88.825) no ranking de maiores compradores do Mundial, que totaliza mais de um milhão e meio de ingressos vendidos na última parcial divulgada. Visto que os torcedores do Brasil prometem “invadir” a maior nação do mundo em território, o EL PAÍS preparou um guia com informações a respeito das cidades que receberão a competição mais importante do futebol. Mas antes, é bom lembrar que as temperaturas na Rússia, ainda que seja verão durante a Copa, tem temperaturas mais amenas que a do Brasil. Os russos são afáveis, mas vivem suas idiossincrasias que podem constituir um choque cultural. Herdeiros do socialismo e a da guerra fria que imperou no século XX, têm uma visão planetária diferente da quem está no Ocidente e em especial do Brasil, onde o eixo central do mundo são os Estados Unidos. Os russos, ao contrário, entendem sua grandiosidade em contraposição aos americanos. Nada que uma vodca não ajude a quebrar o gelo. A população russa gosta de beber e de fazer amizades e tem apreço pelo Brasil.

Não é necessário, desde 2010, vistos para cidadãos brasileiros que desejam entrar na Rússia, contanto que o intuito da viagem seja somente turístico e o tempo de estadia não ultrapasse os 90 dias. A circulação no território russo não tem restrições, a não ser que o turista permaneça na mesma cidade por mais de sete dias seguidos – neste caso, deverá ser preenchido um formulário de Registro Migratório, normalmente encontrado nos hotéis do país e no momento do desembarque. Nenhuma vacina é exigida para visitantes brasileiros, apesar de recomendada; a carteira internacional de vacinação pode ser solicitada por autoridades russas de Imigração na entrada do país.

O Rublo russo, moeda oficial do país-sede, pode ser adquirido em conversão direta do real, dólar ou euro; para estas últimas duas moedas, ela pode ser feita na chegada ao país. Para mais informações, a Embaixada Brasileira na Rússia disponibilizou uma página com contatos de emergência e procedimentos necessários para a visita de turistas e uma cartilha de 134 páginas com mais informações sobre o que evitar no país, documentos, clima e moeda. Serão abertos, ainda, cinco novos postos consulares na Rússia para garantir assistência aos brasileiros, nas cidades de Kazan, Samara, Rostov, Sochi e São Petersburgo.

Quanto ao transporte para o país-sede, existem voos de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Fortaleza e Belo Horizonte para as duas maiores cidades da Rússia: Moscou e São Petersburgo. Os voos duram de 13 a 16 horas na média, todos com escala nos Estados Unidos ou em países da Europa. Entre as duas cidades, que estão a 700 km de distância, um trem-bala faz o percurso em menos de duas horas. Para as outras cidades-sedes, são recomendados os deslocamentos por avião, por trem ou por carro alugado; a cidade mais próxima, Níjni Novgorod, está a pouco mais de 400 km da capital. A mais longe, Ecaterimburgo, está a quase 1.800 km de Moscou.

Caso a opção feita seja pelo carro, a carteira de habilitação do Brasil tem validade na Rússia, mas precisa ser expedida por um DETRAN, traduzida em russo e autenticada nos consulados do Brasil ou do país europeu. A carteira de habilitação internacional também pode ser usada. Não existem muitas diferenças entre o modo de dirigir brasileiro e o modo de dirigir russo; apenas que, lá, o limite de velocidade nas rodovias varia entre 60 km/h e 90 km/h.

http://www.cabrobonews.com.br/wp-content/uploads/2017/05/prefeito-clebel-mppe7.jpg

O prefeito de Salgueiro, Clebel Cordeiro, decretou a suspensão da licença-prêmio aos servidores públicos municipais nos casos que ensejem a imediata necessidade de substituição do funcionário. O embargo vale até que o município esteja adequado ao limite de despesa com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A publicação foi feita nesta sexta-feira (08), no Diário Oficial dos Municípios.

Nas justificativas, o prefeito argumenta que o município está excedendo atualmente o limite da LRF; sofreu sistemática queda de arrecadação nos últimos anos; deve adotar providências para reduzir as despesas com pessoal, seguindo orientação do TCE-PE e que o número de servidores beneficiados pela licença-prêmio, simultaneamente, não pode ser superior à lotação necessária para o funcionamento da prefeitura.

Clebel ainda alega, segundo o blog de Alvinho Patriota, que a concessão da licença-prêmio ao servidor implica, em alguns casos, na imediata necessidade de contratação de um substituto para assumir suas funções, gerando um aumento na despesa de pessoal.

http://www.amupe.org/wp-content/uploads/2018/06/WhatsApp-Image-2018-06-08-at-12.11.13.jpeg?x52096

Em alusão ao aniversário de seis anos da Lei Florestal brasileira, comemorado no último dia 25/05, o Observatório do Código Florestal (OCF) e o Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) realizaram nesta sexta-feira (08), um encontro na sede da Amupe, trazendo atualizações sobre a implementação da Lei Florestal. Entre os temas abordados: as mudanças com a recente decisão do STF sobre o Código Florestal, dados atualizados sobre da regularização ambiental no país, e as perspectivas do mercado de Cotas de Reserva Ambiental (CRAs)

O novo Código Florestal (lei 12.651/12), em vigor desde maio de 2012, ainda está em processo de implementação. O prazo para que os proprietários de imóveis rurais do país façam o registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR), foi prorrogado para 31 de dezembro de 2018. A lei também exige a proteção da vegetação nativa (Reserva Legal) em uma parcela que varia de 20% a 80% da área dos imóveis, dependendo do bioma. Para Roberta Del Giudice, Secretária Executiva do Observatório, “é importante que a sociedade participe da implantação das políticas públicas, fomentando um mercado socialmente justo e que preserve o meio ambiente”, comenta.

O secretário estadual do Meio Ambiente e Sustentabilidade, Carlos André Cavalcanti, falou sobre o status do Cadastro Ambiental Rural e do Programa de Regularização Ambiental no estado. Fez uma explanação técnica dos resultados do Cadastro Ambiental Rural (CAR) em Pernambuco especificando os números. Dados atualizados até maio de 2018 – “Pernambuco estar com 259 mil imóveis cadastrados, o equivalente de área passível de cadastro, 98,8%. Á área de preservação declarada com cobertura vegetal nativa é de 31,3% e área de reserva legal declarado de 57,4”, destacou Cavalcanti.

Durante o encontro foi lançada a publicação de Avaliação de Oportunidades em Restauração de Paisagens Florestais no Estado de Pernambuco, resultado de um estudo desenvolvido em Pernambuco para identificar as oportunidades de restauração florestal no estado utilizando a metodologia ROAM (Restoration Opportunities Assessment Methodology). Uma das contribuições práticas dessa publicação é, por exemplo, a identificação de áreas prioritárias para a restauração florestal através do cumprimento do Código Florestal no Estado, identificação de áreas susceptíveis ao processo de desertificação e áreas de recarga hídrica nas principais bacias hidrográficas do Estado.

Gorette Aquino, secretária executiva da Amupe, representou o presidente da Instituição, José Patriota , saudando os participantes. Ela ressaltou a parceria do Governo do Estado em apoiar os municípios com os desafios do CAR e os Planos de Resíduos Sólidos, destacando a importância de “estarmos todos juntos, poder público e sociedade, pois só assim é possível se avançar nas questões do meio ambiente”, afirmou.

tito

O Sítio São Bento é exemplo de produção agrícola sustentável, em Serra Talhada, sem utilização de agrotóxico. A história de sucesso começou quando , no início deste ano, o dono da propriedade, Genivaldo Bezerra Lacerda , recebeu a proposta para conduzir a exploração agrícola sem uso de defensivo agrícola, feita pelos extensionistas do Escritório Local do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Adriano Edson, Dejonas Nogueira e Germano Pereira, que já prestava assistência técnica ao  rebanho de gado de leite. O IPA é vinculado á Secretaria Estadual de Agricultura e Reforma Agrária.

A aceitação foi mais do que acertada. A plantação prosperou e foi diversificada. Hoje, além da criação de bovinos, ele cultiva fruteiras, tais como mamão, banana e coco, alguns tubérculos e raízes, como batata doce e macaxeira, além de várias hortaliças. Satisfeito, o agricultor vem encaminhando e comercializando sua produção nas feiras locais e já almeja evoluir ainda mais para, futuramente, conseguir o registro como produto orgânico.

 “A diversidade de explorações num sistema de transição orgânica é fundamental para o manejo, combate e controle de pragas e doenças. Mesmo em fase inicial de exploração, já se pode observar alguns resultados e a evolução da família no tocante a produção com sustentabilidade”, explica o supervisor de Extensão Rural da Gerência Regional de Serra talhada, Tito Ferraz.

Mão de milho custa entre R$ 15 e R$ 35 no Ceasa-PE

A mão de milho, um dos alimentos mais procurados em época de festas juninas, está sendo comercializada por entre R$ 15 e R$ 35 no Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa-PE), localizado no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. A abertura do “São João do Ceasa” aconteceu nesta sexta-feira (08) com distribuição de canjica gigante, forró pé-de-serra, bacamarteiros e quadrilha junina no Pátio do Milho.

Segundo o secretário de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco, Wellington Batista, a expectativa é vender um milhão de espigas a mais que o ano passado. “A tendência é baixar o preço e já era para isso ter acontecido, mas passamos por dificuldades por causa da paralisação dos caminhoneiros. Com a vinda de mais milhos, o preço deve baixar”, garantiu o gestor.

Por causa do período de chuvas deste ano no Estado, a safra do cereal deve ser maior. “Com isso, o consumidor ganha porque há uma expectativa de um preço menor e também um milho de melhor qualidade”, destacou Wellington. Ainda de acordo com o secretário, uma boa quantidade de milho está no interior e chegará nos próximos dias ao Ceasa.

Francisco Justino, mais conhecido como Chico do Milho, vende milho há 40 anos no Ceasa e ensina como escolher as melhores espigas. “O milho para fazer pamonha e canjica é aquele que tem uma palha só, que rende a massa e tem caroços graúdos e maduros. Para assar e cozinhar, é melhor escolher os que têm uma palha mais enviesada”, explicou.