penoticias

https://4.bp.blogspot.com/-T55FhTSkryM/Wr4znqNiOTI/AAAAAAAAbNs/XueinFHvHLokgu9pbbh6vtvX4T2H0kHDgCLcBGAs/s1600/transferir.jpg

Faleceu na manhã desta quinta-feira (28), no Recife, um dos colaboradores do Blog PE Notícias, que neste momento reedita uma das últimas participações neste meio de notícias, e que tinha boa aceitação dos leitores. O Blog se solidariza com toda família de Carlos Moura Gomes pelo seu desaparecimento.

Nossas derrotas e vitórias dependem de nossas escolhas…

Santo Agostinho, quando era bispo de Hipona, cidade ao norte da África, disse em uma de suas brilhantes pregações que “A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-la”.

Ultimamente não temos muito o que comemorar com relação à política brasileira. Pois, desde março de 2014 com o início da Operação Lava Jato que a população brasileira se contorce, diariamente, ao tomar conhecimento de uma infinidade de trapaças e roubalheiras praticadas pelos que detêm os, hoje, podres Poderes da Nação.

Comprovando esse triste cenário, o Governo Federal gastou em 2017, somente com flores e jardins, o equivalente a R$ 82 milhões, segundo o Portal Contas Abertas, foram mais de R$ 50 milhões com homenagens. Estamos citando apenas um segmento da farra com nossos impostos.

Pra arrepiar ainda mais nossa indignação, nesta quinta-feira, 10 de maio de 2018, às 08 horas e 30 minutos, infelizmente, acabei de ouvir e ver na televisão que quatrocentos e trinta hospitais foram fechados nesses últimos oito anos no Brasil. Dentre essas unidades hospitalares, muitas cuidavam de pessoas com câncer e outras doenças que, além de não terem prazo determinado para conclusão do tratamento, necessitavam de um acompanhamento mais especializado. São 31.454 leitos desativados deixando pacientes no meio da rua e seus familiares desesperados.

Torço para que, todos nós, tenhamos a coragem de, não somente se indignar, mas, de enfrentar os que tentam usurpar e destruir nosso querido Brasil e, o mais importante, que usemos em outubro próximo toda nossa sabedoria para acertarmos em nossas opções políticas. Afinal, nossas vitórias e derrotas dependem, sempre, de nossas escolhas. Do afogadense Carlos Moura Gomes (foto), de Gravatá, por e-mail para o PE Notícias no dia 09 de maio de 2018.

NOTA DE PESAR

“Foi com profunda tristeza que recebi a notícia do falecimento do amigo Carlos Alberto de Moura Gomes, irmão do também amigo Saulo Gomes e filho do ex-prefeito Possidônio Gomes. Escritor, militante das causas do povo e defensor da cultura popular, Carlos era um Afogadense querido por todos.

Desejo que Deus conforte a todos os familiares e amigos nesse momento de irreparável perda”. 

José Patriota

Prefeito de Afogados da Ingazeira.

Tão importante quanto à imagem é o conteúdo existente dentro da embalagem. Fique atento e nesta Expoagro procure um gelo que já é líder de vendas em Afogados da Ingazeira e se expande pela região do Pajeú. O Gelo Zero Grau está em novas embalagens, com mais pureza e com preços incomparáveis.

Você não terá dificuldades para encontrar o Gelo Zero Grau em Afogados da Ingazeira.

Veja os pontos de vendas:

Conveniência Altas Horas – Rua Senador Paulo Guerra (antiga Tortelle); Casa de Carnes Boa Sorte – Rua Diomedes Gomes (antiga Cabana); Zero Grau – Praça Arruda Câmara (ao lado da Catedral); Sandubão – Praça de Alimentação; Mercadinho 2 Irmão – Rua Valdecir Xavier de Menezes, no bairro São Brás.

https://www.sescsp.org.br/files/artigo/2f0a78c0/7fd3/408e/a256/079fd8f8725e.jpg

O projeto ‘Arte da Palavra’, desenvolvido pelo Departamento Nacional do Sesc, aporta mais uma vez em Triunfo. A partir da próxima segunda-feira (14) até o dia 18 de maio, será ministrada a Oficina de Criação Literária com a escritora sul-mato-grossense Michelly Dominiq, na Fábrica de Criação Popular do Sesc, das 18h às 22h.  

Voltada para maiores de 17 anos, a oficina tem o objetivo de exercitar a prática da escrita literária. O público-alvo são escritores, professores, estudantes do Ensino Médio e pessoas que tenham afinidade com a escrita. Os interessados podem se inscrever na Fábrica de Criação Popular. Para participar é necessário pagar uma taxa de R$ 14. Comerciários e dependentes têm desconto, e pagam de R$7.

 Michelly Dominiq é contadora de histórias, atriz e pedagoga formada pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).  Durante a oficina ela também falará sobre sua experiência e pesquisa de contos populares. Michelly é ganhadora do Prêmio Professoras do Brasil 2016, com o projeto “Contos, Cantigas e Brincadeiras”. Sua atuação atende as áreas de pesquisa em cultura popular, patrimônio imaterial, educação e teatro.

Projeto

O ‘Arte da Palavra’ visa divulgar a literatura no Brasil, facilitando o acesso da população à obra literária, por meio de ações que atuem em toda a cadeia da literatura, incluindo a formação e a divulgação de novos autores, a valorização das novas formas de produção e fruição literária.

Queijo apreendido em São Caetano

A Polícia Rodoviária Federal de Pernambuco (PRF-PE) apreendeu, nesta quinta-feira (10), 730 quilos de queijo sem refrigeração na BR-232, em São Caetano, no Agreste do Estado. Segundo a polícia, os queijos foram produzidos sem a devida inspeção sanitária e estava sendo transportado sem a refrigeração necessária para conservar a qualidade do produto.

Ainda de acordo com a PRF, uma picape com placa de Altinho foi abordada no quilômetro 145 da BR-232 com 680 quilos de queijo coalho e 50 quilos de queijo manteiga dentro do veículo e na carroceria.

O motorista informou que havia saído de Cachoeirinha, também no Agreste, e iria revender o produto em Caruaru. A ocorrência foi encaminhada a um fiscal da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) para as providências cabíveis.

http://d1cur43cgidqo6.cloudfront.net/wp-content/uploads/2014/02/prefeitura-de-serra-talhada.png

COMUNICADO

A Prefeitura de Serra Talhada informa o cancelamento da agenda de inauguração das ruas 11 e Onofre Magalhães, na Cohab, que seria realizada na tarde desta sexta-feira (11), em virtude do falecimento do pai da secretária executiva da Receita Municipal, Priscila Freire, e da mãe do deputado estadual, Augusto César. Ao mesmo tempo, a Prefeitura Municipal, em nome do prefeito Luciano Duque e toda equipe de governo, manifesta sua solidariedade às duas famílias enlutadas.

Quanto ao COMUNICANDO, o evento está mantido, e acontecerá a partir das 19h, na Concha Acústica.

Contamos com a compreensão de todos.

Prefeitura Municipal de Serra Talhada

Um dos presos estava traficando drogas na frente de casa / Foto: Reprodução/Polícia Civil

Dois homens foram presos e um menor apreendido por tráfico de drogas nessa quinta-feira (10) na cidade de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, o primeiro caso foi a prisão de um homem identificado como Leandro de Andrade Sabino, que estava na frente de casa realizando o comércio de entorpecentes.  

Ao realizar a abordagem, os policiais encontraram quatro trouxinhas de maconha com Leandro. Na residência dele, foram encontradas 15 pedras de crack, além de R$ 1.130,90 em notas trocadas, uma balança de precisão, diversas sacolas tipo sacolé, uma gilete e um prato com resquícios de cocaína. O suspeito será encaminhado à audiência de custódia em Arcoverde.  

Homem é preso e menor é detido

O outro caso divulgado pela polícia foi o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, com o apoio do 3º Batalhão da Polícia Militar, de um homem identificado como Marcelo Pereira da Silva Júnior. Ele foi preso por tráfico de drogas e um adolescente foi apreendido. 

Após a realização de busca na Rua Leonardo Arcoverde, foram encontrados meio tijolo de maconha e oito papelotes de maconha prontos para o consumo. Marcelo Pereira será encaminhado à audiência de custódia da cidade de Arcoverde e o adolescente será entregue a sua responsável.  

https://buskakinews.com.br/wp-content/uploads/2017/04/secretaria-de-saude-inicia-campanha-de-vacinacao-contra-gripe-em-mogi-guacu.jpg

JC

Pelo menos cinco municípios pernambucanos apresentam cobertura vacinal zerada após quase 20 dias do início da campanha de vacinação contra gripe. Os dados revelam que Abreu e Lima (Grande Recife), Belém de Maria (Agreste), Glória do Goitá (Zona da Mata) e Calumbi e Santa Filomena (Sertão) não têm computado informações sobre aplicação da vacina, que protege contra três vírus: o H1N1, o H3N2 e o influenza B. Até o início da tarde de ontem, Camaragibe, Quipapá e São Benedito do Sul revelavam inexistência de público imunizado no sistema de monitoramento, mas os números saíram da estaca zera no início da noite. O percentual zerado inquieta: ora pelo fato de levar a inferir falta de pessoas vacinadas, ora por presumir a inércia na atualização dos dados.

Ambas as situações preocupam. E não podem ser explicadas por falta de vacina, segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo. “Já foram distribuídos, aos municípios, 64% do total de doses (2,6 milhões, com base em dado do Ministério da Saúde) destinados a Pernambuco este ano.” O volume de vacinas, entregues em etapas pelo governo federal, é maior que o universo do grupo prioritário para a imunização, de 2,3 milhões de pernambucanos. 

“Mas não adianta imunizar o público-alvo e não digitar os dados (quantidade de doses aplicadas) no sistema. Se não houver registro, compreende-se que nada foi feito. Podemos pensar que o município não aderiu à campanha e, na realidade, pode ter alcançado boa cobertura. O inverso também acontece: não se atualiza o sistema porque não se vacina. Estamos intervindo para melhorar esse cenário”, esclarece Ana Catarina. Ela acrescenta que cada município deve cumprir, duas vezes por semana, a tarefa de alimentar o sistema de monitoramento da vacinação. 

A meta que deve ser alcançada até o fim deste sábado, quando acontece o Dia D da mobilização contra gripe, demanda muito trabalho para um Estado que, até a tarde de ontem, só havia imunizado 544.837 pessoas – ou 22,7% do grupo prioritário. “Nosso objetivo é, no fim do sábado, já ter vacinado 50% dos pernambucanos aptos a participar da campanha. Estamos trabalhando com foco nesse objetivo.”

Amanhã, cerca de 5 mil pontos de vacinação (entre postos de saúde e unidades volantes), em todo o território pernambucano, funcionam para imunizar contra gripe. No Recife, todas as Unidades de Saúde da Família, Upinhas, Unidades Básicas Tradicionais e policlínicas estarão abertas, das 8h às 17h. “Orientamos que o público-alvo participe da mobilização. Quanto mais baixa a cobertura (o ideal é chegar ao fim da campanha, dia 1º de junho, com 90% dos grupos prioritários vacinados), mais pessoas estarão susceptíveis (ao adoecimento por gripe)”, reforça Ana Catarina. 

A dona de casa Sônia Maria Tenório, 46 anos, optou por não esperar o Dia D. “Tenho hipertensão e asma. Por isso, preciso da vacina”, conta Sônia, que recebeu a aplicação da dose ontem. No Recife, a cobertura vacinal está em 34%. Em Olinda e em Jaboatão dos Guararapes, 14% e 12%, respectivamente.

http://www.ifpe.edu.br/campus/afogados/arquivos/514.jpg/@@images/7509717c-a3c6-4d1f-8a0b-7b53296c1907.jpeg

Cursos técnicos são boas opções para jovens que pretendem ingressar mais rápido no mercado de trabalho. Referência no ensino dessa modalidade no Estado, o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) vai ofertar 2.585 vagas no vestibular que realizará em julho, distribuídas em 16 cidades pernambucanas. As aulas começam em agosto. A novidade é o novo curso superior de tecnologia em gestão da qualidade, no campus de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

“O novo curso atende a uma demanda da região Norte do Estado. O profissional formado em gestão de qualidade é bastante requisitado pela indústria, comércios e serviços”, ressalta a reitora do IFPE, Anália Ribeiro. Segundo o pró-reitor de ensino, Assis Leão, o instituto já tem expertise na área pois oferece o mesmo curso em nível técnico. “Identificamos a necessidade da formação superior”, observa. Serão 36 vagas para o turno da tarde. Poderá ser concluído em dois anos e meio.

Interessados em participar do vestibular devem se inscrever entre 21 de maio e 10 de junho, no site da Comissão de Vestibulares e Concursos (www.vest.ifpe.edu.br). Para os cursos técnicos, a taxa é de R$ 30. Quem vai concorrer aos cursos superiores deve desembolsar R$ 55. O pagamento será feito somente nas agências do Banco do Brasil até o dia 11 de junho.

“O candidato que estudou na escola pública ou na rede privada como bolsista pode pedir isenção da taxa. Mas é preciso também ter renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio, ou seja, até R$ 1.431”, explica a presidente da comissão do vestibular, Thamiris Queiroz. A solicitação da gratuidade deve ocorrer de 21 a 24 de maio, pelo site. Os vestibulandos têm até 25 de maio para entregar a documentação presencialmente no campus onde irão concorrer às vagas.

As provas serão realizadas no dia 1º de julho. Candidatos aos cursos técnicos vão responder 30 quesitos (português, matemática e conhecimentos gerais). A seleção dos cursos superiores contará com redação e teste de 50 questões (português, matemática, língua estrangeira, física, química, biologia, história e geografia). 

DISTRIBUIÇÃO

Metade das vagas é destinada a quem estudou na rede pública. Das 2.585 vagas, só 71 são para cursos superiores. As demais, 2.514, são em 40 cursos técnicos. A modalidade subsequente (31 cursos) é para quem já concluiu o ensino médio. Outros oito cursos são na modalidade integrado, destinados aos estudantes que pretendem cursar o ensino médio e o técnico ao mesmo tempo.

O IFPE tem unidades acadêmicas nas cidades do Recife, Cabo de Santo Agostinho, Abreu e Lima, Igarassu, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Olinda e Paulista, no Grande Recife. No interior existe em Palmares, Afogados da Ingazeira, Barreiros, Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns, Pesqueira e Vitória de Santo Antão.

http://www.tvreplay.com.br/wp-content/uploads/2013/10/conta.png

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) derrubou ontem a liminar que suspendia o aumento da tarifa de energia pela Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). A concessionária aplicaria o reajuste médio de 8,47% para clientes residenciais e comerciais e de 9,9% para industriais. 

Os percentuais, aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foram questionados na Justiça em uma Ação Popular movida pelo deputado Danilo Cabral (PSB). Ainda ontem, o parlamentar protocolou um embargo de declaração na tentativa de suspender mais uma vez a aplicação do reajuste.

Na decisão que derrubou a liminar, o desembargador federal Leonardo Coutinho afirmou que a manutenção da suspensão poderia afetar a qualidade do serviço prestado pela concessionária de energia. 

“Não se pode deixar de considerar, também, estar patente o risco de dano grave ou de difícil reparação a atingir a ora agravante (a ter revisada/reajustada a tarifa em percentual menor do que o previsto no contrato), bem como a própria sociedade, na medida em que a real garantia de melhor funcionamento possível do sistema somente se dá quando as regras tarifárias são corretamente aplicadas”, justificou.

O aumento na tarifa de energia no Estado foi divulgado no dia 24 de abril para começar a valer no dia 29 do mesmo mês. Na ocasião, a Celpe justificou o percentual levando em consideração a variação nos custos de transmissão (35,4%) e compra de energia (4,22%) e impostos (38,3%), para o ano passado.

A liminar que determinou a suspensão, no entanto, aconteceu no dia 27 de abril, baseada principalmente na diferença entre o percentual proposto e a variação da inflação – que foi de 2,94% para o ano de 2017. 

“Considerando a razoabilidade e o forte impacto sobre a sociedade pernambucana, determino que o reajuste seja restrito ao percentual de inflação de 2017, medido pelo índice oficial medido pelo IBGE (IPCA)”, afirmou o juiz federal Frederico José Pinto de Azevedo ao decidir pela suspensão, intimando, ainda, tanto a Celpe quanto a Aneel a justificarem o cálculo.

No embargo protocolado ontem pelo deputado Danilo Cabral, a justificativa para pedir uma nova suspensão do reajuste é a falta de clareza no cálculo usado. 

“Não restou enfrentada, portanto, a falta de transparência, que não se confunde com a compreensão do cálculo/fórmula do reajuste. Na inicial foram, inclusive, citados outros casos que evidenciam a contumaz falta de transparência da Aneel”, diz o documento.

De acordo com o deputado, não há prazos para que o embargo seja analisado, mas, havendo uma nova derrubada de liminar, ainda haveria mais uma possibilidade de recorrer da decisão.

Procuradas, a Celpe não quis se pronunciar sobre o caso e a Aneel não atendeu às ligações.

A concessionária de energia tem cerca de 3,7 milhões de unidades consumidoras no Estado. 

No balanço trimestral da Neoenergia, controladora da Celpe, o grupo reporta um lucro da concessionária de R$ 21 milhões no período encerrado em 31 de março. Os números foram divulgados em 23 de abril. Além disso, os números mostram que a Celpe foi a única empresa do grupo que apresentou elevação no índice de perdas em relação ao primeiro trimestre de 2017, de 16,75% para 17%.

https://3.bp.blogspot.com/-ySrbhZwG0DY/Wm6FxTZmPjI/AAAAAAAAkM0/qeP7fGm0VTwUzB5xvBKJmezab5ibCFTwgCLcBGAs/s1600/Armando-monteiro-mar%25C3%25ADlia-arraes.jpg

Por Paulo Veras/JC

No momento em que a candidatura da vereadora Marília Arraes (PT) corre o risco de ser rifada por uma aliança com o PSB, a oposição faz gestos coordenados para possibilitar dois palanques contra o governador Paulo Câmara. Provável candidato da oposição, o senador Armando Monteiro (PTB) assinalou inclusive que um pode apoiar o outro no 2º turno. 

“Nós estamos ao lado de Armando e vamos trabalhar para ele estar no segundo turno. Caso isso não aconteça, no segundo turno nós estaremos com a vereadora Marilia Arraes”, afirmou o líder da oposição na Assembleia Legislativa, Silvio Costa Filho à Rádio Jornal. Já o deputado federal Silvio Costa (Avante) levou Marília ao plenário da Câmara para defender a sua candidatura há dois dias. 

“Se vierem a ser confirmadas, serão duas candidaturas de oposição. Na hipótese de existirem duas, é natural que sendo ambas de oposição, você tenha um entendimento no segundo turno”, disse Armando. 

Em Brasília, Marília Arraes teria recebido uma “enquadrada” da Direção Nacional do PT em relação à candidatura própria, noticiou ontem, o repórter Romualdo de Souza, da Rádio Jornal. Segundo ele, o PT nacional teria alertado Marília de que trabalha por uma aliança prioritária com o PSB no plano nacional que, caso se concretize, terá implicações nos palanques estaduais.

Questionado sobre reservar uma vaga para o senador Humberto Costa (PT) na chapa majoritária, Paulo Câmara disse ontem que tem a intenção de reeditar a Frente Popular nos moldes que ela foi concebida por Eduardo Campos, falecido em 2014. “Temos que entender as questões internas de cada partido. Estamos à disposição para o diálogo com o PT e todos os partidos de esquerda que queiram estar junto conosco para ampliar a Frente Popular”, prometeu.

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB) afirmou que a posição de Silvio Filho é natural, pela sua relação política com o PT. Ele foi candidato a vice na chapa do ex-prefeito do Recife João Paulo em 2016. “Ele só erra em cogitar algo que não seja a vitória do nosso candidato”, disse o tucano. Já Mendonça Filho (DEM) disse que não cogita o bloco de oposição fora do 2º turno.

Brasília - O relator da Comissão Especial da Petrobras e Exploração do Pré-Sal, deputado José Carlos Aleluia, durante sessão para votação do parecer do relator pela aprovação do projeto original do PL 4567/16.(Marcelo Camargo/Agência

O relator do Projeto de Lei (PL) 9463/18, que trata da privatização da Eletrobras, deputado José Carlos Aleluia (foto), apresentou nesta quinta-feira (10) na comissão especial o texto final. Ele acatou a proposta do governo, de promover a privatização por meio de pulverização das ações da empresa pertencentes à União, com alterações.

As principais alterações foram a ampliação dos valores para o projeto de revitalização do Rio São Francisco; a criação de uma fundação para revitalizar o São Francisco; o aumento do repasse para Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), como forma de reduzir tarifa; e a refundação do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel).

Aleluia propôs aumentar para R$ 500 milhões anuais os recursos para o projeto de revitalização da Bacia do Rio São Francisco, ao longo de 30 anos.

A proposta do governo prevê o repasse de R$ 350 milhões nos primeiros 15 anos e R$ 250 milhões nos últimos 15 anos. Ao propor o aumento, Aleluia disse que os valores previstos no projeto eram insuficientes frente às necessidades para a revitalização do Rio São Francisco.

Para gerir esses recursos, o relatório propõe a criação de uma fundação privada, denominada Fundação de Revitalização do Rio São Francisco (Revita). O relatório inclui ainda, dentre as condições para desestatização da Eletrobras, a destinação, pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), da energia elétrica necessária para a operação da transposição do Rio São Francisco.

Sobre a destinação dos recursos do valor adicionado à concessão, o relator ampliou a parcela destinada à CDE para 40%, para fins de modicidade tarifária.

O deputado Aleluia propôs ainda mais recursos, provenientes da Eletrobras e de demais agentes do setor, para a manutenção do Cepel. Em seu parecer, o deputado disse que o projeto de lei não tratou de forma adequada o Cepel. Conforme a proposta, a Eletrobras tem como obrigação manter o Cepel por quatro anos, sem definir como seria essa manutenção e como se viabilizaria o centro após esse período.

Projeto

O projeto encaminhado pelo governo prevê que a privatização se dará pela pulverização das ações da empresa até que a União se torne sócia minoritária. O texto diz que concluída a referida oferta pública primária de ações, caso a União ainda detenha participação majoritária, será autorizada a realização de uma oferta pública secundária de ações de propriedade da União, a fim de garantir a desestatização da empresa.

O texto do governo propõe ainda a limitação do poder de voto de qualquer acionista ou grupo de acionistas a 10% do seu capital votante. “Entendemos adequada a proposta de reestruturação da Eletrobras por aumento de capital mediante subscrição pública de ações ordinárias e também a limitação do poder de voto a 10% do capital votante, de forma a termos na Eletrobras uma forte corporação nacional com alto nível de governança”, disse Aleluia.

Deputados contrários à privatização da Eletrobras criticaram a apresentação do parecer antes do encerramento das audiências públicas para debater o projeto. Ainda haviam debates marcados para ocorrer nesta quinta-feira e hoje (11). “Nós fomos atropelados”, protestou a deputada Erika Kokay (PT-DF) durante audiência na quarta-feira (09), quando o relator anunciou a entrega do texto.

Agora, pelas regras regimentais, os deputados têm cinco sessões do plenário, a partir desta quinta-feira (10), para apresentar sugestões de emendas ao relatório. A expectativa do relator é que a votação da proposta deve ocorrer no fim de maio.

O ex-presidente Lula no dia de sua prisão, 7 de abril.

El País

O “funil judicial” para Luiz Inácio Lula da Silva está cada vez mais estreito. Nesta quinta-feira, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal concluiu o julgamento de um recurso que pedia a libertação do ex-presidente. A decisão ocorreu por unanimidade, cinco votos a zero conta Lula. Essa é a quarta derrota consecutiva do petista em tribunais – antes havia perdido no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, no Superior Tribunal de Justiça e no próprio STF. Há ainda três recursos para serem analisados por ministros do Supremo e do STJ, ambos sem data para julgamento. São eles: o recurso extraordinário, o recurso ordinário em habeas corpus e o recurso especial.

Assim, as chances de o petista estar livre da prisão até as eleições presidenciais, daqui a cinco meses, são cada vez mais reduzidas. Registrar a candidatura, contudo, ainda é uma possibilidade real, já que a lei não o impede, por ora. Uma possibilidade é que esse registro seja impugnado. Nesse tempo, o partido de Lula, o PT, ganha tempo na discussão sobre como participará do pleito presidencial.

Os dois recursos nos quais a defesa do ex-presidente se detém não costumam ser julgados rapidamente. Um levantamento do projeto Supremo em Números, da Fundação Getulio Vargas, constatou que o recurso extraordinário, por exemplo, leva em média 379 dias para ser analisado pelos ministros da Corte. É mais de um ano. Se seguida essa tendência, Lula não seria julgado a tempo de concorrer ao Palácio do Planalto, em outubro, ou, pelo menos, de participar na campanha eleitoral para apoiar outro candidato. “No Supremo, o ex-presidente fica sem muita alternativa. E mesmo que os ministros julgassem os recursos, a tendência é que não haja condições para ele concorrer a eleição”, analisou o advogado criminalista Miguel Pereira Neto.

Em abril, quando o plenário da Corte julgou um pedido de habeas corpus de Lula, a votação acabou em 6 a 5 contra ele. Na ocasião, o que entrou indiretamente em pauta foi a possibilidade de que um condenado em segunda instância já passasse a cumprir pena, mesmo antes da conclusão do julgamento de todos os seus recursos. O ex-presidente foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de ter recebido da empreiteira OAS um apartamento triplex no Guarujá (SP) como vantagem indevida. A empresa, umas das principais investigadas na operação Lava Jato, diz ter se envolvido em um esquema de corrupção que lhe rendeu três contratos com a Petrobras.

Entre os dias 4 e 10 de maio, os ministros que compõem a Segunda Turma julgaram a liminar de um recurso chamado de revisão criminal. Os advogados do petista entenderam que, como ele já cumpre pena há um mês mesmo o caso não tendo sido julgado em todas as instâncias, era possível apontar inconsistências no processo capazes de libertá-lo. Até a conclusão desse texto, os cinco ministros da turma discordaram dos argumentos dos defensores e negaram o pedido de libertação de Lula. Votaram assim os ministros Edson Fachin, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Gilmar Mendes.

Mesmo com as seguidas derrotas, os advogados de Lula dizem que continuarão a luta, conforme relatou um desses defensores, Sepúlveda Pertence, ao jornal O Estado de S. Paulo. As alternativas que restariam ao ex-presidente seriam, então, esses dois recursos e outro pedido de habeas corpus que pode ser apresentado a qualquer momento, desde que contenha argumentos distintos do que já foi derrotado. “Da mesma forma que, no passado recente, ministros mudaram opiniões, é possível que agora eles podem alterar de novo. Nada impede que haja uma alteração de entendimento”, ponderou o advogado criminalista Daniel Burg.

Enquanto a situação jurídica de Lula não chega a um ponto final, o PT mantém sua candidatura à presidência. Os dirigentes alegam que ele é um preso político e, ao menos oficialmente, não discutem outro nome para a sucessão. Nos bastidores, contudo, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad e o ex-governador baiano Jacques Wagner, articulam-se com outras forças de esquerda para definir os rumos da legenda na eleição de outubro.

Vacinação

No próximo sábado (12), o Ministério da Saúde irá promover o ‘Dia D’ da vacinação contra a gripe. 65 mil postos de vacinação em todo o País estarão abertos para vacinar a população-alvo da campanha.

Podem se vacinar pessoas acima de 60 anos, crianças com idade entre seis meses e cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS)  pessoas privadas de liberdade – entre eles, adolescentes de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e funcionários do sistema prisional.

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também podem usufruir da vacina mediante apresentação de uma prescrição médica no ato da vacinação.  A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e são considerados pelo Ministério da Saúde mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórios.

Até o dia 9 de maio, 13,6 milhões de pessoas foram vacinadas no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. A meta do governo federal é imunizar 54 milhões pessoas.

Reações adversas

Após a aplicação da vacina, podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. Os efeitos costumam passar em 48 horas.

A vacina é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É recomendado que pessoas com esse perfil busquem orientação médica antes de tomar a vacina.  

Coluna do Estadão

A definição sobre quem o PSB vai apoiar para presidente da República, com a desistência do ex-ministro do Supremo Joaquim Barbosa, passa por uma guerra de poder no partido. O PSB de Pernambuco privilegia uma aliança com o presidenciável do PT em troca da retirada da candidatura de Marília Arraes, que hoje faz sombra ao governador Paulo Câmara (PSB) na disputa pela reeleição. Se ela vencer, a ala pernambucana perde o controle da sigla para o grupo do governador paulista Márcio França, que está muito forte e defende o apoio ao tucano Geraldo Alckmin.

O senador Humberto Costa (PT-PE) escancarou o acordo. Na quarta-feira, defendeu da tribuna do Senado que Marília retirasse sua candidatura em prol da aliança com o PSB. O PT nacional interferiu e adiou a convenção local para o dia 10 de junho.

Marília, que é vereadora, desembarcou em Brasília no mesmo dia para contornar o movimento. Ela avalia que vai superar o governador Paulo Câmara quando o eleitorado associá-la como a “candidata de Lula”. Por ora, ainda é a “neta do Arraes”.

Entre petistas é cada vez maior a aposta de que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad vai substituir Lula na disputa ao Planalto. Fora do PT, há certeza.

Dario Messer gosta de viajar e coleciona amizades com poderosos e famosos em festas grandiloquentes (Foto: REPRODUÇÃO FACEBOOK)

Até um mês atrás, Dario Messer era visto com frequência circulando no Leblon, bairro da Zona Sul carioca, a bordo de uma scooter sem placa (A amigos ele não se enrubescia ao dizer que era para evitar multas, já que estacionava com frequência em locais proibidos). Era fácil reconhecê-lo. Messer nunca usava capacete. Quem o viu, geralmente vestido de bermuda, camisa surrada e chinelos, custaria a acreditar que é o mesmo homem que amealhou, em sete anos, uma fortuna de US$ 24 milhões (R$ 81,3 milhões, pela cotação do último dia 7) com a lavagem de dinheiro suspeito. Desde a semana passada, quando a Operação Câmbio, Desligo o apontou como o “doleiro dos doleiros”, Messer desapareceu das ruas do Leblon e do mundo. Para caçá-lo, o Ministério Público Federal (MPF) está montando, com a ajuda de acordos de cooperação, uma força-tarefa internacional que também seja capaz de desmontar uma lavanderia que operou em 52 países, com cerca de 3 mil offshores, empresas montadas no exterior, no caso como fachada para negócios ilícitos.

A despojada rotina do doleiro chegou ao fim depois das colaborações premiadas de Cláudio Barbosa, o Tony, e Vinícius Claret, o Juca Bala, ex-sócios de Messer, que atribuíram ao piloto de scooter o controle de “uma gigantesca rede de lavagem de dinheiro, essencial para a prática de crimes como corrupção, sonegação tributária e evasão de divisas”, como sustentou o pedido de prisão do MPF. O banco paralelo do doleiro, por onde teria passado US$ 1,6 bilhão, era sediado no Uruguai e operado do Panamá Country Club, condomínio de luxo em Hernandarias, distrito paraguaio na fronteira com Foz do Iguaçu, residência oficial de Messer.

Messer acreditava estar blindado nos vizinhos do Mercosul. Em 2003, transferiu as operações de lavagem para o Uruguai. Dez anos depois, quando era alvo de um inquérito iniciado pela Operação Sexta-feira 13, desencadeada pela Polícia Federal, com foco em crimes contra o sistema financeiro no Rio de Janeiro e em São Paulo, obteve cidadania paraguaia. Oficialmente, morava em Hernanderias, mas atravessava a Ponte da Amizade com frequência, embarcando na ponte aérea de Foz para o Rio. Sua cobertura na Avenida Delfim Moreira, no Leblon, era palco de rega-bofes reunindo jogadores de futebol, dirigentes de escolas de samba e algumas das beldades que brilham nos desfiles da Marquês de Sapucaí.

Essa blindagem, contudo, começou a apresentar trincas. Em março do ano passado, as autoridades uruguaias, tradicionalmente avessas à cooperação internacional, surpreenderam ao acolher a ordem de prisão contra Barbosa e Claret, sócios de Messer que geriam as operações naquele país. Depois de passar uma temporada atrás das grades, a dupla desistiu de lutar contra a extradição e voltou ao Brasil para denunciar o esquema do “doleiro dos doleiros”. Na semana passada, o Uruguai voltou a demonstrar boa vontade ao prender quatro compatriotas envolvidos com Messer (Francisco Muñoz Melgar, Raúl Zóboli e os irmãos Jorge e Raúl Fernando Davies Cellini).

O obséquio uruguaio não ocorre por acaso. As prisões foram autorizadas no momento em que o país vizinho providencia mudanças na legislação para se livrar da pecha de paraíso fiscal. O governo precisa provar ao Grupo de Ação Financeiras Contra a Lavagem de Dinheiro (Gafi), espécie de xerife do mercado financeiro internacional, que está abandonando a cultura do segredo que acobertava gente como Messer. Caso contrário, corre o risco de voltar à lista dos países lavadores, de onde foi retirado em 2016 sob a condição de mudar.

Como foragido, Messer foi incluído na difusão vermelha da Interpol — espécie de índex dos mais procurados do planeta. Ele não foi achado na mansão paraguaia ou na cobertura do Leblon, onde a Polícia Federal recolheu quilos de papel triturado. Como nem a mulher do doleiro, Rosane, estava em casa, as autoridades acreditam que a Operação Câmbio, Desligo vazou. Uma das suspeitas de rota de fuga seria o Paraguai. A outra seria Israel, terra de origem da família Messer.

O doleiro é visto no Paraguai como amigo pessoal do presidente Horácio Cartes. Em 2013, Messer integrou uma comitiva oficial de Cartes em visita a Israel. Documentos obtidos pelo O Globo mostram que ele era sócio no Paraguai, na Matrix Plus, de um primo de Cartes, Juan Pablo Jimenez Viveros. De acordo com a investigação no Brasil, Messer teria obtido a cidadania paraguaia por meio de despacho do ministro da Suprema Corte do país, Miguel Oscar Bajac. Para isso, teria apresentado um nada-consta brasileiro quando já era alvo de inquérito aberto a partir da Operação Sexta-feira 13.

As autoridades paraguaias, no entanto, afirmam querer colaborar com as brasileiras no caso Messer. Os procuradores da República do país vizinho chegaram a criar um grupo de WhatsApp com os colegas do Brasil para a troca de informações. As relações bilaterais, no âmbito penal, têm crescido. Recentemente, os ministérios públicos federais dos dois países se uniram para investigar os supostos crimes praticados pela Operação Condor, aliança político-militar formada por ditaduras da América do Sul nos anos 1970.