Educação

https://4.bp.blogspot.com/-eX4kXM19VLs/WozeufcQrWI/AAAAAAAAiY0/q26uHd5rFnYAdcZBmHDd54K8jilTAY8WQCLcBGAs/s1600/escola-estadual-governador-barbosa-lima.jpg

Em Pernambuco, a entrada de terceiros, sem identificação, em unidades de ensino das redes públicas e privadas é proibida. Pelo menos é o que garante a Lei Estadual nº 14.6017/2012. O estabelecimento de ensino particular que não cumprir exigências pode ser multado em até R$ 100 mil.

Ainda segundo a lei, para que o visitante possa entrar nas dependências da escola, mesmo que acompanhado de um funcionário, ele deverá realizar um cadastro. Para circular nas dependências da unidade de ensino, o visitante precisa portar um crachá entregue pela instituição.

A lei também prevê que as escolas devem fixar em local visível uma placa informando a obrigatoriedade do uso do crachá e do cadastro para visitantes.

As escolas também ficam obrigadas, no ato da matrícula ou sua renovação, a registrarem previamente uma relação com os nomes das pessoas autorizadas a ingressarem no estabelecimento de ensino, além dos próprios pais ou responsáveis legais, com a finalidade de tratarem de assuntos de interesse do aluno matriculado.

“Sejam públicas ou privadas, a escolas têm responsabilidade sobre os estudantes. E essa lei estadual tem como objetivo evitar o acesso desordenado seja de pais, responsáveis ou terceiros, às unidades de ensino, que deve ser restringido aos estudantes e à equipe de cada escola”, destaca o advogado Luiz Torres Neto.

Multa

O estabelecimento de ensino particular que não cumprir as exigências ficará sujeito às seguintes penalidades: advertência, quando da primeira autuação da infração; multa, que pode variar entre R$ 1 mil e R$ 100 mil, a depender do porte da instituição quando da segunda autuação.

Já os agentes públicos que descumprirem as obrigações impostas na lei deverão ser responsabilizados administrativamente. O projeto que originou a lei, de 2012, é de autoria do deputado Pastor Cleiton Collins. Com informações da Folha de Pernambuco.

http://www.deolhoemgravata.com.br/wp-content/uploads/2017/11/ifpe.jpeg

Nesta quarta-feira (13), o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) divulgou a segunda convocatória de matrículas dos candidatos que estavam na lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), edição 2019. De 18 a 20 de março, os selecionados deverão se dirigir à unidade onde concorrem às vagas para a realização das matrículas.

Segundo o IFPE, “a convocatória foi feita levando em consideração os candidatos da lista de espera que realizaram a manifestação presencial de interesse pela vaga”. Na unidade de Pesquisa, os estudantes receberão o atendimento de matrículas nos horários das 9h às 12h e das 14h às 17h, enquanto que na capital pernambucana o serviço ocorrerá das 14h às 17h. Foto/Arquivo

Rodolfo, Walmir, Glauciano, Luis Fellipe, José Guilherme e Ryan Morais vão representar Estado

Seis estudantes de Goiana, Região Metropolitana do Recife, vão representar Pernambuco na etapa nacional do campeonato mundial de empreendedorismo e tecnologia, o F1 In Schools, entre os dias 15 e 17 de março, no Rio de Janeiro. A equipe Gadget Racing Team, formada por alunos do Sesi-PE, foi à única selecionada do Estado para participar do torneio, no qual os jovens serão desafiados a criar uma empresa que funcionará como uma escuderia, bem como projetar, modelar, construir e testar um protótipo de um carro de Fórmula 1. Caso eles passem, vão representar o Brasil em Singapura, no mês de novembro, uma semana antes do famoso Grande Prêmio de Singapura.

“Nós já atuamos há algum tempo nesse meio da robótica e alcançamos algumas conquistas. Então, no nosso olhar, sabemos que somos capazes e estamos confiantes na busca por mais essa vitória”, explica Rodolfo Prazin, de 17 anos, estudante do terceiro ano. Além dele, formam a equipe Walmir Melo, Glauciano Rabelo, Luis Fellipe de Souza, José Guilherme Torres e Ryan Morais. Eles são treinados pelo Departamento Regional do Sesi-PE para competir. O responsável por capitanear os seis jovens pernambucanos e auxiliá-los em todas as etapas é o professor Jonas Brito. “Eles estão elaborando sozinhos o plano de negócios, o projeto e a construção do carro de Fórmula 1 em miniatura. Também estão em busca de patrocinadores de forma autônoma. A equipe é bastante unida e está preparada para lidar com pressão”, conta o docente que leciona física e matemática e acumula experiência em robótica educacional e torneios.

Ao todo, são 17 equipes competindo, com representantes de estados como São Paulo, Rio Grande Norte e Rio de Janeiro. “É uma oportunidade incrível. Eu pretendo cursar engenharia e seguir na área de automação. E quando a gente entra nesse universo, vamos aprendendo novas coisas, além de ser ótimo para o currículo”, explica Rodolfo. Para o superintendente do Sesi-PE, Nilo Simões, a iniciativa é uma ótima oportunidade para os estudantes desenvolverem competências cognitivas e novas aptidões além da sala de aula. “Além de terem contato com técnicas de empreendedorismo e tecnologia de ponta, eles desenvolverão raciocínio lógico e capacidade de inovação que só irão agregar na vida pessoal e profissional”, comenta.

As equipes serão estimuladas a mostrar habilidades em ciências exatas e design, utilizando recursos tecnológicos, tais como impressoras 3D e softwares de gerência de projetos, gestão, finanças, marketing e mídia. Outra atividade que os participantes serão avaliados é a criação de uma ação benéfica para a comunidade. “Vamos realizar uma ação social que funcionará como uma espécie de oficina de robótica na São Mateus Colégio & Cursos, em Paulista, além de doar alimentos”, fala um dos componentes da Gadget Racing Team, Rodolfo Prazin.

Durante a disputa, que acontecerá no Píer Mauá, os competidores apresentarão o portfólio e disputarão corridas de velocidade com os carros construídos em uma pista de 20 metros. Ao todo, 18 equipes participarão do F1 In Schools e os melhores avaliados pelos 15 juízes passarão para a etapa mundial, que acontecerá em novembro, em Singapura, e reunirá estudantes de 40 países. Os vencedores serão agraciados com estágios na equipe da Fórmula 1.

Promovido pelo Sesi, o evento tem caráter competitivo e demonstrativo, com o propósito de oportunizar o desenvolvimento de novas modalidades de robótica para os estudantes da Rede Sesi, através de uma proposta multidisciplinar global que reproduz os desafios de uma corrida de Fórmula 1. Com informações da Folha de Pernambuco.

Paulo Uchôa/LeiaJáImagens/Arquivo

Continuam abertas as inscrições para concurso público da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). As candidaturas podem ser realizadas até 24 de março, pelo site www.sugep.ufrpe.brda Pró-reitoria de Gestão de Pessoas. A taxa de participação varia de R$ 60 a R$ 100, a depender da função pretendida.

Ao todo, são 20 vagas para técnicos administrativos nos níveis médio/técnico e superior para o campus sede, no Recife, e para os campi de Cabo do Santo Agostinho, Garanhuns, Belo Jardim e Serra Talhada. Os profissionais irão atuar em regime de trabalho de até 40 horas semanais com remunerações básicas que chegam a R$ 4.180,66.

As provas objetiva e discursiva serão realizadas nas cidades de Recife, Garanhuns, Belo Jardim e Serra Talhada. Os testes serão aplicados em 28 de abril, em locais e horários a serem divulgados no dia 20 do mesmo mês.

Mais informações sobre o processo seletivo podem ser obtidas pelo edital de abertura do certame.

Estudantes têm até hoje para participar da lista de espera do ProUni

Hoje (08) é o último dia para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). Aqueles que se inscreveram no programa, mas ainda não garantiram uma bolsa de estudo nas instituições particulares de ensino, podem  manifestar interesse, na página do programa.

A lista de espera vale apenas para os cursos indicados na hora da inscrição. Cada participante pôde escolher até duas opções. 

Podem participar da lista de espera, apenas para a primeira indicação de curso, aqueles estudantes que não foram selecionados nem na primeira, nem na segunda chamada regular do programa. Aqueles que foram selecionados na segunda opção, mas cuja turma não foi formada, podem também se inscrever apenas para a primeira opção. 

Para a segunda indicação de curso podem participar da lista de espera apenas aqueles cuja turma da primeira opção não foi formada, independentemente de terem sido selecionados nas chamadas regulares.

Próximos passos

No dia 11 de março, a relação dos candidatos participantes da lista de espera será disponibilizada para consulta pelas instituições de ensino superior.

Todos os candidatos da lista terão de comparecer às instituições nas quais estão pleiteando uma vaga, para apresentar a documentação que comprove as informações prestadas na inscrição. O prazo para que isso seja feito é de 12 a 13 de março. 

ProUni

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram na primeira edição do ProUni deste ano, de acordo com o Ministério da Educação. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição são ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

Pixabay

Começam nesta sexta-feira (1º) as inscrições para o Exame Supletivo 2019, modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). O processo seletivo é destinado ao ensino fundamental e nível médio.

De acordo com a Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco, “poderão se inscrever no Exame Supletivo 2019, para a Etapa do Ensino Fundamental, participantes com 15 anos completos até a data da realização das provas; e para a Etapa do Ensino Médio, participantes com 18 anos completos até a data da realização das provas”.

No nível fundamental, serão realizados exames de português, matemática, geografia, história, ciências, arte, inglês e espanhol. Já os estudantes do ensino médio enfrentarão questões de língua portuguesa, matemática, história, geografia, física, biologia, química, artes, filosofia, sociologia e língua estrangeira. Para ser aprovado, o estudante precisa de média 6, no mínimo, em cada matéria.

Segundo a Secretaria, as provas serão realizadas no dia 6 de outubro. As inscrições estarão disponíveis até 31 de março, pela internet (click aqui), sem a necessidade de taxa de participação. Mais informações estão disponíveis no edital do Exame Supletivo (click aqui) e pelos telefones (81) 3183-8375 / 3183-8382/ 3183-8392.

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez: advogado quer que ele dê esclarecimentos Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) decidiu enviar mais um comunicado a escolas do país para retirar o pedido de envio de vídeos dos alunos cantando o Hino Nacional perfilados em frente à bandeira do Brasil após leitura de carta oficial do ministro Ricardo Vélez Rodríguez. Será a terceira circular da pasta nesta semana. A primeira incluía no corpo da mensagem de Vélez o slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” e solicitava o envio das gravações ao governo. Após repercussão negativa, nova redação foi feita, retirando o lema e incluindo a necessidade de autorização prévia para imagens das crianças e adolescentes.

Agora, segundo os esclarecimentos enviados pelo MEC ao Ministério Público Federal (MPF), que exigiu explicações do ministro em 24 horas, um novo ofício será remetido às escolas, retirando o pedido de envio das imagens por “razões técnicas de dificuldade de guarda desse material (imagens e sons)” e “de segurança”. A medida é descrita pelo consultor jurídico da pasta, Cassio Cavalcante Andrade, no documento, assinado por Vélez. Ele narra que recebeu a informação nesta quarta-feira (27) diretamente do gabinete do ministro. 

“Cumpre-me anotar, a propósito, que recebi notícia, a pouco, do Gabinete do Exmo. Sr. Ministro de Estado da Educação, no sentido de que, por razões técnicas de dificuldade de guarda desse material (imagens e sons), bem como de segurança, determinará a expedição de nova comunicação, com a retirada do pedido de produção e envio de vídeos”, afirma a manifestação do MEC enviado ao MPF.

Uso de slogan não foi para ‘promoção pessoal’

No documento, o ministério nega que tenha infringido os diversos dispositivos constitucionais e infralegais apontados pelo procuradores que pediram explicações. Diz que Vélez Rodríguez, ao usar o slogan de campanha eleitoral em carta institucional enviada a escolas, agiu “sem vontade de promoção pessoal”, para sustentar que não houve violação do artigo 37 da Constituição, que fala dos princípios da administração pública.

Diz um dos dispositivos do artigo que “a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.

No comunicado, ao citar o artigo da Constituição, o MEC justifica o ato de Vélez. “Constata-se que os comunicados eram de natureza educativa, o que atende o dispositivo constitucional. Mas, reconhecido pela autoridade ministerial que, inoportunamente, foi utilizado o slogan de campanha presidencial como saudação final, todavia, sem a vontade de promoção pessoal. Convém assinalar que a expressão já restou retirada das mensagens, por determinação do Ministro de Educação”, aponta a pasta.

A pasta afirmou que houve “boa fé” do ministro ao revisar o conteúdo da carta e reenviá-la às escolas retirando o slogan e colocando a necessidade de autorização de uso das imagens. Argumenta ainda que houve economia de recursos com a medida, uma vez que Vélez Rodriguez não fez “mensagem institucional, a ser veiculada pela grande mídia, para transmitir essa mesma mensagem à comunidade escolar. Preferiu, no entanto, a forma menos custosa aos cofres públicos, e, a seu ver, a mais efetiva”.

Hino não pode ser censurado, diz MEC

O MEC defendeu a execução do Hino Nacional em frente à bandeira, alegando que incentivar o ato não infringe direitos, e protestou contra as críticas falando em censura. “A sugestão de leitura diante do Pavilhão e no momento reservado ao Hino Nacional não pode, também, ser objeto de censura. Não é crível que qualquer autoridade possa ser censurada por sugerir que o canto do Hino seja praticado, ainda mais num ambiente público ou particular publicizado, como são as escolas”, destacou, dizendo que o símbolo vem da própria Constituição.

E continua: “Se, nos estádios e arenas esportivas, quando as seleções nacionais atuam — e mesmo quando se trata de certames nacionais —, os torcedores se submetem à execução do Hino Nacional, pergunta-se: que mal há em cantar o Hino nas escolas? A prática, aliás, já é comum em muitos estabelecimentos de ensino. Num passado não muito distante, era ainda mais comum. Reiteramos: não foi uma determinação, mas uma sugestão. Homenagear os símbolos nacionais é algo que sobreleva e transcende qualquer opção política, ideológica ou filosófica”.

https://correiodaamazonia.com.br/wp-content/uploads/2018/11/fundeb.jpg

O Ministério da Educação liberou R$ 1.016.153.276,45 para estados e municípios. Os recursos são destinados à complementação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e à complementação do Piso Nacional do Magistério, referentes a fevereiro. Os recursos foram repassados ao Fundo Nacionais de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao MEC que efetua o repasse aos entes federados.

O valor da parcela de fevereiro da Complementação da União ao Fundeb é de R$ 914.537.948,79. O Fundeb é um fundo especial formado quase em sua totalidade por recursos oriundos de impostos e transferências constitucionais dos estados, Distrito Federal e municípios, que são destinados à educação básica.

Os valores que cada ente da Federação recebe são calculados a partir do número de estudantes matriculados nas escolas públicas e levam em consideração o valor mínimo a ser aplicado por aluno.

Por isso, o Fundo conta ainda com complementação de recursos da União para garantir o recebimento do valor mínimo definido nacionalmente. Independentemente da origem, todo o recurso gerado é redistribuído para aplicação exclusiva na educação básica, conforme a prioridade dos estados, Distrito Federal e municípios.

Já a parcela de complementação da União para o pagamento do piso salarial dos professores, por parte dos sistemas de ensino, contará no mês de fevereiro, com repasse de R$ 101.615.327,66. Atualmente, o piso corresponde a um salário de R$ 2.557,74 para jornada de 40 horas semanais. O repasse é feito só aos estados e municípios beneficiários da Complementação da União. Com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Educação.

A Legião da Boa Vontade (LBV) celebrou o Dia do Esportista, comemorado em 19 de fevereiro, em uma forma muito especial. Nesta terça-feira, dia 19, a Instituição recebeu em sua Unidade nos Coelhos as jogadoras de basquete feminino do RD Sports da Uninassau, para uma roda de conversa com os meninos e meninas atendidos pelo programa Criança: Futuro no Presente!.  As atletas compartilharam um pouco sobre sua carreira, suas experiências, seus projetos e suas conquistas no esporte.

As crianças receberam as esportistas para esse momento de socialização, reflexão e diversão, no qual elas explicaram com é a formação do time, sobre o trabalho em equipe, contaram histórias do dia a dia delas, e a garotada interagiu com dezenas de perguntas sobre toda a trajetória delas no esporte e a importância para a vida de cada uma.

“Contar um pouco da minha história para essas crianças foi muito bom, é ajudar a despertar nelas o sonho em conquistar seus objetivos, não importa o seu tamanho, o que importa é o tamanho do seu sonho! Muito obrigada, pelo carinho da LBV” ressaltou a jogadora Meiry Julianne, 15 anos.

Um grande time foi formado na quadra poliesportiva da Instituição. As atletas da Uninassau, proporcionaram um jogo de basquete com as crianças e adolescentes que amaram a atividade.

A menina Lívia Antônia, 9 anos, disse que gosta de participar das atividades esportivas desenvolvidas pela Instituição. “Adoro jogar vôlei, basquete e queimado. A visita das jogadoras da Uninassau, nos mostrou que as mulheres estão ganhando espaços no esporte, senti-me representada”, conclui a garota.

Ao final do encontro de troca de experiências, a garotada da Legião da Boa Vontade entregou um lindo quadro confeccionado por elas para as atletas, em homenagem ao Dia do Esportista.

Esporte é vida não violência

Em suas inúmeras iniciativas socioeducacionais, a LBV incentiva a prática de atividades esportivas e reconhece o esporte como importante aliado da educação. Dessa forma, nas quadras poliesportivas ou em áreas livres de suas Unidades de atendimento, a Instituição não desenvolve apenas as habilidades individuais, que obedecem a critérios que visam aprimorar a coordenação motora e cognitiva do grupo, mas desperta potencialidades e talentos, além de incentivar o respeito, disciplina e o trabalho em grupo.

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Educação e Esportes, abriu inscrições nesta terça-feira (19), para nove cursos técnicos gratuitos nas modalidades de educação à distância, semipresencial e pro-funcionário – para profissionais da educação.

Moradores de Afogados da Ingazeira e de outros 60 municípios podem participar, desde que tenham concluído ou sejam estudantes do 2ᵒ ou 3ᵒ ano do Ensino Médio. Os cadastros seguem até o dia 27 de fevereiro pelo site da Secretaria de Educação, neste link.

Foram disponibilizados cursos de Administração, Biblioteconomia, Desenvolvimento de Sistemas, Design de Interiores, Logística, Multimeios Didáticos, Recursos Humanos, Secretaria Escolar e Segurança do Trabalho.

Os cursos da oferta Semipresencial pressupõem frequência semanal ao Polo descentralizado, escolhido no ato da inscrição, no dia e horário da semana indicado para cada curso.

Da Pré-matrícula

Após a inscrição, o(a) candidato(a) receberá um e-mail contendo o endereço eletrônico para a realização da pré-matrícula;

O(A) próprio(a) candidato(a) realizará sua pré-matrícula por meio do endereço eletrônico enviado no momento da inscrição, obedecendo as seguintes etapas:

Envio digital, no sistema, da documentação pertinente ao processo:

Histórico Escolar ou Certificado de Conclusão do Ensino Médio (Ficha 19) ou equivalente (para os/as candidatos/as que já concluíram o Ensino Médio);

Declaração de matrícula no 2.o ou 3.o ano do Ensino Médio (para os/as candidatos/as que estão cursando o Ensino Médio);

Carteira de Identidade;

Comprovante de endereço;

CPF;

Uma foto 3X4.

Da Matrícula

A matrícula será efetivada desde que e tão logo sejam obedecidas as seguintes etapas:

  1. a) Participação do(a) candidato(a) pré-matriculado(a) nas atividades das 02 (duas) primeiras semanas letivas do curso escolhido;
  2. b) Validação da documentação por parte da equipe de tutores do polo presencial.

https://portal.ifpe.edu.br/imprensa/banco-de-imagens/campus-afogados.jpg/@@images/73ac7c61-8366-4589-8265-f36b56d5ce10.jpeg

Em 2019, o IFPE – Afogados da Ingazeira foi destaque em aprovações no vestibular em instituições públicas pelo Brasil! 26 estudantes do campus Afogados foram aprovados nessas instituições, sendo 20 deles por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em sua primeira chamada.

Cícero Damasceno, Geovana Taís, Maria Denise e Rafaela Queiroz foram os aprovados no curso de Engenharia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Também na UFPE, Gabriel Nogueira e Matheus Alves, em Ciência da Computação; e Maria Júlia, em Arquitetura. Já na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), as aprovações foram para: Ana Victória, no curso de Sistema de Informação; Felipe Leandro, em Ciências Biológicas; Pedro Antônio e Sarah Vitória, em Agronomia.

O campus Afogados também aprovou seus estudantes na Universidade Federal da Paraíba (UFPB): Fábio Vinicius, no curso de Comunicação em Mídias Digitais; Isis Maria, em Física; João Victor, em Enfermagem; e Sebastião Santos, em Educação Física. A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) também marcou presença na lista, com as aprovadas Sabrina Lorena, em Ciências Biológicas; e Thamara Arcelina, em Enfermagem.

Já o aluno Francisco Alves garantiu sua vaga no curso de Gestão de Políticas Públicas, na Universidade de Brasília (UnB). Foi a vez também de Fernanda Karolinne, aprovada no curso de Ciências Biológicas, na Universidade de Pernambuco (UPE); e de Camila Cavalcante, em Engenharia Civil, no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE)-campus Recife.

E não para por aí: os estudantes Fernando Gabriel, James Henrique, José Coimbra Neto, Laura Stter, Maria Clara e Nikollas Victor foram aprovados em Licenciatura em Computação, no IFPE – Afogados da Ingazeira, primeiro curso superior do campus. Ana Victória, Fernanda Karolinne, Gabriel Nogueira, João Victor e Matheus Alves também estão entre os aprovados nesse mesmo curso, garantindo assim uma dupla aprovação!

A família IFPE sente-se muito honrada em ter feito parte da trajetória destes estudantes e deseja-lhe sucesso nesta nova conquista!

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Este domingo (03) é o último dia de inscrição no Programa Universidade para Todos (ProUni). As inscrições podem ser feitas pela internet, na página do programa.

Nesta edição, o ProUni vai oferecer 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Dessas, 116.813 são integrais, e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

Podem participar aqueles que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018, alcançaram no mínimo 450 pontos e tiraram nota superior a zero na redação.

Além disso, só podem concorrer às bolsas estudantes brasileiros sem curso superior e que tenham feito o ensino médio completo na rede pública ou como bolsista integral na rede privada; que fizeram parte do ensino médio na rede pública e a outra parte na rede privada, na condição de bolsista ou que sejam deficientes físicos.

As bolsas integrais são voltadas àqueles com renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais de 50% são destinadas aos estudantes com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Professores da rede pública de ensino também podem concorrer a bolsas e não precisam atender aos critérios de renda.

Calendário

Os resultados da primeira chamada serão divulgados no dia 6 de fevereiro. Os da segunda chamada, no dia 20 de fevereiro.

O candidato pré-selecionado na primeira chamada deverá comparecer à instituição para comprovar as informações prestadas na inscrição e eventual participação em processo seletivo próprio da instituição, quando for o caso, de 6 a 14 de fevereiro. Os pré-selecionados na segunda chamada, de 20 a 27 de fevereiro.

O registro da aprovação ou reprovação dos candidatos no Sistema Informatizado do ProUni e a emissão dos respectivos termos de Concessão de Bolsa ou termos de Reprovação pelas instituições de ensino deverão ser feitos entre os dias 6 a 18 de fevereiro para os selecionados na primeira chamada e, entre 20 de fevereiro e 1º de março, para os selecionados na segunda chamada.

ProUni

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições de educação superior privadas. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e podem também usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para financiar parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

 Acabou a ansiedade! O resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) às 12h desta segunda-feira (28), no horário de Pernambuco. Candidatos podem conferir se foram aprovados ou não na página do sistema. Ao todo foram oferecidas 235.461 vagas em 129 instituições públicas de todo o Brasil.

Para quem passou, é hora de providenciar documentos para a matrícula, realizada nas instituições de ensino a partir de quarta-feira (30). Portanto, vale acessar os editais para saber tudo que a universidade exige. O período de matrícula acaba segunda-feira (dia 4)

Aqueles que não conseguiram aprovação devem se inscrever na lista de espera a partir desta terça-feira (29) até dia 5 de fevereiro.  Esses alunos, caso sejam remanejados, serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

A principal novidade deste ano é que os estudantes que forem selecionados em qualquer uma das duas opções feitas na hora da inscrição não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda opção podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

https://www.hojeemdia.com.br/polopoly_fs/1.440518.1547750364!/image/image.jpg_gen/derivatives/landscape_653/image.jpg

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou as inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até as 23h59, no horário de Brasília, de domingo (27). As inscrições se encerrariam na sexta-feira (25). 

Desde o primeiro dia de inscrição, estudantes relatam dificuldade de acessar o site e problemas na hora de fazer a inscrição. 

“O sistema está funcionando de forma estável desde quinta-feira (24) e a lentidão eventualmente registrada resulta do volume massivo de acessos simultâneos. O MEC continua realizando todos os procedimentos técnicos para que o sistema continue estável”, diz a pasta em nota. 

Na quarta-feira (23), a página chegou a registrar 500 mil acessos simultâneos. O número superou o máximo de acessos ao mesmo tempo no primeiro dia, que foi 350 mil.

Ao todo, o Sisu oferece, nesta edição, 235.461 vagas em 129 instituições públicas de todo o país. Podem concorrer às vagas os estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação. Segundo o MEC, 3,5 milhões de estudantes preenchem os requisitos e podem concorrer a essas vagas.

Redirecionamento

Estudantes relataram também nas redes sociais que conseguiram acessar perfis que não são os deles. Monique Rosa, 22 anos, estudante de São Bernardo do Campo (SP), que pretende cursar cinema, contou que acessou o site, usando login e senha, para trocar a segunda opção de curso e foi direcionada para a página de outra candidata. “Tive que deslogar da página dela e logar novamente na minha”, acrescentou, destacando que só conseguiu fazer a troca na madrugada de quarta-feira (23) após várias tentativas.

Tharcio Marques, de 21 anos, passou pela mesma situação de redirecionamento e ainda não conseguiu concluir a inscrição. “O site entrou em manutenção e na sexta pela manhã voltou com meus dados. Ainda não consegui colocar a segunda opção, pois a página cai”.

O MEC solicitou os dados dos estudantes para apurar os ocorridos. A reportagem aguarda manifestação do ministério.

Notas de corte

O MEC também decidiu rever as divulgações de nota de corte. A partir desta sexta-feira, as notas serão divulgadas apenas à meia-noite, como era feito nos últimos anos. Nesta edição, a pasta começou a divulgar as notas cinco vezes por dia.  

“A medida foi adotada para não prejudicar os estudantes que ainda não realizaram sua inscrição e melhorar o acesso devido ao alto tráfego existente”, informou. 

O resultado da seleção está mantido para segunda-feira (28), conforme calendário divulgado anteriormente.

https://sisu2018mec.com.br/wp-content/uploads/2017/02/Sisu-passo-4.jpg

Começa hoje a disputa por 235.476 vagas em graduações de 129 instituições públicas do Brasil. Até 22h59 de sexta-feira (25), no horário de Pernambuco, qualquer pessoa que fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ano passado e não zerou a redação pode se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), plataforma online coordenada pelo Ministério da Educação (MEC) que substitui os vestibulares. No Estado há 14.284 vagas em quatro universidades (UFPE, UFRPE, UPE e Univasf) e dois institutos (IFPE e IF do Sertão).

Os candidatos devem se inscrever pelo site do programa (www.sisu.mec.gov.br) e podem indicar até duas opções de curso. É permitido alterar a escolha quantas vezes quiser durante as inscrições. É importante ficar atento à mudança em uma das regras. 

Até o ano passado, quem fosse aprovado na segunda opção poderia se matricular e aguardar os remanejamentos. Caso conseguisse classificação para a primeira opção ele trocaria de graduação. A partir de agora isso não será mais permitido. Por isso o fera deve selecionar os cursos que realmente deseja e não o que a nota dá pra passar. 

“Se o estudante for chamado para a segunda opção ele não vai mais concorrer na lista de espera da primeira opção”, ressalta o coordenador do ensino médio do Colégio Santa Maria, Rodrigo Martins. Caso o vestibulando não seja convocado para nenhuma das suas escolhas terá que informar, entre 28 de janeiro e 4 de fevereiro, qual dos dois cursos vai querer concorrer no remanejamento.

COTAS

A lei federal nº 12.711/2012 determina que 50% das vagas nas universidades federais sejam destinadas a quem cursou o ensino médio em escola pública. Em Pernambuco serão 6.656 vagas para essas pessoas. “Vale destacar que só tem direito à cota o candidato que estudou os três anos, integralmente, na rede pública. Não pode, por exemplo, quem fez uma parte na rede privada, mesmo que na condição de bolsista”, alerta o pró-reitor de graduação da UFPE, Paulo Goes. 

Do universo de 50% das vagas destinadas aos egressos do ensino público, 25% vão para feras com renda familiar igual ou maior que 1,5 salário mínimo e os outros 25% para aqueles cuja renda for maior que 1,5 salário mínimo. Há, então, dentro de cada parcela desses 25%, frações de cotas para raça (pretos, pardos e índios) e para pessoas com deficiência. Esse percentual é definido conforme a quantidade de habitantes do Estado com esses perfis.

Na UPE, que não integra a rede federal, é diferente. As cotas representam 20% do total e são destinadas aos feras que cursaram do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio em escola municipal ou estadual.

Hana Gabriele Pedrosa, 19 anos, terminou o ensino médio em 2016 na Escola de Referência em Ensino Médio (Erem) João Bezerra, localizada no bairro de Brasília Teimosa, Zona Sul do Recife. Ano passado ela participou do curso pré-universitário do Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM). 

Dos 64 participantes, 18% tiraram acima de 800 pontos na redação do Enem. “Quero medicina. Fiquei com 980 na redação e estou muito feliz. Estudei bastante e espero conseguir uma vaga”, comenta Hana, que tentará o Sisu como cotista. “A cota é importante porque é muito difícil quem estudou na escola pública competir de maneira igual com o aluno do colégio particular”, diz Hana.

Beatriz Magalhães, 17, vai se inscrever para secretariado na UFPE. Também como cotista. Concluiu o ensino médio em 2018 no Ginásio Pernambucano da Avenida Cruz Cabugá, em Santo Amaro. “É o curso que mais me identifico. Estou em dúvida ainda na segunda opção”, afirma.