Esporte

A Federação Pernambucana de Futebol (FPF) determinou nesta segunda-feira que o jogo entre Flamengo e Santa Cruz que será disputado às 21h30 desta quarta-feira (23), no estádio Áureo Bradley, seja de portões fechados.

O comunicado de Informações de Modificação de Tabela do Campeonato Pernambucano A1, que foi assinado por Murilo Falcão, Diretor de Competições da FPF, diz que o motivo da modificação é a ausência de laudos do estádio Áureo Bradley, em Arcoverde, conforme o Art. 23 da lei 12.299 do Estatuto do Torcedor, e o jogo será com a ausência de público.

A modificação já foi oficiada ao Flamengo de Arcoverde, ao Santa Cruz, como também a emissora de TV Globo/Première e a outros meios envolvidos diretamente na partida.

Depois de ter chegado as quartas de finais na edição passada, o Afogados FC venceu o Petrolina por 1×0, no Estádio Vianão na tarde deste domingo (20). O confronto marcou o reencontro do treinador Pedro Manta, hoje no time de Afogados, com o Petrolina. O técnico esteve à frente do comando da Fera Sertaneja na temporada passada, durante a campanha do acesso à Série A1 do Campeonato Pernambucano.

O único gol da partida foi marcado aos 21 minutos do primeiro tempo, depois de boa jogada do camisa 10 Candinho, que cruzou e o atacante Diego Ceará completou para o gol. Na próxima rodada, quinta-feira, às 20h, o Afogados enfrenta o América, no Ademir Cunha.

Com os mesmos três pontos de Santa Cruz e Central, a Coruja do Sertão está na vice-liderança do Pernambucano da Série A. Quem lidera pelo critério de saldo de gols é o Salgueiro depois da goleada por 6×1 em cima do Vitória.

https://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/home-portal/normal/34f10841a5987ee5b1d4f842c7b5a133.jpg

O Sport iniciou o Campeonato Pernambucano com uma derrota na Ilha do Retiro na tarde deste sábado (19). Em uma reedição da primeira rodada do Estadual do ano passado, o Leão recebeu o Flamengo de Arcoverde, mas perdeu por 3×2 para o time comandado por Nilson. Estreia amarga para a equipe de Milton Cruz no primeiro jogo oficial do ano. 

Nos minutos iniciais, O Flamengo de Arcoverde foi atrevido. Diguinho finalizou duas vezes, além de Thiago Bagagem e Adenilson. A primeira chegada do Sport só aconteceu aos 14 minutos, quando Hernane chutou em direção ao gol, mas Alenilson estava no meio do caminho para fazer o bloqueio.

O Sport começou a buscar novas oportunidades, e Pedro Maranhão deu volume ao sistema ofensivo em duas ocasiões. Na primeira, ele bateu rasteiro e fraco em frente ao goleiro oponente, que fez a defesa com tranquilidade. A segunda, ele chegou com mais perigo após receber um bom passe. Ao chutar, a bola bateu em Adenilson, e no rebote, a chance foi interrompida novamente por Sérgio que defendeu com mais trabalho.

Luto na ginástica brasileira. A ginasta Jackelyne Silva morreu aos 17 anos, de causas ainda não divulgadas. Atleta de ginástica artística do clube paulista Pinheiros, ela teve um problema de saúde enquanto estava de férias. Jackelyne teria passado mal, sido levada a um pronto socorro, onde um quadro de meningite não teria sido detectado pela equipe médica. A ginasta faleceu na última quarta-feira (16).

Ela morava com os pais e cinco irmãos em São Paulo. O pai trabalha em um estacionamento e a mãe é dona de casa. Jackelyne parou de treinar no final de 2018 para ajudar nos cuidados da mãe, que precisou passar por uma cirurgia, mas pensava em retornar ao esporte neste ano.

Jackelyne chegou a defender a Seleção brasileira nas categorias de base. Ela entrou na categoria adulta em 2017 e ainda não havia chegado ao time principal da equipe nacional. O anúncio da morte foi feito pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), que lamentou o ocorrido. “Recebemos com tristeza a notícia do falecimento da atleta de Ginástica Artística do clube do Pinheiros, Jackelyne da Silva. Nos solidarizamos com os familiares, amigos e técnicos. Ficam, agora, as boas recordações da ginasta fazendo o que mais amava”.

A Federação Paulista de Ginástica (FBG) também se manifestou sobre a morte da atleta. “A Federação Paulista de Ginástica quer expressar aos familiares e amigos e a toda comunidade da ginástica os seus sentimentos pela morte da ginasta Jackelyne da Silva, aos 17 anos. Ela era ginasta do Pinheiros e participava de competições da FPG. O céu ganhou uma estrela brilhante”.

O Pinheiros, clube que Jackelyne defendia, divulgou nota de pesar e se comprometeu a arcar com as despesas do enterro. “Com imensa tristeza, o Esporte Clube Pinheiros recebeu a notícia do falecimento da ginasta Jackelyne Soares Gomes da Silva, ontem, 16 de janeiro. Jack, como era conhecida, fazia parte da equipe pinheirense desde 2010. Seu jeito brincalhão e sua alegria contagiavam todos que convivam com a atleta, dentro e fora dos treinamentos. Em quase 9 anos de convivência, ela fez parte de bons momentos da nossa equipe de Ginástica e o Clube acompanhou seu crescimento, como atleta e como pessoa. Solidário à dor de familiares e amigos, o Pinheiros está acompanhando e prestando todo o suporte possível nesse momento de despedida”. Com informações do OP9.

Por Franklin Portugal*

Mais uma vez a partir deste próximo fim de semana, teremos a sorte lançada – que se diga também, competência em campo, para mais uma edição de Campeonato Pernambucano.

Disputa para dez clubes do Estado – do interior à capital. Serão os pequenos e bravos diante dos tradicionalmente de peso, casos de Náutico, Sport e Santa Cruz. E o que se espera da edição 2019? Espera-se que fiquem de fora o amadorismo por parte das equipes e, sobretudo o bom senso e as boas atitudes dos donos do apito.

Não é de hoje que times do interior conseguem a duro esforço carimbar passagem para as etapas decisivas e até mesmo fazer frente aos grandes do Recife em finais de Estaduais. Temos o caso de 2017 em que o Salgueiro foi prejudicado na final contra o Sport, mesmo a partida contando com árbitro de vídeo, vejam só. Ano passado foi à vez de o Central decidir o Estadual diante do Náutico. Com um gol mal anulado, por parte da equipe Patativa, e uma expulsão que deixou de ser feita de um dos jogadores do Timbu, o alvirrubro levou a taça vencendo por 2 x 1.

Sempre há muitos percalços, mãozinhas que devem estar dispensadas do gramado. Um futebol forte não se faz assim. O Estado de São Paulo está aí pra mostrar que os clubes do interior podem chegar e garantir títulos na primeira divisão sem qualquer problema ou constrangimento.

Esperamos, em fim, que 2019 seja um ano inédito, de pura justiça com a bola, independente quem a esteja tratando bem.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora com crônicas ao Blog PE Notícias.

Caixa Econômica vai deixar o absurdo patrocínios de times de futebol. Quase R$ 200 milhões foram gastos em 2018

A obsessão de Paulo Guedes por cortar gastos do governo ganhou novo alvo durante a posse do novo presidente da Caixa: “às vezes é possível fazer coisas cem vezes melhor com menos recursos do que gastar com publicidade em times de futebol”, disse o ministro da Economia.

No ano passado, o banco estatal patrocinava mais de 20 times do país. Ao Flamengo, por exemplo, a Caixa pagava R$ 25 milhões anuais para estampar sua marca no uniforme rubro-negro. O time já vai estrear nesta quinta-feira na Florida Cup, nos EUA, sem a logo do banco na camisa.

Torcedores de Atlético Mineiro, Cruzeiro, Botafogo e Santos também devem ver seus times perderem o patrocínio. O episódio mostra a disposição de Guedes de tomar medidas impopulares para enxugar os investimentos do governo federal. 

Nesta quarta-feira, a coluna de Ancelmo Gois mostrou que nem sempre a decisão da Caixa de patrocinar times de futebol foi puramente técnica. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, por exemplo, articulou para que o Botafogo fosse um dos times a exibir a marca do banco no uniforme. Com informações de O Globo.

Mega acumula e prêmio pode chegar a R$ 8 milhões no próximo sorteio

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.112 da Mega-Sena. O concurso aconteceu neste sábado (05), em Caibi (SC), O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 9, é de R$ 8 milhões.

Confira o rateio oficial:

Os números sorteados foram: 17 – 39 – 43 – 46 – 52 e 53

Sena – 6 números acertados – Não houve acertador

Quina – 5 números acertados – 34 apostas ganhadoras, R$ 48.935,85

Quadra – 4 números acertados – 2547 apostas ganhadoras, R$ 933,20

QUINA

O concurso 4868 da Quina acumulou e deve pagar R$ 1,3 milhão em seu próximo sorteio. As dezenas sorteadas neste sábado foram: 04, 09, 50, 62 e 72. Veja o rateio:

Quina – 5 números acertados – Não houve acertador

Quadra – 4 números acertados – 35 apostas ganhadoras, R$ 10.022,28

Terno – 3 números acertados – 3567 apostas ganhadoras, R$ 147,88

Duque – 2 números acertados – 108405 apostas ganhadoras, R$ 2,67

TIMEMANIA

Também não houve ganhador no concurso 1277 da Timemania. Os números sorteados foram: 20, 29, 31, 42, 47, 48 e 67. O “time do coração” foi o América/MG.

O próximo sorteio, dia 8, vai pagar o prêmio de R$ 8,5 milhões.

Confira o rateio:

7 números acertados – Não houve acertador

6 números acertados – 2 apostas ganhadoras, R$ 74.906,51

5 números acertados – 182 apostas ganhadoras, R$ 1.175,92

4 números acertados – 3982 apostas ganhadoras, R$ 6,00

3 números acertados – 41842 apostas ganhadoras, R$ 2,00

Time do Coração – América/MG – 14987 apostas ganhadoras, R$ 5,00

DUPLA

Os dois sorteios do concurso 1885 da Dupla-Sena não teve uma aposta ganhadora. No próximo concurso, dia 8, o prêmio vai ser de R$ 7,8 milhões. Veja as dezenas sorteadas e o rateio:

1º sorteio – 08, 12, 19, 31, 32 e 50.

Sena – 6 números acertados – Não houve ganhadores

Quina – 5 números acertados – 34 apostas ganhadoras R$ 3.897,78

Quadra – 4 números acertados – 1852 apostas ganhadoras R$ 81,78

Terno – 3 números acertados – 35517 apostas ganhadoras R$ 2,13

2º sorteio – 07, 21, 22, 32, 35 e 38.

Sena – 6 números acertados – Não houve ganhadores

Quina – 5 números acertados – 46 apostas ganhadoras R$ 2.592,87

Quadra – 4 números acertados – 1798 apostas ganhadoras R$ 84,23

Terno – 3 números acertados – 33408 apostas ganhadoras R$ 2,26

FEDERAL

A Caixa sorteou ainda os bilhetes do concurso 05351 da Loteria Federal. Veja os principais prêmios:

Destino – Bilhete – Valor do Prêmio (R$)

1º – 28443 – 700.000,00

2º – 26528 – 30.000,00

3º – 38551 – 26.000,00

4º – 68426 – 22.600,00

5º – 60183 – 20.758,00

Com informações da Folhapress.

Após as festividades de final de ano, os jogadores do Flamengo de Arcoverde voltaram ao trabalho nesta quarta-feira (02), como revela o cronista esportivo Gilson Martins. Com toda a comissão técnica em campo, os jogadores retomaram os treinos visando a abertura do Campeonato Pernambuco da Série A.

A Fera Sertaneja continua os trabalhos e no próximo dia 12 tem uma partida amistosa diante do ASA, no estádio Coroacy da Mata Fonseca na cidade de Arapiraca (AL). Recentemente chegaram jogadores como o zagueiro Alaf  e o maia atacante Rogerinho, ambos já começaram a treinar no rubro-negro arcoverdense. Com informações do Folha das Cidade e foto de Gilson Martins.

Em fase de preparação para o Campeonato Pernambucano, a diretoria do Afogados FC confirmou o primeiro amistoso do clube antes da estreia na competição. O confronto será contra o Sousa (PB), que também se prepara para disputa do Campeonato Paraibano.

O duelo será no próximo domingo (06), às 17 horas no estádio Antônio Mariz, “O Marizão”, em Sousa, no Sertão paraibano.

Patrocinador alagoano

O departamento de Marketing do Afogados FC confirmou o acerto com o novo fornecedor de material esportivo para esta temporada. A nova marca que irá vestir o Afogados será a empresa Alagoana Estilo Sports.

A Estilo já confeccionou os uniformes para clubes como o CEO, Sete de Setembro, e Santa Rita, todos de Alagoas, e recentemente forneceu material para o Petrolina, na série A2 do Campeonato Pernambucano.

O contrato com a Aktion Sports, antigo fornecedor, se encerrou no dia 31 de dezembro e a diretoria do clube agradece os excelentes serviços prestados pela empresa paulista. 

https://1.bp.blogspot.com/-YA9Qg6_Ggmo/W1IG4uQc4uI/AAAAAAAAJRo/Va83kLGAucoMes040pmTwzVR1Ujsn25KwCLcBGAs/s1600/mega-da-virada-2018.png

Os números da Mega da Virada foram sorteados na noite desta segunda-feira (31), em São Paulo. O valor do prêmio foi de R$ 302,5 milhões.

As dezenas sorteadas foram: 05 – 10 – 12 – 18 – 25 – 33.

Segundo a Caixa, 52 apostas dividirão o prêmio. Assim, cada aposta ganhadora levará R$ 5.818.007,36.

Quina – 7.688 apostas ganhadoras que vão receber R$ 6.644,73

Quadra – 303.857 apostas ganhadoras que vão receber R$ 240,17

Veja as cidades onde teve apostas que foram sorteadas com as seis dezenas da Mega da Virada:

RIO BRANCO – AC
1 aposta ganhou o prêmio principal

MANAUS – AM
1 aposta ganhou o prêmio principal

EUCLIDES DA CUNHA – BA
3 apostas ganharam o prêmio principal

FEIRA DE SANTANA – BA
1 aposta ganhou o prêmio principal

MATA DE SÃO JOÃO – BA
1 aposta ganhou o prêmio principal

SALVADOR – BA
1 aposta ganhou o prêmio principal

VALENÇA – BA
1 aposta ganhou o prêmio principal

VÁRZEA ALEGRE – CE
1 aposta ganhou o prêmio principal

BRASÍLIA – DF
1 aposta ganhou o prêmio principal

BELA VISTA DE GOIÁS – GO
1 aposta ganhou o prêmio principal

JATAÍ – GO
1 aposta ganhou o prêmio principal

PEDREIRAS – MA
1 aposta ganhou o prêmio principal

SÃO LUIS – MA
1 aposta ganhou o prêmio principal

ALFENAS – MG
1 aposta ganhou o prêmio principal

BELO HORIZONTE – MG
2 apostas ganharam o prêmio principal

DIVINÓPOLIS – MG
1 aposta ganhou o prêmio principal

MARTINHO CAMPOS – MG
1 aposta ganhou o prêmio principal

SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO – MG
1 aposta ganhou o prêmio principal

CORUMBÁ – MS
1 aposta ganhou o prêmio principal

COSTA RICA – MS
1 aposta ganhou o prêmio principal

COXIM – MS
1 aposta ganhou o prêmio principal

ALMEIRIM – PA
1 aposta ganhou o prêmio principal

ITAITUBA – PA
1 aposta ganhou o prêmio principal

JOÃO PESSOA – PB
1 aposta ganhou o prêmio principal

LAGOA DO ITAENGA – PE
1 aposta ganhou o prêmio principal

CAMPO MOURÃO – PR
1 aposta ganhou o prêmio principal

Curitiba – PR
1 aposta ganhou o prêmio principal

Angra dos Reis – RJ
1 aposta ganhou o prêmio principal

BARRA DO PIRAÍ – RJ
1 aposta ganhou o prêmio principal

NOVA IGUAÇU – RJ
1 aposta ganhou o prêmio principal

RIO DE JANEIRO – RJ
4 apostas ganharam o prêmio principal

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA – RJ
1 aposta ganhou o prêmio principal

BLUMENAU – SC
1 aposta ganhou o prêmio principal

ADAMANTINA – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

GUARUJÁ – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

PEDREIRA – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

PRAIA GRANDE – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

Ribeirão Preto – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

SÃO BERNARDO DO CAMPO – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

SÃO PAULO – SP
3 apostas ganharam o prêmio principal

VOTORANTIM – SP
1 aposta ganhou o prêmio principal

Canal Eletrônico
3 apostas ganharam o prêmio principal  

https://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/home-portal/normal/a6c58686d46011e548a67c36b527268d.jpg

A 94ª edição da São Silvestre foi novamente dominada pelos estrangeiros. Assim como nos últimos anos, os africanos se destacaram na corrida ao puxar o pelotão desde o início e ganhar a prova. Entre as mulheres, a queniana Sandrafelis Tuei garantiu a vitória depois de assumir a liderança nos 800m finais do percurso. Já no masculino, quem ganhou foi o etíope Belay Bezabh.

BRASILEIROS

Os brasileiros novamente não conseguiram fazer frente aos estrangeiros. Sem vencer no masculino desde 2010 e no feminino desde 2006, o País repetiu o resultado do ano passado ao não colocar representantes entre os cinco primeiros colocados. A melhor brasileira foi Jenifer Nascimento, oitavo lugar, e no masculino, o destaque foi Giovani dos Santos, também oitavo colocado.

A elite masculina largou às 9h07 com um pelotão na liderança nos quilômetros finais. Um grupo de 15 corredores permaneceu reunido até o primeiro terço da prova. Maxwell Rotich, de Uganda, é quem puxava a fila, dominada por africanos do Quênia e da Etiópia. O brasileiro Giovani dos Santos era o único representante nacional que fez frente aos estrangeiros nesse inicio de corrida.

Aos poucos, o pelotão de líderes que era de 15 corredores, acabou por diminuir. Na metade final dos 15 km, o grupo ficou restrito a seis competidores e restaram somente dois nos quilômetros finais, a subida da Avenida Brigadeiro Luís Antonio. O bicampeão Dawit Admasu, etíope naturalizado barenita, e Belay Bezabh, também da Etiópia, disputaram a prova até o final.

Favorito, Admasu não conseguiu manter o ritmo forte e deixou escapar o tricampeonato. Bezabh conseguiu acelerar na reta final, após passar quilômetros lado a lado com o concorrente, e cruzou a linha da chegada com o tempo de 45min5s. Admasu foi o segundo e o terceiro posto ficou com o Amdework Tadese, também da Etiópia.

FEMININO

A prova feminina teve um desfecho emocionante. A queniana Pauline Kamulu disparou desde os primeiros metros e só foi perder a posição no quilômetro final. A atleta, que completou 24 anos neste domingo, dominou a corrida durante a maior parte, inclusive com uma grande vantagem, porém sentiu o ritmo forte durante a subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, quando perdeu lugar para a compatriota Sandrafelis Tuei, de 20 anos.

Sandrafelis passou a adversária no fim, a cerca de 900 metros da linha de chegada, e impôs um ritmo forte para sustentar a vitória. O tempo da vencedora foi de 50min2s. A terceira posição ficou com a etíope Mestawut Truneh. O resultado fez o Quênia ampliar a liderança no ranking de vitórias na edição feminina. Já são 13 triunfos, ante cinco do Brasil. A melhor brasileira foi Jenifer Nascimento, na oitava posição.

http://www20.caixa.gov.br/PublishingImages/Lists/News/AllItems/2018_11_06_%20Novos-Volantes-Loterias-CAIXA-Mega-da-Virada%20-%20Interna%202.jpg

Ninguém sabe ao certo quando surgiram as loterias, mas estima-se que tenham sido inventadas pelos chineses há mais de dois mil anos e levadas à Europa pelos comerciantes, séculos mais tarde. O fato é que desde antes de Cristo não há quem não sonhe em receber o beijo de Tique, a deusa grega da sorte, ficando milionário da noite para o dia. A Mega-Sena da Virada é uma destas possibilidades. Cada apostador, ao jogar um bilhete simples com seis dezenas, tem apenas uma chance em 50 milhões. Mesmo assim, como sonhar é livre, existe um sonho em cada cartão registrado.

A estimativa inicial é de R$ 280 milhões, valor que deverá aumentar quando as apostas foram encerradas, às 15h da segunda-feira (horário local). A expectativa é que supere os R$ 306 milhões sorteados em 2017.

O que significam R$ 280 milhões na vida de alguém? O professor de matemática Fabiano Nader, do cursinho Força Isoladas, fez alguns cálculos que exemplificam a quantidade de dinheiro dessa premiação. Um trabalhador que recebe R$ 3 mil por mês durante 45 anos de batente precisaria de 200 vidas para ganhar tudo isso com o próprio suor. E se os R$ 280 milhões fossem trocados por cédulas de R$ 2 e enfileirados em linha reta, teríamos uma trilha de 9.100 quilômetros, distância equivalente a do Recife a Moscou, na Rússia.

Mas e se essa dinheirama fosse trocada por moedinhas de 1 real? Aí o ganhador teria que carregar para casa um pacote de 2.200 toneladas. Com o valor do prêmio seria possível ao vencedor ter seu próprio Boeing 737-700. Ou mais de 56 mil iPhones X . Ou comprar 7 milhões de quilos de picanha, para garantir o maior churrasco do mundo. Se os 280 milhões fossem distribuídos entre toda a população do Recife, formada por cerca de 1,5 milhão de habitantes, cada pessoa receberia pouco mais de R$ 186. Nem todos sabem, mas algumas dezenas são mais sorteadas que outras.

O número 10 é o mais quente, com 242 aparições. Em compensação, o 15 é o azarão, com 192 chamadas. São Paulo, o estado mais populoso do Brasil, lidera o ranking de sorteados, com 208 ganhadores em 2.110 concursos. O segundo colocado, Minas Gerais, vem bem atrás, com 77 vencedores. Pernambuco aparece na oitava posição, empatado com Santa Catarina, com oito bilhetes premiados, que correspondem a 2,82% dos premiados.

O presidente da Comissão de Ética da CBF, Carlos Renato de Azevedo Ferreira Foto: Divulgação/CBF

Um torcedor indignado resolveu denunciar: jogadores não estavam respeitando o Hino Nacional antes das partidas do Brasileiro. Outro, revoltado com a eliminação na Copa-2018, tratou de protestar por causa do resultado, pedindo até ressarcimento financeiro pela decepção no mundial. Um palmeirense, por sua vez, contrariado por entender que o time fora prejudicado pela arbitragem em um duelo pela Libertadores, também enviou a manifestação contrária. Em comum nesses casos citados está o destino da reclamação: a Comissão de Ética do futebol brasileiro.

Estabelecido pela CBF em abril de 2017, o órgão tem por objetivo receber denúncias e julgar casos de desrespeito ao Código de Ética. No entanto, a caixa de entrada do canal também cumpre o papel — não planejado — de receber desabafos de torcedores, por regra, insatisfeitos. Obviamente, não há como agir nesses casos.

— É um canal aberto. A pessoa não tem um filtro se a infração lesa à ética ou é de natureza desportiva. Ele remete ao primeiro canal que ele tem. Isso é normal. Às vezes, o sujeito, depois que acabou o jogo, fica bravo e ele manda. Seria até um desabafo. Isso não gera processo ético, mas tratamos com respeito, disse o presidente da comissão de ética, Carlos Renato de Azevedo Ferreira.

Balanço das ações

Essas reclamações inusitadas já citadas fazem parte do universo de 167 denúncias recebidas, segundo levantamento dos casos listados até o início de novembro. As categorias são variadas e vão desde a uma série de textos mal redigidos, nos quais não é possível identificar uma denúncia fundada, a situações mais sérias, como manipulação de resultados e pedofilia.

No quesito “diversas”, são 77. Entre as que estão devidamente categorizadas, a maioria das denúncias diz respeito a supostos comportamentos inadequados em intermediação de jogadores.

Há uma estrutura para analisar cada mensagem que chega. Esse modus operandi implica em averiguar até que ponto há fundamento na denúncia, gerar diligências para apurar as informações e, diante de um cenário coerente, abre-se o processo na corte. Até o momento, a opção é manter decisões sob sigilo.

— Depois de transitado em julgado, vamos divulgar todas. Está previsto isso para o ano que vem. Enquanto o processo está em tramitação, não posso quebrar o sigilo, disse o presidente.

Mas há casos que vieram à tona. A comissão de ética, por exemplo, agiu determinando a suspensão do presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, pelo envolvimento em um caso de manipulação de resultados no Estadual. Árbitros estavam envolvidos no esquema. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva, posteriormente, baniu o dirigente do esporte.

Em 2017, os flamenguistas Felipe Vizeu e Rhodolfo viraram réus. O motivo foi a briga entre os dois na vitória sobre o Corinthians. Na ocasião, o atacante fez um gesto obsceno para o defensor na comemoração do gol. A comissão de ética advertiu os dois. Esse foi um dos 87 casos já julgados ou arquivados pela comissão.

Mas além de punir, a comissão de ética tem função “tira-dúvidas”. É comum, segundo Carlos Renato, que entidades enviem questionamentos para verificar se determinado procedimento transgride ou não a legislação vigente.

— Todo mundo pensa em denúncia. Mas isso é a terceira missão que o código deu à comissão. A primeira é orientação. A segunda é responder consultas. Só a terceira é receber, processar e julgar eventuais violações de natureza ética, explicou.

A comissão conduz os trabalhos desfalcada. Luis Flaviano Furtado, membro originário da câmara de investigação, foi afastado porque chegou a ser preso preventivamente em suposto envolvimento com um grupo investigado por operar jogos de azar. Ele é coronel da Polícia Militar de São Paulo.

A intenção da diretoria do Náutico é utilizar cada vez mais a prata da casa ao longo da temporada 2019. Porém, para ganharem maior “rodagem” alguns garotos serão emprestados para outros clubes durante a disputa dos campeonatos estaduais. É o caso do goleiro Sérgio e do zagueiro Richard, que disputarão o Campeonato Pernambucano pelo Flamengo de Arcoverde. 

Os dois clubes, inclusive, iniciaram uma espécie de parceria. O que abre as portas para que outros jovens atletas alvirrubros também sigam o mesmo caminho. Além disso, a equipe Sub-20 do Náutico que disputará a Copa São Paulo realizará um amistoso contra o Flamengo no dia 19 de dezembro O técnico da equipe sertaneja é o ex-goleiro Nilson, campeão pernambucano pelo Náutico em 2004. 

“Os atletas já estão sendo encaminhados para o Flamengo, restando apenas as assinaturas de contrato”, destacou o gerente de futebol Ítalo Rodrigues.

Sérgio, de 21 anos, ainda não fez sua estreia como profissional e seria o terceiro goleiro do Náutico, que possui Bruno como titular e Luiz Carlos, de contrato renovado, para a reserva imediata. Vale lembrar que Jefferson voltará a ser emprestado. Já Richard, 20, chegou a disputar duas partidas pelo elenco principal em 2018 (uma pelo Pernambucano e outra pela Copa do Nordeste).

Este ano, o Náutico integrou aos profissionais oito atletas da equipe sub-20 e outros sete que foram campeões estaduais pela categoria sub-17.

Entre os mais clássicos jargões populares, costuma-se dizer que o futebol é uma ‘caixinha de surpresas’. Mas nem tudo é imprevisível no esporte mais difundido no país. É o caso da derrocada do futebol pernambucano no cenário nacional, que alerta para a urgente necessidade de recuperação do bom desempenho dos clubes locais, da capital ao interior.

Em 2019, após sete anos de representatividade na elite, Pernambuco não terá um clube na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro, onde o Nordeste segue com a maior representatividade na Era nos pontos corridos, com quatro equipes. Pior ainda, além do rebaixamento do Sport para a Série B após duas temporadas escapando no fim, Náutico e Santa Cruz não conseguiram o acesso e disputarão novamente a Série C, sob o mesmo formato arriscado de decisão no mata-mata.

Até o Salgueiro caiu para a Série D, de onde os pernambucanos sequer passaram da primeira fase nas duas últimas edições e não sobe uma equipe desde 2013, com o próprio Carcará.

A situação se torna mais alarmante quando os números são lançados no quadro regional de acessos e rebaixamentos. Nos últimos cinco anos, os nordestinos subiram 18 vezes de divisão e caíram outras 21. Os pernambucanos continuam com um único acesso (5,5%), e cinco quedas (24%), que representam cerca de um quarto do total da região.

Como reflexo disso, o Ranking Nacional de Clubes da CBF já passa a dar os primeiros sinais das consequências que Pernambuco pode sofrer com perda de vagas nacionais e regionais. Na atualização para o quadro de 2019, publicada na semana passada, o Sport largou o posto de líder do Nordeste para o Bahia após duas temporadas no topo, e ainda pode perder a vice-liderança para o Vitória no próximo quadro. O Santa Cruz também caiu, do quarto para o quinto lugar, ultrapassado pelo Ceará.

No entanto, o pior quadro é do Náutico, que largou na primeira edição, em 2013, como quinto melhor ranqueado do Nordeste e foi o terceiro em 2014. Hoje figura apenas na oitava colocação, atrás até de Fortaleza e CRB.

Levando em consideração que a pontuação da CBF faz referência ao desempenho nos últimos cinco anos, onde os mais recentes ganham maior peso na média ponderada, a projeção para o quadro de 2020 (que será lançado após o fim do próximo calendário de competições), é de uma queda ainda mais substancial dos clubes de Pernambuco pelos últimos resultados.

Naturalmente, com os acessos de Fortaleza e CSA, além da permanência de Bahia e Ceará na Série A, os clubes pernambucanos devem perder ainda mais representatividade regional e até mesmo deixar de vez o posto de protagonista na região que alcançou ao longo da década, tendo como auge a temporada de 2016, com duas equipes na Série A – Sport e Santa.

E caso não haja uma reação, com acessos no Brasileirão e boas campanhas na Copa do Nordeste, o quadro de 2021 pode ser ainda mais desastroso para Pernambuco, com a perda de vagas na Série D e na Copa do Nordeste.

FEDERAÇÃO EM RISCO

O alerta não fica restrito aos clubes. A FPF também está sob ameaça de perder a representatividade de ser a federação melhor posicionada do Nordeste. No Ranking de Federações da CBF, o estado até mantém o 7° lugar geral, mas vê a vantagem despencar de 3.913 pontos para 1.024 em relação à Bahia, 8ª colocada.

“O Ranking é o retrato da gestão. Não reflete um ano, mas é apanhado de cinco anos. Nos últimos dez anos, Pernambuco atingiu o máximo que uma federação do Norte e Nordeste havia alcançado. Foi extraordinário, mas nos últimos anos fomos mal”, ponderou o presidente da FPF, Evandro Carvalho.

De fato, o posto de Pernambuco ainda é privilegiado no ranking, o que lhe concede direito a contar com três vagas no Brasileiro da Série D, outras três para a Copa do Brasil e uma para a Copa do Nordeste, onde o ranking de clubes define as demais.

Mas esse cenário corre risco a longo prazo. Comparando os quadros de 2018 e 2019, Ceará e Alagoas reduziram as desvantagens de 12 mil para 8 mil pontos e 13 mil para 10 mil pontos, respectivamente. Com a diferença de divisão dos clubes, o quadro de 2020 fará essa distância cair ainda mais. E em 2021, caso não haja reação de Pernambuco, o lugar de destaque estará seriamente ameaçado.

“Evidentemente, nem tudo dura para sempre. Esse ano mostrou uma situação surpreendente, que foi Alagoas na Série A e Ceará com dois clubes. Como nós tínhamos uma gordura acumulada, mesmo assim, Pernambuco consegue ficar à frente”, colocou Evandro, que vislumbra a recuperação do futebol estadual.

“Os clubes estão se reestruturando. No Náutico, uma guinada extraordinária, o Santa Cruz está se reinventando e o Sport, clube que mais permaneceu como melhor ranqueado do Norte e Nordeste, esse ano teve uma queda, mas tem tudo para voltar a subir de novo”, apontou.

No que compete à federação, o presidente acredita que a medida necessária é captar investimentos e focar na formação de atletas. “O que a FPF tem que fazer é continuar buscando recursos, investindo na formação com competições para os jogadores da base. Criar o que já foi feito, com competição Sub-20, a exemplo da Copa do Nordeste da categoria. Trabalho não só da FPF, mas das outras federações e da CBF também.”

E projeta a realização de seminário com especialistas para fomentar a base da melhor forma. “Em janeiro faremos um evento exclusivo para a base, assim como o seminário do futebol pernambucano que organizamos. O futuro da gente é esse, aprimorar e profissionalizar. Precisamos retomar o nosso lugar”, conclui Evandro. Com informações do Jornal do Commercio.