Esporte

Começa nesta quinta-feira (18), no Estádio Valdemar Viana de Araújo, o Vianão, mais uma edição do Campeonato Rural de Futebol Amador de Afogados da Ingazeira. A solenidade de abertura terá início às 18hs e a noite promete com uma rodada dupla: o Corinthians do Riacho da Onça enfrenta o Cruzeiro da Várzea Comprida, no primeiro jogo; enquanto que no segundo jogo enfrentam-se Vasco da Varzinha e Serrano do São Domingos.

A grande final está prevista para ocorrer no dia 28 de setembro. Os demais times que disputarão o Campeonato Rural de Afogados da Ingazeira são:

– Vasco de Umburanas

– Vila Nova do Leitão

– Guarani da Pintada

– Palmeiras da Queimada Grande

– São Paulo da Carapuça

– Grêmio da Alagoinha

– Comercial do São João

– Vila Real do São João

– Bragantino do Pau Ferro

– Santa Cruz das Queimadas

– Grêmio do Santo Antônio

– São Paulo do Jatobá 

– São Paulo do Curral Velho

– Guarani da Cachoeira

– Corinthians da Vaca Morta

– Estrela Azul da Laje do Gato.

Por Franklin Portugal*

Estamos a poucos dias do início de uma disputa que domina o segundo semestre do futebol nosso Estado. Passada a correria e empolgação da Primeira Divisão do Pernambucano, vamos nos deparar a partir do dia 27 de julho com a Segundona, também chamada de Série A2.  Mais uma disputa promovida pela Federação Pernambucana de Futebol.

Apesar de todas as dificuldades financeiras que possam se apresentar,  da escassez de recursos,  de toda sorte de obstáculos, sempre há o desejo de muitos gestores de estar confirmando o nome de diversas agremiações na competição que esse ano dá o direito para que dois clubes subam, tenham acesso à elite do Estadual em 2020.

Nesse ano, a formatação vem com oito corajosas equipes pra tentar atravessar o mar de durezas da competição. São elas: Primeiro de Maio, de Petrolina; Centro Limoeirense, de Limoeiro; Decisão Futebol Clube, de Bonito; Íbis Sport Clube, de Paulista; Ipojuca Atlético Clube, de Ipojuca; Clube Atlético do Porto, de Caruaru; Retrô Futebol Clube Brasil, de Camaragibe; e Vera Cruz, de Vitória de Santo Antão.

Em muitos destes clubes de Segunda Divisão figuram jogadores experientes que já atuaram em grandes equipes em passados recentes. Só no Decisão de Bonito podemos citar o ex-goleiro do Náutico, Nilson, que será o técnico. No mesmo elenco está o meia Natan e o atacante Flávio Caça Rato, ambos ex-Santa Cruz.

Na verdade, a Série A2 é um mix de uma garotada juntada com a experiência destas figuras com mais quilometragem no futebol.

A gente sempre fica na torcida por um bom nível técnico e que brilhe sempre a estrela do melhor desempenho.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas ara o Blog PE Notícias.

Por Franklin Portugal*

A Copa América 2019 acabou, e terminou da melhor maneira possível para o futebol brasileiro. Já que sediamos a competição, o melhor ainda foi coroar a condição de anfitrião, e claro, de campeão juntamente.  A Seleção Brasileira teve mais de 77% de aproveitamento na primeira fase, com 2 vitórias e 1 empate.  Adversários dessa etapa: Venezuela, Peru e Bolívia. Nas quartas, passamos pelo Paraguai com um 0 x 0, e depois nos pênaltis. Aí veio a gloriosa semi com vitória contra a Argentina deliciosamente por 2 x 0.  E a final diante do Peru, vencida e liquidada por 3 x 1 no Maracanã.

Não quero aqui tirar o brilho da alegria proporcionada por este título, de jeito algum, até porque foi com toda justiça. Mas, ao analisarmos o nível dos oponentes, podemos apenas apontar alguns que de fato ofereceram desafio ao time verde e amarelo.  Eu apontaria o Uruguai, que não passou por nosso caminho, mas tem um peso e qualidade diferenciados.  Depois, a Argentina, que apesar dos 2 x 0 em nossa vitória brasileira diante deles, se mostrou uma equipe aplicada e um rolo compressor quando se trata de fazer pressão com Messi e cia. Por fim, dou a honra de exaltar o Peru que apesar de ter perdido na final para o Brasil, foi surpreendendo na competição eliminando Uruguai e Chile.  

Ou seja, pra dizer de tudo isso, é pra ficar animado com nossa Seleção? É, sim. Agora vem a recomendação: na programação de amistosos vindouros, favor o técnico Tite testar a equipe contra Seleções de peso. Esse time foi bem, obrigado, na Copa América, e sem Neymar, agora é preciso fazer testes em dificuldades verdadeiras, porque quando chegar na Copa do Mundo, não haverá nenhum estranhamento, como foi na última, com o cadeado belga.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas para o PE Notícias.

O zagueiro Marquinhos durante coletiva de imprensa em Teresópolis

O zagueiro Marquinhos, titular da Seleção Brasileira em todas as partidas da Copa América, inclusive durante a vitória de 3 a 1 sobre o Peru na final deste domingo (07), disse após o jogo que a presença do presidente Jair Bolsonaro no Maracanã precisa ser respeitada pelos jogadores, independentemente do posicionamento político.

“Essa competição é disputada no Brasil, e ele é o nosso presidente, uma autoridade do país que tem que ser muito respeitada, independentemente se a pessoa gosta ou não. O respeito prevalece acima de tudo”, opinou.

Bolsonaro foi recebido por vaias e aplausos no estádio do Maracanã. Ele assistiu à partida acompanhado de dois filhos, o senador Flávio Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro, além dos ministros da Justiça, Sérgio Moro; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, entre outros.

Depois do jogo, o presidente entregou algumas das medalhas aos jogadores na cerimônia de premiação e participou das comemorações, posando para fotos com parte do elenco campeão e o troféu da Copa América. Com informações da Agência EFE.

Argentina derrota o Chile e fica com o terceiro lugar na Copa América

Messi deixou a Copa América revoltado com a arbitragem. A polêmica eliminação da Argentina para o Brasil na semifinal somou-se a expulsão ainda no primeiro tempo do camisa 10 no jogo com o Chile, na disputa pelo terceiro lugar.

Foi o segundo cartão vermelho que o craque levou em sua  carreira. A outra aconteceu em 2005, em sua estreia pela seleção argentina. Irritado, ele não apareceu para receber a medalha de bronze no gramado e também não posou com o restante do elenco para a foto oficial da competição.

“Um cartão amarelo resolveria. O que disse na vez passada (depois do jogo com o Brasil) talvez tenha servido para agora. Não fui à premiação porque nós não temos que ser parte desta corrupção. Nos faltaram com respeito durante toda esta Copa. Não nos deixaram chegar na final”, afirmou.

Messi foi expulso no fim do primeiro tempo após trocar empurrões com Medel. O árbitro entendeu que os dois mereciam o vermelho. No jogo contra o Brasil, o craque reclamou de dois pênaltis não marcados a favor da Argentina e questionou a isenção do VAR.

Na opinião do camisa 10 do Barcelona, a organização do torneio está beneficiando o Brasil. “Não há dúvidas. A Copa está armada para o Brasil. Tomara que o VAR e o árbitro de vídeo não influenciem na final e que o Peru possa competir. Tem uma boa equipe, mas do jeito que vejo, está difícil”, afirmou.

Exemplo de excelência no País, o gramado da Arena de Pernambuco é uma referência entre os estádios brasileiros. Projetado para suportar forte incidência de chuva, ele possui a espécie de grama Bermuda Tifway 149, adequada para climas tropicais e usada para diversas praças esportivas de futebol, golfe e beisebol.

O modelo utilizado contribui para tornar o gramado da Arena mais resistente ao pisoteio e ao sombreamento, além de promover uma maior capacidade de recuperação após os jogos e ainda diminuir a presença de pragas.

Mas os cuidados periódicos são o que fazem a grande diferença. A equipe responsável realiza atividades de manutenção como o corte vertical da grama, a fim de proporcionar estabilidade e maior poder de tração, irrigações regulares e uma técnica chamada “topdressing”. Ela atua na correção da acidez do solo. Além disso, o processo de drenagem é feito através de água reutilizada, armazenada no reservatório do complexo multiuso.

A qualidade do gramado, aliás, referendou a Arena de Pernambuco para sediar, nesta sexta-feira (05), o Workshop Manutenção de Gramados Esportivos em Campos de Futebol, promovido pela Campanelli. O evento, voltado para profissionais da área e gestores esportivos, tem como foco instruir o público sobre as práticas e técnicas mais modernas no setor. 

Em sua fala o presidente da Arena Pernambuco, Kleber Borges (foto ao lado), elogiou o gramado do Estádio Vianão de Afogados da Ingazeira, enaltecendo como um dos melhores gramados do Estado, e parabenizou o diretor do Estádio, Marcio Araújo, o único representante nessa área de gramados do interior de Pernambuco a se fazer presente no Workshop pela manutenção e conservação do gramado do Vianão.

“O segredo para deixar este tapete intacto, apesar das rigorosas chuvas de inverno e da operação intensa, está nos cuidados especiais prestados pela equipe de manutenção da Arena. O trabalho é contínuo, mas o retorno é garantido”, afirmou a gestora de manutenção da Arena de Pernambuco, Cíntia Rafaela.

Por Franklin Portugal*

No último domingo jogaram em Caruaru, em amistoso comemorativo ao Centenário da Patativa, Central e a equipe sub 23 do Corinthians, com as presenças ilustres dos ex-jogadores do Timão, Viola e Zenon. Foi um jogo festivo, em que o alvinegro de Caruaru venceu por 2 x 0. Não se sabe até quando um resultado desses faz esquecer a forma desastrosa como o Central foi eliminado da Série D, depois de ter especialmente no jogo da volta contra a Jacuipense da Bahia, três, isso, três gols de vantagem. Mesmo assim não segurou a vaga pra próxima fase.

Mas nesse último domingo, após o jogo, chamou à atenção a declaração do presidente da Patativa, Clóvis Lucena. Sobre o ano que vem “vamos começar tudo de novo”.

Esse “começar de novo” traz sempre a esperança do acerto em 2020, de contrabalançar poucos recursos com um time que funcione. Valendo não só para o Central, como para os demais do interior que tem um Campeonato Pernambucano pela frente.

Pois infelizmente, vemos ano a ano, e como filme repetido, sucessões de erros nos campos de futebol. Preferível seria ver rebaixamentos ou eliminações, afinal é inevitável que isso ocorra, mas que fosse com alto nível, dentro dos acertos que se queria… Ai sim, o começar tudo de novo valeria muito.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas para o blog PE Notícias.

Por Franklin Portugal*

Volto a falar aqui sobre a Copa do Mundo de Futebol feminino porque acho que tem margem para abordar mais. Estamos para concluir as oitavas de final nesta terça às 13h com o duelo entre Itália x China,  e às 16h Holanda x Japão. Infelizmente nossa Seleção ficou pelo caminho diante das francesas, perdemos por 2 x 1, e com o gol da vitória das anfitriãs saindo na prorrogação.

Bem, é sobre nossa Seleção que quero falar mais. Apesar do resultado, é enaltecer e parabenizar essas mulheres que jogaram as partidas com o coração. Foram guerreiras, dava pra ver em campo todo esforço, suor, vontade. Triste que nem sempre o futebol nos retribui com resultados que nos alegrem, mas ver em ação o time do técnico Vadão é testemunhar uma seleção com vários e vários talentos. Daí podemos perguntar: por que não deu pra seguir mais adiante? Por que paramos nas oitavas?

A meu ver, o trabalho com o futebol feminino precisa ser mais e mais aprofundado no País. Sempre tivemos total foco no futebol masculino. Se uma boa carga de energia e boa vontade também forem direcionadas para “as meninas” pelo Brasil a fora, poderemos ver em algum tempo o surgimento de outras Martas, Formigas, Cristianes, Ludmilas. É jogar a semente mesmo, pra colher lá na frente. É preciso paciência e profissionalismo para que nossa Seleção chegue a um nível equiparado das melhores do mundo hoje em dia.

Com talentos, um time não vai depender só da raça, do físico, da força de espírito. São importantes também, claro, mas, sobretudo a técnica vai aparecer e vai pesar mais na balança.

Podemos estar certos: ver nossa Seleção jogar já fez com que várias futuras atletas, que talvez nem saibam disso ainda, possam desabrochar com o coração ansioso, por vestir nossa camisa amarela.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas para o Blog PE Notícias.

Venezuelanos exibem ingressos para jogo de seleção na Copa América Foto: Divulgação/Mineirão

A voz do refugiado Eduard Aponte, de 44 anos, fica até embargada ao contar a experiência que terá neste sábado, no estádio do Mineirão, a partir das 16h, quando Bolívia e Venezuela irão se enfrentar pela última rodada da fase de grupos da Copa América .

— Para ser sincero, será a primeira vez na minha vida que vou assistir a uma partida ao vivo no estádio, afirmou o venezuelano, que está na expectativa de que sua seleção nacional carimbe a classificação para as quartas de final da competição.

— Nós esperamos que nosso país ganhe da Bolívia por 2 a 0, prevê Aponte.

O sonho do venezuelano é conseguir um emprego em Belo Horizonte ou em alguma outra cidade para trazer a mulher e os sete filhos ao país. Um deles já está no Brasil, e trabalha em um supermercado em Manaus.

— Não consegui falar com ele, mas minha filha me contou que ele arrumou emprego, conta ele.

Em seu país, Aponte é pai de quatro garotos e de três meninas. O mais novo está com 7 anos. A mais velha tem 22.

— Já sou avô, diz, com orgulho.

Assim como ele, Alejandro Cardel, de 40 anos, também estreia em um estádio de futebol. E logo em uma arena de Copa do Mundo e assistindo à sua seleção nacional.

— Foi emocionante quando entregaram as entradas, conta Cardel, referindo-se aos ingressos doados pela administração do Mineirão ao grupo de 21 refugiados abrigados na Casa do Migrante, em Belo Horizonte (MG).

O local é mantido pela Providens, órgão da Arquidiocese de Belo Horizonte. Cada refugiado fica abrigado na instituição alguns meses até arrumar um emprego e poder se manter por conta própria.

O primeiro grupo de venezuelanos chegou à capital mineira em fevereiro e já está trabalhando. Os 21 refugiados que estão na casa no momento chegaram há nove dias.

Segundo números divulgados em junho pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), já são 4 milhões de venezuelanos que deixaram o país desde o agravamento da crise econômica local.

Apesar dos problemas extracampo, a Venezuela faz boa campanha na Copa América até aqui, com empates com Peru e Brasil. Uma vitória hoje garante vaga na próxima fase.

Tite, técnico da seleção brasileira Foto: Lucas Figueiredo/CBF / Lucas Figueiredo/CBF

Tite foi de intocável a reles mortal. Nesta quinta-feira, o técnico completa o terceiro ano à frente da seleção justamente quando é alvo de maiores pressões externas e contestações. A data chega durante a Copa América no Brasil, após o 0 a 0 com a Venezuela.

Em 20 de junho de 2016, ele recebia um beijo no rosto do então presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, ganhava uma camisa de presente para sua mãe, Dona Ivone, e proferia aos jornalistas as primeiras palavras no cargo. O salto de qualidade nas atuações da equipe, de forma quase instantânea, alçaram o técnico à condição de ídolo nacional.

Três anos depois, ele deixou a Fonte Nova sob vaias. A seleção só acertou uma finalização a gol em 19 tentativas, encerrando os 100% de aproveitamento do técnico em casa, após 12 jogos. Sem provocar o mesmo fascínio de antes, Tite prometeu melhora:

— Temos obrigação, sim, de jogar melhor e ter o resultado. A expectativa é que a seleção evolua no decorrer da competição. Vamos evoluir. Podem me cobrar.

Derrotas são raras, é bem verdade. Em três anos, foram só duas nas 38 vezes que o Brasil entrou em campo — a mais doída para a Bélgica, nas quartas de final da Copa do Mundo. Mas as vaias à seleção nos primeiros jogos na Copa América são o desabafo de uma torcida que espera a rearrumação do time no ciclo que se iniciou após a eliminação na Rússia. Dos titulares na Fonte Nova, oito são convocados desde que Tite assumiu. O trabalho não está começando do zero.

Quebra-cabeça no ataque

Por enquanto, a retomada das boas atuações não vingou, especialmente no ataque. As tentativas quase desesperadas de variação contra a Venezuela apontam que ainda não há uma confiança cega em uma formação ofensiva. Com o desempenho ofensivo irregular, a equipe corre risco até de terminar em terceiro no Grupo A.

Para ser primeiro sem depender de outros resultados e cruzar com um adversário teoricamente mais fácil nas quartas de final, o Brasil enfrentará o Peru, na sexta-feira, na Arena Corinthians, com a obrigação de vencer.

O time ideal, sobretudo pela ausência de Neymar, ainda é um quebra-cabeça em processo de montagem. O atacante, por si só, mexeu com as bases da seleção pelo comportamento em campo e pelos problemas fora dele. O técnico apostou no craque como capitão, mas ficou na parede diante de um soco dado pelo jogador em um torcedor e lhe tirou a faixa. Mas nem o episódio fez com que Tite deixasse de derramar elogios a Neymar. A cortesia se estende ao pai do jogador.

Defensor de trabalhos a longo prazo, Tite também se vê num cenário de dificuldade para reencontrar o ponto de equilíbrio no meio. Nomes importantes ficaram pelo caminho, como Paulinho e Renato Augusto. O momento atual demanda adaptação a um esquema tático novo, já que o 4-1-4-1 deu lugar ao 4-2-3-1, e a busca pelo sucesso da conexão entre o que Tite tem na cabeça e a prática da seleção com novatos.

Na criação, Coutinho ganhou liberdade. Ele e Richarlison foram os que mais vezes estiveram em campo no momento em que os gols do Brasil saíram no pós-Copa: em 12 jogos, 21 dos 28 gols. Olhando o cenário geral desde a chegada de Tite, Coutinho é o terceiro principal artilheiro da seleção, com 12 gols, ficando atrás de Neymar (14) e Gabriel Jesus (16).

Defesa a Fernandinho

Além da queda de desempenho da seleção, Tite nestes três anos comprou o barulho de Fernandinho e acumula desgaste por isso. O treinador convenceu o volante a voltar ao grupo depois de ele pedir afastamento após a eliminação na Rússia. Na estreia na Copa América, Fernandinho foi titular. Contra a Venezuela, a entrada dele no segundo tempo foi o estopim para intensas vaias: a torcida esperava mexida mais ousada.

Tite também tem sido um valioso porta-voz para a CBF. E isso se viu no primeiro dia de trabalho, esquivando-se de perguntas sobre Del Nero. Embora veja crescer o fim do encantamento do torcedor com o técnico, a entidade não dá sinais de demissão. O presidente Rogério Caboclo assegura a manutenção de Tite até 2022: por não querer jogar por terra o discurso de continuidade e também por falta de um substituto à altura.

O cenário aponta mais três anos de Tite na seleção.

ctv-rje-mega

Uma aposta feita em Osasco, na região metropolitana de São Paulo, acertou todas as dezenas do sorteio da Mega-Sena desta quarta-feira (19), e levou o prêmio de R$ 124,2 milhões.

Os números sorteados foram: 08 – 09 – 10 – 24 – 42 – 44.

Outras 255 apostas acertaram a quina e faturaram R$ 22,7 mil e 15.769 acertaram a quadra, com prêmio de R$ 524. 

O sorteio 2.161 encerrou uma sequência de sete sorteios anteriores que não haviam tido ganhador, permitindo o acúmulo do prêmio. O próximo concurso será realizado no sábado (22), e pode distribuir R$ 2,5 milhões em prêmios. A probabilidade de uma aposta única, no valor de R$ 3,50, acertar as dezenas sorteadas é de uma em 50 milhões, segundo dados da Caixa Econômica Federal. 

Por Franklin Portugal*

Vivemos um período em que a mulher tem se afirmado mais e mais, buscado seu espaço como justo é, mostrando competência em diversas carreiras. Não mais é tempo de se esconder, ficar apenas atrás de um fogão – não que seja indigno para quem o escolheu assim fazer, afinal, é mais uma das facetas femininas de muito prestígio vale dizer. Mas, tudo isso pra dizer que a evolução da mulher através do tempo calhou de vir parar nos campos de futebol.

E cá estamos nestes dias a torcer por nossas representantes na Copa do Mundo Feminina na França. É um mundial, é tal qual quando é pra eles, assim estamos na euforia mandando vibrações positivas para “nossas meninas”, Marta e companhia, e assim vai.

Hoje tem jogo, o terceiro deste mundial para o Brasil, será contra a Itália, às quatro da tarde. Até aqui a Seleção tem uma vitória diante da Jamaica por 3 x 0, e uma derrota doída para a Austrália, 3 x 2 de virada. Mais uma vez o mundo todo vai olhar, e nós brasileiros, e ainda mais Pernambucanos, do litoral ao imenso Sertão nosso.

Mesmo sem ter garantida ainda a classificação para próxima fase, este mundial mais uma vez escreve história; uma história valiosa e que serve de exemplo para tantas mulheres que ainda desconhecem sua força, sofrem por discriminação, vivem atreladas as pessoas que lhes pagam com violência a cada dia.

A Marta que saiu do interior de Alagoas acreditou em si e hoje é uma de nossas esperanças na França, e que o técnico Vadão tenha sorte e bom trabalho, e que Marta, seis vezes a melhor do mundo apontada pela Fifa, esteja inspirada e inspirando também.

Que o futebol portanto seja sempre também muito, muito bendito entre as Mulheres.

*Franklin Portugal é repórter da TV Asa Branca – Afiliada Globo em Caruaru – e colabora semanalmente com crônicas esportivas para o Blog PE Notícias.

Saiba como é calculado o prêmio da Mega-Sena

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.160 da Mega-Sena, sorteadas neste sábado (15) em São Paulo (SP). O prêmio acumulou.

As dezenas sorteadas foram: 01 – 19 – 46 – 47 – 49 – 53.

A quina teve 116 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 49.024,59. Outros 9.486 apostadores acertaram a quadra; cada um receberá R$ 856,42.

O próximo concurso (2.161) será na quarta-feira (19). O prêmio está acumulado em R$ 125 milhões.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até às 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Brasil encara a Bolívia no primeiro desafio da Copa América

A partir das 21h30 desta sexta-feira o técnico Tite terá uma sequência de obstáculos a superar para garantir a permanência no comando da seleção brasileira, assim como acabar com o jejum de títulos continentais da equipe. A estreia da Copa América contra a Bolívia, no Morumbi, marca o início de uma jornada de muita expectativa e pressão sobre o treinador.

Diante de um rival fraco, dentro de casa e com a experiência de estar há três anos na função, o técnico da seleção brasileira vai em busca de conquistar confiança tanto para a equipe como para o próprio trabalho. A boa campanha nas Eliminatórias para a Copa de 2018 deu lugar no último ano a atuações instáveis e a incerteza se de fato Tite está mantido no cargo até o Mundial do Catar.

“Para mim a pressão é diária, mas ao mesmo tempo ela me dá confiança e senso de equipe”, disse o treinador. Tite admite ter responsabilidade extra por se tratar de uma competição disputada dentro de casa. “Não dá para fugir (da cobrança). Mas temos a consciência de que é preciso construir etapas para o título”, comentou.

O caminho de Tite nesta Copa América é na verdade o passo inicial rumo ao projeto da Copa do Catar. Pela primeira vez em 40 anos um técnico da seleção brasileira ganhou sobrevida no cargo após a disputa de um Mundial, mas o comandante encara o primeiro torneio oficial após a derrota na Rússia em um cenário de intensas mudanças.

Um dos auxiliares, Sylvinho, deixou a comissão técnica para dirigir o Lyon, da França, e o coordenador de seleções Edu Gaspar deve assumir um cargo no Arsenal ao fim da Copa América. Tite descarta se sentir ameaçado. “O ciclo determinado pelo presidente da CBF (Rogério Caboclo) é até 2022. É com isso que eu trabalho”, afirmou.

Se existe uma grande pressão sobre o treinador, ao mesmo tempo a muito otimismo. As atuações ruins em alguns amistosos após a Copa, como um empate com o Panamá, contrastam com um histórico extremamente favorável. O Brasil ganhou as quatro edições anteriores de Copa América disputadas em casa, nas últimas Eliminatórias derrotou todos os rivais sul-americanos e mesmo sem Neymar, a equipe se sente confiante.

“O Brasil, independentemente da competição, é favorito e está obrigado a jogar bem e vencer. Mesmo sem o Neymar, nossa principal estrela, continuamos fortes, sem dúvida. Os jogadores que entraram demonstraram isso nos últimos jogos”, afirmou o volante Casemiro.

Segundo Tite, o assunto Neymar não repercute mais na seleção brasileira. O treinador afirmou que os jogadores assimilaram a ausência do principal jogador e negou considerar benéfico perder Neymar por lesão enquanto o camisa 10 se defende de acusações por estupro e agressão. “Eu não gostaria nunca de não ter Neymar. Ele é um dos top 3 do mundo. Eu nunca queria passar por essa situação”, disse. 

Tite tentou tirar a pressão dos jogadores e pediu para ignorarem o peso da estreia. “Esses jovens precisam de confiança, de alegria, para poder produzir o que fazem nos clubes”, disse.  

Cartela da Mega-Sena Foto: Agência O Globo

Nenhum apostador acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas nesta quarta-feira em São Paulo (SP). O prêmio acumulou para o próximo sábado podendo chegar a R$ 115 milhões. 

As dezenas sorteadas foram: 14 – 26 – 35 – 38 – 45 – 53.

Ao todo, 170 apostadores acertaram a quina e cada um vai receber R$ 27.678,48. Outros 9.781 ganharam a quadra e vão receber R$ 687,24. 

As apostas mínimas da Mega-Sena custam R$ 3,50 e podem ser feitas até às 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio.