Policial

No Estado, foram apreendidos, no total R$ 5 mil em notas falsas / Foto ilustrativa: Daniel Isaia/Agência Brasil

Área de inteligência da PF descobriu que falsários em São Paulo, ainda não identificados, enviaram remessas de cédulas falsas para diversas cidades do País. Uma das prisões ocorreu na Encruzilhada, Zona Norte do Recife

A Polícia Federal prendeu em flagrante, em Pernambuco, duas pessoas que receberam cédulas de dinheiro falsas pelos Correios. A área de inteligência da PF descobriu que falsários em São Paulo, ainda não identificados, enviaram remessas de cédulas falsas para diversas cidades do País.

A primeira remessa foi retirada no bairro da Encruzilhada, Zona Norte do Recife, no último dia 7. Um estudante foi surpreendido quando retirava a encomenda na agência dos Correios. Após abrir o pacote, os policiais federais encontraram 40 notas de R$ 100, totalizando R$ 4 mil.

O segundo flagrante ocorreu nesta segunda-feira (18), desta vez na casa da destinatária, uma técnica em administração. Com ela, foram encontradas 50 cédulas falsas de R$ 10 e cinco de R$ 100, totalizando R$ 1 mil.

Ambos foram levados para a Superintendência da Polícia Federal no Cais do Apolo e autuados pelo crime de adquirir moeda falsa. Em caso de condenação, podem pegar de 3 a 12 anos de reclusão, além de multa.

Após a autuação, os presos passaram por exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal e foram encaminhados para audiência de custódia, sendo liberados. Eles irão responder ao processo na Justiça Federal, em liberdade.

A Polícia Federal em Pernambuco informou que mais detalhes serão divulgados na manhã desta terça-feira (19)

Cuidados com dinheiro falso

Segundo a Polícia Federal, o cuidado deve ser redobrado com as notas de valores mais altos, cuja falsificação é mais lucrativa. Por isso, a orientação para os comerciantes é não ter pressa no atendimento, prestando bastante atenção à nota. É preciso conhecer bem as características das cédulas verdadeiras, já que, apesar de muitas falsificações serem grosseiras, outras se parecem muito com o dinheiro original. Continue reading

Imagem

Um homem que conduzia uma caminhonete roubada foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-232, em Sertânia, no Sertão de Pernambuco. O suspeito estava em uma caminhonete e saiu da rodovia para fugir da fiscalização, mas foi abordado pelos policiais em uma das ruas do município.

Segundo a PRF, na abordagem foi identificado que o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) apresentava indícios de falsificação. Também foi constatado que a caminhonete havia sido roubada em novembro de 2016, em Cachoeirinha, no Agreste.

O motorista informou que havia adquirido o veículo por R$35 mil e ainda estava pagando pelo automóvel. Ele foi detido e encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Arcoverde, que vai investigar o caso.

60 policiais civis executam a ação, que também conta com o apoio de policiais militares / Foto: Reprodução / Google Maps

JC Online

A Polícia Civil de Pernambuco desencadeou a 93ª Operação de Repressão Qualificada do ano, denominada Lajeiro, neste domingo (17), com o objetivo de desarticular organizações criminosas voltadas para a prática dos crimes de homicídio, tráfico de drogas e associação criminosa.

Durante a operação, foram cumpridos 22 mandados de prisão e 12 de busca e apreensão domiciliar, expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Lajedo, no Agreste de Pernambuco.

60 policiais civis executam a ação, entre delegados, agentes e escrivães. O efetivo conta ainda com a participação de policiais militares em parceria com o 11º batalhão da Polícia Militar de Garanhuns.

Um motorista, de 22 anos, foi detido nesta sexta-feira (15), na BR 423, em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. Ele portava um revólver calibre 38, municiado, mas não possuía o documento de posse ou porte obrigatório da arma.

O flagrante foi realizado no quilômetro 94 da rodovia, durante a abordagem a um carro ocupado apenas pelo condutor. A arma foi encontrada no interior do veículo, que não possuía registro de roubo. O homem informou que havia cumprido pena por roubo e utilizava a arma para defesa pessoal. Ele foi detido e encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Garanhuns, para a continuidade dos procedimentos legais.

O homem foi preso pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) na nessa quarta-feira (14) / Foto: Reprodução/Google

Um representante comercial de 50 anos foi preso pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil de Pernambuco na noite dessa quinta-feira (14) suspeito de forjar o próprio sequestro para extorquir a família. De acordo com o GOE, familiares do homem haviam procurado a polícia para informar o desaparecimento do representante comercial após receberem mensagens que afirmavam que o parente havia sido sequestrado.

Ainda segundo os policiais, o homem havia saído de casa no domingo (10) para levar a esposa ao local onde ela faria a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não voltou para sua residência no Recife. De lá, o homem seguiu em um carro para a Paraíba, onde comprou um chip telefônico para enviar mensagens aos familiares sobre o falso sequestro.

Da Paraíba, o representante comercial foi para o Estado de Alagoas, onde ficou hospedado em uma pousada durante cerca de uma semana, até ser encontrado pela polícia, após as investigações.

Crimes

Na sede do GOE, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, o homem preferiu não falar com a imprensa. O suspeito foi liberado na manhã desta sexta-feira (15), após audiência de custódia. E deve responder por falsa comunicação de crime e extorsão. Se condenado poderá pegar penas que, somadas, ultrapassam 10 anos de reclusão.

O novo bafômetro será utilizado na operação Proclamação da República, nas rodovias federais de Pernambuco / Foto: Divulgação/PRF

Pela primeira vez em Pernambuco, o novo bafômetro, chamado de etilômetro passivo, será utilizado na fiscalização dos condutores. A ocasião será a operação Proclamação da República, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que tem início nesta quinta-feira (14) e segue até o próximo domingo (17). O equipamento é capaz de detectar se o condutor fez uso ou não de bebida alcoólica por aproximação, em apenas alguns segundos.

Diferentemente do bafômetro tradicional, o aparelho não necessita da utilização de bocal, que custa aproximadamente R$ 1,50. O etilômetro passivo funciona da seguinte maneira: o condutor, após ser abordado pelo policial, deve falar em frente ao equipamento. Se o resultado for uma luz verde, o motorista é liberado. Se for vermelha, a pessoa deverá realizar o teste no bafômetro tradicional.

Segundo a PRF, o etilômetro servirá como uma triagem, visto que o teste com ele dura de 5 a 10 segundos, enquanto o bafômetro tradicional demora cerca de dois minutos. O novo aparelho, no entanto, não detecta a quantidade de álcool ingerido, apenas a presença ou não da substância no organismo. 

Multa por embriaguez na direção

O motorista que for flagrado dirigindo depois de ter feito uso de bebida alcoólica estará sujeito à multa no valor de R$ 2.934, suspensão do direito de dirigir por 12 meses e poderá ser levado para a delegacia, dependendo da quantidade de álcool ingerida. A PRF ainda destaca que, durante a operação Proclamação da República ainda serão feitas verificações de documentação pessoal e do veículo, o uso do cinto de segurança, entre outros pontos de fiscalização. O órgão também vai realizar ações educativas. No ano passado, durante o mesmo período, foram registrados 61 acidentes nas rodovias federais, com 59 feridos e cinco mortes.

Novos bafômetros

Os novos equipamentos começaram a ser distribuídos no Brasil em julho deste ano. O primeiro Estado a receber os etilômetros passivos foi o Rio de Janeiro. Diferentemente do bafômetro comum, o passivo não indica a quantidade da substância no organismo do condutor, apenas a presença ou ausência. Por isto a necessidade do motorista passar pelo bafômetro antigo após um teste positivo para ingestão de álcool no novo aparelho.  

Ronda JC

O déficit de delegados para comandar as investigações dos crimes em Pernambuco parece um desafio difícil de vencer. Apesar da promessa do Governo do Estado, atualmente 34 municípios do Interior não contam com titulares para presidir as investigações. E a única solução encontrada pela Polícia Civil, até hoje, é criar portarias exigindo que delegados de outras cidades acumulem os inquéritos dos locais onde não há titulares.

O levantamento foi obtido pelo Ronda JC via Lei de Acesso à Informação.

O delegado André Beltrão, por exemplo, é titular da Delegacia de Macaparana. Mas também está responsável pelos inquéritos de São Vicente Férrer. Ou seja: tem dia que está em um município, tem dia que pode estar em outro.

Em Sirinhaém, quem comanda a delegacia é o delegado Marcos de Castro. Mas ele também precisa dar expediente em Rio Formoso. Vive a mesma situação de se desdobrar para dar conta de duas unidades. O delegado Guido Lins é titular de Pesqueira. E também acumula a Delegacia de Poção.

Esses são apenas alguns exemplos. Mas, na prática, cerca de 30 delegados vivem essa rotina de viajar para outras cidades na tentativa de minimizar a falta que faz um delegado titular.

Confira a lista dos municípios que não contam com delegados titulares:

Arcoverde, Itaíba, Tupanatinga, São Vicente Férrer, Rio Formoso, Jaqueira, Belém de Maria, São Benedito do Sul, Lagoa dos Gatos, Barra de Guabiraba, Tacaimbó, Poção, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Brejão, Terezinha, Manari, Iguaracy, Santa Terezinha, Solidão, Ingazeira, Quixaba, Triunfo, Calumbi, Jataúba, Carnaubeira da Penha, Salgueiro, Serrita, Ouricuri, Santa Cruz da Mata, Granito, Orocó, Dormentes, Serra Talhada.

POLÍCIA CIVIL NÃO SE PRONUNCIA

Desde a última sexta-feira (08), o Ronda JC solicitou uma entrevista com o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle, ou um posicionamento oficial sobre o problema. Até a publicação da matéria, na manhã desta quarta-feira (13), nenhuma resposta foi dada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Itamaracá

Do JC Online

O secretário de Finanças de Itamaracá, Erival José Salgueiral da Silva Júnior, foi preso na manhã desta terça-feira (12) pela Polícia Civil de Pernambuco durante operação denominada Pasárgada, que visa desarticular uma organização criminosa formada por funcionários públicos acusados de cometer crimes como peculato e fraude a licitação.

Segundo a delegada do caso, Isabela Veras Porpino, todos os crimes estão relacionados à atual gestão de Itamaracá. A investigação iniciou-se em fevereiro de 2019, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TEC), tendo por objetivo desarticular grupo criminoso voltado para a prática dos crimes de: Durante a operação, são cumpridos 12 mandados de prisão temporárias e preventivas, além de 11 mandados de busca e apreensão domiciliar nas cidades do Recife, Gameleira, Amaraji, Itamaracá, Ribeirão e em Tamandaré.

Todos expedidos pela Vara Única da Comarca de Itamaracá. Os detidos estão sendo levados para o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco).

Efetivo

Na execução, foram empregados 60 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Carta Marcada Um dos mandados de prisão foi cumprido no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, contra o ex-secretário de Finanças de Itamaracá, Geraldo Júnior, preso no início de agosto deste ano na operação Carta Marcada.

Um homem, de 30 anos, foi preso com uma motocicleta clonada e documento falsificado, pela Polícia Rodoviária Federal nesta segunda-feira (04), na BR 232, em Sertânia, no Sertão de Pernambuco. A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estava vencida desde 2017 e o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) adulterado. 

O flagrante aconteceu no quilômetro 277 da rodovia, durante uma fiscalização. Ao abordar uma motocicleta, o condutor logo se identificou como sendo aluno aprovado no concurso de formação da Polícia Militar de Pernambuco e que estava atrasado para  poder ser apresentar para as aulas com o intuito de se esquivar a fiscalização.

Após consultas aos sistemas da PRF, verificou-se que o licenciamento estava atrasado, tendo o condutor alegado que não pagou o imposto, devido a gastos com as etapas do concurso. Afirmou ainda, que possui a motocicleta há dois anos e por ela pagou a quantia de R$ 10.000,00.

O motorista apresentou um certo nervosismo, chamando a atenção dos policias rodoviários federais, que optaram por realizar uma vistoria mais detalhada na moto. Após identificação veicular, constatou-se que se tratava de um veículo clonado e que o CRLV apresentado estava adulterado. Constava como se o veículo estivesse licenciado pelo estado de Minas Gerais, mas, na verdade, seu registrado pertence ao município de Buriti Alegre, no estado de Goiás.

O homem foi detido e encaminhado junto com a motocicleta para a Delegacia de Polícia Civil de Sertânia que irá investigar o caso. Com informações da Assessoria de Comunicação da PRF.

Onze vereadores e um contador da Câmara Municipal de Santa Rita, na Paraíba, foram presos na madrugada desta terça-feira (05), suspeitos de terem desviado dinheiro público com o objetivo de custear despesas provenientes de uma viagem para Gramado, no Rio Grande do Sul. Apenas em diárias, foram gastos R$ 69 mil. Os suspeitos foram detidos durante a operação Natal Luz, realizada pela Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB). 

O delegado Allan Terruel afirmou que a operação teve início logo após o MP suspeitar da viagem realizada pelos vereadores, que utilizaram um seminário como justificativa para o passeio. A operação contou com o apoio da Gaeco da PB e do Rio Grande do Sul, além da Polícia Civil de Sergipe, já que a empresa organizadora da viagem está sediada na cidade. 

Todas as ações realizadas levam a crer que os vereadores realizaram uma viagem de lazer e turismo. O delegado explicou que as atividades dos vereadores e dos acompanhantes foram monitoradas e um levantamento da empresa, que estaria responsável pelo suposto seminário, foi realizado pela Polícia Civil. 

As investigações confirmaram que o evento foi forjado para realizar a viagem com dinheiro público. Os parlamentares foram encaminhados para a Central de Flagrantes em João Pessoa, onde aguardam a audiência de custódia que está prevista para hoje. As informações são do portal G1 Paraíba.

Os suspeitos devem ser transferidos pela PF nesta terça-feira (5) / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Os dois suspeitos de participar do assalto a um carro forte no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo, no mês de outubro, que foram presos na noite do domingo (03), em Caruaru, no Agreste do Estado, devem ser transferidos pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (05) para São Paulo, onde devem ficar presos após terem a prisões confirmadas em audiência de custódia em Pernambuco nessa segunda-feira (04).

De acordo com informações repassadas pela PF, antes de serem presos, Anderson Struziato dos Santos, de 31 anos, e José Edmilson da Silva Viana, 44, estavam escondidos próximo da Feira da Sulanca, na Capital do Agreste.

Além do assalto no Aeroporto de Viracopos, os homens são suspeitos de participar também de uma investida criminosa contra uma empresa de transporte de valores no Paraguai e de crimes contra agências bancárias e transportadoras em São Paulo. Segundo a PF, Anderson e José Edmilson ainda são suspeitos de latrocínios.

Entre os assaltos que podem ter tido a participação dos suspeitos está um que aconteceu em abril de 2016 contra uma empresa de transporte de valores em Santos, no litoral sul paulista. A ação criminosa terminou com três pessoas mortas, dois policiais rodoviários e uma pessoa em situação de rua. Participaram da investida ao menos dez homens fortemente armados invadiram por volta das 4h a Prosegur e fugiram levando cerca de R$ 12 milhões em malotes de dinheiro.

O assalto em Viracopos

Criminosos armados invadiram o terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Viracopos, trocaram tiros com os seguranças e assaltaram a transportadora de valores Brinks, no dia 17 de outubro, em Campinas, no interior de São Paulo. Continue reading

Arma e documento falso foram apreendidos com homem durante abordagem da Polícia Militar em Afogados, na Zona Oeste do Recife, no domingo (3) — Foto: PMPE/Divulgação

G1

Um agente socioeducativo foi preso ao ser flagrado com uma arma e apresentar uma identidade funcional da Polícia Civil falsa durante uma abordagem da Polícia Militar, no domingo (03). Segundo a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), ele é agente socioeducativo desde 2015. O caso aconteceu no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife, e foi divulgado nesta segunda-feira (04).

Uma equipe do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) fazia uma fiscalização no bairro e desconfiou da atitude de um motociclista. Os policiais fizeram a abordagem e, durante a revista, encontraram uma pistola calibre 380 com 18 munições.

Quando a arma foi localizada, segundo a PM, o suspeito apresentou uma carteira funcional de agente da Polícia Civil de Pernambuco, mas não soube informar o número da própria matrícula ao ser questionado. A equipe, então, fez uma consulta via Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods) e constatou que ele não fazia parte da corporação.

Em nota, a Funase apontou que o funcionário não é concursado e foi admitido em 2015, em regime de contrato temporário. Ainda segundo o texto, ele não estava a serviço da fundação no momento da prisão. Por meio da Corregedoria, a Funase informou que “tomará todas as medidas administrativas cabíveis para o caso”.

Dinheiro que estava com suspeito foi apreendido

Um assaltante de 35 anos, considerado um dos mais procurados do país, foi preso na noite desse domingo (03) em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Segundo informações da Polícia Federal (PF), ele estava escondido nas proximidades da Feira da Sulanca.

Ainda de acordo com a PF, ele é suspeito de participar de crimes contra agências bancárias e assaltos a transportadoras de valores em São Paulo. Além disso, também há suspeita de que ele teria participado do assalto a um carro forte no aeroporto de Viracopos, em Campinas, no estado de São Paulo.

Ele teria usado documentos falsos que possibilitaram a fuga de avião. A Polícia Federal acredita que ele planejava assaltar bancos em Pernambuco. Com ele, estavam quase R$ 300 mil em dinheiro, possivelmente proveniente de assaltos.

O suspeito foi autuado por estar com documentos falsos. Havia um mandado de prisão contra ele em São Paulo. Ele será apresentado na audiência de custódia. As informações são do NE10.

Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal (PE) prendeu em flagrante uma agricultora de 21 anos quando ela retirava R$ 1 mil em notas falsas adquiridas pela internet em uma agência dos Correios de Limoeiro, no Agreste de Pernambuco. Martinelly Maria Gomes do Nascimento foi encaminhada à audiência de custódia, onde foi liberada para responder em liberdade.

De acordo com a PF, o flagrante ocorreu após a informação de que um suspeito não identificado teria enviado remessas de cédulas falsas para várias localidades do Brasil, entre elas Limoeiro, a partir de uma agência dos Correios de São Paulo. Martinelly foi detida quando deixava a agência com a encomenda na terça-feira (29), mas só divulgado hoje.

Dentro do pacote que a mulher trazia, havia 15 cédulas falsas, sendo cinco de R$ 100 e dez de R$ 50. Em interrogatório, a agricultora disse que as notas não lhe pertenciam, que as entregaria a um terceiro e que o contato com ele se deu através de aplicativo de mensagem. 

Martinelly também relatou aos policiais que é comum a compra de notas falsas pelo Facebook. De acordo com a PF, operações estão sendo realizadas para combater esse tipo de crime. A agricultora vai responder pelo crime de adquirir moeda falsa. 

Uma operação para combater crimes praticados contra a propriedade intelectual foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (1º), em 12 estados: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraíba, Pernambuco, Santa Catarina e São Paulo.

Coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Operação 404 cumpre desde as primeiras horas de hoje 30 mandados de busca e apreensão, bloqueio e/ou suspensão de 210 sites e 100 aplicativos de streaming ilegal de conteúdo, desindexação de conteúdo em mecanismos de busca e remoção de perfis e páginas em redes sociais.

Segundo o ministério, o nome da operação, denominada 404, faz referência ao código de resposta do protocolo HTTP para indicar que a página não foi encontrada ou não está disponível.

As ações para o cumprimento das medidas judiciais estão sendo executadas pelas policias civis dos 12 estados.