Policial

A chamada lista da morte que circula em Chã Grande, a 82 quilômetros do Recife, desde 2016, voltou a aterrorizar a população de cerca de 22 mil habitantes. É que no último final de semana foi morta mais uma pessoa marcada para ser assassinada. A vítima foi o adolescente José Moisés Avelino, 17 anos. Até agora, dez pessoas que tiveram os nomes divulgados em duas listas já foram executadas. Há quinze dias, um outro jovem listado, com 18 anos, sofreu um atentado a tiros, mas sobreviveu.

A primeira lista foi divulgada na parede do cemitério da cidade. Na mesma havia nomes e apelidos das pessoas visadas para morrer. Desta primeira divulgação, sete pessoas das 19 já morreram. Em março do ano passado, uma nova lista foi divulgada, desta vez em uma escola abandonada no centro de Chã Grande. Três pessoas da divulgação mais recente foram assassinadas.

Um áudio que circula até hoje pelo WhatsApp entre a população traz uma gravação com a voz de um homem relatando as ameaças contra as pessoas da lista. “Quero pegar aquela raça safada que está fazendo mal ao povo”, diz a voz anônima. Segundo a polícia, alguns dos mortos têm envolvimento com o tráfico de drogas. Com informações do Diário de Pernambuco.

Delegado Fauzer Palitot, titular da Delegacia de Estelionato, no Recife, investiga casos de golpes em vendas de carros online — Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil investiga uma série de golpes nas vendas de veículos praticados através de sites e aplicativos de compra e venda. Segundo o delegado Fauzer Palitot (foto), titular da Delegacia de Estelionato, desde novembro, 25 pessoas já caíram no golpe. As vítimas perderam de R$ 40 mil a R$ 100 mil. Investigações apontam para uma quadrilha com atuação interestadual.

O delegado explica que o golpe tem início quando o criminoso vê um anúncio de venda de um carro. Ele, então, conversa com o anunciante e diz que vai querer comprar o veículo. Por isso, pede que o vendedor retire imediatamente o anúncio do ar e envie as fotos do carro para ele via mensagem.

Em seguida, através de uma conta falsa nos aplicativos de compra e venda, o estelionatário faz um anúncio com as fotos do carro dessa pessoa, fingindo ser o dono do veículo, inclusive com mesmo nome. A oferta de venda é feita com um valor bem abaixo do mercado e do que foi pedido anteriormente pelo real dono.

“Ele [o falso vendedor] me ofereceu um caminhão por R$ 106 mil. Eu tentei baixar o preço para R$ 100 mil e ele aceitou. Era um veículo novo e com baixa quilometragem, pelas fotos que ele me enviou. Não achei que estivesse caindo num golpe”, conta o empresário João Bosco Santana, uma das vítimas.

“Ele não pechincha. E essa é mais uma dica para o consumidor ficar um pouco mais atento. Não há pechincha. Ele dá a palavra de que vai ficar com o carro naquele valor e, para uma terceira pessoa, um pretenso comprador, ele diminui o valor do bem para que isso ocorra de uma forma mais rápida”, explica o delegado.  

Durante a negociação, o estelionatário passa uma conta bancária em nome de uma terceira pessoa para o comprador, alerta Palitot. Em cada caso, ele conta uma história diferente do motivo de a conta não ser no mesmo nome do dono do veículo. Muitas vezes, o cliente não vê o veículo antes do depósito.

“Esse pretenso comprador realiza o depósito nessa terceira conta e aí acontece o estelionato. Quando vai haver a entrega do bem, eles [o primeiro anunciante e a vítima] descobrem que, na verdade, foi uma terceira pessoa que ficou com o dinheiro do comprador”, explica Palitot.

Segundo o delegado, essas contas são abertas com documentos falsos extraviados em diversos estados do país, como Maranhão, Rio de Janeiro e Paraíba, além de Pernambuco. “As investigações apontam que existe uma quadrilha, por conta dessa grama de contas bancárias que estão espalhadas por todo o país”, diz.

O delegado explica que, em muitos casos, o vendedor do carro chega a receber por WhatsApp um falso comprovante de pagamento. Assim, o anunciante acredita que vendeu o veículo por um valor, o verdadeiro comprador pagou um valor bem abaixo, mas quem recebeu o dinheiro foi o estelionatário.

Na maioria dos casos registrados pela polícia, o golpe tem valores que variam de R$ 40 mil a R$ 60 mil, “por serem mais acessíveis”, segundo o delegado Palitot. No entanto, há registros de vítimas que perderam até R$ 100 mil.

Como evitar

Palitot explica que há maneiras de identificar se aquela negociação online é perigosa ou não. Entre as dicas dadas pelo delegado para evitar cair em um golpe como esse, está não comprar veículos ou realizar depósitos em contas que não estejam no nome do vendedor, além de ver o carro antes de fazer qualquer pagamento.

“O primeiro ponto seria não aceitar nenhum tipo de intermediação. Porque [nos golpes] o carro está sempre em nome de outra pessoa, que é de fato o anunciante, e aí ele cria uma história que vai variando de casa caso para justificar porque o carro não está no nome dele”, afirma Fauzer Palitot.

Outra atitude que merece desconfiança é o fato de alguém comprar um carro sem fazer nenhuma negociação no valor do veículo.

“Se você é o anunciante e a pessoa está dizendo que tem interesse em comprar, é muito estranho que uma pessoa chegue para você e diga sem nenhum tipo de negociação que vai ficar com aquele bem. E mais estranho ainda, nesse golpe específico, ele pedir para que você retire imediatamente seu anúncio e envia as fotos do seu carro para ele para o WhatsApp dele”, afirma o delegado.

Uma outra opção é que o interessado em comprar o veículo vá até uma Delegacia de Polícia com a placa do carro. Nas DP’s é possível consultar quem é o verdadeiro dono do veículo.

Denúncias sobre casos de golpe podem ser feitas em qualquer delegacia próxima à casa da vítima. Em casos de prejuízos de mais de 40 salários mínimos, as investigações são encaminhadas para a Delegacia de Estelionato e a denúncia também pode ser realizada no local. Com informações do G1PE.

A fraude foi identificada pela Funape, que já havia sido notificada do óbito da idosa / Foto: Cortesia/Polícia Civil

Uma mulher foi presa após tentar sacar, pelo segundo mês, R$ 25 mil do benefício de aposentadoria da mãe, que já havia falecido. O flagrante aconteceu nessa quarta-feira (09), na sede Fundação de Aposentadorias e Pensões dos Servidores do Estado de Pernambuco (Funape), no bairro do Derby, na área central do Recife.

A fraude foi identificada pela Funape, que já havia sido notificada do óbito da idosa, por meio do Sistema de Controle de Óbitos Nacional. De acordo com Tatiana Nóbrega, presidente da Fundação, Terezinha Maria Vasconcelos Melo, de 63 anos, havia feito o saque do benefício portando um falso atestado como prova de vida da genitora.

“Mensalmente fazemos um confronto de informações dos beneficiários, por meio de um convênio com a Secretaria da Previdência, onde temos acesso ao banco de dados nacional e aos atestados de óbitos”, esclareceu Tatiana.

Na checagem mensal, foi identificada a retirada do benefício da aposentada dias após sua morte, em outubro do ano passado. “Assim que constatamos a fraude, bloqueamos a conta e procuramos a polícia”, conta a presidente da Funape.

A delegada Viviane Santa Cruz, responsável pela operação, conta que, no momento do flagrante, Terezinha continuou afirmando que o documento de vida era verídico, mesmo a equipe de investigação tendo em mãos a certidão de óbito. “O que nos chamou a atenção foi que o documento tinha folhas originais, validado em cartório. Tudo constava para ser verdadeiro, caso alguém não tivesse acesso à informação oficial da morte da beneficiária”, conta a delegada, que agora segue a investigação para apurar quem gerou o documento falsificado.

Confirmada a inveracidade dos relatos da suspeita, ela foi detida e encaminhada à delegacia, onde foi autuada e presa em flagrante pelo delito.

Direitos legais

Terezinha, que também recebe aposentadoria da Secretaria de Educação, poderia ter direito ao benefício de sua mãe, caso tivesse procurado por meios legais. “Ela teria direito a uma parte da pensão da mãe, incluindo cálculos do 13º, já que a morte ocorreu em outubro, mas infelizmente, optou por este caminho”, pontua Tatiana Nóbrega.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um grupo de “imbecis” em uma mesa de bar emitindo comentários preconceituosos contra nordestinos e nortistas.

Um dos idiotas que compõe o grupo começou agradecendo a Deus pela eleição do presidente Jair Bolsonaro e disse que não vai mais suportar os nordestinos e nortistas. “Eu queria só dizer o seguinte, galera: agora que o Bolsonaro ganhou, graças a Deus, ele vai excluir os nordestinos do grupo. (…) Agora é ‘faca na caveira’…A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, esse pessoal de Roraima, esse pessoal do Nordeste”.

No vídeo outro “asno” também gravou fazendo declarações de ódio aos nordestinos. “Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz!”.

Nenhum deles foi identificado ainda, no entanto a Polícia Civil de Pernambuco, através da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, trabalha para elucidar o fato. Lembrando que Xenofobia é crime previsto pela Lei nº 7.716, de 05 de janeiro de 1989, em seu artigo 1º diz que “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

A pena para esse crime é de até três anos. Disque 100 é o meio para denunciar crimes de xenofobia.

https://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/home-portal/normal/585097735341ebb3891df6e39a3fab5a.jpg

Na manhã desta terça-feira (08), a Polícia Civil deflagrou a 1ª Operação de Repressão Qualificada de 2019. Denominada “Primus”, a ação policial, ligada à Diretoria Integrada Especializada (DIRESP), conta com a atuação de 60 policiais, entre delegados, agentes e escrivães.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações que deram origem à operação começou em julho de 2017. A “Primus” visa prender integrantes de organizações criminosas responsáveis por homicídios, tráfico de drogas, associação para o tráfico, roubo e associação criminosa.

Na operação, estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão domiciliar. Os mandados foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Recife.

Detalhes

Ainda segundo a polícia, os detalhes da operação serão divulgados em entrevista coletiva às 7h, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife.

Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Ouricuri, Sertão de Pernambuco  / Foto: Divulgação/PRF

Um pastor que dirigia um veículo roubado foi detido na noite dessa sexta-feira (04), na BR-316, em Ouricuri, no Sertão pernambucano. O flagrante foi realizado em uma ação integrada da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil.

Segundo uma nota enviada pela PRF, o procedimento de identificação veicular, os policiais descobriram que o veículo possuía registro de roubo e o pastor já havia sido detido pelo crime de receptação de veículo roubado.

Resposta

O pastor informou que o automóvel teria sido recebido como uma doação para a igreja, mas não informou quem havia doado. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Ouricuri, para a continuidade dos procedimentos legais. Com informações do JC Online.

O governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) comandará, nesta sexta-feira (04), o primeiro ato do seu segundo mandato, tendo como foco a questão hídrica, tema que foi amplamente debatido por ele na campanha eleitoral. A primeira atividade do socialista será no Sertão do Moxotó com a assinatura da Ordem de Serviço para o início do Sistema Adutor de Custódia. A intervenção encerrará, quando finalizada, o quadro de pré-colapso no abastecimento de água em que a cidade se encontra, beneficiando 40 mil pessoas. Na ocasião, Câmara estará acompanhado de todos os secretários que compõem a nova equipe de governo.

“As obras de água continuarão sendo uma prioridade no nosso segundo governo. Vamos seguir investindo muito para fortalecer o abastecimento dos pernambucanos que convivem com dificuldades na área. E faço questão de levar todo o meu novo secretariado para a assinatura dessa ordem de serviço para reforçar que o nosso compromisso com a melhoria da qualidade de vida das pessoas tem que nortear o trabalho de todos os servidores do governo de Pernambuco”, destacou Paulo Câmara.

O Sistema Adutor de Custódia será implantado a partir do Reservatório de Moxotó, em Sertânia, na mesma região, e levará água de qualidade para cerca de 40 mil custodienses. Ao todo, serão investidos R$ 31 milhões do Tesouro Estadual. A expectativa é de que as obras sejam concluídas em 12 meses.

A intervenção consiste no aproveitamento da captação no canal de aproximação construído na saída do Reservatório de Moxotó, da Transposição do Rio São Francisco, além da estrutura da Estação Elevatória (EB-01) da Adutora de Moxotó, na qual serão implantadas as bombas do Sistema Adutor de Custódia. Esta Estação Elevatória irá bombear o reforço de água para o sistema de abastecimento da cidade de Custódia, no total de 85 l/s, através de uma tubulação de ferro fundido com diâmetro de 400 mm até a Estação de Tratamento de Água de Custódia.

Para este mesmo empreendimento deverá ser ampliada a Estação de Tratamento de Água para a capacidade de tratamento de até 85 l/s, além da implantação de trechos curtos de Adutoras de Água Tratada que alimentarão os Reservatórios Existentes. Com a entrega da obra, a população da cidade de Custódia terá o fornecimento de água regularizado através de tubulações diretamente para suas residências. Antes da assinatura da Ordem de Serviço, o governador e sua equipe de Governo visitam a Estação Elevatória Rio da Barra, em Sertânia.

Serviços:

10h – Visita a Estação Elevatória Rio da Barra

Local: Bruta 01 – Rio da Barra – Sertânia/PE (às margens da Barragem do Moxotó – Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco)

11h30 – Assinatura da Ordem de Serviço de implantação do Sistema Adutor para a cidade de Custódia a partir do Reservatório do Moxotó

Local: Quadra do Colégio Ernesto Queiroz – Rua Major Esperidião de Sá, S/N, Custódia/PE

No total, estão sendo cumpridos 33 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão / Foto: Reprodução/Polícia Civil

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou cinco Operações de Repressão Qualificada simultaneamente na Região Metropolitana e em Caruaru, no Agreste, na manhã desta quinta-feira (27). A ação, denominada de ‘Pernambuco pela Paz’, tem o objetivo de combater associações criminosas voltadas para homicídios e tráfico de drogas, e que são responsáveis por mais de 70% das mortes violentas em todo o estado.

A megaoperação também tem como foco o combate ao comércio ilegal de arma de fogo. No total, foram expedidos 33 mandados de prisão, sendo 27 cumpridos até o momento. Entre as prisões, três mulheres foram detidas durante a ação.

Outros 27 mandados de busca e apreensão domiciliar também estão sendo cumpridos. De acordo com a Polícia Civil, a ‘Pernambuco pela Paz’ já apreendeu armas e drogas, como crack e cocaína, com a quantidade que ainda estão sendo contabilizadas. 

As cinco operações estão sendo denominadas de: Miracles II, Golden Ball, Beach, Ália, que estão sendo realizadas no Grande Recife, e a Sprint Final, com execução em Caruaru.

Estão sendo empregados nesta mega operação, 240 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Os detidos estão sendo levados para as sedes do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Diretoria Integrada no Interior I (Dinter I). Os detalhes das ações serão divulgados pela Chefia da Polícia Civil ainda na manhã desta quinta.

‘Miracles II’

A 69° Operação de Repressão Qualificada, denominada de ‘Miracles II’, teve suas investigações iniciadas em janeiro deste ano e tem como objetivo prender integrantes de uma quadrilha voltada aos crimes de homicídio, tráfico de drogas, comércio ilegal de armas de fogo e associação criminosa no Grande Recife.

Na operação, estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão e sete de busca e apreensão domiciliar. Todos foram expedidos pela Vara Criminal pela Comarca de Recife.

Foram empregados 45 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ‘Miracles II’ está sendo coordenada pela Diretoria Integrada Metropolitana (DIM) e supervisionada pela Polícia Civil.

‘Golden Ball’

O objetivo desta operação é prender integrantes de uma associação criminosa voltada aos crimes de homicídio, tráfico de drogas, comércio ilegal de armas de fogo e organização criminosa na Região Metropolitana do Recife.

A Golden Ball teve suas investigações iniciadas em junho deste ano e cumpre oito mandados de prisão e três de busca e apreensão domiciliar. Todos foram expedidos pela Vara Criminal pela Comarca de Recife.

Foram empregados 55 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ‘Golden Ball’ está sendo coordenada pela Diretoria Integrada Metropolitana (DIM) e supervisionada pela Polícia Civil.

‘Beach’

A 72° Operação de Repressão Qualificada denominada de ‘Beach’ cumpre cinco mandados de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar.

O objetivo da operação, que teve suas investigações iniciadas em junho deste ano, é prender integrantes de uma quadrilha voltada aos crimes de homicídio, tráfico de drogas, comércio ilegal de armas de fogo e organização criminosa no Grande Recife.

Todos os mandados foram expedidos pela Vara Criminal pela Comarca de Recife.

Na ação, foram empregados 30 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ‘Beach’ está sendo coordenada pela Diretoria Integrada Metropolitana (DIM) e supervisionada pela Polícia Civil.

‘Ália’

Já a 73° Operação de Repressão Qualificada, denominada de ‘Ália’, tem o objetivo de prender integrantes de uma associação criminosa voltada aos crimes de homicídio, tráfico de drogas e associação para o tráfico na Região Metropolitana do Recife.

A operação, que teve suas investigações iniciadas em fevereiro deste ano, cumpre 10 mandados de prisão e quatro de busca e apreensão domiciliar. Todos foram expedidos pela Vara Criminal pela Comarca de Recife.

Foram empregados 40 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ‘Ália’ está sendo coordenada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e supervisionada pela Polícia Civil.

‘Sprint Final’

E em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, a Polícia Civil desencadeou a 69° Operação de Repressão Qualificada, denominada de ‘Sprint Final’. A ação, que teve suas investigações iniciadas em janeiro deste ano, tem o objetivo de prender integrantes de uma organização criminosa voltada para as práticas de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico no município agrestino.

Na operação, estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão e nove de busca e apreensão domiciliar. Todos foram expedidos pela Vara Criminal pela Comarca de Caruaru.

Foram empregados 70 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A ‘Sprint Final’ está sendo coordenada pela Diretoria Integrada no Interior I (Dinter I) e supervisionada pela Polícia Civil. Com informações do JC Online.

Gerson Camata

O ex-governador  Gerson Camata (PMDB-ES) foi assassinado por volta das 17 horas desta quarta-feira, numa calçada em frente a um bar, na Rua Joaquim Lírio, na Praia do Canto, um dos bairros de classe média de Vitória. Segundo uma testemunha disse que ele foi morto com um tiro no peito, próximo à axila esquerda.

O assassino seria um homem magro, baixo e de cabelos brancos. Depois de atirar contra o ex-governador, o assassino atravessou a rua calmamente, levantou a camisa, colocou a pistola na cintura e fugiu do local. Um suspeito já está preso.

— Eu estava numa padaria com minha mulher do outro lado da rua. Iríamos tomar um café. De repente, ouvimos um estampido. Em seguida : vi o ex-senador, com a boca sangrando e os braços encolhidos. Ele caiu na calçada — disse a testemunha, que concordou em fazer o relato do caso com a condição de que não tivesse o nome publicado.

Algumas pessoas se aglomeraram perto do corpo. Uma delas apalpou o pescoço o pescoço, o pulso e disse para outras que Camata ainda estava respirando. Ele teria morrido na ambulância, a caminho do hospital.

O suspeito seria um ex-assessor de Camata. O homem se aproximou do ex-governador, que estava em frente ao bar Motor Rockers, e perguntou sobre o pagamento de uma dívida. Camata teria respondido :

— Isso aí é com a Justiça e com meu advogado.

O homem se afastou um pouco, sacou a arma e disparou.

Suspeito preso

Momentos depois do assassinato de Camata, a polícia prendeu Marcos Vinicius Moreira Andrade (foto), suspeito de matar o ex-governador. Andrade estava há menos de um quilômetro de distância do local do crime. Ele teria sido detido quando retornava para casa.

Ex-assessor de Camata, com quem trabalhou por 19 anos, Andrade denunciou o ex-governador em 2009 por suposto recebimento de propina de empreiteiras, entre elas a Odebrecht, e apropriação de dinheiro de funcionários do gabinete dele, no período em que era senador.

Camata foi eleito governador em 1982. Também foi senador por três mandatos (1987-2011), duas vezes deputado federal (1975-1983) , deputado estadual (1971-1975) e vereador de Vitória (1967-1971). Com informações do Jornal O Globo.

http://www.ricardoantunes.com.br/wp-content/uploads/2018/12/policial-federal-pf-curitiba-20161031-0014.jpg

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Federal, em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU), Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (APEVISA) e Receita Federal do Brasil, desencadeou a “Operação Deadline”, visando apurar suspeita de crimes contra a administração pública relacionada a contratos de fornecimento de medicamentos nas em três prefeituras do litoral Sul Pernambucano. A Polícia Federal não divulgou que prefeituras seriam alvos da Operação, mas o  Blog de Noélia apurou que as prefeituras investigadas seriam as de Sirinhaém, Rio Formoso e Tamandaré.

Relatórios preliminares da CGU apontaram que algumas notas fiscais continham suspeitas de que medicamentos fornecidos estariam com prazo e data de validade vencida quando da expedição das notas quando foram comprados. 

Os gestores desses municípios não são alvos da Operação que tem por objetivo a coleta de provas por meio de buscas e apreensões nas prefeituras investigadas e nos depósitos de medicamentos para confirmar a existência de remédios vencidos nesses locais.

De acordo com a Polícia Federal, a investigação foi iniciada a partir da instauração de inquérito policial há quatro meses, após a PF tomar conhecimento do resultado de auditoria realizada pela Controladoria Geral da União (CGU), que constatou irregularidades em licitações e na execução de contratos que contavam com aporte de recursos federais do Sistema Único de Saúde. 

Uma distribuidora de medicamentos sediada em Recife cujo nome ainda estamos apurando, é fornecedora dos três municípios investigados há pelo menos cinco anos. Documentos fiscais expedidos pela empresa referentes a vendas para esses municípios continham inconsistências que levantaram suspeitas de prática de desvios de recursos públicos ou fornecimento de mercadoria em condições impróprias para consumo, o que configuraria crime contra as relações de consumo.

Os contratos firmados durante os exercícios de 2013 a 2018 entre as empresas e os três municípios sob investigação somaram mais de R$ 12 milhões. Para o cumprimento de mandados de busca e apreensão em sete endereços, foram alocados cerca de 60 policiais, auditores e técnicos dos órgãos participantes.

Os crimes que estão sendo investigados são peculato, crime contra as relações de consumo e os previstos na lei de licitações, cujas penas podem chegar a 17 anos de reclusão. Coletiva de imprensa será às 14h na sede da Polícia Federal onde serão dados mais detalhes sobre as investigações.

Em decisão unânime, um júri formado por cinco homens e duas mulheres selou, na noite deste sábado (15), o destino dos três réus que ficaram conhecidos em todo o país como os “Canibais de Garanhuns”. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva foram condenados pelas acusações de duplo homicídio triplamente qualificado, ocultação e vilipêndio de cadáver e de furto qualificado. O juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti começou a proferir a sentença às 22h50.

Jorge pegou 71 anos de reclusão, enquanto Isabel, 68. Bruna, que também respondia por falsidade ideológica, recebeu 71 anos e 10 meses. Somadas as punições, o trio foi condenado a 210 anos de prisão. A defesa dos condenados já recorreu da decisão. Concordando com a denúncia do Ministério Público e da Polícia Civil de Pernambuco, os jurados consideraram que os três acusados realmente mataram, esquartejaram, enterraram e comeram parte da carne dos corpos de Giselly Helena da Silva, 31 anos, e Alexandra Falcão, 20 anos. Os crimes foram cometidos em fevereiro de 2012, na casa que o trio morava em Garanhuns, no Agreste pernambucano. A sentença ocorreu após dois dias de julgamento.

Menos de oito horas após ameaçar de morte o presidente eleito, Jair Bolsonaro, um homem foi preso, nesta quarta-feira (12), em Porto de Galinhas, no litoral sul de Pernambuco. As informações são do programa “Tolerância Zero”. A prisão foi realizada pelo Departamento de Repressão ao Narcotráfico de Pernambuco (Denarc).

Em um vídeo postado nas redes sociais, o suspeito, que não teve a identidade revelada, xinga o capitão da reserva do Exército e diz que vai matá-lo. “Você num (sic) vai liberar tudo, né? Libera isso aqui (revólver) na tua cara, arrombado (sic). Fica ligeiro. Antes de você me pegar, vou pegar você. Vou matar você”, ameaça o rapaz.

Bolsonaro se pronunciou sobre o ocorrido. “O brasileiro sofre diariamente com ameaças às claras em todos os Estados do Brasil. Cabe ao Executivo, Judiciário em conjunto com parlamentares, agirem em prol da defesa do cidadão de bem, criando dispositivos para retaguarda jurídica dos Agentes de Segurança Pública”, escreveu o presidente no Twitter.

https://s2.glbimg.com/oIS9KcX54NC5ldx7_uOq7Lbc3D8=/1200x/smart/filters:cover():strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2018/k/O/0ycPLAQAGhRDGBdgnaWw/milagres3.jpg

O governo de Pernambuco protocola hoje (10), junto à Ordem dos Advogados do Brasil seccional Ceará (OAB-CE), ao Ministério Público do Ceará e à Secretaria de Justiça cearense, uma cobrança de transferência do inquérito policial do município de Milagres (CE) para a Corregedoria de Segurança Pública cearense, além de uma apuração rápida da tentativa de assalto a dois bancos no referido município. O caso, que ocorreu na sexta-feira (07), resultou em confronto de policiais com a quadrilha. Seis reféns e oito suspeitos morrer.

Entre os reféns mortos estavam cinco pessoas de uma mesma família, com origem em Serra Talhada e São José do Belmonte, no Sertão pernambucano. No sábado, a polícia cearense divulgou que oito suspeitos estão detidos.

De acordo com o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, o caso se tratou “de uma chacina. Houve uma ação precipitada das autoridades do Ceará, tendo em vista que não se analisou no campo de operação a existência de reféns. Existindo reféns, a prioridade absoluta é garantir a vida dos inocentes”, diz ele.

Para Eurico, manter o inquérito em Milagres não condiz com a gravidade do caso. “Nós achamos que esse inquérito policial no município de Milagres não tem as condições e isenção necessárias para apuração. Queremos a conclusão rápida (da investigação) porque o exame de balística, o inquérito criminal e o exame tanatoscópico é que vão poder esclarecer de onde partiram os tiros que mataram as vítimas, no caso, os reféns”, defende o secretário.

Segundo a secretaria de Defesa Social cearense, os assaltantes renderam os reféns no momento em que passavam pela BR-116 e os levaram até os bancos. O grupo teria utilizado um caminhão para bloquear o acesso dos carros na rodovia. Equipes policiais seguiram para Milagres e, ao se depararem com a ação criminosa, iniciaram a troca de tiros com os suspeitos.

Durante o tiroteio, seis criminosos foram baleados, e cinco vieram a óbito no local; um sexto suspeito foi socorrido, mas faleceu no hospital. Outros dois criminosos morreram em confronto com a polícia em outro momento.

Pedro Eurico também pretende procurar o Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. “Nós temos que combater com todo o rigor assalto a banco e sequestros, é uma verdadeira declaração de guerra. Os órgãos de segurança têm que ser rigorosos, mas evidentemente preservando a vida, especialmente a dos reféns. Não podemos permitir que esse tipo de prática se espalhe pelo País. Foram cinco pernambucanos chacinados.”

Além das prisões, os policiais apreenderam três pistolas, uma espingarda, um revólver calibre 38 e explosivos. Quatro veículos que estavam com os criminosos foram apreendidos. Outros dois carros, que foram roubados na BR-116, também foram recolhidos. Com informações do Jornal do Commercio.

Caminhão ficou atravessado em rodovia, em Milagres (CE) Foto: Reprodução/TV GLOBO

A tentativa de assalto a duas agências bancárias no município de Milagres, no interior do Ceará, na madrugada desta sexta-feira, deixou 14 mortos, de acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do estado divulgadas no início da noite desta sexta-feira. Ao todo, foram mortos seis reféns e oito suspeitos. Entre os reféns mortos, há duas crianças e integrantes de duas famílias.

Bandidos tentaram roubar agências do Banco do Brasil e do Bradesco por volta de 2h no Centro da cidade, de pouco mais de 28 mil moradores, mas foram surpreendidos por policiais militares. Três homens foram presos em flagrante. Foram apreendidos pelos policiais três armas, explosivos e quatro carros.

Os reféns mortos foram identificados por Vinícius de Souza Magalhães (14), natural de São Paulo (SP), e João Batista Campos Magalhães (49), natural de Serra Talhada (PE) – pai e filho; Gustavo Tenório dos Santos (13), natural Jabaquara (SP), Claudineide Campos de Souza Santos (41), natural de São José do Belmonte (PE), Cícero Tenório dos Santos (60), natural de Maceió (AL) – filho, mãe e pai; e Francisca Edneide da Cruz Santos (49), natural de Brejo Santo (CE).

De acordo com informações preliminares levantadas pela Polícia Civil, os assaltantes renderam pessoas que passavam pela BR 116 e levaram os reféns até os bancos. O grupo utilizou um caminhão para bloquear o acesso dos carros na rodovia.

Investigações compartilhadas por quatro estados do Nordeste – Sergipe, Alagoas, Bahia e Ceará – apontam que o grupo criminoso preparava um ataque a agências bancárias localizadas nos municípios de Milagres ou Missão Velha, ambas no Ceará.

Durante a tentativa de furto às agências bancárias, cinco criminosos foram baleados na troca de tiros com a polícia, nas proximidades das agências e morreram. Outros dois foram atingidos por disparos de arma de fogo e foram encaminhados a unidades de saúde da região, mas não resistiram aos ferimentos. Um oitavo suspeito foi localizado no município de Barro (AIS 19), onde entrou em confronto com policiais militares, e também faleceu.

Uma megaoperação em 15 estados brasileiros está sendo realizada na manhã desta terça-feira (04) para prender integrantes de facções criminosas. No total, 266 mandados de prisão estão sendo cumpridos. Em Pernambuco, até agora, uma pessoa suspeita de fazer parte do Primeiro Comando da Capital (PCC) foi presa.

Segundo informações obtidas pelo Ronda JC, a prisão ocorreu no município de Bom Conselho, no Agreste do Estado. Trata-se de um homem que tem forte ligação com a facção criminosa de São Paulo. O mandado de prisão foi cumprido pela equipe do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Alagoas.

A prisão foi confirmada pelo procurador Ricardo Lapenda, coordenador do Gaeco do Ministério Público de Pernambuco.

Além do PCC, outras facções criminosas são alvos de operações pelo País, como as cariocas, Comando Vermelho (CV), Terceiro Comando Puro (TCP) e Amigo dos Amigos (ADA), a capixaba Primeiro Comando de Vitória (PCV) e a paraibana OKAIDA RB, uma dissidência da OKAIDA.

Equipes efetuam prisões nos Estados do Acre, Alagoas, Brasília, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Pernambuco, Paraíba, Pará, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. Além dos mandados de prisão, outros 203 de busca e apreensão também devem ser cumpridos.