Geral

A contratação será em janeiro de 2020 e há vagas para todo o Brasil / Foto Ilustrativa: Pixabay

As inscrições para o programa de estágio da cervejaria Ambev seguem até o dia 6 de outubro. Os interessados, que precisam estar no penúltimo ou último ano do ensino superior, devem se inscrever pelo site, basta clicar aqui. Há vagas para a área de vendas, supply e tech.

É desejável que o candidato possua inglês nível intermediário e conhecimento do pacote Microsoft Office (Word, Excel, Power Point). Não é necessário conhecimento técnico prévio.

O processo seletivo consiste em testes online de inglês e lógica, vídeo online e etapa presencial Day Challenge. A contratação será em janeiro de 2020 e há vagas para todo o Brasil. 

Áreas de atuação

Vendas: Atuação nos Centros de Distribuição com áreas Administrativo de Vendas, Trade Marketing, Vendas, Gente & Gestão e Logística em todo Brasil. Atuação no Centro de Serviços Compartilhados, em áreas como Gente e Gestão, Compras, Financeiro, Jurídico, Operações e Planejamento Logístico.

Supply: Cervejarias, Refrigeranteiras e Maltarias com áreas Administrativo (Gente & Gestão e Financeiro) e áreas industriais (Engenharia, Logística, Processos, Packaging e Meio Ambiente) localizados em todo o Brasil.

Tech: Atuação nas diretorias de Tecnologia da Companhia, nas áreas de Design & Delivery (projetos de tecnologia), Innovation & Analytics, Enterprise & Architecture (infraestrutura e arquitetura de sistemas) e E-commerce.

Uma ação integrada da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Prefeitura de Gravatá, no Agreste pernambucano, recolheu três cavalos que estavam soltos na BR-232, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco. Os animais estavam atravessando a rodovia para se alimentar no canteiro central e ofereciam risco para o trânsito no local.

As equipes percorreram cerca de 50 quilômetros, entre os municípios de Moreno, no Grande Recife, e Gravatá, à procura de animais abandonados. Com o apoio de um caminhão boiadeiro e dois laçadores, os animais foram capturados e encaminhados para um curral mantido pela Prefeitura.

O proprietário dos cavalos foi identificado e a equipe lavrou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) para ele. Outras ações desse tipo serão intensificadas na região para evitar acidentes causados por essa prática.

Quem abandona animais na via pública está sujeito a uma pena de dez dias a dois meses de detenção, ou multa, de acordo com o artigo 31 das contravenções penais. No caso de acidente com morte, o proprietário poderá responder criminalmente pelo fato.

Raquel Dodge durante coletiva de imprensa antes de entregar o cargo, quando revelou pedido para federalizar caso Marielle e nova denúncia contra Domingos Brazão Foto: Jorge William / Agência O Globo

No último dia quatro, os seis procuradores do grupo da Lava-Jato em Brasília anunciaram renúncia coletiva por discordar da decisão da procuradora-geral Raquel Dodge, de propor o arquivamento de parte do acordo de delação do executivo Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS. A revolta dos procuradores contra a chefe, um caso inédito na história do Ministério Público Federal, é um retrato do nível de desgaste a que chegou Dodge depois de dois anos à frente da instituição.

Dodge chegou ao comando da Procuradoria-Geral em setembro de 2017 com um discurso arrumado sob medida para o contexto político daquele momento. A procuradora prometia coibir supostos excessos da Lava-Jato, mas sem se descuidar do combate aos desvios de dinheiro público. Falava ainda em ampliar a atuação do Ministério Público em áreas como proteção ao meio ambiente, direitos humanos e minorias. Estes setores, segundo ela, haviam sido deixados em segundo plano pelo antecessor.

Dois anos depois, o cenário é bem diferente daquele projetado por Dodge e seus propagandistas. Sem nenhum novo grande acordo de delação, a Lava-Jato murchou nas mãos da procuradora-geral. As investigações sobre o ex-presidente Michel Temer, as mais impactantes do período, foram conduzidas pelo delegado Cleyber Malta Lopes, da Polícia Federal. Houve um momento em que Lopes chegou a reclamar nos autos, da demora de Dodge em adotar determinadas medidas necessárias ao avanço da apuração.

Alguns poderiam dizer que a procuradora-geral fez, sim, uma das três denúncias contra Temer, o presidente que a indicou para o comando da Procuradoria-Geral. Mas isso só aconteceu às 19h05 de 19 de dezembro do ano passado, quando o Supremo Tribunal Federal já estava em recesso e o relator do caso, Roberto Barroso, não podia mais adotar qualquer medida restritiva em relação aos investigados, sobretudo contra Temer, que estavam nos momentos finais do mandato. Continue reading

Após dois anos sem shows em Pernambuco, o “Rei” já tem data para voltar. Roberto Carlos se apresentará no Classic Hall, em Olinda, no dia 7 de dezembro. O espetáculo comemora os 60 anos de carreira do cantor, grande ídolo dos brasileiros. Com a tradicional entrega de rosas, o repertório contemplará diferentes fases de sua carreira, repleta de sucessos em diferentes décadas.

Os ingressos para o show na capital pernambucana começam a ser vendidos a partir da segunda-feira (23), e estarão disponíveis na bilheteria do Classic Hall (sem taxas adicionais) ou pelo site do Eventim. Os valores variam de R$ 150 a R$ 4 mil.

Confira os detalhes no serviço abaixo:

SERVIÇO

Roberto Carlos no Recife

Onde: Classic Hall (Av. Gov. Agamenon Magalhães, S/N, Salgadinho)

Quando: dia 7 de dezembro

Quanto: R$ 300 (cadeira, sem numeração por ordem de chegada), R$ 150 (meia), R$ 2200 (mesa VIP para 4 pessoas), R$ 2400 (mesa Premium para 4 pessoas), R$ 3000 (camarote 3º piso para 10 pessoas), R$ 3500 (camarote 2ª piso para 10 pessoas) e R$ 4000 (camarote 1º piso para 10 pessoas).

A Primeira Câmara do TCE julgou nesta terça-feira (17) uma auditoria especial realizada na Prefeitura de Surubim com o objetivo de verificar a existência, disponibilização e utilização de veículos e máquinas pesadas, locadas por emergência, a partir de Dispensa de Licitação para construções e serviços de obras. A relatora do processo foi à conselheira Teresa Duere.

Em seu voto (processo 1724008-6) que foi pela irregularidade da despesa, baseado em parecer do Ministério Público de Contas (n° 36/2018), foram apontados problemas na contratação, objeto da auditoria, levando à imputação de débito solidário no valor de R$ 394.065,68, à prefeita Ana Célia Cabral (foto), ao secretário de administração, Arquimedes Franklin e à empresa Diretrix Engenharia e Consultoria Ltda. A relatora também aplicou multas à gestora e ao secretário.

Entre as irregularidades, verificou-se a subcontratação total do objeto contratual, quando havia expressa proibição nos Termos de Referência que compuseram a Dispensa Emergencial. Além disso, diz o voto, “a empresa contratada funcionou apenas como intermediária, função que poderia ser facilmente descartada por uma atuação direta da municipalidade no mercado e, não obstante tratar-se de uma situação emergencial, a prefeitura contratou empresa que não dispunha de nenhum dos veículos e máquinas, objeto da dispensa”.

Também foi constatado o superfaturamento de preços unitários, o que provocou um prejuízo na ordem de R$ 394.065,68, “sendo consequência direta da má escolha feita pelo município, que, ao invés de atuar diretamente no mercado, preferiu contratar uma empresa, que não possuía nenhum veículo, para intermediar o aluguel dos veículos de que necessitava”, ressalta o voto. 

DEFESA 

Entre outros pontos, os representantes da administração alegaram que o procedimento obrigatório para as licitações foi dispensado por se tratar de uma situação emergencial, e evitou que formalidades exigidas e burocratização envolvida em regular licitação, penalizassem o interesse público.

Também justificaram que início da gestão foi bastante conturbado, citando a situação descrita no Decreto Municipal nº 002-B, de 02/01/17, como falta de informações básicas para o funcionamento dos serviços, inexistência de arquivos de vários processos licitatórios e de informações sobre contratos vigentes. Continue reading

As mudanças terão início, oficialmente, nesta quarta-feira (18) / Foto: Inaldo Lins/PCR

Vias do bairro da Ilha do Leite, na área central do Recife, irão fazer parte de uma nova Zona 30, a partir desta quarta-feira (18). O projeto, entre outras medidas, tem como objetivo implementar uma mobilidade mais sustentável, dando prioridade a pedestres e ciclistas. Com isso, vias do bairro terão o limite de velocidade reduzido para 30km/h, além de implementação de ciclorrotas e espaços conhecidos como “refugos dos pedestres”.

A intervenção viária abrangerá, aproximadamente, 1.090 m². As vias contempladas com a mudança são: General Joaquim Inácio, Francisco Alves, Senador José Henrique, Estado de Israel e a pista local da Avenida Governador Agamenon Magalhães. De acordo com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), o projeto aumentará a segurança dos pedestres e ciclistas que circulam pela área, usando uma metodologia conhecido como “Trânsito Calmo”, que já são adotadas em cidades dos Estados Unidos.

Malha cicloviária

Além da redução do limite de velocidade, todas as vias contempladas pelo projeto passarão a contar com ciclorrotas – que são espaços compartilhados entre veículos motorizados e ciclistas. De acordo com a CTTU, as novas ciclorrotas farão parte da Rota Cicloviária Ilha o Leite, que terá 2,4 quilômetros de extensão, e tem conclusão prevista para o fim deste mês.

O projeto terá início com a ciclofaixa na Rua Francisco Alves, a partir da Rua dos Coelhos, seguindo pela Rua Praça Miguel de Cervantes e Rua Antônio Gomes de Freitas, até se conectar com as ciclorrotas das ruas Senador José Henrique, Jornalista Fernando Chacon, Estado de Israel, Elvira Carreira de Oliveira e Frei Matias Teves. Com a ciclofaixa da Ilha do Leite, a cidade do Recife passará a ter 86,9 quilômetros de malha cicloviária permanente.

Melhoria para os pedestres

A expectativa do CTTU é que a redução no limite de velocidade forneça mais segurança e conforto aos pedestres. O órgão alega que a localidade abriga vários polos médicos e hospitalares, que têm muitos pacientes com a mobilidade reduzida. Além disso, a CTTU implantou no local os “refúgios de pedestres”, que são espaços sinalizados de cor verde, e faixas de pedestres elevadas.

Esse tipo de faixas são intervenções de urbanismo tátil que ampliam as calçadas na altura das travessias e, além de encurtar a largura da via, diminuindo o tempo de travessia do pedestre, obriga o veículo a reduzir a velocidade durante a curva. Ao todo, a CTTU informou que serão 24 travessias, sendo 12 com o desenho do refúgio e 12 com faixas de pedestres elevadas, que serão implantadas pela Emlurb.

Mudança de circulação

Ainda no pacote de mudanças no trânsito do local, a Rua Jornalista Trajano Chacon terá o sentido invertido no trecho entre as avenidas Frei Matias Teves e Governador Agamenon Magalhães. Com isso, o órgão orienta ao condutor que segue pela Avenida Frei Matias Teves e deseja ir para a Avenida Governador Agamenon Magalhães deverá acessar a Rua Senador José Henrique. A CTTU argumenta que o objetivo da alteração é diminuir o conflito que existe no acesso à pista local da Avenida Governador Agamenon Magalhães.

Zona Azul

As vagas de estacionamento em área pública já localizada no bairro serão transformadas em Zona Azul. Segundo a CTTU, a medida visa garantir a rotatividade no espaço. A mudança entrará em vigor a partir do dia 23 d setembro, de acordo com a mudanças na sinalização do local.

O Recife foi destaque nas reuniões do Encontro Global de Plataforma de Cidades Sustentáveis, nesta terça-feira (17), em São Paulo, através do Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa, feito pela Prefeitura do Recife para desenvolver medidas de mitigação. Na ocasião, representantes da África, Reino Unido, Canadá, Dakar, Paraguai, Chile e Bolívia conheceram os estudos desenvolvidos pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, representada pelo secretário José Neves Filho.

O Recife foi à única cidade do Brasil citada no encontro como exemplo. A capital de Pernambuco é um dos locais que vem intensificando os esforços para responder ao desafio das mudanças climáticas. Inclusive, está entre as sete cidades brasileiras que têm políticas climáticas com leis específicas de mitigação e/ou adaptação às mudanças. As outras seis são Belo Horizonte (MG), Feira de Santana (BA), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Fortaleza (CE).

Semana do Trânsito alerta sobre o número de acidentes terrestres no estado de Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

A Semana do Trânsito, que tem início nesta quarta-feira (18), traz um alerta sobre o número de acidentes terrestres em Pernambuco, com atenção para as motocicletas. Cerca de 70% das 39.608 vítimas de acidentes de trânsito socorridas para emergências do estado em 2018 foram motociclistas, segundo dados da Secretaria de Saúde.

O estado conta, desde 2010, com um sistema de notificação obrigatória para acidentes de transporte terrestre em 17 unidades hospitalares com serviços de ortopedia e traumatologia, incluindo Unidades de Pronto Atendimento e emergências de hospitais.

Do total de notificações de vítimas de acidentes em 2018, 28.850 envolviam motociclistas, o que representa 72,83%. Em 2017, foram 43.179 notificações, sendo 31.327 motociclistas.

Os dados de 2018 são os mais recentes divulgados pela secretaria. Das vítimas notificadas, mais de 70% foram do sexo masculino. Reinaldo Oliveira entrou para as estatísticas deste ano. Ele sofreu um acidente no domingo (15), às 15h30, enquanto transitava pelo bairro de Casa Forte, na Zona Norte do Recife.

“Eu estava a 60 km/h, quando um carro entrou e me pegou. Passei por uma cirurgia na noite do dia do acidente”, conta Reinaldo. Por consequência, Reinaldo teve a perna esquerda amputada e segue internado no HR.

O ortopedista André Souza ressalta que acidentes são as grandes causas de fatalidade de indivíduos entre 20 e 30 anos. Continue reading

https://www.carlosbritto.com/wp-content/uploads/2013/06/teste-8%C2%AA-Ciretran.jpg

Entraram em vigor ontem novas regras que acabam com a exigência do uso de simuladores nas autoescolas para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e reduzem a quantidade de aulas necessárias. A resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) também altera o processo para conseguir a Autorização para Conduzir Ciclomotor (ACC), documento exigido para guiar ciclomotores de até 50 cilindradas, as chamadas “cinquentinhas”. As alterações foram anunciadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro em junho.

Com o fim da exigência do uso dos simuladores, os equipamentos voltam a ser facultativos nas autoescolas para quem quiser tirar a CNH na categoria B (carro).

Sem os simuladores, o número de horas/aula caiu de 25 para 20, mesma quantidade exigida antes da adoção do equipamento.

Os interessados em conduzir “cinquentinhas” não precisarão – durante um ano – fazer aulas para realizarem as provas teórica e prática. Caso sejam reprovados, terão de participar de aulas práticas. As aulas voltarão a ser exigidas a partir de setembro de 2020, mas o número de horas/aula será reduzido de 20 para cinco – uma noturna. O candidato poderá guiar seu ciclomotor no exame prático.

Em 2018, o Seguro do Trânsito – Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) pagou 3.457 indenizações a vítimas de acidentes envolvendo ciclomotor em todo o país. Do total, 379 foram por morte, 2.416 para pessoas que ficaram com algum tipo de invalidez permanente e 662 para o reembolso de despesas médicas e suplementares. Das vítimas indenizadas, 2.867 eram motoristas, 407 passageiros e 183 pedestres.

No caso de cobertura por morte, o valor pago é de R$ 13.500; invalidez permanente é de até R$ 13.500; e o de reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada de saúde é de até R$ 2.700. A proteção é assegurada por um período de até três anos.

O DPVAT é um seguro obrigatório de caráter social que protege os brasileiros em casos de acidentes de trânsito, sem apuração da culpa.

Alô COMPESA, tem alguém aí?

Por Danizete Siqueira de Lima

Vimos acompanhando há algum tempo, através das nossas rádios e blogs locais, o descaso da COMPESA com o atendimento aos seus usuários, notadamente, na questão mais crucial: a irregularidade no abastecimento às nossas residências.

Não é fato novo a Compesa prestar um serviço de má qualidade aos seus usuários. Sempre se soube do seu descaso no tratamento dado à população em qualquer parte do estado por onde você passe, tanto é que, por várias e várias vezes cogitou-se a possibilidade de sua privatização, visando alguma melhoria.

No nosso caso especificamente, em outros tempos de crise, como pano de fundo era alegado o quesito “racionamento”. Sabemos de sã consciência, que esse precioso líquido nem sempre é abundante por essas paragens, mas, em 2019, paciência. Tivemos chuvas em quantidade suficiente para encher os nossos reservatórios e darmos um descanso ao “Velho Chico”, tão explorado e sacrificado além da conta, dado ao grau de irresponsabilidade de uma boa parte da população que não toma conhecimento da importância que devemos dar ao tão precioso líquido.

O que mais nos chama à atenção é o descaso vir de tanto tempo e ninguém toma uma providência. Entra governo, sai governo, entra prefeito, sai prefeito, mudam os diretores e tudo continua como a famosa cantiga da perua. Ninguém responde, ninguém tem culpa, ninguém assume e tudo continua no jogo do empurra-empurra, numa irresponsabilidade sem tamanho. É aquela velha história: todos querem a festa mas ninguém quer batizar a criança.

O governo estadual, não existe; o municipal, fecha os olhos, pois deve ter coisas mais importantes para fazer, mesmo porque nas casas dos ricos não faltam água. Pelo contrário, sobram cisternas, caixas reservatórios e até piscinas para os seus deleites nos finais de semana. Resumindo, não temos a quem recorrer. O único procedimento que a empresa cumpre fielmente e até com um certo rigor é na cobrança das contas. Aí sim, são de uma competência a toda prova.

Água em nossas torneiras poderá faltar por uma ou duas semanas mas, dinheiro para pagar as contas, se faltar estaremos ferrados com cobranças, cortes, aborrecimentos e mais taxas de religação para ampliação das receitas, que é o mais importante.

Seria muito bom que a empresa utilizasse o mesmo rigor das cobranças, também, na prestação dos serviços aos seus consumidores. Em sua grande maioria, como dissemos antes, trata-se de pessoas humildes que não dispõem de outros recursos, ou seja, elas têm ou não têm água, embora os R$ 50,00 (cinquenta reais) da taxa mínima (10m³), para o pagamento da conta mensal esteja ali guardadinho a sete chaves, esperando o dia do vencimento.

Portanto caríssimos leitores, com o intuito de exercermos a nossa cidadania, deixamos aqui o nosso apelo: cadê os nossos vereadores, cadê a prefeitura, cadê as lideranças comunitárias, cadê os deputados que nos representam? Poderíamos perguntar: cadê o governo do estado, que é o responsável direto pelas nomeações de técnicos e diretores dessa empresa? Esse, podemos descartar. Não está cuidando nem das “PEs” que nos rodeiam e que insistem em ceifar vidas de pais e mães de família que precisam transitar diariamente por essas tábuas de pirulito que tanto nos envergonham.

https://imagesapt.apontador-assets.com/fit-in/320x240/0ad5c48e453d4c7cb8068d15e5c409f1/centro-cultural-rossini-alves-1770903339653928.jpg

O Centro Cultural Rossini Alves Couto recebe em 19 e 20 de setembro o 3º Encontro Nacional do CIRA (Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos). No encontro deste mês, procuradores, promotores e servidores dos Ministérios Públicos do Brasil; membros e servidores das instituições parceiras, como Procuradoria-Geral do Estado, Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Defesa Social, poderão se aprimorar e discutir como intensificar a repreensão aos crimes contra a ordem tributária. 

O CIRA foi criado com a finalidade de propor medidas para o aprimoramento das ações e busca da efetividade na recuperação de ativos de titularidade, assim como trazer uma nova forma de atuação conjunta entre os órgãos e instituições públicas que integram o comitê. São planejadas ações preventivas e de efetividade na recuperação de ativos públicos, decorrentes de crimes de sonegação fiscal e também de fraude estruturada, aquela que é organizada de forma planejada e sofisticada.

O encontro é uma realização da Procuradoria-Geral de Justiça, com a coordenação da Escola Superior do Ministério Público de Pernambuco e apoio do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Combate à Sonegação Fiscal (Caop Sonegação Fiscal).

Confira a programação completa no site https://doity.com.br/iii-encontro-nacional-do-cira.

Termômetros podem marcar 30ºC no Grande Recife / Foto: Mariana Barros/TV Jornal

Com a chegada da quarta-feira (18), já estamos na metade da semana. Após um dia de chuvas moderadas na Região Metropolitana, a previsão do tempo divulgada pela Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) indica chuva fraca na madrugada e primeiras horas da manhã em três regiões e céu parcialmente nublado em outras três regiões do Estado.

O Grande Recife recebe chuva na madrugada e primeiras horas da manhã, com intensidade fraca e de forma isolada. A temperatura máxima atinge os 31° C, a mínima é de 21° C. Com umidade em 90%.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o nascer do sol acontece por volta das 5h10. A força dos ventos, ao longo do dia, será de fraco a moderado.

No Agreste, a previsão do tempo é parcialmente nublado, sem chuva ao longo do dia, com temperatura mínima em 17° C. Sendo assim, a temperatura mais fria de Pernambuco.

Confira a previsão completa:

Região Metropolitana

Parcialmente nublado, com chuva rápida de forma isolada, no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 31º Mínima: 21º

Mata Norte

Parcialmente nublado, com chuva rápida de forma isolada, no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 31º Mínima: 21º

Mata Sul

Parcialmente nublado, com chuva rápida de forma isolada, no período da madrugada e nas primeiras horas da manhã com intensidade fraca.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 31º Mínima: 21º

Agreste

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 30º Mínima: 17º

Sertão de Pernambuco

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 36º Mínima: 18º

Sertão de São Francisco

Parcialmente nublado sem chuva em toda a região ao longo do dia.
Temperatura(ºC): Estável
Máxima: 35º Mínima: 20º

Arena Corinthians

A Justiça acatou o pedido da Caixa Econômica Federal para incluir o nome da Arena Itaquera S/A, que administra o estádio do Corinthians, no cadastro de inadimplentes do Serasa. O despacho é do dia 27 de agosto de 2019.

No processo, o banco informa que o Corinthians não paga as parcelas do financiamento da arena desde março e, por isso, cobra uma multa no valor de R$ 48,7 milhões. O total da causa é de R$ 536 milhões, o que inclui multa, juros e correções, além do valor do financiamento para a obra do estádio. Na ação, que está na 24.ª Vara Cível Federal de São Paulo, o banco alega que estão em aberto às parcelas de março, abril, maio, junho, julho e agosto deste ano. 

A parcela de janeiro, paga, foi de R$ 6.442.357,31 e a de fevereiro de R$ 6.565.312,96 e totalizam R$ 13.007.670,30. O valor em aberto dos meses subsequentes é de R$ 33.789.494,81.

O Estadão entrou em contato com o advogado do Corinthians, Fábio Trubilhano, para saber se o clube havia respondido a notificação recebida pela Caixa na última semana e obteve a seguinte resposta. “A Arena Itaquera SA foi citada em execução judicial movida pela CEF. As alegações defensivas cabíveis serão apresentados em juízo, por meio de institutos jurídicos próprios, nos prazos legais”, informou.

O presidente Andrés Sanchez concedeu coletiva na última sexta-feira e informou que apenas dois meses estavam atrasados. No entanto, lembrou que, caso a Caixa não estivesse contando o período de um acordo verbal, esse atraso contaria desde março. Procurado, o Corinthians não se manifestou.

O clube havia acertado verbalmente com a gestão anterior da Caixa novo parcelamento da dívida. Desde o ano passado, existe um acordo entre as partes. Esse acerto só não foi sacramentado até agora, segundo explicações do Corinthians, pela “perspectiva da iminente troca de comando da instituição financeira”. Andrés deve ir ao Conselho Deliberativo do clube até o fim do mês para prestar esclarecimentos sobre o acordo com a Caixa. Com informações do jornal O Estado de S.Paulo.

Reprodução

Henrique Valladares, ex-vice-presidente da Odebrecht, e um dos 78 da empreiteira que viraram delatores da Lava-Jato, foi encontrado morto ontem (17), em sua casa no Rio de Janeiro.

Valladares fez uma das delações mais ecléticas e explosivas entre os ex-Odebrecht. Ia de figurinhas carimbadas, como Aécio Neves e Edison Lobão, até lideranças indígenas, passando pela CUT.

Contou ter pago R$ 50 milhões a Aécio Neves depositados em contas no exterior. Afirmou também ter recebido até uma cobrança de dinheiro pedida a ele por Edison Lobão quando o então ministro de Dilma estava internado numa UTI. Em ambos os casos, a Odebrecht queria como retribuição facilidades na área de energia.

No caso dos índios, quem recebia era o chefe da tribo:

— Esse cara se tornou até meu amigo, tenho até um cocar lá em casa. O chefe da tribo lá é o Antenor Karitario. Pagava para ele R$ 5 mil por mês, depositado na conta da esposa. E mais R$ 2 mil para o Orlando que deve ser outro cacique lá da tribo. 

E no da CUT, o codinome da turma da propina na planilha da Odebrecht era ‘Barbudos’. Delatou Valladares:

— Barbudos, esse é fácil adivinhar. Isso é para os representantes da CUT de Porto Velho. 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, homologou nesta terça-feira (17) acordo que destina R$ 2,6 bilhões do Fundo da Lava Jato para a Amazônia e para a Educação.

Eis a íntegra do documento

A medida vem após o governo federal, o Legislativo e a PGR (Procuradoria Geral da República) chegarem a um acordo no dia 5 deste mês, em reunião no Supremo.

A divisão é a mesma que foi apresentada pelo Legislativo em 23 de agosto:

  • R$ 1,06 bilhão – para o combate ao desmatamento e às queimadas na Amazônia:
  • R$ 630 milhões para a União, por meio de ações da GLO (Garantia da Lei e da Ordem), para o amparo de orçamento no do Ministério da Defesa;
  • R$ 430 milhões vão para ações em conjunto com os Estados da região;
  • R$ 1,6 bilhão – para a Educação:
  • R$ 1 bilhão destinado para a educação infantil;
  • R$ 250 milhões para o Ministério da Cidadania, para ações relacionadas ao Programa Criança Feliz, que compreende uma série de iniciativas vocacionadas ao desenvolvimento integral da Primeira Infância;
  • R$ 250 milhões para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, para ações relacionadas a projetos ligados a empreendedorismo, inovação, popularização da ciência, educação em ciência e tecnologias aplicadas, tais como Bolsas de pesquisa pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e a Construção da Fonte de Luz Síncrotron de 4ª Geração;
  • R$ 100 milhões para ações socioeducativas em cooperação com os Estados, preferencialmente por intermédio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O STF enviou nesta terça-feira ofício notificando ainda a Caixa Econômica Federal (onde o dinheiro está) para que o dinheiro seja transferido o para o Tesouro em uma conta específica. A partir daí — quase que imediatamente, portanto—, o dinheiro poderá ser usado.

A Caixa Econômica transferirá ainda hoje os recursos pro Tesouro.

O VALOR

Os R$ 2,6 bilhões se referem a uma multa paga pela Petrobras nos Estados Unidos e foram repatriados por ação da Lava Jato. Houve muita controvérsia sobre como usar os recursos. Procuradores da Lava Jato em Curitiba queriam criar um fundo que seria gerido pelo Ministério Público. O caso foi parar no STF.