A expectativa é que o fundo tenha R$ 1,7 bilhão disponível para as campanhas políticas / Foto: Estadão Conteúdo

Com Agência Câmara

Com pressa para garantir recursos para as eleições do ano que vem, a Câmara aprovou nesta quarta-feira (04) o texto-base do projeto que cria um fundo público para financiamento de campanha A votação do projeto no plenário foi simbólica, mas gerou tumulto. Agora, o texto que criou o fundo, que deve ser de R$ 1,7 bilhão, segue para a sanção presidencial.

Assim que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), proclamou o resultado, deputados protestaram contra a aprovação. O deputado Julio Delgado (PSB-MG) foi à tribuna e classificou como "vergonha" a votação não ter sido nominal.

O deputado Celso Pansera (PMDB-RJ) criticou os deputados que não apoiaram o fundo. "Eu quero ver no ano que vem quem vai aceitar dinheiro do fundo para fazer campanha. Vou comparar a prestação de contas e voltarei aqui no final de 2018 para cobrar os senhores", disse.

Os deputados ainda precisam analisar os destaques, mas há um acordo para que não haja mudanças no texto aprovado no Senado, para que o projeto siga para sanção presidencial. Para que os partidos possam ter acesso ao dinheiro para realizar o processo eleitoral em 2018, as novas regras têm de ser sancionadas até 7 de outubro.

Apesar de os parlamentares afirmarem que o fundo será de R$ 1,7 bilhão, o texto não estabelece um teto para o valor, e sim um piso, ao dizer que o fundo será "ao menos equivalente" às duas fontes estabelecidas pelo projeto.

A proposta estabelece que pelo menos 30% do valor das emendas de bancadas sejam direcionadas para as campanhas eleitorais. A segunda fonte de recursos virá da transferência dos valores de compensação fiscal cedidos às emissoras de rádio e televisão que transmitem propagandas eleitorais, que serão extintas. O horário eleitoral durante o período de campanha, no entanto, foi mantido

O fundo público para abastecer as campanhas é uma medida alternativa ao financiamento empresarial de campanha, proibido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2015. No começo da discussão, o Congresso chegou a cogitar um fundo que chegaria a R$ 3,6 bilhões. A articulação foi encabeçada pelo líder do governo no Senador, Romero Jucá (PMDB-RR), com apoio de partidos da oposição, como o PT, PDT e PCdoB.

Foto: Nelson Jr./Divulgação

Estadão Conteúdo

Por 6 a 5, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram, nesta quarta-feira (4) que a aplicação da inelegibilidade de políticos com base na Lei da Ficha Limpa vale para condenados antes de 2010, ano em que o texto foi aprovado e sancionado.

Os magistrados negaram recurso de um vereador de Nova Soure (BA) que foi condenado, nos autos de representação eleitoral, por abuso de poder econômico e compra de votos por fatos ocorridos em 2004, e ficou inelegível por três anos.

Nas eleições de 2008, concorreu e foi eleito para mais um mandato na Câmara de Vereadores de Nova Soure. No entanto, ao tentar disputar em 2012, seu registro foi indeferido porque a Lei da Ficha Limpa aumentou de três para oito anos o prazo de inelegibilidade.

Antes de 2010, a legislação vigente previa que políticos condenados perdessem os direitos por três anos. Com a Lei da Ficha Limpa, o prazo foi aumentado para oito anos.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), promulgou nesta quarta-feira (04) a emenda constitucional que acaba com as coligações a partir de 2020 e adota a cláusula de desempenho a partidos, que já valerá a partir do ano que vem. A promulgação foi feita em sessão solene, que contou com a presença do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, que está licenciado do mandato de senador.

As emendas foram aprovadas em votação relâmpago, em menos de meia hora, na noite desta terça-feira (03) pelo Senado. Uns dos poucos itens de consenso entre os parlamentares às duas medidas foram as primeiras a terem a votação concluída no pacote de reforma política em discussão no Congresso. O placar no Senado, que não modificou o texto aprovado pela Câmara na semana passada, foi unânime em dois turnos: 62 a 0 no primeiro e 58 a 0 no segundo.

O texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) já havia sido aprovado pelos senadores em novembro do ano passado, mas como foi modificado pela Câmara, precisou passar por nova votação no Senado. Uma das alterações feitas pelos deputados foi a exclusão das chamadas federações, grupo de partidos que se uniriam por “afinidade ideológica e programática”.

Na prática, como o fim das coligações valerá somente a partir de 2020, a única medida que terá impacto nas eleições do ano que vem é a cláusula de desempenho, também chamada de cláusula de barreira.

Pela proposta aprovada na Câmara, esse patamar vai aumentando progressivamente. Em 2018, será de 1,5% dos votos válidos a deputado federal, distribuídos em pelo menos um terço dos Estados.

Em 2030, a cláusula chegará a 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço dos Estados, com um mínimo de 2% em cada uma deles.

A Proposta de Emenda à Constituição, que teve origem no Senado, é de autoria dos senadores Ricardo Ferraço (PSDB-ES) e Aécio Neves (PSDB-MG), afastado das funções parlamentares por decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Na Câmara, foi relatada pela deputada Shéridan (PSDB-RR).

Foto: Pedro França/Agência Senado

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (04) o projeto que prevê a exoneração de servidores concursados que tenham mau desempenho nas suas funções. A proposta, na prática, acaba com o a estabilidade em todos os poderes, nos níveis federal, estadual e municipal. Para começar a valer, a matéria ainda tem que passar por três comissões antes de ser votada no plenário da Casa e depois na Câmara.

O relator foi o senador Lasier Martins (PSD-RS), que modificou o projeto inicial de Maria do Carmo Alves (DEM-SE) principalmente no formato de avaliação dos servidores. A parlamentar havia proposto que as avaliações fossem feitas pelo chefe imediato, mas Martins considerou que muitas vezes a vaga é ocupada por um comissionado e que isso poderia levar a um risco de a decisão ser determinada por “por simpatias ou antipatias no ambiente de trabalho”.

O senador propôs, então, avaliações anuais por uma comissão formada pelo chefe imediato do servidor, por um colega do mesmo nível hierárquico escolhido por sorteio e por um funcionário da área de recursos humanos. As notas serão de 1 a 10 e quem obtiver de 1 a 3 em dois anos consecutivos terá o processo de exoneração aberto. Os que mantiverem notas abaixo de 5 por cinco anos também.

As notas serão classificadas na seguinte escala: superação (S), igual ou superior a oito pontos; atendimento (A), igual ou superior a cinco e inferior a oito pontos; atendimento parcial (P), igual ou superior a três pontos e inferior a cinco pontos; não atendimento (N), inferior a três pontos.

A avaliação deverá ser feita entre 1º de maio de um ano e 30 de abril do ano seguinte. Produtividade e qualidade serão os fatores avaliativos fixos, associados a outros cinco fatores variáveis, como inovação, responsabilidade, capacidade de iniciativa e foco no cidadão.

O relatório de Martins foi apresentado há um mês, mas houve um pedido de vista coletivo dos senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Magno Malta (PR-ES).

Antes mesmo da conclusão do parecer, o tema havia sido alvo de críticas da Federação Nacional do Fisco nos Estados e no Distrito Federal, a Fenafisco. A avaliação da entidade é de que o projeto de lei é inconstitucional e “representa um risco extremamente alto de perseguição política, de terceirização no funcionalismo público e de aumento, em grau alarmante, dos números de assédio moral”.

O líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE) apresentou duas emendas. Uma delas prevê que, após avaliações negativas, os servidores deverão passar por capacitação e, caso ela não seja oferecida, os concursados não poderão obter notas ruins. A sugestão de bloquear a avaliação não foi acatada por Martins. Para rejeitá-la, o senador argumentou que em muitos casos o que acontece não é uma inabilidade do funcionário, e sim falta de empenho.

Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou que o desempenho do servidor pode ser prejudicado pela falta de condições de trabalho, mas não acredita que esse seja um motivo para não fazer avaliações. “É possível identificar às vezes, em precaríssimas condições materiais, servidores que se superam em meio a essas limitações e dão belos exemplos cotidianamente do seu compromisso e, verdadeiramente, daquilo que eles internalizam como sendo a sua missão”.

A nova fórmula do Campeonato Pernambucano para a edição 2018 foi definida na tarde desta terça-feira (03), em arbitral realizado na sede da Federação Pernambucana de Futebol. Unidos, os times do interior (além do América) votaram na proposta 2 e venceram o trio de ferro da capital formado por Sport, Santa Cruz e Náutico, cujos votos foram na proposta 1.

Assim, a competição terá os onze times enfrentando-se na primeira fase em jogos de ida (cada equipe fará dez partidas, sendo cinco como mandante). Os dois piores colocados ao final das rodadas serão rebaixados à série A-2, a segunda divisão do Estadual. Já os oito melhores seguem para o mata-mata, que começa nas quartas de final.

Por conta da pouca disponibilidade de datas, tanto as quartas de final como as semifinais serão disputadas em partidas únicas, com o time de melhor campanha como mandante. Já na final, as equipes duelam em ida e volta.

Cada time teve um peso na votação, de acordo com a posição no último Estadual, vencido pelo Leão. Sport, com 12, Santa Cruz, com 10, e Náutico, com 9, somaram 31 pontos. Já o outro bloco, liderado pelo vice-campeão Salgueiro, juntou 44 pontos (as outras equipes votantes foram Belo Jardim, Central, Flamengo, Afogados, América e Vitória).

Na proposta defendida pelos grandes da capital que foi derrotada, a primeira fase também seria composta por 11 times que jogariam entre si em sistema de ida. Cada equipe também realizaria 10 jogos (cinco como mandante), mas apenas os quatro melhores colocados avançariam para a segunda fase. No mata-mata, tanto as semifinais como as finais seriam em esquema de ida e volta.

O presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, falou sobre a definição do novo formato de competição. “Nós contratamos a Exatta, uma das maiores empresas do Brasil para realizar a pesquisa com os torcedores. Realizamos a pesquisa virtual através do site Voz do Torcedor, onde as pessoas deixaram suas sugestões sobre o novo formato de competição. Nós abrangemos todos os torcedores de Pernambuco e de fora do Estado e levamos as sugestões deles para os clubes. Os dirigentes dos clubes se reuniram e produziram ao final duas propostas. As propostas foram apresentadas para a Federação e já que não havia consenso a Federação estabeleceu a primeira reunião”, disse. “As propostas foram debatidas, defendidas por aqueles que entendiam qual seria a melhor, após isso houve a votação sistema aberto de votos e prevaleceu a proposta nº 2”, completou.

Equipe da Defesa Civil do Recife compareceu à sede da Defensoria Pública de Pernambuco após o ocorrido (Foto: Oton Veiga/TV Globo)

O desabamento da coberta do estacionamento da sede da Defensoria Pública do Estado de Pernambuco, na Rua Marquês do Amorim, no bairro da Boa Vista, no Centro do Recife, após a queda de parte do beiral do prédio, deixou duas pessoas feridas na tarde desta terça-feira (03). De acordo com o órgão, os feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A Defesa Civil do Recife enviou uma equipe para o local.

Após ser atendida na Defensoria Pública do Estado de Pernambuco, Bernadete José de Barros, de 65 anos, tinha ido comprar um picolé ao vendedor Lameque Jafe da Silva Santos, de 35 anos, quando ocorreu o acidente que deixou ambos feridos.

De acordo com o Samu, acionado ao local pouco antes das 15h, a mulher teve fratura exposta nos membros inferiores e foi encaminhada ao Hospital Esperança Recife, na Ilha do Leite. De acordo com a assessoria de comunicação da unidade de saúde, o quadro clínico dela é estável, mas a paciente seguiu para o bloco cirúrgico, após ser atendida na emergência por médicos da neurologia e ortopedia.

O homem ferido teve um trauma no tórax e seguiu para o Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, na área central do Recife. A reportagem não conseguiu contato com a assessoria de comunicação da unidade de saúde para obter informações sobre o quadro clínico do paciente.

Por meio de nota, a Defensoria Pública de Pernambuco lamentou o ocorrido e disse que está prestando toda a assistência aos feridos e aos parentes. Com o desabamento da coberta, o carro de um defensor público foi atingido.

Segundo o defensor público geral de Pernambuco, Manoel Jerônimo de Melo Neto, o acidente aconteceu no dia em que seria iniciado um conserto da estrutura que desabou. "Estamos sempre fazendo manutenções, já que é um imóvel antigo. Detectamos na segunda-feira (02) uma pequena rachadura e colocamos um andaime. Quando íamos começar [o reparo], desabou", conta.

Após uma vistoria no local, a Defesa Civil do Recife informou que o prédio não vai precisar ser interditado. “Pode ter havido algum tipo de infiltração que o adorno se descolou da estrutura, então não precisa interditar o prédio, que não tem patologia que comprometa a sua estabilidade”, ressalta a gerente-geral de Engenharia do órgão, Elaine Holanda. 

Uma das falas recorrentes de Paulo Câmara é sobre o pagamento em dia dos servidores / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

O governo do Estado atingiu o limite prudencial na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no balanço orçamentário do segundo quadrimestre de 2017. O Estado atingiu 47,09% de despesa da Receita Corrente Líquida (RCL), segundo dados divulgados no Diário Oficial do último sábado. O limite de alerta é emitido quando o percentual chega a 44,10%. O prudencial, quando atinge 46,55%. Caso não se regularize, o governo poderá sofrer sanções como não ter acesso a financiamentos e ficar proibido de fazer novas contratações. O assunto foi tratado nesta terça-feira (03) pela oposição na Alepe.

O percentual pode representar um entrave para um dos principais discursos do governador Paulo Câmara (PSB), que repetidas vezes afirma que está pagando o salário dos servidores em dia, ao contrário de outros Estados. A extrapolação do limite prudencial da LRF também esbarra em uma das mais recentes promessas do socialista diante da crise da segurança, de realizar um concurso por ano para as polícias Civil e Militar. O projeto de lei ainda não foi aprovado na Alepe.

Nessa terça-feira (03), na Alepe, o líder da oposição, Silvio Costa Filho (PRTB), questionou o governo do Estado sobre quais medidas serão adotadas para resolver a questão. “Precisamos fazer um debate franco sobre essas contas, sob o risco de os servidores terem seus vencimentos comprometidos no futuro”, afirmou o deputado estadual.

RESPOSTA

Em nota, a Secretaria da Fazenda afirmou que “percentual de gastos com pessoal de 47,09% refere-se aos últimos 12 meses, mas não reflete a execução do ano de 2017 completos, tanto que o mesmo percentual também foi atingido no primeiro quadrimestre de 2015 e 2016”. O texto destaca que houve um resultado primário de R$ 469 milhões, impulsionado pelo aumento da receita em 7,6% no período e houve uma redução do endividamento em R$ 2 bilhões, enquanto a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) permitia um acréscimo de R$ 730 milhões.

Rhayann Vasconcelos, presidente da JSB Recife

Protagonismo juvenil e liderança serão debatidos pela juventude do PSB no Recife durante encontro no próximo sábado (07). No evento, batizado de #PolíticaJovem, que chega a sua segunda edição, o principal objetivo é fomentar a discussão sobre o papel do líder no desenvolvimento dos negócios, das organizações e das pessoas.

Para debater a temática, foram convidados o jornalista e atual Secretário Executivo de Esportes de Pernambuco, Diego Perez, e Allef Dantas, estudante do ProUni Recife.

"Queremos discutir o potencial de cada jovem em transformar a sociedade, instigar a sua liderança, que é enorme. Este será um momento muito especial", avalia Rhayann Vasconcelos, presidente da JSB Recife.

O encontro é gratuito e acontece às 9h na sede do PSB de Pernambuco, localizada no Empresarial Burle Marx, na Avenida Agamenon Magalhães, no bairro do Espinheiro. Para participar, é necessário realizar a inscrição através das redes sociais do segmento.

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

O embate em torno da privatização da Chesf e do sistema Eletrobrás vai além dos discursos, entre o senador Fernando Bezerra Coelho, agora no PMDB, e o governador Paulo Câmara, do PSB. Nenhum dos lados dá mais detalhes, mas a Ad Diper confirmou, nesta terça, a demissão de Thiago Coelho.

Ele entrou na AD Diper em 2007, com o aliado de FBC Genner Guimarães, mas assumiu a Superintendência Jurídica em junho de 2014, já no governo João Lyra, com Paulo Câmara. A empresa da administração indireta gera polêmica desde a formação de governo, quando o senador teve nomes indicados para a pasta de Desenvolvimento Econômico, após ter negociado diretamente com o governador eleito.

O atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco é o vice-governador, Raul Henry, presidente do PMDB no Estado e hoje adversário de FBC pelo comando do partido. A exoneração de Thiago Coelho deve ajudar a esquentar os ânimos.

Condic aprova novos projetos

A demissão do parente de FBC ocorreu no mesmo dia em que o Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic) reuniu-se pela terceira vez este ano para analisar projetos de concessão de incentivos fiscais de empreendimentos interessados em se implantar ou ampliar suas atividades em Pernambuco. No encontro, foram aprovados 37 projetos, sendo 22 de indústrias (dez no interior), 11 de importadoras e quatro de centrais de distribuição.

O governo Paulo Câmara destacou que, apesar do momento de crise econômica que ainda assola o país, o Governo do Estado conseguiu ampliar consideravelmente o número de empreendimentos no setor de importação. O valor previsto de importação anual para esta 99ª reunião chega R$ 489,1 milhões, superando todos os valores dos dez últimos encontros do Condic, que ficaram entre R$ 68,2 milhões e R$ 463,5 milhões.

Já para a indústria, os investimentos ficaram na ordem de R$ 48,7 milhões, sendo R$ 36 milhões destinados à RMR e R$ 12,7 milhões para o interior. Esse montante projeta a geração de 819 postos de trabalho, dos quais 410 estarão sediados no interior do Estado e 409 na Região Metropolitana do Recife.

Ao todo, 13 municípios foram contemplados, sendo cinco na RMR e oito no interior. São eles: Jaboatão dos Guararapes, Paulista, Recife, Timbaúba, Caruaru, Lagoa do Itaenga, Tabira, Abreu e Lima, Barreiros, Garanhuns, Cabo de Santo Agostinho, Gravatá e Tacaimbó. Das 12 Regiões de Desenvolvimento (RD) de Pernambuco, seis foram contempladas: RMR, Mata Norte, Mata Sul, Sertão do Pajeú, Agreste Central e Agreste Meridional.

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Raul Henry, comemora os números apresentados. “Apesar da crise, mais uma reunião do Condic em 2017 com resultados importantes, sobretudo no que diz respeito ao setor de importação, que promoverá ganhos imediatos de arrecadação, sem prejuízo à produção local, além de ser uma porta de entrada para investimentos mais robustos. Estamos empenhados para atrair mais empreendimentos para o nosso Estado”, afirmou o vice, que está em litígio com o novo cacique do PMDB.

A cidade de Serra Talhada, no Sertão pernambucano, recebe de 04 a 08 de outubro, a Fase Final Infantil das modalidades de handebol e basquete dos Jogos Escolares de Pernambuco (JEPs 2017), realizados pela Secretaria Estadual de Turismo, Esportes e Lazer, com apoio da Prefeitura Municipal de Serra Talhada.

A Fase Infantil receberá ao todo 1500 atletas (de 15 a 17 anos) oriundos das 16 Gerências Regionais de Ensino, considerando também as modalidades de futsal e voleibol que vão acontecer de 09 a 13 de outubro.

Os jogos acontecerão no Ginásio Poliesportivo Egídio Torres de Carvalho, no Ginásio José Patú e na quadra esportiva da Escola Manoel Pereira Neto, no Alto Bom Jesus/Malhada. O município de Serra Talhada será representado pela EREMPAC.

http://nordesterural.com.br/wp-content/uploads/2015/04/celular-marca-tempo-500x300.jpg

Agência Brasil

Voltado para acompanhar a situação da seca no Nordeste por meio do celular, o aplicativo Monitor de Secas permite ao usuário monitorar a evolução da situação das chuvas e comparar dois meses selecionados. Desde 2012, a Região Nordeste enfrenta uma das mais severas secas já registradas, o que impacta diretamente na gestão dos recursos hídricos.

Lançado hoje (03) pela Agência Nacional de Águas (ANA), o aplicativo está disponível para download gratuito tanto para aparelhos que rodam o Android (https://goo.gl/S4BYMJ) quanto o iOS (https://goo.gl/AmKi4w).

O aplicativo permite ver as regiões que tiveram aumento ou diminuição da intensidade da seca no período selecionado e ver a intensidade de seca que determinadas áreas do Nordeste estão passando: seca fraca, moderada, grave, extrema, excepcional ou que não passam por seca.

Os dados levam em consideração o monitoramento hidrometeorológico e os mapas mostrados no aplicativo são validados por técnicos.

De acordo com a ANA, a ferramenta também indica se os possíveis impactos sobre os diferentes setores econômicos são de curto ou longo prazo, mostrando, inclusive, os impactos no abastecimento, agricultura e pecuária.

Reunião Plenária - Dep. Socorro Pimentel

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, nesta terça-feira (03), o Projeto de Lei Ordinária n° 1582/2017, que dispõe sobre as Organizações Sociais de Saúde (OSS). Durante a Reunião Plenária, também foi ratificado o Projeto de Lei Complementar n° 1598/2017, que altera o valor do vencimento-base inicial do cargo efetivo de professor do quadro de ensino da Polícia Militar de Pernambuco. As duas proposições, enviadas pelo Poder Executivo, tramitam em regime de urgência e foram aprovadas em Primeira Discussão.

Ao alterar a Lei nº 15.210/2013, o PL 1582 modifica dispositivos relativos aos contratos de gestão hospitalar e ambulatorial e às atividades de ensino e pesquisa firmados com pessoas jurídicas de direito privado na área de saúde do Estado. A matéria também dispõe sobre o monitoramento e a fiscalização da prestação de serviços.

Em pronunciamento durante a Reunião Plenária, apesar de ter se expressado favoravelmente ao modelo das OSS, a deputada Socorro Pimentel (PSL-foto) justificou seu voto contrário. Ela apresentou 11 emendas para alterar o projeto, e todas foram rejeitadas pela Comissão de Justiça. Entre as propostas, uma indicava a inclusão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), entre os destinatários dos relatórios trimestrais, e do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e do Conselho Estadual de Saúde, na comissão que avalia as prestações de contas.

“Não posso concordar com a falta de transparência nessas gestões em Pernambuco. Por serem entidades que recebem recursos públicos, as OSS devem garantir acesso irrestrito e sem burocracia a qualquer informação solicitada, de forma ágil. As emendas iriam contribuir para a melhoria das gestões, aumentando a transparência na fiscalização”, sustentou.

O líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB), encaminhou voto contrário, sendo acompanhado por Augusto César (PTB), Teresa Leitão (PT), Álvaro Porto (PSD) e Priscila Krause (DEM).  “Entendemos que precisamos discutir melhor o papel social das OSS. Foi cometida por parte do Governo uma desatenção à deputada Socorro Pimentel, que apresentou emendas importantes”, enfatizou Costa Filho.

O PL 1598/2017 foi aprovado por unanimidade, pelos 37 deputados presentes. Ao apresentar o relatório da Comissão de Educação favorável à proposta, Teresa Leitão, que preside o colegiado, sublinhou a diferença entre o piso salarial proposto para os professores da Polícia Militar com carga de 200 horas por mês (R$ 2.817,83) e os da rede estadual (R$ 2.298,80), defendendo mais igualdade nas remunerações.

Ascom/CVAI

O presidente da Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira, vereador Igor Mariano (PSD), juntamente com o vereador Daniel Valadares (PMDB) estiveram reunidos nesta segunda-feira com o presidente da Câmara do Recife, Eduardo Marques. A visita foi para conhecer de perto o funcionamento da Ouvidoria daquele Poder Legislativo. A proposta inicial é implantar o mesmo Projeto em Afogados da Ingazeira. 

O pleito foi levado ao Plenário em sessão ordinária no mês passado pelo vereador Daniel Valadares. "Sugeri a ideia e solicitei que o presidente pudesse conhecer outros lugares onde a ouvidoria já funciona. Fico feliz que nossa ideia tenha sido acatada e estamos evoluindo para implantar a ouvidoria legislativa em Afogados", destacou Valadares. 

Igor ressaltou a importância da troca de experiências e agradeceu ao presidente da Câmara do Recife pela acolhida: "Queria agradecer ao presidente Eduardo Marques, que foi sempre muito solícito e ajudou bastante a elucidar nossas ideias, vamos fazer uma ação pioneira no Pajeú, nossa ouvidoria legislativa será referência", disse Igor.

Os vereadores contaram com o apoio irrestrito da vereadora do Recife, Aline Mariano, que ajudou construir toda articulação e também participou da reunião. Aline também esteve ao lado dos parlamentares na Ouvidoria da Prefeitura do Recife. Lá, os parlamentares foram recebidos pela Ouvidora Municipal, Izabela Mendes. 

"A ouvidoria é um canal democrático que possibilita a população ter acesso permanente de forma transparente com os poderes. A Câmara de Afogados da Ingazeira dá um passo importante e demonstra sintonia com a população ao promover está ação", destacou Aline Mariano.

Ascom

Não é de hoje que o empreendedorismo feminino tem mostrado sua força e as mulheres se destacam cada vez mais nos diversos setores da economia. Elas atuam no comércio, na indústria, na prestação de serviços e nos negócios digitais.

E existem diversas razões que levam às mulheres a se lançarem no mundo do empreendedorismo, mas  as pesquisas mostram que o empreendedorismo feminino é movido por motivações muitas vezes diferentes daquelas que os homens têm.

A motivação financeira é basicamente uma das primeiras razões, mas elas exigem antes de tudo, exercer uma atividade que as traga satisfação pessoal. E principalmente outro motivo apontado por muitas mulheres para embarcarem na onda do Empreendedorismo é a vontade de fazer a diferença e trazer algo de novo e positivo para o mundo. 

Desta forma e com uma motivação peculiar surge a " Léa Por Elas", Rede de fomento ao empreendedorismo voltada ao empoderamento feminino, qualificação profissional e informação, cujo lançamento oficial acontece durante evento em Olinda, denominado:  "Primeiro Encontro com Foco na Mulher Empreendedora”.

Será uma manhã com palestras, dinâmicas e estórias de mulheres inspiradoras como a da empreendedora, Tatiana de Oliveira Maffini, 37 anos que mora em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Ela é palestrante e presidente da ONG Amada Helena que trabalha em busca da humanização do luto materno no Brasil, assunto delicado e ainda pouco discutido no país. Ela criou esse movimento após a perda da filha, ainda recém-nascida. Para saber mais acesse o link: https://temosquefalarsobreisso.wordpress.com/2016/08/11/amada-helena/

Ainda no encontro serão oferecidas vagas para uma semana de oficinas do SEI com o apoio do SEBRAE-PE e ofertado um Coffee Break colaborativo – momento de extrema importância para a realização do networking entre elas.

O QUE SÃO OFICINAS DO SEI

As soluções SEI do SEBRAE em sete pilares, ensinam os principais pontos para a gestão de um negócio eficiente e lucrativo para o Microempreendedor Individual.

Serviço: 

O quê- Primeiro Encontro  Foco na Mulher Empreendedora

Onde- Avenida Brasil, 200. 1ª Etapa de Rio Doce, Olinda.

(em frente ao estádio Grito da República)

Quando- 04.10.2017 (quarta-feira)

Horário: 08h às 12h

Inscrições: Gratuitas pelo Sympla (https://www.sympla.com.br/1-encontro-foco-na-mulher-empreendedora__191281)

O endereço gastronômico FIRMINO ESPETOS, muito frequentado nas noites afogadense teve o fim de um ciclo no antigo endereço, que era próximo ao semáforo do sistema viário e agora parte rumo a uma nova etapa, será mais um degrau a ser escalado, segundo seu proprietário Firmino Mercês, “com o mesmo esforço e dedicação de sempre, com fé em Deus, confiando na clientela, que até o último momento no antigo endereço foi fiel e com isso venceremos lá, no novo estabelecimento, com toda certeza”.

O novo endereço do Firmino Espetos fica na Avenida Artur Padilha nº 644, esquina com a Rua Senador Paulo Guerra, vizinho ao mercadinho  Emanuelle.

“Conto com a presença de todos os clientes  e amigos”, diz Firmino Mercês. O novo ambiente, conta agora com mais estrutura e organização. Agora dispõe de banheiros masculino e feminino, que antes não existia e tinha os reclames da clientela. O novo estabelecimento será aberto nesta terça-feira à noite.