Foto: Thalita Barbosa/JC Imagem

Movimentos sociais e centrais sindicais realizaram uma manifestação, na tarde deste domingo (21), no Recife, pedindo a saída do presidente Michel Temer (PMDB), ‘Diretas Já’ e contra as reformas do governo peemedebista. O ato, que aconteceu em mais de cinco capitais do País, teve início às 15h, no Marco Zero, na área Central do Recife.

As manifestações contra Temer têm se intensificado após a denúncia envolvendo o presidente, que segundo delação premiada do empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, teria dado aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba.

O ato foi organizado pela Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo e contou com a participação de entidades como a CUT, MST e CCB. De acordo com os organizadores, cerca de cinco mil pessoas estiveram presentes no evento.

Ainda na concentração houve apresentação do bloco de Carnaval Eu Acho é Pouco, que destacou o “eu avisei”, além de grupos culturais, sociais e político. Os manifestantes saíram pelas ruas do Bairro do Recife com placas e fantasias, gritando palavras de ordem como ‘Fora Temer’ e ‘Diretas Já’.

Foto: Reprodução/Divulgação

Por Dom Henrique Soares da Costa*

O buraco, o fundo do poço, o Brasil

Amigos, rezemos pelo Brasil! Parece que o fundo do poço não chega nunca!

Uma coisa deve ser clara para todo brasileiro decente: seja praticada por quem for, venha de onde vier, seja por qual motivo for, a corrupção deve ser combatida e os corruptos devem ser punidos na forma da lei.
Lugar de corrupto é na cadeia, sempre!

Pena que tudo isto poderá afundar a economia nacional, que começa a dar sinais de recuperação… Mas, se for o preço a pagar, que seja!

Está ficando cada vez mais claro: há uma cultura de corrupção generalizada no nosso País, que vai do caixa dois até a troca de favores por propinas!

É preciso uma limpeza geral na política nacional!

Pensemos um pouco: qual a parte do Povo nisto tudo? A quem elegemos? Que malandragens toleramos? O quanto admitimos o “rouba, mas faz”? Há uma culpa nossa, Povo brasileiro, também!

Uma coisa é certa e deveria ser clara para todos nós: qualquer saída para o Brasil tem que ser segundo a Constituição! Ou é assim ou o nosso País será sempre uma republiqueta de bananas, feita de casuísmos legais… Quem dera que deixássemos de fulanizar estas discussões e olhássemos a situação com a Constituição e as leis nas mãos! Esta é a única saída para um País justo, democrático e decente!

Deus venha em nosso auxílio!
A Virgem Mãe Aparecida interceda por nós, Pátria desvalida!

*Dom Henrique Soares da Costa é o atual bispo da Diocese de Palmares, Zona da Mata Sul do Estado.

http://enamo.ouricuri.ifsertao-pe.edu.br:8080/enamo/assets/images/back1.jpg;jsessionid=ca9ffbc4536d35e212084435a24d

Ascom

Através do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Abelhas (NUPEA), em parceria com a Associação dos Apicultores de Ouricuri (AAPIO), o Campus Ouricuri do IF Sertão-PE realiza nos próximos dias 23, 24 e 25 o II Encontro de Apicultores e Meliponicultores de Ouricuri.

A programação do evento, com o tema “Criação de Abelhas e os Desafios Atuais no Nordeste”, contará com palestras, mesas redondas, apresentação de trabalhos científicos e visitas técnicas à Agrovila Nova Esperança em Ouricuri, comunidade Paus Dóia em Exu, Refúgio das Abelhas em Moreilândia, todas em Pernambuco e o Entreposto de Mel da Matrunita, em Crato, Sertão do Ceará.

De acordo com o presidente do evento, professor Társio Alves, o encontro recebeu apoio de várias instituições e entidades, difundindo a discussão técnica, científica e mercadológica da Apicultura e Meliponicultura em Ouricuri e contribuindo para o desenvolvimento da região do Sertão do Araripe. A estimativa é de um bom público participante, entre estudantes, produtores e técnicos.

Imagem Ilustrativa

Nós, brasileiros, temos o melhor sistema de filtragem de água nas mãos, segundo pesquisas norte-americanas. Os filtros tradicionais de barro com câmara de filtragem de cerâmica são muito eficientes na retenção de cloro, pesticidas, ferro, alumínio, chumbo (95% de retenção) e ainda retém 99% de Criptosporidiose (parasita causador de doenças).

Os estudos relacionados ao tema, que foram publicadas no livro The Drinking Water Book, também indicam que esses sistemas de filtro de barro do Brasil, considerados mais eficientes, são baseados na filtragem por gravidade.

Considerado um sistema 'mais devagar', ele garante que micro-organismos e impurezas não passem pelo filtro devido à pressão exercida pelo fluxo de água. O processo lento é o que o diferencia dos filtros de forte pressão.

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente Michel Temer (PMDB) deixou o Palácio do Jaburu há pouco, onde recebeu aliados e assessores na manhã deste domingo, e seguiu para o Palácio da Alvorada acompanhado dos ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.

De acordo com interlocutores, Temer cogita oferecer um jantar para parlamentares da base aliada neste domingo à noite, no Palácio da Alvorada. Nesse sábado, Temer fez um pronunciamento em que rebateu as denúncias dos executivos da JBS e disse que continuará no governo.

Mais cedo, em meio à crise aberta pela delação premiada de executivos da JBS, Temer recebeu no Jaburu – residência oficial da vice-presidência onde o Temer mora com a família – o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ).

http://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/2016/06/17/normal/f753bf8ee5d2d43d111dfbdcd81b19ed.jpg

O suspense no cenário político pode influenciar obras por todo País que dependem de recursos e decisões do Governo Federal. Em Pernambuco, o Arco Metropolitano, por exemplo, havia recebido recentemente um aceno da União para liberação de aportes. Agora, o futuro da via de 90 quilômetros, projetada para desafogar o trânsito da BR-101 e facilitar a logística das empresas da Mata Norte a Suape, e de outros projetos, fica à mercê do resultado no jogo do poder.

Especialistas apontam que a renúncia e ou impeachment do presidente Michel Temer poderia paralisar vários projetos. Essa paralisia pode infectar, inclusive, os que ainda estão por acontecer, como os arrendamentos do Porto de Suape e os previstos dentro do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) – 89 projetos, dentre os quais 45 já foram licitados.

Secretário especial do PPI, Adalberto Vasconcelos, garantiu que o governo pretende manter o cronograma de leilões e estudos para concessões, apesar da crise política. "Independente do que acontecer, nada disso afeta o PPI”, argumentou. Economista e professor de Cenários Econômicos da Faculdade Guararapes (FG), Tiago Monteiro discorda. “A instabilidade do ambiente político faz todos segurarem o capital e somente isso já prejudica a atração de investidores para os projetos do PPI”, pondera. A “incerteza prejudica as decisões das empresas”, valida o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PE), José Antônio de Lucas Simon.

Dentro do pacote do PPI do Governo Federal, Pernambuco foi contemplado apenas com o adensamento do terminal portuário de Decal, em Suape, lotes de linhas de transmissão e a desestatização de serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, realizados pela Compesa. O Estado esperava engrossar essa lista incluindo também a concessão das BRs 232,101 e 48 e o Aeroporto do Recife. Também era esperada a retomada da independência para licitações em Suape, a partir de assinatura de um decreto federal, a qual deveria ter ocorrido na última sexta-feira, em Pernambuco. A agenda foi cancelada depois da divulgação das denúncias envolvendo o presidente.

Continue reading

http://seafarm.com.br/site/wp-content/uploads/2014/02/IMG_1366.jpg

A tempestade que chegou ao litoral do Nordeste no ano passado não trouxe ventanias, raios, trovões. Ela veio silenciosa e mortal. A mancha branca é a doença mais devastadora do cultivo de camarões no mundo. Em um dia acaba com o viveiro todo.

A doença que em poucos meses, a partir de maio do ano passado, quase arrasou as criações do Ceará demorou mais de vinte anos pra chegar até aqui. E viajou muito milhares de quilômetros desde o outro lado do mundo, no extremo oriente. Ainda há dúvidas sobre como a mancha branca acabou se espalhando. Existem algumas hipóteses, como o próprio comércio internacional de camarões, esse produto tão procurado e os ciclos migratórios de certas aves, que coincidem com avanços da doença. Ela também pode ter viajado na água do mar usada como lastro, dentro de navios.

O caminho até aqui, desde a descoberta da doença, no início da década de 90, é conhecido: da China e do Japão, ela cruzou o Pacífico até os Estados Unidos. Desceu pela América Central e atingiu o Equador, pais que é grande produtor. Ela começou a ser registrada no Brasil em 2004, a partir de Santa Catarina e foi subindo rumo ao Nordeste. Em 2014, chegou ao Rio Grande do Norte. Em 2016, ao Ceará.

Consumo de camarões infectados é seguro

O vírus que causa a doença se espalha com grande facilidade, dizem os especialistas da Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza. Há dezenas de animais transmissores, como siris e caranguejos, que não adoecem. Detalhe importante: o consumo de camarões, mesmo infectados, é seguro.

"Esse vírus não causa nenhum problema para a saúde humana, é exclusivo de invertebrados e causa doença somente no camarão", diz Rubens Galdino Feijó, engenheiro de pesca e pesquisador da UFC.

O vírus ataca e destrói células de órgãos do sistemas digestivo e respiratório dos camarões, debilita os animais e abre caminho para outras infecções por bactérias que levam à morte. Não existe cura nem vacina possível. O sistema imunológico do camarão é diferente do nosso. O que se busca é o controle.

No campo, mancha verde é arrasadora

O "Globo Rural" foi ver a situação no campo. Começamos por Paraipaba, a quase 100km a oeste de Fortaleza. Viemos ao encontro do seu Cristiano. Um dos maiores produtores do Brasil, Cristiano Maia, conta que a chegada da mancha branca foi arrasadora.

"Uma tristeza. Eu ficava aqui na fazenda vendo morrer tudo em dois dias. No primeiro dia eu perdi 100 mil quilos. E no segundo dia mais de 50 mil quilos", conta ele.

Há menos de um ano, cada um dos tanques que tem de 3 e meio a quatro hectares, produzia, a cada 90 dias, 10 toneladas de camarão. Hoje, são apenas duas toneladas. E isso porque foi aplicada a primeira técnica que se encontrou para tentar conviver com a doença e a diminuição da densidade da criação. Com mais espaço e menos competição, os camarões têm mais condições de sobreviver. E têm sobrevivido, mesmo com a presença inevitável do vírus.

Mas a produção, bem menor, acabou com o lucro.  Mesmo com os preços tendo triplicado por causa da falta de oferta no mercado. Além de melhorias na água, no solo, na ração, a grande aposta para voltar aos bons tempos é na genética.

http://infograficos.estadao.com.br/estaticos/especiais/2017/05/20/1098px.png

A JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, afirmou ter entregado R$ 1,4 bilhão em propinas nos 42 anexos de seu acordo de delação premiada. Os valores nominais de 214 pagamentos constam dos depoimentos e planilhas apresentados pelos delatores envolvendo 28 partidos. Em valores, o grupo concorre com a Odebrecht, cuja delação listou R$ 1,68 bilhão em repasses para 26 partidos.

Os repasses envolvendo a JBS podem ser maiores ainda se forem consideradas todas as doações eleitorais legais. O total relatado no anexos é mais que o triplo do que Joesley Batista havia admitido ter pago como propina –R$ 400 milhões – e mais do dobro do que afirmara Ricardo Saud, ex-diretor de relações institucionais da empresa (R$ 600 milhões).

Em seus pagamentos, a JBS é mais governista do que a Odebrecht. Segundo os relatos dos delatores, o grupo direcionou R$ 616 milhões a integrantes do PT (43,5% do total) e R$ 453 milhões para peemedebistas enquanto a Odebrecht havia reservado 25,4% de seus repasses para os petistas e 14,7% ao PMDB.

Em ambas as delações, o PSDB – até 2016 na oposição – aparece em terceiro lugar como beneficiário de propinas. Do dinheiro da JBS, os tucanos ficaram com R$ 90 milhões (6,3%), um pouco menos do que receberam da Odebrecht (8,9% do total).

Em quarto lugar na lista de repasses da JBS está o PSD, do ministro Gilberto Kassab, com 51,6 milhões (3,6 % do total). O PSD nasceu governista, durante a gestão de Dilma Rousseff (PT), e se mantém assim com Michel Temer (PMDB).

Os documentos revelam ainda que, em 2014, o grupo ajudou o PT e o PSDB a comprar os partidos que participaram das coligações que apoiaram as candidatura de Dilma Rousseff e Aécio Neves. Em uma anotação feita à mão por Saud consta uma lista de “partidos cooptados (parceiros) PT”. As informações são do Estado de S.Paulo.

http://s2.glbimg.com/UWVuxU4rts0yFnrG4s1xmAvNNCw=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/05/04/marcha_maconha_recife.jpg

Marcha da Maconha saiu às ruas do Recife nesse sábado (20), para protestar contra políticas proibicionistas e criticar o perfil de encarceramento no Brasil. Há dez anos, manifestantes participam da marcha, em defesa da legalização da cannabis sativa, da liberação do consumo e do cultivo da planta em casa.

O ato começou na Praça do Derby e seguiu pela Avenida Conde da Boa Vista rumo ao Recife Antigo, onde, na Rua da Moeda, houve um festival com música ao vivo, que também faz parte da programação da marcha. De acordo com Ingrid Farias, do Coletivo Antiproibicionista de Pernambuco, que organiza o protesto, a política de drogas no país não cumpre o objetivo de tornar a sociedade mais segura. Para ela, ocorre o efeito contrário.

“A política de drogas hoje só encarcera as pessoas pobres e negras. O número de encarceramento aumentou bastante nos últimos tempos por causa dessa política. Para nós, é importante mudar o modelo para parar de encarcerar o povo pobre e negro”, defende. Ingrid afirma ainda que este ano a marcha está nas ruas para pedir o fim das políticas proibicionistas, não só de drogas”. A [proibição] do aborto, por exemplo, a política ruralista que impede que a gente possa comer de forma saudável”, lembra.

Os participantes carregavam faixas pedindo a descriminalização e legalização da maconha, tanto para uso medicinal quanto recreativo. Mensagens como “prefiro minha erva à sua tarja preta” e “sua hipocrisia mata gente todo dia” eram expostas em cartazes. Manifestantes também levaram faixas pedindo liberdade para Rafael Braga, flanelinha condenado durante as manifestações de 2013 por ser flagrado portando Pinho Sol. O jovem foi considerado culpado pela Justiça, novamente este ano, por tráfico de drogas – ele portava, na ocasião, 06 gramas de maconha, 9,3 gramas de cocaína e um rojão, segundo a Polícia Militar (PM). Rafael acusa os policiais de plantar as drogas para incriminá-lo.

Para o representante do coletivo Muda e do Centro de Prevenção às Dependências (CPD), Roberto Rocha, de 23 anos, o primeiro passo é tirar o estigma da maconha e informar sobre seus reais efeitos e consequências. Ele trabalha como agente redutor de danos no CPD e defende que a substância causa menos problemas que drogas legalizadas e amplamente consumidas pelos brasileiros.

“É uma droga de pouquíssimo potencial ofensivo, seja para quem consome ou para a sociedade, se comparada a outras lícitas, como o tabaco e o álcool. É desistigmatizar, antes de tudo, o que é maconha e o que ela representa. E depois pensar em política pública: em descriminalizar, preparar o sistema de saúde para acolher o usuário, legalizar”, argumenta. A legalização, para ele, seria tanto para o cultivo doméstico quanto para a comercialização, desde que a venda fosse regulada de forma a impedir a sua transformação “em um grande negócio para grandes empresas”.

Maconha medicinal

Um grupo de mães que têm filhos com doenças tratadas com substâncias derivadas da maconha esteve na marcha. Elas também defendem a liberação do cultivo em casa, para que as famílias que precisam dos medicamentos à base da planta não dependam do mercado para o tratamento. Atualmente, cerca de 50 pessoas fazem esse uso em Pernambuco – a maioria, crianças.

Continue reading

Cerca de 250 empresas brasileiras foram afetadas pelo ataque global de hackers do último dia 12, que disseminou o vírus WannaCry para sequestrar informações de computadores de empresas e instituições em mais de uma centena de países. O número consta de levantamento da MalwareTech, que mostra o setor de telecomunicações como o mais afetado no país. O Brasil é considerado pela empresa de segurança Kaspersky o sexto país mais vulnerável a vírus do tipo ramsonware — que bloqueia os arquivos de um computador até o pagamento de um resgate — atrás de Rússia, Ucrânia, China, Índia e México.

No ano passado, o país teria sofrido 64,2 mil tentativas de invasão por dia, segundo dados da Symantec, patamar quase três vezes maior em relação ao ano anterior. A previsão é que o número aumente ainda mais neste ano. Do total de ataques, 80% foram tipos de vírus que surgiram no ano passado, destacou André Carraretto, estrategista em cibersegurança da Symantec. Com mais vírus por aqui, o Brasil também tem se tornado o ponto de origem de ataques à rede, como o que ocorreu semana passada. Se em 2015, o país representava 2% da origem dos ataques em todo o mundo, no ano passado, esse número subiu para 14%.

NO BRASIL, EMPRESAS TÊM ATITUDE REATIVA

Para Carraretto, esse avanço é reflexo da falta de investimento. Segundo ele, à exceção dos bancos, o assunto não costuma ser discutido no âmbito do Conselho de Administração das companhias.

— No Brasil há uma postura reativa. As empresas precisam ter uma estratégia em segurança. Hoje, os setores mais expostos a vírus no país são varejo, agricultura e indústrias. As pequenas e médias são os principais alvos dos hackers, destacou.

As estimativas de investimento de empresas brasileiras em segurança digital variam de US$ 200 milhões a US$ 1 bilhão por ano, mas analistas são unânimes em afirmar que as empresas deveriam destinar mais recursos para evitar dor de cabeça. A estimativa da Kaspersky é que as companhias invistam de 0,5% a 0,6% do orçamento da companhia em segurança da informação. Nos EUA e na Europa, o indicador chega a 3% ou 4% por ano.

— O investimento é pequeno. As empresas se comportam como usuários caseiros e veem segurança como commodity. Há empresas que usam softwares gratuitos para quase todos os funcionários e colocam um sistema de segurança maior em alguns equipamentos. Isso cria uma falsa sensação de segurança. O WannaCry chegou ao Brasil em uma hora e meia, afirma Roberto Rebouças, gerente-geral da Kaspersky.

Os pagamentos em bitcoins em todo o mundo no ataque do último dia 12 somaram US$ 95 mil, segundo a Kaspersky. O valor é baixo, analisa a Stefanini Rafael, joint-venture entre a brasileira Stefanini e a estatal israelense de defesa cibernética Rafael, se comparado ao potencial de prejuízo que esse tipo de ação causa à imagem das empresas. E mais ainda quando se considera a hipótese de paralisação das atividades para evitar o alastramento da contaminação.

O Papa Francisco anunciou este domingo no Vaticano a celebração de um consistório no próximo 28 de junho, onde serão nomeados cinco novos cardeais de países diferentes.

Os religiosos nasceram na década de 1940 e, portanto, têm menos de 80 anos. Cardeais com idade inferior a esta podem integrar o conclave e participar da escolha de um novo Pontífice.

— Devo anunciar a celebração de um consistório na segunda-feira, 28 de junho, para a nomeação de cinco novos cardeais. Sua precedência de diversas regiões do mundo mostra que a Igreja Católica está presente em todos os territórios, afirmou o Papa Francisco.

Os cinco novos cardeais são os arcebispos Jean Zerbo, de Bamako (Mali), e Juan José Osmella, de Barcelona (Espanha); o bispo Andres Arborelius, de Estocolmo (Suécia); o vigário Louis-Marie Ling Mangkhanekhoun, de Pakse (Laos); e o bispo auxiliar Gregorio Rosa Chávez, de San Salvador (El Salvador).

Segundo a agência italiana AGI, Arborelius será o primeiro cardeal escandinavo, enquanto Rosa Chávez seria o primeiro bispo auxiliar a receber o anel e a biretta, o gorro púrpura característico dos cardeais,

Em novembro de 2016, o Papa Francisco nomeou 17 novos "príncipes da Igreja". Treze terão direito a voto no próximo conclave.

Ascom/PMST

A Fase Municipal dos XXXIV Jogos Escolares 2017 foi encerrada na última sexta-feira (19), em Serra Talhada, com a presença de um excelente público no Ginásio Egídio Torres.  As equipes campeãs representarão o município na fase regional, em Afogados da Ingazeira.

Realizada entre os dias 08 e 19 de maio, pela Secretaria de Esportes e Lazer, em parceria com a Secretaria de Educação, o evento contou com a participação de aproximadamente 1.000 atletas de 19 escolas das redes municipal, estadual e particular de ensino, que competiram entre si nas modalidades de atletismo, natação, xadrez, futsal, futebol e handebol.

Para o secretário de Esportes e Lazer, Ginclésio Oliveira, os jogos alcançaram sua meta esse ano. “Fizemos um grande evento, com participação de várias escolas, quase mil alunos. Foi uma competição sadia em todas as modalidades e agora vamos nos preparar para os jogos regionais em Afogados da Ingazeira”, afirmou.

O prefeito Luciano Duque parabenizou todos os envolvidos na competição. “Todas as escolas e alunos estão de parabéns pela dedicação aos Jogos Escolares, por fazerem desse evento uma grande oportunidade para as escolas se confraternizarem através da união entre educação e esporte, incentivando a construção de boas relações e respeito mútuo entre os alunos. Todos estão de parabéns pelo empenho, os alunos, as escolas e todas as secretarias envolvidas por fazerem mais uma vez um evento participativo e de qualidade”, disse Luciano.

Confira os campeões dos JEP’s 2017

 Handebol – Pré-Mirim – Feminino

Campeão: Escola Literato

Vice-campeão: Cônego Torres

 Handebol – Pré-Mirim – Masculino

Campeão: Cônego Torres

Vice-campeão: Nova Geração

Futsal – Pré-Mirim – Masculino       

Campeão: Cônego Torres

Vice-campeão: Antônio Timóteo

 Handebol – Mirim – Feminino

Continue reading

Na noite desta sexta-feira (19), um sargento da Polícia Militar de Pernambuco, lotado no 23ºBPM, e também filho de Afogados da Ingazeira, sofreu uma tentativa de assalto, no bairro San Martin, na cidade do Recife, Capital Pernambucana.

Por telefone, o policial disse ao Blog PE Noticias que “tinha chegado à casa de uma cunhada e teria voltado ao veículo para pegar uns pertences que tinha esquecido e foi nesse momento que o assaltante o abordou, com o velho refrão, perdeu, perdeu, entra no carro, entra no carro”, continuou dizendo que “ofereci as chaves para que ele levasse o carro e foi nesse momento que percebi que poderia enfrenta-lo, ai segurei a mão em que estava a arma dele e consegui, só que quando cai por cima dele a armar dele atingiu meu rosto e cortou o supercílio e começou a sangrar, ai  não vi direito porque o sangue descia no meu olho, eu passei a mão (nos olhos) e piorou, ai ao soltar-me dele o mesmo me apontou a arma para atirar e por sorte ela ‘pinou’ foi ai que ele correu e eu saquei a minha arma e dei um disparou que pegou na mão dele”, disse o sargento.  

Segundo a Polícia Militar, o meliante foi identificado como Moisés Barros do Nascimento, de 34 anos e que momentos depois, o assaltante deu entrada na UPA da Imbiribeira, com ferimento proveniente de arma de fogo, e ao puxarem a ficha do bandido foi que constataram que ele era reincidente e tinha uma longa ficha de crimes, tendo sido preso de imediato. O sargento foi socorrido para o Hospital Português e passa bem.

Se o fato não fosse trágico, seria cômico, pois para surpresa de todos, o assaltante estava usando uma camisa do Serra Talhada Futebol Clube. Ficou a dúvida sobre a naturalidade do larápio, porém ficou claro, em seguida, que o mesmo era apenas um admirador do time cangaceiro serra-talhadense.

Campanha de vacinação contra a gripe começa na segunda-feira

A campanha nacional de vacinação contra a gripe do Ministério da Saúde se encerra no próximo dia 26, mas a adesão é considerada baixa em todo o País. Do total de 54,2 milhões de pessoas esperadas, somente 28,7 milhões foram vacinadas, o que representa 53% do público-alvo. No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, não foi alcançado nem 50% do público estimado.

A virologista Marilda Siqueira, chefe do Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), avalia que o pouco destaque que o vírus Influenza teve na mídia este ano e o recente surto de febre amarela contribuíram para desviar o foco da atenção das pessoas da campanha contra a gripe. Isso porque, em estados com registros de morte pela doença, como o RJ, a população se preocupou mais em correr aos postos para receber a imunização contra a febre amarela. A vacina contra a gripe está disponível nos postos de vacinação desde 17 de abril.

“Mas isso não tira de maneira nenhuma a importância de tomar a vacina contra a gripe”, adverte Marilda. A virologista explica que é importante tomar a dose anualmente uma vez que a vacina contra o vírus Influenza, causador da gripe, não oferece uma imunidade duradoura. Outro fator importante é que o vírus pode apresentar mutações de um ano para outro em seu genoma e as vacinas são "atualizadas" para garantir uma proteção mais ampla à população. “Então, tem que tomar este ano, de novo”, diz.

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro reafirmou que a baixa procura pelos postos de saúde é motivo de preocupação entre especialistas, uma vez que, até o início desta semana, seis em cada dez pessoas que fazem parte dos grupos prioritários ainda não se vacinaram.

“Vivemos um momento em que as medidas preventivas são fundamentais. A baixa adesão à campanha ainda nos preocupa e precisamos alertar a população. Sabemos que a gripe é uma doença aparentemente simples, mas que pode evoluir gravemente, principalmente entre os grupos mais vulneráveis. A vacina é segura e está disponível em todas as redes municipais de saúde. É preciso entender que a prevenção é a melhor forma de evitar a doença”, alertou o secretário de estado de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

Inverno

A proximidade do início do inverno, em 21 de junho, reforça a necessidade de ampliar a imunização. “O vírus Influenza já está circulando em várias regiões e as pessoas têm que ficar atentas para se protegerem”, insiste a virologista. Ela lembra que, no ano passado, mais de 2 mil pessoas morreram por Influenza no Brasil. Grande parte dos óbitos foi de pessoas elegíveis para tomar a vacina, ou seja, maiores de 60 anos de idade, crianças menores de 4 anos e pessoas com problemas de imunodeficiência, respiratórios ou cardíacos crônicos, além de diabéticos.

Continue reading

http://www.ifpe.edu.br/campus/afogados/arquivos/img_20150429_162512569.jpg/@@images/cf0ddaa4-0fdb-4043-8cf3-ed18cac9cd67.jpeg

O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) irá iniciar, nesta segunda-feira (22), as inscrições para o Vestibular 2017.2. Para esta edição são ofertadas 2.431 vagas em 41 cursos, distribuídas entre cursos técnicos nas modalidades subsequentes e integrada, além de qualificação de nível superior, nos 16 campi da instituição.

No Campus Afogados da Ingazeira, são ofertadas 120 vagas para os cursos técnicos em Agroindústria, Eletroeletrônica e Saneamento  para quem já tem Ensino Médio Completo. São 40 vagas para cada curso no turno da noite.

Para participar, os estudantes precisam se inscrever através do site da Comissão de Vestibulares e Concursos do IFPE, preencher a ficha de inscrição e emitir o boleto, no valor de R$ 30 para cursos técnicos e R$ 55 para o curso superior. O pagamento deve ser feito somente nas agências do Banco do Brasil até o dia 12 de junho, quando encerram as inscrições do vestibular. 

Os estudantes que desejarem a isenção devem solicitar a gratuidade até o dia 25 de maio, no ato da inscrição. Após a solicitação, o candidato deve procurar o campus onde concorre à vaga, no período de 22 a 26 de maio, das 9h às 12h e das 14h às 17h, para entregar a documentação exigida no edital.  A lista dos contemplados com a isenção será divulgada no dia 31 desse mês. 

As provas estão marcadas para o dia 2 de julho. O listão com o nome dos aprovados será divulgado no dia 12 do mesmo mês. Mais informações através do site do IFPE ou pelo telefone: (81) 2125-1724.