Líder do governo no Senado diz que Nordeste será primeiro local a receber auxílio de R$ 600

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, afirmou nesta sexta-feira (03), que o auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa, durante a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus será destinado primeiramente ao Nordeste.

“Os primeiros a serem contemplados serão aqueles cadastrados no Bolsa família, que alcança 14 milhões de brasileiros. E a notícia boa é que mais da metade são do Nordeste, os primeiros a serem beneficiados”, disse o senador.

“Os demais devem chegar até o dia 20 de abril”, afirmou FBC.

Fernando Bezerra ainda frisou que o governo tenta uma alternativa para realizar o pagamento aos trabalhadores informais que não estão no cadastro do Bolsa Família, quem não têm conta bancária e não estão no Cadastro Único.

Segundo previsão de FBC, o governo deverá ter como foco, na próxima semana, o auxílio a microempresários. 

“O foco do governo na próxima semana é promover liquidez para as empresas, sobretudo para microempresários. O Senado já marcou votação para terça-feira para que a gente possa estender financiamento aos microempresários, que são aqueles que geram até cinco empregos”, disse Fernando Bezerra.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva no Palácio do Planalto Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Época

O dia do “fico” de Luiz Henrique Mandetta começou com uma videoconferência e terminou com lamentos de frustração. Era manhã da quarta-feira 25, e o ministro fora desautorizado de forma constrangedora pelo presidente da República na noite anterior, quando Jair Bolsonaro fez um pronunciamento à nação negando a necessidade de isolamento social como forma de conter o avanço do novo coronavírus.

Ao contrariar publicamente a orientação mais premente de seu ministro da Saúde, o presidente abriu uma vala de distanciamento com Mandetta e colocou-o entre a cruz e a espada. Se ficasse no governo, estaria sujeito a um chefe que o diminuía diariamente. Se saísse, deixaria a pasta à mercê da ala mais radical do bolsonarismo, que enxerga na paralisação provocada pela pandemia um obstáculo à reeleição do presidente em 2022.

Mandetta optou por ficar. Permaneceram também as divergências com o presidente. Na noite desta quinta-feira (02), Bolsonaro disse que nenhum de seus ministros é ‘indemissível’ e que ‘falta humildade’ a seu ministro da Saúde. Ao ser questionado sobre as declarações do presidente, Mandetta disse que está trabalhando e não viu a entrevista.

Naquela quarta-feira, na entrevista diária que concede à imprensa para divulgar os números da doença, o ministro tentou distensionar a relação com o presidente e, para isso, flexibilizou a recomendação de isolamento que Bolsonaro tanto criticava. Depois de sua fala colocando em xeque o isolamento, Mandetta foi bombardeado por ligações de aliados e técnicos da saúde.

Ainda muito ligado à classe médica de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, ele tem o mesmo número de celular desde quando atendia em consultório. Também permanece em grupos de WhatsApp dos quais fazia parte antes de virar ministro. Nesses grupos, foi duramente criticado. Cobravam dele uma defesa mais enérgica das medidas de isolamento social, conforme as diretrizes das principais autoridades sanitárias do mundo. Sua mulher, Terezinha, médica em um hospital público de Brasília, é também defensora da política de isolamento — e usou a hashtag #ficaemcasa justamente ao publicar uma foto do casal. Em uma postagem, o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS), primo de Mandetta, fazia um apelo para que o ministro não abandonasse suas convicções. “Fique com a ciência. Se isto lhe custar o ministério, paciência. Sangue não vira água!”, escreveu o político em sua conta no Twitter. Continue reading

Secretaria de Saúde de Petrolina. — Foto: Prefeitura Municipal de Petrolina

G1

A primeira paciente diagnosticada em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, com o novo coronavírus teve a cura clínica anunciada no final da noite da quinta-feira (02), pela Prefeitura. A mulher, de 70 anos, chegou ao município de uma viagem ao exterior no dia 17 de março, apresentando alguns sintomas.

De acordo com a Prefeitura, o resultado do exame que atestou positivo para Covid-19 na paciente saiu no dia 23. A mulher, no entanto, não precisou ser internada, mas ficou isolada dos demais familiares da casa. Ela se recuperou e continua em isolamento, porém em convívio com os demais familiares que seguem em isolamento social e todos assintomáticos.

“Quando a pessoa passa do período que é o protocolo dos 14 dias e ela não apresenta mais sintomas, ela já eliminou o vírus, criando imunidade, impedindo a transmissão. Acompanhada por nossas equipes, a paciente seguiu as regras e adotou as medidas necessárias para o processo de recuperação, sobretudo o isolamento, que é a primeira regra. A batalha foi vencida”, explicou a secretária de Saúde de Petrolina, Magnilde Albuquerque.

Com a cura da paciente, a Prefeitura informou que os familiares também tiveram o monitoramento de saúde encerrado. No entanto, a família continua em isolamento social, atendendo às orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Decreto Municipal, entendendo a importância de ficar em casa.

O Blog PE Notícias procurou, via mensagem de WhatsApp, buscar a opinião e alguns esclarecimentos do Desembargador Alberto Virgínio Nogueira (foto), do TJPE, que por ser afogadense, tem também suas preocupações sobre essa pandemia do Covid-19, que vem assustando a população mundial, e que em pouco espaço de tempo chegou ao Sertão de Pernambuco, e como exemplo, dois casos suspeitos em Afogados da Ingazeira, tendo um dos casos, os exames deram negativo, mas outro continua em análise.

“Temos que cobrar das autoridades de Afogados da Ingazeira, fazer barreiras nas entradas da cidade, com a Polícia Militar e a Guarda Municipal para identificar quem chega á cidade, e a sua origem, para que pessoas com sintomas fiquem em quarentena”, defendeu o magistrado.

“O que podemos fazer é alertar o prefeito, Juiz de Direito, Ministério Público, secretário de Saúde, Comandante PM, Delegado de Polícia, presidente da Câmara de Vereadores e as rádios da nossa cidade, enfim, as autoridades constituídas do município, que devem e tem o poder para tomar as providências. O Decreto Governamental do Estado de Pernambuco diz qual melhor caminho devemos seguir. Orientar a população para que fiquem em suas casas, não fazer e nem receber visitas, essa é a maior solução. A senhora, que segundo comentários através da imprensa local, esteve em Fortaleza (CE), e está com suspeita de ter contraído o vírus, essa pessoa pode ter circulado pela nossa Afogados da Ingazeira, e não se sabe quantos tiveram contato com ela, e se foram infectados ou não. Temos e vamos divulgar o confinamento em suas casas, somente isso evita a proliferação do vírus”, disse o Desembargador.

O Desembargador disse também que “estamos em estado de guerra, e a Constituição Federal prevê isso, uma guerra contra o coronavírus. Solicito deste conceituado Blog que consulte, também, o Dr. Lúcio Luiz Neto – MD Promotor de Justiça do município; o Ministério Público tem os esclarecimentos para população, e o Promotor Lucio Neto vem dando a valorosa contribuição para deixar nossos conterrâneos ciente da gravidade e dos cuidados que essa pandemia requer. Estamos em guerra contra uma pandemia, e isso é sério”, concluiu Dr. Alberto Virgínio.

Em mais um decreto para intensificar o combate ao coronavírus, à Prefeitura de Sertânia cancelou, até 30 de junho, todas as festividades custeadas ou patrocinadas pelo poder público municipal. Entre maio e junho, em tempos de normalidade, Sertânia vivencia a emancipação política, os jogos escolares e os festejos juninos. O prazo para a suspensão de eventos custeados pelo governo municipal pode ser estendido.

 Leia a íntegra do decreto

A decisão foi tomada após reunião do Comitê Gestor de Crise, criado  pelo Governo Municipal de Sertânia para combater a Covid-19.

Ainda de acordo com o Decreto nº 015/2020, publicado nesta quarta-feira (1º), fica prorrogada a suspensão das aulas da rede municipal de ensino até 30 de abril, podendo a medida ser prorrogada. Essa decisão é válida, ainda, para as escolas da rede privada.

Todas as providências seguem recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.  O Governo Municipal de Sertânia está tomando todas as medidas necessárias para evitar a chegada do novo coronavírus ao município, por isso a colaboração e conscientização da população são imprescindíveis.

Sertânia não tem, até o momento, casos confirmados do novo coronavírus.

Avenida Mascarenhas de Moraes, na Zona Sul do Recife, tinha pontos de alagamento por volta das 6h desta sexta-feira (3) — Foto: Everaldo Silva/TV Globo

Os municípios de Recife e Olinda registraram pontos de alagamento no começo desta sexta-feira (03) após chuva intensa durante a madrugada. Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), o alerta de chuvas com intensidade moderada a forte na Região Metropolitana, na Zona da Mata e no Agreste é válido até às 17h desta sexta-feira.

“As chuvas são fruto de nebulosidades provocadas por instabilidade oriundas do oceano”, explicou a meteorologista Edvania Santos. O radar meteorológico indicava, na manhã desta sexta, continuidade das chuvas no Agreste e no litoral pernambucano.

A Avenida Mascarenhas de Moraes, na Zona Sul do Recife, foi um dos pontos que teve acumulo de água e exigiu uma diminuição na velocidade dos motoristas. Imagens mostram veículos passando devagar e próximos ao canteiro central para fugir da água, que ocupava a faixa e a calçada.

á em Olinda, a Rua Pedro Álvares Cabral, no bairro de Jardim Atlântico, ficou intransitável durante a madrugada. Segundo o microempresário, Carlos Johnn de Araújo Marques, de 60 anos, a situação na rua não é novidade.

“É a terceira vez nos últimos quatro meses que chove e a rua fica desse jeito, completamente alagada. Uma obra na via, que começou em janeiro deste ano e ainda não foi concluída, piorou ainda mais a situação”, contou. Continue reading

VEJA

Parece uma eternidade, e não se passaram mais de vinte dias desde que o governo do Estado de São Paulo decretou, pioneiramente no Brasil, severas medidas de distanciamento social para combater a pandemia de Covid-19. A partir daí, o país parou, com algumas distinções em cada região — congelamento necessário, imposto pelo mantra que atravessa o mundo, ancorado em três palavrinhas mandatórias: fique em casa. E é para ficar mesmo. Mas até quando teremos de estar confinados? Ou, em outros termos: quando conseguiremos retomar o cotidiano de modo relativamente normal, sem riscos para a saúde, mas em ritmo que autorize ar respirável e luz para a economia? Não há, evidentemente, uma resposta clara, muito menos única.

No entanto, a curva de casos, mortes e, sobretudo, recuperações em países que chegaram antes ao drama, além de vastos estudos de epidemiologia e projeções matemáticas, oferece um cauteloso — cauteloso, insista-se — otimismo. Um modo inaugural de enxergar alguma saída é olhar para a região de Hubei, na China, epicentro do espraiamento do coronavírus, identificado pela primeira vez logo depois do Natal de 2019, então como “uma pneumonia atípica de causa desconhecida” e que, na quinta-feira 2, tinha alcançado a triste marca de mais de 1 milhão de casos, 8 000 deles no Brasil. Em 23 de janeiro, a cidade mais populosa do condado chinês — Wuhan — entrou em um processo chamado de “isolamento sanitário”. Tudo fechou — ruas, escolas, estabelecimentos comerciais. Em 24 de março, depois de exatos dois meses, a pétrea decisão foi levantada.

Aos poucos, os meios de transporte público em Wuhan começam a funcionar, com usuários de máscara, e as aulas são retomadas gradativamente (embora as salas de cinema permaneçam com cadeados). Vive-se, enfim, fora do enclausuramento — ainda que com receio permanente. Tudo somado, eis uma perspectiva, empírica, baseada no exemplo da China: temos ainda pelo menos outro mês de quarentena no Brasil. Se o cálculo levar em conta a eclosão do primeiro caso, aplicando-se a toada por aqui, o prazo se estenderá por mais trinta dias. Seria plausível, portanto, o restabelecimento da normalidade a partir do fim de maio, início de junho. Mas não para todos ao mesmo tempo. O provável, segundo expectativa de técnicos do Ministério da Saúde, não revelada oficialmente: a normalidade mesmo só voltará em setembro. Diz Dimas Covas, diretor do Instituto Butantã, em São Paulo, uma das vozes mais respeitadas do país quando se fala de vacinas, interlocutor preferencial das autoridades de saúde: “Se seguirmos rigorosamente a orientação de afastamento, evitando a circulação de pessoas, poderemos ter um quadro positivo lá na frente”. Por ora, não — e espera-se um salto de internações nos próximos quinze dias. Continue reading

Moradores da Rua Sidrônio do Amaral Góes, no centro de Afogados da Ingazeira, procuraram o Blog PE Notícias para denunciar a situação lastimável que estão passado. Eles reclamam de um enorme alagamento por conta dos entulhos e lixos jogados na área de uma antiga lagoa, próximo a academia Estação Atlética.

No mesmo dia em que houve a enxurrada no bairro Borges, algumas casas da Rua Sidrônio Góes ficaram ilhadas e a água adentrou em algumas delas, trazendo larvas, insetos, lixo e até mesmo cobras. Uma água totalmente contaminada, podre e com mau cheiro.

Depois que passou esse trágico episódio, moradores solicitaram ao responsável pela infraestrutura pública na Prefeitura, para que tomasse uma providência quanto a desentupir o esgoto por onde a água ‘deveria’ passar. É que toda água que passa por trás do supermercado ki-preço, tem como destino essa antiga lagoa, que escoa para o Rio Pajeú, mas não está escoando porque o esgotamento que passa por baixo da Rua Henrique Dias, também está entupido, reclamam os moradores.

Dizem que falaram com responsável na Prefeitura, não precisaram o nome do mesmo, e este, “além de atender como se tivéssemos pedindo favor, ignorou a situação”, denuncia um dos moradores.

O que pedem “urgentemente” é que a Prefeitura tome as devidas providências, enquanto as chuvas não começam novamente. Nas imediações das casas afetadas têm pessoas idosas, pessoas sujeitas a adoecer por conta dessa água fétida, além de estragar os móveis dessas residências. Lembrando que as reclamações com relação a essa lagoa já duram mais de 30 anos, e com isso sai prefeito e entra prefeito mas ninguém toma uma providencia quanto a esse esgoto exposto em pleno centro de Afogados da Ingazeira.

Esses moradores suplicam que alguém por parte do poder público tome a frente desse problema infinito, e resolva antes que cause mais danos, tanto nas casas como na saúde de cada morador.

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

O Ministério Público de Pernambuco expediu recomendação à Secretaria de Defesa Social (SDS) para tomar medidas a fim de evitar a realização da carreata ‘Pernambuco não pode parar’, prevista para esta sexta-feira às 10h no Recife.

Segundo a recomendação, o objetivo é evitar a propagação do novo coronavírus durante a pandemia, na capital pernambucana.

No documento, com orientações às autoridades pernambucanas, o MPPE recomenda que seja impedida realização de eventos de que resultem a formação de aglomerações em espaços públicos, assim como carreatas, em todo o estado de Pernambuco, enquanto durar a emergência da calamidade pública.

O Ministério Público ainda recomendou apreensão dos veículos que estiverem na carreata, caso aconteça. O MPPE também permitiu que os automóveis sejam apreendidos para que fiquem à disposição do serviço público para combate à covid-19, inclusive com a possibilidade de apreensão a favor do estado de Pernambuco e do município do Recife.

Por Ademar Rafael Ferreira (Papa)

Ade maleu lapa-el – Onde surgiu a “Administração por objetivos” e quem foram seus principais teóricos?

Papa – A “Abordagem neoclássica” deu a senha ao defender “maior envolvimento com os objetivos e compromisso com as metas”, o pragmatismo aplicado ao extremo nos Estados Unidos deu o rumo e as contribuições do austríaco Peter Ferdinand Drucker deram forma para “Administração por resultados – APO”, outro grande expoente desta teoria administrativa é o britânico John William Humble. Por suas contribuições também merecem ser citados os americanos Herbert Alexander Simon, Philip Selznick e Talcott Edgar Frederick Parsons.

O APO é um sistema sustentado pela integração entre as necessidades das organizações em superar metas e as necessidades dos seus executivos e colaboradores em desenvolver-se. A junção destas necessidades cria um universo onde o processo participativo substitui o processo hierárquico.

A importância da obra de Peter Drucker para administração alcançou tão alto nível que poucos discordam do título de “pai da Administração Moderna” a ele merecidamente atribuído. Após conquistar o título de PhD em Direito Internacional, em 1932 na Alemanha, Drucker foi perseguido pelos nazistas, mudou-se para Londres e em 1937 chegou os Estados Unidos onde sua obrar ganhou musculatura e amplitude.

Em função de restrição, quanto ao tamanho do texto em nossa proposta, daremos ênfase à minúscula parte da vasta obra do maior guru da administração no século passado. Entendia Drucker que a administração é uma ciência que trata de pessoas nas organizações e que a base do objetivo do gestor é a inovação em processo dinâmico que gera novas ideias a partir da combinação destas com ideias antigas, trazendo ideias de outros campos com as adaptações cabíveis.

Segundo Drucker para atingir alto nível de eficiência a organização necessita seguir três regras básicas: Ser organizada por desempenho; ter o mínimo possível de níveis gerenciais e capacitar os gestores do futuro.

Quanto ao comportamento o grande mentor da APO, entre outra diversas mensagens nos ensina: “Escute primeiro e fale depois”; “Não podemos prever o futuro, mas podemos criá-lo” e “A simplicidade tende ao desenvolvimento, a complexidade à desintegração”.

Mesmo reconhecendo meus limites, arisco-me afirmar que a obra de Peter Drucker é a perfeita sistematização flexível de saberes diversos, da área administrativa e fora dela, na busca de resultados.

https://3.bp.blogspot.com/-8ZArol0UVPY/XBpu1iYyCsI/AAAAAAABSdM/1Uts20YkTI8ody2iSmmEa9Yiezr9HR62wCLcBGAs/s1600/DSC_0100.JPG

Já que no bloco governista está definido que a chapa para a sucessão do prefeito Sebastião Dias, em Tabira, será formada pelo PT e o PSB, a permanência da presidente da Câmara Nelly Sampaio no PSC reduz sua opção de futuro para a eleição municipal:

1 – Integrar a chapa do bloco de oposição liderado pelo desafeto e ex-prefeito Dinca Brandino, como vice dele, ou de um nome que ele ‘tire do bolso democraticamente’.

2 – Ou partir para a reeleição numa sigla que não tem até agora, nomes fortes para garantir nem mesmo a renovação do seu mandato.

Na oposição, Nelly vai disputar espaço com o aliado Marcos Crente, que já havia confirmado sua condição de pré-candidato a vice-prefeito. Marcos era o maior defensor da candidatura de Nelly a Prefeitura de Tabira.

Já que o nome da presidente da Câmara não se consolidou, Marcos Crente bateu em retirada e se tornou discípulo de Dinca, desde criancinha. Com informações do comunicador Anchieta Santos, das rádios Pajeú FM, e Cidade FM, de Tabira, para o Blog PE Notícias.

A população brasileira receberá ligações automáticas através do número 136, o “Disk-Saúde”, para fazer avaliação à distância de sintomas, acompanhar evolução da doença e mapear áreas de risco de contágio da Covid-19. O Ministério da Saúde vai fazer ligações para cerca de 125 milhões de brasileiros. Ao atender a ligação, a pessoa ouvirá uma voz de uma atendente virtual como se fosse uma consulta, por meio de uma voz artificial, que vai fazer uma triagem fazendo as seguintes perguntas:

Caso a pessoa informe que está apresentando os sintomas (ou a piora), será orientada por um profissional de saúde a procurar um posto de saúde ou hospital de referência, sem que ela precise sair de casa.

Mas como saber se não é trote ou algum golpe?

  1. Preste atenção no identificador de chamadas, o número oficial que deve aparecer é 136, do Disque Saúde, qualquer outro número não deve ser levado em consideração quando se tratar deste tipo de abordagem.
  2. Desconfie e não responda perguntas que não sejam: Aqui é do Ministério da Saúde você pode falar agora? Você tem apresentado febre e tosse ou febre e dor de garganta?
  3. Jamais forneça ou repasse informações sobre senha de banco, conta bancária, dados financeiros e do benefício do INSS dentre outros.
  4. Não marque nenhum agendamento para que pessoas compareçam em sua residência sob o pretexto de fazer uma consulta presencial. Caso a pessoa informe que está apresentando piora dos sintomas, será orientada na ligação por um profissional de saúde a procurar um posto de saúde ou hospital de referência, Bandidos podem se aproveitar dessa situação para se passar agentes de saúde e realizar assaltos.

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Por Fernando Castilho/JC

O que começou de forma improvisada, após uma mobilização social, a partir da produção de máscaras por diversas instituições públicas e privadas no Estado e que foi crescendo a partir da produção de escudos faciais (faces shields), em impressoras 3D, pode virar um novo negócio com a produção de milhões de máscaras mais completas e até mesmo uma linha de aventais de uso hospitalar dentro de padrões exigidos pelas normas da ABNT.

E tudo isso usando as máquinas de costura hoje paradas no Polo de Confecções de Pernambuco liderado pelos municípios de Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe.

Está começando uma conversa entre os empresários do setor, no sentido de aproveitar a oportunidade que a epidemia da covid-19 inicialmente trás para suprir a rede pública de Pernambuco e, a seguir, outros estados.

Nesse sentido, os empresários estão se propondo a usar sua expertise da produção de roupas nos três municípios e se tornar fornecedor regular desses itens para o governo, hospitais privados e instituições de apoio como clinicas e hospitais e demais estados que também enfrentam a falta desses equipamentos de proteção individual. Por que já se sabe que tudo nesse negócio se conta em milhões.

A proposta é reorientar uma parte do parque de máquinas para um programa que vá muito além das doações feitas voluntariamente. A proposta é passar a atender as necessidades do Governo de forma que as máquinas de costura sejam usadas para produzir mascares e uma linha completa de aventais e até jalecos de uso nos hospitais. Continue reading

A previsão do tempo indica que o céu deve ficar fechado nesta sexta-feira (03). A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) alertou para pancadas de chuva com intensidade de moderada a forte para as regiões Metropolitana do Recife, Agreste e Zona da Mata Norte e Sul. As chuvas devem acontecer ao longo do dia. Onde deve fazer mais frio é no Agreste, com temperatura mínima de 19° C.

O aviso vale até esta sexta-feira. Em caso de situações de emergência, os moradores devem entrar em contato com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros de seus municípios.

O Sertão recebe pancadas de chuva de intensidade fraca a moderada, durante a tarde e à noite.

Confira a previsão completa abaixo:

Região Metropolitana

Parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada a forte.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 22°

Mata Norte

Parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada a forte.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 23°

Mata Sul

Parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada a forte.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 30° Mínima: 22°

Agreste

Parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade moderada a forte.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 31° Mínima: 19°

Sertão de Pernambuco

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada no período da tarde e noite com intensidade fraca a moderada.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 34° Mínima: 20°

Sertão de São Francisco

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada no período da tarde e noite com intensidade fraca a moderada.
Temperatura (ºC): Estável
Máxima: 33° Mínima: 22°

O ministro Luis Roberto Barroso. Foto: Jorge William / Agência O Globo

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cogitam adiar as eleições municipais de outubro para dezembro, devido à pandemia do coronavírus. A decisão sobre a data das votações deve ser tomada entre fim de maio e início de junho, a depender da situação sanitária do país. Ainda que o quadro não esteja definido, os ministros descartam a possibilidade de prorrogação dos mandatos atuais. Isso aconteceria se as eleições fossem reagendadas para 2021. Ou, ainda, se houvesse unificação com as eleições gerais de 2022.

— A saúde pública, a saúde da população é o bem maior a ser preservado. Por isso, no momento certo será preciso fazer uma avaliação criteriosa acerca desse tema do adiamento das eleições. Mas nós estamos em abril. O debate ainda é precoce. Não há certeza de como a contaminação vai evoluir. Na hipótese de adiamento, ele deve ser pelo período mínimo necessário para que as eleições possam se realizar com segurança para a população. Estamos falando de semanas, talvez dezembro, disse o ministro Luís Roberto Barroso, que vai presidir o TSE a partir de maio.

O ministro afirmou que eventual prorrogação de mandatos não está sendo cogitada na Corte, porque violaria a Constituição Federal.

— A ideia de prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores até 2022 não me parece boa. Do ponto de vista da democracia, a prorrogação frauda o mandato dado pelo eleitor, que era de quatro anos, e priva esse mesmo eleitor do direito de votar pela renovação dos dirigentes municipais. Se for inevitável adiar as eleições, o ideal é que elas sejam ainda este ano, para que não seja necessária a prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores, declarou. Continue reading

 
bove=""