https://2.bp.blogspot.com/-gl2VosbdTH0/V5i4q7_loHI/AAAAAAAAs4g/c2qDU3qbh9QAu-u0yhERFI6vdR5IW4vXgCLcB/s640/petistas-choram-apc3b3s-derrota-levam-calote-do-pt-em-vc3a1rias-capitais-e-partem-para-briga.jpg

Em nota oficial divulgada ontem (20), o PT Nacional informou que os encontros estaduais que vão decidir o posicionamento do partido em cada Estado – se por uma aliança ou candidatura própria – foram adiados para o dia 2 de agosto. 

A decisão, assinada pela Comissão Executiva Nacional, foi tomada “considerando que o processo de negociação com PSB e PCdoB quanto ao apoio formal à candidatura do PT à Presidência da República ainda está em andamento, sem perspectivas de conclusão no curto prazo”. 

A medida vale para os Estados do Amazonas, Amapá, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Tocantins e Rondônia. 

O adiamento pode beneficiar o governador Paulo Câmara (PSB) que tenta convencer alas do partido contrárias ao apoio nacional à candidatura do ex-presidente Lula. A aliança entre PT e PSB pode minar a candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes (PT). 

Em nota, Marília afirmou que “isso não muda em nada o empenho que a gente está tendo na construção da pré-candidatura, já que é a que mais cresce no Estado nesse contexto das eleições. Temos certeza de que vai se consolidar para a gente fazer a disputa em outubro”.

O PSDB ficou insatisfeito com a condução do senador Armando Monteiro para a composição da chapa majoritária. O movimento realizado pelo petebista, que não teria se entusiasmado com a escolha de Bruno Araújo para a vaga de senador na chapa, dentre outros motivos, foi o estopim para que o PSDB optasse por deixar a coligação liderada por Armando Monteiro.

Ainda não se sabe se o PSDB lançará candidatura própria, mas como não tem diálogo com o PSB nem com o PT, é provável que Bruno Araújo dispute o governo de Pernambuco. O anúncio sobre a decisão tucana deverá ocorrer a qualquer momento. Em se confirmando este desfecho, Armando perde o principal partido da sua coligação. As informações são do blog de Edmar Lyra.

http://imagens2.ne10.uol.com.br/blogsjconline/pingafogo//2016/06/Armando-diego-nigro.jpg

Pré-candidato ao governo do Estado, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) sinalizou tem que pode dar palanque para apoiar o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida presidencial. Em entrevista ao programa Audiência Marcada, da Rádio Jornal nesta sexta-feira (20), Armando fez duras críticas ao governador Paulo Câmara (PSB). Na saída, confirmou a convenção para o dia 04 de agosto e tratou como possíveis nomes para a vice o deputado federal Daniel Coelho (PPS) e o deputado estadual André Ferreira (PSC).

Armando voltou a dizer que, se o ex-presidente Lula (PT) for candidato, votaria nele, mas que esse apoio não se estendia a outro candidato à Presidência pelo PT. “Se o presidente Lula não for candidato, vou avaliar em favor do quadro de pré-candidaturas que o meu palanque oferece. Eu já sei para onde não vou. Eu não iria para candidatura extremadas em nenhum momento”, afirmou o petebista. “Alckmin eu tenho em boa conta. É um homem honrado. Foi um bom governador de São Paulo”, elogiou o senador.

Durante a entrevista, Armando defendeu sua visita ao ex-presidente Lula (PT) na carceragem da Polícia Federal como uma razão de ordem pessoal pela proximidade que o seu pai, Armando Monteiro Filho, tinha com o ex-presidente. “Não vou disputar proximidade do Lula com ninguém”, afirmou.

Sobre composições, Armando revelou já ter conversado com os deputados federais Augusto Coutinho, presidente do Solidariedade, e João Fernando Coutinho, presidente do PROS, mas evitou adiantar se eles desembarcarão do governo. Disse que ouviu do PP e do PR que ambos precisam esgotar as conversas com Paulo Câmara antes de abrirem diálogo com a oposição.
Buscando polarizar com o governador, Armando criticou a gestão Paulo, que classificou de “débil”, “hesitante” e sem presença em meio às articulações no Congresso sobre os temas que dizem respeito aos Estados. “Essa marca da omissão tem sido muito forte”, disparou o petebista.

Armando também indicou que pode levar para a campanha temas como a Operação Torrentes, que investigou ações de reconstrução após as enchentes na Mata Sul. “Concluíram esses inquéritos? Foram apuradas a responsabilidade? Eu acho que todos precisamos cobrar”, indicou. As informações são do jornalista Paulo Veras do JC.

https://ramosfilho.files.wordpress.com/2018/01/estadio-vianao.jpg?w=840

Acontece neste sábado (21), a abertura oficial do maior e melhor Campeonato Rural do Sertão do Pajeú. Serão 20 equipes disputando, até novembro – quando ocorrerá a grande final – a taça de campeão.  

A abertura será no melhor gramado e com a melhor iluminação em LED do interior de Pernambuco, características do Estádio Vianão, reconhecidas pela Federação Pernambucana de Futebol. A partida inaugural terá início às 17h, entre as equipes do Serrano do São Domingos e Grêmio  do Santo Antônio. A rodada dupla contará ainda com a presença do campeão do ano passado, o Corinthians da comunidades da Vaca Morta enfrentando o Estrela Azul da Laje do Gato. 

A Prefeitura Municipal irá distribuir R$ 4.400 em premiações, divididos entre os quatro primeiros colocados, além de troféu e medalhas. 

A entrada custa R$ 5,00

https://i0.wp.com/nilljunior.com.br//wp-content/uploads/2014/07/triunfo05.jpg

Tradicional no calendário de eventos de Pernambuco e atraindo milhares de turistas da região e de estados vizinhos para a cidade de Triunfo, o Sesc marca presença na Festa dos Estudantes de 2018, que chega a sua 60ª edição este ano. Com programação especial que tem início neste sábado (21) e segue até o dia 28 de julho, o público poderá assistir a apresentações de espetáculos, participar de ações de literatura e formação, além de visitar exposições. As atividades são descentralizadas e acontecem em três pontos do município: o pátio da feira, o Teatro Cinema Guarany e no Polo Gastronômico. 

O espetáculo “Cordear”, do Coletivo Trippé, que mistura literatura e dança, abre a programação do Sesc neste sábado (21), às 9h, no pátio da feira. Nesse sarau são investigados os movimentos a partir das palavras, desenhando no espaço os causos lidos nos cordéis. São memórias de cordelistas do Sertão que ganham a cena. Às 16h, o Polo Gastronômico recebe a montagem infantil “Meu querido Catavento”, de teatro e dança, que integra o repertório desse mesmo coletivo. A peça foi pensada para propor as crianças uma alternativa nas brincadeiras massificadas pelos eletrônicos. Para cena, são levados jogos que utilizam a imaginação.

Ainda neste dia, às 19h, aporta no Teatro Cinema Guarany o espetáculo “O Peru do Cão Coxo”, do Galpão das Artes. No palco, a montagem descortina a preguiça em um picadeiro de intrigas no sertão de Taperoá. A classificação indicativa é de 5 anos. Já no domingo (22), o Polo Gastronômico recebe “Você que não entendeu não perde por esperar”, que mistura música regional e literatura popular.

No dia 26 de julho, é a vez do Quarteto Forrozado levar a música regional do Pajeú para o Polo Gastronômico, às 16h. O dia seguinte (27) será de movimentação no Teatro Cinema Guarany. O grupo Teatro de Retalhos apresenta para o público infanto-juvenil “Malassombros” – contos além do Sertão. No palco, narrativas do imaginário que ajudam na construção da identidade cultural de um povo com histórias que atravessam gerações através da oralidade. A classificação indicativa é de 5 anos.

O encerramento da programação do Sesc no Festival dos Estudantes será bem agitado. No dia 28 de julho, as atividades vão acontecer nos pontos descentralizados. Às 8h, no pátio da feira, haverá a intervenção artística de dança e teatro “A chegada dos cabras de lampião à feira de triunfo”, representando a cultura do xaxado. No período da tarde, às 16h, tem “Cantigas do Sertão para Voar”, uma apresentação que mescla música e literatura, destacando o cancioneiro popular e as vivências sertanejas. Fechando a grade, a Cia. Fiandeiros sobe ao palco do Teatro Cinema Guarany com “Histórias por um fio”. A montagem é inspirada em contos da tradição oral ibérica, indígena e africana e pode ser conferida às 19h.

Exposições

Duas mostras podem ser conferidas durante o festival na Fábrica de Criação Popular do Sesc. A primeira é de “Depois que a feira termina” com fotografias das feiras livres das cidades do alto sertão do Pajeú. A visitação pode ser realizada gratuitamente de quarta-feira a domingo, sempre das 9h30 às 12h e das 13h30 às 17h. A outra é “Madeira Viva”, que apresenta obras do artista plástico Luiz Benício, escultor há 20 anos. Os trabalhos foram produzidos em seu ateliê no Vale do Catimbau. O público poderá conhecer o acervo de segunda a sábado, das 8h às 12h e das 13h às 21h.

Ações formativas

Serão realizadas duas oficinas, a de confecção de pífano e a de produção de cinema com mídias móveis. Ambas acontecem de 23 a 27 de julho, no turno da tarde, para o público com idade a partir dos 15 anos.  

Vivências

Neste sábado (21), duas vivências serão movimentadas. A primeira é “Um olhar lúdico sobre o quintal” com Charlon Cabral, que abordará o processo criativo em teatro com crianças, às 9h. A outra é “O mundo fantástico de Ariano Suassuna e os possíveis diálogos entre suas obras e o público infantil” com Flávia Suassuna, às 14h. Para ambas, o público-alvo são educadores, pedagogos, arte/educadores e interessados em literatura.

Serviço:

Sesc no Festival dos Estudantes 2018

Informações: (87) 3846.1341

www.sescpe.org.br  

http://www.didigalvao.com.br/wp-content/uploads/2017/11/hqdefault-7.jpg

Vários pipeiros de Serrita e de outros municípios da região se uniram para cobrar do Governo do Estado débitos referentes a um mês de 2015, 12 meses de 2016 e alguns meses do primeiro semestre de 2017. A dívida é relativa a serviços prestados ao IPA para o abastecimento de comunidades rurais no Sertão Central e do Araripe.

Segundo o advogado Francisco Arraes Sampaio, que representa os profissionais juridicamente, caso o governador não se posicione sobre o débito, os pipeiros bloquearão o acesso ao Parque Estadual João Câncio nesse sábado (21). O espaço está sediando a 48ª Missa do Vaqueiro de Serrita.

“Se o governador não se posicionar sobre essa dívida, nós vamos fechar a PE-507 nesse sábado com os caminhões pipas. Vamos bloquear tudo”, ameaçou Arraes Sampaio, informando que somente com os pipeiros serritenses o saldo devedor é de R$ 500 mil.

Ainda de acordo com o causídico, este ano o Governo do Estado liberou R$ 200 mil para pagamento de pipeiros na região, mas privilegiou quem é ligado ao seu grupo político. “Não é justo pagar aos seus correligionários e deixar os outros sem receber”, reclama o advogado.  

Falando em nome dele e do deputado federal Zeca Cavalcanti (PTB), o deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB) defendeu nesta quinta-feira (19) durante encontro com lideranças rurais de Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, a “retomada do desenvolvimento em Pernambuco e mais apoio ao homem e a mulher do campo, esquecidos pelo atual governo comandado pelo PSB”.

“Estamos chegando a quatro anos de um governo que vem, a cada momento, desmontando nosso estado, deixando as estradas abandonadas e esburacadas, a exemplo da PE 275, os agricultores sem assistência, o IPA abandonado sem poder cuidar e atender aos produtores rurais. É um governo que chegou ao fim e que os pernambucanos contam os dias para dar adeus a ele”, disse o deputado estadual Júlio Cavalcanti.

Durante o encontro coordenado pelo vereador afogadense Zé Negão (PTB), representantes de mais de 100 comunidades rurais relataram seus problemas e garantiram apoio às propostas apresentadas pelo parlamentar trabalhista de fortalecimento dos órgãos de assistência técnica a exemplo do IPA, um programa de maquinário destinado às entidades rurais e ações permanentes de convivência com a seca. Muitos produtores rurais reclamaram do abandono por parte do governo Paulo Câmara (PSB).

Para o produtor rural Simião Alfredo, da região de Umburana, o atual governo federal e estadual “diminuíram o apoio a agricultura, reduziram os recursos para nós agricultores produzirmos. É como dizia o governador Arraes (ex-governador Miguel Arraes): Pernambuco tá crescendo pra baixo, como cauda de animal”. Para Simião, é preciso pensar grande, pois o sertanejo tem muito potencial para sair da crise.

Já Kátia Galvão, da Serrinha, defendeu a melhoria das estradas que “estão abandonadas, prejudicando a população, quem trabalha com a terra. É preciso olhar mais para os agricultores”, ressaltou afirmando reconhecer o trabalho de Zeca e Júlio na região do Pajeú e no estado. O mesmo sentimento foi expresso por D. Maria do Socorro ao afirmar que apesar de tudo “ainda temos políticos de caráter e de qualidade como Zeca e Júlio”.

José Severino, da Cachoeira da Onça, criticou duramente os que ontem eram contra Lula, Dilma e hoje correm atrás de seu apoio. “Eles acabaram com os programas sociais que ajudavam o homem do campo, a agricultura familiar está cada vez mais difícil, o que planta não dá pra despesa, falta irrigação e o homem do campo se todo mês não fizer dinheiro, passa fome. Se o estado não ajudar, não segura ninguém no campo não”, disse Severino.

As ações dos parlamentares trabalhistas na região do Lajedo foram relatadas pelo líder comunitário Daniel Marcos. Para ele, “é preciso continuar trabalhando pela comunidade e olhar cada vez mais para nossa região”. A burocracia exigida das entidades rurais foi um dos principais pontos tocados pelo produtor Tarcísio da Costa do Sítio Santiago.

Para Zé Negão, somente a união e a força da coletividade vão poder mudar a realidade que hoje Pernambuco vive. “Temos problemas os mais diversos na agricultura, com a falta de apoio ao homem e a mulher do campo, a falta de empregos, saúde, médicos, uma gama enorme de problemas que prometeram resolver e ao invés disso só aumentaram. Graças ao trabalho de Zeca e Júlio é que estamos conseguindo trazer ações e obras para Afogados”, afirmou.

O parlamentar trabalhista finalizou agradecendo a presença das lideranças e disse que a mudança está para acontecer. “É a hora de Pernambuco retomar sua liderança, reconstruir um estado que foi abandonado, seja na saúde, na infraestrutura, na agricultura e no apoio ao homem e a mulher do campo, valorizando o trabalho daqueles que constrói nosso desenvolvimento e hoje vivem esquecidos, como vocês aqui no Pajeú. Vamos mudar essa história juntos”, finalizou Júlio Cavalcanti. As informações são da Assessoria do deputado.

Ele cumpre mandado de prisão preventiva, até que as investigações sejam concluídas  / Foto: Reprodução/Polícia Civil

Um homem foi preso, no município de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, suspeito de estuprar mais de dez crianças, além da própria sobrinha, de 12 anos. De acordo com a Polícia Civil, durante as investigações foi constatado que todas as vítimas são vizinhas do suspeito.

A equipe da Delegacia de Serra Talhada, chefiada pelo delegado Cley Anderson Rodrigues, foi à procura do homem, de 49 anos, após ser emitido um mandado de prisão preventiva contra ele. Ele estava em casa, na quinta-feira (19), no bairro Bom Jesus, quando foi surpreendido pela equipe. O suspeito foi recolhido ao presídio de Salgueiro, onde deve permanecer em reclusão até que seja julgado e condenado pelo crime. 

A sobrinha tentou se matar

A sobrinha do suspeito foi abusada por ele quando ela passava férias na cidade. O tio ameaçava a menina de morte, caso ela contasse para alguém o que acontecia entre eles. Devido ao trauma sofrido, a criança chegou a tentar suicídio.

O rapaz também se aproveitava da facilidade em ter uma comunicação mais próxima com as crianças da rua, e praticava o estupro, sem levantar suspeitas, sempre ameaçando todas as vítimas.

Outro caso

Um homem de aproximadamente 30 anos, foi preso na tarde dessa quinta-feira (19), na cidade de Águas Belas, Agreste de Pernambuco, pelo crime de estupro.

Com apoio de policiais do 9° BPM, a Polícia Civil cumpriu um mandato de prisão preventiva contra o acusado que não teve a identidade revelada para preservar a identidade da vítima.

De acordo com o delegado Marcos Omena que está à frente das investigações, o homem foi denunciado por familiares da vítima, uma menor de 17 anos, que teria sofrido a agressão dentro da própria casa. Ele foi encaminhado à cadeia pública de Saloá, também no Agreste do Estado.

O ex-jogador de futebol Romário de Souza Faria (Podemos) lidera a disputa para o governo do Rio de Janeiro. O senador registra de 24,3% a 28,5% das intenções de votos nos três cenários testados pelo Paraná Pesquisas.

No 2º lugar nos três cenários, aparece o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM). No cenário em que é testado, o ex-governador Anthony Garotinho (PRP) empata com o demista em 2º lugar.

Apesar de condenado por abuso de poder político econômico em fevereiro deste ano, Paes poderá se candidatar nas eleições após o ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Jorge Mussi conceder liminar (decisão provisória).

O percentual de eleitores que não sabem em quem votarão ou não escolherão nenhum candidato é alto em todos os três cenários. Chega a 30,6% em um deles.

O levantamento (íntegra) foi realizado de 14 a 19 de julho de 2018, em 46 cidades fluminenses e levou em consideração três cenários. Foram entrevistadas 1.860 pessoas com 16 anos ou mais. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais e atinge um índice de confiança de 95%. O estudo está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº RJ-06304/2018.

Cenário completo

No cenário com mais pré-candidatos, Romário chega a 24,3% das intenções de voto. Em 2º lugar aparecem empatados, dentro da margem de erro, o ex-prefeito Eduardo Paes, com 15,1%, e ex-governador Anthony Garotinho (PRP) com 13,5%.

Em março deste ano Garotinho foi condenado pelo TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) por propaganda eleitoral antecipada. Ele teve de retirar de redes sociais, blogs ou outras plataformas 1 vídeo em que divulgava sua pré-candidatura ao governo.

Em seguida aparecem o deputado federal Índio da Costa (PSD), que pontua 7,2%, seguido pelo vereador Tarcísio Motta (Psol), 3,8%, pelo deputado estadual Pedro Fernandes (PDT),  2,7%, pela professora gaúcha Márcia Tiburi (PT), 2,1% e pelo advogado Marcelo Trindade (Novo), 2%.

Não atingiram 2% das intenções de voto o Wilson Witzel (PSC), Marcelo Delaroli (PR-RJ), Rubem César Fernandes (PPS) e Leonardo Giordano (PC do B).

Nesta pesquisa estimulada, 21,3% dos eleitores disseram não votar em nenhum e 3,7% não souberam opinar.

Começa nesta sexta-feira (20) o período reservado para as convenções eleitorais de partidos, quando as siglas oficializam candidaturas e coligações para as eleições de outubro. O 1º candidato competitivo a presidente a ser confirmado nas convenções é Ciro Gomes, que concorre pelo PDT. O partido de Carlos Lupi homologa já nesta 6ª feira a candidatura de Ciro, já consolidada na sigla.

Ciro é confirmado sem saber que apoio terá de outros partidos. Dentre as siglas do chamado Centrão, o pedetista tem a simpatia do Solidariedade e de alas do DEM e do PP, mas não do PRB, comandado pelo bispo licenciado da Universal Marcos Pereira. Pela esquerda, Ciro também busca uma coligação com o PSB – que tende a adiar para o último momento uma resposta final.

PSC e PCB

Os dois partidos também realizam suas convenções nesta sexta-feira. O PSC pode confirmar a candidatura a presidente de Paulo Rabello de Castro, que comandou o BNDES em 2017 e 2018. O PCB apoia a candidatura de Guilherme Boulos pelo Psol, que realiza sua convenção no sábado (21).

PSL e Jair Bolsonaro

O capitão da reserva terá sua candidatura a presidente homologada no domingo (22), na convenção do PSL. Bolsonaro teve dificuldades em articular alianças durante a semana desistiu do PR e foi recusado pelo PRP.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira, em parceria com o Governo de Pernambuco, vai distribuir 21 mil raquetes de palma, do tipo “orelha de onça”, com agricultores afogadenses. O carregamento chegou ao município na tarde desta quinta-feira (19), e veio por intermédio do Instituto Agronômico de Pernambuco – IPA.

Segundo informações do secretário-executivo de Agricultura, Valberto Amaral, as raquetes servirão como incremento para novas plantações de palma e serão distribuídas na próxima terça-feira (24), com os agricultores selecionados pela Associação de Pequenos Criadores de Caprinos e Ovinos de Afogados da Ingazeira.

“Essa é mais uma ação em parceria com o Governo de Pernambuco, visando ampliar o plantio da palma aqui em Afogados, e que vai beneficiar bastante a cadeia da caprinovinocultura de nosso município,” destacou Valberto.

Na quarta (18) e quinta-feira (19) os municípios participam, na Amupe, da oficina “Municípios pelo Desenvolvimento Sustentável – Nova Agenda Urbana e ODS”. O evento faz parte do projeto Parceria pelo Desenvolvimento Sustentável que pretende apoiar municípios pequenos e médios na implantação dos ODS e Agenda 2030. Através de parceria entre a Associação Brasileira de Municípios (ABM), Instituto Polis e com financiamento da União Europeia, o projeto prevê oficinas, seminários, feiras de boas práticas e um Observatório que será criado em 2019 como instrumento permanente de acompanhamento da atuação dos municípios. O ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e o Programa Cidades Sustentáveis também são parceiros no projeto, que tem o apoio da Amupe.

Participaram da abertura, o diretor executivo da ABM, Eduardo Tadeu, Sérgio Kelner, diretor da Secretaria Nacional de Articulação Social da Presidência da República, Antônio Magalhães, diretor de Planejamento da Sudene; Luciano Siqueira vice-prefeito do Recife; Beatriz Vidal, da Secretaria Estadual da Mulher; João Batista, prefeito de Triunfo, representando o presidente José Patriota e Patrícia Menezes, da Rede ODS. Estiveram presentes ainda, os prefeitos Vavá Rufino, de Moreno, Adilson Timóteo, Inajá, Jaziel Gonçalves, São José da Coroa Grande e Josimara Cavalcanti, de Dormentes.

Eduardo Tadeu detalhou os desdobramentos do projeto e também como relacionar a Nova Agenda Urbana e os ODS com a realidade dos municípios. “Todos sabemos que qualquer gestão pública trabalha com os objetivos, mas nem sempre os relaciona”, explicou. A respeito do projeto, a ideia é que as experiências exitosas sejam a base para o Observatório e para uma revista que será lançada ao final do período. O incentivo das oficinas é para que os gestores coloquem a Agenda 2030 em seus respectivos planejamentos com base nos indicadores locais. “Temos a clara ideia de que sem os governos locais a agenda não avançará, porque é nas cidades que as pessoas moram, queremos sensibilizar o Governo Federal para que apoiem os municípios na realização de ações que contribuam para essa nova agenda urbana”, informou Tadeu.

Os prefeitos presentes destacaram a importância do tema. “O mais importante desta oficina é o desdobramento que ela terá, com as ações efetivas”, afirmou Luciano Siqueira. Vavá Rufino disse que em seu município as ações já estavam lincadas com os ODS e que entende que assuntos como a violência só serão resolvidos com a cooperação entre as gestões. A prefeita de Dormentes, Josimara Cavalcanti destacou que “um evento como esse traz a oportunidade de conhecermos as experiências que deram certo em outros municípios e também aprender mais sobre ODS”. O prefeito João Batista destacou o comprometimento da Amupe com os ODS lembrando que o 5º Congresso realizado pela instituição em abril deste ano,  já trouxe o tema para conhecimento de todos os municípios. O prefeito Adilson Timóteo confessou ter conhecido o tema no Congresso e que isso despertou seu interesse. “Vim para conhecer mais, porque qualquer gestor que se importe precisa participar, para que possamos acompanhar para que as coisas aconteçam.

Patrícia Menezes, representando a articulação institucional do gabinete do prefeito de Barcarena/PA falou sobre a inclusão da Agenda 2030 no PPA do município e de que forma eles trabalham para tornar a agenda uma prática cotidiana das ações da prefeitura. No período da tarde os participantes se dividiram em grupos para a parte prática do encontro que será finalizado nesta quinta-feira.

http://blogdofinfa.com.br/wp-content/uploads/2017/05/flavio-marques.jpg

A municipalização do transito da cidade de Tabira será debatida no próximo dia 26 de julho em Audiência Pública na Câmara Municipal. Nesta quinta-feira (19), o Programa Cidade Alerta da Rádio Cidade FM recebeu o secretário de Administração do município, Flávio Marques (foto) e o engenheiro de trânsito, Esdras Cordeiro.

Todos os segmentos da sociedade tabirense serão ouvidos nesta audiência, disse Flávio. Já o engenheiro de trânsito, Esdras Cordeiro, adiantou a princípio que quatro semáforos serão utilizados, haverá relocação de taxistas, mototaxistas, lotações e faixas de pedestre elevadas serão implantadas além de ponto especifico de carga e descarga.

O acesso de entrada na cidade será com mão única pelas Praças Pedro Pires e Gonçalo Gomes e a saída pela Rua Desembargador João Pães, conhecida como Rua de Zé Maria.

Flávio adiantou que a via será melhorada pelo governo Sebastião Dias: “será importante à participação de todos os interessados, pois as mudanças serão muitas, para que as reclamações não venham depois”, concluiu Flávio.

A Audiência Pública será realizada na quinta-feira, 26 de julho, com início previsto para ás 8h30 e será aberta ao público. A municipalização vai garantir eficiência, segurança e fluidez no trânsito da cidade, garantiu Esdras Cordeiro. As informações foram repassadas ao PE Notícias pelo comunicador Anchieta Santos, das rádios Pajeú AM e Cidade FM, de Tabira.

O Governo de Pernambuco publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (19), o aviso de licitação (PL 791/2018), para tomada de preço do projeto executivo de pavimentação de 25 km da PE-615, trecho que liga o distrito de Nascente/Araripina ao distrito Socorro/Santa Filomena, no Sertão do Araripe.

A obra que vai custar R$ 750.202,77 (setecentos e cinquenta mil, duzentos e dois reais e setenta e sete centavos) aos cofres do Estado. Com a pavimentação da PE-615, além da facilidade de acesso entre as duas cidades, que reduz a distância pela metade (apenas 82 km de Santa Filomena a Araripina, via PE-615), haverá um grande avanço na escoação dos produtos da agricultura local, como farinha de mandioca, feijão e milho.

Em sendo mais uma obra que trará inúmeros benefícios aos moradores daquela região, fica na expectativa de que não seja “mais” uma obra meramente eleitoreira. Pois em 42 meses de gestão, o governador não conseguiu entregar cerca de 70% das promessas feitas durante a campanha eleitoral. O plano de governo é o retrato da falta de gestão do socialista, acusou nesta quinta-feira (19), o deputado Silvio Costa Filho.

“Para ganhar a eleição, o governador fez um conjunto de promessas, como dobrar o salário dos professores, que sabia que não seria possível de cumprir, mas mesmo assim prometeu. Temos certeza que ele terá a resposta nas urnas”, destaca o parlamentar.

Paulo Câmara chega ao fim da sua gestão com 29 promessas não entregues a população, entre elas, a navegabilidade do Rio Capibaribe, o bilhete único, dobrar o salário dos professores, além da construção e ampliação das barragens, o programa Doutor Chegou, UPAs, hospitais regionais, como o Mestre Dominguinhos, em Garanhuns, e o Hospital do Sertão, em Serra Talhada, além das 20 unidades do Compaz estadual, conclui o líder da bancada de oposição na Alepe.

http://imagens4.ne10.uol.com.br/blogsne10/jamildo/uploads//2016/10/ufpe-748x410.jpg

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) caiu entre cinco e nove posições no ranking das melhores universidades da América Latina divulgado pela revista britânica Times Higher Education (THE). No ano passado, a universidade estava localizada entre a 26ª e a 30ª posição, mas desceu para o 35ª posto em 2018. A UFPE, que ocupava a melhor posição entre as instituições de ensino superior do Nordeste, foi ultrapassada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), que agora está em 30º lugar. Procurada, a UFPE não respondeu até o fechamento da matéria.

Apesar da queda da UFPE, o Brasil continuou na liderança do ranking de universidades latino-americanas. Pelo segundo ano consecutivo, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) se manteve na ponta. O ranking de reputação acadêmica reforça as universidades brasileiras como as melhores da região – há cinco no top 10. Mais nova e com metade do orçamento, a Unicamp fica à frente da Universidade de São Paulo (USP) especialmente pelas parcerias com a indústria para produzir conhecimento. A avaliação usa 13 métricas, em quatro áreas: ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectiva internacional.

A USP ainda tem desempenho melhor, mas bem próximo ao da Unicamp, em ensino e internacionalização. “A Unicamp sempre teve essa vocação e proximidade com a indústria. Precisamos buscar mais essa alternativa de recurso, especialmente em um momento de crise financeira”, diz o reitor da instituição, Marcelo Knobel.

Mesmo com perda de posições, UFPE destaca melhora na pontuação

Embora a UFPE tenha perdido posições no ranking, a universidade aumentou sua pontuação, passando de 53,1-54,9 (intervalo) para 60,5. Por área, o desempenhou ficou assim: Ensino (ambiente de aprendizagem) subiu de 66,1 para 73,4; Pesquisa (volume, renda e reputação) foi de 52,4 para 66,4 e Citações (influência da pesquisa), de 41,6 para 48,7.

Na perspectiva internacional, no entanto, houve diminuição na nota. No quesito pessoal, estudantes e pesquisa caiu de 24,6 para 23,5. Na renda da indústria (transferência de conhecimento) reduziu de 70,1 para 45,8. A UFPE não comentou a queda nos números.

Crise econômica traz riscos para instituições

Apesar de o País ter 43 entre 129 universidades selecionadas, a THE alerta que, “apesar do domínio regional”, a situação econômica traz riscos. “A profunda pressão financeira sobre suas universidades está prejudicando desempenho e atratividade no cenário global e colocando em risco seu imenso potencial”, diz Phil Baty, diretor de Global Rankings.

Dentre as instituições que perderam posição estão as federais do Rio (UFRJ), do ABC (UFABC), de Pernambuco (UFPE), do Ceará (UFC), de Goiás (UFG) e do Rio Grande do Norte (UFRN). “Estamos a quatro anos acumulando redução no recurso para investimento e congelamento na verba para manutenção. O impacto não é imediato, mas já começa a ser sentido”, diz Emmanuel Tourinho, presidente da associação de reitores (Andifes).

Em nota, o Ministério da Educação (MEC) afirma que não comenta por desconhecer a metodologia. Mas diz não haver “cortes” este ano nem faltar verba para as federais. O ranking completo pode ser conferido neste link.