Avião caiu e uma pessoa morreu carbonizada em Igarassu / Foto: cortesia

Um avião do tipo ultraleve caiu no final da manhã deste sábado (11) em Igarassu, no bairro de Cruz de Rebouças, Região Metropolitana do Recife e Litoral Norte do Estado. O homem que pilotava o avião, identificado como José Erivan da Silva, 46 anos, morreu carbonizado no local.

O ultraleve modelo Flyer GT 582 caiu nas proximidades do Hotel Gavoa, desativado há anos, onde há uma pista improvisada de pouso e decolagem de aeronaves de pequeno porte. Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros foram deslocadas para atuar no caso. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foi acionado e enviou o resgate aéreo, além de uma ambulância de suporte avançado, mas a vítima já havia falecido quando a equipe chegou.

Funcionários do Aeródromo Coroa do Avião, em Igarassu, informaram que o ultraleve não partiu do local, mas que teria saído do Aeródromo de Caruaru, no Agreste do Estado. As primeiras informações apontam que o piloto teria tentado pousar e como não conseguiu arremeteu, mas acabou caindo.

Ajuda de populares

Populares tentaram apagar as chamas do avião usando extintores, mas já era tarde. Funcionários da Marina Gavoa contaram que diversas pessoas usam a pista improvisada. A Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) foi acionada para isolar o local do acidente.

De acordo com peritos do Instituto de Criminalística (IC), foi encontrada uma pistola 380 junto com o piloto do ultraleve. A arma de fogo foi recolhida. A família do José Erivan é moradora da cidade de Caruaru. O homem seria mecânico de aeronaves e teria perdido errado a pista de pouso, caindo de bico. O Instituto Médico Legal esteve no local do acidente e recolheu o corpo para a unidade do Recife, em Santo Amaro, área central da capital pernambucana.

http://www.fatiaimagem.com.br/img/B8B356D5/imgs_0.jpg

Um touro vermelho, com quase mil quilos e grande capacidade de adaptação a regiões castigadas pela seca é um dos destaques da 76ª Exposição de Animais e Produtos Derivados do Cordeiro, que segue até amanhã. Alexander é o grande campeão da exposição nordestina da raça sindi, originada do Paquistão. Essa é uma das raças que mais crescem no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Criadores de Sindi (ABCSindi). No Estado, o rebanho já é composto de mil cabeças.

O sindi se destaca pela precocidade tanto para a formação de carcaça (aos 20 meses, já está pronto para o abate) e para o primeiro parto (entre 24 e 26 meses). É um trunfo para produtores da agricultura de subsistência com rebanho pequeno, por causa da dupla aptidão para o corte e a produção de leite. Mesmo na seca, a fêmea não deixa o bezerro sem leite. A característica mais importante é a rusticidade. O gado faz bom aproveitamento até de alimentos de baixa qualidade, como pastagens secas.

O dono do touro, o empresário e pecuarista Marcelo Tavares de Melo, da Fazenda Três Irmãos/Rebanho FTI, aposta na raça em áreas mais secas. “O gado nelore, muito comum no Brasil, tem sentido muito com essa seca. No meu ponto de vista, o sindi é uma raça ideal para o Nordeste. O que a gente percebe é que as regiões estão cada vez mais secas”, comenta. O seu plantel de Sindi tem 150 cabeças. Alexander também é grande campeão nacional e o terceiro melhor grande campeão na ExpoZebu. Cada dose do sêmen do animal está sendo vendida por R$ 30 (mais informações pelo telefone 81 99753-5228). 

De acordo com o diretor-secretario da ABCSindi, Arthur Targino, o sindi apresentou a capacidade mais eficiente de converter o que consome em leite ou ganho de peso entre as raças zebuínas em testes das Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu). “A vantagem é que, quando a pastagem perde qualidade, no período seco, o sindi é a raça de zebu que menos perde peso. Consegue encurtar o ciclo da cria, recria e engorda em um ano”, diz Arthur.

O cruzamento do sindi com outras raças também mostra bons resultados. Com o nelore, por exemplo, o gado em regime de campo, aos 25 meses, atingiu 17 arrobas e rendimento da carcaça de 58% em abates técnicos no Sudeste.

A raça foi introduzida no País em 1952. No Nordeste, um dos precursores foi Pompeu Borba, na Paraíba. “É um gado muito resistente. Meu pai começou a criar em 1981 e o rebanho foi crescendo. Hoje, a procura pelo animal é grande”, comenta o administrador da Fazenda Riacho do Navio, na Paraíba, Álvaro Borba, filho de Pompeu. O plantel tem 900 cabeças de gado.

Para Arthur Targino, é grande o potencial de Pernambuco na criação de sindi. “O Estado tem uma das melhores pecuárias do Nordeste e a raça Sindi entra para somar”, diz.

Araripina

O município de Araripina, no Sertão pernambucano, localizado a 621 km do Recife, estará comprometida com o acordo de colaboração internacional contra a mudança climática ao longo do próximo ano. O compromisso foi firmado durante o primeiro encontro do Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC), realizado na última quinta (09) e sexta-feira (10), em Bruxelas, capital da Europa.

A cidade de Araripina se destacou como uma das seis cidades brasileiras por suas boas práticas a favor da causa ambiental, justificativa para selecioná-la ao evento, financiado pela União Europeia a fim de impulsionar a troca de experiências entre cidades da América Latina e União Europeia para a implementação de uma nova agenda urbana e ambiental na região latino-americana.

O evento permitiu a apresentação, de forma oficial, das diferentes cidades latino-americanas participantes e as correspondentes cidades europeias com as quais estabelecerão a cooperação, além da definição dos temas prioritários que serão trabalhados de forma conjunta durante o próximo ano. No caso de Araripina a cidade europeia parceira é Santo Tirso (Portugal).

Nesse contexto, ficou definido que, em conjunto, a gestão de Araripina deverá delinear um plano de ação local de desenvolvimento urbano sustentável, que deverá incluir atividades e projetos pilotos que possam ser realizados em curto prazo e promovam a pesquisa, os negócios e a comunidade local.

Além de Araripina, outras quatro cidades brasileiras e uma região paulista fazem parte do programa: Benedito Novo (SC), Belo Horizonte (MG); Vitória (ES), São Leopoldo (RS) e Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. As demais cidades da América Latina incluídas no programa estão na Argentina, Colômbia e México.

Passados cinco meses da realização do São João, um dos mais fracos em termos de negócios e movimentação financeira da recente história de Arcoverde, a Prefeitura de Arcoverde, que agora tem uma Secretaria de Cultura, ainda não pagou os cachês de vários grupos culturais que se apresentaram nos polos juninos de junho deste ano.

Desta vez quem denuncia o descaso para com os valores culturais da terra é o Grupo Coco Pisada Segura, que segundo o Folha das Cidades, se apresentou no São João de Arcoverde no dia 22 de junho no Polo Raízes do Coco.

Em postagem na fanpage do grupo um desabafo: “falar sobre São João…É uma tremenda falta de respeito com os artistas de Arcoverde. Nós do Coco Pisada Segura estamos indignados pois até hoje não recebemos nem um centavo do São João de Arcoverde. Já fazem 5 meses e nada; e os artistas famosos (os modinhas) chegam aqui e já saem daqui com dinheiro no bolso, os artistas da cidade que fazem o São João acontecer só passando constrangimento”.

Segundo a postagem do grupo, não são apenas eles que estão sem receber seus cachês, vários outros grupos que temem cobrar publicamente e serem cortados das festividades oficiais, também sofrem sem notícia do pagamento. O interessante é que a Secretaria de Cultura, criada para gerir a cultura da cidade e valorizar os grupos e artistas da terra, cala-se diante das cobranças que vem acontecendo há mais de 3 meses. O mesmo silêncio vem da Secretaria de Turismo, responsável pelas contratações. Quanto a Prefeitura essa nem sem fala, já que nem fala e nem paga.

Na postagem, o Grupo Coco Pisada Segura atesta que “isso tá errado e não só somos nós que estamos sem receber tem vários outros grupos da cidade…Tremenda falta de respeito…fica aqui nosso desabafo”.

https://2.bp.blogspot.com/-8X18u65Et6M/WgZvB05OdbI/AAAAAAAAQDU/S1g7ayM_LYoeK-eXiaHiIZhJMnrApJ2WQCLcBGAs/s640/Screenshot_1.png

Ministro repetiu discurso de que reforma consolida direitos

O trabalhador é o "maior vencedor da reforma trabalhista". A avaliação foi feita pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em rede nacional de televisão exibida na noite desta sexta-feira (10).

Em um tom de comemoração, o ex-deputado gaúcho exaltou a reforma que "parecia impossível" e elogiou o esforço do presidente Michel Temer em avançar com a pauta. A reforma trabalhista entra em vigor neste sábado (11).

"Os maiores vencedores são os trabalhadores e todos aqueles que contribuem, com seu esforço e dedicação, para um Brasil melhor, mais próspero e mais justo", disse Nogueira. No pronunciamento, o ministro dá boas vindas "ao futuro" e lembra que reformar a legislação da década de 1940 "era desafio que a todos parecia impossível de vencer", mas o projeto avançou com "ousadia, diálogo e trabalho".

O ministro repetiu discurso de que a reforma consolida direitos, promove a segurança jurídica e gera empregos. Mesmo assim, reconheceu que "apenas o crescimento econômico pode gerar empregos, o maior de todos os direitos do trabalhador". Além disso, exalta que "foram mantidos todos os direitos trabalhistas", como Fundo de Garantia, seguro-desemprego, salário mínimo, férias de 30 dias, 13º salário, aviso prévio e licença-maternidade.

Nogueira terminou o pronunciamento com a lembrança de que foram criados mais de 208 mil postos de trabalho com carteira assinada durante 2017. "Vencemos a recessão e o emprego voltou. Com a modernização trabalhista iniciamos um novo tempo com mais empregos, mais esperança e otimismo".

http://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/2017/11/10/normal/7a7b7c5e7f31b8309cb85d3eed443594.jpg

As crianças que escrevem cartas ao Papai Noel e enviam pelos Correios já podem ter a esperança do pedido atendido. Nesta sexta-feira (10), em São Paulo, foi lançada a Campanha Papai Noel dos Correios 2017. Também foram lançados os tradicionais selos de Natal, desta vez inspirados no conto de Natal O Soldadinho de Chumbo, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

A campanha nacional contempla cartas de qualquer crianças ao Papai Noel e também cartas de estudantes de escolas da rede pública até o 5º ano do ensino fundamental, além de instituições parceiras, como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos. Desde 2010, os Correios fazem a parceria a fim de trabalhar ações como o desenvolvimento da habilidade da redação de carta, o endereçamento correto e o uso do CEP.

A campanha começou por iniciativa dos próprios empregados e se consolidou, ao longo dos últimos 28 anos, como uma das maiores campanhas natalinas e uma das principais ações de responsabilidade social dos Correios.

“Mais uma vez podemos participar com os funcionários da campanha mais solidária dos Correios, levando alegria e sorrisos na noite de Natal”, disse o presidente dos Correios Guilherme Campos. Ele também convidou a sociedade para colaborar na ação. “Convido todos a participarem. Venham, retirem uma cartinha, é um movimento de solidariedade para levar um pouco de alegria, esperança e um brilho na noite de Natal”.

Somente nos últimos três anos, foram recebidas mais de 2,5 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios.

Como funciona

A adoção na campanha é feita da mesma maneira em todo o Brasil. As cartas enviadas pelas crianças são lidas e selecionadas. Em seguida, são disponibilizadas na casa do Papai Noel ou em outras unidades da empresa. Os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências. As cartas do Papai Noel dos Correios ficam disponíveis apenas nos locais indicados pela empresa.

Para ser um padrinho ou madrinha, basta ir a uma agência, escolher uma carta e depois entregar o presente na mesma unidade, para que posteriormente a entrega seja feita no próprio fluxo postal pelos Correios. Não é permitida a entrega direta do presente. Para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho.

A aposentada Marialva Veloso participa da campanha há 15 anos e já adotou 16 cartas. Para ela, a campanha é uma oportunidade de ajudar crianças carentes. “Eu me considero uma ajudante do Papai Noel e os Correios dão essa oportunidade a todos que puderem e quiserem ajudar”.

Adoção de cartas on-line

Este ano, o Papai Noel dos Correios contará com uma novidade: o piloto da adoção de cartinhas on-line em algumas localidades. Moradores das cidades de Belém, Cuiabá, Porto Alegre, Recife e São Paulo (região metropolitana) poderão adotar uma cartinha on-line no período de 13 a 24/11/2017 no endereço http://blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios.

Selo comemorativo

Os Correios também lançaram hoje os tradicionais selos de Natal, desta vez inspirados no conto de Natal O Soldadinho de Chumbo, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. A coleção é composta por um bloco e quatro selos isolados, com os elementos da história: o boneco malvado, a bailarina, o peixe e o barco. “Tentei ao máximo colocar minhas influências, e como sou brasileira, tentei dar uma 'tropicalizada' no design da roupa da bailarina. Também coloquei muita textura”, disse a ilustradora dos selos, Nathanna Érica Araújo. Os selos podem ser adquiridos a partir de hoje em qualquer agência dos Correios.

http://www.dponto.com.br/uploads/noticia/20141108014804.jpg

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou às secretarias Estadual e Municipais de Saúde, aos gestores do Sistema Único de Saúde (SUS) e aos diretores das unidades de saúde locais, que regularizem os horários dos servidores públicos nas unidades de saúde no prazo de 30 dias. A falta de definição nos horários dos servidores atrapalha a prestação do serviço à população.

Foi constatada, mediante informações e procedimentos em trâmite na 4º Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania, a demora nos atendimentos diários a pacientes e nos encaminhamentos das pessoas que se encontram nas filas de espera para a realização de consultas, cirurgias, exames, procedimentos, entre outros serviços ofertados nas diversas unidades de saúde estaduais e municipais, como também nas diferentes especialidades médicas.

Existe uma carência de médicos, odontólogos, enfermeiros, técnicos e demais servidores de apoio nas unidades de saúde. Na recomendação, é descrito que muitos funcionários que existem nessas unidades fazem os seus próprios horários, sendo impontuais ou inassíduos. Os métodos de controle dos horários são atualmente preenchidos em livros ou folhas avulsas, havendo ausência de organização e permitindo arranjos fraudulentos. A falta de controle e de fiscalização adequada leva à ineficiência administrativa, causando transtorno ao serviço, aos usuários e profissionais que cumprem o seu dever corretamente.

Os órgãos responsáveis ao longo dos anos não demostraram interesse na implementação do controle eletrônico biométrico, caracterizado não como uma tecnologia distante e moderna, mas como a possibilidade da praticidade, transparência e eficiência, maior segurança na documentação e fiscalização da frequência e da integridade das jornadas de servidores.

Sendo assim, o MPPE recomenda aos órgãos que no prazo de 30 dias adotem nas unidades de saúde, estaduais e municipais em locais visíveis e de grande circulação de pessoas, quadros ou painéis atualizados diariamente com informações quanto aos nomes dos médicos e odontólogos em exercício ou de plantão, suas especialidades e respectivas jornadas de trabalho. Horários precisam ser especificados. De início e término de jornada, em formato que permita ampla visão.

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Antes da Copa do Mundo, entre 2013 e 2014, o então governador Eduardo Campos (PSB) licitou e contratou a empresa espanhola Etra para implantar o Sistema de Monitoramento da Operação (Simop), que começaria a operar dois anos depois, facilitando a vida do usuário ao informar localização e horários dos ônibus e ajudando a fiscalizar o transporte coletivo na Região Metropolitana do Recife. Através do serviço, seria possível, por exemplo, consultar os horários através de painéis nos terminais e de aplicativos para celulares.

Quase quatro anos depois, o sistema foi instalado em boa parte da frota, mas não está vigorando. Além da resistência das permissionárias do sistema, o governo – agora de Paulo Câmara (PSB) – acumula dívidas com a Etra há um ano. Nas contas da multinacional, se tivesse seguido o cronograma financeiro aprovado inicialmente, a gestão deveria ter pago R$ 30 milhões dos R$ 40,2 milhões contratados – incluindo R$ 6 milhões para a construção de um centro de monitoramento. Houve atrasos, no entanto, e o Grande Recife Consórcio calcula em R$ 10 milhões referentes a 2017, prometendo pagar R$ 3 milhões acordados ainda este ano.

Os R$ 3 milhões são de um crédito suplementar aberto por Paulo Câmara em agosto. O valor está em tramitação desde então na Secretaria da Fazenda e não foi depositado para a Etra. O último pagamento foi em novembro de 2016, há um ano. 

Até agora, foram recebidos cerca de 25% do valor total, o que equivale a R$ 11,5 milhões. A empresa explica que o pagamento estaria dividido em duas etapas, uma com a aprovação do projeto piloto, que corresponderia a 20%, e o restante mensalmente de acordo com a instalação dos equipamentos nos ônibus, em até 60 meses.

O Grande Recife afirmou que, “devido ao contingenciamento de recursos decorrente da crise econômica do país que tem reflexo no Estado, foi necessário repactuar” os aportes financeiros. “Contratualmente, a Etra deveria receber R$ 10 milhões, mas foi acordado o pagamento de R$ 3 milhões, que se encontra em tramitação, ficando o saldo remanescente a ser pago ano que vem.”

“Desde o início da execução, o cronograma financeiro não é executado conforme o contrato”, diz a empresa. “O atraso na execução financeira alterou o cronograma físico, pois nessa fase o Simop deveria estar com todos os ônibus embarcados. A embarcação dos equipamentos depende da permissão do CTM (Consórcio de Transportes Metropolitano) junto com as operadoras.”

Hoje, dos aproximadamente 3 mil veículos, 2,8 mil estão com o sistema instalado, faltando apenas os da Borborema, por causa do atraso no pagamento. Tanto a Etra quanto o Grande Recife reconhecem, porém, que há uma resistência das empresas em relação ao sistema. A única empresa que operaria o sistema de forma correta seria a Globo. O Consórcio afirma que, como órgão gestor, tem a prerrogativa de exigir das operadoras a utilização do Simop. A Urbana-PE ainda não se manifestou sobre o assunto.

Contrato chegou a ser rompido

Antes da abertura do crédito, em 23 de maio, o presidente do Consórcio, Ruy Rocha, havia enviado um ofício ao presidente da Etra, Francisco Javier López Buciega, afirmando que suspenderia o contrato por 180 dias a partir de 1º de junho. A empresa é contra a suspensão, considerada “inconcebível com a urgência do uso do sistema, com tecnologia integrada para botão de pânico, inclusive”.

“O Simop é uma ferramenta fundamental para a operação, fiscalização e planejamento do transporte público de passageiros da Região Metropolitana do Recife e o Consórcio manterá o contrato com a Etra”, defende o Grande Recife Consórcio.

Para Pedro Josephi, da Frente de Luta pelo Transporte Público, questões políticas motivam o rompimento do contrato. “A crise econômica é de dois anos atrás. Aqui, na verdade falta vontade política do Estado de cumprir o que foi pactuado”, afirma.

“É muito grave que a gente não tenha fiscalização e monitoramento das empresas de ônibus, seja as que estão atuando sob concessão (as duas que venceram os lotes referentes ao BRT, Conorte e Mobibrasil) ou permissão (os cinco outros lotes, que não tiveram contratos de concessão assinados)“, diz. “A não implementação do Simop e a suspensão são a verdadeira máxima da raposa tomando conta do galinheiro. Elas executam o serviço e fiscalizam? Isso fulmina a existência do Grande Recife Consórcio.”

Como funcionaria

Com os atrasos na implantação do sistema, a fiscalização vem sendo feita por profissionais em campo com auxílio do Simop, embora o sistema ainda não esteja completo. 

“Os números do STPP/RMR são expressivos e desafiadores: atualmente, cerca de 3 mil ônibus realizam mais de 25 mil viagens diárias. Por outro lado, o CTM conta com apenas 25 fiscais de linha e frota, atuando no campo, distribuídos em três turnos”, reclamava uma carta dos funcionários do CTM ao presidente do Grande Recife, apresentada na última quarta-feira (08), quando foi realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre o assunto.

A criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o transporte pública é articulada pela deputada Teresa Leitão (PT) no Legislativo estadual.

http://1.bp.blogspot.com/-ehFDT4S9214/UxcO92mJNnI/AAAAAAABK0o/0OoaB5kXJus/s1600/cobra4.jpg

Ascom 

Como é do conhecimento de todos, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira está realizando obras de requalificação ao longo da Avenida Rio Branco, com a instalação de pista de cooper, ciclofaixa, bancos, brinquedos para crianças, além da construção e reforma de três praças ao longo de toda a via. 

Para garantir a integridade da obra e seus equipamentos, a Prefeitura divulgou um termo de permissão de uso contendo uma série de compromissos e responsabilidades para os empreendedores culturais que desejarem utilizar a Avenida para fins de eventos públicos.  

Dentre as principais medidas, que deverão ser assinadas por quem desejar promover tais eventos, estão o prazo máximo de 72h para desocupar o espaço público e de 24h para desinterdição da via; os permissionários deverão arcar com todos os custos oriundos da utilização do espaço, assim como os danos ao patrimônio público e à vegetação do local, que deve ser preservada.  

Antes do evento, será realizado um laudo técnico com memorial fotográfico demonstrando categoricamente as condições da Avenida e seus equipamentos para efeito de cobranças e ressarcimentos futuros ao erário público. O ressarcimento deverá ser feito integralmente até 30 dias após a realização do evento. 

Não será permitida a instalação de barracas de comercialização de bebidas e comidas ao longo da via.

As normas já valem para os próximos eventos de grande porte previstos para a Avenida Rio Branco: Afogareta, Encontro de Motociclistas e Carnaval 2018.

Ascom

O EDACRA – Festival Multicultural é na sua essência um grande encontro de artes e culturas, que tem como intuito reunir as mais diversas linguagens culturais para uma grande interação e troca de saberes, com o propósito e objetivo de promover, informar, valorizar, estimular e divulgar as diversas linguagens culturais, valorizando os profissionais da área, formando plateias e novos adeptos para arte, ativando o mercado cultural incentivando o público ao consumo dos bens culturais.

O evento traz como carro chefe e ações, encontro de mestres e apresentações de culturas populares, batalhas de breaking e de danças urbanas, mostra competitiva de dança para grupos, recital poético, apresentações culturais, show musical, intervenções artísticas, feira do empreendedor cultural e criativo, barracas com comidas típicas com a valorização da gastronomia local, audiovisual, rota turísticas, momentos informativos com oficinas, workshops, seminários, palestras com debates, exposições, apresentação de teatro, música e dança do projeto palco aberto. Atendendo e integrando as mais diversas linguagens artísticas as atividades serão realizadas entre os dias 24 á 26 de novembro de 2017 na cidade de Exu, no Sertão de Pernambuco.

O encontro é idealizado pelo dançarino, produtor cultural, b.boy, diretor e coreografo da Companhia de Espetáculo Luiz Gonzaga e curador artístico do festival Wiharley Januário (Lalá Dance) com a realização do coletivo cultural EDACRA, Prefeitura Municipal de Exu através da secretaria Municipal de Cultura, turismo e desportos e brigada hip hop com apoio do Jornal do Araripe coletivo camaradas, SESC Ler Bodocó – PE, com ajuda de voluntários, entidades, amigos, artistas locais e regionais, empresários e comerciantes da região.

Na edição 2017 em que o EDACRA faz 11 anos de existência estamos montando o formato do evento inspirado em mais de uma década de edições realizadas.
Você pode encontrar mais informações sobre regulamento, inscrições, premiações, jurados e programação no site do festival site: http://www.edacra.com.br/

Foto: Roberto Soares/Alepe

O deputado estadual Joel da Harpa (Podemos) afirmou que vai encaminhar um ofício na próxima segunda-feira (13) à Corregedoria de Defesa Social pedindo a investigação dos coronéis presos temporariamente na Operação Torrentes. O parlamentar foi expulso da Polícia Militar em agosto, acusado de quebrar o decoro da categoria – o que nega -, e defende os oficiais poderiam ser enquadrados no mesmo artigo do Código Militar. 

“Quem maculou a imagem dos PMs foram os coronéis. Tem que abrir processo urgente, tem que pedir a exclusão para ontem. Se fosse um praça, já estava aberto”, afirmou Joel da Harpa.

O deputado enxerga incoerência na ação do órgão. “Tem muita gente com falso moralismo, mas depois apresenta o que se apresentou, ferindo a instituição e a imagem de toda a corporação. O que a gente tem na Corregedoria são coisas pequenas, absurdas, principalmente contra praças. Muitas vezes por coisas pessoais que poderiam ser resolvidas na Justiça e, antes de qualquer decisão judicial, já abre processo.”

Joel da Harpa opinou ainda que, em vez de ter sido levado para a Academia de Polícia Militar, em Paudalho, na Mata Norte, os três coronéis presos deveriam ter sido encaminhados ao Centro de Reeducação da Polícia Militar (Creed). “Quartel não é lugar de ficar preso”, afirmou.

Os quatro oficiais presos foram submetidos a uma audiência de custódia na noite dessa quinta-feira (09). Um deles, o tenente-coronel Laurinaldo Félix Nascimento, hoje coordenador administrativo da Casa Militar de Pernambuco, teve a prisão domiciliar decretada por precisar de tratamento médico já marcado em um hospital. A decisão foi da juíza titular da 36ª Vara, Carolina Souza Malta, que concedeu os mandados cumpridos na operação.

Outro preso é o atual secretário-executivo de Defesa Civil, o coronel Fábio de Alcântara Rosendo. Ele integrava a comissão de licitação em 2010.

Os outros coronéis da PM levados para Paudalho foram Waldemir José Vasconcelos de Araújo, secretário-executivo em 2010, e Roberto Gomes de Melo Filho, coordenador administrativo naquele ano. A quebra dos registros telefônicos de Melo Filho, hoje gerente geral de Esportes e Lazer no governo Paulo Câmara, levou a Polícia Federal a um elo com o PSB.

Ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB)

Blog da Folha

Uma semana depois de ser alvo de severas críticas do deputado federal Daniel Coelho, em razão do processo de escolha da executiva estadual do PSDB, o ministro Bruno Araújo rompeu o silêncio. Durante o evento de entrega de habitacionais, nesta sexta-feira (10), se colocou à disposição para revelar a movimentação financeira dos últimos 12 anos do partido e aproveitou para alfinetar o correligionário.

Após ser impedido de ocupar o cargo de tesoureiro do PSDB-PE, na convenção do último domingo, Daniel Coelho decidiu partir para a guerra contra Bruno Araújo. Acionou a executiva nacional da sigla para tentar anular a nomeação do diretório estadual. Da mesma forma, disse que iria solicitar informações sobre as contas da executiva estadual.

“Esses recursos, inclusive, foram usados para eleição dele. Foi o (que recebeu) maior volume de recursos. O maior beneficiado foi ele, na candidatura a prefeito do Recife”, colocou o ministro.

Na sua visão, o comportamento de Daniel, neste caso, é contraditório. “É importante lembrar que ele pediu a saída dele da executiva, mas manteve os delegados e suas indicações no partido”, opinou.

“Daniel é um quadro importante, relevante. Eu mesmo, pessoalmente, ajudei a viabilizar a candidatura dele na eleição pra prefeito, representando inclusive a nossa saída do governo, por causa disso. Então ele sempre teve o apoio do PSDB nesse tempo”, acrescentou Bruno.

Governo Temer

Diante da notícia de que o presidente Michel Temer reconsidera sua aliança com o PSDB, em razão da pressão por mais espaço nos ministérios, feita por partidos do bloco parlamentar chamado “centrão”, Bruno Araújo se limitou a dizer que está trabalhando para trazer recursos para o estado.

“Isso faz parte do jogo da política. O importante é que estamos trazendo recursos pra Pernambuco, que tem quatro ministros. No momento certo as coisas vão convergir para uma solução”, colocou.

Paulo Uchôa/LeiaJáImagens/Arquivo

Facebook, Twitter, Instagram, WhatsApp… São exemplos de plataformas digitais onde os argumentos populares têm sido intensificados nos últimos anos, diante do cenário político do país. Em 2018, com o advento das eleições para diversos cargos eletivos, entre eles presidente da República e governador, a tendência é de que os debates nas redes sociais ganhem um fôlego maior e mais acalorado, uma vez que os candidatos, com as reformas eleitorais que diminuem o tempo da campanha tradicional, passaram a utilizar as ferramentas com frequência para apresentar suas propostas. 

Maior ferramenta de interação social no mundo, o Facebook, por exemplo, tem no Brasil mais de 120 milhões de pessoas interligadas. A rede é a que comporta as principais discussões eleitorais, como aconteceu durante o pleito de 2016 e agora o investimento dos postulantes também tende a ser mais intenso, inclusive, por conta da permissão de que as publicações eleitorais sejam impulsionadas. 

Apesar disso e da popularização das plataformas, na avaliação do doutor em Ciência Política e professor da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Juliano Domingues, a tendência é de que elas sejam determinantes apenas em cenários mais acirrados. 

“Outras variáveis tendem a interferir mais nesse processo [eleitoral], como o ambiente familiar e as relações clientelistas entre candidatos e eleitores. Somente em cenários muito disputados, em que qualquer voto pode ser decisivo, elas podem fazer alguma diferença. Entretanto, como as redes sociais acabam criando bolhas de percepção, seu potencial está muito mais atrelado ao reforço de opiniões previamente adotadas”, salientou. 

As ferramentas podem ainda não ser determinantes para o resultado do pleito, mas uma pesquisa recente feita pelo Ibope registrou que 36% dos eleitores entrevistados acreditam que as redes sociais vão influenciar muito na escolha do candidato, 20% disseram que terá pouca influência e 40% pontuaram que as plataformas não vão interferir no pleito. 

Para Domingues, os políticos devem “conhecer bem seu eleitorado potencial e trabalhar formato e conteúdo da mensagem sob medida, sem medo da interação” para que possa se beneficiar de alguma forma com o uso das redes sociais, mas não investir apenas nelas. 

“A variável mais importante quando se fala em rede social digital é a escala. Portanto, a depender da repercussão, um erro pode ser fatal. Ao mesmo tempo, um acerto pode render uma boa quantidade de votos. Entretanto, não há fórmula pronta. Além disso, o uso de redes sociais digitais deve ser visto como reforço a estratégias que não se restrinjam ao mundo virtual. A internet, por si só, está longe de garantir a eleição de um candidato”, disse.

http://static1.leiaja.com/sites/default/files/field/image/noticias/2017/11/whatsapp-image-2017-11-10-at-08.51.52.jpeg

Na manhã desta sexta-feira (10), um ônibus que transportava 66 alunos e nove professores da Escola Estadual Joaquim Inácio, da região de Martins, Rio Grande do Norte, capotou. Pelo menos 25 pessoas que estavam no veículo foram socorridas para o hospital da cidade, cinco foram transferidas para uma outra unidade de saúde, mas nenhuma em estado grave.

Os alunos e professores envolvidos no acidente seguiam para uma visita ao Museu do Petróleo, que fica na cidade de Mossoró, região Oeste. O acidente aconteceu logo após a saída da cidade, que fica em uma serra. O ônibus desceu ribanceira abaixo e capotou. Segundo a equipe da escola, cerca de 30 pessoas estavam no veículo. As vítimas foram encaminhadas para o hospital da cidade.

A Polícia Militar da região informou que o motorista do ônibus não era habilitado para dirigir este tipo de veículo. Ainda segundo apurações do site, até às 9h, três passageiros continuavam internados na Unidade Mista de Saúde Dr. Luiz Gonzaga, em Martins. Quatro pessoas foram transferidas para Pau dos Ferros, para fazer exames, e o diretor da escola, que fraturou uma das pernas, foi encaminhado para Mossoró. Os demais haviam sido liberados.

Donos de caminhões-pipas de todo Sertão estão fazendo um protesto na manhã desta sexta-feira (10) no Trevo de Ibó, entre as cidades de Salgueiro, Belém do São Francisco e Cabrobó. Os motoristas reclamam de um suposto mau funcionamento do sistema Gpipa, que monitora a entrega de água, e salário desatualizado há pelo menos oito anos.

Os pipeiros, que abastecem áreas rurais através da Operação Pipa do Exército, bloquearam as BRs 428, 116 e 316, impedindo o tráfego de caminhões e outros veículos. Também foram prejudicados estudantes de instituições de ensino superior da região.

O Gpipa é um sistema que registra a data, hora e a rota do veículo para a entrega da água, mas, segundo os pipeiros, os equipamentos não estão registrando as viagens corretamente. Em relação aos salários, os motoristas reclamam de consecutivos aumentos no preço do combustível, sem reajustes salariais. Deixamos o espaço aberto para explicações do Exército.