Os exercícios também estão sendo mantidos diariamente, sem quebra da rotina

O ex-presidente Lula, que não sai do noticiário através boca dos delatores da Odebrecht, segundo a colunista da Folha de S.Paulo, Mônica Bergamo, vem tentando seguir a rotina, apesar dos muitos percalços. Diariamente ele mantém a rotina fazendo exercícios e diz a quem o visita que caminha o equivalente a 6 km na esteira, com inclinação acentuada.

Em casa, continua como os mesmos  os hábitos que cultivava com dona Marisa, falecida em fevereiro.  Um deles,  seria o de dar banho em sua cachorrinha, Michele. Receber o filho Sandro, diariamente, ajudando na coordenação da casa, também virou rotina desde o que a ex-primeira-dama partiu.

Renan Calheiros,presidente do Senado (Foto:   Mateus Bonomi/AGIF/Folhapress)

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) não é mais o mesmo do começo de abril. Resolveu poupar o presidente Michel Temer ao desmarcar uma palestra que faria sobre a reforma da Previdência na Força Sindical, nesta quinta-feira (20). O convite fora feito pelo presidente da central sindical, o deputado Paulinho da Força (SD-SP).

Renan se comportava praticamente como um líder de oposição e isso atraiu a atenção de Paulinho. Em vez de palestra sobre Previdência, Renan agendou encontro com prefeitos alagoanos.

Ninguém aposta que Renan continuará manso com Temer indefinidamente. O cenário pode mudar se novos pedidos do político alagoano forem rejeitados. 

Para Temer, propostas são "belíssimo presente de Natal" (Foto: Beto Barata)

O presidente Michel Temer foi aconselhado por assessores a gravar um vídeo e reproduzi-lo nas redes sociais para falar à nação no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador. O motivo é sua baixa popularidade e citações nos depoimentos dos executivos da Odebrecht. Se confirmar essa ideia, Temer agirá tal qual sua antecessora, Dilma Rousseff, há um ano. 

Temer tem receio de que um pronunciamento na TV seja objeto de vaias e panelaços. Sua estratégia, porém, já chegou aos ouvidos de movimentos sociais ligados ao PT, que garantem um tuitaço contra as declarações do peemedebista caso prefira as redes sociais.

Estadão

Ao menos cinco delatores da Odebrecht relataram à Procuradoria-Geral da República detalhes sobre a reforma feita em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, que investigadores suspeitam ser do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre eles, o patriarca da família, Emílio Odebrecht, disse ter informado Lula sobre o andamento da obra em reunião no Palácio do Planalto. Também delator, o engenheiro Emyr Diniz Costa Júnior afirmou ter comprado até um cofre para guardar o dinheiro usado para reformar o imóvel.

Os depoimentos reforçam as suspeitas da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba de que Lula é o real proprietário do imóvel e as benfeitorias serviram de contrapartida da empreiteira pela atuação do petista em favor do grupo na época em que foi presidente, o que configura propina. Um inquérito aberto há cerca de um ano sobre o caso foi prorrogado em janeiro e está em fase final.

O principal argumento da defesa de Lula é de que a propriedade não está em seu nome, mas no de Fernando Bittar e de Jonas Suassuna – ambos sócios de um dos filhos de Lula. A defesa admite, porém, que o ex-presidente esteve no imóvel algumas vezes com a família. Para investigadores, as suspeitas são de que o registro em nome de outras pessoas seria uma forma de Lula ocultar o patrimônio.

Em sua delação premiada, o patriarca da construtora, Emílio Odebrecht, disse ter relatado a Lula em reunião no Palácio do Planalto, em 2010, que as obras no sítio ficariam prontas no mês seguinte.  O encontro, segundo ele, ocorreu no fim do ano, próximo do fim do mandato do então presidente. Emílio relatou aos procuradores que, no encontro, o petista não teria ficado “surpreso” com a informação. “Eu disse: ‘Olhe, chefe, o senhor vai ter uma surpresa e vamos garantir o prazo que nós tínhamos dado no problema lá do sítio’.” Anotações e e-mails foram entregues pelo delator como forma de comprovar a reunião.

Um dos principais interlocutores da Odebrecht com Lula, o ex-diretor de Relações Institucionais Alexandrino Alencar, afirmou que o pedido para a reforma no sítio foi feito pela então primeira-dama, Marisa Letícia, que morreu em fevereiro.

“Ela me falou sobre um sítio e me perguntou se a companhia poderia ajudá-los a finalizar obras e reformas que estariam atrasadas, porque a equipe que fazia o trabalho estava com desempenho medíocre”, afirmou. Segundo o delator, Marisa disse que ela e o ex-presidente pretendiam frequentar o imóvel a partir de janeiro do ano seguinte.

Além dos depoimentos nos quais relata sua relação com Lula, Alexandrino entregou aos procuradores uma relação de nove episódios em que a empreiteira atendeu a pedidos do ex-presidente. Segundo ele, eram “contrapartidas ao apoio e à influência política recebidos ao longo do tempo pelo atendimento das questões de interesse da companhia”. Na lista constam, além do sítio em Atibaia, itens como a construção do estádio do Corinthians, em Itaquera, e uma mesada para Frei Chico, irmão de Lula.

Continue reading

Ato em Recife lembra vítimas da violência no estado

Homens vestidos de terno arrastaram a bailarina Bella Maia em meio a um protesto realizado nesta quarta-feira (19) no Recife contra a violência crescente em Pernambuco, de acordo com números divulgados pela própria Secretaria de Defesa Social (SDS) do estado. A cena foi uma das performances apresentadas pelo grupo que organizou o ato. A arte foi usada em várias ocasiões para simbolizar casos de repressão e expor a indignação dos presentes em relação aos 1.522 assassinatos ocorridos entre janeiro e março deste ano.

“Nossa ideia é usar a nossa arte como instrumento para essa discussão, essa exposição pública desse modo absurdo de tratar a pessoa humana”, explica o professor universitário e diretor de teatro Marcondes Lima, 50 anos, um dos organizadores do ato que realizado no início da noite na rua lateral do Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. A frente do edifício e todas as ruas que circundam a praça em frente ao local estavam isoladas por grades e seguranças.

A manifestação foi pequena em número de participantes, mas chamou atenção pelas performances. Mais cedo, por volta de 17h, o grupo entregou um manifesto a Marcelo Canuto, secretário-executivo de coordenação da Secretaria da Casa Civil do governo estadual.  “O governador tem que abrir imediatamente um fórum apropriado de debate com a sociedade, especialistas, com a universidade. Nós queremos ainda investimento em prevenção, atendimento das pautas dos policiais e, de outro lado, o reconhecimento que a violência policial também é parte do problema”, enumera a produtora cultural Liana Cirne, outra organizadora do ato.

A assessoria de comunicação do governo estadual disse que não haveria pronunciamento a respeito do ato e informou que o manifesto foi entregue e protocolado. Um dos principais especialistas em segurança pública de Pernambuco, José Luiz Ratton, participou da manifestação. Ele foi o idealizador do Pacto Pela Vida, programa de redução de homicídios lançado em 2007 pelo então governador Eduardo Campos (PSB) que conquistou seguidas reduções dos números da violência em uma época em que outros estados do Nordeste registravam o movimento contrário. Desde 2014, no entanto, os índices voltaram a subir. O total de mortes de janeiro deste ano já tinha sido o maior dos últimos 10 anos.

“O Pacto Pela Vida foi um programa exitoso a partir de um processo de pactuação com a sociedade e com foco na elucidação dos homicídios e governança das polícias. Mas desde o seu princípio, o Pacto foi incapaz de estabelecer metas mais abrangentes, como a construção de programas de prevenção da violência, humanização e modernização do sistema prisional e da Funase [sistema socioeducativo para menores de 18 anos], investimento em inteligência”, disse Ratton, que também é professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

O sociólogo enumerou medidas emergenciais que poderiam ser tomadas para enfrentar o crescimento da violência no estado, como o fortalecimento do departamento de homicídios e proteção à vida, recuperação da elucidação de casos de assassinatos e articulação com o Ministério Público e a Justiça.

http://www.polemicaparaiba.com.br/wp-content/uploads/2016/04/tiririca3.jpg

Uma carta atribuída ao deputado federal Tiririca (PR-SP) com crítica aos políticos envolvidos nas delações da Lava Jato e pedindo uma limpeza geral em 2018 viralizou no WhatsApp e no Facebook. Mas ela é falsa. O texto diz que o deputado surpreendeu o meio político com as declarações. No início, ele diz: "Quem escreve aqui não é o palhaço nem o deputado. Quem escreve aqui é o cidadão que está frustrado com tudo isso que virou o país".

De acordo com a assessoria de imprensa do deputado, a carta não é verdadeira. "Ele não fez nenhuma declaração [sobre a divulgação da lista de Fachin]. Uma outra vez já fizeram uma carta e também atribuíram a ele. E ela também era falsa", diz a assessora de Tiririca.

No início de abril, uma notícia falsa atribuiu a Tiririca uma mensagem em que ele fazia um desabafo sobre os gastos com os gabinetes parlamentares, apresentando números exagerados. O parlamentar desmentiu a notícia.

Nascido em Itapipoca, no Ceará, o humorista Francisco Everardo Oliveira, o Tiririca, de 52 anos, foi eleito deputado federal por São Paulo em 2011. Ele foi reeleito em 2015 para um novo mandato até 2019 e integra a bancada do Partido da República.

 Veja a mensagem que vem viralizando nas redes sociais:

"O deputado federal Francisco Everardo, mais conhecido como Tiririca, surpreendeu o meio político com uma carta emocionante e emocionada em que revela sua frustração com o meio político. A carta 'Amigos e Amigas deste Brasil de meu Deus'. "Quem escreve aqui não é o palhaço nem o deputado. Quem escreve aqui é o cidadão que está frustrado com tudo isso que virou o país. Como todos sabem eu fiz a minha vida no circo. No circo vivi muitos dias de fome. Dias em que a bilheteria não rendia nem o dinheiro do pão. Dias em que subi ao picadeiro com fome e doente. Houve um dia em que a bilheteria rendeu apenas R$ 32. Éramos um grupo de 41 profissionais. A partilha daria menos de R$ 1 por pessoa. Só que em nosso grupo tínhamos uma companheira doente. Pedi ao grupo que doasse todo o cachê para esta trapezista que precisava de comprar um remédio controlado, que na época custava quase R$ 50. O dono da farmácia compreendeu e deixou que pagássemos o resto quando tivéssemos dinheiro. E assim foi. Honramos nossa dívida e pagamos com o suor de nosso trabalho. Isso é o circo. Lugar que a gente aprende a dividir e se doar. Na política a cada dia vejo que não é assim. Cada um quer tirar pra si. Quanto mais melhor. Não importa quantas pessoas morram de fome ou nos corredores de hospitais. O importante é se eleger na próxima eleição e garantir a boa vida de sua família. O problema não é da Esquerda nem da Direita. A lista da Odebrecht mostrou que tem ladrão dos dois lados. O que está faltando nos políticos não é ideologia, é decência. Está faltando pra esta cambada é entender que eles estão lá pra servir ao povo, e não pra se servir do dinheiro do povo. Infelizmente até muita gente que se elege em nome de Deus chega lá dentro e faz pacto com a ladroagem e a bandidagem. Peço ao Brasil que ore para o Senhor ter compaixão do juiz Sergio Moro e o proteja de todo o mal. Este homem tem que prender todos os bandidos que roubaram a Petrobrás, o BNDES, a Previdência e a esperança dos brasileiros. Um dia minha mãezinha me disse: 'Filho, os injustos não herdarão o reino de Deus. Eu preciso ter você comigo na eternidade. Faça o que quiser de sua vida, mas lembre-se que eu preciso de você comigo no Céu'. Por Deus, por minha mãezinha e pelo povo brasileiro eu sou o mais honesto possível. Só não estou conseguindo 'amar o próximo', a minha vontade é esganar estes canalhas. Mas 2018 está bem perto. O povo precisa fazer uma limpeza geral da classe política. Não adianta a Justiça condenar se o povo absolve. Fiquem com Deus!!!”

A partir da zero hora desta quinta-feira (20) até a meia-noite de domingo (23), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensificará a fiscalização das rodovias federais em Pernambuco, através da Operação Tiradentes 2017. A ação terá como foco coibir acidentes graves, que deixam feridos graves ou mortos, e que podem ser evitados com a adoção de um maior cuidado por todos os ocupantes do veículo.

Durante as abordagens, os policiais irão verificar se os motoristas e passageiros estão fazendo uso do cinto de segurança e se o dispositivo de retenção para crianças está sendo utilizado de forma adequada. Essa medida visa preservar vidas, pois o equipamento reduz em até 75% as chances de morte em caso de colisão.

O dispositivo de retenção deve obedecer à idade e ao peso da criança, de acordo com o que é indicado pelo fabricante. Até um ano, deve-se utilizar o bebê conforto, de costas para o motorista; de um a quatro anos, a cadeirinha; e de quatro a sete anos e meio, o assento de elevação. Crianças de até 10 anos devem ser transportadas no banco traseiro do veículo com o cinto de segurança.

Além disso, a PRF visa reduzir acidentes causados pela falta de atenção e irá alertar sobre o risco de utilizar o celular enquanto se dirige. Uma pesquisa da Universidade de Utah, nos EUA, apontou que o uso do aparelho aumenta em até 400% a chance das pessoas se envolverem em um acidente. De acordo com o estudo, se um motorista está a 80 km/h e perde cinco segundos olhando uma mensagem, ele percorre uma distância equivalente a um campo de futebol.

A fiscalização ainda irá verificar as infrações mais graves, como o excesso de velocidade, as ultrapassagens arriscadas e irregulares, o uso inadequado de motocicletas e a embriaguez ao volante, com o apoio da operação Lei Seca.

As ações educativas também serão ampliadas nesse período, em especial no município de Garanhuns, no Agreste, que recebe um festival de música entre os dias 20 a 22 de abril. O ônibus do Cinema Rodoviário, adaptado para receber e orientar motoristas e passageiros será utilizado neste período.

Além das atividades educativas e de fiscalização, a PRF reforçará o enfrentamento à criminalidade, com o apoio do Núcleo de Operações Especiais e dos grupos de Operações com Cães, Patrulhamento Tático e de Motociclismo. As ações também contam com a aeronave da Base de Operações Aéreas, que atua em conjunto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Um dia depois de não atingir a votação necessária para aprovar a urgência na reforma trabalhista, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), colocou novamente em votação um requerimento para acelerar a tramitação do projeto. Desta vez, por 287 votos a 144, a medida foi aprovada. Apesar da mudança no cenário nacional, deputados federais pernambucanos mantiveram os votos. Veja como eles se posicionaram:

Adalberto Cavalcanti (PTB) – Sim
André de Paula (PSD) – Sim
Augusto Coutinho (SD) – Sim
Betinho Gomes (PSDB) – Sim
Carlos Eduardo Cadoca (PDT) – Sim
Creuza Pereira (PSB) – Não
Daniel Coelho (PSDB) – Sim
Danilo Cabral (PSB ) – Não
Eduardo da Fonte (PP) – Sim
Fernando Monteiro (PP) – Sim
Gonzaga Patriota (PSB) – Não
Guilherme Coelho (PSDB) – Sim
Jarbas Vasconcelos (PMDB) – Sim
Kaio Maniçoba (PMDB) – Não
Luciana Santos (PCdoB) – Não
Pastor Eurico (PHS) – Não
Ricardo Teobaldo (PTN) – Sim
Severino Ninho (PSB) – Não
Tadeu Alencar (PSB) – Não
Wolney Queiroz (PDT) – Não
Zeca Cavalcanti (PTB) – Não

De acordo com o deputado Rogério Marinho, a ideia agora é que a apresentação de emendas seja levada a plenário já na próxima quarta, dia 26. Sem a urgência, a proposta teria que esperar cinco sessões para ser votada na comissão.

O texto da reforma trabalhista apresenta várias mudanças na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), entre elas o fim do imposto sindical obrigatório (equivalente a um dia de trabalho por ano) e a maior flexibilização para contratação de trabalhadores temporários.

Afogados da Ingazeira sediou nesta quarta-feira (19), o 2º Encontro de Ouvidores de Pernambuco, com o objetivo de fomentar a instalação de ouvidorias nos municípios Pernambucanos onde elas ainda não estão em funcionamento.

Ouvidores de órgãos do Governo de Pernambuco e de diversas prefeituras do Estado participaram do evento. A diretora da Ouvidoria Geral do Estado, Zélia Correia, apresentou o painel "Ouvidoria Geral do Estado como instrumento de gestão pública e participação social”.

A ouvidora da Prefeitura de Afogados da Ingazeira, Maria José Cerquinha, coordenou, ao lado de Abelardo Lessa, da Controladoria Geral da União, um painel sobre a “Implantação de ouvidorias municipais e experiência da OGM de Afogados da Ingazeira”. Renato Godoy, Luís Pereira e Manoel Arnóbio, professores do curso de direito da Faculdade Integrada do Sertão (FIS), debateram o tema “Democracia e participação social”.

"Afogados tem sediado importantes eventos em Pernambuco, o que mostra o nosso protagonismo administrativo e político. O fortalecimento das ouvidorias representa mais um elemento para construirmos uma verdadeira democracia representativa e participativa, com ampla interlocução social," declarou o prefeito José Patriota.

Representando o secretário da Controladoria Geral do Estado, Zélia Correia destacou a importância da realização do encontro no Pajeú. "O encontro vem ao Pajeú para disseminar o que é a ouvidoria, a importância como instrumento de gestão e ferramenta de controle social. Hoje, Afogados já tem sua ouvidoria muito bem implantada e o intuito é levar aos outros municípios novas ouvidorias como a daqui". 

Prefeituras que participaram do encontro: Arcoverde, Tuparetama, Tabira, Serra Talhada, Triunfo, Carnaíba, Solidão, Iguaracy, Itapetim e Quixaba. O encontro foi promovido pela Secretaria da Controladoria Geral do Estado e Ouvidoria Geral do Estado, com o apoio da Prefeitura de Afogados da Ingazeira.

http://www.ipa.br/novo/arquivos/noticia/1379-img_1566.jpg

Ascom/IPA

A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) promoveram encontro nesta terça-feira (18), no auditório do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). A reunião teve como foco debater e apresentar sobre as formas como a Agência irá auxiliar as empresas públicas de assistência técnica e extensão rural do País.

O diretor de Extensão Rural do IPA, Albérico Rocha, representou a presidência do órgão e falou sobre a necessidade do suporte que a Anater irá propiciar as empresa públicas de assistência técnica e extensão rural do Brasil. “É muito importante à presença da Anater em nosso Estado, pois agora vamos ter um órgão federal que nos ofertará suporte e trará força a agricultura familiar do país, que é nossa missão”, frisou.

O presidente da Anater, José Ricardo Ramos, comentou sobre o afinamento das formas de trabalho da Agência com as empresas. “Viemos construir juntos com os conselhos as ferramentas de trabalhos que todos irão utilizar. Além de estreitar os laços com as empresas públicas do Nordeste, pois tivemos três décadas sem um órgão que cuidasse da extensão rural e hoje a Anater vem para ocupar essa lacuna”, destacou. 

No encontro estavam presentes o Presidente da Anater, José Ricardo Ramos; o secretário de agricultura do Rio Grande do Norte, Guilherme Saldanha; o secretário executivo do Conselho Estadual de Desenvolvimento Sustentável de Pernambuco, Ivaldo Ferreira; diretores do IPA, Albérico Rocha e Antônio Raimundo; o diretor executivo da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), Lúcio Taveira; o assessor e coordenador do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Condef), José Freire; representantes de Emater dos estados da Paraíba, Sergipe, Piauí, Alagoas e Bahia; além de membros de ONGs envolvidas na assistência rural.

Foto: Iago Antunes/Divulgação

O Ministério da Integração Nacional anunciou que a água da Transposição do Rio São Francisco chegou ao espelho d’água do reservatório Epitácio Pessoa, em Boqueirão, na Paraíba, às 20h13 dessa terça-feira (18). A expectativa agora é de que em dois meses o projeto comece a beneficiar 700 mil pessoas em Campina Grande, a segunda maior cidade do estado, e em outros 17 municípios no entorno.

O fornecimento e o tratamento da água que chega da transposição serão de responsabilidade do governo da Paraíba, que só poderá usá-la no abastecimento diário da população quando o nível do açude superar 8% de sua capacidade. Hoje está em 2,9%. Além de Campina Grande, serão contemplados os municípios de Barra de Santana, Caturité, Queimadas, Pocinhos, Lagoa Seca, Matinhas, São Sebastião de Lagoa de Roça, Alagoa Nova, Boqueirão, Boa Vista, Soledade, Juazeirinho, Cubati, Pedra Lavrada, Olivedos, Seridó e Cabaceiras.

A água chegou à Paraíba em 10 de março, beneficiando a cidade de Monteiro. Lá, são 33 mil moradores atendidos. Nesse trecho da transposição, que é o eixo leste, a água é captada em Floresta, no Sertão pernambucano, e passa por 300 quilômetros de canais até o Rio Paraíba. Apesar de a maior parte do projeto passar por Pernambuco, no Estado, são atendidos apenas 35 mil moradores de Sertânia, também no Sertão, onde um açude apresentou vazamento uma semana antes da abertura das comportas do reservatório de Campos.

Quando estiver pronta nos dois eixos, a transposição deverá atender mais de 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. Porém, o eixo norte está com um trecho de obras paradas entre Cabrobó (PE) e Jati (CE) e, apesar de o presidente Michel Temer (PMDB) ter prometido entregá-lo até o fim do ano, o contrato da licitação que escolheu a empresa que irá conclui-lo ainda não foi assinado.

Há também diversas obras complementares atrasadas. Entre elas estão a Adutora e o Ramal do Agreste, essenciais para levar a água do São Francisco a essa região de Pernambuco que é atingida pela seca há mais de cinco anos. A primeira está em andamento desde 2013, com boa parte de recursos da União. A segunda sequer saiu do papel e a previsão é de que seja concluída só em 2020.

A transposição é alvo de três políticos principalmente. Com baixa popularidade no Nordeste, Michel Temer usa a obra para melhorar a avaliação na região. De olho nas eleições de 2018, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), também aproveita o projeto para se aproximar dos nordestinos – ele chegou a emprestar bombas através da Sabesp, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, e visitar o canteiro em Sertânia. O ex-presidente Lula (PT), também visando a disputa do ano que vem, foi a Monteiro com uma comitiva petista para o que chamou de “inauguração popular” da obra.

http://classepolitica.com.br/wp-content/uploads/2017/04/Assassinatos-de-Jovens-entrar%C3%A3o-na-pauta-da-Campanha-da-Fraternidade-1900x1262_c.jpg

Os assassinatos de jovens no Brasil entrarão na pauta da Campanha da Fraternidade em 2018, cujo tema central será Fraternidade e Superação da Violência. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (17), pelo arcebispo primaz do Brasil e titular da Arquidiocese Salvador, Dom Murillo Krieger.

Durante encontro na Cúria Metropolitana, em Salvador, a senadora Lídice da Mata entregou ao arcebispo um exemplar do relatório da CPI do Senado que investigou os assassinatos de jovens no Brasil, com audiências em todas as regiões do País, à qual ela foi presidente. “É um documento que traz relatos de mães e avaliações dos principais especialistas do Brasil no tema violência e segurança pública. Creio que esse relatório vai contribuir com a campanha que será coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)”, avaliou a senadora.

LeiaJáImagens/Arquivo

A Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), presidida pelo deputado Aluisio Lessa (PSB), visitará o Complexo Industrial Portuário de Suape, nesta quinta-feira (20). A passagem dos parlamentares pelo local antecede a possível vinda do presidente Michel Temer (PMDB) prevista para o próximo dia 27. Ele vai assinar o decreto que devolve a autonomia sobre as licitações do Porto ao Estado.

Segundo Aluisio Lessa, o secretário de Desenvolvimento Econômico e vice-governador do Estado, Raul Henry (PMDB), e a diretoria da companhia vão apresentar um balanço das atividades desenvolvidas pelo empreendimento em 2016 e o planejamento para este ano durante a agenda com a comissão.

Ao anunciar a visita ao plenário da Alepe nessa terça-feira (18), o deputado pessebista estendeu o convite para participar da agenda a todos os parlamentares. “Convido todos os deputados, governistas e de oposição, para essa visita, pois Suape é um dos grandes patrimônios de Pernambuco. Construído ao longo de sete governos, o complexo gera emprego e renda, e o ICMS que recolhe é distribuído para todo o Estado”, assinalou Lessa.

Na zona rural de Salgueiro, os agricultores estão mais animados com a chuva dos últimos dias do Sertão Central. Em algumas localidades já tem açudes com muita água armazenada, o que é um alívio pra quem mora na área de sequeiro. O maior açude do município, no Povoado de Algodões, que há um ano estava completamente vazio, agora apresenta um outro cenário.

De acordo com o diretor de Recursos Hídricos de Salgueiro, Reginaldo Bezerra, o açude está com cerca de 70% da sua capacidade. “Nós viemos de uma seca de mais de seis anos e agora temos 70% do volume de água, que vai dá por mais dois anos se for usada de forma consciente”, disse.

A Caatinga já está verde. Tem pasto para os animais e os açudes estão cheios. Um cenário que o agricultor Sebastião Oliveira não via há muitos anos. A chuva na região levou muita alegria ao sertanejo. “Estou muito feliz de ter acumulado esta água para dar aos animais, lavar roupa. Eu estou muito feliz e agradeço a Deus”

No povoado Retiro este ano o volume de chuva foi o maior dos últimos seis anos. O percentual de chuva acumulada já é de 86% para o esperado até o momento. A agricultora Raimunda Silva, que mora há muitos anos na localidade, sofria com o longo período de estiagem. “A gente pode se organizar um pouco. Pelo menos para tomar banho, lavar roupa e dar para os animais a gente tem. Está servindo muito”, disse a agricultora.

O período sem água estava tão intenso que tinha agricultor pensando em ir embora do lugar onde sempre morou. Esse foi o caso de Sotero Pereira, que agora tem outros planos. “Não tinha condições de a gente ficar aqui com o açude seco. Agora estou satisfeito, graças a Deus”.

Da Diaconia

O início de abril tem sido de satisfação para as famílias rurais do município de Serra Talhada, no Sertão do Pajeú (PE). Além das chuvas que estão chegando à região, uma tecnologia tem contribuído para o armazenamento maior das águas: são os Tanques de Pedra, também chamados de caldeirões, construídos pela ONG Diaconia a partir do projeto Pernambuco Mais Produtivo.

A tecnologia aproveita as áreas de serra ou onde existem lajedos. São fendas largas, barrocas ou buracos naturais, normalmente de granito, que funcionam como área de captação da água de chuva. O volume de água armazenado vai depender do tamanho e da profundidade do tanque. Para aumentar a capacidade, são erguidas paredes na parte mais baixa ou ao redor do caldeirão natural, que servem como barreira para acumular mais água.

Diferente das cisternas, que atendem a cada família, o tanque de pedra é uma tecnologia de uso comunitário. A água armazenada é utilizada para o consumo dos animais, plantações e os afazeres domésticos de quem mora em seu entorno.

O agricultor Raimundo Alves de Barros Filho, conhecido como Buda, é um dos mais satisfeitos. Morador da comunidade Fazenda São Miguel, em Serra Talhada, ele teve o primeiro tanque de pedra construído num período de cinco dias.

“A comunidade acabou de ganhar a tecnologia, e ela vem beneficiar a questão da água, pois estamos sofrendo muito aqui, com poço secando, o açude seco há mais de seis anos. Acho que o tanque de pedra é um dos benefícios melhores que a gente pode receber, até porque não vai ter impacto nenhum no meio ambiente, pois aproveitamos o lajeiro, que é uma coisa que já tem na natureza, e aí está se formando um tanque em cima, que não vai desmatar. Vai favorecer a várias pessoas na região, e devemos abraçar com muito carinho”, afirma seu Raimundo.

Segundo o coordenador do projeto, Salomão Jalfim, até o momento foram encontrados locais para 12 tanques no município de Serra Talhada, uma busca que é mais lenta pela distância das comunidades e pela disponibilidade de solo para instalação do reservatório. “Este tanque está totalmente cheio, já chegou a sangrar. Estimamos que armazene aproximadamente 400 mil litros de água, e por sinal é um dos menores construídos por nós”, afirma o coordenador.

Dentre as orientações que as famílias já estão atentas, está o uso consciente da água, mesmo com a maior capacidade de armazenamento: “Essa água vai ser utilizada para o banho, lavar roupa, dar de beber aos animais, e para a pequena irrigação, por isso tem que ter muito cuidado pra economizar. Temos muitos animais soltos na região, e dependem dessas águas, pois não tem poços”, conclui o agricultor.

O programa Pernambuco Mais Produtivo é desenvolvido através da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA) do Governo do Estado de Pernambuco, com apoio da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e realização das organizações: Diaconia, Dioceses de Caruaru e Pesqueira e Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor).