Possibilidade,  levantada em  coletiva de Imprensa ontem, não afeta as festividades em  Caruaru (foto), Recife e Petrolina, onde as programações já  foram iniciadas

A mais nordestina das festas pode não acontecer em 26 municípios de Pernambuco por questões burocráticas. São cidades cujas prefeituras ainda não regularizaram os procedimentos de segurança obrigatórios para a realização dos eventos de São João, como os relativos a controle de barracas de fogos de artifício e saídas de emergência em pontos cercados com grande aglomeração de pessoas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, que fiscaliza a atividade, os locais podem ser interditados temporariamente. A medida, porém, não afeta o Recife, Caruaru e Petrolina, onde os festejos já tiveram início. Os três municípios, além de outros cinco, são os únicos em situação regular entre 40 onde os bombeiros reforçarão o efetivo neste mês.

Apesar do número de itens exigidos para a liberação das festas por um grupo de trabalho que reúne vários órgãos de fiscalização, o procedimento é comum em qualquer outro evento ao ar livre e, na visão da Secretaria de Defesa Social (SDS), que abordou o assunto em entrevista coletiva, ontem, já poderia ter sido agilizado pelas prefeituras. “É uma festa que tem estruturas metálicas, elétricas e fogos. Isso precisa ser documentado para que possamos vistoriar. Temos um pessoal de plantão à espera das demandas”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Manoel Cunha.

A corporação citou como exemplos de cidades com pendências Carpina, Limoeiro e Arcoverde. Nessa última, os eventos oficiais terão início neste sábado. Em Limoeiro, o pontapé será na véspera de São João. “Mas ainda dá tempo de essa situação ser regularizada antes. Basta que as prefeituras entrem no site do Corpo de Bombeiros e vejam toda a documentação necessária. Destaco que não queremos impedir a festa de ninguém. O que queremos é que seja segura, com projetos de incêndio e de evacuação de pessoas. Mas, se isso não chegar aos bombeiros da forma que tem que chegar, vamos interditar os locais de shows temporariamente até que haja a regularização”, afirmou Cunha.

O Corpo de Bombeiros destacou, contudo, que a lista de cidades que a corporação considera para as fiscalizações nesta época do ano foi feita com base nos locais que, historicamente, sediam festejos juninos, o que não significa que todos vão promover os eventos em 2017. Palmares, na Mata Sul, por exemplo, está na lista das 40, mas foi afetada pelas fortes chuvas do fim de maio e recebeu, junto com outros 27 municípios que decretaram situação de emergência, uma recomendação do Ministério Público Estadual para não gastar nada com o São João. Nesse caso, as prefeituras não têm razão de procurar os bombeiros para as vistorias.

Efetivo

Até o próximo dia 30, haverá 2.653 jornadas de trabalho de bombeiros nos polos de festa de todo o Estado, o que é chamado, tecnicamente, de lançamento. Só na Região Metropolitana do Recife, serão 72 lançamentos entre 23 e 25 de junho. O maior número está concentrado em Caruaru, com 1.197 empregos de profissionais desde 3 de junho até o próximo dia 29.

http://diariodegoias.com.br/images/stories/imagens/2015/Dezembro/correios.jpg

Os Correios devem fechar 2017 com prejuízo de R$ 1,3 bilhão, segundo projeção do presidente da estatal, Guilherme Campos, apresentada em uma reunião na última terça-feira (13), no Palácio do Planalto. Se confirmada, será o quinto ano consecutivo em que a companhia, que foi palco inaugural do mensalão há mais de dez anos, fechará no vermelho. Nos primeiros quatro meses deste ano, o prejuízo acumulado é de R$ 800 milhões.

Para tentar reverter à crise, Campos propõe alterar o plano de saúde dos funcionários. A ideia é que a empresa, que hoje custeia, em média, 93% dos planos de funcionários, estendendo o benefício a cônjuges, filhos e pais, concentre-se em pagar 100% do benefício, porém apenas para funcionários ativos e aposentados, excluindo parentes.

“A única proposta hoje na mesa é essa: assumimos 100% do custo dos funcionários na ativa e dos aposentados e 15% do resultado do lucro da empresa iria para a folha de pagamentos para que os empregados optem por contratar com desconto o plano de parentes” afirmou Campos ao Estado.

Ao ser questionado sobre quando os Correios passarão a ter lucro para que a proposta seja concreta, o presidente da estatal disse que não há como calcular, mas destacou que tem “trabalhado para que o lucro venha o quanto antes”. Do déficit de R$ 800 milhões dos quatro primeiros meses do ano, R$ 600 milhões foram referentes ao custo do plano de saúde dos funcionários. Do rombo de R$ 2 bilhões registrados em 2016 – o balanço ainda não foi divulgado -, R$ 1,8 bilhão, segundo o presidente, é consequência do custo dessa cobertura estendida do plano de saúde.

Acordo

Campos defende um acordo com funcionários para resolver a situação. “[SEM ACORDO] O plano de saúde vai representar a morte da empresa”, afirmou. A explicação para o alto custo do plano de saúde era justamente a inclusão dos pais dos empregados na cobertura. A proposta da estatal representaria economia de um terço do déficit da empresa, ou cerca de R$ 600 milhões, segundo o executivo.

O presidente dos Correios destacou que o processo de mudanças nos benefícios está sendo feito “por etapas” e que, durante as negociações do dissídio coletivo, foi destacada a necessidade de ajustes no custeio do plano de saúde. Segundo ele, como o sindicato dos trabalhadores não fez propostas, a estatal levou o tema ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), que está mediando uma solução.

Na reunião com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), Dyogo Oliveira (Planejamento) e funcionários técnicos da assessoria jurídica do governo, segundo informações obtidas pela reportagem, Campos fez relatos de que, se o plano de saúde não for extinto ainda neste ano, a “reestruturação” dos Correios fica comprometida.

Continue reading

Foto: Guga Matos/JC Imagem

A Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) deu parecer favorável à criação de duas companhias da Polícia Militar para atuar em Araripina, na divisa com o Ceará e o Piauí, e em Tamandaré, com Alagoas. A medida foi aprovada no colegiado nesta quarta-feira (14).

Se o projeto de lei passar no plenário, o efetivo será remanejado de policiais de outras unidades da PM e composto também de novos soldados que estão sendo capacitados no Curso de Habilitação e Formação de Praças.

O objetivo do projeto de lei é o combate à criminalidade em áreas de divisa com outros Estados. A 9ª CIPM, de Araripina, vai reforçar o policiamento na região do polo gesseiro. Enquanto a de Tamandaré – 10ª CPIM – vai atuar na divisa com Alagoas e também no policiamento ostensivo na Mata Sul pernambucana.

Marin tem buscado recursos para arcar com os custos da vigilância imposta pela Justiça dos EUA / Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Estadão Conteúdo

Para ajudar a pagar os custos de sua prisão domiciliar em Nova York e despesas com advogados, o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, vendeu por R$ 11.550.000,00 uma mansão localizada no Jardim Europa, uma das regiões mais nobres de São Paulo. O imóvel fica em um terreno de 2.600 metros quadrados e tem 818 metros quadrados de área útil. Possui dois andares, 12 salas, 10 banheiros e estacionamento para 30 carros.

A nova proprietária da residência é a empresa Meta Administradora de Bens, especializada em empreendimentos de alto padrão. O negócio foi registrado no 4.º Cartório de Registro de Imóveis de São Paulo no último dia 22 de fevereiro.

Apesar de a transação ter sido feita por R$ 11,5 milhões, o valor de referência do casarão de José Maria Marin é de R$ 24 945.754,00, mais do que o dobro do valor pago de acordo com a matrícula do imóvel. Procurada pelo Estado, a Meta não se pronunciou sobre o negócio.

A mansão foi comprada por José Maria Marin em 2014. O ex-presidente da CBF pagou por ela R$ 13,5 milhões. A casa estava registrada em nome da JMN Empreendimento e Participações, empresa criada pelo dirigente brasileiro para cuidar dos bens da família.

Em 2015, quando já estava preso nos Estados Unidos por corrupção no futebol, José Maria Marin deixou a sociedade da empresa. Permaneceram como proprietários apenas a sua mulher, Neuza Augusta Barroso Marin, e o filho Marcus Vinícius Marin. Com a manobra, o ex-presidente da CBF tentou se proteger de uma possível tentativa da Justiça norte-americana de pedir o confisco ou bloqueio de alguns de seus bens no Brasil.

José Maria Marin acumulou mais de R$ 2 milhões de prejuízo com o imóvel – além de ter vendido por um preço menor do que o pago há três anos, somente de IPTU ele gastava quase R$ 200 mil por ano. Em outubro do ano passado, o Estado revelou que o casarão estava desocupado e o dirigente o colocou para alugar por R$ 110 mil/mês.

Antes de José Maria Marin comprar o imóvel, funcionava no local uma clínica médica de oncologia. A mansão pertenceu à família Klabin Lafer (líder no setor de produção de papel no Brasil) e fica próxima ao MIS (Museu da Imagem e do Som).

Preso em seu apartamento na Quinta Avenida, em Nova York, o dirigente de 85 anos tem buscado recursos no Brasil para arcar com os custos da vigilância imposta pela Justiça dos Estados Unidos, que inclui tornozeleira eletrônica e câmeras de segurança instaladas na porta de seu apartamento e em todas as saídas do prédio Trump Tower. Por mês, os seus gastos são superiores a R$ 200 mil.

O ex-presidente da CBF recebe pensão vitalícia do Estado de São Paulo no valor de R$ 20.257,80 relativa à extinta carteira previdenciária dos deputados paulistas. José Maria Marin foi deputado estadual por dois mandatos, de 1971 a 1979. Também foi governador de São Paulo por 10 meses, entre 1982 e 1983.

José Maria Marin é acusado de ter cometido vários crimes, como o de receber propinas nas negociações de direitos de TV em edições da Copa América e suborno em contratos de comercialização e marketing da Copa do Brasil. Em abril de 2014, por exemplo, ele teria viajado para Miami, na Flórida, para participar de uma conferência de imprensa e teve uma reunião com J. Hawilla (dono da Traffic) para acertar os pagamentos das propinas.

O ex-presidente da CBF está em prisão domiciliar em Nova York desde 2015, à espera do julgamento, marcado para novembro deste ano. Ele obteve permissão para deixar o apartamento por até quatro dias da semana, mas não pode sair do raio de até duas milhas (3,2 quilômetros).

https://i2.wp.com/www.radiopajeu.com.br/portal/wp-content/uploads/2017/06/2017-06-10-PHOTO-00000760.jpg?fit=495%2C330

Numa promoção da Prefeitura de Afogados da Ingazeira, através da Secretaria de Cultura, os afogadenses vivenciaram ontem (14), o Arraial Municipal/2017. As atrações agradaram em cheio. Inicialmente a Banda Arcoverdense Forró do Candeeiro com o seu Forró quente e gostoso, enxertando maracatu, caboclinho e coco no forró, xaxado e baião. Em seguida foi à vez do Cantor de forró Universitário Valdinho Paes que fez um resumo da Cultura Pernambucana. Pena que o público não foi o mesmo do arraial de anos anteriores. As informações são de Anchieta Santos, comunicador da Rádio Pajeú AM. (Foto ilustrativa)

A Corte Especial do Tribunal de Justiça de Goiás arquivou nesta quarta-feira (14) duas ações penais contra o ex-senador Demóstenes Torres. Segundo o advogado Pedro Paulo Medeiros, agora Demóstenes vai tentar reaver no Senado o mandato do qual foi cassado e reverter sua inegibilidade – algo sem precedentes.

O arquivamento é uma consequência da anulação das provas e interceptações feitas pela Polícia Federal nas operações Monte Carlo e Vegas, que investigaram negócios do contraventor Carlinhos Cachoeira, conforme decidido pelo Supremo Tribunal Federal.

Vaquejada no pais, no Senado - 06/06/2017

O Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo para tentar derrubar a PEC 96, que libera a vaquejada no país.

Em março, o STF havia considerado a prática ilegal, mas a decisão perdeu o efeito após a aprovação da tal PEC, promulgada no mês passado, com direito a foto de Eunício Oliveira e Rodrigo Maia com chapéus de vaqueiro na cabeça.

O Globo

Em um segundo depoimento à Polícia Federal, nesta quarta-feira, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro fez revelações que podem complicar ainda mais a situação do presidente Michel Temer e do ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, investigados por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça. Chamado para esclarecer pontos incompletos do interrogatório anterior, ocorrido no dia 2 deste mês, Funaro respondeu a todas as perguntas do delegado que está à frente do inquérito. O depoimento se prolongou por mais de quatro horas, o que indicaria o forte interesse dos investigadores nas informações fornecidas pelo operador.

No primeiro depoimento, Funaro acusou Geddel de fazer sondagens para saber se ele iria mesmo fazer acordo de delação premiada, como estava sendo ventilado pela imprensa. O ex-ministro, um dos principais aliados de Temer, teria ligado várias vezes para a mulher de Funaro em busca de informações sobre os planos do doleiro. Em uma conversa com Temer, em 7 de março deste ano, o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, disse que estava pagando mesadas a Funaro e ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que os dois não fizessem delação. Temer teria dito, “tem que manter isso. Viu ?”.

Funaro afirmou também que até ser demitido, Geddel era o principal interlocutor de Joesley no governo. A questão é importante porque, ainda na conversa com Temer, Joesley diz que, com Geddel fora de cena, precisaria de um novo interlocutor. Temer indica, então, Rocha Loures para tratar de “tudo” com o empresário. Dias depois, o ex-assessor sai a campo e trata de decisões e cargos estratégicos do governo com Joesley. Em outro momento, é filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil de Ricardo Saud, operador da propina da JBS.

INTERESSE NA DELAÇÃO PREMIADA

O dinheiro seria a primeira parcela de um suborno que, pelos cálculos da Policia Federal, bateria a casa dos R$ 600 milhões ao longo de 25 anos. Segundo Saud, o dinheiro seria para Temer. As conversas e o recebimento do dinheiro resultaram na abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) e na prisão de Rocha Loures. No início, Funaro se mostrava reticente em colaborar. Mas, há duas semanas, contratou o advogado Antonio Figueiredo Basto para negociar acordo de delação com a Procuradoria-Geral da República.

Continue reading

Michel Temer, vice-presidente da República, durante coletiva de imprensa em fevereiro de 2016 (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Em reunião com os deputados Carlos Marun (PMDB-MS) e Edio Lopes (PR-RR) nesta quarta-feira (14), o presidente Michel Temer pediu empenho da base aliada para aprovar a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados antes do recesso de julho. Deu a entender que topa abrandá-la se necessário for. Temer quer passar a impressão de que tem força para tocar as reformas no Congresso e, assim, garantir o apoio do mercado e dos empresários a sua permanência.

Na terça-feira (13), Temer disse ao presidente da central sindical UGT, Ricardo Patah, que está disposto a fazer alterações na reforma trabalhista, que tramita no Senado Federal, por meio de Medida Provisória.

http://portalsj.com/wp-content/uploads/2016/10/FEBRE-AFTOSA.jpg

O prazo para vacinar os bovinos e bubalinos contra a febre aftosa terminou no último dia 31 de maio, mas o prazo final para declarar a vacina contra a febre aftosa termina nesta quinta-feira, 15 de junho, em todo o estado. Nos municípios que decretarem feriado nesta data, os pecuaristas poderão declarar normalmente no dia 16.  A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) espera ainda 19.667 produtores de bovinos para fazer a declaração. Quem ainda não declarou precisa procurar o escritório da Adagro onde sua ficha cadastral é movimentada para se regularizar, munido com a nota fiscal da vacina e CPF em mãos. No ato, o agricultor irá realizar a sua atualização cadastral, inclusive com o detalhamento do seu rebanho por sexo e idade.

Aquele agricultor que não procurar a Adagro para fazer a sua declaração ficará sujeito a multa de no mínimo R$ 60,00, fica impedido de retirar a Guia de Trânsito Animal – GTA, tem a propriedade interditada e fica impedido de participar das linhas de crédito do governo, como por exemplo a compra do milho na Conab e empréstimos no banco do nordeste, pois para receber esses incentivos é necessário que o criador apresente uma declaração da Adagro.  

FEBRE AFTOSA

A febre aftosa é uma doença viral altamente infeciosa que acomete os animais que possuem casco fendido. Sua ocorrência representa veto a mercados importantes e, consequentemente, prejuízos econômicos para o setor, por isso a importância de proteger o rebanho da doença por meio da vacinação. A imunização ocorre em duas etapas, uma em maio e outra em novembro.

http://fetracan.org.br/wp-content/uploads/2016/04/12136121.jpeg

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (14) que decidiu reduzir o preço médio nas refinarias em 2,3% para a gasolina e em 5,8% para o diesel. Trata-se da segunda redução em 20 dias. No dia 25 de maio, a estatal tinha reduzido o preço médio nas refinarias em 5,4% para a gasolina e em 3,5% para o diesel.

"A decisão reflete as variações recentes nos preços internacionais do petróleo que, depois de flutuar ao redor de US$ 50 por barril, registrou queda sucessiva estando abaixo de US$ 46 por barril atualmente. No câmbio, depois de uma desvalorização significativa na moeda brasileira em relação ao dólar, refletindo incertezas políticas, a moeda americana tem flutuado em torno de R$ 3,30", justificou a Petrobras, em comunicado.

Na véspera, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, presidente da Petrobras, já tinha sinalizado que a companhia tende a rever os preços de combustíveis em intervalos menores de tempo em razão da volatilidade do dólar e do preço do petróleo. No comunicado desta quarta, a Petrobras anunciou que "iniciará a prática de ajustes de preços em períodos mais curtos, sem alterar a regra de formação de preços da atual política".

Impacto nas bombas

Segundo a última pesquisa divulgada Agência Nacional de Petróleo (ANP), o pela preço médio da gasolina caiu para R$ 3,572 no país, atingindo o menor patamar desde novembro de 2015. A Petrobras estima que, se o novo ajuste anunciado for integralmente repassado e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, "o diesel pode cair 3,5%, ou cerca de R$ 0,11 por litro, em média, e a gasolina, 0,9% ou R$ 0,03 por litro, em média".

Política de preços

A Petrobras pratica desde outubro uma nova política de definição de preços dos combustíveis, com reuniões mensais para definir os valores da gasolina e do diesel nas refinarias. Um reajuste da companhia nas refinarias não necessariamente significa uma mudança no preço nos postos, pois as distribuidoras podem repassar ou não essa variação (como ocorreu algumas vezes).

Outras variáveis também podem influir no preço da gasolina, como o preço do etanol, já que a gasolina comum deve ter 27% de etanol anidro – e o preço do álcool combustível varia de acordo com a safra da cana-de-açúcar. Desde que começou a nova política de preços, a Petrobras já anunciou cinco cortes e dois aumentos no preço dos combustíveis. O primeiro anúncio foi em outubro, quando o preço da gasolina caiu 3,2% e o do diesel, 2,7%. Em novembro, nova queda (de 3,1% e 10,4%, respectivamente). Em dezembro, foi a vez do primeiro aumento: reajuste de 8,1% na gasolina e de 9,5% no diesel.

Em janeiro, a Petrobras fez duas alterações nos preços: no dia 5, subiu o preço do diesel em 6,1% (mas manteve o da gasolina), e no dia 26, reduziu novamente o preço dos dois combustíveis. Em fevereiro, a Petrobras voltou a anunciar redução: de 5,4% na gasolina e de 4,8% no diesel. Março foi o primeiro mês desde a nova política de preços que não houve nenhuma alteração. Em abril, houve aumento de 2,2% no preço da gasolina e de 4,3% no diesel. Em maio, os preços voltaram a mudar de direção, com o anúncio de redução de 5,4% para a gasolina e em 3,5% para o diesel.

http://s2.glbimg.com/0ZvVTpWrrgAvq7kDUurqZgfYAnk=/620x465/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2016/01/09/chuva-6h-gracasrecife.jpg

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu alerta de chuva forte para a esta quinta-feira (15). As precipitações são esperadas na Região Metropolitana do Recife (RMR), Mata Sul, Mata Norte, e áreas do Agreste.

Segundo a Apac, a previsão é de chuvas moderadas a fortes. A Defesa Civil do Recife orienta que moradores de locais de risco, em caso de necessidade, devem procurar abrigo em locais seguros. O órgão pode ser acionado 24 horas no telefone 0800 081 3400. 

A Mata Sul, incluída na previsão da Apac, foi a mais atingida nas últimas chuvas de maio. A temporada de chuva deixou seis pessoas mortas, sendo duas no Recife, duas em Lagoa dos Gatos e mais duas em Caruaru.

A Defensoria Pública da União (DPU) lançou novo edital para concurso público com 25 vagas de provimento imediato para defensores públicos federais, sendo 17 oportunidades destinadas para ampla concorrência, duas para pessoas com deficiência e uma para indígenas, com salários de R$ 22.197,67. As inscrições custam R$ 200 e podem ser realizadas entre 30 de junho a 25 de julho no site da instituição. As provas vão ser feitas no dia 24 de setembro.

Podem concorrer candidatos formados em Direito, com diploma há pelo menos três anos completos e registro na (Ordem dos Advogados do Brasil) OAB. Segundo o regulamento, a primeira e a segunda fase, serão realizadas em todas as capitais brasileiras. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) é a banca examinadora que será responsável pelas provas objetivas, dissertativas, orais, avaliação de títulos e sindicância de vida antecedente.

O Estado já contabiliza 2.495 casos em 2017 / Foto: Bernardo Soares/JC Imagem

O balanço dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) do mês de maio trouxe à tona uma notícia nada animadora para os pernambucanos. Apesar do período ter sido menos violento do que o mês de abril deste ano, com redução de 13,9% na média diária, os dados da Secretaria de Defesa Social do Estado (SDS) revelam que o último mês não foi só o mais violento em relação ao mesmo período no ano passado, mas sim dos últimos cinco anos. Em maio de 2016, foram 319 casos contra 457 neste ano. No geral, até agora em 2017, o Estado já contabiliza 2.495 casos de homicídios. Em 2016, neste mesmo período de cinco meses, foram registrados 1.727 homicídios, o que representa um aumento de 44,4% no atual período.

Segundo o secretário Angelo Gioia, que admitiu durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (14) o "elevado patamar" de crimes letais contra a vida no Estado, “O trabalho das polícias vem dando resultados importantes, quebrando uma longa sequência de meses de ascensão dos CVLIs desde 2014, quando a hierarquia e a disciplina foram subvertidas dentro das corporações".

Se levado em considerações os meses de 2017, a análise da SDS é acertiva por realmente o Estado ter apresentado reduções nos dados de abril, com 35 assassinatos a menos em relação a março (com total de 549 CVLIs) e do mês de maio em relação a abril do mesmo ano, com redução de 13,9% dos crimes.

Entretanto, seguindo os dados disponibilizados pela própria SDS nos informes mensais de conjuntura criminal em Pernambuco, o aumento da criminalidade letal no Estado fica evidente.

De 2012 a este ano, pelo menos nos meses de maio, a taxa de CVLIs aumentou. Em maio de 2016 foram 319 casos; em 2015, 311; em 2014, 322. 2013 apresentou 272 casos, enquanto 2012 teve 290.

Outros dados de maio de 2017

Ainda segundo o balanço divulgado pela SDS, em maio, foram registrados 1.699 ocorrências de roubos de veículos, contra 1.780 em abril, representando uma redução de 7,63%.

Com relação aos furtos, a queda foi maior: 10,47% (556 em maio contra 601 em abril). Na contabilidade dos bancos, não houve alteração nos roubos a agências bancárias (2 para cada mês), arrombamentos a caixas eletrônicos (também 2 em cada mês) e assaltos a carros-fortes (1 em maio e 1 em abril).

Nos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), houve uma leve redução considerando a média diária. Foram 326 ocorrências por dia no mês de maio, contra 330 cada dia do mês anterior (queda de 1,48%).

Ônibus

No recorte dos roubos a ônibus, maio registrou 105 assaltos a coletivos, contra 102 no mês anterior. A média diária, no entanto, manteve-se praticamente estável, com 3,39 contra 3,40 no mês de abril.

No período de maio, considerando todas as modalidades criminosas, as polícias prenderam 3.009 pessoas, dos quais foram cumpridos 494 mandados de prisão, 2.062 em flagrante delito e apreenderam 453 menores por atos infracionais.

Foto: Humberto Pradera/Divulgação

Duas semanas após o presidente Michel Temer (PMDB) sinalizar a liberação do empréstimo de R$ 600 milhões para Pernambuco pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), dinheiro que seria usado em parte para as obras de barragens nas cidades atingidas pelas enchentes, o governador Paulo Câmara (PSB) continua sem previsão para a liberação do crédito. O socialista esteve em Brasília nesta quarta-feira (14) para uma reunião com o presidente do banco, Paulo Rabello de Castro, mas não recebeu resposta positiva sobre a liberação do valor.

O crédito já havia sido solicitado e aprovado em março, mas para obras de adutoras para levar segurança hídrica ao interior e de presídios no Estado. Com a chuva que deixou 27 municípios em estado de emergência, porém, Paulo Câmara acordou com Temer que iria usar parte do dinheiro para retomar as obras de quatro barragens para prevenir as enchentes na Mata Sul. As obras foram prometidas desde as cheias de 2010, quando o governador era Eduardo Campos (PSB), e agora estão paradas – segundo a gestão estadual, devido à interrupção nos repasses da União. Faltam R$ 383 milhões para essas obras.

Na reunião, Paulo Câmara lembrou a Rabello o compromisso de Temer em dar celeridade ao empréstimo. “Todos essas pautas de Pernambuco já estão sendo tratadas pela equipe técnica do BNDES, mas achei importante detalhar pessoalmente as demandas de Pernambuco. Nosso Estado estabeleceu uma parceria bastante efetiva com o banco nos últimos anos, que, tenho certeza, será mantida”, afirmou o governador através da assessoria de imprensa.

O governador também aproveitou a reunião com o presidente do BNDES para pedir o alongamento da dívida do Estado com o banco. Com isso, o governo teria um tempo maior para pagar o débito e reduziria o valor das parcelas. A expectativa da gestão é de reduzir em R$ 15 milhões mensais os desembolsos.

“São R$ 180 milhões por ano que vamos destinar a investimentos. O governador Paulo Câmara já determinou às equipes das secretarias da Fazenda e de Planejamento fazer os estudos, baseados no que foi anunciado pelo presidente Michel Temer na reunião que teve ontem (dia 13) com os governadores”, afirmou pela assessoria de imprensa o secretário de Planejamento e Gestão de Paulo Câmara, Márcio Stefanni. “Queremos destinar esse dinheiro também para as áreas de educação, segurança pública, recursos hídricos, mobilidade urbana, estradas e sistema prisional”.

Continue reading