TRE vai reforçar segurança das eleições de Belo Jardim / Foto: divulgação/TRE-PE

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu reforçar a segurança de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, para as eleições suplementares, que serão realizadas no próximo domingo (02).

De acordo com a assessoria de imprensa do TRE, uma equipe da Assessoria de Segurança do TRE (Asseg) já está na cidade e outras cinco serão enviadas para reforçar o dia do pleito.

O presidente do tribunal, desembargador Antônio Carlos Alves da Silva, também entrou em contato com a Secretaria de Defesa Social (SDS) para articular o aumento da segurança na cidade.

Homicídio durante caminhada

Na última quinta-feira (22), um homem foi assassinado a facadas durante uma caminhada política do prefeito interino e candidato Gilvandro Estrela (PV). Outras três pessoas ficaram feridas.

Após o ocorrido, a coligação União por Belo Jardim chegou a suspender os eventos de campanha temporariamente. A coligação entrou com uma petição junto à 45ª zona eleitoral pedindo a Força Nacional durante o processo.

http://blogdoitamar.com.br/wp-content/uploads/2016/05/ifpe.jpg

Começam nesta segunda-feira (26) as inscrições para o processo seletivo de contratação de professores substitutos do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). Há, ao todo, 15 vagas para os campus de  Afogados da Ingazeira, no Sertão, Garanhuns e Pesqueira, no Agreste, além de Recife, e Ipojuca, na Região Metropolitana. As remunerações variam de R$ 3.117,22 a R$ 5.697,61, a depender da titulação do profissional. Os interessados podem se inscrever até o dia 6 de julho e o edital do concurso pode ser acessado aqui.

Podem concorrer às vagas candidatos licenciados em biologia, física, filosofia, letras (com habilitação em língua espanhola ou inglesa) e geografia. Há também vagas para os formados em tecnologia em saneamento ambiental, e nas engenharias ambiental, mecânica, mecatrônica, eletrônica, automação e controle, além de medicina, enfermagem, tecnologia em radiologia e odontologia.

As inscrições podem ser feitas presencialmente, nos campus do Recife ou de Pesqueira do IFPE, ou via Correios. Os candidatos precisam apresentar os documentos listados no edital e o comprovante do pagamento da taxa de inscrição, que custa R$ 70.

O processo seletivo é dividido em duas etapas, sendo a primeira delas uma análise classificatória de títulos. Na segunda etapa, os candidatos são submetidos a uma prova de conhecimentos práticos específicos, em que o candidato deve ministrar uma aula para a banca examinadora.

O concurso tem validade de um ano, podendo ser prorrogado pelo mesmo período de vigência. Em caso de dúvidas, os candidatos podem entrar em contato com a Comissão de Vestibulares e Concurso (CVEST) ou do telefone (81) 2125-1724. 

G1

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que, em 2016, o Tesouro Nacional gastou com pagamento de aposentadoria a cada militar inativo ou pensionista 17 vezes mais do que gastou com cada beneficiário do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), que atende aos trabalhadores do setor privado (INSS).

Militares estão fora do projeto do governo de reforma da Previdência, que muda regras para aposentadoria de trabalhadores do setor privado e funcionários públicos e está em tramitação no Congresso. O Ministério da Defesa e Forças Armadas preparam uma proposta específica de previdência para militares.

De acordo com o documento do TCU, enquanto a despesa com cada beneficiário do RGPS custou no ano passado ao governo R$ 5.130,66, na média, com cada militar inativo ou pensionista de militar foi de R$ 89.925,30, também na média.

Uma das razões da diferença é que, no RGPS, a Previdência recebe contribuições tanto de empregados quando de empregadores. O gasto médio do governo de R$ 5.130,66 por ano é motivado pelo fato de que o total dessas contribuições não é suficiente para pagar aposentadorias dos inativos, pensões e demais despesas.

No caso dos militares, o Tesouro Nacional é responsável por todas as despesas porque não há o equivalente à contribuição patronal do setor privado.

Segundo nota do Ministério da Defesa, nos demais regimes previdenciários, a contribuição patronal pode chegar a 22%. Dos militares ativos e inativos é cobrada uma contribuição de 7% a 9%, destinada somente ao pagamento de pensões. A aposentadoria de militares da reserva é integralmente paga pelo governo (veja íntegra da nota do ministério ao final desta reportagem).  

O levantamento do TCU mostra ainda que o Tesouro gastou, na média, R$ 56.893,32 em 2016 com cada beneficiário do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), que atende aos servidores públicos federais. O valor equivale a 11 vezes o que foi gasto com quem recebe pelo RPPS.

No RGPS estão incluídos desde aposentados pelo INSS até aqueles que recebem benefícios como auxílio-doença. No total, segundo o TCU, eram 29,1 milhões de beneficiários do RGPS em 2016, dos quais 26,9 milhões de aposentados e pensionistas.

Entre os servidores públicos da União, eram 683.560 beneficiários. Entre os militares, 378.870.

Contribuição x despesa

O relatório do TCU aponta ainda que as contribuições previdenciárias dos trabalhadores da ativa, tanto do setor privado quanto do serviço público federal, têm peso muito maior que a dos militares na cobertura dos gastos com as aposentadorias.

Em 2016, o valor total pago em contribuição previdenciária por trabalhador no setor privado e do setor público foi equivalente a 38% do que foi recebido por um beneficiário do RGPS ou do RPPS.

Já a contribuição de cada militar ao longo do ano passado cobriu apenas 8% do valor de uma aposentadoria paga a militar da reserva.

Regime geral: contribuição média de R$ 6.623,00 por trabalhador e gasto médio de R$ 17.402,71 por beneficiário do RGPS em 2016.

Servidores públicos: contribuição média de R$ 38.684,89 por trabalhador e gasto médio de R$ 101.709,63 por beneficiário do RPPS em 2016.

Militares: contribuição média de R$ 7.925,56, por militar ativo ou inativo e gasto médio de R$ 97.658,83 por militar da reserva ou pensionista em 2016.

Entretanto, enquanto tanto no setor privado quanto no setor público há contribuição patronal (das empresas empregadoras ou do próprio governo), no caso dos militares isso não existe.

Idade

O documento também aponta diferença na idade média de concessão da aposentadoria aos trabalhadores comuns e na da transferência para a inatividade, no caso dos militares.

Em 2016, 55% dos militares que passaram para a reserva tinham entre 45 e 49 anos. Já no regime geral, apenas 6% estavam nessa faixa de idade.

No regime geral, a maior parte (34%) dos aposentados em 2016 tinha entre 60 e 64 anos. Já entre os servidores da União, a maior parte dos aposentados (32%) tinha entre 55 e 59 anos.

Crise

Segundo o TCU, até 2060 o gasto do governo com aposentadorias pode chegar a 20% do Produto Interno Bruto (PIB).

A auditoria do tribunal alerta para o efeito da crise sobre o aumento nos gastos dentro do regime geral (INSS).

Continue reading

https://confrariaafro.files.wordpress.com/2011/08/policia_rodoviaria_federal_blitz_br1.jpg

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Pernambuco apresenta na manhã desta segunda-feira (26) o balanço da Operação São João, realizada desde a zero hora da quinta-feira passada para reforçar a fiscalização das principais estradas de acesso ao interior do estado.

Os trabalhos, no entanto, seguem até a próxima quinta-feira, quando se comemora o dia de São Pedro. Até lá a PRF realiza ações educativas e de combate à criminalidade do Agreste ao Sertão. PRF O objetivo é reduzir acidentes graves e proporcionar mais segurança nas rodovias de todo o estado. A PRF contará com apoio de equipes da corporação de Alagoas, Sergipe, Ceará, Rio Grande do Norte, Maranhão e do Piauí. O reforço acontece principalmente nas BRs 232, 104, 316, 428 e 407, que levam aos municípios de Gravatá, Bezerros e Caruaru, no Agreste, além de Arcoverde, Afogados da Ingazeira, Serra Talhada, Araripina e Petrolina, no Sertão.

Da zero hora da quinta-feira passada até à zero hora desta segunda-feira, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 55 acidentes nas rodovias federais de Pernambuco, com o saldo de 44 feridos e seis mortos. O balanço parcial da operação São João, apresentado esta manhã, mostra uma redução do número de acidentes, mas um aumento do número de vítimas em relação ao mesmo período no ano passado. De 23 a 26 de junho de 2016 foram somados 61 acidentes, com 55 feridos e cinco mortes.

Este ano, entre os acidentes graves, está a uma colisão transversal entre uma motocicleta e um utilitário, ocorrida às 7h do domingo, na BR-104, em Agrestina. O condutor da moto, de 35 anos, morreu no local e o passageiro, de 30 anos, ficou ferido. O teste do bafômetro constatou que o motorista do utilitário não havia ingerido bebida alcoólica. A Polícia Civil vai investigar o caso. No mesmo dia, um homem de 52 anos morreu atropelado, por volta das 21h30, na BR-101, em Abreu e Lima, no Grande Recife. O veículo envolvido no acidente não foi identificado, mas uma placa foi localizada no local.

Fiscalização

Ao longo de quatro dias foram fiscalizadas 4.084 pessoas e 3.641 veículos, sendo emitidas 1.481 autuações por diversas infrações. Destacam-se 92 pelo não uso do cinto de segurança, 87 por ultrapassagens em local proibido, sete pela falta do capacete e seis pela ausência da cadeirinha para crianças. Nesse período, também foram registradas 189 imagens de veículos com excesso de velocidade.

O combate à alcoolemia contou com o apoio de equipes da operação Lei Seca, sendo realizados 1.043 testes com o bafômetro, que resultaram na autuação de 31 pessoas e na prisão de quatro motoristas sob efeito de álcool. Durante a fiscalização também foram recolhidos 78 veículos, 83 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVs) e 30 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs).

NOVENÁRIO DA VERDADE! (TÍTULO ALTERNATIVO: O SERTÃO NÃO QUER SER A CAPITAL)!

PRIMEIRA NOVENA ( PAI NOSSO QUE QUE ESTÁS NO CÉU, SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME) – O primeiro equívoco do deputado Antônio Moraes é imaginar que capital seja algo superior. Capital não é crédito, mérito ou honraria. Capital é centro administrativo e centro político de altíssima responsabilidade. Sertão não é descrédito, demérito ou desonra. Sertão é raiz, identidade indestrutível e PATRIMÔNIO Cultural da Resistência! Eis a distinção. Ela (capital) se sustenta por seus valores; ele (sertão), igualmente;

SEGUNDA NOVENA (VENHA A NÓS O VOSSO REINO) – O segundo equívoco (este imperdoável) é mandar elaborar um Projeto de Lei sem conhecimento da temática nem da história de um povo e, muito menos, de toda uma região, que inclusive, ultrapassa as fronteiras da divisa pajeuzeira;

TERCEIRA NOVENA (SEJA FEITA A VOSSA VONTADE) – Para esclarecer quem é ignorante na temática da Poesia Popular, é oportuno que se elenque os 30 municípios que carregam o aroma da poesia no sertão de Pernambuco e da Paraíba, excluindo-se naturalmente, os municípios de outras regiões dos dois estados. São 15 municípios paraibanos e 15 pernambucanos. Da Paraíba, são: 1- Teixeira; 2- Maturéia; 3- Patos; 4- Imaculada; 5- Taperoá; 6- Ouro Velho; 7- Prata; 8- Sumé; 9- Monteiro; 10- Livramento; 11- Pombal; 12- Cajazeiras; 13- Pilar; 14-Desterro e 15- Princesa Isabel. Do sertão de Pernambuco, são: 1- São José do Belmonte; 2- Sertânia; 3- Arcoverde; 4-Serra Talhada; 5-Afogados da Ingazeira; 6- Iguarací; 7- Ingazeira; 8- Tabira; 9- Triunfo; 10 – Carnaíba; 11- Tuparetama; 12- Santa Terezinha; 13- Brejinho; 14- Itapetim e 15- São José do Egito. Quem quiser, faça igual a mim, passe 40 anos pesquisando e saiba o histórico, a prática, o cotidiano, a trajetória e as tradições poéticas dos 30 municípios iluminados dos sertões de Pernambuco e da Paraíba;

QUARTA NOVENA (ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU) – Esclareça-se, também, que das 12 “cidades” citadas do Pajeú das Flores não há uniformidade similar entre elas. Cada qual teve e tem suas peculiaridades sui generis. Há uma relação parecida, mas o histórico faz-se distinto, inconfundível e autêntico;

QUINTA NOVENA (O PÃO NOSSO DE CADA NOS DAI HOJE) – No Pajeú, Santa Cruz da Baixa Verde, Quixaba, Solidão e Calumbí não exalam a mesma verve poética dos demais 12 municípios. Há manifestações e potencialidades isoladas, mas não raízes e frutos cotidianos e genuínos de efervescência no campo da poesia. Tal fato não as torna menores. Simplesmente são universos paralelos;

SEXTA NOVENA (PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS) – Tabira não é apenas um centro de produção poética de inteligência genial. Tabira é o município da religiosidade arraigada na alma popular. Tabira tem muito mais. De Dona Nevinha Pires, Dedé Monteiro (e família), Sebastião Dias, Genildo Santana, Pedro de Alcântara, da APPTA, dos educandários de qualidade, das festas populares, da Missa do Poeta, dos Grupos de Dança, do comércio pujante, do Movimento de Música Alternativa, da culturalíssima Feira do Gado, dos vaqueiros, aboiadores, das bandas marciais extraordinárias e das crianças e adolescentes aprendendo versificação com os mestres todo o tempo, dentre outras aptidões. Tabira é, sem dúvida, a “Cidade das Tradições”, tal qual Teixeira, Monteiro, Patos, Brejinho, Itapetim, São José do Egito (única cidade do Brasil a ter a Disciplina de Poesia Popular), Tuparetama, Triunfo e Serra Talhada. Todas elas multiculturais. Tabira não precisa de oficialismo pasteurizado da legalidade em forma de “consolação”. Tabira não necessita de condecorações oriundas de proselitismo politiqueiro. Ela já é sublime pela própria natureza e grandeza de seu povo;

SÉTIMA NOVENA (ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM OFENDIDO) – Contar poetas por metro quadrado ou somar quem lança mais livros é matemática inútil. O que mede a legitimidade poética de um município é sua história, sua trajetória e suas manifestações conhecidas no Nordeste, no restante do Brasil e fora dele;

OITAVA NOVENA (E NÃO NOS DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRAI-NOS DO MAL…) – Eis a história inequívoca e inapelável. Por volta de 1720, surgiram os primeiros poetas cantadores na serra de Canudos (hoje, Teixeira), sendo o primeiro genial repentista Agostinho Nunes da Costa, nascido em 1797, pai de três filhos cantadores, dentre eles, Ugolino (mais poeta que o pai e os irmãos). Por volta de 1750, alguns repentistas seguiram a nascente do Rio Pajeú (localizada em Brejinho) e encontraram um lugarejo denominado Umburanas (hoje, Itapetim) e lá se alojaram. Por volta de 1780, muitas destas famílias e seus descendentes passaram a residir em uma povoação maior, chamada de São José das Queimadas e depois São José da Ingazeira (hoje, São José do Egito). Por mais que exponha bairrismo, nada mais coerente que Teixeira ser a TERRA-MÃE DA CANTORIA; Itapetim, O VENTRE IMORTAL DA POESIA e São José do Egito, O BERÇO IMORTAL DA POESIA. A sequência foi recorrente. O Rio cuidou de expandir o seu mais rico fruto… O pioneirismo ou nascedouro se manteve nas três estrelas reluzentes das duas regiões circunvizinhas. Teixeira ofuscou o passado e o resgatou; Itapetim sempre manteve o vigor e São José do Egito aglutinou mais e se tornou mais conhecida no Brasil e no exterior. Qualquer versão não passa de versão. O que externo aqui é fato;

9 – NOVENA FINAL (AMÉM)! –
QUEM NOSSA HISTÓRIA DESMENTE
NÃO CORRÓI O PATRIMÔNIO
COMO O “DETURPADO” ANTÔNIO
MORAES, TÃO INCOERENTE
SEU GESTO FOI IMPRUDENTE
ILEGÍTIMO, BANAL
UM ERRO CRASSO, FATAL
POR SER NÉSCIO NA RAZÃO…
SERTÃO É SEMPRE SERTÃO
CAPITAL É CAPITAL!

IMG_0178

Por Vinicius de Santana

Na manhã deste domingo (25), vaqueiros de toda a região se reuniram para participar de mais uma festa em Petrolina. Depois de uma noite de forró no Estádio Paulo Coelho, vaqueiros tomaram café logo cedo e depois rumaram em direção a Orla de Petrolina, local onde se realiza a missa todos os anos.

Mais de mil vaqueiros, segundo os organizadores, participam do evento. Depois do desfile pelas ruas e avenidas da cidade, os vaqueiros chegaram à orla e puderam participar de momentos artísticos musicais, recepcionados pelos aboiadores Edivaldo e Marcílio, Zezinho do Violão e o Coral de Aboio de Serrita (PE). Destaca-se também a colaboração do advogado Ednaldo Ferras que mais uma vez ajudou no processo de organização da festa religiosa e cultural.

O Padre Guimarães convocou todos para a celebração religiosa. O prefeito Miguel Coelho, o ministro das Minas e Energia Fernando Filho, os deputados federais Adalberto Cavalcanti e Guilherme Coelho e o deputado estadual Odacir Amorim, marcaram presença na missa do vaqueiro, além de vários vereadores que estavam presentes na festa.

A secretaria de Cultura e Esporte, Maria Elana, participou do evento e deu as boas vindas a todos os vaqueiros presentes ao encontro.

Depois da celebração religiosa, os cantores Cirano e Cirino alegraram as famílias e admiradores que lotaram as calçadas da orla e toda a extensão da beira do rio, onde foi realizado o evento.

http://2.bp.blogspot.com/-xT1UUOv6Ke4/U0gngTXyTXI/AAAAAAAADRM/Bm3n3ZAJAeI/s1600/A2.jpg

Ascom

A população da comunidade rural de Queimada Grande, em Afogados da Ingazeira, assim como de algumas comunidades vizinhas que são referencialmente atendidas na unidade, passarão a contar a partir desta segunda-feira, pela primeira vez, com atendimento odontológico.

O serviço integra o conjunto de ações que permitiram a reforma e ampliação da Unidade Básica de Saúde da comunidade. A inauguração acontece nesta segunda-feira (26), a partir das 8h, na Queimada Grande.

http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/12/23/chega-ao-congresso-mp-que-autoriza-saque-de-contas-inativas-do-fgts/fgts_caixa_20161121_00494p.jpg/@@images/image/imagem_materia

Falta pouco mais de um mês para os trabalhadores que têm saldo em contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sacarem seus recursos. Segundo a Caixa Econômica Federal, até o dia 21 de junho, cerca de R$ 37 bilhões foram entregues a 22,1 milhões de beneficiários. O montante representa quase 85% do total de recursos disponíveis, contabilizados de um total de R$ 43,6 bilhões.

Para os próximos dias, a Caixa ainda espera atender até 8 milhões de pessoas. Desde o início das retiradas, 45% dos beneficiários fizeram os saques diretamente na boca do caixa, em uma agência bancária. No entanto, é possível obter o recurso das contas inativas com saldo de até R$ 1,5 mil nos terminais de autoatendimento da instituição com o número do PIS e uma senha que é cadastrada na hora, no caso de não possuir o Cartão do Cidadão. Para valores entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, será necessário ter o Cartão do Cidadão e a senha.

Nos correspondentes Caixa Aqui e nas Lotéricas, será permitido sacar até R$ 3 mil. Para isso, será preciso apresentar documento de identificação, Cartão do Cidadão e senha. Valores acima de R$ 3 mil serão sacados exclusivamente nas agências, sendo que, no caso de valores superiores a R$ 10 mil, o trabalhador precisará apresentar carteira de trabalho ou documento que comprove a extinção do vínculo com a empresa.

Para o planejador financeiro José Raymundo, o principal destino do dinheiro deve ser a quitação de dívida. Só depois o beneficiário deve pensar em investimento ou em consumo. "Se a pessoa está endividada, precisa negociar com o credor para quitar a dívida. Agora, se a pessoa está desempregada, é difícil abrir mão do dinheiro para o sustento".

No caso do pagamento de débitos, Raymundo sugere que, se possível, o consumidor tente pagar todo o montante, o que abre margem para negociações.

"Se a pessoa vai sacar R$ 5 mil do FGTS e tem uma dívida de R$ 7 mil, é importante que a pessoa tente negociar com o credor. Se o valor da dívida for muito maior, paga-se aquilo que pode e tenta-se rever os juros da dívida e o prazo", afirma. "O dinheiro do FGTS é um trunfo que o consumidor tem em mãos", destaca o especialista.

Raymundo acrescenta que mesmo no caso de dívidas contraídas por meio de prestações futuras, como um crédito para a compra de eletrodoméstico ou um automóvel, é uma boa estratégia antecipar o pagamento. Isso vai abrir espaço no fluxo de caixa. "Assim, ele poderá guardar dinheiro. Se o consumidor tiver disciplina, vale a pena essa folga para fazer uma poupança". 

http://manualdadiabetes.com.br/wp-content/uploads/2015/04/3-tipos-de-insulina.jpg

Cientistas do mundo todo estão trabalhando em diversas frentes para "aposentar" a insulina e as medições de glicemia com picadas, o que daria mais bem-estar a 18 milhões de pessoas só no Brasil que sofrem com diabete – que cresceu 62% só na última década. Um trabalho pioneiro do País, que entra em nova fase, já deixa pacientes sem a medicação há mais de dez anos.

Cerca de 90% dos casos são de diabete do tipo 2, que ocorre por resistência à ação da insulina e tem a obesidade entre as principais causas. Os casos restantes são de diabetes tipo 1, uma doença autoimune que leva o sistema imunológico a atacar o pâncreas do paciente, destruindo as células beta, que produzem insulina. Agora novas pesquisas envolvem terapia com células-tronco, implante de células pancreáticas artificiais, bombas eletrônicas de insulina, aplicação por via oral ou nasal e monitoramento da glicemia por escaneamento.

Hoje é o Dia Nacional do Diabete. E uma das iniciativas de maior impacto no tratamento de diabete tipo 1 vem sendo desenvolvida por cientistas brasileiros desde 2003 na Unidade de Terapia Celular do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP). O método foi idealizado por Júlio Voltarelli e, após sua morte, em 2012, passou a ser defendido pelo endocrinologista Carlos Eduardo Couri.

"Conseguimos algo que ninguém imaginava ser possível: suspender a insulina de pessoas com diabete tipo 1", diz ele.

Segundo Couri, o tratamento começa com a coleta de células-tronco da medula óssea do paciente. Em seguida, uma agressiva quimioterapia é usada para destruir o sistema imunológico. As células-tronco são então reintroduzidas no paciente, "reiniciando" o sistema imunológico, que para então de atacar o pâncreas, eliminando a necessidade de injeções de insulina. "Na primeira fase do estudo, entre 2003 e 2011, tratamos 25 pacientes e 21 pararam de usar insulina, um resultado inédito no mundo. A longo prazo, porém, apenas dois permanecem sem precisar das injeções", explica.

Esse resultado, no entanto, não significa que as pesquisas deram errado e vão agora entrar em nova fase. "A maior parte ficou 10 anos sem insulina. E os que voltaram a usar precisam de apenas uma injeção diária, em vez das três ou quatro", afirma o endocrinologista.

SCANNER

Para dispensar os diabéticos da desagradável picada no dedo a cada vez que é preciso monitorar a glicemia, um novo dispositivo permite que o paciente faça a medição com um scanner. Um pequeno sensor do tamanho de uma moeda de R$ 1 é aplicado no braço e mede continuamente a glicose no sangue do paciente, armazenando os dados durante o dia e a noite. Para verificar o índice glicêmico, o paciente aproxima do sensor um monitor, que escaneia a informação armazenada e a apresenta no visor. Desenvolvido pela Abbott, o FreeStyle Libre, foi liberado nos EUA em setembro de 2016 e já está no mercado brasileiro. Mas o preço é salgado: o kit custa cerca de R$ 600 e a cada 15 dias é preciso trocar o sensor, que custa cerca de R$ 240. 

Operação Ostium

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou neste domingo (25), um bimotor na região de Aragarças (GO), com meia tonelada de cocaína. De acordo com a área de comunicação da Aeronáutica, a intercepção foi feita por uma aeronave de defesa aérea A-29 Super Tucano, em ação que faz parte da Operação Ostium, contra ilícitos transfronteiriços.

Às 13h17, o piloto do Super Tucano passou a seguir o protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo e interrogou o piloto do bimotor (matrícula PT-IIJ), que havia decolado da Fazenda Itamarati do Norte, em Campo Grande do Parecis (MT), com destino a Santo Antonio Leverger (MT). Na sequência, o piloto da FAB deu ordens para o bimotor mudar a rota e pousar no aeródromo de Aragarças.   

Em um primeiro momento, o bimotor seguiu as instruções, mas arremeteu antes de pousar no local indicado. O piloto da FAB novamente ordenou a mudança de rota e solicitou o pouso, mas o bimotor não respondeu. Com isso, a aeronave passou a ser classificada como hostil.

No momento seguinte, o Super Tucano executou um tiro de aviso, para persuadir o piloto do bimotor a cumprir as determinações. No entanto, não houve resposta e o bimotor acabou pousando na zona rural do município de Jussara, no interior de Goiás.

Um helicóptero da Polícia Militar de Goiás fez buscas no local. De acordo com a Aeronáutica, os 500 quilos de cocaína encontrados no avião serão encaminhados para a Polícia Federal em Goiânia.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/_agenciabrasil2013/files/tcu.jpg

Eles são responsáveis por zelar pelo dinheiro público e cobrar austeridade nos gastos da União, estados e municípios, mas o rigor que deveria ser aplicado aos governantes nem sempre existe entre os próprios conselheiros dos tribunais de contas e muitos deles, em diferentes regiões do país, são réus em processos que correm na Justiça. Levantamento feito pelo GLOBO no Superior Tribunal de Justiça (STJ) mostra que quatro ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) e 37 conselheiros de tribunais de contas estaduais estão sob o escrutínio de algum tipo de investigação. O número equivale a 15% dos 240 ocupantes destes cargos nas 34 cortes existentes no Brasil.

Ao todo, eles respondem a 22 ações penais e 37 inquéritos em pelo menos 15 estados e no Distrito Federal. Os cargos de conselheiros dos tribunais de contas são vitalícios, com salários que pode chegar a R$ 30 mil mensais, e a maior parte deles é ocupada por meio de indicações políticas. Não faltam casos de processos por corrupção abertos por flagrantes em pleno exercício do cargo, até com condenações.

IRREGULARIDADES NOS ESTADOS

O ex-deputado Michel Houat Harb, o Michel JK, por exemplo, foi investigado por escândalos que vão desde a contratação de funcionários fantasmas até enriquecimento ilícito pelo recebimento de diárias de viagens superfaturadas, pagas pela Assembleia Legislativa do Amapá. Condenado por improbidade administrativa e alvo de ações por crimes de peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e formação de quadrilha, Harb tomou posse como conselheiro do TCE do Amapá em maio do ano passado, amparado por uma decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com base no princípio de presunção de inocência, Lewandowski derrubou decisão do Tribunal de Justiça do Amapá, que impedia a posse de Harb devido às ações penais em andamento. Ao assumir o cargo, ele ganhou foro privilegiado e teve as ações suspensas no TJ do Amapá. Agora, só pode ser julgado pelo STJ. Procurado, o TCE-AP disse que cumprirá as decisões das cortes superiores.

Outro já sentenciado é o conselheiro Valci José Ferreira de Souza, que presidiu o TCE do Espírito Santo entre 2001 e 2007. Em setembro passado, a Corte Especial do STJ condenou Souza a 10 anos de prisão e pagamento de multa pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Ele foi acusado de receber propina de contratos firmados para construir ginásios esportivos em municípios do estado, entre 1997 e 2001. A prisão só deve ocorrer com decisão de segunda instância, no caso, o STF. O TCE-ES não comentou as acusações contra Valci Ferreira de Souza.

A série de investigações policiais envolvendo conselheiros é extensa. Há um caso de fraudes para a construção de banheiros para famílias carentes do Ceará: pivô do chamado “escândalo dos banheiros fantasmas”, o conselheiro Teodorico José de Menezes Neto foi afastado, depois de denunciado pelo suposto desvio de R$ 2 milhões em cinco contratos de entidades filantrópicas, entre junho e agosto de 2010. O Ministério Público descobriu que uma assessora do gabinete de Teodorico presidia uma das entidades conveniadas com o estado para a instalação dos banheiros. Parte do dinheiro do convênio teria sido doada para a campanha do ex-deputado estadual Teo Menezes, filho do conselheiro. Segundo a investigação, parte dos banheiros sequer foi construída e outros tinham obras superfaturadas. Fora do tribunal desde 2012, Teodorico aposentou-se em novembro de 2016, segundo o TCE-CE, com salário de R$ 30, 4 mil. Ele e o filho negam as acusações.

Há ainda acusações de favorecimento de interesses setoriais. O conselheiro Manoel Paulo de Andrade Neto, o “Manoelzinho dos Táxis", do TCE do Distrito Federal, é réu em ação penal no STJ, depois de ser condenado em primeira instância por improbidade administrativa por manipulação de auditoria de táxis em Brasília, em 2015. Dono de permissão para dirigir táxis no DF, ele não poderia atuar em decisões sobre o serviço. Contudo, entre 2014 e 2015, o tribunal fez auditoria no setor e o conselheiro pediu vista dos processos, paralisando ação que apurava irregularidades nos serviços de táxi no DF. Ele nega ter prejudicado o andamento do processo ou outras irregularidades.

Em Roraima, Manoel Dantas Dias trocava decisões e arquivamentos de processos na corte por nomeações de familiares em cargos comissionados no governo estado. Ele foi denunciado por peculato ao STJ. Além disso, na condição de presidente do TCE, às vésperas do Natal de 2009, teria autorizado pagamento de diárias de viagens inexistentes em benefício próprio, para cobrir saldo negativo em sua conta corrente.

Há uma semana, o STJ autorizou abertura de inquérito contra o ex-ministro das Cidades Mário Negromonte, hoje conselheiro do TCE da Bahia, com base nas delações da Odebrecht. Ele fazia parte da cúpula do PP, partido que dividia as propinas da Petrobras. Foi indicado para o TCE num acordo político com o ex-governador Jacques Wagner, que cedeu uma vaga no TCE ao PP local.

Dias, de Roraima, e Negromonte não foram encontrados para comentar o assunto.

Atualmente, pelo menos 14 conselheiros de TCEs estão afastados por acusações de irregularidades nos estados do Amapá, Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e Roraima. No Rio, seis conselheiros foram indiciados e são investigados na operacão Quinto do Ouro, acusados de cobrarem propina para fazer vistas grossas na fiscalização de contratos e obras durante a gestão do ex-governador Sergio Cabral. Em março, o ex-presidente do TCE-RJ Jonas Lopes de Carvalho fechou acordo de delação premiada e se afastou do cargo. O filho dele, Jonas Lopes Neto, disse ter levado pessoalmente dinheiro em espécie para alguns conselheiros. O TCE-RJ não comentou as investigações sobre os conselheiros.

Em São Paulo, o conselheiro Robson Marinho teve US$ 2,7 milhões bloqueados pela Justiça suíça em 2009 e está afastado do cargo desde 2015. Ele é acusado de receber propinas da francesa Alstom para supostamente beneficiar a companhia em contratos com o governo de São Paulo.

TCU TAMBÉM É ALVO

No TCU, quatro dos noves conselheiros se viram envolvidos nas investigações das operações Lava-Jato e Zelotes — Raimundo Carreiro, Vital do Rêgo, Augusto Nardes e Aroldo Cedraz.

Por pouco, não seriam cinco. Em 2014, uma vaga no órgão foi oferecida ao então senador Gim Argello, que não assumiu por resistência dentro do próprio TCU.

Continue reading

O Globo

A previsão é que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ofereça hoje ou, no máximo, amanhã denúncia contra o presidente Michel Temer no Supremo Tribunal Federal (STF). Este será o primeiro passo para que o presidente possa se tornar réu. Em documento protocolado na semana passada, Janot já deu indicativos de que não vai aliviar nas acusações. Entre outras coisas, o procurador-geral disse que não há dúvida de que Temer cometeu crime de corrupção e sugeriu que a manutenção dele na Presidência contribui para a continuidade do cometimento de crimes.

A avaliação de Janot foi feita em um documento de 93 páginas em que ele defendeu a manutenção da prisão de Rochas Loures, ex-deputado e ex-assessor de Temer, apontado como o “homem da mala” do presidente. No texto, Janot disse que é “hialina”, ou seja, cristalina, a atuação conjunta dos dois nos crimes apontados na delação dos executivos do frigorífico JBS.

Janot alegou que, caso seja solto, Rocha Loures pode voltar a cometer crimes para ajudar Temer. “Não é lógico nem razoável inferir que o elevado potencial de reiteração delitiva do agravante (Rocha Loures) estaria neutralizado pelo fato de não mais dispor de seu mandato parlamentar. Michel Temer permanece em pleno exercício de seu mandato como Presidente da República”, disse o procurador-geral, concluindo: “o homem ‘da mais estrita confiança’ do atual chefe do Poder Executivo não mede esforços para servi-lo em atos ignóbeis de corrupção passiva e outras negociatas escusas”.

Temer foi gravado, sem saber, por Joesley Batista, dono da JBS. No encontro, Temer sugere que o empresário mantenha boa relação com Eduardo Cunha e elogia quando Joesley diz estar “segurando” dois juízes. Além disso, o empresário pede ajuda para defender seus pleitos no governo e Temer indica Rocha Loures como interlocutor para tudo que o empresário precisar. Segundo Janot, as respostas do presidente, concordando com as práticas do empresário, “foram espontâneas e bastante suspeitas”.

“Não se sustenta, portanto, a versão dada por Michel Temer em seus pronunciamentos públicos segundo a qual indicou Rodrigo Loures para ‘se livrar’ de Joesley, uma vez que as provas demonstram que na verdade a conversa no Palácio do Jaburu foi apenas o ponto de partida para as solicitações e recebimentos de vantagens indevidas que viriam em sequência”, escreveu Janot, finalizando: “quando Michel Temer afirma que ‘não há crime, meus amigos, em ouvir reclamações e me livrar do interlocutor, indicando outra pessoa para ouvir as suas lamúrias’, reconhece que de fato indicou Rodrigo Loures a Joesley Batista”.

De acordo com o procurador-geral, são fartas as provas da atuação do ex-assessor. “Através dele, Temer operacionaliza o recebimento de vantagens indevidas em troca de favores com a coisa pública”, disse Janot, concluindo não haver “ressaibo”, ou seja, vestígio, de “dúvida da autoria de Temer no crime de corrupção”. Como mostra da confiança de Temer em Rocha Loures, Janot destacou sua ida para a Câmara, quando ocupou por alguns meses o cargo de deputado. O ex-assessor era suplente, mas assumiu o cargo enquanto o titular, Osmar Serraglio, ficou à frente do Ministério da Justiça.

Ascom 

A Serra do Giz tem 315 hectares e se constitui em um dos mais importantes sítios arqueológicos da pré-história nordestina. Para evitar o agravamento dos danos causados às inscrições rupestres assim como o desmatamento dessa importante área, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira adquiriu a propriedade, com recursos próprios, por pouco mais de 300 mil reais.

Neste domingo (24), a Prefeitura coordenou, ao lado do CPRH, uma consulta pública no local para apresentar o resultado dos estudos técnico-ambientais produzidos na Serra e os próximos passos para a criação de uma unidade de conservação.

Os estudos técnicos foram realizados pela CEPAN – Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste, com financiamento do Governo de Pernambuco. O estudo mostra que o modelo ideal para a Serra do Giz é a criação de um parque ambiental. Victor Freitas, representante da CEPAN na audiência, informou que foram realizados seis estudos técnicos, dentre eles o levantamento e mapeamento das espécies animais e vegetais que habitam a Serra do Giz e o de potencial sócio econômico da área.

O prefeito José Patriota apresentou aos moradores da região a escritura lavrada em cartório da propriedade, em nome da Prefeitura, etapa final da aquisição da Serra do Giz. “Como militante, sindicalista, lutei muito pelas causas ambientais. Agora, como gestor, pude tomar essa decisão importante para que Afogados seja referência nessa área, com a criação do parque da serra do giz, atraindo visitantes da região e de outros estados até,” destacou o prefeito, falando também nos investimentos que precisarão ser feitos para incentivar o turismo ambiental de visitação.

Os estudos mostraram ainda que existem 116 espécies de animais, das quais seis encontram-se em grande perigo de extinção. São 66 espécies vegetais, de nove diferentes famílias botânicas, demonstrando a alta diversidade da área. Ao final da atividade, todos puderam conferir a bela apresentação de coco de roda protagonizada pelos moradores da comunidade do Leitão da Carapuça. 

Próximo passo

Após o estudo mostrar a viabilidade da criação do parque, a ação irá aguardar aprovação do Conselho Estadual de Meio-ambiente, que deverá ocorrer no próximo dia 30. A expectativa é que no dia 1º de Julho, durante a visita do governador Paulo Câmara ao município, seja anunciada mais uma boa notícia para o município.

http://imagens1.ne10.uol.com.br/ne10/imagem/noticia/2016/06/26/normal/25970b2e2287a9e23dd20c9e1bd6c1ff.jpg

À volta pra casa do feriadão de São João trouxe transtornos a quem usa ou usou a BR-232, principal via de ligação do Recife com o interior do Estado. Durante todo o domingo (25), o fluxo na rodovia ficou comprometido, pelo menos em três locais – Gravatá, no Agreste; Pombos, na Zona da Mata; e no trecho entre Moreno e a capital pernambucana. Especialmente no trecho entre Moreno e Recife, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) estima que a velocidade média esteja em 30 km/h.

Também ao longo do domingo, um fluxo intenso foi detectado no sentido Ipojuca/BR-101 da PE-060, perto do Shopping Costa Dourada, de acordo com o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv).

Com exceção destes dois casos, tanto a PRF quanto o BPRv afirmam que não houve transtornos em outras rodovias do Estado. Na própria Região Metropolitana do Recife, em locais como a PE-005, que corta São Lourenço da Mata; e a BR-101, seja próximo à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) na capital, ou perto do girador de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, não houve detecção de retenções.

Mortes em estradas do Agreste

Duas ocorrências graves de acidentes foram registradas neste domingo no Agreste de Pernambuco. A primeira foi durante a madrugada, em que três pessoas morreram e quatro ficaram feridas em um capotamento na PE-160, na zona rural de Santa Cruz do Capibaribe.  O motorista estava em alta velocidade e perdeu o controle do veículo, que girou várias vezes na rodovia. Segundo a Polícia Militar (PM), sete pessoas ocupavam o carro – duas a mais que o permitido. Alguns ocupantes chegaram a ser arremessados para fora do veículo.

Horas depois, na BR-104, em Agrestina, uma colisão envolvendo um carro e uma moto deixou um morto e outro ferido. A vítima fatal, que era o condutor da moto, tinha 30 anos e morreu no local do acidente.

Foto: Aluísio Moreira/Divulgação

Após cancelar a rodada do Pernambuco em Ação que aconteceria em Caruaru, no Agreste, por causa da crise política, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que vai retomar as viagens em julho. “A gente ia continuar, mas teve a cheia, teve que parar”, disse. O modelo é inspirado no Todos Por Pernambuco, implantado pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB), seu padrinho político.

Paulo Câmara iniciou as viagens em fevereiro, a um ano e meio das eleições de 2018. O governador começou por Afogados da Ingazeira e outras cidades do Sertão. Em abril, levou a equipe para Garanhuns, no Agreste, onde o prefeito Izaías Régis (PTB) não participou do evento e foi criticado pelos aliados do socialista. A terceira rodada passou por Araripina, novamente no Sertão, em maio, onde o clima ficou chato com o prefeito, Raimundo Pimentel (PSL), que afirmou não ter sido convidado.

Nas idas para essas agendas no interior, Paulo Câmara tem admitido que não vai cumprir promessas de campanha, “repactua metas” – termo usado por ele – e assina a liberação de verbas para empreendimentos nos municípios visitados.

A resposta da oposição às viagens a um ano do período eleitoral foi com a criação do Pernambuco de Verdade, programa em que parlamentares da bancada contrária ao governo Paulo Câmara na Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) têm viajado também para municípios do interior para apontar problemas da gestão socialista nessas localidades.