Cármen Lúcia deve assumir Presidência na próxima segunda-feira

Com a viagem do presidente Michel Temer ao Paraguai, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, deve assumir o comando do País na próxima segunda-feira (18). Esta será a segunda vez que Cármen assume a Presidência da República este ano. A primeira foi em abril, quando Temer viajou ao Peru.

Isso tem acontecido porque não há vice na linha sucessória e toda vez que Temer viaja para o exterior, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), também são obrigados a se ausentar do País.

A explicação para essa situação está na legislação eleitoral. Pelas regras, quem quiser disputar a eleição não pode exercer nenhuma função no Executivo no período de seis meses anteriores ao pleito.

A mesma regra serve para a substituição do presidente da República. Se Maia e Eunício quisessem cumprir sua função na linha de sucessão, não poderiam ser candidatos em outubro.

Para evitar um problema com a Justiça Eleitoral, Maia vai viajar no fim de semana para Portugal e Eunício, para Buenos Aires.

Temer deve fazer uma bate e volta para Assunção na segunda-feira para participara da Cúpula do Mercosul. Os presidentes do Congresso devem retornar ao País na terça-feira, dia 9.

Essa regra eleitoral fez Temer desistir de viajar para a Ásia em maio, quando ficaria quase dez dias fora do Brasil. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), estuda apresentar um projeto para alterar esse entendimento – e evitar que situações como essa voltem a acontecer no futuro.

A Indústria Farmacêutica no mundo movimenta, anualmente, 63,5 bilhões de reais, segundo estimativas da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Com esse poderio econômico, e as suas consequências não tão naturais, é de se compreender o quão pouco utilizamos as plantas para usos medicamentosos. Além de impedir o crescimento da medicina fitoterápica, a indústria de medicamentos também se aproveita de seus conhecimentos, patenteando princípios ativos de plantas e registrando novos medicamentos com o uso destes.

Na contramão dessa lógica, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira foi buscar um dos maiores especialistas brasileiros em plantas que curam, para discutir a implantação de uma política pública municipal de saúde fitoterápica: o médico naturalista Celerino Carreconde.

Celerino formou-se em medicina pela Universidade Católica do Panamá, concluiu mestrado em medicina comunitária e epidemiologia na Queens University Kingston, do Canadá. Já ministrou diversos cursos sobre o tema em países como Cuba, Índia e Inglaterra. Nesta quinta-feira, Celerino Carreconde participou de uma reunião com o secretário Municipal de Saúde, Artur Amorim, e demais gestores da saúde no município, para debater os rumos e estratégias de uma política pública municipal de saúde fitoterápica.

“Esse projeto é fundamental porque o futuro é a planta medicinal. Mais barato e mais eficaz, trazendo uma experiência acumulada de conhecimentos no uso das plantas que remontam há séculos atrás. E está se revendo no mundo inteiro como usar plantas como medicamentos, e que atua com o corpo da gente. Aqui em Afogados estão preparando o futuro, a partir da realidade, das plantas daqui, promovendo também o desenvolvimento da agricultura local, e melhorando a saúde da população. E o melhor, gastando menos dinheiro público com produtos químicos que muitas vezes não resolvem os problemas,” destacou Celerino, que no início dos anos 80, fez um belo trabalho com fitoterápicos no Pajeú, por solicitação e sob a orientação de Dom Francisco.

“Estivemos discutindo a implantação de uma política pública de utilização de plantas medicinais e o uso dos fitoterápicos em Afogados da Ingazeira. Inclusive, foi bem interessante porque a gente teve a participação do Dr. Celerino e Dra. Diana, que são sumidades no assunto a nível nacional, e eles nos passaram informações de como vamos poder ter mais êxito nesse processo de implantação da política pública. Uma parceria que promete,” destacou o secretário de Saúde, Artur Amorim.  

O prefeito Ângelo Ferreira decretou, nesta sexta-feira (15), ponto facultativo no município no próximo dia 22 de junho, considerando os festejos juninos e o jogo da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo FIFA 2018.

Além disso, o documento contempla um horário especial nas repartições públicas e entidades da administração direta e indireta para o dia 27 de junho, quando os expedientes se encerram às 13h, data de mais uma partida de futebol da Seleção.

O decreto informa ainda que as Secretarias de Saúde e Serviços Públicos e Mobilidade Urbana devem manter os serviços essenciais.

Poder360

O pré-candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro, lidera todos os cenários da corrida presidencial sem o ex-presidente Lula (PT) segundo pesquisa contratada pela XP Investimentos. Mas as intenções de voto do deputado oscilaram para baixo nas últimas semanas, dentro da margem de erro de 3,2 pontos percentuais.

O pico de intenções de voto do militar nas pesquisas da XP, de 26%, foi registrado na última semana de maio. Em duas semanas, o apoio identificado pelo levantamento caiu 5 pontos no cenário sem Lula, com Fernando Haddad como candidato do PT.

O desempenho de Haddad é muito diferente no cenário em que ele é apresentado como candidato apoiado pelo Lula. Neste quadro, Fernando Haddad registra 11% das intenções de voto –1 indicativo mais seguro do potencial do petista caso ele seja o escolhido pelo PT para substituir o ex-presidente.

Junto ao petista, empatados dentro da margem de erro, aparecem Marina Silva (Rede), com 10%; Ciro Gomes (PDT), com 9%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%; e Alvaro Dias (Podemos), com 6%.

A trajetória descendente de Bolsonaro também está registrada nas simulações do 2º turno. Na 2ª semana de junho, o capitão do Exército na reserva aparece atrás de Lula (42% para 34%, contra um pico de 36% x 38%) e tecnicamente empatado com Marina Silva (Rede) (34% para 38%).

O estudo foi realizado pelo Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas Econômicas), empresa de pesquisas do marqueteiro político Antonio Lavareda, que já trabalhou para o PSDB e para o DEM. Foi responsável pela operação que levou o antigo PFL a trocar seu nome para DEM (Democratas), em 2007.

O levantamento ouviu 1.000 pessoas por telefone entre os dias 11 e 13 de junho em todo o país. A pesquisa tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e está registrada no TSE com vários números: BR-07273/2018, BR-05997/2018, BR-05699/2018 e BR-09600/2018.

É importante notar que essa pesquisa telefônica da XP tem margem de erro elevada (3,2 p.p). Dessa forma, há uma situação de empate técnico entre vários pré-candidatos.

Outros Cenários

No cenário em que Lula é considerado candidato, ele lidera com 29% e Bolsonaro aparece com 19%. Marina Silva, Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e Alvaro Dias ficam atrás, empatados na margem de erro.

Voto Espontâneo

Nesse tipo de medição o eleitor não é apresentado a uma lista de nomes. Vale a memória imediata do entrevistado. Bolsonaro (13%) e Lula (12%) são os únicos candidatos a receber menções significativas neste cenário, embora ambos tenham caído ligeiramente, dentro da margem de erro. Neste cenário, os votos em branco e nulos foram 28%, enquanto 37% não responderam.

O litro da gasolina chegou a ser vendido por R$ 2,0867 em 22 de maio / Foto: Pixabay

A Petrobras anunciou hoje (15) uma queda de 0,89% no preço da gasolina comercializada em suas refinarias. Amanhã (16), o combustível passará a ser negociado por R$ 1,9178 por litro no parque de refino da estatal.

No mês, a gasolina acumula queda de preços de 2,5%, de acordo com tabela divulgada pela Petrobras.

Esse é o menor preço atingido pelo combustível desde 11 de maio, quando ele era negociado a R$ 1,8908. O litro da gasolina chegou a ser vendido por R$ 2,0867 em 22 de maio.

Ciro: 'Sem Lula, cabe a mim não deixar o país descambar ao retrocesso'

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta sexta-feira (15) que, com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), caberá a ele liderar o campo progressista e impedir o avanço do que classifica como retrocesso e fascismo.

“Quando Lula, que é o maior líder popular do país, sofreu o que sofreu, a mim me toca agora, talvez, nesse campo progressista, a responsabilidade maior de não deixar o país descambar para o retrocesso”, disse.

Segundo Ciro, sua responsabilidade aumentou após a prisão de Lula. “O Brasil está ameaçado por uma recrudescência do fascismo, que é um fenômeno internacional. E nós os democratas temos que nos levantar e nos organizar e ajudar o povo brasileiro a se vacinar contra esse fenômeno.”

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) conversa com o pré-candidato ao governo de Minas Márcio Lacerda (PSB) em evento empresarial na cidade de Tiradentes (MG). O apoio do PSB é disputado pelo PDT e Lacerda é cotado como vice de Ciro.  Em sua fala sobre o avanço do fascismo, Ciro faz referência ao pré-candidato Jair Bolsonaro (PSC), que lidera pesquisas em um cenário sem Lula.

Ciro afirmou ainda que o país busca uma nova liderança. Já o discurso das lideranças petistas é o de que somente Lula, entre os políticos de hoje, tem o protagonismo e a interlocução capaz de tirar o país da crise.

O PT, porém, definiu um pacto de não agressão a Ciro. O pedetista afirmou que o pacto não é sequer necessário. “Não é necessário que a gente faça pacto e não é possível que a gente se agrida”, disse.

“Isso não quer dizer que a gente vai conseguir controlar o exagero de um ou de outro. […] Eu tenho toda a paciência do mundo, compreendo o momento traumático que o PT está vivendo. Sinto dor no coração por tudo que está acontecendo com Lula”, completou.

Ciro evitou responder que futuro prevê para o PT, já que a candidatura de Lula enfrentará questionamentos judiciais. Segundo o pedetista, ele foi agredido por amigos quando tratou do assunto.

Ao lado de outros pré-candidatos, Ciro participa de um evento empresarial em Tiradentes (MG), promovido pelo Lide e pelo Grupo VB de Comunicação. Com informações da Folhapress.

PF suspeita de 150 sindicatos e cria e-mail para denúncias

A Polícia Federal já tem indícios de fraude em processos de ao menos 150 sindicatos e federações no Ministério do Trabalho. As entidades aparecem em documentos e trocas de mensagens de investigados na Operação Registro Espúrio, os quais tratam, segundo investigadores, da manipulação dos trâmites para obtenção de cartas sindicais e outros interesses.

A PF suspeita de um esquema amplo de venda de atos administrativos e que funcionava havia vários anos na pasta, historicamente aparelhada por partidos políticos e centrais sindicais.

Por isso, criou um e-mail para denúncias de testemunhas, entre elas, servidores e representantes de entidades que tenham sido eventualmente achacados (registroespurio@dpf.gov.br). Os denunciantes, por lei, podem pedir que sua identidade seja preservada.

A ideia é inspirada nas origens da própria operação, que partiu da representação feita em 2017 por um sindicalista que se viu cobrado a pagar R$ 4 milhões para conseguir oficializar seu sindicato.

Para aprofundar as apurações, a PF também requereu ao ministério as cópias dos 150 processos supostamente contaminados pelo esquema.

Esses casos envolvem fraudes não só para deferir pedidos de registro sindical, mas para alterar o estatuto de entidades, ampliando sua base territorial ou o número de categorias de trabalhadores representadas.

Também há situações em que sindicatos, articulados com políticos e servidores, atuavam para que pedidos feitos por instituições rivais fossem indeferidos fraudulentamente.

A carta sindical, concedida pelo ministério, permite que o sindicato receba contribuições dos associados e outras receitas.

A Registro Espúrio foi deflagrada em 30 de maio, com a prisão de 23 pessoas, das quais oito permanecem sob custódia. Conforme as investigações, políticos com influência na pasta nomeavam servidores em cargos chave, os quais, para atendê-los, manipulavam processos em troca de propinas, filiações a centrais sindicais amigas ou até de apoio político em eleições.

São suspeitos de integrar o esquema os deputados federais Paulo Pereira da Silva (SP), presidente do Solidariedade e líder da Força Sindical; Jovair Arantes (GO), líder do PTB na Câmara; Wilson Filho (PTB-GO) e Ademir Camilo (MDB-MG). Este último está licenciado do Legislativo e é vice-presidente da UGT (União-Geral dos Trabalhadores).

Dois sobrinhos de Jovair, entre eles Leonardo Arantes -ex-secretário executivo do Trabalho até o escândalo vir à tona-, estão presos preventivamente.

Na última terça-feira (12), numa segunda etapa das investigações, a PF fez buscas em endereços da deputada Cristiane Brasil, filha do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, condenado e preso no esquema do mensalão. Os dois são suspeitos de se beneficiar das fraudes na tramitação dos processos.

Cristiane foi indicada para chefiar o ministério no início do ano, mas sua posse foi barrada por causa de condenações na Justiça do Trabalho. Ela e o pai continuaram com influência na pasta. O ministro que assumiu o cargo, Helton Yomura, é aliado dos dois.

À Folha, pessoas com acesso às investigações informaram que o material apreendido na operação reforça os indícios de crime atribuídos aos políticos.

As investigações também citam envolvimento dos senadores Dalírio Berber (PSDB-SC) e Cidinho Santos (PR-MT), flagrados pedindo a servidores da pasta para favorecer entidades, mas o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), não autorizou mandados contra eles. Os políticos citados negam envolvimento em ilicitudes.

As investigações da Registro Espúrio remontam a 2016, quando, após o impeachment de Dilma Rousseff, PTB e Solidariedade passaram a controlar o Ministério do Trabalho. A influência da Força Sindical e da UGT passou a ser predominante.

Nos governos do PT, a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a Força Sindical, antes ligada ao PDT, dividiam espaço na pasta. Em 2011, o então ministro pedetista Carlos Lupi pediu demissão em meio a um escândalo que tinha o mesmo enredo: a cobrança de propinas para regularizar sindicatos e favorecer ONGs (organizações não-governamentais). Lupi sempre negou envolvimento em corrupção.

Foto: Acervo / JC Imagem

Considerando que a segurança pública tem sido uma preocupação constante dos pernambucanos e que o tema será, com certeza, bastante debatido nestas eleições, a comissão representativa dos aprovados do concurso mais recente, de 2016, para o cargo de delegado da Polícia Civil de Pernambuco está pleiteando a realização da segunda turma do curso de formação. Ao todo, 305 candidatos foram aprovados, em agosto do ano passado, dos quais 140 participaram da primeira turma, iniciada em outubro do mesmo ano.

“Para enfrentarmos a violência de hoje em nossas ruas precisamos, urgentemente, reforçar os trabalhos de inteligência e investigação policial, recompondo o efetivo da Polícia Civil. Nosso intuito não é bater de frente com o governo, muito pelo contrário, o objetivo é participar da formação e estar a postos para assumir as vagas existentes, contribuindo com a melhoria do cenário atual da segurança pública”, afirmou Thiago Farias, um dos integrantes da comissão.

Segundo ele, o grupo de aprovados e aptos que esperam participar da formação é composto por 162 pessoas. Atualmente elas são integrantes do cadastro de reserva dentro de prazo de validade do concurso, que é de dois anos.

O edital do certame prevê que o concurso se destina a ocupação dos cargos de delegado de Polícia Civil e formação de cadastro de reserva de aprovados, a serem convocados mediante necessidade da administração estadual. Ou seja, é legítima a possibilidade de convocação do cadastro de reserva para o curso de formação, já que todos que estão no cadastro estão aptos e aprovados, submetidos a provas objetivas, subjetivas, teste físico, psicotécnico, exames de saúde, investigação social e fase de títulos, ressaltou Eduardo Cavalcanti, que também representa a comissão dos aprovados.

“Nosso pleito é a realização da segunda turma de formação. Queremos nos formar para estar aptos para quando o governo decidir convocar e, com o nosso ingresso a defasagem diminuir”, explica Thiago Farias.

Posição do governo

Na última quarta-feira, o líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Isaltino Nascimento, recebeu a Comissão e fez um pronunciamento em suas redes sociais sobre o assunto. Segundo o parlamentar, há um interesse por parte do governador Paulo Câmara de convocar de imediato todos os que foram aprovados e estão no cadastro de reserva. “Particularmente em relação ao cargo de delegado da Polícia Civil, há uma decisão tomada, mas aguardamos um posicionamento da Procuradoria Geral do Estado se isto atinge o limite prudencial, já que existe uma bolsa para esta formação e em relação à contratação. Mas há um interesse deste governo de convocá-los”, afirmou Isaltino.

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Psicólogos aprovados em um concurso realizado, em 2014, pela Secretaria Estadual de Saúde estão cobrando o governo Paulo Câmara (PSB) para que eles sejam convocados logo para assumirem o cargo de analista em saúde nas várias regiões do Estado. Das 53 vagas publicadas no edital, apenas 27 foram preenchidas, segundo a própria administração estadual.

Apoiados pela Federação Nacional de Psicólogos, pelo Conselho Regional de Psicologia e Sindicato dos Psicólogos de Pernambuco, os profissionais afirmam que há uma defasagem no número de psicólogos que atendem a rede estadual e que a quantidade de convocados deveria ser revista assim como a de outras categorias inseridas no mesmo concurso.

“Esse número é altamente insignificante diante da demanda de necessidade de atendimento psicológico. Existem cinco regiões do Estado que não houve convocação nenhuma após tanto tempo de concurso. Além disso, a carga horária do concurso é 12h por 60h. Então, não é nomeando um ou dois em cada região de saúde que ele vai suprir essa demanda que já está defasada desde 2014 para cá”, afirma Renata Braga, membro da Comissão do Concurso.

O concurso, para preenchimento imediato para vários cargos da área de saúde, foi homologado em 30 de dezembro de 2014 e, em 2016, teve sua validade prorrogada até dezembro de 2018. As vagas estariam divididas em 10 Gerências Regionais de Saúde (Geres). “Existe sim esse receio que não dê tempo para que chamem todo mundo”, afirma Renata.

Em nota, a Secretaria de Saúde disse que “é importante ressaltar que o concurso tem vigência até o final de 2018 e que todos os outros 26 aprovados serão chamados para os seus respectivos cargos dentro do período de validade do concurso”. 

“Já tiveram várias outras categorias que tiveram número triplicado de vagas do edital e psicologia não. Por isso, a briga é para que, além das vagas do edital, que a gente sabe que estão garantidas, que eles tem nomear mesmo, que eles convoquem a mais para que possa se equiparar às outras categorias”, disse.

O conselheiro Carlos Porto (foto), expediu monocraticamente uma Medida Cautelar, a ser homologada pela Segunda Câmara, determinando que a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude do Governo de Pernambuco se abstenha de firmar qualquer tipo de parceria com recursos de emendas parlamentares, até que comprove ao TCE que tem estrutura física para fazer a fiscalização desse dinheiro.

Foram notificados para a apresentação de defesa no prazo de cinco dias, caso tenham interesse, o secretário Cloves Benevides e o seu antecessor do cargo, Isaltino Nascimento, atual líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

ORGANOGRAMA 

Ao mesmo tempo em que expediu a Cautelar, o conselheiro fez várias determinações à Secretaria, entre elas elaborar um organograma que reflita a realidade da distribuição dos cargos e funções e um regimento interno que contemple todos os cargos da Secretaria com descrição das respectivas atividades e responsabilidades, além de instituir equipe de fiscalização para avaliar a execução dos convênios e contratos celebrados com recursos de emendas parlamentares.

Técnicos do TCE encontraram indícios de fraude nas contratações envolvendo três entidades: Missão Internacional de Proteção à Criança e ao Adolescente, Associação Solidária para o Desenvolvimento da Saúde e Associação Projeto Universal. Os convênios referem-se aos exercícios de 2015 e 2016.

Ascom 

O Concurso Arraial do Meu Bairro, promovido pela Prefeitura de Afogados da Ingazeira, tem sido um grande sucesso de público e crítica, ao resgatar a verdadeira tradição do ciclo junino. O concurso já passou por quase todos os bairros da cidade, e chega ao seu final na noite desta sexta-feira (15), com o arraial do Bairro São Braz, vencedor do concurso no ano passado.

Ontem à noite, foi à vez do bairro Brotas. Os moradores organizaram uma bela festa de São João, com ruas decoradas, mesas de comidas típicas e brincadeiras e adivinhações para todas as idades. O vice-prefeito, Alessandro Palmeira, acompanhou a festa ao lado do secretário de Cultura e Esportes, Edygar Santos.

O bairro entrou no clima das festividades juninas e apresentou desde a tradição dos Bacamarteiros até a tradicional quadrilha matuta improvisada. Também teve a participação da Junina Explosão Jovem, da cidade de Tabira. E o arrasta pé ficou por conta de Paulo Márcio e banda.

“Estamos vivenciando durante essas duas semanas um verdadeiro show de tradição em Afogados, e isso nos dá uma alegria enorme ao ver a união dos moradores, a riqueza em detalhes dos arraiais. O ciclo junino em Afogados, assim como já é tradição no carnaval, vem se tornado um dos mais animados do Pajeú”, destacou Alessandro Palmeira.

No Borges, esta semana, a população também participou ativamente da festa, seja decorando as ruas, seja organizando o Palhoção ou na preparação das mesas de comidas típicas do ciclo junino. Mais do que competir, o concurso estimula os moradores dos bairros a resgatarem as tradições do nosso São João, e a alegria em enfeitar as ruas e casas para celebrar os santos do mês.

A final do concurso será hoje, a partir das 19h, nas imediações da UBS Dr. Orisvaldo Inácio, no Bairro São Braz. “A disputa este ano está bastante acirrada, cada bairro se superando e fazendo uma festa melhor do que a outra. A decisão vai ficar nas mãos dos jurados,” afirmou Edygar. Os jurados este ano são o radialista e poeta Wellington Rocha, o artista e educador Luciano Pires, e a radialista Michele Martins.

 

http://4.bp.blogspot.com/-NyLKH70Jwhg/VlZRXcOmvtI/AAAAAAAAgI0/o5xcRH01N8U/s1600/Hemope%2Bhomenageia%2Bdoadores%2Bna%2BSemana%2BNacional-hemope_atletas.jpg

Com a proposta de ajudar a aumentar os estoques de sangue, o Hemope Recife recebe, no próximo sábado (16), às 9h, um grupo de cerca de 50 ciclistas, que fazem parte do projeto “Ciclistas juntos pela vida”, coordenados pela medalhista olímpica e hoje secretária executiva de esportes do Recife, Yane Marques.

Segundo Yane, a ação visa ser sistemática. “Sábado será o pontapé inicial, dessa vez com ciclistas, mas irei mobilizar outros atletas, com a Secretaria de Esportes, vou fazer o possível para que o Hemope sempre tenha um ótimo estoque de sangue”, ressaltou. A ex-atleta informou ainda que nem todos os participantes do dia são doadores frequentes. “Eu mesma vou doar pela primeira vez, pois quando era atleta, a rotina de treinos, além do meu peso, não permitiam a doação. É outra meta da ação, fazer com que os atletas se tornem doadores assíduos do Hemope”, informou.

Para a secretária executiva de esportes, a doação é um ato solidário e que deve ser praticado por todos. “Espero que essa ação sensibilize as pessoas pela importância de ser um doador de sangue. Estamos aqui na terra para fazer o bem, e você reservar um tempo do seu dia para doar sangue, sabendo que essa doação pode salvar uma vida, creio que não há coisa melhor que isso”, encerrou.

Do Ronda JC

O ex-secretário estadual de Administração Milton Coelho (PSB) está sendo investigado por suspeita de crime de peculato, ou seja, desvio de dinheiro público. De acordo com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o inquérito foi aberto pela Polícia Civil para apurar supostas irregularidades na conduta do ex-gestor.

Milton Coelho foi secretário de Administração do governo Paulo Câmara entre dezembro de 2015 e abril deste ano, quando deixou o cargo para concorrer nas próximas eleições. Milton Coelho já foi presidente estadual do PSB e também vice-prefeito do Recife.

As investigações começaram no início deste ano na Delegacia de Polícia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp). No entanto, como Coelho tinha foro especial por prerrogativa de função, a delegada Patrícia Domingos solicitou ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) autorização para dar continuidade ao inquérito. Antes mesmo da decisão judicial, ele pediu exoneração da secretaria e perdeu o foro.

Em parecer à Justiça, o MPPE se manifestou favorável ao “prosseguimento do inquérito pela autoridade policial, com a tomada das providências que entender cabíveis”.

Por telefone, a delegada Patrícia Domingos confirmou ao Ronda JC que está investigando o ex-secretário, mas informou que por enquanto detalhes estão sob sigilo.

Segundo o Código Penal Brasileiro, a pena para o crime de peculato é de dois a 12 anos de prisão, além do pagamento de multa arbitrada pela Justiça.

O blog entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Administração e aguarda pronunciamento sobre o caso.

OUTROS CASOS

Gestores do Governo do Estado tiveram os seus nomes envolvidos em várias investigações nos últimos meses. Em novembro do ano passado, a Polícia Federal de Pernambuco deflagrou a Operação Torrentes para prender empresários e gestores da Secretaria da Casa Militar suspeitos de desvio de verbas públicas destinadas às vítimas das enchentes na Mata Sul do Estado em 2010 e 2017. O processo já está na Justiça Federal.

Em junho do mesmo ano, a Polícia Civil de Pernambuco concluiu as investigações sobre um esquema de corrupção que supostamente envolvia empresários de ônibus, o Batalhão de Polícia Rodoviária e um então gestor do Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE).  Um tenente-coronel do BPRv e um chefe de fiscalização do órgão foram indiciados por corrupção passiva.

https://scontent-gru2-2.xx.fbcdn.net/v/t1.0-0/p526x296/35369024_2362436900436905_2546420426863542272_n.jpg?_nc_cat=0&oh=7286269a0405efc039365093ba233f4a&oe=5BB1A690

Mesmo diante da incerteza que permeia a sua possível candidatura ao Governo de Pernambuco, a vereadora do Recife Marília Arraes (PT), deu um passo importante para a viabilização de sua candidatura.

Enquanto o PT nacional não resolve os caminhos que serão tomados pelo partido em Pernambuco – se apoia ou não o PSB do governador Paulo Câmara -, a vereadora avançou com sua candidatura ao Palácio do Campo das Princesas ao anunciar o nome do advogado Cláudio Ferreira (com ela na foto), como coordenador do grupo que irá desenvolver o programa de seu eventual governo.

Em sua conta no Facebook, de acordo com o blog de Jamildo, Marília se mostra confiante. “Hoje começamos uma nova fase de nossa pré-candidatura ao Governo do Estado. É com muita alegria que anunciamos o nome do amigo e advogado Cláudio Ferreira, como coordenador do grupo que irá trabalhar a construção de nosso Programa de Governo. Obrigada Cláudio por aceitar nosso convite nesse projeto que nasceu de nossas bases e já ganhou os quatro cantos de Pernambuco”, disse a pré-candidata em sua publicação.

Relembre

O PT lançou no fim de semana passado uma resolução colocando como prioridade a formação de uma aliança nacional com o PSB e o PCdoB. Se o apoio for confirmado, a configuração deverá ser repetida nos palanques estaduais, o que poderia inviabilizar a candidatura de Marília Arraes ao governo. Hoje, o partido está dividido no Estado entre o grupo da vereadora, contrário ao apoio a Paulo Câmara, e os que defendem a aliança, como o senador Humberto Costa.

Por Inaldo Sampaio

O prefeito de Solidão, Djalma Alves de Souza (PSB), conhecido como “Djalma da Padaria”, declarou apoio ao deputado Sílvio Costa (Avante) para senador, ignorando os candidatos que serão indicados pelo governador Paulo Câmara.

É o terceiro prefeito filiado ao PSB que anuncia apoio a Sílvio Costa, que encerrou um giro pelo Pajeú nesta quinta-feira (14) apresentou-se como “o senador de Lula”.

Djalma da Padaria foi eleito vereador pela primeira vez em 1988 e teve sete mandatos consecutivos. Foi presidente da Câmara em três gestões.

No entanto, como a Frente Popular costuma jogar pesado em relação a dissidências, é uma boa oportunidade para se testar se o prefeito vai honrar a palavra.

 
bove=""