ctv-k1y-temer111

Estadão

O governo saiu em defesa das Forças Armadas e reagiu na sexta-feira (11), com desconfiança ao memorando escrito em 1974 pelo então diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos que afirma que o ex-presidente Ernesto Geisel havia dado autorização para execuções de “subversivos perigosos” durante o seu governo, transformando esses assassinatos em política de Estado.

“Nesses tempos de delações, de disse que disse, aprendi que é preciso ter muito cuidado com informações dessa natureza”, afirmou o presidente Michel Temer. Ao dizer que, ao receber a informação, “achou a história muito estranha”, o presidente declarou ter chamado sua atenção o fato de as revelações virem de fora do País: “Os documentos não são nacionais, são da CIA, uma entidade estrangeira. Nem tudo o que a CIA diz é necessariamente verdade, é uma verdade absoluta”.

Temer também avaliou que “não há um só documento, um só registro, um só depoimento dos envolvidos” corroborando a versão da CIA, que agora vem a público pelo pesquisador da FGV Mathias Spector. Em seguida, Temer acrescentou: “E a gente sabe como é… Essas coisas sempre acabam sendo faladas. Como nunca foram faladas aqui no Brasil até agora?”

Temer disse que, pela sua própria experiência, sabe que “presidentes não conseguem acompanhar tudo o que acontece lá embaixo, no governo”. Por isso, indagou: “Será mesmo que o general Geisel saberia disso, teria autorizado isso?” Citou, inclusive, sua versão sobre a frase atribuída ao então vice-presidente da República, Pedro Aleixo, ao discordar da aplicação do AI-5 em 1968 e tentar substituí-lo pelo instrumento do estado de sítio: “Não tenho medo do AI-5, tenho medo do que o guarda da esquina irá fazer com esse ato”.

Além de manifestar dúvidas quanto à veracidade da informação que chegou à CIA, Temer tentou fazer uma defesa subjetiva de Geisel, o penúltimo presidente do regime militar: “Isso não combina com o legado do presidente, conhecido pelo empenho em promover a abertura política, à volta à democracia”.

Acesso

Para o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, a divulgação dos documentos da CIA não afeta o “prestígio” das Forças Armadas. Ex-ministro da Defesa, ele disse que o governo ainda não teve acesso ao documento de forma oficial, mas afirmou que alguma medida deve se tomada.

“Não estamos desconsiderando (o memorando), mas precisamos ter acesso de forma oficial. O prestígio das Forças Armadas permanece nos mesmos níveis. As Forças são um ativo democrático, isso não é tocado por uma reportagem”, afirmou.

Jungmann foi evasivo, no entanto, quando questionado sobre quais medidas efetivamente devem ser tomadas. “Não sou mais ministro da Defesa, quem deve tomar essa decisão são os responsáveis pela área.”

Comissão

Membros da Comissão Nacional da Verdade defenderam a revisão da Lei de Anistia no Supremo Tribunal Federal depois da revelação do memorando da CIA. “É possível que, com essa nova composição do Supremo, a lei seja reexaminada. Esse fato pode servir justamente para estimular essa resolução desse impasse”, disse o coordenador do colegiado, professor Pedro Dallari.

O filho do jornalista Vladimir Herzog, Ivo Herzog, pediu na sexta-feira ao chanceler Aloysio Nunes que o Brasil solicite aos EUA a liberação completa dos registros da CIA.

http://www.politize.com.br/wp-content/uploads/2017/05/sistemas-s.png

Decisão da segunda turma do STF deu sinal verde para o TCU continuar investigando desvio de milhões no Sistema S. Desta vez, vinculado à Fecomércio mineira.

Desde que o caso da Fecomércio do Rio – que resultou na prisão de seu presidente Orlando Santos Diniz, em fevereiro –, os órgãos de controle estão intensificando sua atuação sobre as 27 regionais associadas à Confederação Nacional do Comércio.

O protagonista, nessa ação julgada pelo STF, é o Sesc-MG. Seu presidente, Lázaro Gonzaga, é acusado de comprar e reformar imóveis sem licitação e com preços superfaturados. Na denúncia que origina o problema, de 2015, o prejuízo apontado foi de… R$ 20 milhões.

Existem outras três regionais da CNC com problemas judiciais vinculados à improbidade administrativa: AM, RO e MT.

Petrobrás

A Petrobrás intimou seus funcionários a informar o patrimônio e a renda declarados à Receita Federal anualmente. Até então, a exigência era feita apenas aos que ocupam cargos de chefia – gerentes e diretores.

Mas, neste ano, foi estendida para os 62,7 mil empregados da controladora e subsidiárias. A medida gerou protesto dos empregados e, agora, o sindicato avalia uma posição para levar à diretoria. O Tribunal de Contas da União (TCU) diz que a extensão da exigência a todos os contratados está em linha com as suas normas. Mas advogados trabalhistas avaliam que a exigência é inconstitucional.  

Na intranet, a direção da empresa comunicou na última terça-feira que o prazo de entrega dos dados do Imposto de Renda de 2017 é o dia 30 de junho para quem não ocupa cargo de chefia. Já os gerentes e diretores têm que liberar as informações imediatamente.

A empresa argumenta que pretende com isso atender instrução do Tribunal de Contas da União (TCU). Mas, até então, a própria petroleira entendia que a obrigatoriedade valia apenas para os altos funcionários.

“Em reunião realizada em outubro de 2017, o tema foi tratado com representantes de órgãos de controle e o Jurídico da companhia avaliou que a obrigação legal se estende a todos os empregados, ocupantes de função de confiança ou não”, afirmou a Petrobrás.

Para chegar a esse entendimento, a empresa se baseou na Lei de Improbidade Administrativa (8.429/92), que determina que “a posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado”.

Questionada se seguiu exemplo de outras estatais, a petroleira respondeu ainda que a Caixa, Infraero e Dataprev tomaram a mesma medida. A Caixa e a Infraero confirmaram a informação. A Dataprev ainda não retornou à reportagem.

Entre os empregados, no entanto, a notícia causou mal estar, porque foi interpretada como um sinal de desconfiança da direção. Tamanho foi o burburinho interno e reação na intranet, que a empresa se viu obrigada a publicar novo texto sobre o tema.

“O clima policialesco dentro da companhia tem deixado as pessoas apreensivas. Nada foi discutido com os sindicatos. Vamos nos reunir para avaliar e fechar um posicionamento”, disse o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne sindicatos de petroleiros.

O entendimento de dois advogados trabalhistas é que a medida é inconstitucional. “Apesar de a Petrobrás se submeter à fiscalização do TCU e seus empregados à Lei de Improbidade Administrativa, o sigilo fiscal é protegido pelo inciso do artigo 5º., inciso X, da Constituição Federal.

Não fosse somente isso, a medida fere o princípio da razoabilidade, não sendo admissível a ideia de que seja adotada em desfavor de empregados que não possuem poderes de mando e gestão e, portanto, incapazes de lesar o patrimônio da empresa”, avaliou Tulio Ideses, do escritório Ideses TVM Advogados.

Já o especialista Sérgio Batalha, do Batalha Advogados Associados, diz que, como qualquer cidadão, os empregados de estatais têm o mesmo direito de sigilo fiscal de qualquer cidadão. “Não vejo base legal para isso”, acrescentou.

A Petrobrás destaca que as informações declaradas pelos funcionários serão repassadas exclusivamente aos órgãos de controle quando julgarem necessário. “E não há possibilidade de acesso aos dados dos empregados por parte da Petrobrás”, como informou por meio de sua assessoria de imprensa.

A empresa reiteradamente alega ter sido vítima da corrupção de executivos que fizeram parte do seu quadro de funcionários. Esse tem sido o argumento de defesa da empresa em todos os processos judiciais que responde no Brasil e no exterior, movidos por investidores, e também em resposta aos órgãos de controle do governo e à Polícia Federal, na Operação Lava Jato.

Internamente, adotou nos últimos anos medidas rígidas de controle que, acredita, vai contribuir para inibir possíveis episódios de desvio de dinheiro público.

Algumas medidas causam constrangimento entre os empregados, que reclamam de serem confundidos com ex-funcionários corruptos.

Num guia de conduta, é determinado, por exemplo, que nenhum funcionário pode se encontrar isoladamente com políticos em situações de trabalho. E os trabalhadores são alertados também para que não tenham expectativa de privacidade quando usarem os equipamentos corporativos. A empresa se dá ao direito de ter acesso a qualquer informação que transite no ambiente e horário de trabalho.

O presidente Michel Temer (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Consulta feita com os diretórios estaduais do MDB mostra que a maioria deles é a favor de candidatura própria à Presidência da República.

O resultado animou o presidente Michel Temer, que, apesar do discurso de que abriria mão da disputa, ainda sonha com a reeleição.

A rejeição altíssima a Temer e a promessa feita por Henrique Meirelles de bancar boa parte de suas despesas de campanha ao Palácio do Planalto podem favorecer o ex-ministro da Fazenda.

Poder360

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) lidera pesquisa para presidente feita com eleitores do Rio de Janeiro. O capitão do Exército pontua até 27,7% no levantamento feito pelo Paraná Pesquisas. Leia a íntegra.

No principal cenário, Bolsonaro lidera isolado com 27,4% das intenções de voto. Aparecem embolados no 2º lugar a líder da Rede Sustentabilidade, Marina Silva (13%), o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa (10,8%) –que anunciou esta semana que não concorrerá– e o pedetista Ciro Gomes (9,9%).

No cenário em que Lula é citado, Bolsonaro e o petista ficam empatados na margem de erro (2 p.p). O deputado tem 25,1% contra 21,5% do ex-presidente. O outro nome do PT testado na pesquisa é o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que pontua só 1,6%. O militar disse esta semana acreditar que o 2º turno das eleições deste ano será entre ele e 1 candidato do Partido dos Trabalhadores.

Chefe da Câmara e deputado federal pelo Rio de Janeiro, Rodrigo Maia (DEM) conseguiu, no máximo, 2,1% da preferência dos fluminenses.  

A pesquisa foi realizada de 4 a 9 de maio. Ou seja, começou a ser apurada antes de Joaquim Barbosa anunciar sua desistência na disputa ao Planalto, em 8 de maio. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o n.º BR-04838/2018. Foram ouvidos 1.850 eleitores em 44 municípios. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais, para mais ou para menos.

ACM Neto (Foto: Divulgação Facebook)

Presidente do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, listou as prioridades do partido nas eleições deste ano: as candidaturas aos governos da Bahia, Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro, cujos representantes da legenda serão, respectivamente, José Ronaldo de Carvalho, Rodrigo Pacheco, Ronaldo Caiado e Eduardo Paes.

Até o momento, as pesquisas apontam que Caiado, entre eles, é quem está em situação mais confortável.

Havia a expectativa de que o próprio ACM Neto fosse se candidatar para o governo baiano, mas desistiu. Sabe que vencer o atual governador, Rui Costa (PT) seria tarefa difícil.

http://www.leiaja.com/sites/default/files/styles/400x300/public/field/image/politica/2018/05/br%20104.jpg?itok=oFX8QBhQ

A Polícia Federal em Alagoas, com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), deflagrou, na manhã desta sexta-feira (11), a Operação Catabiu para dar cumprimento a 07 (sete) Mandados de Busca e Apreensão nos Estados de Alagoas, Pernambuco e São Paulo. 

A Operação Catabiu foi desencadeada para apurar desvios em Contrato de Obra de Revitalização da Rodovia BR-104 em Alagoas, por conta de danos aos cofres públicos comprovados na ordem de 10 milhões de reais, executado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte – DNIT em Alagoas, firmado entre o DNIT e um consórcio de empresas, para revitalização de aproximadamente 85km da rodovia neste Estado.

O valor do contrato original, acrescido de seus reajustes e aditivos, chega a 100 milhões de reais aproximadamente, valores esses integralmente de origem federal.

As investigações realizadas pela PF, bem como a auditoria da CGU, apontam para execução da obra com especificações aquém daquelas contratadas, gerando prejuízos comprovados por laudo pericial da ordem de 10 milhões de reais, podendo chegar a 26 milhões de reais aproximadamente, caso outros indícios já levantados, tais como simulação na contratação de insumos, subcontratação irregular de partes da obra e não aplicação de multa às empresas contratadas sejam confirmados.

A Operação Catabiu conta com a participação de 36 policiais federais e apoio de auditores da CGU. 

Estão sendo cumpridos 5 (cinco) Mandados de Busca e Apreensão em Alagoas, sendo 04 em Maceió/AL e 01 (um) em Santana do Ipanema/AL, bem como 01 (um) em São Paulo e 01 (um) em Pernambuco. 

Na linguagem popular do Nordeste, Catabiu corresponde a buracos em estradas que provocam solavancos e sacolejos nos transportes automotivos. As informações são da Assessoria de Comunicação da PF.

Tony Gel, Queiroz e Tonynho Rodrigues, filho do deputado estadual

O deputado estadual Tony Gel (MDB) recebeu uma visita do ex-prefeito de Caruaru José Queiroz (PDT), durante entrevista na Rádio Cultura, nesta sexta-feira (11), na capital do Agreste. Rivais em eleições passadas, os dois trocaram elogios e fizeram questão de reafirmar a paz entre os lados.

Tony Gel levou o filho, pré-candidato a deputado Tonynho Rodrigues, já Queiroz, levou o filho Wolney Queiroz, deputado federal. Queiroz afirmou ser um ato de civilidade política.

Gel disse que se sentiu honrado com a presença de Queiroz, prefeito de Caruaru por quatro vezes. “Se nós formos fazer uma análise sobre algumas coisas do passado, nós temos até que pedir desculpas. Tanto eu quanto Queiroz, em dados momentos, quando nos exaltamos, quando falamos determinadas coisas que não levam a nada. A idade da maturidade leva a isso”, disse Tony Gel sobre as divergências.  

http://jconlineimagem.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/2018/05/11/normal/79eb374d58045f400f58946f6784b8a8.jpg

O Diário Oficial da União publicou hoje (11) resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que regulamenta a produção das placas de identificação dos veículos brasileiros no padrão dos países do Mercosul. As novas placas deverão ser implementadas no Brasil até 1º de dezembro deste ano em veículos a serem registrados, que estejam em processo de transferência de município ou propriedade ou quando houver a necessidade de substituição das placas. 

A resolução traz as regras e requisitos de credenciamento das empresas responsáveis pela produção, estampa e o acabamento final das placas veiculares. As empresas só poderão produzir e comercializar as placas se forem credenciadas no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

De acordo com a resolução, a venda das placas deverá ser feita de forma direta das empresas credenciadas aos proprietários de veículos. A definição dos preços também será feita pelos fabricantes.

Substituição da placa

A resolução permite ainda que o proprietário do veículo antecipe a substituição da placa, mantenha os números originais no cadastro e altere os caracteres no novo modelo a ser instalado.

Conforme outra resolução publicada em março deste ano, a medida se aplica a todos os tipos de veículo, incluindo reboques, semirreboques, motocicletas, triciclos, motonetas, ciclo elétricos, quadriciclos, ciclomotores, tratores e guindastes, que serão identificados por uma única placa, instalada na parte traseira.

Para veículos já emplacadas, a troca será opcional até 2023, quando toda a frota nacional deve circular com a nova identificação. As novas placas são revestidas com película retrorrefletiva e têm fundo branco com margem superior azul. Além de estampar a bandeira brasileira com o símbolo do Mercosul, o novo modelo mantém os atuais sete caracteres alfanuméricos e apresenta ainda Quick Response Code (QRCode) e número de ID único para coibir fraudes.

https://www.sescsp.org.br/files/artigo/2f0a78c0/7fd3/408e/a256/079fd8f8725e.jpg

O projeto ‘Arte da Palavra’, desenvolvido pelo Departamento Nacional do Sesc, aporta mais uma vez em Triunfo. A partir da próxima segunda-feira (14) até o dia 18 de maio, será ministrada a Oficina de Criação Literária com a escritora sul-mato-grossense Michelly Dominiq, na Fábrica de Criação Popular do Sesc, das 18h às 22h.  

Voltada para maiores de 17 anos, a oficina tem o objetivo de exercitar a prática da escrita literária. O público-alvo são escritores, professores, estudantes do Ensino Médio e pessoas que tenham afinidade com a escrita. Os interessados podem se inscrever na Fábrica de Criação Popular. Para participar é necessário pagar uma taxa de R$ 14. Comerciários e dependentes têm desconto, e pagam de R$7.

 Michelly Dominiq é contadora de histórias, atriz e pedagoga formada pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).  Durante a oficina ela também falará sobre sua experiência e pesquisa de contos populares. Michelly é ganhadora do Prêmio Professoras do Brasil 2016, com o projeto “Contos, Cantigas e Brincadeiras”. Sua atuação atende as áreas de pesquisa em cultura popular, patrimônio imaterial, educação e teatro.

Projeto

O ‘Arte da Palavra’ visa divulgar a literatura no Brasil, facilitando o acesso da população à obra literária, por meio de ações que atuem em toda a cadeia da literatura, incluindo a formação e a divulgação de novos autores, a valorização das novas formas de produção e fruição literária.

Queijo apreendido em São Caetano

A Polícia Rodoviária Federal de Pernambuco (PRF-PE) apreendeu, nesta quinta-feira (10), 730 quilos de queijo sem refrigeração na BR-232, em São Caetano, no Agreste do Estado. Segundo a polícia, os queijos foram produzidos sem a devida inspeção sanitária e estava sendo transportado sem a refrigeração necessária para conservar a qualidade do produto.

Ainda de acordo com a PRF, uma picape com placa de Altinho foi abordada no quilômetro 145 da BR-232 com 680 quilos de queijo coalho e 50 quilos de queijo manteiga dentro do veículo e na carroceria.

O motorista informou que havia saído de Cachoeirinha, também no Agreste, e iria revender o produto em Caruaru. A ocorrência foi encaminhada a um fiscal da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) para as providências cabíveis.

http://d1cur43cgidqo6.cloudfront.net/wp-content/uploads/2014/02/prefeitura-de-serra-talhada.png

COMUNICADO

A Prefeitura de Serra Talhada informa o cancelamento da agenda de inauguração das ruas 11 e Onofre Magalhães, na Cohab, que seria realizada na tarde desta sexta-feira (11), em virtude do falecimento do pai da secretária executiva da Receita Municipal, Priscila Freire, e da mãe do deputado estadual, Augusto César. Ao mesmo tempo, a Prefeitura Municipal, em nome do prefeito Luciano Duque e toda equipe de governo, manifesta sua solidariedade às duas famílias enlutadas.

Quanto ao COMUNICANDO, o evento está mantido, e acontecerá a partir das 19h, na Concha Acústica.

Contamos com a compreensão de todos.

Prefeitura Municipal de Serra Talhada

Foto: Aluísio Moreira/Divulgação

Quatro anos depois das eleições de 2014, quando o governador Paulo Câmara (PSB) prometeu construir três hospitais, a licitação para contratar a empresa de engenharia que vai erguer a primeira etapa do primeiro deles foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta sexta-feira (11). A unidade, que receberá o nome do ex-governador Eduardo Campos (PSB), padrinho político do atual gestor, ficará em Serra Talhada, no Sertão. O custo total dessa primeira fase está previsto em R$ 49,7 milhões.

http://imagens4.ne10.uol.com.br/blogsne10/jamildo/uploads//2018/05/licitacao-serra.jpg

A ordem de serviço foi assinada em janeiro. Os primeiros R$ 2,6 milhões foram para a terraplanagem. O investimento total no hospital é de R$ 60 milhões. No evento em janeiro, o governo anunciou a previsão de concluir as obras, com todos os serviços, no fim de 2019, após 24 meses.

Quando estiver pronta, a unidade terá atendimento ambulatorial nas especialidades de traumato-ortopedia, clínicas geral, cardiológica e neurológica. O objetivo é de atender 236 mil habitantes de dez cidades da região.

Em 2014, Paulo Câmara prometeu ainda o Hospital Geral de Cirurgias, na Região Metropolitana do Recife, e o Dominguinhos, em Garanhuns, no Agreste. Em entrevista no Resenha Política, há um ano, o governador já havia admitido que não conseguiria entregar todos os hospitais.

Um dos presos estava traficando drogas na frente de casa / Foto: Reprodução/Polícia Civil

Dois homens foram presos e um menor apreendido por tráfico de drogas nessa quinta-feira (10) na cidade de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, o primeiro caso foi a prisão de um homem identificado como Leandro de Andrade Sabino, que estava na frente de casa realizando o comércio de entorpecentes.  

Ao realizar a abordagem, os policiais encontraram quatro trouxinhas de maconha com Leandro. Na residência dele, foram encontradas 15 pedras de crack, além de R$ 1.130,90 em notas trocadas, uma balança de precisão, diversas sacolas tipo sacolé, uma gilete e um prato com resquícios de cocaína. O suspeito será encaminhado à audiência de custódia em Arcoverde.  

Homem é preso e menor é detido

O outro caso divulgado pela polícia foi o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, com o apoio do 3º Batalhão da Polícia Militar, de um homem identificado como Marcelo Pereira da Silva Júnior. Ele foi preso por tráfico de drogas e um adolescente foi apreendido. 

Após a realização de busca na Rua Leonardo Arcoverde, foram encontrados meio tijolo de maconha e oito papelotes de maconha prontos para o consumo. Marcelo Pereira será encaminhado à audiência de custódia da cidade de Arcoverde e o adolescente será entregue a sua responsável.  

https://buskakinews.com.br/wp-content/uploads/2017/04/secretaria-de-saude-inicia-campanha-de-vacinacao-contra-gripe-em-mogi-guacu.jpg

JC

Pelo menos cinco municípios pernambucanos apresentam cobertura vacinal zerada após quase 20 dias do início da campanha de vacinação contra gripe. Os dados revelam que Abreu e Lima (Grande Recife), Belém de Maria (Agreste), Glória do Goitá (Zona da Mata) e Calumbi e Santa Filomena (Sertão) não têm computado informações sobre aplicação da vacina, que protege contra três vírus: o H1N1, o H3N2 e o influenza B. Até o início da tarde de ontem, Camaragibe, Quipapá e São Benedito do Sul revelavam inexistência de público imunizado no sistema de monitoramento, mas os números saíram da estaca zera no início da noite. O percentual zerado inquieta: ora pelo fato de levar a inferir falta de pessoas vacinadas, ora por presumir a inércia na atualização dos dados.

Ambas as situações preocupam. E não podem ser explicadas por falta de vacina, segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Ana Catarina de Melo. “Já foram distribuídos, aos municípios, 64% do total de doses (2,6 milhões, com base em dado do Ministério da Saúde) destinados a Pernambuco este ano.” O volume de vacinas, entregues em etapas pelo governo federal, é maior que o universo do grupo prioritário para a imunização, de 2,3 milhões de pernambucanos. 

“Mas não adianta imunizar o público-alvo e não digitar os dados (quantidade de doses aplicadas) no sistema. Se não houver registro, compreende-se que nada foi feito. Podemos pensar que o município não aderiu à campanha e, na realidade, pode ter alcançado boa cobertura. O inverso também acontece: não se atualiza o sistema porque não se vacina. Estamos intervindo para melhorar esse cenário”, esclarece Ana Catarina. Ela acrescenta que cada município deve cumprir, duas vezes por semana, a tarefa de alimentar o sistema de monitoramento da vacinação. 

A meta que deve ser alcançada até o fim deste sábado, quando acontece o Dia D da mobilização contra gripe, demanda muito trabalho para um Estado que, até a tarde de ontem, só havia imunizado 544.837 pessoas – ou 22,7% do grupo prioritário. “Nosso objetivo é, no fim do sábado, já ter vacinado 50% dos pernambucanos aptos a participar da campanha. Estamos trabalhando com foco nesse objetivo.”

Amanhã, cerca de 5 mil pontos de vacinação (entre postos de saúde e unidades volantes), em todo o território pernambucano, funcionam para imunizar contra gripe. No Recife, todas as Unidades de Saúde da Família, Upinhas, Unidades Básicas Tradicionais e policlínicas estarão abertas, das 8h às 17h. “Orientamos que o público-alvo participe da mobilização. Quanto mais baixa a cobertura (o ideal é chegar ao fim da campanha, dia 1º de junho, com 90% dos grupos prioritários vacinados), mais pessoas estarão susceptíveis (ao adoecimento por gripe)”, reforça Ana Catarina. 

A dona de casa Sônia Maria Tenório, 46 anos, optou por não esperar o Dia D. “Tenho hipertensão e asma. Por isso, preciso da vacina”, conta Sônia, que recebeu a aplicação da dose ontem. No Recife, a cobertura vacinal está em 34%. Em Olinda e em Jaboatão dos Guararapes, 14% e 12%, respectivamente.